08 maio 2010

Tempo, tempo, tempo... - Por: José Flávio Vieira

Brasil ajudará a Grécia com US$ 286 mi


Recursos serão alocados no FMI e representam cerca de 0,75% do que o Fundo destinará ao país em seu plano de resgate. De acordo com o ministro Guido Mantega (Fazenda), valor sairá das reservas internacionais do Brasil, mas não reduzirá seu volume


PAULO DE ARAUJO

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA DE SÂO PAULO

O Brasil fará um aporte de US$ 286 milhões (R$ 526 milhões) no FMI (Fundo Monetário Internacional) para ajudar a conter a crise na Grécia, afirmou ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. O valor equivale a cerca de 0,75% dos recursos que o Fundo destinará ao país.No final de semana passado, o FMI, o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia anunciaram um plano de socorro de € 110 bilhões à Grécia, o maior pacote de resgate já concedido a um país. Só o Fundo participará com aproximadamente € 30 bilhões. "Colocaremos o que for necessário para ajudar a Grécia", disse Mantega ontem.De acordo com ele, os recursos serão provenientes das reservas internacionais do Brasil, hoje estimadas em US$ 245 bilhões. Mas o empréstimo não irá reduzir essa cifra, disse, já que o valor será convertido pelo FMI em direitos especiais de saque (uma espécie de moeda emitida pelo FMI) ao Brasil."Então a reserva não muda porque é só uma troca de aplicação, e o direito especial de saque também rende juros."Um porta-voz do FMI confirmou à Folha que o Brasil contribuirá com o empréstimo para a Grécia. Mas essa não será a primeira vez que o país oferece recursos para as operações de crédito do Fundo.O Brasil passou a integrar em 2009 o clube de credores do FMI. "São 38 países com uma situação mais sólida e que no momento de uma crise são chamados a colocar dinheiro", afirmou Mantega.O ministro não especificou quando o depósito será efetivado. Ele mencionou, porém, a próxima reunião dos líderes G20 (que reúne as principais economias do mundo), a ser realizada em Seul, no começo de junho. "No limite, o G20 irá resolver o problema [da Grécia] se o G7 [o clube dos países ricos] não resolver."Ele reclamou da demora da União Europeia em encontrar uma solução para as turbulências na Grécia. Questionado se o Brasil possui títulos da dívida grega, Mantega afirmou que alguns bancos privados brasileiros podem ter esses papéis, mas em um percentual baixo.ExportaçõesDe acordo com o ministro, a crise na Europa terá consequências "muito leves" para o país e não afetará o crescimento econômico neste ano. Para ele, o impacto maior deverá vir pelo lado do comércio exterior. "A recuperação dos países europeus será mais lenta, então teremos que esperar mais tempo para aumentar as exportações para a região."Ele estimou, no entanto, que a situação externa deverá ter uma melhora a partir de 2011 ou 2012, por conta de indicadores positivos em países como os Estados Unidos. Mantega citou a criação de 290 mil vagas no mês de abril no país, o maior aumento desde março de 2006.

Colaborou ANDREA MURTA , de Washington

Um comentário:

  1. O Governo Brasileiro só não ajuda mesmo é o Brasil. Mandar dinheiro pra fora está sendo mais fácil que ajudar o Rio de Janeiro nas enchentes. Mas a imprensa não divulga isso...

    DM

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.