11 outubro 2010

O mundo moderno da Informática e suas complicações - Por: Dihelson Mendonça


Com o passar do tempo, com a idade, parece mesmo que nossa capacidade de aquisição de novos conhecimentos entra num processo de estagnação. A grande dificuldade em somar novos conhecimentos aos antigos chega a ser formidável. Na área de informática há ainda o fator atualização. Algo que nos serve hoje, pode não significar coisa alguma amanhã, quando novos códigos são inseridos, novas linguagens e procedimentos.

Quando estudei Engenharia Eletrônica, os computadores eram máquinas muito primitivas para os padrões de hoje. Lembro-me da Universidade Federal da Paraíba, no Campus II de Campina Grande, em que a grande estrela do setor de informática, era o famoso IBM 360, hoje, uma máquina gigantesca, lerda, impensável. Naqueles dias, fazíamos pequenas rotinas ( programas ) em linguagem FORTRAN utilizando cartões IBM perfurados. Havia uma sala imensa de máquinas barulhentas onde cada aluno de computação digitava suas rotinas. Não existiam monitores, eram máquinas pesadas que mais parecia um parque industrial ou coisa assim. Saíamos todos, com pilhas de cartões, de até 30cm de espessura, amarrados com ligas, para não misturar. A simples troca de um cartão, e a instrução binária não seria mais reconhecida.

Corríamos de um prédio para o outro, onde eram feitas as leituras dos cartões. As máquinas leitoras de cartões em imensas também, e liam o conteúdo dos mesmos, passando os dados para fitas magnéticas, a fim de que ficasse registrado num banco de dados cada procedimento dos alunos.

Por essa época, 1985, ao contrários dos mainframes usados nas universidades brasileiras, os computadores pessoais tinham no máximo 64kbytes de memória. Hoje nossas calculadoras de bolso tem muitas vezes esse valor. Lembro-me que meu primeiro computador tinha 1Kbyte de memória Ram, o que era espantoso para a época, porque tínhamos uma noção exata do que estava a acontecer. Nos idos de 1990, o meu hobby era a programação do microprocessador Z80. Olho agora ali para minha estante, e vejo inúmeros livros dedicados às instruções binárias deste famoso processador, que deflagrou toda a onda de computadores pessoais dos dias de hoje.

À partir do Z80, o conhecimento foi apenas somando. A IBM, a INTEL e a MICROSOFT formaram parcerias e a plataforma IBM passou a dominaro mercado, com a introdução do IBM-PC-XT, que logo foi substituído pelo 286, 386, 486 e finalmente o pentium. A Microsoft começou a copiar as idéias da Apple, com sua interface gráfica Windows, que no início era muito instável. Perdíamos noites e noites formatando computadores, e instalando versões de Windows. Não tínhamos essas facilidades de hoje. Não havia internet ainda.

Pelos idos de 1994, descobriram que computadores eram bons para escritórios de contabilidade, advocacia, com o aprimoramento de linguagens direcionadas à soluções práticas. O usuário final não mais precisaria programar os computadores em linguagens de baixo nível ( de máquina ) como até então fazíamos, usando Assembly ou Hexa, e a maioria dos computadores poderia rodar um interpretador de linguagem mais próxima da linguagem humana, como o Cobol, o Fortran, o Basic. Gerada em cima dessas linguagens, foram construídas aplicações que gerenciavam bancos de dados, sendo uma que ficou na história: O dBase III plus, que possibilitou que inúmeras pequenas empresas se informatizassem. A partir daí a coisa não parou mais, com a introdução da linguagem Clipper, e outras, até chegarmos nos dias de hoje. É necessário pelo menos frisar que enquanto isso, o mundo dos GRANDES computadores evoluíam também, com as linguagens poderosíssimas como o C, C++ , Pascal e outras. Com o surgimento da Internet e a necessidade de uma integração entre os sistemas, forma desenvolvidas linguagens exclusivas para o desenho de conteúdo, como o Hypertext Markup Language ( HTML ), como o próprio nome diz, uma linguagem de marcação de hypertextos. Essa foi sem dúvidas, a maior revolução da informática dos anos 90. A partir do HTML, surgiram novos aperfeiçoamentos, o gerenciamento de bancos de dados virtuais, novas tecnologias como o PHP, XML e CSS, de modo que sempre fica mais complicado acompanhar as tremendas inovações tecnológicas, o poder dos novos processadores, e seus sistemas operacionais complexos, multimídia, bem como fazer coisas que para o usuário desinformado podem parecem extremamente simples, mas não são.

Mas o propósito que me levou a fazer essa reflexão sobre o que foi e o que é o mundo da informática é que há algumas noites, venho tentando resolver um problema quase insolúvel ,complicado, na área da informática moderna, que é a migração de um banco de dados relacional de internet, quando há uma transferência de um domínio. As diversas entradas do banco de dados apontam para um endereço virtual que precisa ser trocado. É preciso fazer a troca de todas as entradas e referências para o novo domínio, de modo a migrar o banco de dados. Alguém poderia dizer: "Ora, mas basta editar o database com o "PHPmyadmin". Bem, isso já foi tentado e até agora, nao deu certo. O sistema todo roda numa plataforma Unix, e tem como interface o cPanel, e como ferramenta de controle do database, o PHP myadmin. O grande problema é como corrigir todas as entradas do banco de daos a refletir o novo domínio sem perturbar a estrutura do mesmo. E é impressionante também a complexidade destas novas linguagens de programação de www, como o PHP - Coisa de louco mesmo! - Djavan é que tá certo, quando diz que é mais fácil aprender japonês em Braille. Já entrei em diversos fóruns internacionais de especialistas, e até agora, sem sucesso.

Mas deixando esse probleminha de lado, ao mesmo tempo em que as novas tecnologias se desenvolvem, nosso esforço em tentar alcançá-las é ainda maior, e os novos desafios representam degraus no conhecimento humano que jamais enfrentamos antes. A conclusão do caso é a seguinte: Nós, enquanto seres da modernidade, nunca estivemos tão preparados para resolver certos problemas quanto hoje. Em compensação, eles, os problemas, é que se desenvolveram a ponto de poucas pessoas conseguirem solucioná-los, o que nos leva a mais uma vez sustentar um dos maiores postulados da informática moderna que alguém muito mais sábio do que nós já disse um dia:

"A Computação surgiu para resolver problemas que antes não existiam"

Bom Dia!
Dihelson Mendonça

Um comentário:

  1. Dihelson,

    Sobre o teu problema com o banco de dados, se você quiser posso tentar te ajudar em algo nesse próximo final de semana, de repente conseguiremos resolver.

    Quanto a essa tua história, de fato é incrivel a evolução da informática em tão pouco tempo. Lendo teu texto, me lembrei da minha história também, em 1990, quando fiz em SP meu primeiro "curso de computação" em um autentico IBM XT com o MS-DOS. Desde o primeiro momento fiquei vislumbrado pela programação, que me dedico até hoje, focando no desenvolvimento de aplicações web, sites, comércio eletrônico, etc.

    Filosofando um pouco, enho várias críticas a forma como a informática vem caminhando, e a principal delas é que essa informática continua, infelizmente, emulando práticas, vícios e erros antigos, quando na verdade essa tecnologia toda proporcionaria um paradigma totalmente diferente. Outro ponto é que ainda há pouco da multidisciplinaridade associada ao desenvolvimento dos softwares, que faz com que muitas das ferramentas com que lidamos hoje sejam pouco intuitivas porque são feitas somente por pessoas da propria área tecnologica, sem a devida interação com pessoas de outras áreas a fim de entender melhor como as pessoas "comuns" podem se apropriar da tecnologia.

    Mesmo eu, que lido com isso constantemente, sinto o peso do avanço, coisas e mais coisas para aprender, e eventualmente tenho que fazer escolhas sobre o que fazer, que caminho seguir, exatamente pela incapacidade de abarcar tantas novas tecnologias.

    A informática é fascinante e ao mesmo tempo meio frustrante as vezes.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.