16 março 2010

No Ceará, filha de Che Guevara é alvo de protesto - postado por Armando Rafael

Fonte: jornal O POVO
Direitos humanos


Manifestantes levaram faixas durante audiência que contou com a presença de Aleida Guevara (Foto: Assembleia Legislativa/Divulgação)

Durante audiência pública que pediu liberdade para cubanos presos nos EUA, grupo Crítica Radical cobrou libertação dos presos políticos em Cuba

Ítalo Coriolano coriolano@opovo.com.br

Ao mesmo tempo em que a filha do líder revolucionário Che Guevara, Aleida Guevara, defendia, no Ceará, a libertação de cinco presos políticos cubanos nos Estados Unidos, ela foi cobrada por membros do movimento Crítica Radical sobre a libertação dos cerca de 200 presos políticos em Cuba. O episódio, que trouxe à tona um conflito de opiniões que já toma conta das rodas de debate em todo o mundo, aconteceu ontem durante audiência pública na Assembleia Legislativa.

Mal o encontro começou, o grupo, que prega o fim do capitalismo e do próprio socialismo, ergueu diversas faixas e gritou palavras de ordem que tinham como alvo certo Aleida Guevara. “Nem embargo, nem perseguição, anistia e emancipação”, repetiam os manifestantes.

Tentando fazer um contraponto à fala de Aleida, a ex-prefeita de Fortaleza, Maria Luíza que integra o Crítica Radical condenou o fato de pessoas serem presas em Cuba por criticarem o sistema de governo. Além disso, afirmou que o socialismo praticado em Cuba não conseguiu promover a “verdadeira emancipação humana”, já que as relações continuam sendo mediadas pelo dinheiro. ``A ideologia é algo danoso porque muitas vezes impede que vejamos a sociedade como ela é``, afirmou.

O protesto provocou a ira dos que defendem o regime cubano. O padre Haroldo Coelho, por exemplo, disse que o Crítica Radical estava reproduzindo o que, segundo ele, a imprensa comprometida com o imperialismo diz. “É lamentável que pessoas que se dizem radicalmente contra a exploração do homem pelo homem possam aumentar o coro das vozes fascistas e imperialistas só porque Cuba prendeu aquele marginal”, disse o esquerdista, se referindo Orlando Zapata, que morreu após 85 dias de greve e fome.

QUEM É O CRÍTICA RADICAL

- O movimento Crítica Radical surgiu a partir de um grupo político que atua junto há cerca de 30 anos. Originalmente atuou dentro do marxismo tradicional, para depois aderir ao estudo aprofundado dos Grundrisse - manuscritos de Marx. Essa linha teórica é mesclada com o livro O Colapso da Modernização, de Robert Kurz.

- Entre os principais membros está a ex-prefeita de Fortaleza Maria Luíza e a ex-vereadora Rosa da Fonseca. O grupo defende, dentre outras ideias, o fim da política. Por isso, em todas as eleições defendem a greve do voto, por ser mais uma exigência do Estado. Para eles, a superação do capitalismo só se dá pela total emancipação humana e pelo fim da valorização do dinheiro.

3 comentários:

  1. Ótimo saber que nem toda esquerda do Ceará é troglodita ou jurássica...
    A ex-prefeita Maria Luiza e Rosa da Fonseca já sabem que o "socialismo real" faliu há 21 anos e se reciclaram...
    Aleluia!

    ResponderExcluir
  2. Eita, Armando!

    Dqqui a pouco vem a patrulha ideológica dizer que você os chamou de "trogloditas e Jurássicos" e joga-lo no mesmo hall do Morais...até porque aqui tem gente que faz confusão até por causa de um PREGO.

    rs rs rs

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  3. É muito estranho o fato do O padre Haroldo Coelho (pensei que já tinha se aposentado há séculos !!!) defenda ideias tão ultrapassadas e fale assim de um ser humano que morreu pelo que acredita! Acho que bandido não é bem o Orlando Zapata! Fora Padre Haroldo!

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.