11 maio 2010

O Dízimo é cristão? - Por: Samuel P. Teles

Antes de responder a essa pergunta, (que é muito fácil de se responder), afirmarei umas verdades por todos conhecidas e bem óbvias: O dízimo é bíblico! E também a circuncisão, o sacrifício de animais, a guarda do sábado, o não comer carne de porco e etc. Com essas afirmações, vem a resposta da pergunta que originou essa postagem. O dízimo, assim como todos esses costumes que acabei de citar, é bíblico, porém, não é cristão!
Se fosse, Cristo teria pregado, e não apenas citado uma única vez, em Mateus 23.23.
Veja bem, se o dízimo, que é uma doutrina do Velho Testamento continua a valer para nós hoje, porque será que as demais doutrinas não valem?
"E então porque que as igrejas ainda o cobram?" Sendo bem simples e citando apenas um dos motivos: Porque os pastores têm medo que os irmãos não contribuam voluntariamente. Os pastores sabem que é errado a doutrina de dizimar (claro que sabem, é só ler a bíblia e eles lêem!), mas como esse costume já faz parte do sistema religioso e está dando certo, eles fazem vista grossa e vão levando.
É exatamente isso que a igreja prega, dizime e Deus te abençoa, as portas do céu se abrirão; Não dizime, e Deus te amaldiçoará! É isso que se ouve, não com essa palavra maldição, mas quase. Veja essa frase estampada numa faixa defronte a um templo de uma igreja Assembléia de Deus: "Contribua de acordo com a tua renda para que Deus não torne a tua renda de acordo com a tua contribuição".
Já pensou? Ou dizima você ou Deus vai te tirar o pouco que você tem! É um absurdo, Cristo nunca pregou isso. Nem no Velho Testamento o dízimo era "cobrado" assim. Os israelitas davam os dízimos de seus trabalhos, mas não em dinheiro, e diferentemente do que os pastores pregam, o dízimo não era entregue apenas pros levitas administrarem. Veja essa passagem bíblica:
"Quando acabares de separar todos os dízimos da tua messe no ano terceiro, que é o dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas cidades, e se fartem" (Deuteronômio 26).
Quem administrava o dízimo era o dizimista! Tá na Bíblia, leia novamente o versículo logo ali em cima, ó. Tá na hora irmãos de pararmos de deixar que nos enganem. É claro que devemos contribuir pra obra de Deus, ajudar aos missionários que pregam as boas novas pra quem ainda não conhece, mas contribuir pra que sua contribuição seja apenas pro bolso de um, isso não! Deus não quer isso jamais. Enquanto fazemos vista grossa perante um ensinamento errado, Deus não faz vista grossa para nós.
O versículo em que Paulo diz que cada um de vós contribua segundo o que propôs no seu coração deixa claro, não é por obrigação, mas por amor! E ele não estava a se referir a dízimos, e sim a ofertas. É incrível como muitos usam Mateus 23.23 para dá base à doutrina do dízimo. Um único versículo totalmente fora de contexto! 
E se eu quero dizimar por amor? Dizime, agora eu duvido se você iria querer dizimar, mesmo que seja "por amor"se o pastor não estivesse lá na frente falando que se deve dizimar. Pois bem, essa é uma discussão que muito se tem a falar, por isso, vou parando por aqui, mas a qualquer momento vem a continuação.
Mas a conclusão é: O dízimo é biblico, mas não é cristão! Ou seja, assim como a circuncisão não é, o dízimo também não! Caso você queira aprofundar-se no assunto, fica a dica de um livro muito bom.
Dízimo: O Engano Cavalgando a Verdade
Boa Leitura!
Que Deus nos abençoe.
PS: Não estamos aqui dizendo que todas as igrejas estão enganando os fiéis! Isso não é o que as igrejas fazem, mas sim o que os charlatões fazem! Se porventura existir alguma igreja que use o dízimo em sua totalidade para o bem, e você vê isso e acredita que Deus o está abençoando, não deixe de dizimar, amigo. Sua fé em Deus é SUA fé em Deus! A opinião de nosso blog é essa. Eu que escrevi esse texto frequento a igreja desde o berço, e sei que muitos irmãos dizimam na fé de que estão a fazer a coisa certa. O que queremos deixar claro é que a contribuição nas igrejas deve ser feita conforme os padrões bíblicos cristãos!
Por: Samuel P. Teles

6 comentários:

  1. o dízimo é biblico e cristão,porém o infiel procura textos fora de contexto para se justificar a não dizimar.Não só o pastor como também o padre, o bispo o papa todos pregam a necessidade de dizimar.Leia Ageu 2.8

    ResponderExcluir
  2. É...

    Meu caro Samuel

    Não é bem assim.

    A fórmula de estimulo à contribuição do dízimo pode variar de acordo com a igreja evangelizadora.

    Umas usam-no para enriquecimento pessoal de seus criadores e de fato enganam as gentes. São aqueles que você com muita propriedade chama de charlatões.

    Outras usam como contribuição para a sua manutenção, estímulo e ampliação da fé.

    Pessoalmente, estudei o dízimo durante dois anos para compreender a sua finalidade, fui tesoureiro em uma de nossas paróquias, e te afirmo que: mesmo que não existisse a citação na Bíblia, ainda seria necessária essa contribuição (qualquer que fosse o nome atribuído) para a manutenção das atividades dos templos, e saiba, é uma contribuição voluntária, mas, necessária.

    Veja bem: Um País, não sobreviveria sem a contribuição involuntária e obrigatória de cada um dos seus habitantes. Um sindicato, um clube e quaisquer outras entidades de caráter associativo, não existiriam sem os seus associados contribuintes.

    O templo católico aplica retamente as contribuições nas suas finalidades e é claro, o pároco é assalariado com parte dos recursos recebidos pela Paróquia.

    Às vezes essas contribuições são tão poucas que a Diocese é quem assalaria o padre.

    O templo evangélico secular, também direciona seus recursos na aplicação das suas finalidades.

    Mas, os templos evangélicos criados a partir do século XX, deixam claro que a sua finalidade é enriquecer seus fundadores que prometem negociação direta com Deus. E pasme, arrecadam mais do que grandes empresas e nada recolhem em forma de tributos.

    Continua no tópico seguinte...

    ResponderExcluir
  3. ... Continuação do tópico anterior

    Além do mais, qualquer pessoa pode fundar uma igreja na denominação que bem entender. O curioso é que a estas, o seguidor paga o seu dízimo, fixo e mensal sem questionar. O povo acredita nas mentiras de suas promessas da mesma forma que acredita em políticos corruptos em época de campanha. É bem mais fácil e mais cômodo.

    A Bíblia devia ser compreendida. Não esquecendo que muitos costumes caíram em desuso, somente após cumprirem suas finalidades. E é isso que precisamos tentar entender.

    Seria absurdo imaginar uma circuncisão nos dias de hoje.

    Veja só, muitos costumes citados na Bíblia, com o passar do tempo, foram abolidos da mesma forma que os governos extinguiram leis que já não eram úteis. Existe algum erro nisso?

    A questão não é saber se o DÍZIMO é bíblico ou cristão, mas, se está cumprindo suas finalidades.

    Abraços do

    Vicente Almeida

    ResponderExcluir
  4. Textos fora do contexto? Tá na Bíblia. O dízimo não é obrigatório. Dá quem quer e o quanto puder. O resto é balela de padres/pastores pra enganar trouxas.

    Se as igrejas (principalmente a católica) dependessem de mim para sobreviver, nem existiriam.

    E a pergunta que fica no ar: Jesus precisa de dinheiro?

    ResponderExcluir
  5. E para os católicos e evangélicos com venda nos olhos, peço que prestem bem atenção nesses dois vídeos:

    http://www.youtube.com/watch?v=L6XaKygPjNA

    http://www.youtube.com/watch?v=9e-6lomb2-Q

    Qual a diferença entre essas duas instituições? Nenhuma!

    Tudo farinha do mesmo saco.

    ResponderExcluir
  6. Dihelson

    Somente para esclarecer. Não postei comentário algum nesta postagem do Sr. Samuel P. Teles. Gostaria que o amigo procurasse se comunicar com esse Carlos Eduardo para que o mesmo acrescente um sobrenome ao nome próprio, pois existem vários Carlos Eduardo por esse mundo afora. E poderá haver confusão. Isso é a mesma coisa que postagem anônima.
    Agradeço se puder tomar alguma providência.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.