26 outubro 2010

O ANDARILHO VOLTOU - Por Vicente Almeida

Ontem foi dia de festa em nosso lar. Nosso andarilho que há dez meses não dava o ar da sua graça, veio nos visitar e trouxe muita alegria. Fez festa para cada um de nós.

Foi assim: No início de 2008 nos presentearam com um lourinho, mas procuramos adaptá-lo sem o recurso da gaiola e ele transitava pela casa livremente, pousando na cabeça até das visitas, que as vezes se assustavam pelo inesperado, e muitas faziam questão de ser fotografadas com ele em sua cabeça.

No início ele circulava apenas dentro de casa, mas em 2009 passou a sair para o mato e lá ficava durante o dia. Retornando à tardinha, adentrava a casa e ia parar na lavanderia, usando o varal para pernoitar. Comia e dormia, e na manhã seguinte, a mesma coisa. Assim o tempo foi passando.

Até que certa manhã saiu e passou dois dias sem retornar, e nas suas idas e vindas, cada vez demorava mais dias, às vezes até uma semana. E ficávamos preocupados com a sua segurança. No final de janeiro de 2009 ele partiu e desta vez levou a mala. Sentimos muita saudade e sempre ansiosos esperávamos sua volta, pousando na sua árvore predileta em nosso quintal e gritando para chamar a nossa atenção como de costume. Mas ele não veio!

Foram dois longos meses de espera quando certo dia, na Sexta Feira Santa, cedinho ele chegou e ficou por oito dias aproximadamente. Mais uma vez foi embora, retornando sempre em dias inesperados. Um dia de agosto ele saiu e desta vez achamos que o havíamos perdido, pois os dias se escoaram lentamente, transformando-se em semanas e meses e ele não aparecia.

Nosso melhor presente no dia de Natal de 2009, foi quando o avistamos em sua árvore preferida cantarolando, chamamos e se fez de difícil, demorou mais de uma hora para pousar em nossa cabeça, Sim ele pousava sempre na minha cabeça ou da Valdênia e ai entrávamos em casa naturalmente e ele ia se alimentar também no seu lugar de costume: Sobre a mesa de jantar.

Desta vez ficou durante o Natal e Ano Novo, foi uma alegria sem fim para toda a família e os nossos netos vibraram com a visita.

E assim passou conosco o natal e o ano novo, e no dia dois de janeiro deste ano foi embora e em vão procurávamos ao menos ouvir o seu gorjeado lá no mato, mas devia ter ido longe. Nunca mais voltou! Perdemos a esperança de rever novamente nosso querido lourinho! Mas ele é um ser da natureza, e lá é o seu habitat natural. Ficamos tristes, muuuito tristes, mas conformados.

Mas ontem 25/10, para nossa surpresa, ele passou o dia cantarolando em nossas arvores. Conhecemos ser ele, mas estava muito alto em um pau darco, e os nossos netos tudo fizeram para ele descer e não conseguiram. Ao chegar da rua, vi um neto de oito anos com uma banana descascada na mão, e choromingando me falou: “Vô, tô a tarde toda chamando o lourinho pra comer e ele não vem”! Fiquei penalizado.Então fui verificar se era ele mesmo e o chamei. Em menos de um minuto ele veio e pousou em minha cabeça, e como de costume entramos em casa, e hoje no café da manhã foi aquela festa, todos: netos e filhos vieram visitá-lo, e não ficou arredio nem demonstrava insegurança, todos queriam tocá-lo e assim o fizeram. Tomou café com leite e comeu tapioca com requeijão.
Neste momento está ele em meu ombro, enquanto digito essas linhas, para dividir com vocês a alegria que sinto pela honrosa visita. Não sabemos quanto tempo durará a sua estadia, mas, seja quanto tempo for, um dia, dois, três, ou mais, não dá para descrever o bem estar que este lourinho transfere a todos. E olhe, ele pousou para muitas fotos das quais algumas divido com vocês.

Agora pergunto: Como a ciência explica esse fato? – Sábia é a mãe Natureza!



Vicente Almeida

4 comentários:

  1. Que Maravilha, viu Vicente ? A natureza é sábia, mas cada vez mais me espanta!

    Um abração, meu amigo.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Caro Vicente

    Explicações da ciência para as escapadas do seu louro, eu não as tenho. Mas de uma coisa eu tenho absoluta certeza: a de que os animais, diferentemente dos homens, são os seres mais fiéis que existem na terra... Se seu xodó sempre volta, é porque ele só tem dois amores na vida: a natureza e você!

    Abraços,

    Roberto Jamacaru

    ResponderExcluir
  3. É...

    Obrigado ao Dihelson e ao Roberto pelas sinceras palavras.

    Hoje cedo, rebuscando minha coletânea de provérbios, ou pensamentos, encontrei uma frase que traduz literalmente a conduta do meu lourinho. Vejam só:

    "Amo a liberdade, por isso deixo livre tudo que tenho... Se voltar é porque conquistei, se partir é porque nunca possuí"! Anônimo

    Nenhum leitor, deu uma dica científica para o caso, mas o autor da frase acima, traduziu o que eu queria entender.

    Aceitem um grande abraço do

    Vicente Almeida

    ResponderExcluir
  4. Almeida, Ô provérbio bonito. Vou até guardá-lo aqui para poder ler sempre.

    Um forte abraço,

    DM

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.