xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 20/11/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

20 novembro 2009

VALDETÁRIO MONTEIRO É O NOVO PRESIDENTE DA OAB-CE

O candidato de oposição Valdetário Monteiro, venceu no início da noite desta sexta-feira, 20, as eleições para presidência da OAB-CE, com 22 votos de diferença em relação ao segundo colocado, Erinaldo Dantas. O resultado só foi confirmado após o término das apurações no município de Crato, na região do Cariri. Erinaldo Dantas, que recebeu apoio do atual presidente Hélio Leitão, conseguiu vencer as eleições em Fortaleza, mas foi derrotado com os votos apurados no interior do Estado. O outro candidato Edson Santana ficou em terceiro lugar e Francisco José Colares em quarto.

Por: Luciano Augusto
Fonte: Ceará Agora

CRATO - Histórias e Estórias do Crato de Antigamente - Por: Ivens Mourão

A “CORDA”

O seu Misael era proprietário de uma pensão no Crato, sendo um dos principais hotéis, na primeira metade do século XX. Pessoas importantes hospedaram-se lá. O Luís conheceu o Luís Gonzaga (o sanfoneiro) nessa pensão, onde ele costumava ficar. Lembra-se até de ouvi-lo cantando, para poucos, uma música que raramente se ouvia:

Sou pão duro

Vivo bem
Não dou esmola
Não faço favor
Não ajudo a ninguém!

A principal particularidade do Sr. Misael era ser um mentiroso contumaz. Contou que, certa vez, armou sua rede para dormir. Quando se deitou, a rede caiu. Acendeu a lamparina para rearmá-la. Somente então, verificou que tinha armado a rede não com uma corda, mas com uma cobra!...

AVIÃO VOA

Wilson Roriz foi Deputado Federal e era natural de Jardim, cidade vizinha ao Crato. Era um deputado ativo. Não era daqueles que ganhavam calado, como diz a música do Billy Blanco. Foi um dos primeiros a lutar pela energia de Paulo Afonso para o Cariri. Mas, apesar de ser político, não era simpático. Estava sempre reclamando. Costumava, como ainda hoje é comum nos deputados, viajar. E viajava de avião. O destino: Rio de Janeiro, capital do país, à época. O aeroporto era o do Crato, que ficava em cima da Serra. Tinha uma pista de asfalto e uma acanhada estação de passageiros. O funcionário da Real, empresa que atendia à região antes da Varig, chamava-se Pedro Patrício. Era o faz tudo no aeroporto. Fazia o check in, despachava e recebia as bagagens, embarcava os passageiros. Era uma pessoa que não aceitava desaforos, tendo sempre uma resposta pronta. Um dia o Deputado Wilson Roriz chegou ao aeroporto para embarcar e, como de costume, chegou reclamando e bem alto para o Pedro:

- “E aí? O avião nada?”

- “Não, voa”.

O VÃO

O Deputado Wilson Roriz, quando no aeroporto, estava sempre reclamando. E o mau humor era geralmente direcionado para o Pedro Patrício, que nunca deixava o deputado sem a devida resposta. Em certa ocasião, tendo chegado do Rio de Janeiro, estava aguardando receber a bagagem. Começou a reclamar em voz alta, daquele espaço reduzido. Solicitava a construção de um novo bagageiro, utilizando um espaço ao lado. Dirigiu-se ao Pedro, que estava no meio das malas:

- “E este vão aqui?”

- “É o vão à puta que pariu”

MUNDOCA

O aeroporto do Crato foi construído em cima da Serra do Araripe. O local não era adequado, pois costumava ficar nublado, ou seja, sem teto para pousos e decolagens. Vez ou outra o avião passava direto para Fortaleza ou Petrolina. Por essa razão, acabou sendo desativado, passando a ser utilizado o Aeroporto Regional de Juazeiro do Norte. Na época do aeroporto do Crato, os aviões eram remanescentes da segunda guerra: DC-3 e C-47. Posteriormente foram substituídos pelo Avro que era um turbo-hélice. No Crato vivia uma figura muita querida de todos. Era o Mundoca. Seu meio de vida era vender rifas, que sempre tinha um sorteado. Por isso ninguém se negava a assinar as suas rifas. Outra característica dele era viver assobiando. Imitava tudo o que é tipo de passarinho. O assobio dele era alto e todos na cidade conheciam bem. Quando o Avro começou a pousar e decolar no Crato, percebeu-se que tinha um assobio muito intenso. Logo os gozadores de plantão disseram:

- “Espere, e o Mundoca agora virou avião?”
O Avro virou Mundoca...

ALUIR

Os aviões DC-3, da Real, que pousavam no ‘campo de aviação do Crato’, só o faziam à tarde. De manhã, na altitude de mil metros, sempre estava nublado, portanto sem teto para pouso ou decolagem. O piloto acompanhava o processo de reabastecimento da aeronave. Como o ‘campo’ não era cercado, os matutos que moravam por perto se aproximavam, curiosos para ver o avião. O piloto, brincalhão, perguntou a um dos matutos, bem acanhado:

- “O senhor tem medo de avião?”

- “O bicho estando no chão, ‘seu major’, não tenho medo, não! Só fico com as carnes tremendo, quando ele vai ‘aluir’”.

A DECOLAGEM

Neste mesmo avião o Luís embarcou para Fortaleza, com o Dr. Eduardo Solon. Era um farmacêutico, nascido em Sobral e que adorava o Crato. Dono de farmácia na cidade, torcedor fanático do Flamengo e muito amigo do meu pai. Era uma pessoa muito expansiva. Falava alto e estava sempre alegre. Lembro-me dele, com os seus inseparáveis óculos ‘ray ban’ Estando os passageiros todos acomodados, o avião começou a taxiar em direção à cabeceira da pista. Antes da decolagem o piloto sempre fazia um ‘check list’. Começou a testar os motores e aquecer os magnetos. O avião preso e os motores a toda velocidade provocavam uma vibração e um barulho infernal, no interior do avião. Nisso, o Eduardo Solon dirige-se ao comissário de bordo:
- “Meu camarada, este avião está se espremendo todo é ‘pra’ levantar vôo ou vai primeiro cagar?”

Eduardo Solon e seus óculos
Ray Ban

Fonte: Livro "Só no Crato" de Ivens Mourão - Direitos de Publicação concedidos ao Blog do Crato pelo autor - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

20 de Novemnbro - DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA - Por: Maria Otília


A Mão da Limpeza

Gilberto Gil
Composição: Gilberto Gil

O branco inventou que o negro
Quando não suja na entrada
Vai sujar na saída, êImagina só
Vai sujar na saída, êImagina só
Que mentira danada, ê
Na verdade a mão escrava
Passava a vida limpando
O que o branco sujava, êImagina só
O que o branco sujava, êImagina só
O que o negro penava, ê
Mesmo depois de abolida a escravidão
Negra é a mão
De quem faz a limpeza
Lavando a roupa encardida, esfregando o chão
Negra é a mão
É a mão da pureza
Negra é a vida consumida ao pé do fogão
Negra é a mão
Nos preparando a mesa
Limpando as manchas do mundo com água e sabão
Negra é a mão
De imaculada nobreza
Na verdade a mão escrava
Passava a vida limpando
O que o branco sujava, êImagina só
O que o branco sujava, êImagina só
Eta branco sujão
Letra da Música postado por Maria Otilia
Texto e foto extraído do site:http://letras.terra.com.br/gilberto-gil/fotos/

No tempo Idade Média ou no tempo da Ditadura? Por Alessandra Bandeira


Meninos e Meninas


Ultimamente tenho ficado um pouco fora do Blog do Crato por dois motivos, primeiro por problemas de saúde e segundo por que não sei qual caminho seguir, para onde ir, o que falar, o que fazer?
Por mais surreal que possa parecer tenho sido severamente perseguida por postar aqui no Blog, não é exagero não, é sério!
Primeiro sofri perseguições abertas aqui no Blog mesmo pelo senhor Amadeu e seu Glorioso partido, do qual sinto um imenso alivio de não fazer parte, inclusive ainda fui ameaçada de processo por uma senhora "politíca" deste partido, depois veio as perseguições veladas, quando em um "post" aqui no Blog critiquei o fato dessa tradição de se perguntar " de que família você é?" , falei sobre o abuso da Igreja da Sé com suas caixas de som altissimas e por último estou sendo perseguida por fazer um alerta a sociedade, a vocês pais de família, sobre o crack.
Infelizmente me resta apenas a pergunta estaríamos vivendo na Idade Média ou estariamos vivendo ainda sobre o regime da ditadura?
Fica ai meu desabafo , meu lamento por ver pessoas que ocupam lugares de destaque dentros de determinados setores perseguindo pessoas por falarem aquilo que não deveria nunca ser dito.
Somos realmente livres??
Por Alessandra Bandeira ( antes que me queimem na fogueira da inquisição)

Interligação de bacias salva CE do colapso no armazenamento


O BIêNIO 2009-2010 é visto como de consolidação do carro chefe na interligação das bacias hidrográficas do Estado: o Canal da Integração. Vista aérea do trecho III, já concluído Foto: RODRIGO CARVALHO



13/11/2009 "Com 82% de água armazenada, os açudes do Estado estão livres de um colapso graças à interligação de bacias"

Limoeiro do Norte. As bacias hidrográficas que receberam grandes volumes de água no período chuvoso deste ano "poderão apresentar problemas, se tivermos chuva para 2010 dentro ou acima da média, como ocorreu em 2009", afirma o presidente da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (COGERH), Francisco Teixeira. Com 82% do potencial de reserva, o Estado poderia chegar em 2010 perto do nível de colapso de armazenamento. Mas pelo menos 10 açudes são projetados e construídos por Estado e União para aumentar a capacidade de reserva e diminuir possíveis efeitos de uma quadra chuvosa rigorosa. A interligação de bacias é vista hoje como o maior instrumento para socialização da riqueza hídrica do Estado.
A boa oferta de água nos reservatórios do Ceará nos últimos anos pressionou para o que deve ser um decisivo passo na política de recursos hídricos: melhorar a distribuição deste precioso líquido. O biênio 2009-2010 é visto como de consolidação do carro chefe na interligação de bacias hidrográficas do Estado: o Canal da Integração, ou Eixão.
A grande obra, que ao seu final terá consumido cerca de um R$ 1 bilhão (recursos do Plano de Aceleração do Crescimento - PAC), foi projetada para abastecer a Região Metropolitana de Fortaleza, indústrias no Porto do Pecém e algumas comunidades do Interior, antes pouco esclarecido se seria diretamente ou não. Mas em termos práticos, comunidades que moram às margens do canal foram mapeadas neste ano para serem abastecidas. Nem sempre foi assim. "Isso não estava previsto no projeto inicial, foi adaptado", admite César Pinheiro, titular da Secretaria de Recursos Hídricos do Estado (SRH).
Água para famílias
Às margens dos trechos I e II, que já operam, centenas de famílias veem a água do canal passar na porta de casa e não têm como nem podem retirar. Os movimentos sociais pressionaram e os meios de comunicação evidenciaram, e neste ano veio a novidade: "Todas as comunidades que estão nas margens de dois quilômetros esquerda e direita do canal (com exceções para algumas comunidades distantes quatro quilômetros) serão abastecidas com suas águas", afirmou César Pinheiro.
O trecho I já abastece pelo menos 2,5 mil hectares do projeto Tabuleiros de Russas, entre Limoeiro do Norte e Russas, na região jaguaribana - promessa de virar um dos maiores distritos irrigados do Nordeste Setentrional. O trecho III está praticamente concluído, mas o consórcio construtor está atuando com "detalhes construtivos, em função do inverno", afirmou Teixeira, da Cogerh.
Em outras palavras, estão desentupindo calhas e bueiros de drenagem devido à grande intensidade das chuvas. É o que acontece nos dois trechos anteriores, inclusive com recuperação de meio-fios, pintura em material hidromecânico.
O trecho IV está cerca de 35% construído. O trecho V, em processo final de licitação, mas uma estação de tratamento já está em fase de conclusão para receber as águas do último trecho do canal, na verdade, uma grande adutora.
"Em algumas travessias de riacho, as estradas de manutenção foram rompidas pelas chuvas. Canal e tubulação não sofreram nada, mas as estradas ao lado do canal é que apresentaram rompimentos, em função da grande vazão causada pelas chuvas", explica Pinheiro, acrescentando que "o grande projeto é mesmo o Cinturão das Águas. Vamos pegar do São Francisco e levar, na encosta da Serra do Araripe, um canal que vai para os Inhamuns. A primeira etapa vai beneficiar a região do Cariri, que hoje é abastecida com água de áreas subterrâneas.
Comitês no Interior
O gerenciamento dos recursos hídricos no Ceará é trabalho recente - a Cogerh existe há 15 anos. Instituições públicas, privadas e sociedade civil atuam em 10 comitês espalhados pelas 11 bacias hidrográficas do Estado. O Governo do Estado quer estimular a formação de comitês locais para pequenos açudes, como forma de"diminuir a burocracia", afirma César Pinheiro. No mês que vem, a Funceme dará o primeiro sinal sobre como pode ser a quadra chuvosa que vem. Existem oito eixos de integração hídrica construídos no Estado do Ceará (332,90 km de extensão) um em construção (trecho IV do Eixão) e cinco projetados. O primeiro trecho do Cinturão das Águas, já sendo chamado de Canal do Cariri, deverá receber as águas integradas do São Francisco, numa extensão total de 160 quilômetros. A tarefa principal será levar a água para o maior número de habitantes.
DESAFIO
"Está licitado projeto de geração de emprego e renda para a população no Eixão"CÉSAR PINHEIROSecretário de Recursos Hídricos do Estado
"O grande desafio é fazer com que as águas cheguem ao máximo de habitantes"FRANCISCO PINHEIROPresidente da Companhia de Gerenciamento de Recursos Hídricos (Cogerh)
Mais informações:Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), (85) 3218.7032Secretaria de Recursos Hídricos (SRH)(85) 3101.3995
GERECIAMENTO
Comitês de bacias garantem melhores usos
Limoeiro do Norte. O que fazer com as águas do Ceará é uma decisão de muitos. Para isso existem os comitês de bacias, que atuam no gerenciamento dos reservatórios. Existem 10 comitês no Ceará, para 11 bacias hidrográficas. Só na região jaguaribana, com o maior aporte dos recursos hídricos (é onde está o Castanhão), são cinco comitês. E com o número de reservatórios e canais aumentando, a Cogerh tem sentido a necessidade de criar comissões locais para açudes de pequeno porte.
"Têm açudes com influência sobre um ou mais municípios, então é importante que certas decisões não precisem ser levadas aos comitês, que são regionais. O açude é um ´amortizador´ de cheias", afirma Francisco Teixeira, presidente da Cogerh. Os comitês de bacias estão previstos em lei, como parte integrante do Sistema de Gerenciamento de Recursos Hídricos (Sigerh).
Com o Canal da Integração e o Cinturão das Águas, o Estado estará alimentado de canais desde as regiões mais importantes, como a Região Metropolitana e os perímetros irrigados, até as que mais sofrem com as estiagens, caso do Sertão dos Inhamuns, onde se chove metade da média anual do Estado. "A primeira etapa do Cinturão das Águas vai beneficiar toda a região do Cariri, onde não há rios que deem sustentabilidade hídrica e os Inhamuns", coloca César Pinheiro, secretário de Recursos Hídricos do Estado.
O governo estadual está construindo oito barragens, que fazem parte do Plano Estadual de Recursos Hídricos: Missi (em Miraíma, também vai abastecer Amontada), Gameleira (Em Itapipoca, também beneficiando Tururu e Trairi); Umari (Madalena), Jatobá (Ipueiras), Mamoeiro (Antonina do Norte), Genipapeiro (em Baixio, beneficiando Umari e Ipaumirim), Amarelas (Beberibe) e Riacho da Serra (Alto Santo). Três estão em obras, com recursos de U$ 103 milhões, de empréstimo no Banco Mundial. Outros dois açudes, Figueiredo e Taquara, são construídos pelo Dnocs, para conclusão até 2010.
De acordo com Francisco Teixeira, os reservatórios tornam-se, num futuro próximo, atrativos econômicos. "Valoriza a região para agricultura irrigada e indústrias". Daí a importância da correta distribuição do maior "ouro do sertão".
MELQUÍADES JÚNIOR Colaborador
(NOTA: Veja em negrito o que trata a matéria sobre o CINTURÃO DE ÁGUAS, que irá contemplar a Região do Cariri, com as águas do São Francisco, em espescial, os município de Crato e Juazeiro. FONTE: Diário do Nordeste).

Duas Peças: Inventário e Cidade das Donzelas - Em cartaz na Mostra SESC




O Blog do Crato está sempre aberto para qualquer divulgação artística e cultural. Trazemos o release enviado pela jornalista Elizângela Santos sobre duas peças que estiveram em cartaz na XI Mostra SESC Cariri de Cultura!

CIDADE DAS DONZELAS

Uma peça divertida e inteligente
Em Cidade das Donzelas, os cariocas do Troupp Pas D’Argen fazem com perfeição uma mistura da linguagem de cordel a elementos da cultura contemporânea, o que resulta em um belo trabalho. Junte um criativo texto composto por rimas inspiradas em cordéis com atores que cantam, dançam e ainda tocam instrumentos musicais; adicione ainda a esses ingredientes uma elaborada pesquisa sobre a cultura nordestina. Eis, então, a divertida, inteligente e saborosa receita da peça Cidade das Donzelas, dos cariocas do Troupp Pas D’Argent, que se apresentam às 03h30 da manhã deste sábado (21), durante o OverDoze da Mostra Sesc Cariri de Cultura, em Crato.

O espetáculo conta a história de Carolino, um sertanejo covarde e bem malandro que, em uma de suas andanças, vai parar na Cidade das Donzelas. Nesse local não há homens, pois todos eles são mortos pelas mulheres que lá moram. Assim, o herói precisa contar muitas histórias para tentar escapar ileso – uma tarefa nem um pouco fácil.

A dificuldade se torna ainda maior porque Orlando Caldeira – que interpreta Carolino – precisa gastar muita energia durante o espetáculo. Mas não é apenas ele que sua a camisa em cena. Antes da peça, todos fazem um rigoroso alongamento para executar as coreografias. O cansaço mental dos integrantes da Troupp, na pesquisa para elaboração da peça, também foi grande. “Para fazer a peça, fizemos dois anos e meio de pesquisa. Precisei ler livros de Guimarães Rosas, cordéis e conhecer bastante sobre a cultura nordestina. Além disso, todos nós fizemos cursos de dança. Não foi fácil, ainda mais porque lá no Rio de Janeiro é um pouco complicado ter acesso a tudo isso”, revela a diretora Marcela Rodrigues, que também escreveu o roteiro da peça – inclusive as músicas executadas pelos personagens, e atua no espetáculo.

Tanta dedicação resultou em uma peça meticulosamente elaborada. No palco, os atores mostram entrosamento não só nas coreografias, mas também nos diálogos musicados – além de provarem que, mesmo sendo cariocas, conhecem bastante o espírito nordestino. E como tudo isso é misturado a referências a diversos elementos da cultura contemporânea – como o filme Matrix – agradam moradores de qualquer região. Não é à toa que a peça já foi indicada a diversos prêmios de teatro. Só faltava mesmo vir para o Nordeste;

“O mais curioso é que já apresentamos essa peça em vários locais do Brasil e até em alguns países da América Latina, mas nunca tínhamos vindo no Nordeste. Por causa disso, a gente está muito feliz de poder participar deste evento”, conta Marcela. E quem não está no Cariri para acompanhar esse espetáculo no OverDoze ainda vai ter a sua oportunidade. Os cariocas se apresentam no dia 24, às 17h, na Praça do Ferreira, Centro de Fortaleza.

INVENTÁRIO



Palhaços que devem ser levados a sério.
Em Inventário, o Grupo Roda Gigante, do Rio de Janeiro, faz muita gente rir; mas também critica o sistema de saúde brasileiro e estimula uma reflexão sobre o assunto. Engana-se quem acha que palhaço só serve para fazer palhaçada. Os que são integrantes do Grupo Roda Gigante, do Rio de Janeiro, sabem arrancar sorrisos, mas também falam sério. Na peça Inventário – apresentada no OverDoze da 11ª Mostra Sesc Cariri de Cultura, na madrugada desta sexta-feira (19) para sábado (20), além de piadas, eles fazem bem humoradas críticas ao sistema de saúde brasileiro.

Experiência para falar sobre o assunto não falta. Vestidos de palhaços, eles já visitam pacientes de hospitais do Rio há treze anos e, desde 2009, fazem parte do projeto Doutores Palhaços. Além de freqüentar as unidades de saúde, o grupo realiza oficinas e apresenta espetáculos teatrais. As histórias para contar sobre o cotidiano dentro dos hospitais, então, são inúmeras. Muitas delas são mostradas em Inventário. E, aí, ninguém deixa de ser alvo das piadas. Sobra para os médicos, para as enfermeiras, para os acompanhantes dos pacientes, para os pacientes e até mesmo para os próprios palhaços. Claro, o público que acompanha o espetáculo também é vítima das chacotas. Difícil é descobrir o que é inventado ou não na peça desses profissionais com “doutorado” em riso.

“Tudo mostrado nessa peça é verdade, até mesmo as mentiras”, brinca o ator Marcos Camelo. A última apresentação dos palhaços na mostra acontece na madrugada de sexta para sábado, à meia-noite, no Teatro Municipal de Crato.

Fonte: Elizângela Santos a partir de:
João Noé
Jornalista - AC Comunicação
Fotos: Adelmar Filho

Lula envia ao Congresso mensagem para elevar valor pago ao Paraguai por energia de Itaipu

Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva encaminhou ontem (19) a mensagem ao Congresso Nacional com acordo em que o Brasil concorda em aumentar de US$ 120 milhões para US$ 360 milhões a taxa anual de cessão paga ao Paraguai pela energia que não utiliza da Usina Hidrelétrica de Itaipu. A mudança foi acertada entre os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Lugo durante encontro em julho deste ano, em Assunção, capital paraguaia.

A mensagem presidencial precisa ser aprovada pelos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado para o aumento entrar em vigor. O Legislativo paraguaio também deve aprovar. A mensagem de Lula foi publicada hoje (20) no Diário Oficial da União. Hoje, o Brasil paga US$ 43,8 dólares o megawatt/hora mais US$ 3,17 pela cessão. Essa taxa passará para US$ 9,51.Pelo Tratado de Itaipu, Brasil e Paraguai têm direito à metade da energia produzida pela usina cada um e o que não for usado deve ser vendido ao sócio. Atualmente, o Paraguai utiliza somente 5% da energia a que tem direito. O restante é vendido à Eletrobrás. O governo garante que o reajuste na taxa de cessão não significará aumento na conta de luz dos brasileiros.

Fnte: Agência Brasil

O SELO POSTAL - LIGEIRA HISTÓRIA - Por Vicente Almeida


Primeiro Selo da História e seu criador: Rowland Hill


Uma das maiores revoluções do século XIX, e que perdura até hoje, foi a invenção contida em um pedacinho de papel de aproximadamente 2 cm2. Trata-se de um produto usado por todas as pessoas do mundo civilizado, no mínimo uma vez na vida – O SELO POSTAL. E pouca gente conhece a sua história.

QUANDO TUDO COMEÇOU!

Remontando a primeira metade daquele século, encontraremos o cidadão inglês Rowland Hill, nascido em Kidderminster em 1795 e falecido em Londres em 1879, preocupado com a forma rudimentar de envio de correspondência, resolveu estudar com profundidade uma fórmula que viabilizasse esse meio de comunicação.

Por isso nos seus tempos livres dedicou-se a estudar o sistema postal, que o preocupava pela sua inoperância e irracionalidade.

A funcionalidade era por demais precária. As cartas eram depositadas nos marcos e posto de correios e pagas ao carteiro pelo destinatário, segundo um complicado esquema de taxas que dependiam do volume do envelope e da distância a que ficava o destinatário.

Esse complicado sistema era extremamente caro, de forma que os correios eram utilizados apenas por usuários abastados. Era necessário considerar ainda o custo das correspondências recusadas pelos destinatários e aquelas devolvidas por não encontrá-los.

Rowland Hill percebia que modernizando e uniformizando o sistema, seria possível reduzir os custos. Com esses custos reduzidos, aumentaria a clientela e poderia manter esses custos baixos. Ou seja, Hill pensou de maneira oposta à filosofia costumeira do serviço público, que encara os usuários como custos e não como uma possível fonte de dinamização dos serviços.

Rowland Hill estudou a fundo o funcionamento dos correios e verificou que os custos de entrega de uma carta dependiam essencialmente do seu manuseamento e não da distância. Diante dessa analise passou a defender então que a entrega dos envelopes deveria ter o mesmo preço em toda a Grã-Bretanha, penalizando apenas as encomendas de peso mais elevado.

Com esse posicionamento ele criou uma infinidade de inimigos, os quais argumentavam não ser justo pagar por uma carta que viajasse de Londres a Falmouth o mesmo que por uma que se limitasse a atravessar um bairro da capital.

Mas Hill mostrou, com números precisos, que os custos para o serviço de correios eram praticamente idênticos e manteve seu posicionamento, insistindo que os custos não estavam na entrega, mas no órgão centralizador quando do manuseio e distribuição. Contudo, seu pondo de vista foi mais uma vez insistentemente rejeitado pelos responsáveis.

Finalmente, já cansado de insistir e na certeza que suas idéias eram as mais democráticas possíveis, em 1837, resolveu defendê-las publicamente num panfleto que viria a tornar-se célebre. As propostas eram revolucionárias. Hill queria tornar os custos dos correios tão baixos que todos os cidadãos pudessem utilizá-los.

Ele propôs uma taxa única para os envelopes circulando dentro da Grã-Bretanha, taxa que apenas variava com o peso da carta. A idéia ficou conhecida como “penny post”, pois uma carta normal apenas custaria um “penny”. Sugeria ainda Hill, que todas as cartas fossem pagas pelo remetente e não pelo destinatário, o que permitiria que elas fossem entregues em caixas de correio a instalar nas residências e que os destinatários não tivessem de estar em casa para pagar ao carteiro as cartas que lhes eram dirigidas.

Como sempre acontece na história da ciência e da tecnologia, uma idéia nova tem a oposição dos que vêem dificuldades em tudo. As idéias nascem ainda incipientes e só com a experiência os diversos obstáculos à sua aplicação começam a ser removidos. Há sempre quem não veja os aspectos essenciais da inovação e apenas repare nas dificuldades e nos pormenores.

Rowland Hill pensou nos argumentos dos detratores da sua proposta e teve a idéia mais importante da sua vida. Talvez a dificuldade possa ser remediada. “Escreveu então usando um pedacinho de papel de tamanho apenas suficiente para comportar uma estampilha, e coberto nas costas com uma cola para que o utilizador pudesse, umedecendo-a, colar nas costas da carta”. Dessa forma, o remetente poderia comprar esse «pedacinho de papel» e colá-lo ao seu envelope, que depositaria então no marco de correio.

Estava pois, inventado o primeiro selo postal impresso do mundo. A grande invenção de Rowland Hill foi posta em prática em 10 de Janeiro de 1840 por decisão do parlamento. Os responsáveis dos correios se opuseram, mas a sua oposição desta vez foi rejeitada.

O sucesso foi retumbante. Numa década, o tráfego de envelopes multiplicou-se por cinco e as receitas dos correios se multiplicavam cada vez mais. O processo começou a ser seguido em todo o mundo.

O Brasil foi o primeiro país da América, e o segundo do mundo, a adotar o selo postal, por decisão do Imperador D. Pedro II. A primeira série de selos postais do país ficou conhecida como "olho-de-boi", por seu desenho oval. Foram emitidos selos de: 30, 60 e 90 réis e circularam entre 1943 e 1944. Nenhuma beleza aparente, mas valioso nos dias de hoje.

Em 1852 foi a vez de Portugal. O sistema ganhou adeptos e uma comissão portuguesa presidida por Pinto de Magalhães propôs ao governo do Duque de Saldanha a adoção do sistema inglês. Em 27 de Outubro do mesmo ano, o correspondente Decreto governamental foi assinado pela Rainha D. Maria II.

Os primeiros selos portugueses tiveram a esfinge da sua Rainha D. Maria II, tal como os primeiros selos britânicos tinham a imagem da Rainha Vitória. O próprio D. Fernando II, que era desenhista, envolveu-se no desenho da estampilha. O sistema entrou em vigor a 1º de Julho de 1853, com selos de 5 e 25 réis - ambos com a esfinge da Rainha. Os Correios portugueses tinham dado o passo mais importante de toda a sua história.

No Brasil, além do selo postal, outra modalidade de selo foi adotada durante muito tempo por órgãos do governo para garantir a validade de documentos e a quitação de tributos federais estaduais e municipais. Certidões de nascimento e casamento, livros de Imposto de consumo (atual IPI) e vendas e consignações (atual ICMS), dentre outros.

Hoje, voltou a ser utilizado por órgãos públicos, desta vez no Poder Judiciário onde todo e qualquer documento emitido, somente será válido, mediante a aposição do respectivo selo. Existe um selo para cada tipo de serviço executado pelos tabeliães. Cores e valores diferentes.

Entretanto, e é importante destacar que na antiguidade, o selo para garantir a autenticidade de documentos e ordens expressas, já era utilizado há mais de 3.000 anos, de forma personalizada.

Nos anais da história, encontramos muito essas ocorrencias. Os Reis possuíam um anel com o qual carimbavam e validavam os decretos reais, e outros documentos de interesse público, e que às vezes eram enviados aos confins dos seus reinos.
20/11/2009

O MEIO AMBIENTE DE TODOS NÓS - Por: Djacyr Souza

Vivemos épocas de dilemas, discussões e conclusões diversas sobre o futuro do planeta em meio a profecias, teorias e diversas concepções que envolvem antes de tudo um temor generalizado pelo fim do mundo e dos recursos que precisamos na vida econômica e no processo de garantia de sobrevivência das sociedades. A grande questão do momento gira em torno de como podemos mudar a concepção de riqueza hoje presente nos vários setores da sociedade moderna. A questão maior é como podemos criar alternativas a ciclo crescente de produção e de aproveitamento dos recursos sem liquidar com os elementos naturais e provocar o caos ecológico. No meio dessas discussões tem surgido de forma crescente idéias que conduzem a um novo modelo de desenvolvimento que não seja predatório e que procure desenvolver um ciclo de respeito ao ambiente e à dinâmica da natureza.

São várias as alternativas a uma nova lógica de comportamento dos seres humanos em relação ao ambiente , pois precisamos questionar de forma veemente o consumismo desenfreado e buscar um novo modelo de aproveitamento dos recursos naturais que sejam certamente adequados a um processo de redução das agressões ambientais e ao ritmo desenfreado de aproveitamento da natureza. É urgente que sejamos cidadãos responsáveis por um mundo melhor e mais adequado a vida dos seres que povoam o planeta. É urgente mudar comportamentos e desenvolver medidas educacionais em todos os setores da sociedade que façam com que possamos conviver harmonicamente com os componentes dos diversos ecossistemas.

O mundo capitalista moderno tem se caracterizado como extremamente predador e gerador de degradação aos biomas e aos seres neles encontrados. A lógica do lucro hoje predominante em nossa sociedade atinge com voracidade nosso ambiente e deixa um rastro de destruição e reflexos que influem consideravelmente na qualidade de vida dos habitantes do planeta e tem causado grandes preocupações para os indivíduos quanto a problemas de saúde, ar , poluição de todos os níveis e processos intermináveis de dilemas que podem promover o próprio questionamento ao modelo de economia hoje predominante na sociedade moderna. É urgente que criemos alternativas a um processo de desenvolvimento que seja criador de oportunidades iguais para todos e que gere menos lixo, menos degradação e menores problemas ambientais. Nos dias de hoje o debate ecológico é vital em todos os setores da sociedade para que possamos escolhe um modelo alternativo de desenvolvimento econômico que procure gerar oportunidades de crescimento igualitário dos benefícios gerados pela tecnologia e que estejam afinados com o processo de melhoria da vida de todos os seres que habitam nosso planeta.

A visão ambiental é uma tarefa que precisa ser desenvolvida em todos os grupos sociais para permitir uma visão de mundo que dê aos indivíduos a certeza de que teremos um mundo melhor e mais justo para todos. É cada vez mais importante que nossa sociedade apóie e desenvolve iniciativas de processos educacionais para um novo modelo de vida que reduza o desperdício, questione a descartabilidade , promova ações ambientais e seja um criador de novas visões de mundo onde o meio ambiente faça parte de todas ações no setor público e privado. A Educação Ambiental deve ser incentivada em todos os patamares da sociedade e deve promover atitudes ambientalmente corretas para o bem do mundo e dos seres que nele vivem. A hora é agora! não podemos deixar nosso planeta à mercê dos interesses meramente econômicos, pois dinheiro não compra a felicidade ambiental que só será alcançada se soubermos cuidar do planeta e das pessoas que nele vivem.

Por: Djacyr Souza

Overdoze de espetáculos encerra a 11ª Mostra SESC Cariri de Cultura

XI mostra SESC


Nota do Editor: Overdoze - 50 Atrações em 12 horas.

O evento, iniciado no último dia 13, termina hoje, com apresentações durante o dia inteiro, seguindo a noite com cerca de 50 espetáculos no SESC Crato, até o raiar do dia.

Um dia e uma noite inteira de espetáculos fecha hoje a 11ª Mostra SESC Cariri de Cultura, na região. Até o dia 26, acontece em Fortaleza. Iniciada no último dia 13, o evento tem movimentado o Cariri com a presença de mais de 600 artistas da Região, do Brasil e mais 10 países, transformando as cidades pólo dos espetáculos (Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha e Nova Olinda), além do Circuito Patativa do Assaré, que inclui apresentações em praticamente todo o Cariri, num grande palco.

São cerca de 50 atrações em vários pontos somente na noite de hoje. O Overdoze, um dos grandes momentos da Mostra, reserva espetáculos nacionais e internacionais das 18 horas de hoje até às 6 da manhã. As apresentações acontecem no SESC Crato. Será aberto com o espetáculo Renovação, às 18 horas. Também poderão ser vistos espetáculos do Rio de Janeiro, como Anticlássico, Toska pra Ppurdia, Roliude, Filme Noir e Troupp Pas D’argent, além do Brasov; de São Paulo, Mamelo Sound System, Companhia Balé e o Santo Guerreiro e Herói Desajustado, da Cia São Jorge, e também a Performance do Vento Forte. Da Bahia, Erê o Eterno Retorno, Nhô Guimarães, e grupos do Ceará, Minas Gerais e os espetáculos internacionais da Finlândia, Uruguai e Espanha.

As apresentações ocorrem no Teatro, Galpão, Rua, Palco Rua, Piscina, Estacionamento, Quadra, Taberrna, Tatame, Hall, Sala de Ginástica, Casa do Vizinho, Anfiteatro, Biblioteca Infantil e Sala de Ginástica. Uma verdadeira turnê de encantamento pelas artes dramáticas, com diversas performances. Um momento de êxtase do público (Cariri e turistas de outros estados), que vive uma das atrações mais esperadas do evento, fechando com maestria os 11 anos de Mostra SESC no Cariri.

As apresentações nas cidades pólo continuam o dia todo. Em Crato, no Teatro Municipal, às 9 horas acontece o espetáculo infantil João e o Pé de Feijão, da Turma do Papum, de Florianópolis. Na Tenda Literária, na praça da Sé, a performance poética, com intervenções performáticas de música e poesia. Nas ações formativas, O Trabalho do Ator e 11 Pontos de Vista, além do Overdoze, seguindo pela madrugada até o raiar do dia. Às 10 horas, no Memorial Padre Cícero, será apresentado o espetáculo Maria Eugênia, com a Cia do Gesso, do Rio de Janeiro. Dentro das ações formativas, o Cinema de Animação, com Fernando dos Santos, no SESC – Juazeiro e Mostra de Vídeo do Brasil, no Cariri Shopping, Revista Eletrônica e Animação Exposta.

Em Nova Olinda, às 8 horas será apresentada a peça O Marajá e o Sonhador, com Os Buruti, de Brasília. Nas Artes Visuais, a Exposição Pina Bausch. A Mostra segue com vários espetáculos até o dia 26, mas em Fortaleza, onde a Aldeia prolonga a Mostra SESC Cariri de Cultura na capital cearense, tendo como uma das grandes atrações o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, no SESC São Luiz, no dia 26, às 20 horas, com aula espetáculo.

Contato:
AC Comunicação
(88) 88140372
Ana Caracas

Texto enviado por Elizângela Santos

A GUERRILHA DO ATO DRAMÁTICO CARIRIENSE - Cronica de Olival Honor



É
a seguinte a apresentação da iniciativa de nossos artistas, que transcrevo ipsis literis: “Grupos de resistência realizam a mais audaciosa operação de defesa das artes cênicas do Cariri cearense. Os guerrilheiros reúnem dezesseis espetáculos de teatro e dança, demonstrando enorme poder artístico e já conquistaram a simpatia de amplas massas populares. Durante o movimento, as companhias serão premiadas com o Troféu Juscelino Leal Lobo Júnior.”

Ao tentar resumir nesta crônica a grandiosidade e o significado desse movimento cultural de silencioso e já vitorioso protesto, quero iniciar com os seguintes destaques, cujas meritórias atuações foram decisivas para a concretização do movimento:

DIVANI CABRAL, mentora e diretora maior do Teatro Raquel de Queiroz, de cuja inauguração tive a honra de participar, como ator nos ensaios da peça “A Raposa e as Uvas”, do escritor Guilherme de Figueiredo. Divane dispensa apresentação, componente ilustre de famosa família de nossa terra, conhecida e admirada por todos os cratenses, que muito lhes devem na difusão da arte musical e de nossa cultura em geral. Ela concedeu gratuitamente aos guerrilheiros as trincheiras do Teatro Raquel de Queiroz, para que lhes servissem de anfiteatro durante a grande batalha.

CACÁ ARAÚJO, intelectual, autor, diretor e ator teatral, ao lado de Orleina Moura, Flávio Rocha (Tio Flavinho) e o Tio Bibi, entre outros cangaceiros e guerrilheiros famosos nas batalhas da guerra santa das artes, todos também conhecidos e muito amados pelo imenso público que tem esgotado os ingressos para participar das batalhas, superlotando suas galerias. Para se ter uma idéia, a apresentação da peça “A Comédia da Maldição”, de Cacá, teve de ser reapresentada ontem mesmo, tal o número de pessoas querendo assistir.

Resta apenas dizer o porquê de tudo isso: discriminação na seleção dos grupos para o festival do SESC, que excluiu os nossos de suas exibições, provocando a guerrilha de protesto. Bendita guerrilha!

Fazemos um apelo ao seu Comando para que, além de “Os Três Porquinhos” e “O Pecado de Clara Menina”, seja reprisada também a peça “Fogo Fátuo”, encenada com enorme sucesso, no último sábado, pela Companhia Teatral Anjos da Alegria.

Olival Honor - Via Luis Benui

Ministro diz que aumento da autoestima dos negros foi maior conquista na gestão de Lula

Em seus seis anos de existência, o principal avanço conquistado pela Seppir (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), pasta com status de ministério criada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no início de seu primeiro mandato, foi, na opinião do ministro Edson Santos, aumentar a autoestima do negro. A principal conquista da secretaria é o ambiente criado no Brasil que possibilitou o aumento da autoestima do negro. Hoje, segundo o Pnad [Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, do IBGE], 50,6% da população brasileira se declara negra, uma regulação da questão da identidade. Segundo Santos, a principal ação atualmente em andamento na secretaria é o programa de assistência a comunidades quilombolas, que inclui regularização fundiária, educação, saúde, saneamento básico e moradia.

- Conseguimos uma agenda para a consolidação da ação afirmativa dos negros.

O ministro destaca que o ministério já tem, até 2011, uma verba de R$ 2 bilhões liberados para utilizar na implementação desse programa e de outras ações da pasta. Nesta sexta-feira (20), em cerimônia com a participação de Santos em Salvador, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assina 30 decretos para a regularização de comunidades quilombolas em 14 Estados, beneficiando quase 4.000 famílias. Santos destaca, entretanto, que ainda há um “longo caminho a ser percorrido”.

- Ainda falta muito. Outras 1.342 comunidades já foram certificadas [o primeiro passo para a regularização] e precisam passar pelo resto do processo. É uma demanda que não se esgota no governo Lula.

Fonte: R7

BID aprova empréstimo de US$ 3 bilhões para financiar pequenas empresas brasileiras


Brasília - A diretoria do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou ontem (19) a criação de uma linha de crédito de US$ 3 bilhões para financiar as micro, pequenas e médias empresas brasileiras. A operação será feita em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que entrará com uma contrapartida no mesmo valor. O anúncio da linha de crédito foi divulgado no endereço eletrônico do BID, com a informação adicional de que hoje mesmo foi liberada a primeira parte dos recursos, no valor de US$ 1 bilhão. Nada foi divulgado quanto à liberação dos US$ 2 bilhões restantes. Sabe-se apenas que deve ocorrer em duas etapas de igual valor. O comunicado do BID diz que a linha de crédito condicional tem prazo de 20 anos, com carência de quatro anos e correção pela Libor (taxa de juros inglesa), e se destina, exclusivamente, a assegurar os recursos de médio e longo prazos para financiar os projetos de investimento destinados a expandir, modernizar e diversificar a produção de pequenas e médias empresas.

De acordo com o BID, as microempresas podem contratar empréstimos de até US$ 200 mil, enquanto as pequenas empresas podem negociar o máximo de US$ 850 mil e as firmas de porte médio têm opção de financiar até US$ 3 milhões.

Fonte: Agência Brasil

Lula diz que oposição está com falta de assunto para discutir com governo


'Eles estão com um problemaço' para encontrar assunto, disse. Presidente disse ainda que é preciso 'aliar sorte com competência'.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva da Silva disse nesta quinta-feira (19) que a oposição está tendo dificuldades em debater com o governo diante das obras e investimentos realizados nos últimos anos. Lula passou o dia no Rio Grande do Norte, onde participou da cerimônia de assinatura de acordo para a ampliação da Refinaria Clara Camarão, em Guamaré (RN). "A mim pouco importa aquilo que alguns adversários dizem sobre o que estamos fazendo. Adversário é exatamente para isso. Se não fosse assim, não seria adversário. Eles estão com um problemaço porque vão ter que encontrar um assunto para discutir conosco”, disse o presidente, segundo a Agência Brasil. Lula desafiou a oposição a mostrar números que desbanquem os feitos do governo. “O que vou dizer vale para o Rio Grande do Norte, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul, para qualquer estado: duvido que todos eles juntos, nos últimos 20 anos, tenham feito os investimentos que nós fizemos. Falo sem medo de errar".

O presidente criticou ainda os que afirmam que a descoberta do petróleo na camada pré-sal foi sorte do governo. "A hipocrisia chega a tal ponto que as pessoas vão achando que descobrimos o pré-sal por sorte. O homem chegou lua por sorte, o homem descobriu o avião por sorte, a febre amarela foi controlada por sorte, a vacina contra o tifo foi por sorte". Segundo Lula, o importante é "aliar sorte com competência e um pouco de decisão política". Ele exemplificou dizendo que o pré-sal não teria sido encontrado se o Brasil não tivesse investido em pesquisa.

Fonte: G1

Menino ou Menina?


Existe uma procura ligeiramente maior para a adoção de meninas que de meninos. Se a gente for verificar o perfil pretendido, vai ver que a grande maioria das pessoas prefere meninas. Isso tem uma explicação muito simples, a crença de que meninas são mais amorosas, mais calmas e mais companheiras. Mas eu, como mães de meninos, ouso discordar. Descontando o fato real de que meninos não gozam do privilégio de terem vitrines inteiras de roupas e sapatos, são uns doces... e só mesmo os discrimina quem não os tem por perto!
Sou apaixonada por este texto, que em minha opinião, retrata com perfeição estas criaturas...
"O que é um menino?" João José Marell
Entre a inocência da infância e a compostura da maturidade, há uma deliciosa criatura chamada menino. Embora se apresentem em tamanhos, pesos e cores sortidas, todos os meninos têm o mesmo credo: aproveitar cada segundo de cada minuto de todas as horas de todos os dias e protestar ruidosamente (o barulho é sua única arma) quando seu último minuto é decretado e os adultos os empacotam e os metem na cama.Meninos são encontrados em todas as partes: em cima de, embaixo de, dentro de, subindo em, balançando-se no, correndo em volta de, pulando para. As mães os adoram, as meninas os odeiam, irmãos e irmãs mais velhos os suportam, adultos os ignoram, o céu os protege.Um menino é a verdade com rosto sujo, a beleza com um corte no dedo, a sabedoria com um chiclete no cabelo… Quando você está ocupado, um menino é uma conversa-fiada, intrometido e amolante. Quando você deseja que ele cause boa impressão, seu cérebro vira geléia ou ele se transforma em uma criatura empenhada em desmontar o mundo .Um menino é híbrido: o apetite de um cavalo, a disposição de um Engole-espadas, a energia de uma bomba atômica de bolso, a curiosidade de um gato, os pulmões de um ditador, a imaginação de Júlio Verne, o entusiasmo de um bombeiro e, quando se mete a fazer alguma coisa, é como se tivesse cinco polegares em cada mão. Gosta de sorvetes, canivetes, serrotes, pedaços de pau (em seu habitat natural), bichos grandes, papai, sábados, domingos e feriados, mangueiras de água. Não é partidário de catecismo, escolas, livros sem figuras, lições de música, colarinhos, barbeiros, meninas, agasalhos, adultos e “hora de dormir”. Ninguém mais é capaz de meter num único bolso um canivete enferrujado, uma maçã comida pela metade, um metro e meio de barbante, um saco de matéria plástica, três notas de dinheiro, um estilingue e um fragmento de “substância ignorada”.Um menino é uma criatura mágica: você pode mantê-lo fora do seu escritório, mas não pode expulsá-lo de seu coração. Queira ou não, ele é seu raptor, seu carcereiro, seu dono, seu patrão – um sarapintado, um nanico, um pacote de encrencas. Mas, quando à noite você chega em casa, com suas esperanças e seus sonhos reduzidos a pedaços, ele possui a magia de soldá-los num segundo pronunciando apenas: Mamãe!…Papai!

CRATO - Histórias e Estórias do Crato de Antigamente - Por: Ivens Mourão

A FARINHA

José Teunas Soares foi um dos grandes empreendedores do Crato. Tinha um comércio de atacado de grãos e amealhou uma boa fortuna, possibilitando atuar na área financeira como sócio em Banco Regional. O Sr. Teunas fazia questão de alimentar a idéia de que estava sempre em dificuldades financeiras, criando a fama de avarento, ou seja, popularmente conhecido como “mão fechada”. Mas tudo não passava de uma estratégia, uma forma de exteriorizar o seu senso de humor fino. E com isso, foi criando esta fama. Ele e sua esposa, Dona Iolanda, eram grandes amigos dos meus pais. E nós amigos dos filhos deles, principalmente do Melchior. No entanto, quando precisava gastar, não fazia economia. Quando um dos filhos passou por um aperto financeiro, o Sr. Teunas pagou todas as dívidas dele. A Dona Iolanda comentou com minha mãe:

- “Mas Giseuda, eu não sabia que o Teunas era tão rico!”


Em certa ocasião ele estava vindo de Araripina/PE, para o Crato, em um caminhão de boléia aberta, trazendo uma carrada de farinha. O caminhão estava descendo a serra e sobrou numa curva, tombando. O braço direito dele ficou preso debaixo da carroceria, chegando a quebrar. Lembro-me bem de vê-lo com o braço engessado. O motorista se apressou em socorrê-lo. Mas ele, debaixo do caminhão, com uma voz meio espremida, disse:

- “Salve primeiro a minha farinha”.


AS MÃOZINHAS

O Melchior, filho do Sr. Teunas é quase da mesma idade do meu irmão mais velho, o Raimundo. Gostavam muito de jogar futebol num terreno ao lado do armazém do pai. Conta que o Raimundo, a quem ele chamava de Perácio, quando estava perdendo, acabava o jogo. Como dono da bola, botava-a debaixo do braço e ia embora. Quando saí do Crato (1955) perdi o contato com o Melchior. Somente anos depois, na década de setenta, quando já estávamos formados, voltamos a nos encontrar. Ele Diretor da Ceasa/CE e eu engenheiro da Cobal, com a missão de construir Centrais de Abastecimento pelo Brasil afora. Passamos a nos rever periodicamente, nos seminários sobre Ceasas. Sempre recordávamos os jogos de “ping-pong”, na mesa de almoço da minha casa que era em forma de elipse. Ainda hoje, quando vejo esses jogadores de tênis de mesa profissionais, sempre comento: queria ver era jogar naquela mesa “redonda” lá de casa e fazer ponto com “casquinhas” sensacionais, no cantinho da rede.

Interessante que, no primeiro seminário sobre Ceasa de que participei com o Melchior, percebi que todos os técnicos do país já o conheciam como “mão fechada”, ou seja, econômico, tanto com o dinheiro próprio como o da Ceasa (nesse particular, louvável). Ele não oferecia café. Era sempre um chazinho de ‘capim santo’, que a copeira colhia nos terrenos baldios da Ceasa. Também não ligava de Fortaleza para Brasília. Esperava que alguém ligasse e pedia para transferir a ligação para outro ramal. E assim ele falava com dez pessoas, com custo zero para sua Ceasa. Sempre tinha no bolso uma nota de maior valor. Aprendeu com outro colega nosso, Gilberto Gatti, que tinha a fama de não pagar nada. Hoje seria uma nota de cem reais. Com essa estratégia se livrava de pagar pequenas despesas, como cafezinho ou refrigerantes, alegando que não tinha ‘trocado’.
Um dia fui com o Melchior visitar os pais dele. O reencontro foi uma alegria. A Dona Iolanda, sempre muito gentil, me ofereceu doce:

- “Roberto você quer doce de banana em calda, doce de buriti, doce de leite, doce de goiaba, doce de caju, qual é o que você prefere?”


Antes que eu respondesse, o Sr. Teunas interveio, rindo, e disse:
- “Tá vendo, Roberto, é por isso que eu não sou rico. Com uma mulher perdulária dessa. Veja só a quantidade de doces que ela faz...”
Comecei a contar da fama de avarento do Melchior, junto aos técnicos de Ceasas do Brasil. Sr. Teunas, então, me pegou pelo braço e disse:
- “Roberto, vou lhe contar um segredo”.
Mostrou as duas mãos fechadas e continuou.
- O Melchior, quando nasceu, já veio com as mãozinhas bem fechadinhas.”.

Quatro cearenses, sendo três do Crato no XI Congresso Internacional de Mercados Atacadistas, em fevereiro de 1979, em São Paulo. Da esquerda para a direita: eu (recém saído da Ceasa/RS), meu irmão Raimundo (Diretor da Ceasa/PI), Ciano Ribeiro da Cunha (Diretor da Ceasa/SE) e José Melchior Soares (Diretor da Ceasa/CE)


A REVOLTA

O Colégio Diocesano do Crato tinha alguns aparelhos para as aulas de Educação Física. Alías, eram um martírio as tais aulas. Após os exercícios, tínhamos que tomar banho com água gelada. Na época fria, então... Um destes aparelhos eram duas barras de ferro colocadas na vertical, com uns 4 metros de altura. Ficavam em frente à sala do Admissão. Nessa sala estudava-se durante um ano para fazer uma prova de “Admissão ao Ginásio”. Era uma espécie de vestibular. Para se passar para o ginasial, tinha-se que se submeter a essa prova.

O exercício, nessas barras, era subir até o topo usando a força dos braços e apoiando-se como as pernas entrelaçadas na barra. O Melchior estava tentando subir e o meu tio Galba, alertando-o do perigo de cair. E, de fato, o Melchior se despencou lá de cima e “se estatelou” no chão. Ficou sem fala e foi carregado para a Secretaria. No meio do ajuntamento de alunos curiosos, um disse:

- Eita morreu um aluno! Oba, três dias de feriado!!!


O Melchior, revoltado com aquele comentário e sem poder falar, apenas levantou o braço em meio àquela multidão de cabeças e manteve um longo e demorado COTOCO...

O RATO

O Dr. Tadeu de Paula Brito, médico, além de companheiro no Rotary era muito amigo do meu pai. Morava quase vizinho a nós, na Nelson de Alencar. Ele e sua esposa, Dona Zenilda, eram presenças constantes na “roda de cadeiras” na calçada da nossa casa. Ele sempre animava as conversas, pois era muito espirituoso e contador de piadas. O casal não tinha filhos, mas criava dois sobrinhos, o Pedro Celso e o William, meus amigos e companheiros dos jogos de futebol com bolas de “meia” ou de “borracha”, nas calçadas da rua. O Dr. Tadeu fez o seu curso secundário no Colégio Diocesano do Crato, na época Gymnasio do Crato, como interno, e aprontou poucas e boas. Certa ocasião, revoltado com uma cobrança do Ginásio, que considerava indevida, resolveu se vingar. Comprou uma folha inteira de papel para embrulho, que tinha nas bodegas e, munido de uma lata com grude subiu, na madrugada, ao telhado do Colégio. Pregou, com muita dificuldade, a folha sobre a letra “C” de Crato, amanhecendo o educandário com um novo nome: “Gymnasio do Rato”, como podemos ver na foto a seguir.
Eu e o meu irmão Marcelo com os nossos amigos William e Pedro Celso em um dos brinquedos – de madeira – do Crato Tênis Clube.


Vista da entrada do Colégio Diocesano como era quando iniciei meus estudos, em 1949. Esta foto deve ser da década de 30 quando só existia o Ginasial e a reforma ortográfica ainda não havia ocorrido.


À esquerda o Dr. Tadeu. À direita, a Dona Zenilda com a minha mãe.

O COOPER

No começo da década de setenta estava projetando, calculando e construindo residências em Crato e Juazeiro do Norte. Num final de tarde estava conversando com dois clientes. Um médico, para quem estava projetando a sua residência, e um industrial que me contratou para reformular o projeto da sua indústria (sandálias japonesas), visando obter um financiamento da Sudene.

Na época, estava em voga a prática do Cooper, principalmente pelo fato da seleção brasileira de 70 ter utilizado na sua preparação física. Os preparadores eram dois militares: Cláudio Coutinho e Parreira.
Os meus clientes eram praticantes e estavam a contar as suas façanhas em números. Neste momento chega um terceiro, amigo dos dois. Então, tentam convencê-lo a ser um adepto da prática do Cooper. E ele sempre recusando. Até que ele perguntou:

- A que horas mesmo vocês vão para este negócio?
- Às cinco e meia da manhã!
- Ah, a esta hora a minha mulher não me deixa sair de casa.
E os dois em uníssono:
- Mas por quê?
Ele foi taxativo, anulando qualquer outro argumento:
- Esta é a hora do tesão do mijo!!! Temos que aproveitar!!!!

Fonte: Livro "Só no Crato" de Ivens Mourão - Direitos de Publicação concedidos ao Blog do Crato pelo autor - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Publicidade: CRAJUBATUR - Levando você onde o sonho pode chegar !


As Férias vêm aí...

Programa-se para as férias! A Crajubatur leva você onde o sonho pode chegar !

Miami ( USA )

Miami

Oslo ( Noruega )

OsloSnow-1

Londres ( Inglaterra )

Londres_para_Turistas

CRAJUBATUR - Venda de passagens aéreas. No Shopping RESIDENCE, Loja 9B. Crato - CE.

crajubatur



DSC03853



Dsc03972


Shopping Residence - Loja 9B - Crato - CE
Patrocinador oficial do Blog do Crato

Os vários Cratos!

Materia vinculada pela TV Verde Vale, mostra o outro Crato, que poucos conhecem!

Nesta época natalina é interessante que olhemos um pouco para este povo sofrido, não devemos ficar esperando por ações só do poder público, quem têm fome têm pressa!

Colômbia acusa Venezuela de explodir duas pontes na fronteira

Nota do Editor: Vamos ter Guerra na América Latina ?

Em meio à crescente tensão diplomática entre Colômbia e Venezuela, o governo de Bogotá acusou nesta quinta-feira militares venezuelanos de dinamitarem duas pontes na fronteira entre os dois países. O ministro da Defesa da Colômbia, Gabriel Silva, disse que um grupo de militares venezuelanos explodiu as pontes para pedestres do município de Ragonvalia, no departamento (Estado) de Norte de Santander, ação que teria deixado "isolados" os moradores da região. "Uniformizados que chegaram em caminhonetes do lado venezuelano, aparentemente pertencentes ao Exército da Venezuela, localizaram duas pontes de pedestre comunitárias que unem as comunidades dos dois lados [...] e dinamitaram as pontes do lado venezuelano", afirmou Silva a jornalistas em Bogotá.

"Essa ação representa uma violação à lei internacional, à lei humanitária, é uma agressão contra os civis", acrescentou. O incidente ainda não foi confirmado pelo governo venezuelano. A BBC Brasil procurou os ministérios de Defesa e de Relações Exteriores da Venezuela mas ainda não obteve resposta.

"Desgraçado"

A tensão entre os dois países vem aumentando desde que a Colômbia anunciou um acordo militar com os Estados Unidos que permitirá a militares americanos acesso a sete bases militares em território colombiano. Para o governo de Hugo Chávez, o acordo desestabiliza a região e é parte de um "plano de guerra" contra a Venezuela. Há duas semanas, Chávez ordenou que militares e civis se preparassem "para a guerra para garantir a paz". Essas declarações foram interpretadas pelo governo de Álvaro Uribe como uma "ameaça de guerra", o que levou Bogotá a apresentar uma reclamação contra a Venezuela na OEA (Organização de Estados Americanos) e na ONU (Organização das Nações Unidas). A última troca de farpas entre os dois governos ocorreu na quarta-feira (18), quando Chávez chamou o presidente colombiano, Álvaro Uribe, e o chanceler colombiano, Jaime Bermúdez, de "desgraçados" devido a críticas à Unasul (União de Nações Sul-Americanas). Bermúdez criticou a organização por não ter condenado as declarações de Chávez pedindo que o seu país se preparasse para um conflito.

"Saiu o chanceler da Colômbia dizendo que a Venezuela fala de guerra. Não lhes digo o que me provocava porque estamos no ar. [Mas] vou te dizer, desgraçado, como desgraçado é seu presidente, e desgraçaram a Colômbia!", disse Chávez, durante um ato político transmitido pela TV estatal venezuelana.

Fonte: BBC Brasil

Eu prefiro a Polêmica ao Marasmo ! - Por: Dihelson Mendonça


Tem gente que entra pra reclamar do Blog, depois some. Ultimamente estávamos recebendo críticas sobre os debates e embates políticos aqui no Blog do Crato. Depois destas reclamações, resolvi de certo modo, intervir na quantidade delas. Só que o que temos agora: MARASMO.

Há uns 5 dias, estamos sem postagem alguma de Zé Nilton Mariano, Armando Rafael, Zé Sales, Vicente Almeida, Morais...e por aí vai. Apenas Eu e mais uns poucos temos mantido o Blog ( como sempre, recai nas minhas costas ), enquanto os que reclamam, nada escrevem. Um ditado muito correto que li outro dia diz o seguinte:

"Quem não quer ajudar, não tem o direito de reclamar"

Essas pessoas reclamaram, e pela minha experiência, eu sei logo que elas não querem ajudar. Não vejo artigos sobre outros assuntos chegando ao Blog. O que eu vejo é uma pausa longa demais, a falta daquele entusiasmo característico que tínhamos aqui, daquele "companheirismo de discussões" acaloradas.

Portanto, Senhores reclamadores, depois de tirar a alegria do nosso Blog, o que pretendem fazer ? É bem verdade que quem vai pela cabeça dos outros, é Piolho. E sempre que eu sigo os palpites daqueles que não ajudam em nada, apenas reclamam, dá nisso.

Solicito que se aprensente enfileirados ao nosso Pelotão de debatedores:

José Nilton Mariano
José Sales
Armando Rafael
Carlos Rafael
Océlio Teixeira
Antonio Morais
Elmano Rodrigues
Alessandra Bandeira
Vicente Almeida

Temos muito MARASMO para acabar aqui no Blog do Crato!

Dihelson Mendonça

Mundim do Sapo - Por Antonio Enio Meneses.


Raimundo Alves de Meneses, Mundim do Sapo, fez uma viagem a Fortaleza e quando passava pela Praça do Ferreira um camelô vendo o jeitão de matuto disse: vou pegar aquele besta. Aproximou-se do Mundim e puxou conversa. Mundim prestava atenção mais por educação do que por outro interesse. O sujeito passou a oferecer uns produtos á venda. Cinto, alpargata, anel e um relógio dourado aparentando ser de ouro.

Depois de muita saliva Mundim disse: meu amigo, comprar eu não compro, porque não tenho dinheiro. O máximo que pode dar é uma troca. O camarada animou-se, como quem diz é agora que aprumo este égua. E o senhor propõe uma troca em que? Mundim olhou bem nos olhos do sujeito e disse: Eu troco num couro de uma novilha que morreu de tingui na minha fazenda em Aiuaba. O caboclo não poupou Mundim de desaforos e nomes feios enquanto ele morria de dar risadas.

Postado por A.Morais no Blog do Sanharol

Sentindo um pouquinho do clima da Mostra Sesc ! - Por: Janinha









Fonte: "Cultura no Cariri" de janinha

Novo presidente da OAB-CE será escolhido hoje

Hoje, a Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Ceará (OAB-CE), realiza eleição para a escolha do novo presidente do órgão. Advogados regularmente inscritos na OAB em dia com as contribuições poderão votar em três candidatos. São eles, o ex-presidente da Associação dos Jovens Advogados (AJA) e atual conselheiro Edson Santana, o tesoureiro da Ordem, Erinaldo Dantas Filho, e o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados (Caace), Valdetário Andrade Monteiro. Em Sobral a disputa será entre os advogados José inácio e Jeferson Aragão.

Além disso, haverá escolha dos Conselheiros Seccionais Titulares, dentre eles um presidente, um vice-presidente, secretário geral, secretário geral adjunto e o tesoureiro; membros da Diretoria do Conselho Seccional; Conselheiros Federais Titulares da Delegação do Ceará; cargos da diretoria da Caixa de Assistência dos Advogados do Ceará; além dos membros da diretoria das Subsecções.

Quanto ao processo do pleito, o atual presidente da OAB-CE, Hélio Leitão, acredita que tudo vai transcorrer na mais absoluta tranquilidade, como vem ocorrendo até agora. A eleição será realizada hoje, das 8 às 16 horas no Clube Náutico Atlético Cearense, em Fortaleza, e nas subseções de Aracati, Crateús, Crato, Iguatu, Itapipoca, Juazeiro do Norte, Limoeiro do Norte, Quixadá e Sobral.

Fonte: DN

Notícias do Crato para o Dia 20 de Novembro de 2009





Prefeito do Crato, Samuel Araripe, consegue 500 vagas para o PROJOVEM TRABALHADOR em Brasília

O Prefeito do Crato Samuel Vilar de Alencar Araripe, reuniu-se na manhã de ontem, quinta-feira, em Brasília com o ministro do Trabalho Carlos Luppi, onde assinou um convênio entre PROJOVEM TRABALHADOR e o Governo do Crato. A audiência consolida a conquista de um número maior de bolsas, que passou de 125 para 500 vagas, com bolsas de R$100.00 ( Cem Reais ) para os participantes, durante 6 meses. O programa irá atingir uma faixa etária de 18 a 29 anos.

Centros de Referencia em Assistência Social do Crato promovem melhorias na qualidade de vida da comunidade

O Governo Municipal em parceria com a Secretaria de Ação Social juntamente com o Centro de Referencia em Assistência Social- CRAS da Vila Alta convidam as crianças da oficina Sócio-educativa para o encontro do grupo de crianças hoje às 14 horas no referido CRAS. O Centro de Referencia em Assistência Social- CRAS Muriti , realiza amanhã, sábado dia 21 de 9:30 às 11 horas um encontro entre os alunos da oficina de capoeira e os mestres da associação "CAPOEIRA DA LIBERDADE".

No domingo será realizada uma apresentação dos alunos da capoeira no Cine Teatro Salviano Arraes Saraiva às 13 horas. O CRAS do Murití, informa a todos , que desde o ultimo dia 11, está acontecendo um treinamento das 17 as 20 horas para os participantes da Unidade Produtiva"LIMP TOTAL". Os CRAS do município do Crato vêm desenvolvendo um trabalho constante na qualidade de vida da família de uma forma geral. Crianças, velhos, idosos, todos podem participar ativamente de atividades, oficinas, capacitações e encontros como o realizado no ultimo dia 18, aconteceu o 4º encontro do grupo de gestantes na Escola Nazu Barreto, com as gestantes da comunidade Vila Alta. A Secretaria de Ação Social do Crato procura estar sempre atenta no que diz respeito a melhores condições de vida e inclusão social para os seus munícipes.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Governo Municipal do Crato
Fone/Fax - (88) 3521.7069
Mais informações:

http://www.crato.ce.gov.br
http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com

QUE COR É A SUA CONSCIÊNCIA? - 20 DE NOVEMBRO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA.- Por César Mousinho


Esta data foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. Foi escolhida a data de 20 de novembro, pois foi neste dia,no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.

A homenagem a Zumbi foi mais do que justa, pois este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão, no período do Brasil Colonial.Ele morreu combatendo e defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam uma resistência ao sistema escravista e também uma forma coletiva de manutenção da cultura africana aqui no Brasil. ZUMBI lutou até a morte por esta cultura e pela liberdade do seu povo.A criação desta data foi importante, pois serve como um momento de conscientização e reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. Os negros africanos colaboraram muito, durante nossa história, nos aspectos políticos, sociais, gastronômicos e religiosos de nosso país.

É um dia que devemos comemorar nas escolas, nos espaços culturais e em outros locais, valorizando a cultura afro-brasileira, aqui em São Paulo, vamos assistir shows e debates no Ibirapuera e em vários pontos da cidade. Abolição da escravatura, de forma oficial, só veio em 1888. Porém, os negros sempre resistiram e lutaram contra a opressão e as injustiças advindas da escravidão. Vale dizer também que sempre ocorreu uma valorização dos personagens históricos de cor branca. Como se a história do Brasil tivesse sido construída somente pelos europeus e seus descendentes. Imperadores, navegadores, bandeirantes, líderes militares entre outros foram sempre considerados heróis nacionais. Agora temos a valorização de um líder negro em nossa história e, esperamos, que em breve outros personagens históricos de origem africana sejam valorizados por nosso povo e por nossa história. Passos importantes estão sendo tomados neste sentido, pois nas escolas brasileiras já é obrigatória a inclusão de disciplinas e conteúdos que visam estudar a história da África e a cultura afro-brasileira.

O nome Palmares foi dado pelos portugueses, devido ao grande número de palmeiras encontradas na região da Serra da Barriga, ao sul da capitania de Pernambuco, hoje estado de Alagoas. Os que lá viviam chamavam o quilombo de Angola Janga (Angola Pequena). Palmares constituiu-se como abrigo não só de negros, mas também de brancos pobres, índios e mestiços extorquidos pelo colonizador. Os quilombos, que na língua banto significam "povoação", funcionavam como núcleos habitacionais e comerciais, além de local de resistência à escravidão, já que abrigavam escravos fugidos de fazendas. No Brasil, o mais famoso deles foi Palmares.

O Quilombo dos Palmares existiu por um período de quase cem anos, entre 1600 e 1695. No Quilombo de Palmares (o maior em extensão), viviam cerca de vinte mil habitantes. Nos engenhos e senzalas, Palmares era parecido com a Terra Prometida, e Zumbi, era tido como eterno e imortal, e era reconhecido como um protetor leal e corajoso. Zumbi era um extraordinário e talentoso dirigente militar. Explorava com inteligência as peculiaridades da região. No Quilombo de Palmares plantavam-se frutas, milho, mandioca, feijão, cana, legumes, batatas. Em meados do século XVII, calculavam-se cerca de onze povoados.A capital,era Macaco, na Serra da Barriga.

Domingos Jorge Velho, um bandeirante paulista, vulto de triste lembrança da história do Brasil, foi atribuído a tarefa de destruir Palmares. Para o domínio colonial, aniquilar Palmares era mais que um imperativo atribuído, era uma questão de honra. Em 1694, com uma legião de 9.000 homens, armados com canhões, Domingos Jorge Velho começou a empreitada que levaria à derrota de Macaco, principal povoado de Palmares. Segundo Paiva de Oliveira, Zumbi foi localizado no dia 20 de novembro de 1695, vítima da traição de Antônio Soares. “O corpo perfurado por balas e punhaladas foi levado a Porto Calvo. A sua cabeça foi decepada e remetida para Recife onde, foi coberta por sal fino e espetada em um poste até ser consumida pelo tempo”.
O dia é celebrado desde a década de 1960, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos; até então, o movimento negro precisava se contentar com o dia 13 de Maio, Abolição da Escravatura – comemoração que tem sido rejeitada por enfatizar muitas vezes a "generosidade" da princesa Isabel, ou seja, ser uma celebração da atitude de uma branca

Ponto facultativo ou feriado mais de 700 municípios comemoram nesta sexta-feira o Dia da Consciência Negra. Homenageando ZUMBI DOS PALMARES, a mais significativa resistência negra a escravidão em nosso país. ZUMBI:“Deus da Guerra”, “Fantasma Imortal” ou Morto Vivo”.

São Paulo, 19/11/09 - João César Mousinho de Queiroz - Psicólogo Clínico forense
www.sosdrogasealcool.org

Embargados lixões no Cariri - Reportagem: Antonio Vicelmo


A Semace embargou matadouro e lixões em Brejo Santo e Missão Velha por falta de padrão exigido pelo órgão.

Missão Velha. A fiscalização do escritório regional da Superintendência do Meio Ambiente do Estado do Ceará (Semace) embargou o lixão e o matadouro público de Brejo Santo e o lixão de Missão Velha. Segundo laudo, os equipamentos não estavam dentro do padrão exigido pelo órgão ambiental. No caso do matadouro de Brejo Santo, segundo a Semace, estava funcionando sem licença. A fiscalização foi deslocada ontem para outros municípios do Cariri com a finalidade de dar continuidade às autuações. Apesar dos embargos, confirmados pelo gerente regional da Semace, João Josa, a coleta do lixo continua normalmente em Missão Velha. Na manhã de ontem, os quatro caminhões que recolhem o lixo da cidade estavam trabalhando. O lixo é despejado na Baixa da Quaresma, a cerca de 4km da cidade, onde é empurrado por um trator para um grotão. O motorista Cícero Lopes, que trabalha para a empresa que presta serviço à Prefeitura, disse que não recebeu informação sobre o embargo.

Na Prefeitura de Missão Velha, os funcionários desconhecem a proibição. O prefeito da cidade, Washington Fechine, que viajou para Brasília, também não tomou conhecimento do embargo. O responsável pelo setor de limpeza da Prefeitura, Ednaldo Ferreira, estranhou a medida tomada pela Semace. Ele explicou que a cidade está incluída entre os nove municípios do Cariri que farão parte do consórcio administrativo de futuro aterro sanitário que, até o momento, não foi construído pelo Governo do Estado.

O prefeito de Brejo Santo, Guilherme Lucena, e o secretário do Meio Ambiente, Rommel Rufino, não foram localizados na manhã de ontem pela reportagem, mas a notícia do embargo já chegou às ruas. As prefeituras notificadas pela Semace tem um prazo de cinco dias para apresentar defesa. Deve ser assinado Termo de Ajuste e Conduta, comprometendo-se a tomar as providências exigidas por Lei, enquadrando os lixões na legislação.

MAIS INFORMAÇÕES
Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace)
Rua Jaime Benévolo, 1400, Fortaleza
(85) 3101.5580

Antônio Vicelmo
Repórter do Jornal Diário do Nordeste

Colaborador do Blog do Crato e Jornal Chapada do Araripe

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30