xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 15/11/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

15 novembro 2009

Prepare a vela - O monstro do apagão - já deu sinal - Por: Luiz Domingos de Luna


Enquanto neste país não existir uma política de coragem, determinação, garra para: à frente de técnicos com competência específica na área, a resolver a problemática da infraestrutura;

Corremos o risco de continuar com os fachos na mão na procissão da estupidez, ignorância e, nas trevas de uma política que ceifará a luz, embrionalizada há várias décadas e, gastada, no presente e no futuro ?

A questão da infraestrutura brasileira, nunca foi tratada com seriedade neste país, pois, sempre faltou uma política de longo prazo de planejamento da Infraestrutura, com determinação, tenacidade e gerenciada por pessoas com conhecimento específico na área, por outro lado, quando se trata da energia elétrica, as usinas que fornecem para o Brasil, são, na sua grande maioria em capacidade de abastecimento, hidroelétricas, portando dependendo sempre da água que é um bem natural, necessitando assim, de chuvas regulares para o seu bom funcionamento.

Como a sociedade já foi vítima de apagões; Considero importante a preocupação da imprensa, dos formadores de opinião e do povo em geral; pois caso a fatalidade venha a acontecer, a sociedade já antevira as suas formas de racionamento. Com relação às soluções paliativas, que o povo já está acostumado a presenciar, a problemática continuará a persistir, está-se apenas adiando o problema real.

Enquanto neste país não existir um política séria, competente, continuada de resolver à problemática da infraestrutura, tudo é possível acontecer.

O Povo sabe na sua simplicidade, que, se não plantar a semente e aguar com regularidade, com certeza não se terão frutos. É o caso do Brasil.
_______________
* Texto escrito e enviado por Luiz Domingos de Luna - Professor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Bezerra – Aurora, Ceará.
Através de Yuri Guedes - Icó é Notícia - Rede Blogs do Cariri.

Barbalhenses dão adeus ao Velho Guerreiro Pavão

Cortejo Funerário pela Rua do Vidéo e
Rua da Saudade(Foto: Silva Neto)

Sepultamento aconteceu na manhã desse domingo. Família e amigos choram a partida de Pavão

Barbalha-CE. Missa de corpo presente na Igreja de Nossa Senhora do Rosário celebrada pelo Padre Eusébio de Oliveira Lima, homenagens prestadas pelo Professor Josier Ferreira representando o Instituto Pró-Memória, Professor Océlio Teixeira, da URCA, Capitão do Pau da Bandeira de Santo, Antonio Rildo Teles, representando os carregadores, a banda cabaçal do mestre Pedro Elias e o reisado do mestre Antonio da Vila Santo Antonio representaram o folclore, a cultura e as manifestações populares identificadas com o saudoso Pavão na Terra dos Verdes Canaviais.

As manifestações marcaram com profundidade momentos emocionantes com lágrimas e abraços entre familiares de Veloso, amigos e carregadores do Pau da Bandeira de Santo Antonio, do qual José da Costa Veloso (popular Pavão) foi capitão e animador por muitos anos, sempre com sua simplicidade e muita alegria no seu grito de guerra “Viva Santo Antonio, Xiu Xiu, Abra a roda agente, Papagaio, etc”.

Homenagens

O Professor Josier Ferreira, representando o Instituto Pró-Memória, relembrou outros nomes de capitães do Pau da Bandeira de Santo Antonio, que já partiram atendendo o chamado de Deus, agora em festa celestial recebem José da Costa Veloso (Pavão).

O Professor Océlio, da URCA, sugeriu ao vereador Rildo Teles, apresentar Projeto de Lei na Câmara Municipal, mudando a denominação da Praça John Kennedy para José da Costa Veloso, numa homenagem ao grande Capitão do Pau da Bandeira de Santo Antonio, já que a praça em referencia fica em um dos pontos de destaque da cidade na passagem do cortejo do Pau da Bandeira do Padroeiro da cidade. Disse o Professor Océlio: “nada contra a denominação de John Kennedy naquela praça, mas para Barbalha é um desconhecido e Veloso faz parte da história do cortejo do Pau da Bandeira que todos os anos tem a tradição de passar ao lado dessa praça." Foi aplaudido por todos os presentes.

Rildo Teles falou pelo grupo de carregadores do Pau da Bandeira, lembrando o trabalho e a dedicação de Veloso como Capitão do mastro, que por muitos e muitos anos colocou nas alturas a maior identificação da religiosidade de Barbalha, a Bandeira de Santo Antonio.

As homenagens populares começaram com o Poeta Tico Bento, que recitou versos que destacaram Veloso, Pau de Bandeira e Saudade.

A Banda Cabaçal do Mestre Pedro Elias e o Reisado do Mestre Antonio, com apresentações, folclóricas fizeram homenagens ao velho guerreiro José da Costa Veloso (Popular Pavão).

Da Igreja de Nossa Senhora do Rosário ao cemitério o cortejo fúnebre passou pelas Ruas: do Vidéo, Santos do Dumont, Divino Salvador, Saudade e Campo Santo. Nesse percurso a urna foi trasladada nos ombros dos carregadores do Pau da Bandeira de Santo Antonio, os quais dispensaram o carro da funerária.

No campo santo local, o sepultamento se deu com a Banda de Música “Os Batutas do Rosário” executando Canta Barbalha, Verdes Canaviais, e outras melodias identificadas com o Velho Guerreiro Veloso. No momento do último adeus com a urna sendo colocada no jazigo, familiares não contiveram as emoções, houve muito choro, lamentações de perda do pai, do avô e do bisavô, do homem amigo e do folclorista José da Costa Veloso (Pavão).

Silva Neto - Repórter

Postagem: Océlio Teixeira de Souza
Fonte: www.alvoradanoticias.com.br

Livro esclarece os fundamentos da república


A república do Brasil comemora ontem (15) seus 120 anos. Antes da proclamação, o país viveu sob a monarquia, um regime de governo herdado da Europa e que predominou durante séculos no "Velho Mundo".

Quando se pensa em livros que mudaram o mundo, "A República" tem sempre lugar de destaque. Contudo, a ideia republicana é bem mais antiga do que se imagina. A palavra, que em latim significa "coisa pública", pode ser romana --e o período que os romanos viveram seu verdadeiro auge--, porém os gregos já pensavam sobre o assunto. Platão, o famoso filósofo ateniense, escreveu "A República" no século 4 a.C., e o título homônimo de Cícero, filosofo romano, só foi produzido 300 anos mais tarde. No livro "A República de Platão", Simon Blackburn conta a história desta obra que por mais de dois mil anos tem sido a pedra angular de nosso pensamento político e filosófico. O autor explica as ideias jurídicas, morais e políticas presentes no título e debate sua influência sobre o mundo moderno. O leitor se depara com questões fundamentais, como a analogia platônica entre a alma e a cidade. Repleto de referências às leituras de "A República" ao longo do século 20, essa biografia mostra como o pensamento platônico ainda encontra ressonância na vida contemporânea.

A República de Platão
Autor: Simon Blackburn
Editora: Jorge Zahar Editor
Páginas: 188
Quanto: R$ 28,80
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 ou no site da "Livraria da Folha"

FÁBULA DO PORCO ESPINHO - Por Maria Otilia

A Fábula a seguir nos leva uma reflexão de como está a nossa convivencia no meio em que vivemos. Faça também a sua reflexão.

FÁBULA DO PORCO ESPINHO

Certa vez, um rapaz rico e garboso passeava num bosque, encontrando um Porco-espinho ele parou e ficou observando a forma desengonçada de andar do bicho. E por julgá-lo um desafortunado e hostil, foi logo lhe perguntando: - Você assim tão espinhoso, como podes desse jeito, namorar e ter paz? - O Porco-espinho, delicadamente respondeu-lhe fazendo outra pergunta: - por acaso tu tens dificuldades para namorar alguém da tua espécie? - O rapaz respondeu que não. Só então, disse-lhe o Porco-espinho: - A minha paz não depende só da minha atitude, mas, principalmente da tua. - Como assim! - Indaga o rapaz; e o Porco-espinho emenda: - Meus espinhos são minhas únicas armas, mas só de defesa, está ouvindo!
Extraído do site: http://www.overmundo.com.br
Postado por Maria Otilia Moreira

Compra de merenda escolar sem licitação em 2010

Pelo menos 30% da verba pública para a compra de merenda escolar poderão ser gastos por gestores sem necessidade de licitação. É o que permite uma falha na lei nº 11.947, que trata do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). De acordo com normatização da lei, publicada em julho deste ano pelo Fundo de Desenvolvimento da Educação (FNDE), um terço dos recursos da merenda precisam vir da agricultura familiar e deverão ser gastos sem a tomada de preço e o controle formal estabelecidos pela lei da licitação, a de nº 8666.

Para se ter uma idéia, só para merenda escolar o orçamento federal deve liberar R$ 2,02 bilhões, segundo o FNDE. A verba é repassada diretamente a estados e municípios para beneficiar 45 milhões de estudantes da educação básica. Pela nova lei, R$ 615 milhões devem ser investidos na compra direta de produtos da agricultura familiar, que dispensa licitação.

Fonte: Tarso Araújo

Energia elétrica do Brasil custa o dobro da dos EUA

Além de insegura – como comprovou o blecaute de terça-feira -, a energia elétrica no Brasil é cara. Tão cara que supera o preço dos Estados Unidos. É o que mostra matéria de Henrique Gomes Batista e Liana Melo, publicada neste domingo no GLOBO. Enquanto aqui o custo do megawatt hora (MWh) foi de US$ 138 em 2007, as empresas americanas pagaram naquele ano US$ 64 por MWh. De lá para cá, a situação não melhorou nada.

Em uma década, a energia paga pelas indústrias brasileiras subiu 247,39% contra uma inflação acumulada, de 1999 até setembro último, de 93,74% medida pelo IPCA, do IBGE. Nas residências, o aumento, no mesmo período, foi de 113,94%.

O pior é que a energia tende a ficar ainda mais cara, porque pouco mais de 80% da energia nova que está prevista para entrar no sistema vêm das térmicas, que custam até seis vezes mais que a das hidrelétricas, além de poluir mais.

Globo Online

Flamengo vence, ultrapassa o Palmeiras e fica a 2 pontos do São Paulo

O Flamengo venceu o Náutico, por 2 a 0, na tarde deste domingo, no estádio dos Aflitos, no Recife, ultrapassou o Palmeiras e assumiu a segunda colocação do Campeonato Brasileiro-2009, atrás apenas do líder São Paulo. Para vencer o duelo de hoje, a equipe da Gávea novamente contou com gols de seus dois principais jogadores, o meia-atacante Petkovic e o atacante Adriano, artilheiro do Campeonato Brasileiro. Restando três rodadas para o final da competição, o time carioca tem 60 pontos, dois a menos do que o São Paulo. O Palmeiras, ultrapassado hoje, tem 59. O Náutico, com a derrota, permanece com 35 pontos, seis a menos do que o Botafogo, primeiro time acima da zona de rebaixamento.

O Flamengo volta a jogar pelo Campeonato Brasileiro no próximo domingo, quando recebe o Goiás, no Maracanã. Um dia antes, o Náutico visita o Corinthians, no Pacaembu.

Fonte: Folha OnLine

A face da América que não está na Mídia. - Fonte: Darlan Reis



capa____mario_augusto.jpg

"Se você mora ou está no Rio de Janeiro, é imperdível. O livro A América que não está na mídia, do jornalista Mário Augusto Jakobskind será lançado dia 17, terça-feira, às 19 horas, no Bip-Bip, o mais carioca dos bares do Rio de Janeiro. Fica na rua Almirante Gonçalves, 50, loja D.

Mário Augusto é integrante do Conselho Editorial do jornal Brasil de Fato e correspondente do jornal uruguaio Brecha. Também conselheiro da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio de Janeiro.

“O meu objetivo é discutir a mídia hegemônica e a cobertura sobre o nosso continente, além, claro, da América Latina”, afirma Mário Augusto, que já publicou outros livros sobre a regão, entre os quais, América Latina – Histórias de Dominação e Libertação.

HISTÓRIAS OCULTAS, ASSÉDIO DA MENTIRA E ROBÔS

O prefácio de A América que não está na mídia é do jornalista Flávio Tavares. Inicialmente, ele destaca o resgate, por Mário Augusto, de histórias ocultas que não podem ser esquecidas:

“Ao longo de anos e anos, o Brasil esteve de costas para a América Latina. Desconhecíamos os países vizinhos de língua espanhola, mesmo tendo os mesmos problemas, idênticos anseios e quase o mesmo idioma. Sabíamos que tínhamos até o mesmo inimigo, e que ele estava ao norte, poderoso e mandão, mas –entre nós mesmos- seguíamos distantes.

Mário Augusto Jakobskind, com este livro, volta a nos integrar ao continente. Já o relato inicial leva a indagar sobre as origens do terror espalhado pela direita na América Latina. Em minhas andanças de exilado político, eu vivia na Argentina naquele 1976, quando um golpe militar lá implantou o terrorismo de Estado. Morava em Buenos Aires, era correspondente dos jornais Excelsior, do México, e de O Estado de S.Paulo, mas só fui saber da “Noite dos Lápis”, muito tempo depois. O horror se escondia nas profundezas dos segredos e do medo da população.

São essas histórias ocultas que Mário Augusto conta agora, interpretando o passado recente não apenas para conhecê-lo, mas – mais do que tudo – para nos lembrar daquilo que não pode repetir-se jamais”.

No prefácio, Flávio Tavares toca ainda numa questão crucial a ser debatida na Conferência Nacional de Comunicação, em dezembro:

“Este livro mostra o progressivo empobrecimento dos meios de comunicação entre nós. Informar passou a ser tratado como uma dessas quinquilharias que o capitalismo predatório da sociedade de consumo nos oferece a cada dia como se fosse o paraíso. O essencial está de fora na grande imprensa, no rádio e na televisão. O assédio da ilusão e, até, da mentira nos empanturra de tolices. Os grandes meios de comunicação nos transformam em robôs obedientes.

A imprensa, a TV aberta e o rádio viraram atividades comerciais, em busca de lucros. Até o golpe militar de 1964, o jornal Última Hora, mesmo privado, representava no Brasil uma opção popular e nacionalista, na vanguarda da denúncia da ação imperialista dos Estados Unidos. Hoje, qual é o órgão da grande imprensa que se atreve a ser tão independente?

Nenhum canal de TV aberta ou de rádio foi concedido pelo Estado a jornalistas aglutinados em associações ou sindicatos do setor. Enquanto persistir essa situação, persistirá também o estrabismo dos meios de comunicação”.

GALEANO E STÉDILE RECOMENDAM: VACINA CONTRA A MANIPULAÇAO
A apresentação do livro é do João Pedro Stédile, líder do MST e da Via Campesina:

“O nosso amigo Mário Augusto faz um retrato crítico da América Latina”, diz Stédile. “Os leitores terão uma ótima oportunidade de atualizar suas informações sobre o nosso continente e, ao mesmo tempo, estarão vacinados contra as manipulações que habitualmente a grande imprensa costuma fazer de fatos políticos do continente, e que o autor chama de Goebelinas”.

O escritor uruguaio Eduardo Galeano, autor do antológico As veias abertas da América Latina, faz um comentário que é uma obra-prima:

¿Medios de comunicación

o miedos de comunicación?

¿Libertad de expresión

o libertad de presión?

A orelha é do saudoso jornalista Fausto Wolff e a capa do cartunista Carlos Latuff. O livro pode ser adquirido pela internet aqui."

FONTE: VIOMUNDO. Texto de Luiz Carlos Azenha

A fábula do lobão e DA vovó do PAC - Postado por José Sales

A fábula DA semana – o apagão – colocou em evidência um personagem que andava sumido, o Lobão. Num primeiro momento, ninguém sabia onde andava a avó (do PAC). Temeu-se por Dilma porque o Lobão é emburrado e de poucas palavras. Ele deu o conto por “encerrado”. Depois se soube que a ex-ministra de Minas e Energia estava cuidando DA floresta. Nós – OS Chapeuzinhos Vermelhos – somos tão ingênuos que acreditamos que raios deixaram 18 Estados do Brasil às escuras por até quatro horas.

Nós também acreditamos que a floresta será salva, especialmente porque o Grande caçador de votos depende do Verde para não deixar a “fada-marina” enfeitiçar eleitores e atrapalhar a sucessão em 2010. Quando a avó do PAC ressurgiu com todo o vigor, todos respiraram aliviados. O Ministro Edison Lobão, ex-governador do Maranhão, em sua hesitação de meias palavras, consegue menos empatia com o público do que a chefe DA Casa Civil, Dilma Rousseff. Já estava ficando embaraçoso ver e escutar as desculpas de Lobão. E Dilma caiu na armadilha DA oposição, que a provocou. “Quem escondeu a ministra?” A pré-candidata (conhecida no Nordeste como “a mulher do Lula”) hoje sobe em todos OS bons palanques – do pré-sal, do pós-sal, do pré-pós-PAC. Não falta a uma festa ou inauguração. Quando o palanque é frágil, ela some na floresta para preparar o discurso ambientalista que apresentará em Copenhague em dezembro.

Como o país inteiro sabe, e o Chapeuzinho Vermelho também, Dilma é contra o desmatamento desde criancinha. Tanto que nem o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, consegue mais aparecer. Depois de reunião ministerial em São Paulo sobre metas para reduzir emissão de gases, mandaram Minc sair de fininho para Dilma falar com a imprensa. Seja pelo “efeito cabocla” – de Marina Silva como candidata pelo PV –, seja por um súbito despertar para a questão ambiental, Dilma aos poucos tenta vestir o colete de campeã DA causa Verde. A ministra comemorou na quinta-feira o menor desmatamento annual DA Amazônia desde 1988 – e apagou DA foto oficial a senadora do Acre, que saiu do governo derrotada pelo desenvolvimentismo de Dilma.

O apagão pôs em evidência o ministro Lobão. Enquanto ele Falava, a avó Dilma cuidava DA floresta Os efeitos do blecaute sobre o governo são modestos, se comparados aos efeitos de Dilma sobre si mesma. Será que Lula escondeu sua candidata durante 40 horas e jogou o Lobão às feras com o objetivo de desvinculá-la de um evento tão impopular? Falta de luz e água, muito mais que um desconforto político, é uma tragédia social, com prejuízos inestimáveis para pessoas comuns. Ou será que submeteram Dilma a um curso relâmpago de marketing para ela reaparecer positivamente, com luz e água restauradas no país e argumentos na ponta DA língua?

Se ela tiver recebido treinamento intensivo, melhor trocar enquanto é tempo OS magos de imagem. Lula pode também providenciar uma transposição de personalidade. Dilma não passa em nenhum Enem de simpatia ou serenidade, mesmo se receber antes a prova. É só colocar um microfone diante dela, é só uma repórter fazer uma observação simples e pertinente. “Ministra, a senhora garantiu há duas semanas que não havia mais risco de apagão porque agora o país tem planejamento”. A ministra encrespa as mãos, engrossa a voz: “Minha filha, você está confundindo duas coisas. O que houve foi um apagão, não um blecaute. Blecaute é barbeiragem”. Era uma referência ao racionamento de 2001.

Indagada se o país poderia sofrer outro apagão, já que o sistema de Itaipu seria vulnerável a intempéries, Dilma rebateu: “Minha querida, nós, humanos, temos um problema imenso. Nós não controlamos chuva, vento e raio. Sempre quisemos, mas não conseguimos ainda. Talvez algum dia, né?”. Talvez algum dia, ministra, a senhora encare as perguntas como elas são. Perguntas são feitas em busca de respostas. Talvez a senhora mude o tom. Seria bom entender que a água rola, a Terra gira, e que não adianta Lula tentar blindar a avó do PAC se ela se mostrar mais arrogante que o Lobo Mau. Não somos o Chapeuzinho e o PT deixou de ser vermelho.

De RUTH DE AQUINO/ Diretora DA sucursal de ÉPOCA no Rio de Janeiro

Fome - Por: José Flávio Vieira


15/11/2009 - 16h56


Brasil é primeiro colocado em ranking internacional de
combate à fome
Amanda Cieglinski
Da Agência Brasil

Roma (Itália) - A organização não governamental (ONG) Action Aid International vai conceder um prêmio ao Brasil pelos esforços no combate à fome. Segundo um ranking organizado pela entidade, o país teve o melhor desempenho na redução do problema, seguido pela China e Índia.
Segundo o diretor internacional da Action Aid, Adriano Campolina, o principal motivo para que o Brasil seja o líder do ranking foi o fato de 10 milhões de pessoas terem saído da pobreza extrema nos últimos anos. De acordo com ele, o Brasil conseguiu a redução combinando o crescimento econômico com políticas de combate à pobreza e agricultura familiar. "A fome é um fenômeno muito complexo, você não consegue acabar com ela imediatamente. Mas a redução do Brasil foi extremamente substancial, não só rápida como sustentada. Foram políticas coordenadas que deram ênfase à transferência de renda e ao mesmo tempo à agricultura familiar e à produção sustentável", destacou Campolina.

Amanhã (16), quando terá início em Roma a Cúpula Mundial de Segurança Alimentar, promovida pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), a ONG pretende entregar o prêmio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele participa da abertura do evento e deverá apresentar as experiência brasileiras que conseguiram reduzir a subnutrição no país como o Bolsa Família, o Fome Zero e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Por: José Flávio Vieira

Show de fé e de arrastões no aterro da Praia de Iracema


De repente, gritos e correria interrompem a leitura do Evangelho. Pelo rádio, alguém se comunica com o coordenador do 2º Evangelizar, Carlos Araújo, solicitando policiais nas proximidades do palco. Estava acontecendo um “arrastão” na beira da praia. Passavam das 19h30min, e o padre Reginaldo Manzotti iniciava a missa para cerca de 600 mil pessoas (segundo a organização do evento). “Eu peguei foi o banco, o menino e corri”, contava uma das fiéis.

“Estava tranquilo”, narra a historiadora Margarida Diniz Dourado, que assistia à celebração ao lado direito do palco, onde começou a confusão. “A missa começou bem, até a hora do Evangelho”. Ela afirma que houve “um arrastão”, com roubo de celulares e máquinas fotográficas. “A carreira foi grande. O pessoal que vendia espetinhos deixou tudo no chão”, completa.

“Eu caí, quando consegui me levantar, vi gente chorando, desmaiando”, reforça a jornalista Manoella Monteiro. Ela estava na Historiador Raimundo Girão. “Teve gente que disse que começou por causa de uma briga por um banco. Outros disseram que foi uma onda forte que quebrou e assustou as pessoas”. Populares reclamaram da ausência de policiais. O POVO tentou contato, ainda no Aterro, como comandante Magalhães, responsável pela operação. Mas, como estava em ação, ele não foi localizado. PMs da área não confirmaram o “arrastão”. “Foi um siri, que saiu do seu habitat natural”, limitou-se a declarar um deles.

Até às 20 h30min, a Ciops havia registrado o encaminhamento de um jovem de 17 anos, à Santa Casa de Misericórdia, sofrendo abalo emocional. “Ele deve ter se assustado com o fato”, explicou o sargento Fontenele, de plantão no Ciops. O major Adrianísio Paulo de Oliveira Alves também não confirmou o “arrastão”, mas enviou outras seis viaturas ao Aterro “para dar mais segurança”. Segundo ele, cerca de “200 homens” serviam ao policiamento. Um novo tumulto voltou a acontecer, por volta das 21 horas. O POVO tentou contato com a assessoria de imprensa do 2º Evangelizar, mas ninguém atendeu ao telefone.” SHOW do Padre Reginaldo Manzotti, segundo informava a Polícia, teria reunido mais d 300 mil pessoas. Pois é, em pleno espetáculo de fé deixaram o diabo dos arrastões ocorrerem à vontade.

Fonte: Eliomar de Lima

Rio Xingu: beleza roubada


O Governo Federal quer emitir nesta 2a feira, 16/ Novembro/ 2009 a licença prévia para a megausina de Belo Monte. Projeto mais do que polêmico, é apontado como necessário para dar mais "segurança energética" ao país. A liminar que contestava as audiências públicas foi cassada. Ligada ao PAC, a obra mantém o modelo gerador de energia com enormes impactos ambientais e produção de eletricidade a milhares de quilômetros dos centros consumidores. Parte da energia ficará no Pará, para abastecer uma planta industrial da ALCOA. Além de afetar comunidades ribeirinhas, indígenas e botar abaixo floresta Amazônica, a construção dará fim a chamada Volta Grande do Rio Xingu, um dos maiores espetáculos naturais da região.


Fonte: O ECO. Crédito imagem: Marcos Vergueiro/Secom-MT

Comemoração com chapeú dos outros - Por: José Sales


O anúncio da menor taxa de desmatamento da história, feito esta semana em evento recheado de discursos que causaram aborrecimento na platéia e serviram de palanque eleitoral para a candidata de Lula, teve momentos mais curiosos. Todo o trabalho da ex-ministra Marina Silva, que à frente da pasta ambiental criou programas diretamente responsáveis pelos números anunciados ontem, foi esquecido.


Carlos Minc, que a sucedeu no Ministério do Meio Ambiente, atribuiu à Ministra Chefe da Casa Cicil Dilma Roussef a maioria dos resultados obtidos e até mesmo as metas de corte de desmatamento do Plano Nacional do clima e o Fundo Amazônia, programas que de fato surgiram na gestão da ex-ministra. Um dia após a cerimônia em Brasília, que de “tom macabro” - como Marina Silva costumava se referir aos anúncios de desmatamento – passou para alegoria eleitoreira. Elegantemente Marina Silva teceu comentários sobre as reais causas da queda no desmatamento, sobre os planos governamentais de Desmatamento Zero e sobre quem deve levar os louros pelos bons números alcançados.

Marina Silva em entrevista ao O ECO afirmou:

"Não me sinto responsável como indivíduo, mas como alguém que fez uma política pública. Foi esse nosso propósito, fazer política pública estruturante, não ficar fazendo pirotecnia. Porque quando se faz política pública estruturante, elas perduram mesmo depois que você sai. Criar 24 milhões de hectares de áreas de conservação na frente da expansão predatória é algo que fica, é área de preservação permanente ali. Criamos um sistema de monitoramento em tempo real para favorecer as fiscalizações quando as coisas estão acontecendo.

Ter tirado 700 pessoas que atuavam como quadrilha, falsificando dados, fraudando processos, é algo que ficou. É preciso cuidado ao apostar em uma ação integrada envolvendo o Exército, o Ministério da Justiça, a Polícia Federal...O plano da Amazônia Sustentável, o plano da BR 16, tudo isso foi política estruturante que ficou e como política pública eu me sinto parte do processo.

E daqui para frente, vamos precisar ter cuidado com algumas questões que estão acontecendo e não podemos baixar a guarda, mesmo tendo o que comemorar com esses dados. A medida provisória da grilagem, que transferiu 75 milhões de hectares para particulares, da forma pouco cuidadosa como foi feita, sem separar o joio do trigo, é algo que preocupa.

O Brasil retoma agora o crescimento, então, se não vierem as ações de desenvolvimento sustentável, que estão ligadas ao Ministério da Agricultura, que sempre resistiu em fazer sua parte no âmbito do combate ao desmatamento, agora tem que começar fazer. O transporte, energia, todo mundo tem que entrar em cena.

Este é um risco (De dizer que o desmatamento zero é possível), ainda mais que estamos em período eleitoral. Mas a bancada ruralista mudar o Código Florestal, isso é algo que preocupa. Agora, eu não sou aquele que quanto pior melhor. Eu celebro que o desmatamento caiu pelo bem da Amazônia e foi por isso que fizemos as políticas públicas. Foi por isso que eu pedi pra sair, porque, naquele momento, com aquela loucura de que o Mangabeira (Assuntos Estratégicos) defendia uma série de idéias completamente equivocadas no meu entendimento para a Amazônia, fez com que as medidas fossem mantidas. Eu espero que o Brasil possa ir à Copenhague com metas, que o Brasil possa liderar.

A regularização de terras, da forma como está sendo feita, é preocupante. Isso não é ordenamento territorial, isso é transferência de terras. As ações do programa Amazônia Sustentável tem que entrar em ação de forma integrada, o Ministério da Agricultura tem responsabilidades. Estou ouvindo dizer que o ministro Stephanes apresentou uma pauta agora e está se dispondo a fazer coisas que há quatro, cinco anos, quando começou o plano (ele não fez). Se você pegar o plano lá, tem ações para todos os ministérios, infelizmente eles resistiram até agora. Que bom que agora vão começar, pelo menos estão dizendo que vão fazer, porque só as ações isoladas do Ministério do Meio Ambiente não dá conta, por mais que haja esforço, os outros setores têm que entrar em cena.

E obviamente concordo com o papel da Ministra Chefe da Casa Civil em anunciar os dados. Desde o início foi eu que sugeri que a Casa Civil coordenasse politicamente o plano. Sabe-se que fui eu que sugeri, eu que propus esse arranjo. Então, não importa quem foi que anunciou, o importante é que essas políticas foram pensadas cada uma, milimetricamente, por quem conhece a agenda. Foram feitos seminários técnicos científicos, eu sei cada detalhe do que aconteceu. E nos últimos anos, o ministro Carlos Minc assumiu, quando eu saí, as pessoas imaginaram que a sociedade ia aplaudir para revogar as medidas, não aplaudiu, pressionou, elas foram mantidas. Eu celebro a queda no desmatamento. Acho que a política do “quanto pior, melhor “ não é boa para ninguém, nem para a Amazônia, nem para o Brasil".

Comentário da postagem: E com isto, Marina Silva, propiciou uma didática lição de atuação politica à candidata oficial.

Fonte: O ECO e comentários da postagem.

Pedido aos Empresários do Crato em Defêsa do Blog do Crato - Por: Valdemir Correia de Souza


Valdemir Correia conclama patrocinadores para o Blog do Crato


Aos leitores do Blog do Crato:

Quando abrimos a página do Blog do Crato, observamos logo à direita em letras maiúsculas um pedido, um alerta ou mesmo um aviso. Quando o leitor ver isto de hoje em diante, ele vai compreender, e é sobre este motivo que estou escrevendo que o problema é sério. O Sr Dihelson mendonça, mantenedor do Blog me relatou das dificuldades que está enfrentando para não deixar o mesmo cair. Fiquei deveras impressionado com o problema. Ele me disse: Dedica seis horas para redigir o mesmo DIARIAMENTE, faz este trabalho com toda dedicação.

Enquanto isto, os leitores estão em casa lendo o mesmo e ao mesmo tempo ouvindo a Rádio Chapada do Araripe, com um repertorio de primeira e não se lembram, que naquele momento, está havendo consumo de energia elétrica que terá que ser paga todo mês, assim como também material de escritório, aluguel, funcionáios e etc, sem falar no precioso tempo que o autor está dedicando, tempo este qe poderia ser empregado em outra atividade que lhe proporcionasse lucro ou lazer. Sabemos que o mesmo escreve com amor mais sabemos também que somente o amor não traz a felicidade de qualquer coisa que se faça, se não vier acompanhada da parte material que é o dinheiro, dinheiro este que ajuda a consolidar qualquer projeto que a pessoa tenha em vida. Partindo deste princípio, tive a ideia de conclamar os leitores que são muitos, para que contribuissem com qualquer quantia e aos empresários a começar por MIM, que fizessem uma anúncio por pequeno que fosse, mensalmente, para ajudar o Sr Dehilson Mendonça a continuar mantendo este empreendimento com tanto esmêro como é o Blog do Crato.

Faço este pedido e ao mesmo tempo lembro de determinado e abnegado advogado, que com a casa cheia de gente com problemas para o mesmo resolver, aos quais não cobrava nada, ver a esposa vindo da cozinha e entrar no escritório e em tom quase de desespero dizer aos gritos: "meu povo, tenham dó do meu marido. Nós também precisamos comer, e aqui em casa está faltando tudo, até luz e água foram cortados!". Não quero dizer que o problema do Blog seja tão sério como este, mas que precisa da compreensão de todos, isto sim, precisa e com urgência, pois é por falta de um grito que se perde uma boiada. Fica pois dado o recado. Vamos agir.

Petrolina, 06 de Novembro de 2009.
Valdemir Correia de Souza

Resposta do Blog do Crato:

Meu prezado amigo Valdemir Correia de Souza, realmente a sua solidariedade veio em boa hora. Na hora em que chegam as contas do começo do mês por causa dessa "brincadeirinha" chamada Blog do Crato e que se arrasta há 4 anos no vermelho. O leitor comum pode até pensar que por aqui, a gente nada em dinheiro, porque vê o Blog todo arrumadinho e a gente sorrindo. Mas nada mais longe da realidade. O Blog do Crato, na minha vida pessoal, só tem me dado prazer, mas para o meu bolso, é o investimento mais "sem futuro" que eu já fiz na minha vida. Dá prejuízo todo mês. Há poucos dias eu falei essas mesmas palavras em Fortaleza para o José Milton Arraes, que é um grande incentivador do Blog.

Para que as pessoas entendam: O problema é que o Blog do Crato não é um site comum. Ele não é um mero blog de hospedagem gratúita desses que se pode conseguir um facilmente no Blogspot. Começa daí. Na verdade, é um conjunto de Blogs do Cariri, que são administrados por mim ( cerca de 20 ), de onde extraimos a informação e damos suporte aos sites de diversas pessoas gratuitamente. Tenho registrados em meu nome para o bom funcionamento, mais de 20 domínios www, e isso sai caro. Temos computadores aqui ligados 24h para manter a Rádio Chapada do Araripe com música de qualidade. Temos servidores de conteúdo no site Dot5Hosting, que custa caro. Nossa energia elétrica para manter o sistema e os backups dão quase 400 reais por mês. E temos Velox 1000, e Vivo para transferir as reportagens com rapidez de qualquer parte. Quando soma tudo isso e mais, tenho um gasto de mais de 1.000 reais todo mês para manter essa coisa bonitinha e sempre crescendo. Até quando, eu não sei.

Os parceiros são apenas troca de serviços por publicidade. Patrocinadores mesmo, temos: O Advogado Mário Correia, e a Clínica São Raimundo. Doadores temos: Mônica Araripe, Carlos Eduardo Esmeraldo, Jair Rolim, José Milton Arraes, e Dr. José Flávio. Mas não dá pra cobrir as despesas e todo mês temos a manutenção das máquinas; São 5 máquinas: outro dia, queimaram aqui 2 HDs e uma Impressora de uma só vez. E quem repõe ? EU. Gastei 800 reais DO NADA. E estamos aqui precisando de 2 baterias Heliar autmotivas de 70 amperes para os 2 no-Breaks, de onde vai sair a grana? Do meu bolso, pelo jeito, porque já pedi a um e a outro e até agora, nada. Então, aqui é despesa sobre despesa. Se a gente não arrumar aí uns 6 patrocinadores urgentemente... sei não!

Eu já insisti no programa de doações, já insisti nos patrocínios, mas o Crato é uma cidade ruim de patrocinadores. Eu sou músico e sei o quanto é difícil para os comerciantes dessa cidade apoiar os empreendimentos. Nosso trabalho está aí, gente. Estamos mostrando a cidade, fotografando quase todo dia, escrevendo artigos, reunindo as pessoas. Passo aqui umas 6 horas diagramando o Blog. Não é possível que nesta cidade de Frei Carlos, não possamos conseguir uns bons patrocinadores! Tanta empresa rica e tanto empresário miserável.

Ninguém quer ficar rico aqui com Blog não! Eu só não posso é ter prejuízo como já tenho por 4 anos. Eu tenho minha profissão de Músico e trabalho na prefeitura ( se bem que cortaram nossa gratificação agora ). Mas o que eu não suporto mais é ter que todo mês, ainda com as doações eu ter que tirar dinheiro do meu salário para cobrir o meu próprio trabalho aqui no Blog. Aí, nêgo véio, tenha paciência, que ninguém é de ferro não! Trabalhar de graça é uma coisa...

Isso aqui tem um valor incalculável para a cidade. Projeta a cidade no mundo! Temos milhares de fotografias, estamos caminhando para 9.000 postagens. 40.000 acessos por mês. Todo dia aqui, mata-se um Leão durante a noite para de manhã as pessoas terem as últimas notícias. Então, eu agradeço aos nossos colaboradores, aos doadores, aos parceiros já existentes, mas vamos aumentar mais isso, porque eu não estou aguentando mais todo mês desenbolsar 500 reais de prejuízo só com o Blog do Crato, sem contar meu trabalho, que não deve valer NADA mesmo...

Agora, por favor, não prometam que vão ajudar e não chegem junto!
Tem gente aqui no Crato que desde que eu comecei o Blog do Crato, bate no meu ombro na rua e diz: "Olha, eu vou te ajudar lá no Blog"... esses, pode amarrar o dinheiro no rabo de um veado e soltar lá na serra, porque não vamos ver a cor do dinheiro. Quem quer ajudar mesmo, faz como José Milton Arraes, como Carlos Eduardo, como Jair Rolim, como Zé Flávio, como Mônica Araripe. Tem um carinha que eu só encontro no Calçadão. Desde que mundo é mundo ele diz que vai patrocinar o Blog. Quando eu passo por ele hoje em dia, eu digo: "tô gostando de ver o seu patrocínio, cara! " Que nada...

Abraços,
Agradeço ao Valdemir por entrar nessa batalha feroz para se conseguir patrocinadores nesta cidade que não reconhece o trabalho de absolutamente NINGUÉM que faça por Boa Vontade. Alexandre Arraes estava certo quando tentou segurar aqui os homens de boa vontade, porque Ô coisinha difícil. A gente encontra mais é gente só pra pedir favor. Todo dia chegam 10 no meu portão dizendo: "Só você pode resolver meu problema!". E de graça!

Dihelson Mendonça


TSE vai decidir na 3ª feira se cassa mais um governador

Na próxima terça-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decide se cassa ou mantém o mandato do governador de Rondônia, Ivo Cassol (PP). O governador é acusado de compra de votos e abuso de poder econômico durante a campanha eleitoral de 2006. O julgamento dá força a uma discussão que vem tomando corpo por conta da atuação rigorosa do tribunal em casos de abuso político: a Justiça está substituindo as urnas?

A questão surge do fato de que as eleições de 2006 em nove estados — um terço da federação — tiveram ou terão um terceiro turno no TSE. Só este ano, cinco governadores já foram julgados pelo tribunal. Três tiveram os mandatos cassados: Cássio Cunha Lima (PSDB) na Paraíba, Jackson Lago (PDT) no Maranhão e Marcelo Miranda (PMDB) em Tocantins. Na prática, ao cassar os três governadores eleitos, o tribunal anulou 2,7 milhões de votos.

Os governadores Luiz Henrique da Silveira (PMDB), de Santa Catarina, e Waldez Góes (PDT), do Amapá, foram julgados e absolvidos. Além de Cassol, outros três governadores correm risco de cassação: Marcelo Déda (PT), de Sergipe, José de Anchieta Júnior (PSDB), de Roraima, e Carlos Henrique Amorim (PMDB), em Tocantins. Este último ocupou o lugar do cassado Marcelo Miranda por eleição indireta e já está com o mandato em jogo.

Fonte: IG

Bandidos atacam cabines e postos da PM no Rio de Janeiro na madrugada

Rio de Janeiro - Em madrugada violenta no Rio, bandidos fortemente armados atacaram com tiros e granadas um posto, uma cabine e um carro da Polícia Militar na Avenida Brasil e na Linha Amarela – principal ligação do subúrbio com a zona oeste da cidade. Segundo informações do Batalhão de Polícia em Vias Especiais (BPVE), os ataques ocorreram pouco depois das 5h. A granada foi jogada contra a 8ª Companhia da Polícia Militar na Avenida Brasil, em seguida, na Linha Amarela, os criminosos atiraram contra uma cabine blindada e um veículo da Polícia Militar, fugindo antes da reação da polícia.

Agentes do Esquadrão Antibombas e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) foram chamados ao local e conseguiram detonar a granada. Já os tiros disparados pelos criminosos atingiram a cabine blindada e a lataria da patrulha que estava estacionado em frente, ninguém se feriu.

Fonte: Agência Brasil

Convites de Escritores foram enviados para os seguintes autores:

Comunicado do Blog do Crato: Convites de escritores foram enviados para as seguintes pessoas:

Jair Rolim
João Carlos
Lúcio Alcântara

Abraços,

Dihelson Mendonça

TRÉPLICA de João Carlos ( Sobre a Liberdade de Expressão no Blog do Crato )


“Mais tarde ou mais cedo, os homens que pensam e escrevem acabam governando a opinião; e a opinião, como vocês sabem, governa o mundo. “

D’Alembert

Caro Dihelson,

Obrigado por ter postado meu texto. Tinha certeza que o faria visto que tenho observado o seu esforço em manter sempre atualizada a chama do debate. Gostaria, neste comentário, de esclarecer melhor alguns pontos do que afirmei em minha carta. Em primeiro lugar, devo esclarecer que quando falei que lhe cabe pautar o enfoque do Blog quis provocá-lo a exercer o papel de mediador, este mesmo que você em sua resposta descreve muito bem, ou seja, o de direcionar os debates filtrando as ofensas e preservando o enfoque temático do Blog. Note que o comparei a um editor de jornais e revistas e não a um censor. Um competente editor não toma partido, não interfere no conteúdo das reportagens, muito menos as censura, mas evita que o meio de comunicação que representa se torne excessivamente tendencioso. Foi isto que sugeri e jamais algo absurdo como o de policiar os textos submetidos. Alerto o, por exemplo, para o tipo de responsabilidade que cabe a um mediador e quanto aos perigos que se corre em ter o poder de selecionar, editar e publicar textos alheios. Na sua apresentação de meu artigo você o coloca “espremido” entre uma foto que sugere que o tema central do artigo é a censura (o que não é verdadeiro!), seguido de uma nota na qual afirma, erroneamente, que quero suprimir liberdades de expressão e, ao final, um comentário tão longo quanto o meu texto. Ao fazer isso, consciente ou inconscientemente deturpa o conteúdo do que digo, induz de forma peremptória a compreensão daqueles menos experientes ou mal intencionados de que estão diante de um “censor defensor do controle de informações e contrário ao Estado de Direito”. Diariamente parte da imprensa e muitos jornalistas têm utilizado este tipo de recurso para assassinar reputações de políticos ou de cidadãos comuns. Na Teoria da Comunicação de Massa existe um termo em inglês usual para definir o editor. Ele é o Gatekeeper, aquele que deve selecionar a informação a partir daquilo que se pensa que é do interesse dos consumidores. De uns tempos para cá os Gatekeeper dos “jornalões” e cadeias de televisão brasileiros têm feito isso seja para preservar interesses dos próprios patrões, seja para ajudar a consolidar projetos de agremiações partidárias. Os Blogs têm sido, no Brasil e no mundo a válvula de escape para uma abordagem menos tendenciosa e mais plural. É isso que defendo para o Blog do Crato.
Caro Dihelson, existem muitas maneiras de se fazer Censura. Suprimir um texto é a mais canhestra e primitiva das formas. Não se faz mais isso em um espaço midiático no qual a oferta de meios de se publicizar uma idéia é quase inesgotável.Seria infantil de minha parte ou da parte de quem quer que seja tentar fazer isso. A mais cruel das censuras, e a mais recorrente, hoje em dia, é de outro tipo. Mais sutil, ela é aquela que distorce opiniões e manipula a compreensão de leitores. Sei que esta não foi a sua intenção e, por isso mesmo, gostaria que escolhesse outra imagem de abertura ou que simplesmente a suprimisse, bem como que corrigisse a nota que apresentou no topo do artigo. Ela fala de censura às liberdades de expressão, coisa que repudio veementemente em meu texto e nem estava preocupado em tratar Exerça seu poder de mediador com isenção, pois como bem sabe a fronteira entre a censura e a edição é muito tênue.
Esclareço, também, que não afirmei, em nenhum instante, que se deixe de discutir política. Aliás, afirmo isso literalmente. É claro que em rodas de amigos, praças reais ou virtuais, para repetir a metáfora que criei, se fala muito em política! Afirmei sim, que o foco fora alterado. É a minha opinião.
Outro ponto é que em algum momento do texto refiro-me a cratenses e não cratenses. Portanto jamais tive a pretensão de excluir todos aqueles que adotaram o Crato como sua terra. Ademais eles são, sim, cratenses, embora não tenham nascido na cidade.
Quanto ao amigo Armando Rafael devo lhe dizer que o que quis exatamente foi alertar para o perigo de que o Blog do Crato fosse tomado pelo que chamei de escalada da insanidade que pontua esses períodos pré- eleitorais. Não estou procurando sítios pró ou contra quem quer que seja. Obviamente, quem o fizer encontrará o que precisa. É fascinante a vertiginosa quantidade de endereços eletrônicos destinados a satisfazer as crenças políticas de todos os espectros ideológicos. Pró petistas inflamados anti petistas fervorosos, pró serristas incondicionais. Há igrejas virtuais para todos os gostos. Não caia, caro Armando, nesta armadilha. Eu não cairei.
Por fim, quando critico a utilização das fotos é porque entendo o quanto neste mundo dominado pelas imagens elas se transformaram tanto em altares que endeusam como em cadafalsos que enforcam. Provoco-lhe, A. Morais, a imaginar, por exemplo, quantas vezes Marina Silva, enquanto ministra do meio Ambiente por tantos anos, teve que apertar a mão, trocar beijinhos de cumprimento, sorrir para ruralistas e desmatadores, políticos de extrema direita e demonizados pela mídia? E se estes encontros foram retratados e a foto vier a ser utilizada por alguém para sugerir algo que não é verdadeiro: Marina Silva é traidora da causa ambiental! A. Morais, colocar a foto do Presidente junto com a de Adolf Hitler e Bin Lader é o tipo de Assassinato de Reputação inaceitável ao convívio e ao diálogo civilizado.
Creio que por enquanto é isto. E se for convidado, claro, atuarei como colaborador evventual do Blog como sugere o amigo Océlio.

Um abraço a todos.
João Carlos

Resposta:

Meu Caro João Carlos, percebo daqui que o teor da sua reclamação é o desejo de externar a sua própria opinião acerca dos fatos de que discorda, o que é muito natural. Este seu texto está cheio de afirmações categóricas, opiniões pessoais, contrárias e a favor de tantos outros escritores do Blog, de modo que eu não irei discutir a temática da postagem anterior, mas apenas lhe dizer que uma explicação minha se fazia necessária diante do que foi sugerido, porque o seu texto falou por si, quando disse ( suas palavras ):

"Caro Dihelson, qual o sentido disto tudo? Como mediador do Blog cabe a ti, tal qual faz um editor de uma publicação diária ou semanal, pautar o enfoque do conteúdo a ser divulgado."

E para encurtar o caminho, vou lhe enviar agora mesmo um convite de Escritor do Blog do Crato. Assim, você poderá expressar suas próprias opiniões acerca dos fatos e suposições. lembrando que a única coisa que pedimos aos nossos escritores é que cada um zele pelo bom andamento das postagens do Blog. O conteúdo, a diversidade, e o foco principal, que é o Crato ( seja matérias sobre o crato, ou a visão dos Cratenses acerca dos fatos da modernidade ). O convite é um e-mail que será enviado pelo sistema para o seu e-mail. talvez seja necessário abrir uma conta de e-mail no Gmail, mas se houver algum problema, você me comunica.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Construção do Centro de Convenções Continua a Pleno Vapor !


C
onstrução do Centro de Convenções a Pleno vapor. Estive lá ontem, quando entrevistamos o gerente e fizemos essas fotos. Para o pessoal que torce contra o crato, essa notícia vai causar uma tristeza nos coitados. Já posso até ver os comentários daquela turma que torce para o quanto pior, melhor:

Comentário de um pessimista:

"Pois é cara! a construção voltou, ó ? que lasca!. Pensei que não ia voltar mais. Mas tem uma coisa: Voltou, mas não termina. Alguma coisa vai acontecer de ruim lá pra gente comemorar!"

Dsc03676


Dsc03703


Dsc03710


Dsc03690



Dsc03675


Dsc03700


Dsc03670


Fotos: Dihelson Mendonça
Do dia 11 de Novembro de 2009

Coluna Cariri (Jornal O Povo) - Por: Tarso Araújo



FERIADO?

Falta de civismo! No Cariri, mais uma vez, o feriado deste 15 de novembro & comemorativo à Proclamação da República passará em branco. Em Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha e demais municípios caririenses, o povo costuma comemorar datas como o 7 de setembro, festa dos padroeiros, Dia do Trabalho, Dia do Município... O 15 de novembro nunca foi festejado. Com o advento dos dois governos do presidente Lula, até tentou-se resgatar termos como "espírito republicano" e "os valores da República". Infelizmente, pelo menos no Cariri, a coisa não pegou. E se você pergunta ao povão o motivo do feriado de 15 de novembro, a grande maioria não sabe responder.

PADRE CICERO

Não existe nordestino que não tenha, quando nada, ouvido falar em Padre Cícero do Juazeiro do Norte. Só quem percorre a vastidão do interior do Nordeste - Zona da Mata, Agreste e Sertão & como fizemos recentemente, pode avaliar a influência deste sacerdote e sua força mística junto aos fiéis católicos. Hoje, as romarias a Juazeiro estão entre as maiores do mundo. E repercutem até nas universidades. A partir de uma iniciativa da Urca (nas administrações Teodoro Soares e André Herzog), o Padre Cícero e as romarias começaram a ser objeto de interesse pela academia. A partir daí advieram simpósios internacionais, doutorados e mestrados. E o interesse sobre esses temas só fazem crescer.

METAMORFOSE

E por falar em romarias, um expert no assunto, o professor e escritor Daniel Walker & dá sua opinião: "Ninguém se engane: as romarias de Juazeiro estão mudando. Na verdade é mais do que isto: elas estão passando por um sério processo de transformação, e com isso se aproximando cada vez mais do turismo religioso. Culpa certamente da modernidade, da evolução dos costumes, da melhoria das condições financeiras da população nordestina, da influência da mídia eletrônica, etc". Daniel Walker cita um exemplo: a viagem em caminhão do tipo pau-de-arara, antigamente o único meio de transporte, hoje é pouco usado. Na última romaria, segundo dados fornecidos pela Secretaria de Turismo e Romaria, vieram a Juazeiro menos de 100 caminhões desse tipo. Os romeiros hoje viajam de ônibus, topiques e veículos particulares.

DIÁLOGO

O prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, participou de sessão ordinária da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte. Na oportunidade, o prefeito de Maracanaú defendeu a instalação do parlamento da Região Metropolitana do Cariri. Ele acredita que os vereadores das cidades que compõem a Região Metropolitana do Cariri devem abrir esse diálogo, e formar com urgência esse parlamento. Roberto Pessoa defende que os parlamentares são peça fundamental no debate dos grandes temas regionais.

NEGÓCIOS

Uma missão técnica do Cariri irá visitar, nos dias 17 a 19 de novembro, o Rio Grande do Norte. A viagem se dará para Macaíba, Vera Cruz (Comunidade do Cobé), Bom Jesus (Comunidade de Lagoa dos Bezerros). O objetivo da missão é conhecer experiências exitosas no uso da manipueira para alimentação de animais e obter informações suficientes para desenvolver no Cariri uma experiência similar. A missão será formada por 40 produtores de mandioca, criadores de bovinos e ovinocaprinos, técnicos e secretários de agricultura de municípios da região. O Sebrae organiza a missão.

OBRAS

O prefeito de Juazeiro do Norte, Dr. Santana, acompanhado pelo vice-líder da bancada do PT na Câmara, deputado federal José Guimarães (PT-CE), assinou, no Ministério das Cidades, convênio que destina R$ 14 milhões para obras de melhoramento da infraestrutura urbana nos bairros Timbaúbas, Pio XII e Limoeiro. O investimento está inserido no Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social (FNHIS), com recursos do PAC.

CRESCIMENTO DE CRATO

Neste final de ano, na cidade do Crato, quem quiser contratar um pedreiro pode tirar o cavalinho da chuva. Toda a mão-de-obra especializada encontra-se empregada em centenas de construções, espalhadas pelos bairros. Os donos de lojas de material de construção confirmam: no Crato nunca se vendeu tanto como no último trimestre deste ano. O que comprova que a cidade de Frei Carlos vem tendo bom crescimento. O problema é que alguns teimam em só comparar o crescimento de Crato com Juazeiro do Norte. O que não serve de parâmetro, pois Juazeiro é um fenômeno de crescimento diferente. Igual ao que vem ocorrendo em Petrolina (PE), Palmas (TO) ou Imperatriz (MA).

EQUILÍBRIO

Além do mais, o crescimento equilibrado do Crato possui dados inquestionáveis. Citemos um único exemplo. O número de microempresas abertas nos últimos tempos impressiona. A agência do Crediamigo, do BNB-Crato, possui um dos melhores índices de adimplência do Ceará. E a taxa de desemprego na Princesa do Cariri continua em queda. Bom lembrar que Crato tem o melhor desempenho, no interior do Estado, no tocante à estabilidade do setor comercial. E possui índices baixíssimos de fechamento de firmas e protestos de títulos. Sem falar que a construção civil não para de crescer.

TIRO DE GUERRA

O Tiro-de-Guerra 10-004 do Crato realiza no próximo dia 18, às 18 horas, a Solenidade de Compromisso à Bandeira Nacional e Encerramento do Ano de Instrução, nas dependências do TG. A solenidade constará de recepção à mais alta autoridade presente, apresentação da tropa, canto da Canção do Exército, compromisso à Bandeira Nacional, canto do Hino Nacional, desfile da tropa em continência à Bandeira Nacional, entrega dos diplomas e medalhas ao 1º e 2º colocados no Concurso de Tiro ao Alvo. Após a solenidade haverá a inauguração da foto da Turma 2009, apresentação de um vídeo das atividades desenvolvidas durante o corrente ano e também será servido um coquetel.

BATE-PAPO

>Anos atrás, os pesquisadores Renato Casimiro e Daniel Walker cederam em forma de comodato ao Ipesc da Universidade Regional do Cariri um grande acervo de fotos, livros, cordéis, xilogravuras e documentos históricos de Juazeiro do Norte. Desencantados com a falta de interesse da Urca, eles transferiram, no último dia 2, o acervo para o Campus da UFC-Cariri.

> Na sua passagem pelo Cariri, o presidente da Infraero, Murilo Barbosa, anunciou uma reforma de emergência no Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, dentro de seis meses: dois módulos operacionais para embarque e desembarque.. Aguarda-se agora o projeto de modernização do aeroporto onde serão investidos R$ 50 milhões.

> O monumento ao Padre Cícero completou 40 anos. Foi feita uma grande comemoração para o símbolo da fé de milhões de fiéis e principal cartão-postal do centro nordestino. Mas esqueceram de citar o escultor da imagem, o pernambucano Armando Lacerda.

> Pároco da igrejinha de Fátima do Crato há quase 30 anos, padre Manuel Feitosa festejará, no próximo dia 8 de dezembro, 50 anos de ordenação sacerdotal. Para assinalar o jubileu de ouro haverá missa solene na catedral de Nossa Senhora da Penha.

AGENDA DO BISPO

Dom Fernando Panico esteve esta semana no Recife. Mas retornou ao Cariri para participar da Assembleia Diocesana Pastoral, realizada no Crato, sexta-feira e ontem. Amanhã ele viaja para São Paulo, a serviço da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), de onde só regressará dia 19. Antes da viagem o bispo do Crato definiu um rodízio de párocos que assumirão nos próximos dias as paróquias da Sagrada Família (Crato), e dos municípios de Aurora, Milagres, Barro e Baixio.

Por: Tarso Araújo - Coluna Cariri - Jornal O POVO deste Domingo, 15 de Novembro de 2009

Banda Cascabulho hoje no Crato Tênis Clube - Por: Carlos Rafael


NE - Sem dúvida alguma, a banda que melhor representa a verdadeira Cultura Nordestina. Todo mundo precisa ir ao Crato Tênis Clube hoje para ver essa maravilha que tem encantado a Europa, Ásia e Estados Unidos. A banda cascabulho é a cultura nordestina autenticamente preservada! ( Por: Dihelson Mendonça )

A programação do Banquete Dionisíaco da Mostra Sesc Cariri de Cultura, a banda Cacabulho, de Recife, Pernambuco, será a grande atração com o espetáculo Brincando de Coisa Séria. O show da Cascabulho está previsto para as 23 horas, no Crato Tênis Clube. O grupo cratense de forró pé-de-serra, Herdeiro do Rei, fará a abertura, com o espetáculo Todo Dia é São João.

O Cascabulho formou-se em torno da figura de Jackson do Pandeiro, de quem o grupo recriou diversas músicas. Revelação do Abril Pro Rock de 1997, eles investem na tradição e no folclore, resgatando valores e ritmos poucos difundidos e misturando-os ao som urbano. O nome surgiu do hábito que a avó do vocalista Silvério tinha de alimentar os porcos com restos de cascas de frutas, o cascabulho. A banda, natural do município de Carpina, Zona da Mata pernambucana, é formada por Silvério Pessoa (voz), Jorge Martins (percussão e vocal), Wilson Farias (percussão, baterial e vocal), Marcos Lopes (percussão, vocal e guitarra), Kleber Magrão (percussão, vocal e teclado) e Lito Viana (baixo, cavaquinho e vocal). Em 1997, com participação no Free Jazz e a aparição na entrega do Prêmio Sharp, que homenageou Jackson do Pandeiro, tornaram-se conhecidos no eixo Rio-São Paulo. O Cascabulho já levou sua mistura de ritmos ao Canadá e aos Estados Unidos. Com o show no Summer Stage Festival no Central Park, recebeu elogios de Jon Pareles, crítico do New York Times. Isso tudo antes de gravar o primeiro disco. O CD de estréia, Fome Dá Dor de Cabeça, traz o coco, forró e maracatu embalados por um espírito pop. Em 1999, o disco levou o Prêmio Sharp na categoria regional e a música Quando Sonhei que era Santo o de melhor música também na categoria regional. Em 2000, o vocalista Silvério saiu do grupo para se dedicar à carreira solo. (Fonte: Cliquemusic).

Por: Carlos Rafael - Para o CaririCult

Mutação cria explosão de câncer raro no Brasil


Famílias do Sul e do Sudeste do Brasil sofrem há gerações com uma forma tão agressiva de câncer que alguns dos afetados chegam a se referir à doença como uma maldição hereditária. Um grupo de pesquisadores acaba de mostrar que o problema remonta, de fato, a um ancestral comum --segundo eles, foi provavelmente um tropeiro que deixou descendentes país afora no século 18.

* "Doença era tabu familiar que quebrei", diz afetada por "maldição hereditária"

Por enquanto, contudo, a principal implicação dos estudos é bem mais prática do que entender a história populacional do Brasil Colônia. "Certa parcela dos tumores do Sul e do Sudeste, que nós ainda não sabemos qual é, mas que certamente não é desprezível, está ligada a essa mutação", afirma a médica Maria Isabel Waddington Achatz, do Hospital A.C. Camargo, em São Paulo. Achatz é coautora de um artigo na revista científica "Human Mutation" que detalha esse trabalho de detetive.

Caso especial

A alteração no DNA, típica de algumas das famílias do Sul e Sudeste, se encaixa num conjunto mais amplo de mutações ligadas a formas severas de câncer. Esse grupo maior, conhecido como síndrome de Li-Fraumeni, se caracteriza por vários tumores na mesma pessoa --de mama, do cérebro e da glândula suprarrenal, por exemplo-- antes dos 45 anos de idade. Os cânceres da síndrome de Li-Fraumeni têm a mesma causa: mutações no trecho de DNA que carrega a receita para a produção da proteína p53. Essa proteína, apelidada de "guardiã do genoma", tem como principal função justamente impedir os erros de cópia do DNA que levam ao surgimento do câncer. Ela pode até forçar o "suicídio" de uma célula que passou por mutações perigosas. Assim, sem ela, o organismo perde uma de suas principais defesas. As alterações do gene da p53 que produzem a síndrome de Li-Fraumeni são raras, atingindo uma a cada 5.000 pessoas. Mas, quando começou a se interessar pelo tema, em 2001, Achatz percebeu que o número de pacientes era bem maior do que o esperado. "Logo pensei que estava acontecendo alguma coisa estranha aqui", diz.

Os últimos anos confirmaram essa suspeita. Ficou claro que um tipo específico de mutação no gene da p53 era muito comum em pessoas do Sul e do Sudeste com Li-Fraumeni. O último trabalho de Achatz e seus colegas foi mais fundo: analisou 12 famílias com essa mutação, em princípio sem relação de parentesco entre si. O resultado: todas carregavam o mesmo conjunto de 29 trocas de "letras" químicas no gene da p53. "A chance de todas essas trocas acontecerem juntas em famílias diferentes é baixíssima", diz Achatz. O melhor jeito de explicar isso é imaginar que todas herdaram o conjunto típico de alterações de um ancestral comum distante. Dados obtidos em Porto Alegre e Curitiba, com milhares de pacientes, sugerem que a frequência verdadeira da mutação nesses lugares é de uma em cada 300 pessoas. O mesmo pode valer em São Paulo, afirma a médica. "Quando colocamos essas famílias no mapa, o padrão casa muito bem com as rotas seguidas pelos tropeiros que carregavam mercadorias entre o Sul e o Sudeste no século 18", argumenta ela.

A ideia é que o primeiro portador da mutação teria tido filhos com muitas mulheres ao longo da rota das tropas. Esse sucesso em deixar filhos, junto com outros fatores, teria feito com que seus descendentes estivessem presentes em número desproporcional na população de hoje. Achatz diz que o próximo passo para fortalecer a tese é tentar estimar a data de origem da mutação, com a ajuda da equipe do geneticista Andrés Ruiz-Linares, do University College de Londres. Ela defende que valeria a pena testar a mutação de maneira mais ampla na população, para enfrentar esse tipo de câncer com a maior precocidade possível.

REINALDO JOSÉ LOPES
da Folha de S.Paulo

As várias formas de dar uma Notícia - Beto Fernandes

A história de Chapeuzinho Vermelho na imprensa e suas versões

JORNAL NACIONAL
William Bonner:'Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um Lobo na noite de ontem...'.
Fátima Bernardes:'... mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia'.

PROGRAMA DA HEBE
Hebe Camargo: que gracinha gente. Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?'

BRASIL URGENTE
Datena: '... onde é que a gente vai parar? Cadê as Autoridades?Cadê as autoridades? ! A menina ia para a casa da vovozinha a pé! Não tem transporte público!Não tem transporte público! E foi devorada viva... Um lobo, um lobo safado. Põe na tela!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não.'

REVISTA VEJA
Lula sabia das intenções do lobo...

REVISTA CLÁUDIA
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no Caminho.

REVISTA NOVA
Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama.

FOLHA DE S. PAULO
Legenda da foto: 'Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador'. Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

O ESTADO DE S. PAULO
Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.

O GLOBO
Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT que matou um lobo pra salvar menor de idade carente.

ZERO HORA
Avó de Chapeuzinho nasceu no RS.

AGORA
Sangue e tragédia na casa da vovó.

JORNAL SUPER NOTÍCIAS
Lobo mastiga as tripas da chapeuzinho e lenhador destrói tripas do lobo para retirar a garota (foto ao lado da barriga do lobo com as tripas pra fora).

REVISTA CARAS
(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte) Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: Até ser devorada, eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra pessoa.

PLAYBOY (Ensaio fotográfico no mês seguinte)
Veja o que só o lobo viu.

REVISTA ISTO É
Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

SUPER INTERESSANTE
Lobo mau! Mito ou verdade?

DISCOVERY CHANNEL
Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver.


Complemento:

Em determinado jornal juazeirense:
Existem comentários que o Lobo teria um carro agregado a Prefeitura de Juazeiro

E naquele site cujo editor anda às vezes em Juazeiro:
O comentário é que do Alto da Colina do Horto viram o Lobo correndo trajando uma camisa vermelha

E em certa emissora de rádio:
Locutor: “Uma fonte quente, mas quente mesmo me informou que o Lobo foi convidado para assumir a Secretaria Municipal das Florestas em Juazeiro do Norte!!”

Original do Blog do Jornalista Macário Batista

AURORA:Casarão do Cel. Xavier: Uma reflexão precisa e necessária - Por José Cícero

Com a decisão acertada do prefeito Adailton Macêdo em adquirir o antigo casarão do Cel. Xavier – o fundado de Aurora - creio que cabe agora a cada aurorense, fazer sua reflexão acerca da importância ou não deste ato. Notadamente os intelectuais, os formadores de opinião, os professores, os pesquisadores, os autodidatas, enfim todos aqueles que de alguma maneira devem(ou deveriam) nutrir um sentimento de amor e afeto à preservação da memória histórica deste município salgadiano e que agora acaba de completar seus 126 anos de história. Creio desta maneira, a população como um todo ficaria mais atenta e vigilante no sentido de um maior comprometimento com as coisas que o passado nos legou e que de algum modo temos o dever de conservá-las às novas gerações e a posteridade. Afinal de contas, não cabe apenas ao poder público por iniciativa muitas vezes isoladas e episódicas dá esta tratativa incomum como forma de preservação histórica. Se assim não o fosse, muito do que já foi perdido para sempre não teria ocorrido.

Neste aspecto em particular é que haveremos de relevar como uma iniciativa grandiosa a decisão da compra do antigo casarão, sobremaneira num momento de crise por que passam os municípios brasileiros. Penso ser este um presente que não tem preço, oferecido aos aurorenses justamente num momento em que seus filhos ainda festejam o auspicioso aniversário de 126 anos de uma bela história. Um momento de absoluta celebração... Como se o nosso passado voltasse incontinenti à baila como em vídeo-tape.

No entanto, é preciso que se leve esta reflexão para os nossos centros do saber: as escolas em todos os níveis, o ambiente da sala de aula em todos os seus contextos precisam da argamassa temática do nosso próprio cotidiano. Quem sabe parte do desmoronamento do nosso nível de aprendizagem não resida no fato de que carece da praxe freiriana de se trabalhar o que é nosso? A abordagem acerca do velho casarão do coronel Xavier não é apenas história como tal se parece. É ética, cidadania, psicologia educacional, geografia política, filosofia, enfim, uma boa discussão que terá a cara daquilo que nos propomos a fazer dela. A depender do nível de compreensão que teremos de uma iniciativa como esta que também se insere na pedagogia do fazer sociocultural e histórica de qualquer urbe preocupada com seus entes sociais.

O que no fundo fomentará a informação necessária no tocante àquilo que efetivamente nos pertence e criando as condições objetivas para que lutemos por sua manutenção. Urge que façamos com que cada cidadão se sinta sujeito da sua própria história e isso só acontecerá através da consciência crítica e da autocrítica acerca das coisas e do mundo no qual estamos inseridos como sujeitos históricos. E através de uma educação de fato e sem nenhuma máscara como uma ferramenta e atitude de intervenção. Os que não pensam assim de certo modo deseducam mais do que desinformam o que é muito pior. Os que não vêem na preservação da memória histórica uma saída para a compreensão do presente e do futuro de algum modo deletério estão na chamada contramão da história e dos acontecimentos hodiernos. Cada um pensa como quer e como pode, este é um princípio que a democracia lhe confere, no entanto, pensar errado não pode ser nem de longe algo admissível quando o que está em jogo é a tentativa da construção da própria identidade de um povo, cujo papel da história tem um peso especial. Nenhuma civilização regrediu tanto quando esqueceu o seu passado. Nenhum povo conseguiu se perpetuar no tempo e no espaço não fosse o nível de cultura que deixou em formas de registros que vão desde a oralidade, artes, tradição, monumentos, isto é, um conjunto de patrimônio histórico quer seja material ou imaterial. Tudo como indicativo da sua mais alta e inquebrantável identidade social e humana. E Aurora não pode se dá ao luxo de não enxergar este fundamento quase axiológico e pensamental.
Portanto, a compra do velho Casarão do coronel Xavier veio em boa hora. Até porque o antigo prédio não suportaria mais uma invernada.

Sua situação a cada dia que passa se agrava ainda mais e está periclitante mesmo diante dos olhos de todos. Era como sua presença se desse no nível do invisível ou do supra físico. Sua recuperação arquitetônica, portanto, requer agora um caráter emergencial. O tombamento pode até esperar, mas sua recuperação nem tanto.

O antigo casarão representa hoje a mais antiga e, portanto, o mais significativo do patrimônio histórico de Aurora e quiçá de todo o Cariri Oriental. Vez que fora erguido nos idos de 1831 seis anos antes da própria matiz que na época da construção do sobrada não passara de um minúsculo oratório remanescente do padre Antonio Leite de Oliveira, dantes proprietário da fazenda Logradouro, como era chamado todo o espaço circunscrito hoje ao centro da cidade. Após adquiririr por herança a fazenda posto que despousara uma neta do padre, o Coronel Fco. Xavier de Sousa decidiu por construir o sobrado bem ao lado do oratório. E o fez com imponência, uma construção arrojada e grandiosa para a época, algo que pudesse a um só tempo evidenciar o seu poder e demarcar por assim dizer, o centro espacial que a partir de então, seria o núcleo irradiador do seu comando. Um local estratégico escolhido a dedo uma vez que de lá podia se vislumbrar toda a visão panorâmica do que ocorria naquela ribeira de frente para o rio e o nascente. Ainda com amplas janelas viradas para todos os lados, o coronel d’Aurora podia num raio de 360º graus se dá conta em pouco passos do cotidiano da antiga Venda da Aurora. Do alto, o coronel podia ver, por exemplo, o que faziam o preto Benedito na sua capela à margem do Salgado e a mulher Aurora na sua hospedaria a receber com sua graça os almocreves que subiam e desciam do litoral e dos sertões adentrando num verdadeiro frenesi o Cariri, pernoitando na Venda da dona Aurora. Por fim, digamos agora que o velho sobrado, testemunho maior da história aurorense hoje mais do que nunca pertence(como não podia deixar de ser) a todos os filhos desta terra.

A aquisição do casarão, é muito mais que uma ação isolada de um gestor preocupado com o bem-estar da municipalidade como seria o lugar-comum de muitos pelo Brasil afora. Mas não. A aquisição do casarão é uma obra da mais alta relevância social, justamente pelo fato de está diretamente atrelada não apenas ao presente, mas, sobretudo ao passado, o presente e o futuro de várias gerações que já se foram e que ainda estão por vir. Uma obra póstuma, pretérita e ainda mais futurista. Uma motivação a mais para que todos os aurorenses nunca mais se sintam distantes dos seus ancestrais o suficiente para não se sentirem parte importante de uma construção humana que nunca termina, malgrado a insensibilidade dos homens. Uma obra que de tão substantiva talvez somente no futuro haveremos de compreender na sua totalidade a imensa valia do seu papel na formação e consolidação da nossa consciência cidadã. Um gesto desprendido e por isso mesmo grandiosa do alcaide Adailton Macedo em favor da sua terra.

A propósito, como estaria Aurora se outros tivessem pensado antes e agido também com esta acurada visão histórica e social? Se outros não tivessem a incompreensão ousada de mandar calar o som das gargantas de poucos que defendiam o casarão mesmo antes dele chegar a este atual estado de quase morte? Mas como dizem: antes tarde do que nunca. Vida longa ao casarão nos seus 178 anos de resistência ao tempo e a insensibilidade dos homens!

José Cícero - Professor, poeta e escritor.
Secretário de Cultura, Turismo e Esporte
Aurora - CE.

Lúcio Alcântara esclarece matéria do Jornal Diário do Nordeste sobre Aeroporto Regional do Cariri


Nota do Blog do Crato:
O nosso amigo Lúcio Alcântara, que indicou o Blog do Crato para um prêmio recentemente, nos enviou esta nota em que esclarece o seu ponto de vista em relação á matéria veiculada no Jornal Diário do Nordste sobre o Aeroporto Regional do Cariri e remete ao ano de 2003. O ex-governador do ceará acrescenta que demorou a responder, pois gostaria de pesquisar todos os detalhes a fim de que tudo isso seja passado a limpo. Este editor acompanhou esta pesquisa através do nosso amigo Raimundo Filho, que dias atrás me avisou que o Lúcio iria nos enviar uma matéria. ( Dihelson Mendonça ).

Nota do Ex-Governador Lúcio Alcântara

Li, no caderno Regional, do Diário do Nordeste, edição de 10/11/09, matéria sob o título :

Aeroporto do Cariri. Estado não presta contas da verba da Infraero. Nela está atribuida ao Deputado José Airton Cirilo (PT-CE) a declaração de que "o início das obras do Aeroporto Regional do Cariri estaria na dependência de cumprimento de compromissos por parte do estado". Em seguida está dito que uma das pendências seria "a não prestação de contas de um convênio celebrado com o governo do estado em 2003 no valor de R$ 2,7 milhões para ampliação da pista e dos terminais de passageiros e também do estacionamento".

"No caso da pista, que seria ampliada de 1800 para 2300 metros, ficou do mesmo tamanho. O parlamentar acrescentou que o entrave maior é a não prestação de contas que impossibilita a homologação do campo de pouso junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC)". "O estado deve fazer a prestação de contas, ou devolver o dinheiro à Infraero, adverte o Deputado".

Demorei a responder à afirmação para me inteirar do assunto com toda segurança e posso afirmar que o Deputado José Airton incorreu em erro ao dizer o que disse. Com efeito foi celebrado convênio, de número 003/2002/0010, entre as duas partes, não em 2003, mas em 14/03/02, no valor de R$ 2,650 milhões, sendo a contrapartida do estado de R$ 179.417,80 mil, e as obras executadas de março à junho de 2004. Foram executadas as seguintes obras pelo estado : ampliação da pista, passando de 1.500 para 1740 mts.; serviço de salvamento e combate à incêndio; revitalização da pista de pouso, pista de taxi, construção da seção contra incêndio, conservação de cercas e muros patrimoniais, sinalização horizontal e sistema de drenagem.

Obra executada pela Infraero : balizamento noturno da pista de pouso.

A prestação de contas do referido convênio foi encaminhada à Infraero após a realização das obras, conforme cópia em meu poder, tendo o estado na ocasião recolhido à convenente o saldo de R$ 17.171,20. Fica portanto cabalmente demonstrado que não procedem os argumentos do parlamentar, devendo serem procurados outros motivos para a não realização de obra tão ansiada pelo povo do cariri ao qual meu governo deu a melhor atenção.

Texto enviado por Lúcio Alcântara, para o Blog do Crato.

Alguém está lembrado que hoje é feriado? - por Armando Lopes Rafael

Proclamador da República é pouco conhecido em sua terra natal – por Odilon Rios
(Fonte: site Terra)

O Marechal Deodoro da Fonseca nasceu em 5 de agosto de 1827 em Alagoas. Entrou na política em 1885. Era um dos homens mais próximos ao imperador Dom Pedro II. Em 15 de novembro de 1889, proclamou a República. Iniciou a "República das Espadas", porque dois marechais ocuparam a presidência: Deodoro e, logo depois, o também alagoano Floriano Peixoto, isso antes de dar início a "República Velha", com presidentes civis.


Na cidade onde nasceu o proclamador da República, o marechal Deodoro da Fonseca, a população pouco conhece ou nunca ouviu falar do primeiro presidente do Brasil, que assumiu o cargo após a derrubada do Império, em 15 de novembro de 1889. O município de Marechal Deodoro fica a 25 km de Maceió, às margens da Lagoa Mundaú, e tem uma das praias mais visitadas e belas do Brasil, o Francês. No lugar, navios da Segunda Guerra Mundial foram afundados pelas tropas alemãs, piratas franceses tentaram invadir o Brasil pelo mar durante o período colonial e igrejas em restauração guardam mistérios: túmulos de famílias influentes de Alagoas foram descobertos durante as escavações.

A casa onde nasceu e viveu o marechal é um museu. Há três dias, a cidade está em festa em comemoração à Proclamação, mas o pescador Chagas da Silva, 64 anos, desconhece o porquê de tanta gente que vai e vem pelas ruas e praças de Deodoro. "Sei não, é por causa do governador que tá vindo para cá?", pergunta. "Tem a ver com o Lula? Por que me disseram que ele não vem para cá. Sei não por que tanta festa", disse. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi convidado para a festa. Não foi, mas mandou representantes de escalões da União para anunciar obras no município.

O funcionário público João Jacinto da Silva ouviu falar pouco do filho ilustre de Marechal ou da Proclamação da República. "Não sei bem quem ele foi. Sei que vai ter um show do Zezé di Camargo e Luciano no domingo. Por isso tem a festa, não é?", pergunta. Armando o palco que vai receber as autoridades para o desfile militar deste domingo, Ivanildo Santos da Silva sabe da Proclamação. "Ouvi falar do Marechal Deodoro, mas, o quê é mesmo esse período da História brasileira?", questiona. "Sei lá, tem a ver com um representante aqui da cidade", responde a sua propria indagação. E a festa? "Dizem que é porque vão anunciar um monte de coisas no Francês".
De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Marechal Deodoro tem 45.141 habitantes. Cerca de 65% da população é pobre; 6.292 são analfabetas e apenas 99 pessoas recebem acima de 20 salários mínimos. Por causa do alto índice de assassinatos, duas favelas receberam nomes de países em conflito: Iraque e Israel. O "Iraque" de Marechal Deodoro chama-se hoje conjunto Esperança.

Na última semana, a movimentação nas escolas era considerada acima do normal. Os alunos preparavam-se para o desfile militar, as bandas de fanfarra conferiam as partituras e treinavam as músicas para o dia festivo. "Há 170 anos Marechal Deodoro deixou de ser a capital de Alagoas e, por três dias, depois de um decreto legislativo, o governador transferiu para a cidade do proclamador a chefia do Executivo Estadual em comemoração a este dia", lembra o secretário do Gabinete Civil, Álvaro Machado. A comemoração dos 120 anos da República começou na sexta-feira e trouxe autoridades a Marechal Deodoro. Entre elas, o governador Teotonio Vilela Filho (PSDB). Há poucos metros da Prefeitura, lotada de políticos, a vida na cidade continuava quase normal. Uma rotina só quebrada pela quantidade de policiais circulando pelas ruas.

O reforço de PMs, a pedido do prefeito Cristiano Matheus (PMDB), existiu por causa de boatos sobre protestos contra sua administração. Panfletos foram apreendidos, chamando Matheus de "mentiroso". "Estamos no 11° mês de administração e estamos superando desafios", disse. Em Marechal, prefeitos e vereadores já foram afastados dos cargos, acusados de corrupção e lavagem de dinheiro.

Fonte: site Terra - postado por Armando Lopes Rafael

Não valem o que cobram - Por: Jussara Seixas

O papel da mídia tem sido questionado últimamente neste blog. De um lado tem Armando Rafael e José Sales que defendem incodicionalmente a revista VEJA, e do outro aqueles que deixam bem claro que odeiam não só a revista mas o grupo Abril. Achei interessante este artigo, pois nos lembra que mesmo com toda a mídia contra o que prevalece é a vontade do povo. Acredito que o mesmo irá se repetir nas próximas eleições presidenciais para desespero e falencia daqueles que...

A mídia está devendo porque não entregou a derrota do presidente Lula, que foi encomendada e paga. Os jornalistas se empenharam, mas faltou-lhes competência. Os anunciantes precisam rever o custo da mídia, pois ficou provado que os grandes títulos e sobrenomes dos meios de comunicação não valem o que cobram. Afinal, foi claramente demonstrado que não formam opinião e não têm credibilidade. Não conseguiram vender seu peixe podre. O presidente Lula, após 4 anos de massacre diário pela mídia escrita, radiofônica e televisiva, teve uma votação histórica. E o governo Lula teve uma avaliação de ótimo e bom de mais 53% da população pouco antes das eleições. Os anunciantes precisam pechinchar os valores cobrados pela mídia. Os acionistas devem exigir a redução desses valores pelo menos à metade.

Os políticos, empresários e famosos não devem mais sujeitar-se às chantagens da mídia, pois ela se mostrou um poder pífio. É preciso também rever os empregos e salários ou pro-labores dos jornalistas que se empenharam nessa empreitada e que se achavam formadores de opinião. Eles devem ser demitidos ou ter seus salários diminuidos, pois provaram que são incompetentes. É grande a lista dos que receberam um bom dinheiro pela empreitada sem fazer jus a ele: Eliane Cantanhede, Fernando Rodrigues, Josias de Souza, Ricardo Noblat, Merval Pereira, Miriam Leitão, Alexandre Garcia, Jô Soares, William Bonner, Fátima Bernardes, Arnaldo Jabor, Dora Kramer, Renata Lo Prete, Lucia Hypolito, Diogo Mainardi, Clóvis Rossi e outros tantos, menos conhecidos. Mostraram que são incompetentes, que não merecem seus salários nem os postos de chefia que ocupam.

Os anunciantes devem seguir o exemplo da Sul América Seguros, que sabiamente retirou o patrocínio de um pocast reacionário na Veja. Não compensa patrocinar esses incompetentes. Após 4 anos de campanha intensa eles não conseguiram vender para o povo a falsa imagem ruim que criaram do presidente Lula e do governo Lula, encomendada pela eleite aos donos dos maiores jornais, revistas, rádios e canais de TV -- Frias, Mesquista, Marinho, Civita et caterva. Os interesses de quem encomendou são tão escusos que ainda se mantêm ocultos. Eles não entregaram o que foi encomendado e pago, não cumpriram o que prometeram. Não valem o preço que cobram, estão enganando seus anunciantes e patrocinadores, como tentaram enganar o povo.

Por: João Ludgero
( Recuperado de um Rascunho postado no Blog do Crato hoje )

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30