13 outubro 2010

Em busca do essencial - Walter Carvalho, MD

As adversidades tornar-nos cientes dos nossos potenciais e limitacoes. Com a convicçao socrática de quem convive com a dor humana e percebe-se no lugar do outro, aprendi a lidar com a indiferença e a soberba de muitos na minha rotina diária. A condição de ouvinte e observador cuidadoso torna-me ciente do quao somos aversos aos detalhes mais valiosos da nossa existencia. As oportunidades nais quais temos nosso maior aprimoramento coincidem com a aceitacão das nossas limitações e temores.

O mérito maior de Ulysses do irlandes James Joyce é mostrar o quanto há de surpreendente na rotina dos nossos dias, mesmo nos momentos mais corriqueiros sempre ha pequenos, mas significativas evidencias para repensarmos as nossas escolhas. O aprendizado nao está contido unicamente nas nossas escolhas conscientes, mas nas opcoes nao selecionadas e nas falhas não declaradas. Somos um amontoado de contradições em conflito. Explico-me: aprendemos desde cedo o valor do respeito ao outro, mas somos induzidos a valorizarmos sobretudo nossa voluntariedade, havendo portanto conflito de interesse: nossos desejos em detrimento dos direitos alheios. Somos senhores de nossos sucessos e das nossas frustrações. Não há homem 100% bem sucedido nao conhecedor de algum fracasso, nem homem completamente fracassado nao detentor de alguma atitude bem sucedida. Somos falhos em algo, num determinado momento das nossas vidas.

Tive a honra de conhecer bons profissionais medicos, exemplos de dedicação profissional e outros doutos de academicismo sem paralelo na rotina universitaria. Conheci gênios prodigiosos da medicina, grandes cientistas no entanto não conheci sábios na minha profissao. Sempre deslumbrei a sabedoria de uma pessoa simples, humilde, mas repleta de respostas ponderadas, o meu pai. Nele encontrava o discernimento necessario para meus questionamentos. Nele encontrava retidão de caráter e uma austeridade hoje pouco habitual nos homens mais velhos. Nele encontrava um exemplo de conduta, onde as adversidades da vida eram enfrentadas de cabeça erguida, mas com respeito e valorizaçao da familia e de certas convicçoes morais. Neste ampanhado de impressoes e percepcoes sociais não considero-me aquem ou alem de ninguem, em termos de valorizacao pessoal. Tenho a convicçao do quao falho sou e do quanto preciso aprimorar-me para um dia servir de exemplo ao meu filho. Exemplo de alguem cada vez mais compromissado com a superaçao de si proprio, no sentido mais humano da palavra.

Por: Walter Carvalho, MD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.