08 maio 2010

Uma Bomba Atômica para o Brasil ?


Revista alemã Der Spiegel especula se o Brasil quer bomba atômica

Sex, 07 Mai, 02h50

A revista alemã Der Spiegel questiona, em matéria divulgada em seu site hoje, se o Brasil pretende construir uma bomba nuclear. A publicação afirma que, sob o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil "recomeçou a flertar" com a ideia de produzir uma bomba atômica, após tentativas anteriores malsucedidas durante o regime militar. No entanto, a Der Spiegel afirma que não há provas definitivas de que o Brasil esteja construindo armas nucleares, mas "eventos passados sugerem que é bastante provável". O Brasil é membro do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP). Porém, a revista cita o fato de, desde 2003, o País retomar oficialmente o desenvolvimento de um submarino movido a energia nuclear. "O que há para esconder no desenvolvimento de pequenos reatores para mover submarinos, sistemas que vários países já possuem há décadas? A resposta é tão simples quanto perturbadora: o Brasil está provavelmente tentando desenvolver algo mais nas instalações que declarou como instalações de produção para submarinos nucleares: armas atômicas", afirma a Der Spiegel.

A publicação cita o vice-presidente José Alencar, que "abertamente defendeu a aquisição de armas nucleares pelo Brasil, em setembro de 2009". A revista lembra que o fato de o País ser signatário do TNP, na opinião de Alencar, "é um assunto que estava aberto à negociação". Segundo a Der Spiegel, o País necessitaria de uma resolução parlamentar para permitir o desenvolvimento dessas armas. Então, o presidente Lula poderia dizer que os Estados Unidos não devem ter o monopólio das armas nas Américas. "Se isso acontecer, a América Latina não seria mais uma zona livre de armas nucleares - e a visão de (Barack) Obama (presidente dos EUA) de um mundo sem armas nucleares estará encerrada."

Vice-Presidente José Alencar defende que Brasil tenha Bomba Atômica

( 09/2009 ) - Em uma declaração polêmica, o presidente em exercício José Alencar defendeu ontem que o Brasil tenha armas nucleares como importante "fator de dissuasão" e para "dar mais respeitabilidade" ao País. "A arma nuclear utilizada como instrumento dissuasório é de grande importância para um país que tem 15 mil quilômetros de fronteiras a oeste e tem um mar territorial e, agora, esse mar do pré-sal de 4 milhões de quilômetros quadrados de área", declarou Alencar.

Na conversa com jornalistas, em seu gabinete, em Brasília, Alencar, ao ressaltar a necessidade de o Brasil ter meios para proteger seu patrimônio, citou o caso do Paquistão, que, segundo o vice, embora seja um país pobre, tem assento em vários organismos internacionais, justamente por ter a bomba atômica. "Eles sentam à mesa porque eles têm arma nuclear. É vantagem? É, até do ponto de vista de dissuasão é. É importante", observou.

Na opinião do presidente em exercício, "nós, brasileiros, às vezes somos muito tranquilos. Nós dominamos a tecnologia da energia nuclear, mas ninguém aqui tem uma iniciativa para avançar nisso. Temos que avançar nisso aí". Em seguida, Alencar passou a pregar também a necessidade de aumento do orçamento das Forças Armadas e da vinculação deste orçamento ao PIB. "Precisa ter uma percentualidade do PIB entre 3% e 5%, que daria muita força para o sistema de defesa, que precisa de cuidado e está abandonado há muito tempo", comentou Alencar, que já foi ministro da Defesa.

Fonte: Yahoo Notícias
Fonte: Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.