15 abril 2010

Farol e guia – por Pedro Henrique Chaves Antero (*)

(Fonte: jornal O POVO)

Muitos dos ataques que se fazem hoje contra a Igreja Católica, por conta de padres pedófilos, padecem de fundamentação e refletem um anticatolicismo existente até mesmo entre católicos mal resolvidos. Não há problema em reconhecer os erros dos católicos e até mesmo dos sucessores dos apóstolos. Entretanto, imputar aos mesmos falhas que não cometeram, bem como responsabilizar simplesmente a instituição eclesiástica por atos de alguns dos seus membros, é uma calúnia ao ser humano e um desrespeito à organização religiosa de maior credibilidade no mundo.

É deveras esclarecedor o artigo de Dom Henrique Soares da Costa, bispo de Aracaju, sobre a pedofilia. Ele não nega os fatos, mas rebate com firmeza as ilações estabelecidas por inimigos da Igreja. A pedofilia, segundo ele, não está associada ao celibato, mas pode mascarar-se por baixo do ministério sacerdotal, como pode camuflar-se em um casamento. De acordo com Dom Henrique, “a crise de vocação não é motivada por celibato, como também a crise de fidelidade não tem no celibato a sua causa. A crise é de fé, não de celibato”..

A infidelidade de muitos sacerdotes não pode deixar na sombra a fidelidade heroica e silenciosa de muitos que, no dia-a-dia, sem aparecer nos jornais, dão o testemunho inconfundível de servir a Cristo e aos irmãos. Segundo Dom Cláudio Hummes, que dirige a Congregação do Clero, apenas 1% dos padres foi identificado como pedófilos. Esses devem ser denunciados e exemplarmente punidos.

Intolerável, porém, é o ataque gratuito a Bento XVI, eleito por unanimidade pelo colégio cardinalício, em virtude da sua santidade, da competência e dos serviços prestados à Igreja, durante o Pontificado de João Paulo II. Ele é guia e farol da Igreja no século XXI. É um pontífice que tem a autoridade moral e o estofo intelectual, como talvez outro não tivesse, de tratar de temas controvertidos e relacionados à fé e aos costumes.
(*) Pedro Henrique Chaves Antero é professor de Ciências Políticas
Postado por Armando Lopes Rafael

9 comentários:

  1. Já que o autor do artigo citou Dom Henrique Soares Costa, bispo auxiliar de Aracaju, abaixo algumas reflexões desse culto bispo:

    – 1 –
    Embora seja pouco politicamente correto dizer isto, há um dado que é muito significativo: mais de oitenta por cento dos pedófilos são homossexuais, machos que abusam de outros machos. E - para citar ainda uma vez Jenkins - mais de noventa por cento dos sacerdotes católicos condenados por abuso sexual de menores e pedofilia são homossexuais. Se na Igreja Católica houve de fato um problema, este não foi o celibato, mas uma certa tolerância em relação ao homossexualismo nos seminários, particularmente nos anos 1970, quando foi ordenada a grande maioria de sacerdotes posteriormente condenados pelos abusos. É um problema que Bento XVI está corrigindo vigorosamente. O retorno à moral, à disciplina ascética, à meditação sobre a verdadeira, a grande natureza do sacerdócio são o antídoto definitivo contra as tragédias reais da pedofilia. Também para isso deve servir o Ano Sacerdotal.

    ResponderExcluir
  2. – 2 –
    “Atualmente, é moda criticar o cristianismo, avacalhar a Igreja, relativizar Cristo, destruir a moral cristã. Fazem isso nas universidades, promovem isso nos meios de comunicação, levam adiante essa polícia nos vários programas de governos... O preço será alto, as conseqüências serão tremendas, porque o homem não pode matar Deus e continuar sendo humano, vivendo uma vida humana. Seremos lobos de nós mesmos, de nós mesmos desiludidos, por nós mesmos desgostosos.
    Exemplos dessa necrose?
    A destruição do conceito de família e de sua realidade mesma, o desencanto e falta de ideal de nossos jovens, a banalização e aviltamento da sexualidade, a corrupção deslavada na política, a violência nas suas mais diversas manifestações, a droga e a guerrilha urbana nas nossas cidades, o desprezo pela vida: aborto, experimentos imorais com embriões humanos, a promoção da eutanásia”.

    ResponderExcluir
  3. – 3 –
    Só uma pergunta: Será que a TV Record, tão ávida em divulgar escândalos verdadeiros ou supostos na Igreja católica, vai mostrar a picaretagem dos líderes da “Igreja” Universal, tramando como extorquir dinheiro dos fieis? E ainda há católicos bobos que assistem a este lixo de TV do Edir Macedo e se impressionam com o que ela mostra todo dia contra a Igreja católica!

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Já eu não tenho A MENOR dúvida de que a grande causa da Pedofilia na Igreja Católica seja o celibato.

    Negar isto aí diante da esmagadora quantidade de denúncias, é tentar explicar que a pedofilia na Igreja fosse resultado da ÍNDOLE MÁ dos próprios postulantes ao sacerdócio, o que é a pior das explicações.

    É fato incontestável que as pulsões sexuais do Ser Humano normal precisam ser exercidas, e a psicologia e a Psicanálise, corroboradas por milhares de estudos científicos já provaram que o Ser humano, quando destituído da sua realização plena em todos os atributos que a natureza lhe confere, torna-se moralmente perverso, e afloram os comportamentos mais bizarros.

    A pedofilia nada mais é do que uma clara fixação do Eros, o sentimento de amor na mais pura essência, num grau de desenvolvimento que não chegou a se consolidar. Fixou-se na infância ou na Adolescência, por ser exatamente a fase em que a repressão se fez atuante, impedindo a transposição dessa fase para a plena realização do indivíduo.

    Isso acontece com todos os Maníacos Sexuais. A pedofilia é uma mania, e os pedófilos podem ser encarados como Maníacos Sexuais.

    Freud já dizia que quando se vê um fervoroso religioso, que necessita de expiação constante, está apenas ali a sublimação de uma personalidade que o sujeito procura esconder da sociedade ( alguns conseguem esconder a homossexualidade para sempre, outros a praticam em segredo e depois expiam-na rezando ).

    Negar a sexualidade já é o princípio da doença mental e moral, e podemos quase afirmar que uma boa maioria daqueles que renegam o mundo e o sexo, tem algum distúrbio, especialmente aqueles Beatos que dizem: "Minha esposa é jesus".

    Quando você ver alguém renegar a sua própria sexualidade, tenha muito cuidado, pois você estará diante de uma pessoa capaz de fazer coisas que você jamais teria coragem de praticar.

    Somente uma pessoa de pensamentos ( considerados impuros ), tem a compulsão de estar lavando as mãos a todo instante e expiando os pecados flagelando-se na carne, para que não aflorem os mais terríveis e bizarros pensamentos à consciência, que de outro modo levariam à prática e à loucura.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  6. Armando escreveu:

    "Só uma pergunta: Será que a TV Record, tão ávida em divulgar escândalos verdadeiros ou supostos na Igreja católica, vai mostrar a picaretagem dos líderes da “Igreja” Universal, tramando como extorquir dinheiro dos fieis?"

    Aí já cai naquela mesma coisa das pessoas que para jusificarem os crimes praticados pelo atual governo Lula gostam de citar: "E porque não vão investigar o FHC ?"

    Acontece que o foco em questão é a Pedofilia na Igreja Católica. É muito cômodo tentar se defender com uma balela que no princípio tentou-se propagar nos sermões:

    "Irmãos, a nossa Igreja está sob Ataque!"

    NÃO! Ainda bem que pessoas de bom senso dentro da Igreja não deixaram ir adiante esta versão, e resolveram fazer "Mea Culpa", ou seja: "Erramos! Que podemos fazer para reparar tal erro ?" Acho que o caminho é por aí. Admitir a culpa, arrepender-se e só assim obter o perdão dos fiéis ( é claro que com a extirpação do mal, cortando na carne os membros podres da Igreja. )

    Um corpo não pode ser puro se tem um pé ou braço podre. É preciso lançar fora a parte apodrecida. E isso certamente, a Igreja fará, ou por bem ou por mal. Ela pretende durar mais 2000 anos.

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  7. Dihelson:

    A participação de "padres desviados" na pedofilia corresponde a 2% do total das denúncias.
    Sempre lemos notícias de padrastos (e até pais), de pastores evangélicos e até de magistrados que abusaram de menores.
    E esse pessoal não vive sob a batuta do celibato...

    ResponderExcluir
  8. Armando,

    É bom que se deixe claro que a Pedofilia não é coisa inventada agora, nem ela só exista no seio da Igreja Catolica não...

    A pedofilia é algo muito além das fronteiras da igreja, certamente. Agora, que aquilo ali é um antro, não é de hoje que se sabe. Hoje é que estão se constatando as denúncias das vítimas.

    É preciso que os defensores da Igreja não sejam extremados, porque senão pode dar a impressão ao público, de que estão tentando acobertar os crimes, ou defendendo a Pedofilia, o que seria péssimo.

    Sim, claro que ela existe não só nas Igrejas, mas em muitos lugares. Agora, nem só de pedofilia vive a Igreja. Talvez tenha mais de homossexualismo mesmo, e os eclesiásticos que recentemente associaram uma coisa com a outra, só erraram num ponto: A de acusar os homossexuais de pedófilos, como se para ser pedófilo a pessoa fosse necessariamente um homossexual, o que não é verdade.

    Na Igreja, a pedofilia é apenas a ponta de um Iceberg. A questão é muito complexa, e nós aqui viveremos por enquanto apenas de opiniões pessoais. Eu, você e qualquer outro. Mas temos esse sagrado direito de discutir qualquer tema, dentro dessa paz, desse respeito. Tentando até encontrar uma solução para o problema. Não queremos ver a Igreja destruída. Queremos que ela se livre desse mal. A Igreja está doente, e essa doença precisa ser retirada de dentro dela.

    Uma pergunta para você:
    O Homossexualismo é uma doença, ou é um fato normal da natureza? Você acha que o homossexualismo precisa ser erradicado ?

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir
  9. Caro Dihelson:

    A respeito da homossexualidade, a doutrina católica distingue entre a TENDÊNCIA homossexual (homossexualidade) -- que pode ser devida a defeitos genéticos, de educação ou a fatores psicológicos e morais -- e a PRÁTICA homossexual (homossexualismo).

    Muitos nascem com a TENDÊNCIA homossexual (um desvio da natureza, ou seja atração de macho por macho e fêmea por fêmea, ao invés da atração pelo sexo oposto que é o natural) . Essas pessoas podem combater essa tendência, ficam isentas de qualquer culpa, devem ser olhadas sem discriminação e com respeito.

    Por outro lado, a PRÁTICA homossexual -- ou seja, manter relações sexuais com pessoas do mesmo sexo -- constitui um DESVIO, este condenado pela Igreja Católica. Se você reler a Bíblia verá que as cidades de Sodoma (daí o termo “sodomita” tão odiado pelos ativistas “gays”) e Gomorra foram destruídas por Deus pelas PRÁTICAS homossexuais.

    Muitos dos “praticantes” homossexuais nem nasceram com a “tendência” homossexual. São os chamados “pederastas”. Este grupo abriga os bissexuais, ou seja, os que praticam atos sexuais com pessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto. É nesse grupo que mais proliferam os “pedófilos”.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.