15 abril 2010

Universal

15/04/2010 - 08h39
Bispo diz que Universal ajudou país na crise

RUBENS VALENTE
da Reportagem Local

O bispo Romualdo Panceiro, considerado o número dois da Igreja Universal, divulgou um vídeo na internet --postado anteontem no blog do líder Edir Macedo-- para explicar orientações que deu, em 2008, aos principais líderes da igreja.
As videoconferências foram reveladas anteontem pela Folha. Romualdo ensina os pastores a arrecadar dízimos durante a crise financeira daquele ano e os orienta a procurar líderes e "bandidos" para propor um arranjo que evitasse assaltos aos carros que transportam dinheiro doado pelos fiéis.
No vídeo com sua explicação, Romualdo disse que uma campanha de fé da Igreja Universal ajudou o Brasil a passar menos dificuldades durante a crise econômica iniciada em 2008.
Veja os vídeos
"A gente viu aí tantos países quebrando, não é verdade, com a crise, e graças a Deus a campanha de fé de Isaac, que nós fizemos, funcionou porque o Brasil não quebrou. Em toda parte do mundo, a gente vê o Brasil sendo elogiado, o espírito da crise foi amarrado. Você está vivendo uma crise, faz uma prova com Deus e sua vida nunca mais será a mesma."
Isaac foi o personagem bíblico utilizado na pregação de Romualdo que foi gravada em 2008. Na ocasião, o bispo orientou os pastores a abrir três Bíblias e fazer um "desafio" aos fiéis para que depositassem dinheiro, como prova de fé.
No blog, o bispo afirmou que sua pregação era uma "campanha de fé, uma direção para as pessoas no momento de crise".
Romualdo afirmou que, na videoconferência, ele apenas leu trechos da Bíblia que falam sobre o pagamento de dízimos -que ele chama de "ofertas". Ao assim agir, sugeriu estar sendo "dirigido" por Deus.
"Eu não posso deixar de ler um versículo bíblico porque algumas pessoas vão se sentir incomodadas e ler apenas os versículos bíblicos [em] que as pessoas se sentem agradadas. Aí eu não estaria fazendo um trabalho dirigido por Deus. Porque nós não temos que agradar a fulano ou a beltrano, nós temos que agradar a Deus. Então, se está escrito aqui, a gente tem que falar."
O bispo disse que as pessoas devem fazer "uma prova com Deus". Segundo ele, essa prova consiste em colocar "o que você tem", em cima de uma Bíblia. Seria uma forma de o fiel saber se a Bíblia "funciona".
"E, se você de fato está numa situação crítica, no fundo do poço, faz uma prova com Deus. Pega o que você tem e você coloca em cima da Bíblia. É verdade. Como é que você vai saber se a Bíblia funciona ou não? E se for mentira o que está escrito aqui, você já pensou nisso? Só tem uma maneira de você ver se funciona ou não: obedecendo. É verdade. Não tem outro jeito", afirmou o bispo.
A respeito da videoconferência em que orientou os contatos com os "bandidos", o bispo disse que a Universal distribui alimentos para os mais pobres. "Aqui nós não estamos para discriminar as pessoas."
Panceiro também agradeceu ao UOL (empresa do grupo Folha), que colocou os vídeos na internet, "pelo fato de divulgar a nossa mensagem de fé".

Um comentário:

  1. O que é o Dízimo

    Igreja por Nuno Barreto

    Dizer que o dízimo é 10% do que recebemos é uma visão um bocado simplista da coisa. Temos de analisar o antigo testamento para perceber exactamente o que é o dízimo.

    Havia duas formas diferentes de dar o dízimo. A cada 3 anos, nos dois primeiros o dízimo era comido (estamos a falar de alimentos) pelos próprios dizimistas nos 7 dias da festa dos tabernáculos (Deuteronómio 16:14-15). E no 3º ano o dízimo era assim:

    "Quando acabares de separar o dízimo de todos os teus produtos, no terceiro ano, que é o ano do dízimo, e o tiveres dado ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, eles o comerão às portas da cidade e ficarão saciados. Dirás, então, na presença do SENHOR, teu Deus: 'Tirei da minha casa o que era consagrado para o dar ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, conforme os mandamentos que me ordenaste; não os esqueci nem os transgredi. (...)'" (Deuteronómio 26:12,13)

    Ou seja, só em 1 a cada 3 anos é que se dava o dízimo. Mas não era todo para os levitas (a classe sacerdotal, ou seja, os padres, pastores, etc), uma parte era para os levitas, mas o resto era para os necessitados. Os estrangeiros, os órfãos e as viúvas.

    Como é diferente a visão actual do dízimo...

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.