13 dezembro 2010

POEMA PARA A CHUVA - Por Claude Bloc

Sou chuva
- Claude Bloc -

Foto: Chuva em Sobral - 13 de dezembro de 2010

Algumas vezes simplesmente existi
Algumas vezes me tornei chuva
E nessa hora, fui átomo
Fui rio,
Fui nuvem e relâmpago,
Desaguei-me no açude,
Segui até a foz
Fui vento de chuva
quase voei.


Por isso hoje sou chuva
Sem lágrimas para chorar
Porque sou êxtase e alegria
Como se essa água
Me lavasse por dentro...


Por isso hoje sou chuva
no desvão da chapada
Sou esse sorriso que você abriu
Sou essa alegria dentro de você.

Claude Bloc

9 comentários:

  1. Lindo...essa chuva nessa chapada, essas imagens, esse poema fizeram meu dia ter mais paz!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Janinha.

    É sempre bom quando a gente inspira bons sentimentos.

    Muita paz para você.

    Abraço,

    Claude

    ResponderExcluir
  3. Claude,

    Suas fotos e seus poemas dão um deleite especial em meio as noticias no Blog do Crato como uma pausa artistica.

    Parabéns !

    ResponderExcluir
  4. É o que eu já disse também , Edilma,

    "Entre uma Facada e um Buraco nas ruas do Crato, eis que surge Claude Bloc, trazendo-nos a vida de volta, para colocar nossa cabeça no lugar e ver que o mundo não é só violência, nem notícia ruim."

    Belíssimo e inspirado poema da Chuva! Salve Salve !!

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, Edilma,

    Há horas que a alma pede para respirar... Diante de tanta barbárie que a gente vê por aí vale a pela nada como uma pausa pra sorrir ou se emocionar.

    Inspirei-me na no tempo chuvoso fazer esse poema, depois de falar com Dihelson, dizendo ele que o Ceará todo estava "levando" chuva...
    Pensei na alegria de quem sobrevive dessa espera para seu sustento... e me senti a própria chuva provendo essa alegria...

    Metida eu, não? (risos)

    Abraço,

    Claude

    ResponderExcluir
  6. Corrigindo: Diante de tanta barbárie que a gente vê por aí vale a pena respirar outros ares. e nada como uma pausa pra sorrir ou se emocionar.

    ResponderExcluir
  7. Obrigada, Dihelson, pelo bem humorado incentivo.

    A gente tem mesmo que variar as cores do arco-íris senão a mesmice sufoca.

    Abraço,

    Claude

    ResponderExcluir
  8. Que lindo Claude! Essa bica que corre na calha do canto da telha, lembra os banhos de chuva da nossa infância.

    Abraços

    Magali

    ResponderExcluir
  9. Claude, o sertanejo parece ter razão, Alegria de Pobre dura pouco. Em compensação, não choveu hoje. rs rs rs... a chuva foi só uma espécie de advertência aos desavisados que precisam preparar seus telhados para o inverno.

    Mas quando vimos as colegiais tomando um belo banho de chuva de farda e tudo, deu vontade de largar tudo e ir brincar também naquela algazarra. Era pura alegria e há muito tempo não se via gente sorrindo assim. Pena que eu estava muito "empacotado" e com a câmera na mão. Não poderia ir. Eles, sabidamente, levam apenas um plástico que protege os livros. Guarda-chuvas ? nem pensar! Se o bom mesmo é vir caminhando lentamente na chuva depois da aula, para aproveitar cada pingo de chuva e paquerar ?

    A vida de estudante, por pior que possa parecer, tem suas alegrias e coisas que em nenhuma outra época da vida se pode dar o luxo de fazer...

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.