11 outubro 2010

Com trocas de acusações, Dilma e Serra travam duelo mais duro da campanha


O
s candidatos à Presidência Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) travaram o duelo mais duro da campanha na noite deste domingo em debate na Band.

http://4.bp.blogspot.com/_WY3qKeZY6L0/TLLSXpxZtYI/AAAAAAAATMo/bjD0xMMuPBk/s1600/Serra+e+Dilma.jpeg


Marcado pela troca de acusações de ambas as partes, o debate virou embate não apenas porque foi o primeiro confronto que contou apenas com os dois desde que o período eleitoral começou, mas também porque Dilma deixou a postura defensiva em que foi colocada nos últimos dias por causa da polêmica envolvendo o aborto e adotou uma postura combativa, atacando durante todo o tempo o adversário, que não deixou por menos e foi ao contra-ataque.

No quarto bloco, Serra chegou a comentar a ofensiva de Dilma.

"Tenho que confessar que eu tô surpreso com essa agressividade, esse treinamento da Dilma Rousseff, que esta se mostrando como é de verdade", disse o tucano. Entre os temas que foram motivos de acusações estiveram questões polêmicas da campanha, como aborto, privatizações e escândalos na Casa Civil. Logo na primeira oportunidade que teve de perguntar, Dilma atacou Serra e acusou sua campanha de procurar atingi-la com "calúnias, mentiras e difamações".

"Essas calúnias têm sido muito claras em alguns momentos. Seu vice, Indio da Costa [DEM] a única coisa que faz sistematicamente é criar e organizar grupos, aproveitando da boa fé das pessoas, pra me atingir até com questões religiosas. Queria saber se o senhor considera essa forma de fazer campanha que usa o submundo é correta", questionou.

Na resposta, Serra afirmou se solidarizar com "quem é vitima de ataques pessoais" e se disse ele próprio vítima. O presidenciável tucano contra-atacou a petista e insinuou que ela tem a ver com os ataques que ele teria sofrido.

"Blogs com seu nome. Se não fosse [algo feito por sua campanha] poderia tirar na Justiça. Fazem ataque a família, amigos. Uma campanha orquestrada a respeito de ideais que não tenho. Nós somos responsáveis por aquilo que pensamos e aquilo que falamos. A população cobra programa de governo, mas cobra conhecimento. [...] Vocês confundem matéria de jornal com coisas orquestradas."

Serra foi o primeiro a mencionar a palavra aborto.

"Você disse com clareza com debate na Folha, e isso esta filmado, que era a favor da liberação do aborto. Isso não é estratégia de adversário. São coisas que vão acontecendo. Se trata de ser coerente, não ter duas caras".

Sebastião Moreira /Efe

Na réplica, Dilma voltou a atacar e disse que Serra deveria "ter cuidado pra não ter mil caras" e disse que o tucano regulamentou o aborto quando foi ministro da Saúde.

"Acho estranho você dizer certas coisas. Você regulamentou o acesso ao aborto no SUS".

Serra alegou que a legislação sobre o aborto foi criada em 1940 e disse que não regulamentou o procedimento, e sim criou uma norma técnica a respeito.

"A lei existente no Brasil é de 1940. Eu nasci em 1942. Nem espiritualmente poderia ter sido o autor da lei. A lei permite o aborto em dois casos: risco de vida pra mãe e estupro. Essa lei vinha sendo praticada no Brasil. [...] O que eu fiz como ministro [...] foi que isso precisava ter uma norma técnica que balizasse os abortos, para que fosse feito sem risco para a mãe. Nunca defendi a liberação do aborto. Você defendeu. Não estou fazendo juízo de valor a seu respeito. Mas você passa a dizer o contrário, a se vitimizar."

Dilma se defendeu.

"Sou contra tratar como questão de polícia a questão das das mulheres que morrem dia sim, dia não pelo aborto".

CRENÇA

Ainda no plano religioso que tem pautado o segundo turno, Serra colocou em dúvida a crença de Dilma em Deus. "Com relação a Deus a mesma coisa. Tem entrevistas em que você diz que não sabe se acredita, se não acredita".

MONICA SERRA

Adotando um tom mais agressivo do que em debates anteriores, Dilma acusou a mulher do oponente, Monica Serra, de usar o tema do aborto para caluniá-la. "Sua esposa, Monica Serra, eu vou dizer o que ela falou: a Dilma é a favor da morte de criancinhas. Isso é um absurdo", disse ela no segundo bloco. Antes, no primeiro bloco, já havia tocado no assunto. "Acho gravíssimo a fala da sua senhora." Serra não respondeu à acusação sobre sua mulher.

FICHA LIMPA

Dilma, que durante várias vezes acusou Serra de "tergiversar" sobre os assuntos que estavam sendo debatidos, disse que o tucano virou réu em uma denúncia em que é acusado de crime de calúnia e difamação e recomendou ao tucano que tomasse cuidado. "Você se cuida. Você tá dando os primeiros passos pra entrar na Ficha Limpa".

CASA CIVIL

Serra trouxe à baila o tema dos escândalos envolvendo a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra. "Seu braço direito durante sete anos e três meses organizou um grande esquema de corrupção. Você [diz que] não tem nada a ver." Dilma, por sua vez, acusou Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa (empresa de transportes do Estado de São Paulo), nomeado por tucanos, de roubar R$ 4 milhões da campanha de Serra. "Você deveria responder sobre seu assessor [sic], que fugiu com 4 milhões de reais da sua campanha."

PRIVATIZAÇÕES

Durante o segundo bloco, a candidata petista insinuou que Serra quer privatizar o pré-sal. Ela afirmou que o principal assessor do tucano na área do petroleo afirmou que Serra quer privatizar o pré-sal. "Não dá pra fugir pela historia do trolóló. Isso foi uma afirmação feita. E isso é grave. Porque o pré-sal é e uma das riquezas mais importantes do pais. Não é pro final da década não. Defender a privatização significa tirar dinheiro do país pra investir em educação de qualidade, meio ambiente, cultura, ciência e tecnologia. É grave".

Serra rebateu: "Vou reestatizar os Correios. Fortalecer Banco do brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES". Ele afirmou que falava em reestatização porque essas instituições federais "passaram a servir aos amigos e aos companheiros". Dilma lembrou ainda que o tucano vendeu a Nossa Caixa, banco que pertencia ao governo paulista e que foi comprado pelo Banco do Brasil. Na réplica, Serra disse que ouviu dizer que Dilma era contra porque daria dinheiro para o governo paulista investir.

Mais à frente, a petista voltou a atacar: "Ou se tem prova ou não se acusa as pessoas. Quando eu digo que ele privatizou, que o Fernando Henrique dizia que ele era o mais empenhado nas privatizações, é um fato histórico. O que eu falar, eu tenho como provar".

Fonte: Folha.com

19 comentários:

  1. O Brasil merece a continuidade do governo Lula em lugar da ferocidade dos eleitores tucanos

    As reações de milhares de navegantes da internet envolvidos na celebração dos resultados do primeiro turno como se significassem a derrota de Dilma Rousseff exibem toda a ferocidade – dos súditos de José Serra. Sem contar que a pressa de suas conclusões rima sinistramente com ilusões.

    Escrevi ferocidade, e não me arrependo. Trata-se de um festival imponente de preconceitos e recalques, de raiva e ódio, de calúnias e mentiras, indigno de um país civilizado e democrático. É o destampatório de vetustos lugares-comuns cultivados por quem se atribui uma primazia de marca sulista em relação a regiões- entendidas como fundões do Brasil. É o coro da arrogância, da prepotência, da ignorância, da vulgaridade.

    É razoável supor que essa manifestação de intolerância goze da orquestração tucana, excitada pelo apoio maciço da mídia e pelos motes da campanha serrista. Entre eles, não custa acentuar, a fatídica intervenção da mulher do candidato do PSDB, Mônica, pronta a enxergar na opositora uma assassina de criancinhas. A onda violeta (cor do luto dos ritos católicos) contra a descriminalização do aborto contou com essa notável contribuição.

    Ocorre recordar as pregações dos púlpitos italianos e espanhóis: verifica-se que a Igreja Católica não hesita em interferir na vida política de Estados laicos. Não são assassinos de criancinhas, no entanto, os parlamentares portugueses que aprovaram a descriminalização do aborto, em um país de larguíssima maioria católica. É uma lição para todos nós. Dilma Rousseff deixou claro ser contra o aborto “pessoalmente”. Não bastou. Os ricos têm todas as chances de praticar o crime sem correr risco algum. E os pobres? Que se moam.

    A propaganda petista houve por bem retirar o assunto de sua pauta. É o que manda o figurino clássico, recuar em tempo hábil. Fernando Henrique Cardoso declarava-se ateu em 1986. Mudou de ideia depois de perder a Prefeitura de São Paulo para Jânio Quadros e imagino que a esta altura não se abstenha aos domingos de uma única, escassa missa. Se não for o caso de comungar.

    A política exige certos, teatrais fingimentos. Não creio, porém, que os marqueteiros nativos sejam os melhores mestres em matéria. Esta moda do marqueteiro herdamos dos Estados Unidos, onde os professores são de outro nível, às vezes entre eles surgem psiquiatras de fama mundial e atores consagrados. Em relação ao pleito presidencial, as pesquisas falharam e os marqueteiros do PT também.
    Leio nesses dias que Dilma foi explicitamente convidada por autoridades do seu partido a descer do salto alto. Se subiu, de quem a responsabilidade? De todo modo, se salto alto corresponde a uma campanha bem mais séria e correta do que a tucana, reconhecemos nela o mérito da candidata.

    Acaba de chegar o momento do confronto direto, dos debates olhos nos olhos. Ao reiterar nosso apoio à candidatura de Dilma Rousseff, acreditamos, isto sim, que ela deva partir firmemente para a briga, o que, aliás, não discreparia do temperamento que lhe atribuem. Não para aderir ao tom leviano e brutalmente difamatório dos adversários, mas para desnudar, sem meias palavras, as diferenças entre o governo Lula e o de FHC. Profundas e concretas, dizem respeito a visões de vida e de mundo, e aos genuínos interesses do País, e a eles somente. Em busca da distribuição da riqueza e da inclusão de porções cada vez maiores da nação, para aproveitar eficazmente o nosso crescimento de emergente vitorioso.

    CartaCapital está com Dilma Rousseff porque é a chance da continuidade e do aprofundamento das políticas benéficas promovidas pelo presidente Lula. E também porque o adágio virulento das reações tucanas soletra o desastre que o Brasil viveria ao cair em mãos tão ferozes.

    Mino Carta

    ResponderExcluir
  2. É certo que o governo lula conseguiu ainda que timidamente um avanço social, algo desprezado nos oito anos de administração do psdb. Mas é certo também que esse crescimento de Serra nas pesquisas reflete uma tática ao meu ver inteligente da oposição, em explorar temas nefastos para o governo que a candidata Dilma representa como saúde e segurança.
    Gilson de Araújo Pereira
    Campina Grande- PB

    ResponderExcluir
  3. Meninos eu li!
    E à medida que ia lendo um pensamento me chegava:

    “Tenho de mudar meu conceito sobre este Dedé Cariri. Ele não é como eu julgava, um “Maria que vai com as outras; feito piolho que anda pela cabeça dos outros”...

    Mas ao final -- ó decepção -- o texto é da lavra do jornalista “chapa-branca” Mino Carta, da revista “Carta Capital”, financiada pelo governo petista.

    Perdi meu tempo!

    Lamentando, tive de aceitar que tudo aquilo que ali está escrito deve ser entendido exatamente ao contrário...

    ResponderExcluir
  4. xiiiii, a conversa chegou na sacristia

    ResponderExcluir
  5. Apenas para esquentar o debate. Parece que todo o problema agrário brasileiro foi resolvido pois ninguém sabe e ninguém viu o MST. Ou então os que defendem este " movimento social" vai ter de assumir que é na verdade um movimento com fins eleitoreiros e partidário.

    ResponderExcluir
  6. A corrupçã petista continua desenfreada, eos chefoes como Lula e Dilma fecham os olhos, não ouvem nada, enquanto os companheiros estão metendo a mão no diheiro público, este desmantelo no governo petisa tem que parar, a divida jápassa dos trilhoes, etudo só com corrupção, bastatem que parar com estesaloptrados.

    ResponderExcluir
  7. Sacristia, Dedé Cariri?
    Não, não chegou ainda não.
    Chegou na...(cala-te boca)

    (eu tinha uma encomenda de um cabra besta, mas você superou toda a expectativa...Parabéns!)

    ResponderExcluir
  8. Por um dever lealdade com a verdade, tenho que corrigir, pois o Dedé Cariri deu o crédito do autor do texto que foi escrito por Mino Carta (final do texto), mas com relação aos plágios dos programas sócias estes não tenho como retira-los e a história corrigirá as distorções causadas pelos embustes verdadeiramente efetivados pelo atual Governo Federal, que tem somente um mérito, continuar o que vinha dando certo, trocando, simplesmente os nomes, entretanto, o conceito e formula continuam os mesmos .
    Roberto de Sousa

    ResponderExcluir
  9. Enviado por Ricardo Noblat - 11.10.2010| 6h53m
    Deu na Folha de S. Paulo
    Acupunturista de Dilma ocupa cargo na Casa Civil

    Contratado como "assessor técnico" no ano passado, Gu Zhou-Ji ganha R$ 4.000 para atender aos servidores

    Assessoria diz que ele pode ter acompanhado sessões feitas pelo pai; Zhou-Ji nega receber do governo para atendê-la

    Matheus Leitão, Márcio Falcão e Andreza Matais

    A Casa Civil, sob o comando da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, contratou o filho do acupunturista dela e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Gu Zhou-Ji, que ajuda o pai no atendimento à candidata, ganha R$ 4.000 por mês para atender servidores da pasta.

    A princípio, Zhou-Ji foi nomeado como "assessor técnico" em outubro de 2009. Em abril de 2010, parou de exercer função burocrática e passou a aplicar suas técnicas terapêuticas, como ele mesmo explicou à Folha, nos "funcionários e seus dependentes". Dilma deixou o governo no final de março.

    Mas o serviço de Zhou-Ji não se restringe à Casa Civil. Como assistente do pai, o acupunturista Gu Hanghu, ele ajuda no atendimento à candidata Dilma.

    Segundo Zhou-Ji, ela recebe atendimento duas vezes por semana na casa dela ou no consultório do pai, em sessões particulares, para combater "o estresse" e para "recuperação do corpo" após o tratamento do câncer linfático que teve no ano passado.

    É mais para a manutenção mesmo", disse ele.

    A assessoria de Dilma informou que Zhou-Ji pode ter acompanhado sessões terapêuticas do pai com a candidata.

    Zhou-Ji nega que receba da Casa Civil para atender a petista.

    Assinante do jornal leia mais em Acupunturista de Dilma ocupa cargo na Casa Civil



    Siga o Blog do Noblat no twitter

    Ouça a Estação Jazz e Tal, a rádio do blog

    Visite a página de vídeos políticos do Blog do Noblat

    roberto de sousa

    ResponderExcluir
  10. DN, vê se passa pelo seu crivo.
    A postura do plagia vem sento efetivamente feita pelo atual governo federal, visto que no governo passado, a bolsa família era denominada de bolsa escola, a luz no campo, hoje se chama luz para todos, os programas foram somente repaginados ou renomeados pelo plagiador do Planalto, e para sua massificação utilizou-se uma marketing competente, expropriando a propriedade intelectual, e incutiu nos incautos sua patente.
    Por conta dos programas sócias que foram plagiados, formou-se um governante arrogante e prepotente, onde não se respeita limites moral ou ético, à Justiça é trucida, não há respeito a nada, aos amigos da Corte às benesses que ela oferece, aos inimigos ele trucida, mata e esfola e, ainda, quer calar imprensa. Indaga-se: como podemos ter um estado de direito se a democracia e vem sendo desrespeitada pelo gestor maior da Nação?
    continua - roberto de sousa

    ResponderExcluir
  11. Em busca do poder absoluto, mata-se, vide os casos: Toninho PT e Celso Daniel; solapam o Erário Público sem dó e nem piedade, “mensalão”: quadrilha denúncia pelo Ministério Público Federal e recebido pelo Egrégio Supremo Tribunal Federal, onde um Ex-Ministro da Casa Civil era seu comanda em chefe; agora, mais vez, vem a público o caso da Ex-Ministra da Casa Civil, braço direito da candidata do PT, onde no gabinete vizinho ao do Presidente da República, montou-se, de novo, gangues que privilegiam os grandes grupos econômicos em troca de propina para frauda licitações e contratos públicos. Nada se sabe e nada se viu!
    Este, infelizmente é o Brasil de hoje.
    Roberto de Sousa

    ResponderExcluir
  12. DEBATE BAND

    Dilma: "É bom você lembrar, eu fico indignada com a questão da Erenice, mas você devia lembrar também o Paulo Vieira de Souza, seu assessor que fugiu com R$ 4 milhões"

    Serra não respondeu à pergunta e não voltou ao assunto.

    A revista ISTO É diz que “segundo dois dirigentes do primeiro escalão do PSDB, o engenheiro arrecadou “antes e depois de definidos os candidatos tucanos às sucessões nacional e estadual”. Os R$ 4 milhões seriam referentes apenas ao valor arrecadado antes do lançamento oficial das candidaturas, o que impede que a dinheirama seja declarada, tanto pelo partido como pelos doadores”, relata a revista.

    Paulo Preto ocupou posição estratégica na administração tucana do Estado de São Paulo”. Foi diretor de engenharia da Dersa, estatal responsável por obras como a do Rodoanel, “empreendimento de mais de R$ 5 bilhões, e a ampliação da marginal Tietê, orçada em R$ 1,5 bilhão – ambas verdadeiros cartões-postais das campanhas do partido”. Mas, segundo a reportagem, “Paulo Preto foi exonerado da Dersa oito dias depois de participar da festa de inauguração do Rodoanel”. A portaria, publicada no Diário Oficial em 21 de abril, não explica os motivos da demissão, “mas deputados tucanos ouvidos por IstoÉ asseguram que foi uma medida preventiva. O nome do engenheiro está registrado em uma série de documentos apreendidos pela Polícia Federal durante a chamada Operação Castelo de Areia, que investigou a construtora Camargo Corrêa entre 2008 e 2009.”

    A COISA TÁ PRETA SERRA!

    fonte: R7

    ResponderExcluir
  13. Perguntinha: Se Fernando Henrique foi tão bom para o Brasil, porque não expõe ele na campanha??

    ResponderExcluir
  14. Dedé Cariri nao fala uma só palavra da corrupção do governo petista, somente para relembrar: mensalão, dólar na cueca, desvio de verbas no DINT no Ceará, e o mais recentes a do braço direito da candidata Dilma, na Casa Civil, ante-sala do presidente da rapública. Viva a Corrupção!!!

    roberto de sousa

    ResponderExcluir
  15. Dedé: Xeque Mate!

    para completar, veja esse infográfico: http://ilustrebob.com.br/wp-content/uploads/2010/10/Colocando-na-balan%C3%A7a-low-res.jpg

    ResponderExcluir
  16. Serra, sobre Paulo Preto.

    "Nunca ouvi falar. Ele foi um factóide criado para que vocês (imprensa) fiquem perguntando".

    Paulo Preto sobre Serra.

    "Me conhece muito bem. Até por uma questão de satisfação ao País, ele tem que responder (...) Acho um absurdo não ter resposta, porque quem cala consente".


    fonte: portal Terra

    veja: http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4730717-EI15311,00-Paulo+Preto+sobre+Serra+ele+me+conhece+Tem+que+responder.html

    ResponderExcluir
  17. Prezado Anônimo, só existem duas possibilidades do senhor mudar meu voto:

    1- Prove-me que jamais existiu corrupção dentro do PSDB;
    2- Prove-me que o governo do PSDB foi melhor do que o do PT (quero fatos, dados e números)

    Corra, o senhor (ou senhora) tem até o dia 31 deste.

    ResponderExcluir
  18. LULA (
    Aquele que não entende de nada!)


    Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores;
    e que também não entende de economia; pagou as contas de FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda empresta algum aos ricos

    Lula, o analfabeto, que não entende de educação, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos [14 universidades públicas e estendeu mais de 40 campi], e ainda criou o PRÓ-UNI, que leva o filho do pobre à universidade [meio milhão de bolsa para pobres em escolas particulares] .

    Lula, que não entende de finanças nem de contas públicas,elevou o salário mínimo de 64 para mais de 291 dólares [valores de janeiro de 2010], e não quebrou a previdência como queria FHC.

    Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo. Embora o PIG-Partido da Imprensa Golpista, que entende de tudo, diga que não.

    Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país à liderança mundial de combustíveis renováveis [maior programa de energia alternativa ao petróleo do planeta].

    Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8 [criou o G-20].

    Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu; mandou às favas a
    ALCA, olhou para os parceiros do sul, especialmente para os vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista. Tem fácil trânsito junto a Chaves, Fidel, Obama, Evo etc. Bobo que é, cedeu a tudo e a todos.

    Lula, que não entende de mulher nem de negro, colocou o primeiro negro no Supremo (desmoralizado por brancos) uma mulher no cargo de primeira ministra, e que pode inclusive, fazê-la sua sucessora. Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha (a convite dela) e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.

    Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de Keynes, criou o PAC; antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora de o Estado investir; hoje o PAC é um amortecedor da crise.

    Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a indústria automobilística a bater recorde no trimestre [como também na linha branca de eletrodomésticos] .

    Lula, que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais; é respeitado e citado entre as pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual [o melhor do mundo para o Le Monde, Times, News Week, Financial Times e outros...].

    Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha empatia e relação direta com George Bush - notada até pela imprensa americana - e agora tem a mesma empatia com Barack Obama.

    Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador;.. é amigo do tal John Sweeny [presidente da AFL-CIO - American Federation Labor-Central Industrial Congres - a central de trabalhadores dos Estados Unidos, que lá sim, é única...] e entra na Casa Branca com credencial de negociador e fala direto com o Tio
    Sam lá, nos "States".

    Lula, que não entende de geografia, pois não sabe interpretar um mapa é autor da [maior] mudança geopolítica das Américas [na história].

    Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.

    Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas; faz história e será lembrado por um grande legado, dentro e fora do Brasil.

    Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para dialogar com Israel.

    Lula, que não entende nada de nada;.. é bem melhor que todos os outros...!

    Pedro Lima
    Economista e professor de economia da UFRJ

    ResponderExcluir
  19. E Vocês já viram algum Petista falar em Corrupção ? Como é que o Ladrão vai combater o Crime ?

    Só pode ser piada!

    A história do PT é mais suja do que pau de galinheiro. Senão vejamos:

    UM RESGATE DA HISTÓRIA DO PT:

    1985 - O PT é contra a eleição de Tancredo Neves e expulsa os deputados que votaram nele.
    1988 - O PT vota contra a Nova Constituição que mudou o rumo do Brasil.
    1989 - O PT defende o não pagamento da dívida brasileira, o que transformaria o Brasil num caloteiro mundial.
    1993 - Itamar Franco convoca todos os partidos para um governo de coalizão pelo bem do país. O PT foi contra e não participou.
    1994 - O PT vota contra o Plano Real e diz que a medida é eleitoreira.
    1996 - O PT vota contra a reeleição. Hoje defende.
    1998 - O PT vota contra a privatização da telefonia, medida que hoje nos permite ter acesso a internet e mais de 150 milhões de linhas telefônicas.
    1999 - O PT vota contra a adoção do câmbio flutuante.
    1999 - O PT vota contra a adoção das metas de inflação.
    2000 - O PT luta ferozmente contra a criação da Lei de Responsabilidade Fiscal, que obriga os governantes a gastarem apenas o que arrecadarem, ou seja, o óbvio que não era feito no Brasil.
    2001 - O PT vota contra a criação dos programas sociais no governo Fernando Henrique: Bolsa Escola, Vale Alimentação, Vale Gás, PETI e outras bolsas são classificadas como esmolas eleitoreiras e insuficientes.

    Quase toda atual estrutura sócio-econômica do Brasil foi construída no período listado acima. O PT foi contra tudo e contra todos. Hoje roubam todos os avanços que os outros partidos promoveram e posam como os únicos construtores de um país democrático e igualitário.

    Já que o PT foi contra tudo e contra todos desde a sua fundação, fica uma pergunta para que os leitores respondam: em 8 anos de governo, quais as reformas que o PT promoveu no Brasil para mudar o que os seus antecessores deixaram?

    Um partido podre desses, liderado por um bando de enganadores, que criaram o maior esquema de Corrupção do Brasil tem lá moral pra falar em alguma coisa ? Esses caras deveriam estar na Cadeia!

    Já viram algum Petista falar em corrupção ? Claro que não!

    Abraços.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.