21 abril 2010

FMI ? - Postado por: José Flávio Vieira

Brasil é um dos países latino-americanos que mais deve crescer, diz FMI
Folha On Line

O Brasil deve ter um dos crescimentos mais vigorosos entre os países na região da América Latina e Caribe, de acordo com projeções divulgadas nesta quarta-feira pelo FMI (Fundo Monetário Internacional), em seu relatório "World Economic Outlook" (Panorama Econômico Mundial). Os especialistas do Fundo estimam um crescimento do PIB (soma das riquezas do país) de 5,5% neste ano. Entre os chamados Brics (grupo de potências emergentes), o país perde para a China (projeção de 10%) e Índia (8,8% de crescimento previsto), mas supera a Rússia (4%). FMI vê Brasil mais perto de "ponto de virada" na economiaFMI melhora projeções, mas ainda vê riscos para recuperação globalPensata de Fernando Canzian: o Brasil perde tempo O desempenho do Brasil se mostra muito melhor em comparação com os países mais próximos geograficamente. A projeção de 5,5% está acima do crescimento médio esperado para a América do Sul neste ano (4,1%, segundo os cálculos do FMI), incluindo até mesmo o México na conta. Na comparação país a país, o crescimento brasileiro supera o desempenho das principais economias do subcontinente, como México (projeção de 4,2%), Argentina (3,5%), Colômbia (2,2%), Chile (4,7%) e o colega de Mercosul Paraguai (5,3%). O potencial desempenho brasileiro é batido na comparação com o crescimento do Peru (previsão de 6,3%) e Uruguai (5,7%).

Arte/Folha

Entre todos os países da América Latina e Caribe para o qual o FMI divulgou projeções, o organismo somente projeta recessão para um: a Venezuela, onde se espera uma contração do PIB de 2,6%.

"Superaquecimento"
O Brasil, na visão dos especialistas do Fundo, faz parte do grupo de nações que já precisa se preocupar com o risco de um potencial "superaquecimento" da demanda doméstica e está mais próximo, portanto, de um "ponto de virada" em suas políticas de estímulo. "Na medida em que as disparidades de produção estão se estreitando, e as pressões inflacionárias estão evoluindo em diferentes velocidades, algumas economias com regimes de meta de inflação (Brasil) parecem mais perto de um ponto de virada do que outras (Colômbia, México)", consideram os economistas do FMI, numa referência às políticas de combate aos efeitos da crise. Os especialistas do Fundo não esclarecem, explicitamente, o que seria esse "ponto de virada". Apenas sublinham a necessidade de alguns países revisarem suas medidas de estímulo à economia concedidas no auge da crise mundial de 2008 (e 2009).

O Brasil, como muitos outros países, concedeu subsídios às empresas e reduziu as taxas básicas de juros. Em outros lugares, como os EUA e os países da Europa, grandes quantias de dinheiro foram aplicadas no sistema financeiro para impedir a quebra de bancos e a paralisia do sistema de crédito. Na visão do FMI, esses estímulos concedidos pelos governos foram necessários para combater os efeitos da crise mundial, mas agora devem ser revistos, sob pena de gerarem outros problemas (aumento dos deficit públicos), que podem comprometer a retomada do crescimento econômico.

2 comentários:

  1. Antonio ALTANEIRA fco: da rocha sp21 de abril de 2010 22:15

    tem gente que quer ser chique a toda custo radio no ceará tem que tocar é tudo pois o cearense gosta de todo tipo de musicas tem um pessoal que adm estas radios que tem umas ideais de querer tocar musicas que dizem que é MPB popular é forró -brega- sertanejos - e etc.é isso ai.

    ResponderExcluir
  2. O Futuro do Brasil será maravilhoso. Uma grande nação como essa não deve ficar restrita a crescimento zero, como atualmente. O Brasil com certeza pode fazer bem melhor do que isto.

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.