31 julho 2010

HOJE NA HISTÓRIA - Franz Liszt - O Maior Pianista de Todos os Tempos


FRANZ LISZT


O Hoje na história traz a Biografia de um dos grandes mestres do piano romântico, o húngaro Franz Liszt. Nascido em 1811, na cidade de Raiding ( lugarejo próximo à Budapest ), foi considerado um menino prodígio. Aprendeu a ler música antes de aprender o alfabeto. A influência de Liszt, do seu virtuosismo e das inovações harmônicas e melódicas para a música do Século XIX, e que já prenunciava as grandes inovações dos impressionistas franceses como Claude Debussy e Maurice Ravel são marcantes. Foi talvez o maior influenciador e também "patrocinador" de Richard Wagner, que o idolatrava. Liszt criou o leitmotiv, que foi amplamente usado por Wagner em suas óperas. Possuidor de um caráter firme, era adorado por uns e odiado por outros. Chopin o tinha na mais alta conta, e considerava-o superior ao piano. Já Brahms, chegou a dormir durante uma execução de Liszt da sua famosa Sonata em Si menor. na casa deste, em Weimar. Aliás, Brahms, se tornou amigo íntimo de Clara Schumann, depois da morte do marido Robert Schumann ( de loucura ), e nunca "engoliu" direito as inovações da escola neo-germânica. Clara e Brahms na verdade, detestavam a música de Liszt, e buscavam o passado, em direção à Beethoven. Já a nova geração, encabeçada por Wagner, o tinha como o fundador da nova órdem musical. Wagner casou-se depois com a filha de Liszt, Cosima, que já era casada com o maestro Hans Von Bulow, para desespero do pai. Possuidor de um domínio técnico sobre o Piano que assombrava as platéias da europa e não encontrava rival à altura, os ensinamentos de Liszt sobre a técnica do piano são considerados verdadeiras Bíblias para os pianistas modernos, e mesmo em sua época, afluíam para Weimar centenas de pianistas atrás de aprender alguma coisa com o velho mestre, que teve vida longa para a época ( 76 anos ). Sempre galanteador, Liszt foi um grande conquistador de mulheres, que chegavam a desmaiar durante os seus concertos. Percorria a Europa com uma carruagem de 6 cavalos brancos, e atirava moedas ao público. É considerado o primeiro pop-star que se tem notícia, inspirando um filme depois chamado Lisztmania. Tinha muitas amantes, sendo Marie D´Agoult a maior delas. Sempre pronto a ajudar os principiantes e os desfavorecidos, tocou inúmeros concertos para as vítimas das enchentes do Rio Danúbio que deixava os seus compatriotas desabrigados. Liszt teve inclusive alunos Brasileiros e próximo ao fim da vida, preocupava-se mais com as composições e com seu legado, abandonando a carreira de virtuose do piano para dedicar-se mais à composição e às aulas que ministrava sem cobrar um centavo dos seus inúmeros alunos. Dividia o ano em 3 partes, passava uma parte em Weimar, outra em Roma e outra em Budapest. Liszt morreu durante o Festival Richard Wagner em Bayreuth, de pneumonia, assistido por uma de suas alunas. Segundo registros, sua última palavra teria sido "Tristão", referindo-se à Ópera de mesmo nome de Richard Wagner, uma das maiores obras-primas de todos os tempos. ( Por Dihelson Mendonça, de memória ).

Informações da Wikipédia:

Liszt iniciou-se no piano com o pai. Apresentou-se ao público pela primeira vez aos nove anos de idade e, encantados com o menino prodígio, vários nobres decidiram contribuir com fundos para a continuação dos seus estudos. Em 1822 partiu para Viena, onde deu vários concertos, sendo aplaudido inclusive por Beethoven em abril de 1823. Teve aulas com Salieri (composição) e Czerny (piano). Em seguida radicou-se na França, onde foi impedido de ingressar no Conservatório de Paris, por ser estrangeiro. Liszt completou seus estudos com aulas particulares, com Reicha e Paer. Aos 14 anos de idade, compôs sua primeira ópera, em um ato, "Don Sancho". Conheceu Chopin, Berlioz, Lamartine, Victor Hugo, George Sand e Heinrich Heine, e se familiarizou com o romantismo. Sua fama com as mulheres também era grande. Foi para a Suíça, em 1835, com a condessa Marie D'Agoult, com quem teve três filhos. Em 1842 mudou-se para Weimar, abandonando a carreira de solista para assumir o cargo de diretor musical da Ópera. Foi lá que nasceu seu interesse pela música orquestral e que conheceu o compositor Richard Wagner, futuro marido de sua filha Cosima.

Em Weimar ele viveu, em 1848, um romance com a princesa Caroline Sayn-Wittgenstein. Em 1858, aborrecido com suas funções em Weimar e separado da princesa, Liszt foi para a Itália e se tornou membro da terceira ordem dos franciscanos em 1865. Nesse período dedicou-se a obras sacras. Compôs as famosas "Rapsódias Húngaras", os "Estudos Transcendentais", além de transcrever inúmeras peças para piano, das quais se destacam as coletâneas "Anos de Peregrinação" e "Harmonias Poéticas e Religiosas".

Liszt escreveu duas sinfonias, a "Sinfonia Dante", inspirada na "Divina Comédia" de Dante Alighieri, e a "Sinfonia Fausto", composta por diferentes quadros que caracterizam as personagens de "Fausto", do escritor alemão Goethe. O músico também possui inúmeros lieder e peças para música de câmara, das quais se deve destacar aquelas para violino e piano. Sua "Sonata em Si Menor", apesar de não ter agradado a Johannes Brahms, que diz ter adormecido durante a execução, é provavelmente a obra maior do compositor húngaro.

Fez uma visita à Inglaterra, em 1886, mas a viagem esgotou-o. Em Budapeste foi festejado como compositor nacional da Hungria. Liszt morreu na casa de Wagner, em Bayreuth, a 31 de julho de 1886, sendo considerado o maior pianista do século 19.

Fonte adicional: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.