06 dezembro 2010

Estive em Serra Verde - Lembrei-me de Vocês - Ensaio Fotografico: Dihelson Mendonça


P
oucas coisas na vida nos causam tanto prazer quanto sair um pouco do mundo "civilizado" e buscar a natureza. A vida plena está na natureza, e não entre quatro paredes. Atendendo ao convite de Claude Bloc, Daniel Bloc e Edilma Rocha, passamos um fim-de-semana simplesmente varavilhoso num dos mais belos lugares do cariri, a Serra verde, próximo a Dom Quintino, onde conversamos bastante, fizemos piquenique, e fotografamos muito. Eu devo ter feito mais de 500 fotos ao todo. Estas aqui são apenas algumas que selecionei para um ensaio, e que faço questão de dedicar a alguns dos meus Amigos de Verdade. Por favor, não fiquem tristes se seu nome não apareceu ainda na lista. Seriam necessárias inúmeras páginas do Blog se eu fosse listar todos os amigos.

ENSAIO FOTOGRÁFICO

E o que seria a vida, se não fossem esses pequenos momentos que guardamos para a eternidade ? Algo que transcende as percepções, que escapa aos sentidos, e se traduz na beleza pura ? - Para Claude Bloc.

arvore amarela 01 700

E o que somos ? qual a noção da nossa grandeza, quando tudo é apenas uma questão de perspectiva ? O homem é o ápice da criação ? Da natureza ? - Viva o Einstein, que nos provou há muito tempo, que o tudo é relativo. Fotos dedicadas aos amigos e colaboradores do Blog do Crato, Prof. Armando Rafael, Emerson Monteiro, Antonio Morais, José Milton Arraes, Amilton Silva, Carlos Rafael, Maria Otília, Janinha, Alessandra, Gabriella Federico, e tantas pessoas maravilhosas que estão conosco.

curva 700


por do sol ninha 650


ninha entre forquilha 400

Viver é assimilar conhecimentos. É aprender novas técnicas para refazer coisas que já fazíamos. Por exemplo, ao fazer esta foto, eu quis fazer bem ao estilo da Edilma Rocha, que gosta sempre de emoldurar as suas fotos com os galhos das árvores. Bidu, espero que tenha gostado, porque essa é dedicada a você, Edilma Rocha.

lago azul 01


Deus me foi muito bom comigo, porque me deu por fiel companheira aquela que não era, mais foi se tornando minha alma gêmea, e sem ela a vida hoje não teria sentido. Ninha, essa foto é dedicada a você, estavas bem distraída sem saber que era fotografada.

ninha canoa 600 x 400

Esta foto é dedicada ao meu Pai, falecido em 1995. Estamos sem a sua presença física há 15 anos, mas a presença espiritual é constante. Ele tem sido meu fiel guia em todos os passos. Obrigado, meu amigo, por estar sempre comigo. Acho que ele teria gostado dessa foto da canoa.

canoa 400 x 600

A foto abaixo é para um mestre da fotografia. Um mestre que tem me auxiliado como a um irmão, e que quando eu não entendia nada sobre fotografia, ele têve a paciência de me ensinar os primeiros passos, e conseguir despertar o amor por esta arte grandiosa: Pachelly Jamacaru.

cadeira peb 650



ninha no banco 2

Esta aqui vai para um grande grande amigo. Um amigo meio louco, que se eu oferecesse algo normal, ele não iria gostar. Este foi um dos trabalhos que me deu mais trabalho. Dedico ao grande fotógrafo, repórter e ser humano Wilson Bernardo, que chegou lá pela Serra Verde à noite, e olha, o homem é muito humano, mas ronca como um Tyranossauro Rex. Valeu, Bernardão...

sapinho

Estas duas fotos aqui em si, já mostram uma história. Uma história de muita dedicação, de muita conquista. Dedico especialmente ao Daniel Bloc ( jacques ), que é uma das pessoas mais maravilhosas que existe.

barco garotos 600


casa e arvore


banquinho 01

Esta foto é dedicada a uma das minhas maiores amigas, que tem sido uma fiel fonte de alegrias, de força de vontade, e tem me dado forças a continuar quando tudo parece perdido. Dedicada a Mônica Araripe. Monkynha, que esse belo por-do-sol te estimule cada vez mais a perseguir seus grandes ideais.

por do sol 2


FOTOGRAFIA: Dihelson Mendonça

Proibida a Reprodução, Cópia, e Salvamento sem autorização do Autor.
Os Infratores serão processados na forma da Lei de propriedade intelectual.

17 comentários:

  1. Muito obrigado pelo carinho e pela lembrança, lugar muito lindo mesmo, me lembrou minha infância , meu avô que hj completa 11 anos de passagem para outro plano, me emocionei , fotografia tem esse dom.
    Lindo mesmo ver a Ninha tão distraída, e com certeza vc tem uma grande parceira, amiga , companheira, adorável Ninha.
    Beijos ao casal.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Ale,

    Na verdade, sabe aonde nós dormimos ? Na casa grande, mais conhecida como a Casa do Doutor. E contávamos histórias, dentro das redes, olhando as estrelas, na varanda, quando alguém se lembrou de você do Coronel Belém, que parece que morou num dos quartos. Ali é um local cheio de lembranças! Há outras fotos das casas. É que o espaço é pequeno para tanta coisa.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  3. Dihelson,

    Estou aparecendo por aqui meio atrasada. Ontem cheguei a Sobral no final da tarde pois paramos em Iguatu para almoçar. O Jean-Luc, meu sobrinho estava com fome de lobo (risos).

    Liguei o PC, vi sua mensagem, liguei pra Edilma e falei dessa homenagem linda que você nos fez, incluindo nela os amigos, a lealdade e a beleza que é uma amizade distante dos interesses meramente transitórios, ocasionais.
    Me emocionei, eu já distante, de rever as imagens que caprichadamente você selecionou para trazer de volta (à tona) os momentos tão agradáveis quanto mágicos que o nosso grupinho amigo viveu com alegria, simplicidade e companheirismo.
    Creio que depois deste final de semana não seremos mais os mesmos, mas seremos certamente melhores, mais amigos, numa cumplicidade que se estende até os roncos dos dinossauros.

    Desculpe não ter dito essas coisas ontem, mas eu estava "pregada" de cansaço, toda dolorida após uma viagem desconfortável no banco de trás do carro... e de uma viagem longa. Além do que, cada vez que me afasto do nosso Cariri eu me encho de uma saudade imediata e aguda.

    Agradeço, meu amigo, por tudo. Pela sua gentileza, pela presença doce de Ninha, pela sua aceitação do simples que pude lhe oferecer nesses dias.

    Abraço você e Ninha num único abraço.

    Claude

    ResponderExcluir
  4. A terça, quinta, sexta e décima. São a que mais gostei, que bom te ver feliz! É isso aí. Obrigada muito e sempre.
    Abraço,
    Gabí

    ResponderExcluir
  5. Oi, Claude!

    Que bom que você já chegou em Paz por aí, e a viagem deu tudo certo. Minha querida amiga, muitas coisas não foram ditas, mas foram sentidas e ficaram implícitas, eternicadas.

    Existem atos, atitudes que falam melhor do que as palavras, e é por isso que eu não sou muito afeito a palavras, elas nunca dizem realmente o que a gente quer dizer.

    Para mim, só há duas formas de arte sinceras: A Música e as artes Visuais. A música atinge a alma em cheio, ela diz coisas aonde as palavras não chegam, o músico e os que escutam sintonizados, estão numa perfeita sintonia de idéias, aonde todos os povos se irmanam pela alma, independente da língua, das palavras.

    Numa música, eu consigo sentir coisas que só associo a ir a outro universo. A linguagem da imagem, parada ou em movimento é similar, porque uma imagem vale mais que.... também....

    Então, eu VI vocês, eu vi Atitudes. Eu vi redes, vi Cajuína, eu vi sorrisos, eu ouvi galinhas, ouvi gente sorrindo, eu vi olhares, vi sinceridade. Ouvi preces. Ouvi um pacto de lealdade com todos sentados em volta da manta do piquenique. Eu vi estrelas, vi a silhueta de árvores por entre as estrelas e no sol poente. Eu ouvi Wilson Bernardo chegando, eu ouvi mulher gritando...eu ouvi gente feliz no aniversário. Eu vi a bermuda do Daniel e seus óculos escuros sorrindo. Eu vi a camisola da Dama de Vermelho. Eu vi a gia verde nas mãos da Edilma. Eu me arrebentei ao molho de champignon. Tomei banho com a água que saía de um cano. Vi panelas de barro, selas, cavalos, fios elétricos. Vi reboco de paredes caindo, vi linhas apodrecidas com a luz entrando. Vi cimento velho, poeira, pegadas no pó. Senti a solidariedade da sua irmã, que faz excelentes nós em punhos de rede. Vi cordas sendo cortadas para acomodar mais redes na varanda. Vi gente com calor se levantar no meio da madrugada. Vi bebedores de cachaça se satisfazerem com 2 doses de OLD PARR e notar a garrafa de Sidra que já havia secado. Vi urubus voando e descendo às dúzias para beber água no açude. Subi e desci ladeiras até não sentir mais as pernas. Vi registros do amor gravado no cimento de 1949. Vi árvores serradas, e gente tomando café. Vi porcos, bois e um dálmata grande amarrado. Vi cachorro sem querer posar pra fotografia. Ouvi gente chegando de festa. Vi e ouvi alegria, PAZ e senti gente nostálgica, porém FELIZ. Vi um mundo que foi e deixou saudades. Vi também um mundo que ainda poderá ser.

    Eu digo que vi, mas só sente o que eu senti, quem estiver dentro de mim. Vocês estão.

    Obrigado, Claude Bloc, Jacques, Edilma, Ninha e todo mundo que estava lá por aqueles momentos maravilhosos.

    Para não poluir muito nem tirar a paciência dos nossos leitores, noutro espaço eu colocarei umas fotos mais nossas, mais pessoais que eu flagrei.

    Bjus!, Abraços.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  6. Obrigado, Gabi!

    Por toda a sua força, dedicação e carinho de grande amiga. Que bom que você gostou de algumas.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  7. Dí, posso falar uma coisa? vou falar vc me conhece e sabe que sempre falo o que penso. Menino vc precisaver minha cara olhando cada foto e que fotos, não saberia dizer qual a mais bonita, e lendo ne, ai pensava: " será que Dihelson não lembru de mim." já tava td tristinha, quando ai vi esse lindo por de sol, que lindo!!!
    mil vezes obrigada, adorei!!!!
    Bjo grande.
    Monkynha

    ResponderExcluir
  8. Ninha,
    Que linda essa sua foto tão distraida, adoro fotos assim, essa tem que ir para um porta retrato e pra cabeceira da cama de Dí, está linda.
    Saudades.
    Beijos,
    Mônica Araripe.

    ResponderExcluir
  9. Dí estou encantada com esse lugar, tenho um amigo que conheci que eles foram moradores dai e hoje ele mora em Páris, se me mandesse eu poderia mandar p ele essas belas fotos. Será que pode?
    Bjus,
    Mônica.

    ResponderExcluir
  10. Alê,
    Foi ai que o Mascs Ceará nasceu.
    Bjus,
    Monkynha.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Mônica,

    Que bom que você olhou cada foto. Pensava que eu iria me esquecer de ti ? ahahah. Na verdade, você foi tema de algumas conversas que tivemos lá, Eu e Edilma. Falamos até do seu empenho no Doce Natal e a sua recente cirurgia dental. Espero, aliás, que você esteja bem, porque a abertura do DN já vai ser dia 12, Domingo, e todos iremos estar lá. Vamos fazer belas fotos ? Claro que iremos !!!

    Olha, pode avisar ao pessoal em Paris visitarem o Blog do Crato, e ver a sequência, que tem até mais sentido, porque já está tudo arrumado, mas se você quiser, eu posso depois separar umas aqui, para te enviar por e-mail, mas aí dá mais trabalho.

    Quem é esse pessoal de Paris que nasceu lá ? É parente de Claude Bloc ? porque essa propriedade, do açude dos Boris é deles, descendentes de Hubert Bloc, que veio da França na época da II guerra mundial, fugindo dos alemães.

    Seria muito bom se um dia a gente pudesse te levar lá. É um lugar MARAVILHOSO!

    Bjus!

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  12. Monica

    Foi o que me lembrei... imagina se ele visse? ele la longe em Paris relembrando esse lugar tão magico.

    O Dihelson kkkkkk lembrar do Coronel Belem veio bruto kkkkk mas graças a ele eu tive o melhor avô do mundo.

    ResponderExcluir
  13. Dom Ruan da Ninha e querido amado amigo Dihelson ,suas dedicatórias aos amigos, falam por si só, quem realmente você é.Obrigado pela presença,obrigado pelos elogios a minha família,obrigado pelo carinho,obrigado,obrigado,oabrigado, um grande beijo.


    Jacques Bloc Boris

    ResponderExcluir
  14. Jacques, meu amigo, você é um ser tão especial e diferente, que quando estou pessoalmente contigo, nunca sei ao certo o que dizer, porque aparentemente, a gente se fala mais por telepatia. É como se tudo já tivesse sido dito. Coisa de irmão mesmo.

    Um forte abraço, cara!
    Saúde, PAZ e Alegria.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  15. Dí,
    Não sei bem, sei que eles não são parentes foram moradores, o Marcos Ceará, saiu com 8 anos de idade e depois mandu buscar à fámilia, mais já passei o blog para ele e com certeza ele vai olhar.
    Obrigada por lembrar de mim. Estou em total repouso para domingo estar ai firme e forte, afinal é o que mais gosto de fazer de curtir igual as crianças é o Doce Natal. Aproveito aqui para mandar bjus para Edilma e todos que estava nesse paraiso!
    Bjo,
    Monkynha.

    ResponderExcluir
  16. Belíssimas fotos, em especial a da cadeira e da janela. Perfeita!
    Parabéns.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.