23 março 2010

Mensagem do Secretário de Meio Ambiente Nivaldo Soares sobre o Dia da Água


Água Limpa para um Mundo Saudável

O DECRETO Nº 55.795, DE 24 DE FEVEREIRO DE 1965, assinado pelo Presidente Humberto de Alencar Castelo Branco Instituiu em todo o território nacional a Festa Anual das Árvores, a ser comemorada na última semana de março de cada ano. Em 1971 a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), acolheu proposta da Confederação Européia de Agricultores, e estabeleceu o dia 21 de março como o dia Florestal Mundial.

Em 22 de fevereiro de 1993 a Assembléia Geral das Nações Unidas declarou através da resolução A/RES/47/193, o dia 22 de março de cada ano, a partir de 1993, como o "Dia Mundial das Águas" (DMA). Aderindo a proclamação destas datas o Executivo Municipal do Crato, através da Secretaria de Meio Ambiente e Controle Urbano juntamente com a URCA, SESC, COGERH, SEMACE, ICMBio .......... e mais uma dezena de instituições parceiras montaram uma programação para semana ‘Semana da Água e da Arvore’ que vai do dia 22 ao dia 27 com objetivo de chamar a atenção de governos, organizações, comunidades e pessoas para a adoção de medidas de prevenção, limpeza e reabilitação de tão preciosos recursos naturais.

Este ano de 2010, a campanha promovida pela ONU, para comemorar o dia mundial das águas, tem como tema “Água Limpa para um Mundo Saudável”. Tema este que chama a atenção para o fato de que a qualidade de vida no planeta depende diretamente da qualidade dos recursos hídricos. É sabido que a qualidade da água vem piorando drasticamente em todo o planeta e tem como principal fator um rápido processo de urbanização, aliado ao desperdício e da falta de tratamento sanitário e industrial apropriado. Segundo a ONU, o problema é mais grave nos países em desenvolvimento, onde 90% do esgoto e 70% dos efluentes industriais têm como destinos rios, lagos, mares. A água é o elemento que deu origem e sustenta a vida no planeta Terra. Sem a água, nenhuma espécie vegetal ou animal, incluindo o homem, sobreviveria. Cerca de 70% de nossa alimentação e de nosso próprio corpo são constituídos por água. Mais da metade de todas as espécies de animais e plantas do mundo é aquática.

Já a Festa Anual das Árvores tem por objetivo difundir ensinamentos sobre a conservação das florestas e estimular a prática de tais ensinamentos, bem como divulgar a importância das árvores para o bem-estar dos cidadãos. As árvores fornecem sombra para suportar o calor das grandes cidades ou o sol nas lides do campo. Fornecem alimentos para pessoas e animais através de seus frutos, sementes, folhas e flores. Purificam o ar e protegem o solo da erosão. Além disso, incorporam ao solo matéria orgânica e nutrientes essenciais para o cultivo de alimentos. Fixam o carbono atmosférico e regularizam o ciclo hidrológico, protegem nascentes e margens de rios, embelezam as paisagens e fornecem matéria-prima para carpintaria, todos os tipos de construções, indústrias de papel, farmacêutica, de higiene e muitas outras.

Arvore e água são tão próximas quanto essenciais à vida na Terra.

"No Ceará, o mês de março é marcado pelo estação das chuvas. A Festa Anual das Árvores põe em evidência a importância do reflorestamento e da preservação das espécies nativas. A árvore homenageada este ano é Cumaru (Torresea cearensis allemão) também conhecida como imburana, ainda pode ser encontrada no sertão cearense, mas está atualmente ameaçada de extinção. A árvore nativa da caatinga é conhecida por seus múltiplos usos – os frutos são comestíveis, as sementes e cascas têm propriedades medicinais e aromáticas, a madeira é aproveitada em construções e utensílios. Portanto, esta semana é um período de conscientização da população sobre a importância da água e da árvore para a qualidade de vida e a manutenção do equilíbrio ambiental. Por isso, a programação incentiva as pessoas a cuidarem das árvores e orienta para que plantem suas culturas sem degradar o solo com queimadas para não acabar com espécies nativas.

Durante a semana, mudas serão distribuídas gratuitamente: de terça a sexta, no Viveiro de Mudas que funciona no IBAMA/ICMBio; das 8 às 14 horas.

Que todos se irmanem nesta missão.
Obrigado.

Crato – CE, 22 de março de 2010

Nivaldo Soares de Almeida
Secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano

Um comentário:

  1. Em primeiro lugar, parabenizo o Secrtário de Meio Ambiente Nivaldo Soares, pela excelente mensagem, sobre o Dia da Água, e também dizer se me permite, os dias das águas, recurso mineral natural não renovável, por cuja a extinção,levará os demais seres. Na maioria das vezes não nos apercebemos disto, pois trata-se de uma parte do Reino, como sendo a inanimada (onde nos acostumamos, a ver como a parte inerte), ora se "não tem vida", porque dependemos dela para vivermos?
    Se dizem que de tudo que nos alimentamos, tem que possuir vida, muito embora quando ingerimos algumtipo de alimento sendo animal ou vegetal nestes já não se faz mais presente. Quanto aos reflorestamentos que existem em nosso país, infelizmente a maioria estão voltados apenas para a reposição de matéria prima das empresas que fazem uso dos recursos naturais tanto os renováveis quanto os não-renováveis, é uma questão apenas para "repor os seus estoques". Não temos uma política voltada para reflorestar com a preocupação de recuperar o que foi degradado, para repor o que estava ali nativamente. Portanto, assim como a imburana que foi citada no texto, tantas espécies entram no mesmo processo. Então citando o código florestal (1965), que poderia ter sido elaborado para cuidar do reflorestamento, este é apenas um instrumento que visa apenas proteger as Áreas de Preservação Permanentes e da Reserva Legal (Região Amazônica especificamente), por que nas áreas urbanas o uso da floresta ( e aqui podemos citar a nossa Mata Atlãntica), que se estende pelo litoral brasileiro, mas que faz ligação com outros biomas como o Serrado, a Caatinga vem ocorrendo de forma indiscriminada. E quando há esta quebra na Cadeia (na Teia ou Ecossistemas), pois os Biomas são enormes Ecossistemas, constitídos por ecossistemas menores teremos sempre o desequílibrio ambienatl. No código florestal mesmo o bioma Caatinga nem é tartado como de Área de Proteção, nem de Reserva Leagl. Eu me pergunto por que um ecossistema tão imenso no nosso país fica de fora do Coóigo florestal? Será que não é considerado Floresta por que apresenta em suas caracterícas muitas peculiaridades? como por exemplo clássico a perda de suas folhagens em determinados períodos do ano e que dependendo das condições climáticas pode se prolonagar esta característica, que na maioria das vezes sofre a influência direta do homem?
    são apenas algumas indagações que me inquietam, pois se temos uma Lei ( O Código Florestal)pra nos explicar, por que não o faz?

    Rosemary Borges Xavier

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.