xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 13/10/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

13 outubro 2009

Nossos Parabéns à Secretária de Cultura do Crato Danielle Esmeraldo !


Quero aqui parabenizar a Secretária de Cultura Danielle Esmeraldo pelo BRILHANTE trabalho que tem feito frente à Secretaria de Cultura, uma das mais importantes do Município, que é reconhecido internacionalmente por ser um polo de Cultura e referência Artística para toda a região do Cariri. Os dias não tem sido dos melhores para se conseguir verbas para a realização dos eventos que se tem em mente no Crato, mas muita coisa boa tem sido feita, e boa vontade em realizar, com certeza, não falta!

Parabéns Danielle Esmeraldo pelo festival, pelo São João, pelo Carnaval, e outras festas populares e o constante apoio às artes e à cultura. O que seria mais interessante é que as pessoas da cidade pudessem se motivar mais a prestigiar os eventos oferecidos, mas isso é consequência também dessa mídia radiofônica perversa, que está destruindo os bons valores das artes e da cultura. Em todas as partes, no CCBNB, no SESC, há uma escassez de público, porque a nossa juventude está quase perdida em meio às drogas, às bebidas e ao Forró Eletrônico. O Homem nunca se aproximou tanto da cabeça de um Macaco quanto nos nossos dias, com essa horrível música produzida por essas bandas de forró do estado do Ceará. Mas por todo o empenho em reverter esse quadro, nós já podemos nos considerar verdadeiros HERÓIS, pois nadamos contra a correnteza. Trabalhamos na adversidade. Parabéns a Danielle Esmeraldo e a todos os que promovem a Cultura e as Artes do Cariri e no Mundo, que está tão carente destes bons e edificantes exemplos.

Dihelson Mendonça

Didi Moraes faz turnê no Ceará - Por: Janinha


O compositor Didi Moraes inicia neste mês de outubro, a turnê de lançamento do seu CD "Um Cavaquinho, Um Coração e Uma Viola". O espetáculo, que tem o mesmo título do disco - "Um cavaquinho, Um coração e Uma viola" - tem o patrocínio da SECULT- CE (projeto aprovado no Edital de Incentivo às Artes para Pessoas com Deficiência) e é apresentado em parceria com o SESC-Ce.

A turnê percorrerá as cidades de: Fortaleza - dias 17 e 18 de outubro, às 21h, no Teatro Emiliano Queiroz; Sobral - dia 23 de outubro, às 20h3, no auditório da Universidade Estadutal do Vale do Acaraú (UVA); Viçosa - dia 24 de outubro, às 20h, no Pólo Turístico da Igreja do Céu; Iguatu - dia 27 de outubro, às 20h, no Teatro do SESC; Juazeiro do Norte - dia 28 de outubro, às 20h, no teatro do SESC; Crato - dia 29 de outubro, às 20h, no Teatro do SESC; Nova Olinda - dia 30 de outubro, às 20h, no Teatro Violeta Arraes (Casa Grande). No repertório, chorinhos, baiões, frevos, valsas e canções, composições de Didi Moraes, dos cearenses, Pardal e Davi Silvino e de Luiz Gonzaga, Waldir Azevedo, Caetano, Pixinguinha e Capiba.

Didi Moraes (Cavaquinho), Eduardo Holanda e Davi Silvino (Violões) e Igor Caracas (Percussões) estarão sob a Direção Artística da Maestrina Izaira Silvino e Produção de Kaika Luiz. Trata-se de um espetáculo de fino gosto estético e alta competência estilístico-interpretativa, tanto pela competência dos músicos instrumentistas como pela beleza das composições. Vale à pena conferir!

Fonte: Janinha

Catolicismo em Alta - Festa da Padroeira reúne 43 mil pessoas em missa em Aparecida (SP)

Um Relato sobre as comemorações em Aparecida-SP

O Santuário de Aparecida (180 km de São Paulo) estima que cerca de 43 mil pessoas tenham participado da missa das 10h desta segunda-feira, o principal evento do dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, comemorado hoje. Para todo o dia eram esperadas 137 mil pessoas. Segundo a assessoria do Santuário, as celebrações começaram às 5h e devem terminar depois das 18h, com a um show com o padre Fábio de Melo e Adriana. Na missa das 10h, a basílica teve ocupação total, com cerca de 43 mil pessoas. A missa foi presidida pelo cardeal Cardeal Geraldo Majella Agnelo, Arcebispo de São Salvador da Bahia (BA). Às 16h, vai ocorrer uma procissão solene, que irá percorrer o santuário desde a basílica até a Tribuna Sul. Após a procissão, haverá um show com o padre Fábio de Melo.

As comemorações tiveram início no dia 3 de outubro com a realização de uma novena. Ontem (11), cerca de 90 mil pessoas passara pelo Santuário e participaram das celebrações. Segundo informou a assessoria de imprensa da Festa da Padroeira, centenas de pessoas estão acampadas no bosque do santuário.

Segurança

Neste ano, a Polícia Militar conta pela primeira vez com 32 câmeras de videomonitoramento espalhadas pela cidade para acompanhar a movimentação dos fiéis. Também está sendo feita a vigilância dentro do santuário com 48 equipamentos fixos e 8 móveis, durante 24 horas em todo o santuário, por 180 seguranças.

A segurança também será reforçada com o aumento no efetivo de policiais militares, além de alunos oficiais da Academia do Barro Branco. A PM (Polícia Militar) irá contar com 515 homens e cem carros nestes três dias.

Fonte: Folha OnLine

Britanico identifica mais um reptil voador no Ceará - Por: José Sales


O grupo mais belo e esquisito de répteis pré-históricos do Brasil tem um novo integrante. Trata-se do Tupuxuara deliradamus, um pterossauro cujas asas podem ter medido 4,5 m de ponta a ponta e que sobrevoava a região de Santana do Cariri, no sul do Ceará, há mais de 100 milhões de anos.O bicho foi descrito pelo paleontólogo Mark Witton, da Universidade de Portsmouth (Reino Unido), em artigo na revista científica “Cretaceous Research”, e mostra que a diversidade de répteis voadores no Ceará da Era dos Dinossauros provavelmente era grande. Afinal, essa já é a terceira espécie do gênero Tupuxuara a ser descoberta pelos cientistas. O T. deliradamus se diferencia das demais, entre outras coisas, por causa do formato peculiar de uma abertura em seu crânio, a chamada fenestra nasoantorbital. O buraco tem forma que lembra um diamante -daí o nome de espécie deliradamus, uma tentativa de dizer “diamante louco” em latim.

O que, aliás, explica tudo: como fã da banda de rock progressivo Pink Floyd, Witton resolveu dar ao bicho um nome que ecoasse a canção “Shine on you crazy diamond” (”Brilhe, seu diamante louco”), a qual, por sua vez, homenageia o primeiro líder da banda, Syd Barrett (1946-2006). No auge do sucesso, Barrett surtou e abandonou o grupo. “Conversei com um amigo enquanto estudava o fóssil, e nós dois concordamos que a homenagem era a coisa certa a fazer”, diz Witton.

Além das asas avantajadas e do “bico” sem dentes, os pterossauros do gênero Tupuxuara, assim como seus primos próximos, do gênero Thalassodromeus, são caracterizados por imensas cristas ósseas no alto da cabeça. A função desse tipo de cocar nos bichos extintos ainda não está clara. Alguns pesquisadores, como o brasileiro Alexander Kellner, paleontólogo do Museu Nacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), postularam que a crista era uma espécie de radiador. Cortada por uma densa rede de vasos sanguíneos, ela seria responsável por dispersar o calor do corpo dos bichos durante o voo.Witton, porém, não aposta nessa interpretação. “Uma coisa que notamos é que essa rede de vasos está apenas na superfície da crista, não chega ao fundo dela. Isso indica que ela não era boa para transportar o calor dos órgãos internos para fora e vice-versa”, diz. “Por outro lado, vemos que a crista só fica realmente grande em indivíduos maduros. Isso sugere que ela podia ser um sinal de maturidade sexual”, avalia.

O fóssil que permitiu a descrição da nova espécie -um crânio parcial e uma mandíbula também parcial- estava depositado na Universidade de Portsmouth e agora passará uma temporada na Alemanha. Isso levanta uma questão espinhosa: o que o material está fazendo fora do Brasil? Trata-se, na verdade, de um problema crônico. Museus do Primeiro Mundo adquirem sem problemas os fósseis de atravessadores, uma vez que não reconhecem a legislação que impede a saída desse material do Brasil sem autorização. “Acho que precisamos de mais colaboração internacional. Seria possível trabalharmos junto com os cientistas do país de origem dos fósseis”, diz Witton.”

Fonte Folha Online

Nota da postagem por José Sales. "Não sou paleontologo e sim simplesmente um arquiteto"

Diferenças do enfrentamento da crise – Por: José Nilton Mariano Saraiva

Muito tem sido dito, ultimamente, sobre as possíveis semelhanças de projetos entre as candidaturas tucana e petista em 2010. O período de crise pelo qual o Brasil passou, porém, revelou-se importante para fazermos um balanço sobre as reais diferenças de projetos que estarão em jogo no ano que vem.
O Governo Lula, para enfrentar a crise, reduziu alíquotas de impostos, aumentou o gasto público, baixou os juros e ampliou o crédito público, implantando uma política tributária, fiscal, monetária e creditícia anti-recessiva, promovendo diretamente e financiando a produção e o consumo. Também manteve e aprofundou as políticas sociais de transferência de renda. Esta agenda tirou o país da crise rapidamente. No Governo Serra, a venda do patrimônio público, o “arrocho salarial”, o congelamento dos recursos para financiamento da produção e o aumento da carga tributária permaneceram como elementos centrais da administração tucana. Uma política tributária, fiscal e creditícia irresponsável, aprofundando a crise econômica.
As diferenças entre o Governo Lula e o Governo Serra no enfrentamento da crise econômica revelam, na verdade, profundas diferenças na concepção de ambos em relação ao papel do poder público. Para o Governo Lula, o poder público pode e deve atuar fortemente na garantia do desenvolvimento social e econômico do país. Já a agenda tucana tem como eixo principal o Ajuste Fiscal Permanente iniciado em 1997, com a assinatura do Acordo da Dívida do Estado de São Paulo com a União.
Naquele momento, Mário Covas se comprometeu a aumentar a arrecadação, cortar gastos (sobretudo com o funcionalismo público), vender o patrimônio público (privatizar), não realizar novas operações de crédito e reduzir os investimentos. Buscava-se, deste modo, ampliar o superávit primário, gerando recursos para o pagamento dos encargos da dívida pública. De lá para cá, quase nada mudou na agenda dos governos tucanos no Estado de São Paulo, nem durante a grave crise econômica e financeira pela qual o país passou no final de 2008 e princípio de 2009.
Para sermos mais precisos, as diferenças entre Lula e Serra no enfrentamento da crise econômica e financeira recente podem ser apresentadas em quatro pontos:
1) Política tributária: enquanto o Governo Lula reduziu a alíquota de impostos federais, como o IPI, para setores econômicos com grande impacto na produção, na geração de emprego e na renda - como no caso da indústria automobilística, no setor de material de construção e no setor de eletrodomésticos da chamada “linha branca” - o Governo Serra ampliou para dezenas de setores o mecanismo da substituição (antecipação) tributária do ICMS, cobrando impostos sobre as empresas sem que estas tivessem efetivamente vendido seus produtos, retirando recursos do caixa das empresas no auge da crise, desestimulando as vendas promocionais no setor atacadista e varejista e prejudicando as micro e pequenas empresas.
2) Compensação aos municípios: o Governo Lula implantou medidas de compensação aos municípios pela queda na arrecadação e nas transferências do Fundo de Participação dos Municípios/FPM. A compensação foi de R$ 1 bilhão, assegurando-se o repasse dos mesmos valores de 2008, recorde histórico do FPM. O Governo Serra não criou nenhuma medida de compensação aos municípios pela queda dos repasses do ICMS nos primeiros meses do ano.
3) Crédito para a produção e o consumo: o Governo Lula ampliou a oferta de crédito para a produção e o consumo através dos bancos públicos (Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES), compensando a redução da oferta de crédito dos bancos privados no auge da crise. O Governo Serra vendeu o Banco Nossa Caixa e congelou mais de 61% dos recursos da Agência de Fomento do Estado de São Paulo (cerca de R$ 492 milhões), nos primeiros meses de 2009.
4) Políticas sociais e garantia de renda: o Governo Lula garantiu o aumento real do salário mínimo e do Programa Bolsa Família em 2009, além de seguir corrigindo o salário do servidor público federal. Já o Governo Serra não cumpre a data-base do funcionalismo público e segue arrochando o salário dos servidores. Mais ainda, no início de 2009, bloqueou cerca de 20% dos recursos nos principais programas sociais de transferência de renda, tais como o “Renda Cidadã” e o “Ação Jovem”.
Moral da história: a verdadeira agenda do desenvolvimento econômico e social continua com o governo petista, e graças a ela, entramos por último e saímos primeiro da grave crise econômica e financeira que se abateu sobre o mundo. Já os tucanos continuam com uma agenda congelada no tempo, baseada no antigo "ajuste fiscal permanente", caminho óbvio para o Estado Mínimo.

********************************

De nossa parte, a indagação que fica é: e aí, você teria coragem de votar no Serra ???

Fonte: Luis Nassif – Postagem: José Nilton Mariano Saraiva

Ressaca de Um Carnaval sem Samba é a música vitoriosa da primeira etapa Cariri da canção! - Por: Janinha

Categoria Estudantil

Nara Fidélis é a vencedora como melhor intérprete e também representou a música campeã dessa primeira etapa do festival, cantora com timbre cheio de personalidade, é uma das boas promessas da música caririense,o que me impressionou foi o nível dos candidatos, o quanto a nossa região tem de talento, os cinco classificados tem valores diferentes, apenas precisando amadurecer, e vendo toda essa "galera" fazendo o que faz com a música, lamento por aqui não ter mais investimento em escolas de música, oficinas que seja,segundo a produtora de eventos Maria Carvalho, o festival podia seguir a forma adotada por outros festivais de renome, que ao invés de premiar por classificação, oferecem oficinas com nomes respeitados,o que faria o nível dos candidatos aumentar a cada ano, cito daqui mesmo do Crato: Isaíra Silvino, que tem um currículum louvável,Ricardo Correia que poderia ensinar técnicas de solfejo e expressão corporal, faríamos uma troca enriquecedora, adotaríamos realmente a cultura musical não só no momento do evento,mas ao longo do ano,lições que ficariam pra toda vida.Podia ter um incentivo em dinheiro,mas pra todas as músicas selecionadas para se apresentar, em valor menor, apenas pra estímulo, isso daria maior liberdade autoral, e para quem está interpretando,pois seria uma exposição rica de música,livre,espontânea e cada vez mais profissional.

Sei dos problemas da organização do festival,é um evento novo, ainda em ajustes, temos que valorizar a iniciativa, ouço tanto comentário indignado de que aqui não se tem cultura, que nossa terra tá esquecida, mas é lamentável ver a escassez de público para prestigiar, até mesmo pra criticar depois,pois há sim belos movimentos culturais nessa região, mas os "intelectuais" não prestigiam tudo que o CCBNB tem trazido,como esse evento de música instrumental, e mês passado de música independente, teatros vazios, o SESC Crato e Juazeiro do Norte, sempre com a agenda cheia de atrações, o nosso tão desejado festival, o Cariri Cangaço, teremos agora em novembro duas semanas de teatro,uma verdadeira guerrilha que pretende atingir todos os públicos, bem depois a Mostra SESC, tão criticada também pelos músicos e interessados em cultura, mas uma mostra respeitada nacionalmente, elogiada,e acho sim, que boa parte das pessoas,não todas, que falam do desprestígio do evento aos artistas da região estão sendo injustas,ou talvez desinformadas,pois é sabido que é divulgado com antecedência as inscrições, onde se pode mandar um projeto, mas até quem não o tem reclama, já ouvi absurdos do tipo:

A Mostra que venha à minha procura! Isso é muito provinciano,hoje o mundo não funciona assim, alguns que mandaram projetos e não foram aprovados pela simples razão de não cantarem música brasileira, ou mesmo cantarem pessoas e verdades de outros estados,ficam revoltados com a exclusão,vejo no meu ponto de vista que poderia sempre ter,até mesmo por respeito a nossa história musical,lugar de honra apenas pra:Abidoral Jamacaru,Lifanco,João do Crato, Dihelson Mendonça,Pachely Jamacaru,Hugo Linard,e outros poucos,pessoas que ja fizeram história, essas sim, merecidas de louvor.Com um pouco mais de humildade e trabalho nossa cidade e região só crescem, temos sim muito valor...PRESTIGIEMOS!

Por: Janinha

Contrariando os maias, livro descarta apocalipse em 21 de dezembro de 2012

O mundo não vai acabar no dia 21 de dezembro de 2012, aposta o livro "2012: A Era de Ouro". A data do apocalipse é atribuída ao calendário dos maias, povo pré-colombiano que habitava a região sul do México. O tema é um dos filões de Hollywood. No próximo dia 13 de novembro, chega aos cinemas brasileiros o filme-catástrofe "2012", que explora o medo do fim dos tempos com direito a cenas de desastres naturais, como vulcões e furacões, em tempos de tsunamis e mudanças climáticas bruscas com o aquecimento global. Até o Cristo Redentor é destruído na produção estrelada por John Cusack, Thandie Newton e Woody Harrelson.

Com a proximidade da estreia, representantes da cultura maia estão cansados de dar entrevistas negando que o planeta sucumbirá em 2012. Nesta segunda-feira (12), a agência de notícias Associated Press ouviu um xamã maia, o guatemalteco Apolinario Chile Pixtun, que negou a interpretação dada pelo filme. Ele culpa o Ocidente pelo boato.

O livro "2012: A Era de Ouro" aponta para um cenário oposto ao disseminado pelos adeptos das teorias apocalípticas na internet. Os autores Carlos Torres e Sueli Zanquim mostram que, a partir desse ano, a Terra viverá um período de exuberância e prosperidade, fruto da chamada Nova Era, a Era de Aquário. A obra se baseia no zodíaco egípcio de Dendera.

Mas as apostas sobre a data do extermínio da humanidade não são alimentadas apenas por adeptos da astrologia nem do misticismo. Em Juazeiro do Norte (CE), o grupo Borboletas Azuis, ligado ao culto de padre Cícero, chegou a armazenar arroz e feijão para se prevenir do apocalipse que seus seguidores esperavam para a virada do ano 1999 para o 2000. O mundo não acabou.

"2012: A Era de Ouro"

Autores: Carlos Torres e Sueli Zanquim
Editora: Madras
Páginas: 176
Quanto: R$ 42,90
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 e no site da Livraria da Folha

Fonte: Folha OnLine

TV PÚBLICA - Imagens do Brasil - Por Bruno Peron Loureiro

Quando ligo o televisor, tenho o costume de sintonizar um canal aleatório e, a partir dele, transitar de um a outro até que encontre algum que agrada. Raras vezes me importa se é público ou privado, se sua audiência é alta ou baixa. Busco programação educativa. Ou de uma educação que preste. Quase sempre, no entanto, estaciono nos mesmos canais e, logo, eles acabam sendo ponto de partida na próxima vez que emprego ozapping ou trafego entre as sintonias. Aprendi a sentir um certo dissabor quando a programação de algum canal – aqueles notoriamente comerciais – negligencia a diversidade brasileira e mundial, não oferece conteúdo que promova a democracia e estabeleça o debate, abafa opiniões distintas, e sustenta posicionamentos políticos unilaterais na sua grade de produtos. É! Produtos. Por isso, passei a considerar a televisão comercial com muita suspeita.

Sugiro que diversifiquemos o consumo de programação entre as ofertas disponíveis, que incluem a televisão comercial com maior conteúdo educativo, a televisão pública e a estatal. A TV Cultura de São Paulo, a TV Brasil, a TV Câmara, a TV Senado, canais universitários e regionais convidam-nos a considerar aspectos da sociedade que não são representados nas demais por comodismo ou interesse de grupos econômicos poderosos.

Mais precisamente, recomendo uma olhadela na programação da TV Brasil, que pertence à Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Esta congrega imprensa, rádio e televisão desde um orçamento estatal, apesar de que seu conteúdo é elaborado com base no interesse público e com independência ideológica do governo, o que se reforça por seu Conselho Curador e Ouvidoria. A televisão pública mostra um conteúdo mais favorável à cidadania.

As caras dos brasileiros

A TV Brasil transmite o sinal desde dezembro de 2007 e, devido às enormes discrepâncias em qualidade de conteúdo com relação aos grandes canais abertos e comerciais, tem recebido críticas desmerecedoras, muitas das quais são infundadas. Uma delas é de que é a TV de Lula. Será por que a TV Brasil mostra rincões do nosso país que outras emissoras nem sabem que existem? A televisão pública tem a virtude de equilibrar a balança da qualidade de conteúdo.

Ademais, em vez de distrair o povo brasileiro com novelas elitistas ou que descrevem idilicamente a Índia, país que concentra riqueza e pobreza tanto quanto o nosso, por que se investe pouco em relatar os indígenas, os quilombos, entre outros grupos marginalizados do Brasil? Por que, em vez de tachar de ditadores alguns governantes latino-americanos, não contam seus feitos em reduzir a pobreza? Os fatos polêmicos suprimem qualquer noção construtiva.

A TV Brasil mostra em maiores detalhes as caras dos brasileiros. Não a cara ou o estereótipo de como deveríamos ser. Este empreendimento público é um dos esforços para descentralizar a atenção de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, como se o país se resumisse nestas capitais. Sua receita é elaborada pelos brasileiros para ser digerida por nós mesmos. Não surpreenderia que alguns de seus programas nos fizessem perguntar: "Poxa, essas imagens foram captadas no Brasil?"

Por Bruno Peron Loureiro - Observatório da Imprensa

TV Jangadeiro apresenta denúncia de ambulância de Juazeiro do Norte em praia de Caucaia

A TV Jangadeiro apresentou nesta segunda-feira, dentro do programa Barra Pesada imagens que mostram uma ambulância da cidade de Juazeiro do Norte, placas HWM – 2275, na beira de um rio na praia da Tabuba, em Caucaia, Região Metropolitana. As cenas foram gravadas neste fim de semana pelo Cabo Pádua da PM que estava de folga. De acordo com o PM, o carro, que deveria transportar pacientes da cidade do interior para hospitais, conduzia pessoas em trajes de banho e que ingeriam bebidas alcoólicas. Veja a matéria com a denúncia do Cabo Pádua. Sugiro desligar o player da Rádio Chapada do Araripe:

Popout
Após a denúncia, a produção do programa contatou com a prefeitura de Juazeiro do Norte. O secretário de saúde do Município, Dr. Romildo Bringel foi pessoalmente comprovar a irregularidade e afirmou que os responsáveis serão punidos. Vejam agora a explicação do Secretário. Sugiro desligar o player da Rádio Chapada do Araripe:


Popout

Lá vou eu:

Não há muito que se acrescentar nesse episódio. É inaceitável e reprovável em todos os aspectos o comportamento do motorista deste veiculo. A ambulância estava a serviço do TFD (Tratamento Fora de Domicílio) e deveria ser utilizado apenas com esta finalidade ou para socorrer alguma vítima de acidente ou com problema de saúde.

O Secretário de Saúde age acertadamente em anunciar a instauração de um inquérito administrativo não apenas para identificar, mas também para punir o funcionário. Como já estão confirmados que são dois servidores concursados com todos os procedimentos cabíveis que estão sendo efetuados poderá inclusive resultar na demissão em função da irresponsabilidade.

Com certeza o fato e punição servirão de exemplos para que não volte a se repetir mais. O cabo Pádua deu um exemplo d cidadania e prontificou-se a testemunhar em todo o processo para apurar esse descaso e abuso para com o dinheiro público por parte de umn funcionário.

Fonte: Jangadeiro Online
Via Beto Fernandes

Laranjas e Gente - Por: João Paulo Fernandes



A imagem aérea de um trator derrubando uma fila de pés de laranja em um gigantesco laranjal parece chocar mais certos setores da sociedade do que a visão de milhares de pessoas sem terra e suas famílias acampadas precariamente sob tendas de plástico preto na beira de várias estradas brasileiras.

Não pretendo dizer com isso que os fins justifiquem os meios, mas após o choque inicial do poder da imagem disseminada pelos meios que costumam demonizar a luta pela terra, é bom procurar se informar do que realmente aconteceu e quais as motivações que geraram o ato perturbador.

Desde o dia 28 de setembro, 250 famílias de sem terra estavam acampadas na fazenda onde a Cutrale, uma das maiores empresas do agronegócio brasileiro, planta laranjas. O objetivo da ação era denunciar a ocupação irregular de terras da União pela Cutrale. O MST afirma que a empresa plantou laranjas na fazenda como forma de legitimar a grilagem de área pública. A produtividade da fazenda não poderia esconder a grilagem como ato ilegal e criminoso.

Muito bem. Esta é a versão do MST e cabe verificar se corresponde à verdade. O Incra confirma que já luta há três anos pela recuperação da fazenda ocupada pela Cutrale, assegurando que pertence à União. De acordo com o instituto, a fazenda integra um conjunto de terras públicas da União que constituíam o antigo Núcleo Colonial Monção.

Ainda segundo o Incra, o Núcleo Colonial Monção tem sua origem há 100 anos. Foi criado a partir de um grupo de fazendas compradas pela União ou recebidas em pagamento de dívidas da Companhia de Colonização São Paulo/Paraná. Essas fazendas somavam aproximadamente 40 mil hectares, nos municípios de Agudos, Lençóis Paulista, Borebi, Iaras e Águas de Santa Bárbara.

A primeira ocupação na região ocorreu em 1995, e dois anos depois o Incra reivindicou a fazenda Capivara, em Iaras, obtendo 30% do imóvel como tutela antecipada, o que resultou, em 1998, na criação do assentamento Zumbi dos Palmares. Em 2007, a Justiça Federal garantiu ao Incra os 8 mil hectares totais da fazenda.

Verifica-se com isso, que a disputa por estas terras tem mais de 10 anos, e a Cutrale se instalou nelas há cerca de cinco anos. Ou seja, tinha conhecimento de que o governo as considerava públicas e mesmo assim levou adiante o seu projeto de plantio de laranjas. Apesar da origem centenária do núcleo, a Cutrale informa que tem a posse legal das terras. Depois que a Justiça concedeu a reintegração de posse à Cutrale, no último dia 29, portanto um dia após a destrição dos pés de laranja, o Incra entrou com petição na Justiça Federal contra a decisão, com base no argumento de que a área de 40 mil hectares pertence à União.

O que se deduz, então, é que a Cutrale plantou suas laranjas em terras reivindicadas pela União para efeito de reforma agrária. Nesse sentido, a luta do MST é duplamente justa. Primeiro, como denúncia de grilagem em terras públicas e depois pela própria terra para assentar trabalhadores.

Pode se questionar a forma de ação do MST, mas sem ela não teria vindo à tona a ocupação e uso ilegal de terras públicas. A bancada ruralista no Congresso aproveitou rapidamente a comoção causada pelas imagens para aprovar relatório da senadora e latifundiária Kátia Abreu abrandando as exigências de produtividade para que uma fazenda não seja desapropriada para reforma agrária.

Em outra frente de ação, tenta ressuscitar uma CPI para investigar os repasses de recursos públicos a entidades ligadas ao MST. Se o Congresso brasileiro realmente se interessa em saber o que se passa no campo poderia criar uma CPI para verificar a legalidade de todas as propriedades agrícolas do país e exigir sua imediata devolução em caso de grilagem.

POLANSKI & A MÍDIA - Estupro e objetividade jornalística - Por Paulo Ghiraldelli Jr

Jamais saberei se o cineasta Polanski estuprou ou não Samantha. Portanto, não tenho nenhuma opinião sobre o caso, se ele é ou não culpado. Sei o que todos sabem e que, enfim, podem saber: principalmente que agora, 32 anos após o caso, Polanski está no drama de ser extraditado ou não para os Estados Unidos, para responder à acusação de crime – sexo com menor, ao menos. Assim, meu texto é só indiretamente sobre essa notícia. O que escrevo é diretamente relacionado ao modo como o jornalismo pode falar de uma notícia desse tipo.

Em uma matéria assinada por Sérgio Augusto para o "Aliás", deO Estado de S. Paulo (aqui), o caso é contado sob a regra da objetividade jornalística: informar antes do que deformar ou, mesmo, formar. Sérgio Augusto consegue isso? A técnica é simples: fala-se de quem está a favor de Polanski e mostra-se as suas razões; fala-se de quem está contra Polanski e mostra-se as suas razões. O jornalismo acredita que há dois lados em uma notícia. Alguns jornalistas acreditam que pode haver mais que dois lados, mas raramente eles vão além de dois lados. Pois a noção de objetividade do jornalismo está atrelada a essa idéia dos dois lados. Tendo dois lados e tendo um bom número de dados, datas e nomes, o texto jornalístico tem o aval do editor. Uma boa parte da sociedade escolarizada não ultrapassa esse patamar de compreensão do que é "contar uma notícia".

Uma terminologia notável

Nenhum filósofo acredita que uma história tenha só dois lados e muito menos pode acreditar que a noção de objetividade se faça a partir dos critérios acima. Há um universo entre uma linha preenchida e outra linha preenchida em um texto. Milhões de pensamentos estão ali, por parte do leitor, induzidos por duas linhas do escritor. E nisso, verdadeiramente, está a notícia. Ela diz mais do jornal, do jornalismo, do autor e do contexto pelo qual passa o jornalista do que do caso contado propriamente dito. Na verdade, quando se lê jornal pela ótica da filosofia – um exercício deveras gostoso e útil – o que se fica sabendo é o que efetivamente se pode saber: o autor e o jornal, e menos o caso. Pego um trecho para mostrar o que quero dizer:

"A exemplo de Polanski, Chaplin tinha o seu lado Humbert-Humbert assaz saliente (e bota saliente nisso).Não podia ver uma Lolita taludinha que também a elegia luz de sua vida e labareda de sua carne. Aos 29 anos envolveu-se com uma garota de 14 anos, Mildred Harris, que dele ficou grávida e deu à luz um monstro natimorto. Chaplin engravidaria outra menor, Lillita McMurray, de 16 anos, descuido que o levou aos tribunais e à pretoria. Lillita, conhecida na tela como Lita Grey, deu a Chaplin seus dois primeiros filhos. Ao cabo de três anos, divorciaram-se. Lita era chave de cadeia. Instruída pela mãe, fez o que pôde para depenar Chaplin. Conseguiu enchê-lo de cabelos brancos, interromper por um ano a produção do filmeO Circo e embolsar mais de meio milhão de dólares, uma fortuna ainda mais vultosa em 1927" (grifo meu).

Polanski tinha 43 anos quando "sodomizou" (fez sexo anal, creio eu, se entendo bem os jargões americanos, repetidos por Sérgio Augusto) Samantha, que tinha 13 e estava embriagada na casa de Jack Nicholson. O que Sérgio coloca acima, no destaque, sobre Chaplin, não tem nada a ver com a história. Mas ele coloca. Antes, ele havia dito que a maioria das pessoas quer ver Polanski extraditado e que muita gente se move assim por achar que Hollywood quer ser uma ilha imune à lei. E isso porque várias personalidades de Hollywood estão defendendo Polanski. Ele diz isso e, no decorrer do artigo, mostra um caso que, apesar de terminar moralmente favorável a Chaplin, não precisaria estar no texto e, se está, para ilustrar a notícia e mostrar que Hollywood realmente é idiossincrática diante da lei, não deixa de usar uma terminologia notável.

A máquina de moer carne do jornalismo

Que terminologia? Esta: "não podia ver uma Lolita taludinha". Logo abaixo, em passagem que não vou citar inteira para não chatear o leitor, Sérgio Augusto usa frases como "Samantha Geimer, a ninfeta de Polanski". Ora, qual a razão de Sérgio Augusto não usar expressões como "menina" ou "garota" ou "menor"? Estilo? Quer escrever algo como jornalismo literário picante? Picante, no jornalO Estado de S. Paulo, um jornal cujos hábitos políticos vão do PSDB ao DEM? Ou trata-se de uma tentativa de, usando tal terminologia, nas entrelinhas quebrar a objetividade posta formalmente? Mostram-se os dois lados e cumpre-se assim o ideal formal de objetividade do jornalismo, ao mesmo tempo em que se dá uma trança pés no leitor, induzindo-o a julgar – principalmente em se tratando do leitor típico doEstadão – Polanski no sentido do que a maioria já vem julgando. Com isso, cumpre-se a formalidade e, ao mesmo tempo, o texto cai nas graças do leitor.

Não posso descartar essa hipótese. Os jornais estão em crise. E os suplementos que viram blogs, que aparentemente poderiam salvar ao menos os jornalistas (se não os jornais), levam a uma competição ferrenha. Muitos jornalistas blogueiros, preocupados em ter "ibope", estão cada vez mais escrevendo o que a maioria do senso comum já apóia. Assim, talvez Sérgio Augusto seja nada além de mais um jornalista que caiu nessa máquina de moer carne do jornalismo atual.
Todos os vícios do senso comum

Mas pode ser, também, que Sérgio Augusto, ele próprio (como seus leitores que tenderiam a condenar Polanski), tenha um extremo prazer em escrever coisas como "Lolita taludinha" e "ninfeta". Não estaria ele tendo uma ereção, em sua casa, quando em frente ao computador escreveu isso? Pode ser que não uma ereção motivada pela imagem da menina, mas por imaginar que homens conservadores leriam aquilo e, ao mesmo tempo que condenariam Polanski (da boca para fora), também possam ficar com ereção. Assim, Sérgio Augusto, num misto de desejo homossexual com desejo heterossexual, não estaria somente tentando induzir o leitor a uma posição, mas efetivamente preso à determinação de seus gostos e instintos. Ele próprio seria, dessa forma, um daqueles que Polanski acusou quando disse que "todos os que o condenavam queriam fazer sexo com garotinhas". Aliás, sabemos bem que, acima dos 40 anos, o desejo do homem de fazer sexo com meninas cresce muito, até pela razão de que, para as meninas, esses homens se tornam muito atrativos.

Samantha tinha 13 anos. Não era virgem e estava embriagada. Não reclamou e, hoje em dia, diz para esquecerem o caso. Mas Sérgio Augusto não quer nem pensar em falar de Samantha hoje. O interessante é tornar Polanski mais velho, de cabelos brancos como está hoje, e tratar Samantha como se ela fosse, ainda agora, a "ninfeta" ou a "Lolita taludinha". Ele fala de Polanski agora, e de Samantha no passado. O interessante é ressaltar o lado bizarro. É importante por na jogada o que pode ser feito para que a notícia provoque a masturbação dos homens e a gritaria (às vezes invejosa) das mulheres, ambos sendo os que estão no grupo dos que condenam Polanski e querem a extradição.

E luta pela audiência cria assim o jornalismo de hoje. Pessoas que possam espelhar o senso comum porque elas próprias estão imersas neste senso comum e, enfim, se acham capazes de manipulá-lo, podem se dar bem no jornalismo atual. Um médico doente é o melhor médico, pois sendo paciente, conhece como ninguém o mal. Um jornalista que tenha todos os vícios do senso comum é a pedida do momento. Antes, o jornalismo brigava com o leitor, hoje o adula e, enfim, em alguns casos, chega a atuar como a revistaSexy ouPlayboy – ajuda na masturbação diária.

Fonte: Observatório da Imprensa

ISLAMEY - A peça mais difícil do mundo para piano - Por: Dihelson Mendonça




Islamey, fantasia oriental, composta pelo compositor russo Mily Balakirev é uma peça geralmente considerada uma das de mais difícil execução para piano. Poucas pessoas no mundo conseguem tocar Islamey como ela deveria ser tocada, pois esbarram na sua imensa dificuldade técnica, e isso em si já é um grande empecilho para que se possa se ater à interpretação em si .Tenho ouvido Islamey com inúmeros pianistas, mas certas interpretações me chamam atenção.

Na minha opinião, a melhor delas é a do húngaro Cziffra. O grande pianista russo da modernidade Boris Berezowsky gravou Islamey, cuja interpretação chega a ser "quase" igual à do Gyorgy Cziffra. Outras interpretações recomendadas são as de Evgeny Kissin e Vladimir Horowitz.

O grande Franz Liszt, considerado o maior pianista de todos os tempos, em sua biografia, descreve em detalhes quando estava ensinando essa peça a um dos seus melhores alunos. Na verdade, Islamey tem muito do virtuosismo de Liszt, tão em moda pela sua total hegemonia ao piano e a influência que isso causou em outros compositores, inclusive aos seus rivais como Johhanes Brahms, quando este compôs as suas próprias variações sobre um tema de paganini, Liszt chegou a dizer "vejo que pelo menos alguma coisa de mim ficou em Brahms".

O certo é que a Europa sucumbia frente ao virtuosismo do grande húngaro, e Balakirev com certeza, sendo um dos grandes pianistas da rússia, sendo parte do famoso grupo dos 5, que mais representava a chamada escola russa, que se mostrava imersa num profundo nacionalismo do qual fazia parte também Aleksandr Borodin, César Cui, Modest Mussorgsky e Nikolai Rimsky-Korsakov, usou nessa peça para piano as suas grandes habilidades: O inegável sentimento da música russa, pois sente-se um prenúncio da sonoridade característica de um Tchaikovsky, que viria a seguir, porém sem abandonar os grandes princípios da música européia mais contemporânea, com traços de Chopin, Liszt e até Schumann.

Vamos conferir, na interpretação de atualíssimo Boris Berezowsky.


Acima: Foto do compositor russo Mily Balakirev

Por: Dihelson Mendonça - Pianista
Muito mais música e Artigos no Blog do autor:
www.dihelson.blogspot.com

Os útimos artigos mais comentados no Blog do Crato



Apresentar os artigos de maior interesse dos leitores é muito importante, e esses normalmente são os mais comentados. A exibição dos mesmos pode despertar a atenção dos novos visitantes para a leitura. Portanto, segue abaixo os posts mais comentados no Blog do Crato.

Clique sobre o link para ser  direcionado ao artigo do seu interesse






TEATRO NO CARIRI!!!

NOBEL DE LITERATURA - Herta Müller ganha o prêmio


O prêmio Nobel de Literatura de 2009 foi concedido à escritora romena naturalizada alemã Herta Müller, "que, com a concentração da poesia e a franqueza da prosa, pinta o panorama dos despossuídos", segundo o comitê do prêmio. Autora deO Compromisso, sua única obra lançada no Brasil, em 2004, com tradução de Lya Luft, Herta nasceu em Nitzkydorf, no sul da Romênia, em 1953, em uma família de origem alemã. Seu primeiro livro, a coleção de contosNiederungen, lançada em 1982, foi censurado pelo governo totalitário de Nicolau Ceausescu. Dois anos depois, a obra foi publicada na Alemanha, alcançando grande sucesso. Em seguida, Herta publicouDrückender Tango: Erzählungen. As duas obras descreviam a vida em um pequeno vilarejo romeno de língua alemã, retratando um contexto de corrupção, intolerância e repressão.

Pelas duras críticas à ditadura da Romênia, a autora foi proibida de publicar livros no país. Em 1987, com seu marido, o escritor Richard Wagner, mudou-se para Berlim, onde vive até hoje. Herta é a 12ª mulher a vencer o Nobel de Literatura, criado em 1901. Pelo prêmio, a escritora receberá a quantia de US$ 1,4 milhão (cerca de R$ 2,7 milhões).

A ex-operária e a polícia secreta
Os romancesDer Fuchs war damals schon der Jäger (1992),Herztier (1994) eHeute wär ich mir lieber nicht begegnet (1997) "apresentam, com detalhes primorosos, um retrato da vida sob a estagnação da ditadura", segundo o comitê do prêmio. Várias de suas obras foram traduzidas para o inglês, o espanhol, o francês e o sueco. O único livro traduzido para o português,O Compromisso (Heute wär ich mir lieber nicht begegnet) conta a história de uma ex-operária da indústria têxtil perseguida pela polícia secreta da Romênia.

A autora publicou ainda os livrosDer Mensch ist ein groβer Fasan auf der Welt (1986),Barfüβiger Februar (1987),Reisende auf einem Bein (1989),Der Teufel sitzt im Spiegel (1991),Eine warme Kartoffel ist ein warmes Bett (1992),Der Wächter nimmt seinen Kamm: vom Weggehen und Ausscheren (1993),In der Falle (1996),Der fremde Blick oder Das Leben ist ein Furz in der Laterne (1999),Im Haarknoten wohnt eine Dame (2000), Heimat ist das, was gesprochen wird (2001),Der König verneigt sich und tötet (2003), Die blassen Herren mit den Mokkatassen (2005) eAtemschaukel (2009), além do livro de ensaiosHunger und Seide (1995).

Por Agência Fapesp

Sequelas do crescimento


Atualmente, o assunto: “Crescimento da região do Cariri” está na “boca do povo”. Alardeia-se a transformação da região em um pólo comercial e industrial. Viramos: Região Metropolitana! Mas a centralização da “riqueza”, ou o dito “crescimento”, trouxe mesmo a melhoria na qualidade de vida de sua população? Tem-se educação, saúde, habitação, lazer e transporte de boa qualidade para todos? Vive-se melhor? Quanto nos custou tudo isso?

É notório o salto econômico do Brasil, principalmente, nos últimos 8 anos. Para encurtar a conversa, basta dizer que pagamos a, impagável, dívida externa. Lembram do FMI? A nação desfruta de dinheiro fácil para financiamentos privados, muito em moda no Cariri. Os Juazeirense se tornaram experts nisso! Financiamentos são o combustível certo para o desenvolvimento econômico, desde que parte do capital emprestado: transforme-se em postos de trabalho, com salários justos; reverta-se em impostos aplicados no bem estar do cidadão; e se, o valor do empréstimo for pago, ao banco, no prazo e com os juros acordados. Assim, o exemplo de empreendedorismo ensinado pelo ilustre Cratense Padre Cícero terá dado certo! O problema é que muitas vezes a história, por aqui, não é sempre essa..., mas isso fica pra outro artigo.
Amigo, quero alertar que “a casa caiu”! Colhemos o fruto da aplicação errada do dinheiro público! Representantes que não tiveram competência (entenda-se decência) para priorizar a EDUCAÇAO como único veículo desenvolvimento sustentável de um povo. Temos ricos, mais ricos, e novos ricos que pagam para eleger esses “representantes”. A classe média assiste, à tudo, inerte. Os pobres, até bem pouco tempo miseráveis, embreagam-se com a realidade de poder, à prestação, adquirir uma moto 125 cc, uma TV, um DVD e celular pré-pago. A ressaca vem toda manha ao deixar os filhos na escola pública, mal equipada, dirigida por professores mal remunerados e pouco capacitados. Vem ao recorrer a um sistema de saúde sucateado e insuficiente. Vem do trânsito por vias estreitas e não ou mal pavimentadas, geridas por órgãos igualmente mal equipados e despreparados. A ressaca vem na volta pra casa, quando não se tem um sistema público de transporte eficiente, suficiente e barato. Vem ao chegar em casa e ver seus filhos brincando em ruas com esgoto à céu aberto. Essa é a realidade do “Cariri” que está fazendo o outro Cariri crescer. O Cariri que não tem dinheiro pra pagar ESCOLA PARTICULAR. O Cariri que não pode pagar por PLANOS DE SAÚDE. O Cariri que não tem SANEAMENTO, ASFALTO, muito menos, PRAÇAS e CENTROS ESPORTIVOS, na porta de casa. O Cariri que é obrigado a arriscar a vida, todos os dias, pegando “TOPIC” e MOTO-TÁXI.

Tem jeito? Tem! A mudança deve acontecer a partir do entendimento da inconveniente realidade que se apresenta. Escolhendo-se melhor os que irão gerir nossos impostos. Cobrando-se a correta aplicação dos recursos públicos e não perdendo a capacidade de indignar-se com a prática da corrupção (disfarçada de incompetência) de alguns destes representantes, penalizando-o (os) com a sua NÃO reeleição.

Sequelas de uma região que “cresce” a olhos vistos!

Dimas de Castro e Silva Neto
Engenheiro Civil, Mestre em Gerenciamento da Construção pela University of Birmingham e Professor do Curso de Engenharia Civil da UFC Cariri

“Lição” a um professor - Por: José Nilton Mariano Saraiva

Sempre tivemos, no decorrer da vida estudantil, desde o primário e até a Universidade, uma tremenda dificuldade com as disciplinas que envolvessem qualquer espécie de cálculo, equações, fórmulas, teoremas, números, enfim. Mas, porque ainda jovem ingressamos no BNB, optamos por cursar Economia, na UFC, na perspectiva de que “combinava” com a prática do dia-a-dia, e nos ofereceria maiores oportunidades na empresa, no futuro (hoje, certamente, nos dedicaríamos à Advocacia ou ao Jornalismo).
Na Economia, a numerologia é uma festa, as equações são uma constante, os cálculos são recorrentes, principalmente nas disciplinas de Cálculo, Macroeconomia, Microeconomia, Projetos, Estatística, Econometria (horrorosa) e outras, às vezes disponibilizadas em mais de um semestre, com as extensões I, II e III.
Na Estatística, então, além dessa dificuldade, esbarramos (aqui compreendida toda a turma) com um certo professor (o trataremos por João) que fazia do “sarcasmo” sua marca registrada. No primeiro dia de aula, por exemplo, numa classe de nunca menos de 50 (cinqüenta) alunos, o professor João, do alto do seu púlpito, fazia o seguinte comentário, em alto e bom som: “Bem, segundo consta aqui no livro de chamada, temos aqui 50 alunos...”; e, contundente, concluía “...se ao final do semestre passarem 10% (dez por cento), será muito”. E o cálculo do homem era “batata”, na “mosca”: 5, 6 ou 7 aprovados. E aí o homem ganhou fama. Ser aprovado em sua disciplina era coisa pra “gênio”. O professor João era o “terror” da Faculdade de Economia. Pessoalmente, a repetimos por uns 5 ou 6 semestres, findando por desistir do curso (posteriormente retornamos e o concluímos, mas isso é uma outra história).
Depois de um certo tempo, eis que reencontramos, nos supermercados da vida, com um ex-colega de turma. Conversa vai, conversa vem, a coisa inevitavelmente desaguou na “Estatística”. E, para nossa surpresa, ele narrou que conseguira aprovação, e, por incrível que pareça, com o professor João. “Como, se você tinha verdadeiro pavor, dele e da disciplina ??? ”, indagamos-lhe. E aí tomamos conhecimento do inusitado. É que o professor João, num certo semestre, houvera se apaixonado perdidamente por uma das suas jovens alunas; ficara “bobão”, ante tanta beleza, tamanha formosura; literalmente, tinha “arriado os quatro pneus” pela dita-cuja, que exalava sensualidade por todos os poros. E esta, bravamente, resistindo às suas investidas, aos seus galanteios, às suas incursões, o que só o deixava ainda mais transtornado, capaz de qualquer coisa. Antes da prova final, entretanto, a jovem (tão nova e já bandoleira que só), precisando de uma nota um tanto quanto alta para ser aprovada (e que, tinha certeza, jamais conseguiria por vias normais), finalmente cedeu. Mas impôs uma condição: que o professor João lhe repassasse, de próprio punho e já resolvidas, as questões que iriam constar da prova final, de modo que ela apenas as copiasse, na hora. Era pegar ou largar, desistir do seu platônico sonho. E este, ante a perspectiva de ter aquela beldade, aquela verdadeira “deusa” à sua disposição num dos motéis da vida (para pelo menos vê-la nua ou tirar um tremendo dum “sarro”), caiu na armadilha: disponibilizou, de próprio punho, e detalhadamente resolvidas, todas as questões que iriam cair na prova.
Na hora da aplicação do exame, ao invés do clima pesado e tenso, normalmente presentes em suas provas, o professor João notou algo um tanto quanto estranho, desrespeitoso, até: a turma estava absolutamente descontraída, todos muito risonhos.
E, foi só autorizar o início da resolução da prova, que ele não entendeu porra nenhuma: indistintamente, todos os presentes (aqueles que não haviam desistido ao longo do semestre), consultavam, abertamente, sem maiores preocupações, uma certa folha de papel, sem se importar com a sua sinistra presença. Aproximou-se de um deles, já com a intenção de colocá-lo imediatamente pra fora da sala, mas teve que recuar – apavorado, abestalhado e aparvalhado - quando este, tranqüilamente, mostrou-lhe, com um “sorriso orelhudo” a la Daniel Dantas (de orelha a orelha), cópia da folha que o professor João houvera disponibilizado à sua aluna preferida, paixão da sua vida. É que ela, por vingança, houvera repassado a todos os colegas, a prova resolvida. Materializava-se, ali, de forma humilhante, o velho ditado: “você me come, mas eu lhe fodo”. Ao dirigir o olhar para a sua rainha, lá no final da classe, esta lhe premiou com o mais belo dos seus sorrisos. A “lição” estava dada. Resultado: todos foram aprovados e a partir de então o professor João desvencilhou-se da “soberba” que o caracterizava, ficou literalmente desmoralizado ante os futuros alunos, foi alvo de gozação geral e, pouco tempo depois, se aposentou. A aluna “piranha” virou heroína entre os colegas.

Texto e autoria: José Nilton Mariano Saraiva

Brincadeiras de criança.

Um, dois, três e já! A brincadeira vai começar! É só olhar a expressão na carinha da criançada para descobrir que a hora da brincadeira é um dos momentos mais aguardados do dia. É a hora de deixar a imaginação fluir, a criatividade se desenvolver e os sonhos aflorarem. "Não importa se o brinquedo é a pipa ou a boneca, o vídeo game ou o cavalinho de pau. O importante é que a criança tenha espaço para se desenvolver e se conhecer. Essa é a verdadeira importância da brincadeira", explica Renata Meirelles, educadora e uma das fundadoras do Bira, projeto que estuda as brincadeiras infantis da região amazônica.
Indispensável na formação da criança, o ato de brincar é natural. Não é preciso mostrar como fazer, a brincadeira simplesmente acontece. E sempre foi assim. Pinturas rupestres e artefatos mostram que mesmo na pré-história as crianças já exploravam o mundo por meio de brincadeiras. Com materiais naturais elas fabricavam seus próprios brinquedos. "Não era preciso muito. Um pedaço de galho era suficiente para se tornar uma 'espada' e um pouco de barro se transformava em bonecos", conta Cristina Von, autora do livro A história dos brinquedos.
De acordo com a escritora, na China e no Egito antigo, a brincadeira evoluiu e surgiram brinquedos como o ioiô, a pipa e a bola de gude. Na Grécia e na Roma antiga, jogos individuais e coletivos foram criados, coincidindo com a realização das primeiras olimpíadas. Registros de marionetes e soldadinhos de chumbo vêm da Idade Média e, posteriormente, com o avanço tecnológico, brinquedos mais incrementados foram criados. "Daí o surgimento do patins, da bicicleta e, mais recentemente, dos videogames, que passaram a fazer parte das brincadeiras infantis", afirma Cristina.
Mas como explicar que crianças de diferentes partes do mundo e em diferentes épocas tenham em comum as mesmas brincadeiras? Uma pesquisa realizada no início do século XX pelo antropólogo teuto-americano Franz Boas mostra que brincar é uma linguagem universal. O estudo indica que diversas culturas que nunca tiveram a oportunidade de se encontrar e de trocar experiências possuíam brincadeiras iguais. Como fazer cama de gato, ou seja, brincar de entrelaçar um barbante ou algum tipo de corda formando diferentes desenhos. "Todos durante a infância bebem da mesma fonte, uma fonte mais profunda que a própria cultura. É uma relação insconsciente que o ser humano tem de se expressar e de interagir com o mundo nos primeiros anos de vida", explica Renata.
A vida urbana impõe transformações na realidade do brincar. Diminuição dos espaços públicos de convivência, avenidas movimentadas, aumento da violência e a falta de tempo dos pais acompanharem seus filhos nas brincadeiras fazem com que cada vez menos crianças brinquem nas ruas. Essa realidade é comum principalmente nas grandes cidades. O resultado é o confinamento dos pequenos em casas e apartamentos, e o rareamento das brincadeiras coletivas tradicionais, que perdem cada vez mais espaço para os brinquedos industrializados.
Apesar de todas as restrições impostas pelo dia a dia da cidade grande, ainda existem pais que fazem questão que seus filhos aprendam a brincar como antigamente. Fernando Cardoso, 45 anos, é deles. Pai de Luan, 8 anos, e de Gabriela, 1 ano e 9 meses, ele faz questão de ensinar a seus filhos como subir em árvores, a arte de fazer e de empinar pipa. O seu envolvimento é tanto que, apesar de ser músico de formação, ele diz que sua outra profissão é ser um eterno brincante.
Cardoso conta que recentemente ministrou uma oficina de pipa no Museu de Arte Contemporânea de São Paulo. O músico ensinou durante quatro meses mais de mil crianças a fabricar o brinquedo e diz ter ficado impressionado pelo fato de a maioria nunca ter feito uma pipa. "No meu tempo todo mundo sabia. Hoje eles ganham a pipa pronta. A grande questão é que nenhum brinquedo feito substitui a realização de uma criança ao fazer a sua própria pipa e empiná-la".
Lydia Hortélio, estudiosa do universo dos brinquedos desde a década de 1970, concorda com Cardoso. "O improviso na hora de criar o brinquedo é pura magia. É o meio que a criança expressa a poesia que tem dentro dela. Entregar um brinquedo pronto na mão de um pequeno é cercear o alcance que a brincadeira tem na formação da criatividade e da imaginação do ser".
Fonte Yahoo

Imagens mostram adolescentes se embriagando em Fortaleza



Reportagem do Jornal da Globo aponta que consumo começa em casa. Venda ilegal acontece na presença da PM que faz ronda no local.

Em Fortaleza, o consumo de bebida alcoólica tornou-se comum. Um problema que começa dentro de casa, como mostra o repórter Alessandro Torres. Jovens se arriscam em frente aos carros. Caem no chão. Estão visivelmente embriagados e se concentram em uma área de Fortaleza, rodeada por boates. Quem não tem idade para se divertir dentro delas procura na rua uma distração perigosa.

Jovem: “A gente não entra em boate não, que a gente é menor. Vou beber uma caipirinha aqui."
Repórter: "Você tem quantos anos?"
Jovem: "Eu tenho quinze."
Repórter: "Isso aí o que é?"
Jovem: "Caipirinha. Ali vende."

As bebidas alcoólicas são vendidas por comerciantes clandestinos. Eles estão espalhados e oferecem os produtos em carros estacionados e em bancas armadas na rua. Na presença do vendedor, a reportagem pergunta a idade de uma consumidora.

Repórter: "Quantos anos você tem?"
Consumidora: "Dezessete."
Mesmo assim, o vendedor serve a adolescente.
Consumidora: "Vou tomar uma vodka."

Tudo isso acontece em um dos pontos turísticos mais movimentados de Fortaleza: o chamado “Dragão do Mar”. As barracas de bebidas alcoólicas ocupam as ruas até o amanhecer sem nenhuma fiscalização sobre a venda ou sobre o consumo. A prefeitura alega que o período da noite dificulta a fiscalização e favorece o comércio ilegal.

"Conhecimento nós temos, só que nós tínhamos uma limitação na questão do horário de fiscalização, Então, eles sempre se aproveitavam da ausência do fiscal e se apropriam indevidamente do espaço público”, explica a chefe de fiscalização da prefeitura, Mércia Albuquerque. A venda de bebida para os adolescentes acontece na presença da Polícia Militar que faz ronda no local. Servir bebidas alcoólicas a menores de 18 anos é crime, punido até com quatro anos de prisão.

"Por ser uma droga considerada lícita e entendida como inocente, é a que vem mais prejudicando a formação moral e psicológica dos jovens", diz o coordenador de Integração da secretaria de Segurança Pública do Ceará, Antônio Harley. O psicólogo José Inácio Diógenes Parente estudou o uso de álcool entre os adolescentes e constatou que apesar de comprometer o desempenho físico e mental, o consumo de bebida é considerado "normal" por pais e amigos nesta fase da vida.

"Se uma pessoa diz que não quer beber, até a sexualidade dele é questionada, os amigos brincam e vira motivo de chacota, porque beber tornou-se uma dieta social. A pessoa experimenta achando que vai ser só uma fase e não é. O sujeito torna-se um bebedor compulsivo e problemático", afirma o psicólogo.

Dois adolescentes explicam como tentam se livrar do vício.

"Encontrava em posto de gasolina, em bar. E qualquer pessoa e de qualquer idade podia fazer o consumo do álcool. Sempre tinha que ter álcool, senão não era divertimento", relata um dos adolescentes.

"Quem oferece o álcool para gente não é um traficante, não é ninguém não. É o nosso pai, é o nosso amigo, é o nosso irmão. Além disso, você sabe o que é curtir uma noite e não se lembrar do que fez no outro dia? Acordar num canto que você nem sabe onde é, o que é?", diz o outro jovem.

Fonte: G1


Grupos de direitos humanos denunciam abusos em Honduras


TEGUCIGALPA (Reuters) - Mortes suspeitas. Espancamentos. Polícia disparando a esmo. A vida sob o governo de facto de Honduras às vezes se parece estranhamente com o passado negro de regimes militares da América Latina. Nos três meses desde que soldados derrubaram o presidente Manuel Zelaya e o levaram, de pijama, para fora do país, grupos de defesa dos direitos humanos hondurenhos e estrangeiros dizem que as forças de segurança cometeram uma série de abusos. Eles relacionam pelo menos 10 mortes ao governo de facto de Roberto Micheletti, nomeado presidente após o golpe de 28 de junho. O governo admite que três pessoas morreram durante os protestos. A Anistia Internacional disse em setembro que Honduras corre o risco de tornar-se um Estado sem lei, onde a polícia e os militares agem sem nenhum respeito aos direitos humanos.

A repressão aos protestos contra o golpe cresceram depois que Zelaya voltou ao país em 21 de setembro, se refugiou na embaixada brasileira e convocou seus simpatizantes a irem às ruas.

O grupo hondurenho de defesa dos direitos humanos Cofadeh disse ter várias informações de policiais disparando suas armas em áreas pobres de Tegucigalpa. Alguns dos tiroteios aconteceram durante o toque de recolher durante a noite, imposto por Micheletti. O desempregado Angel Manuel Osorto violou o toque de recolher ao sair de casa para pegar dinheiro emprestado para um tratamento médico para sua mulher grávida e seu filho de 13 anos foi atingido por um disparo dado por um policial numa motocicleta. "Quando voltávamos para casa uma patrulha da polícia passou atirando. Uma das balas o atingiu", disse Osorto. "Graças a Deus ele está vivo." Nessa mesma noite um simpatizante de Zelaya foi morto a tiros. Outros cinco foram hospitalizados com ferimentos a bala. "As pessoas estão aterrorizadas de sair à noite. Estou assustado com as autoridades", disse Osorto.

Os toques de recolher foram revogados em Honduras, mas Micheletti impôs um decreto de emergência que permite ao Exército e à polícia reprimir os protestos. E eles fazem isso atirando bombas de gás em qualquer pequena manifestação. O chefe da polícia de Tegucigalpa, Leandro Osorio, negou os abusos e disse que grupos esquerdistas de defesa dos direitos humanos são parciais e favoráveis a Zelaya. "Eles dirão que há várias pessoas feridas nos hospitais, mas isso não é verdade", disse ele à Reuters.

Fonte: Yahoo Notícias

É a cara do Sertão - Por Mundim do Vale


Um arrancador de dentes
Que não cobra a extração
Mas entrega ao paciente
Um santinho de eleição
Faz ali uma costura
Depois trás a dentadura
É a cara do sertão.

Um soltado de policia
Discutindo com ladrão
As pastorinhas cantando
Na hora da comunhão
O padre bem caladinho
Danado tomando vinho
É a cara do sertão.

Aluno na palmatória
Porque não deu a lição
Um parque tocando xote
De Luiz rei do baião
E a moçada na varanda
Esperando pela banda
É a cara do sertão.

Por Mundim do Vale

De Fortaleza para o Crato - Por: Alessandra Bandeira

Amigos e amigas.

Ontem num momento de folga, fui dar umas voltas aqui por Fortaleza, fe iquei impressionada com a sujeira que vi ao lado do Dragão do Mar, além do mau cheiro, o banheiro não tinha quem conseguisse entrar, pois era uma sujeira só.

Ao mesmo tempo o governador do estado mostra orgulhoso o projeto do aquário que ele afirma que vai atrair turistas, deveriam explicar ao senhor Cid Gomes que o que atrai turistas e ver uma cidade com infra estrutura, limpa e que respeita os direitos humanos, não discrimina cidadãos por serem homossexuais , como foi o caso da ponte metálica. Sinceramente de bela, Fortaleza não tem nada. Falta muita organização, e a copa do mundo esta aí em cima, para quem vai sediar jogos e receber turistas , seria bom rever estes pontos. Nessas horas e que vejo como o Crato está anos luz a frente da capital.

Ah! lá em Crato!! Que saudades!

Alessandra Bandeira

Se a moda pega... Aeroporto de Manchester testa máquina de raio-x que expõe passageiros nus


O aeroporto de Manchester, na Grã-Bretanha, iniciou nesta semana testes com uma máquina de raio-x que mostra os passageiros "pelados", para acelerar o processo de checagens de segurança e procurar armas ou explosivos escondidos. Na semana passada, autoridades francesas alertaram que a rede al-Qaeda estaria desenvolvendo supositórios explosivos para cometer atentados suicidas. O aparelho revela rapidamente se há algo escondido, mas o raio-x de corpo inteiro também mostra implantes nos seios, piercings e um claro contorno, em perto e branco, das partes íntimas do passageiro. O aeroporto ressaltou que as imagens não são pornográficas ou eróticas, serão vistas por apenas um funcionário, em um local remoto, e serão destruídas logo após o exame. Sarah Barrett, chefe do departamento de clientes do aeroporto, afirma que elas não podem ser arquivadas, capturadas ou copiadas. O rosto dos passageiros também não aparece. Barrett afirma que a maioria dos passageiros não gosta das revistas feitas com as mãos, e lembra que o aparelho acaba com a necessidade de o passageiro tirar o casaco, cinto ou sapatos para a checagem de segurança. Os passageiros, no entanto, podem se recusar a passar pela máquina.

Os aparelhos de raio-x custam 80 mil libras (cerca de R$ 220 mil). Eles funcionam lançando ondas eletromagnéticas nos passageiros enquanto estes aguardam em uma cabine. Uma imagem virtual tri-dimensional é criada a partir da energia refletida. Segundo o aeroporto, os níveis de radiação são "extremamente seguros" e os passageiros não precisam se preocupar. Dentro de um ano, o Departamento de Transportes deverá decidir se vai adotar a tecnologia permanentemente. O aparelho, fabricado pela RapiScan Systems, já foi testado em aeroportos em Nova York, Los Angeles e Londres, em 2004.

Fonte: BBC Brasil

Bolsa-Família: quase a metade não se recadastrou


Bolsa-Família

13 Out 2009 - 02h04min
Dados do Ministério do Desenvolvimento Social indicam que, dos cerca de 3 milhões de beneficiários do programa federal Bolsa-Família que deveriam se recadastrar este ano, só 1,7 milhão foram às prefeituras até setembro. O recadastramento ocorre a cada dois anos e as famílias que não atualizarem seus dados até dia 31 terão o pagamento suspenso.

Fonte: O POVO, 13-10-2009

Garoto de dois anos tem QI igual ao de Einstein


Nada de "Gugu-Dadá" para as Crianças !

NE - Por certo, os pais desse garoto da reportagem abaixo não ficaram perdendo tempo falando errado com a criança e dizendo "Gugu-Dada" para ele. Aliás, o maior desserviço educacional que os pais podem fazer é não ensinar os filhos a falar corretamente logo que eles emitem os primeiros sons. Os pais, Idiotamente, ficam repetindo as palavras erradas dos filhos, e estes ficam sem saber qual o som correto a ser seguido. É por isso que tem tanta gente que demora mais para aprender a falar. Eu sou da opinião de que os filhos tão logo entendam de algo, possam ser estimulados a ouvir música clássica, Jazz, MPB, e serem despertados para o conhecimento científico, e para a leitura das enciclopédias. Sem querer puxar a brasa para minha sardinha, mas agradeço a meu pai por ter feito isso comigo, despertado o amor pela ciência e o conhecimento, de modo que na quinta-série primária, eu já sabia resolver raiz quadrada e equações do segundo grau, além de traçá-las no gráfico cartesiano. Isso me facilitou muito na vida escolar posterior e abriu novos caminhos para o meu pensamento, do que se eu tivesse ficado como os outros garotos da época, na base do "Gugu-Dadá-Neném".

Eis uma matéria muito interessante de um desses garotos-prodígio, com QI de Einstein, publicada na Folha de São Paulo, que merece atenção:

Um garoto de dois anos e cinco meses, morador de Reading, a 40km de Londres, obteve em um teste de QI (coeficiente de inteligência) uma pontuação equivalente à dos físicos Albert Einstein e Stephen Hawking. Os testes de vocabulário e com números comprovaram que Oscar Wrigley faz parte dos 2% da população com QI mais alto. Com isso, Wrigley se tornou o mais jovem garoto a fazer parte da Mensa, a sociedade que reúne pessoas com QI alto. O membro mais jovem da Mensa é a garota Elise Tan Roberts, de Edmonton, no norte de Londres, aceita no início deste ano à idade de dois anos e quatro meses.

Joe Wrigley, o pai do garoto, disse à BBC que através da Mensa espera poder encontrar outros pais de crianças com QI alto que os "ajudem" com a criação do filho. Por ora, ele afirmou, o menino - que é muito jovem para frequentar a escola - será educado em casa. A mãe de Oscar, Hannah, disse que, no início, pensou que seu filho era apenas "uma criança muito inteligente", mas que, aos 18 meses, o garoto já se sobressaía. "Aos 18 meses eles devem conhecer por volta de 20 palavras. Nós começamos a fazer uma lista e paramos no número 600. Eram resmas e resmas de papel", disse.

Fonte: Folha OnLine

Veja as manchetes dos principais jornais nesta terça-feira

Jornais nacionais

Folha de S.Paulo
Programa do MEC prevê subsídio para uniforme

Agora S.Paulo
Demitidos desde 2004 podem receber IR das férias de volta

O Estado de S.Paulo
Governo garante caixa com fundos especiais

Jornal do Brasil
Caravana acirra disputa eleitoral

O Globo
Lula assume reduzir em 80% desmatamento na Amazônia

Valor Econômico
Plano de inclusão digital atingirá 4.245 municípios

Correio Braziliense
Sai lista de imóveis para servidores do GDF

Estado de Minas
Onde está o emprego que você procura

Diário do Nordeste
Cilada da compra sem juros

A Tarde
Setor hoteleiro criará 8 mil empregos

Extra
Tiroteio em praia lotada deixa um idoso e dois bandidos mortos

Correio do Povo
Imprudência nas estradas do RS

Zero Hora
Polícias multam 100 por hora no feriadão nas rodovias gaúchas

Fonte: Folha OnLine

CRATO - Previsão do Tempo de Almanaque - 13 de Outubro de 2009

Bom Dia, Amigos do Blog do Crato!

Hoje é o Dia 13 de Outubro de 2009. Final de feriado prolongado. Tudo volta ao normal, estradas congestionadas por todo o Brasil ainda. Hoje teremos mais uma seção "Só no Crato" do escritor Ivens Mourão, além de algumas reportagens sobre a nossa cidade. Fiquem ligados!

Previsão do Tempo

A previsão do Tempo para hoje indica um dia de Sol com algumas núvens e não chove, mas pudemos constatar que ontem choveu um pouco aqui no Crato. Não foi lá essa chuva grande, mas umaneblina bastante agradável, que serviu para baixar as altas temperaturas que enfrentavamos. Flando em temperatura, segundo o Climatempo, a máxima para hoje é de 27, e a mínima de 17. O tempo nesta manhã em Crato está nublado ate esse instante ( 08:41 ).

ALMANAQUE

13 de outubro. Dia de São Daniel e companheiros

Os esclarecimentos que se tem sobre o ocorrido com estes missionários franciscanos são devidos a duas cartas encontradas nas suas residências. Os estudiosos consideraram também autêntica a carta de um certo Mariano de Gênova, que escrevera ao irmão Elias de Cortona comunicando o destino glorioso dos missionários. Esse documento teria sido escrito poucos dias após os acontecimentos, e faz parte dos arquivos da Igreja. O irmão Elias de Cortona era o superior da Ordem, em 1227, quando os sete franciscanos viajaram da Itália para a Espanha, desejosos de transferirem-se para o Marrocos, na África, onde pretendiam converter os muçulmanos. Era um período de grande entusiasmo missionário nas jovens ordens franciscanas, fortalecidas pela memória de são Francisco, que morrera no ano anterior.

O chefe do grupo era Daniel, nascido em Belvedere, na Calábria, que também ocupava o cargo de ministro provincial da Ordem naquela região; os outros se chamavam Samuel, Ângelo, Donulo, Leão, Nicolas e Hugolino. Após uma breve permanência na Espanha, transferiram-se para a cidade de Ceuta, no Marrocos. Era um ato verdadeiramente corajoso, porque as autoridades marroquinas haviam proibido qualquer forma de propaganda da fé cristã. No início, e por pouco tempo, trabalharam nos inúmeros mercados de Pisa, Gênova e Marsiglia, enquanto residiam em Ceuta. Depois, nos primeiros dias de outubro de 1227, decidiram iniciar as pregações entre os infiéis. Nas estradas de Ceuta, falando em latim e em italiano, pois não conheciam o idioma local, anunciaram Cristo, contestando com palavras rudes a religião de Maomé. As autoridades mandaram que fossem capturados. Levados à presença do sultão, foram classificados como loucos, devendo permanecer na prisão.

Depois de sete dias, todos eles voltaram à presença do sultão, que se esforçou de todas as maneiras para que negassem a religião cristã. Mas não conseguiu. Então, condenou à morte os sete franciscanos, que se mantiveram firmes no cristianismo. No dia 10 de outubro, foram decapitados em praça pública e seus corpos, destroçados. Todavia os comerciantes cristãos ocidentais recuperaram os pobres restos, que sepultaram nos cemitérios dos subúrbios de Ceuta. Em seguida, os ossos foram transferidos para a Espanha. Hoje, as relíquias são conservadas em diversas igrejas de várias cidades da Espanha, de Portugal e da Itália. O papa Leão X, em 1516, canonizou como santos Daniel e cada um dos seis companheiros, autorizando o culto para o dia 13 de outubro, três dias após suas mortes.

Eventos históricos:

* 1792 - Colocação da pedra fundamental/angular da Casa Branca.
* 1867 - Estrada de Ferro Central do Brasil chega a Entre Rios (hoje Três Rios) no entroncamento com a Estrada de Rodagem União e Indústria.
* 1890 - Criação pelo Barão de Drummond do Jogo do Bicho no Rio de Janeiro.
* 1890 - Em sua viagem sem rumo, Anton Tchekhov parte para Vladivostok.
* 1917 - No mês de Outubro ocorreu o Milagre do Sol, assistido por milhares de pessoas, em Fátima.
* 1930 - O Bispo de Leiria torna público, oficialmente, as aparições de Nossa Senhora em Fátima.
* 1943 - Segunda Guerra Mundial: O novo governo italiano se une aos aliados e declara guerra à Alemanha.
* 1969 - A Fisioterapia é reconhecida como profissão de ensino superior no Brasil.
* 1972 - Acidente de avião ocorrido nos Andes onde viajavam 45 pessoas, incluindo o time completo de rúgbi do colégio secundário uruguaio Christians Brothers, que sobreviveram 16 pessoas e ficou conhecido como O Milagre dos Andes.
* 1977 - O Sport Club Corinthians Paulista sagra-se campeão paulista de futebol após 23 anos de jejum; a última conquista tinha sido o campeonato do quarto centenário da cidade de São Paulo em 1954 e estabelece o recorde de público do estádio do Morumbi que dura até hoje.
* 1982 - Começa a formação do reservatório da Usina Hidrelétrica de Itaipu.
* 1997 - O presidente norte-americano Bill Clinton discursa no Palácio do Itamaraty se referindo a Santos Dumont como o pai da aviação.
* 2003 - Em visita a São Paulo, o escritor José Saramago, em entrevista, faz declaração controvertida sobre os judeus, em consideração ao conflito Israelo-palestiniano.

Nascimentos:

* 1453 - Eduardo, Príncipe de Gales, herdeiro de Henrique VI de Inglaterra (m. 1471)
* 1916 - Edu da Gaita, músico brasileiro (m. 1982)
* 1925 - Margaret Thatcher, política britânica, primeiro-ministro de 1979 a 1990.
* 1941 - Paul Simon, cantor estadunidense.
* 1949
o Raimundo Fagner, músico brasileiro.
o Nana Alexandria, enxadrista georgiana.
* 1962
o Kelly Preston, atriz estadunidense.
* 1967
o Kate Walsh, atriz norte-americana.

Falecimentos:

* 54 - Cláudio, Imperador Romano, possivelmente envenenado (n. 10 a.C.)
* 1605 - Jellaladin Mahommed Akbar, imperador mogul (n. 1542)
* 1803 - Louis Claude de Saint-Martin, o "Filósofo Desconhecido", em Aulnay-la-Rivière, na França (n. 1743)
* 1909 - Francisco Ferrer, livre-pensador espanhol, criador da Escola Moderna (n. 1849)
* 1928 - Dagmar, princesa da Dinamarca (n. 1847)
* 1968 - Manuel Bandeira, poeta brasileiro (n. 1886)
* 1987 - Walter Houser Brattain, físico norte-americano (n. 1902)
* 2003 - Bertram Neville Brockhouse, vencedor do nobel da física em 1994 (n. 1918)
* 2008 - Bertha Rosanova, bailarina brasileira (n. 1930)

Feriados e eventos cíclicos:

* Dia do Fisioterapeuta
* Dia do Terapeuta Ocupacional
* Dia de São Eduardo, para os católicos


HOJE NA HISTÓRIA

Hoje é o Dia do Fisioterapeuta

A Fisioterapia, em sentido amplo, é a ciência que estuda o movimento humano. Com o sentido restrito à área de saúde, está voltada para o entendimento da estrutura e mecânica do corpo humano. Ela estuda, diagnostica, previne e trata os distúrbios, entre outros, da biomecânica e funcionalidade humana decorrentes de alterações de órgãos e sistemas humanos. Além disso, a Fisioterapia estuda os efeitos benéficos dos recursos físicos e naturais sobre o organismo humano. É a área de atuação do profissional formado em um curso superior de fisioterapia. O fisioterapeuta é capacitado a avaliar, reavaliar, prescrever órteses, próteses, tratamento físico, dar diagnóstico cinesiológio-funcional, prognóstico, intervenção e alta, dentro de sua tipicidade assistencial. É administrada em consultórios, clínicas, centros de reabilitação, asilos, escolas, clubes, academias, residências, hospitais, empresas, unidades básicas ou especializadas de saúde, pesquisas, entre outros, tanto por serviços públicos como privados.

A fisioterapia atua nas mais diferentes áreas com procedimentos, técnicas, metodologias e abordagens específicas que tem o objetivo de avaliar, tratar, minimizar problemas, prevenir e curar as mais variadas disfunções. Além disto, a complexidade da profissão reside na necessidade do entendimento global do ser humano através da Anatomia, Citologia, Fisiologia, Embriologia, Histologia, Biofísica, Bioquímica, Cinesiologia, Farmacologia, Neurociências; além da Antropologia, Ética, Filosofia, Sociologia, Deontologia, Bioimagem (radiogradia, ultrassonografia, ressonância magnética, tomografia, densiometria óssea, etc e outras ciências de formação geral. Uma formação curricular consistente permite ao fisioterapeuta, em sua avaliação ou consulta, a formulação do diagnóstico fisioterapêutico (cinesiológico-funcional), de acordo com a normatização profissional do Brasil.

A fisioterapia foi regulamentada oficialmente no Brasil pelo Decreto-Lei nº 938 em 1969 e pela Lei Federal nº 6.316 em 1975. Uma fisioterapeuta auxilia duas crianças com poliomielite a se manterem em pé, enquanto exercitam seus membros inferiores

Prevenção

A atenção fisioterapêutica propicia o desenvolvimento de ações preventivas primárias, secundárias e terciárias. Mesmo antes da doença atingir o horizonte clínico, ou seja, de exibir sinais e sintomas, podem ser desenvolvidas intervenções preventivas.

Em indivíduos sob atenção do Fisioterapeuta para recuperação funcional de lesões e/ou disfunções, ações preventivas mais complexas podem ser desenvolvidas, como por exemplo, a prevenção de incapacidade respiratória numa vítima de um dado quadro neurológico. No âmbito da saúde comunitária, podem ser desenvolvidas ações preventivas visando a minimização de disfunções decorrentes de doenças crônico-degenerativas, prevenção de condições biomecanicamente desfavoráveis, escola de postura, dentre outras ações. É crescente a solicitação da sociedade para que o Estado disponibilize com maior efetividade a atenção fisioterapêutica. No Brasil, a 13.ª Conferência Nacional de Saúde realizada em Brasília/DF de 14 a 18 de novembro de 2007 aprovou por unanimidade uma política pública de saúde funcional pelo Sistema Único de Saúde. Um fisioterapeuta esportivo. A Fisioterapia esportiva atua no atendimento imediato a atletas e também de forma preventiva

Processo de reabilitação

Trata-se de um processo multiprofissional visando a reinserção bio-psico-social do paciente. Tem por objetivo restaurar os movimentos e funções comprometidas depois de uma doença ou acidente, até tornar possível devolver o indivíduo a seu lugar anterior na sociedade, ou o mais perto disto (mais funcional/autônomo possível). Não se pode afirmar que a reabilitação foi um sucesso se o indivíduo recuperado total ou parcialmente não conseguir retornar à sua função social de origem, igual ou próximo ao desempenho anterior ao acidente ou doença. Em Portugal, o fisioterapeuta integra geralmente a equipa multiprofissional de reabilitação juntamente com enfermeiros, terapeutas ocupacionais, educadores físicos, fonoaudiólogos, psicólogos e médicos. Na resolução CNS n.º 44 de 1993 no Brasil, na gestão do ministro Jamil Haddad na Saúde e inpirado nos princípios do SUS, optou-se pela designação de profissional de saúde no lugar de paramédico nos documentos oficiais, e em extensão a expressão equipe de saúde melhor define o trabalho em equipe interdisciplinar em qualquer área, cuja autonomia dos profissionais envolvidos não fere a equipe mas, ao contrário, é a base de um trabalho em respeito mútuo.

Reintegração

Fase final do processo de reabilitação de grandes incapacitados, reintegrar a pessoa à sociedade é nobre objetivo da atenção fisioterapêutica, após uma terapeutização resolutiva. Em pessoas que sofreram seqüelas irreversíveis (perda de membros, lesões nervosas ou músculo-tendíneas incapacitantes), tal reintegração se dá mediante o treinamento e adaptação dos pacientes às suas potencialidades (com uso ou não de órteses e/ou próteses), para um grau o maior possível de autonomia pessoal e conseqüente interação social.

Fontes: Edições paulinas, 10emTudo, Climatempo, Wikipedia

Pensamentos do Dia - 13 de Outubro de 2009


"Um homem que está livre da religião tem uma oportunidade melhor de viver uma vida mais normal e completa."

Sigmund Freud

"Educai as crianças, para que não seja necessário punir os adultos."

Pitágoras

"Os espelhos são usados para ver o rosto; a arte para ver a alma."

George Bernard Shaw

"Quando um homem quer matar um tigre, chama a isso desporto; quando é o tigre que quer matá-lo, chama a isso ferocidade. A distinção entre crime e justiça não é muito grande."

George Bernard Shaw

"O homem que empenha todo o seu trabalho e imaginação em oferecer por um dólar o mais possível, em vez de menos, está condenado ao sucesso."

Henry Ford

Foto Ilustrativa: Baião de Dois - Por: Pachelly jamacaru

Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30