xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 26/09/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

26 setembro 2009

Vinho Frank Sinatra - Este tem Estilo !


NE : se o vinho for tão delicioso como as músicas cantadas por ele, vale a pena pagar o preço!

A vinícola Sinatra Family Estates, de propriedade da família de Frank Sinatra, lançou seu primeiro vinho, um Cabernet Sauvignon batizado Come Fly With Me, em homenagem ao clássico álbum homônimo de 1957, o primeiro do cantor a atingir o topo nas paradas da Billboard.

"Papai costumeiramente encerrava seus shows com brindando à plateia: 'Vocês podem viver 100 anos, e a minha voz pode ser a última que vocês vão ouvir'", lembraram os filhos do "The Voice", , Nancy, Tina e Frank Jr. "Com o lançamento da Sinatra Family Estates, nós brindamos nosso pai." "Passamos vários anos procurando o vinhedo ideal para esse projeto e estamos encantados com a qualidade das uvas produzidas", falou John Schwartz, parceiro da Sinatra Family Estates.O rótulo é decorado com um clássico disco de 45 rotações, estampado com o logo de Reprise, o selo mais vendido do cantor. Come Fly With Me será o primeiro de uma série de lançamentos anuais, cada um celebrando a música de Sinatra e oferecendo itens para colecionadores junto com o vinho. A caixa com seis unidades da bebida custa US$570, mais os custos com impostos, e incluem um CD do álbum original de Come Fly With Me, um selo e um cartão assinado por um membro da família Sinatra.

Fonte UOL

Sobral continua na liderança na região Norte com 182.431 habitantes

Com base na estimativa anual das populações dos municípios brasileiros divulgado no dia 14 de agosto deste ano, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e com a aprovação da PEC dos vereadores, o blog Wilson Gomes resolve fazer um resumo destacando alguns municípios da região Norte do Estado. Fortaleza a capital cearense se mantém na 5° posição no País com uma das capitais mais desenvolvida com mais de 2,5 milhões de habitantes.
Sobral continua na liderança na região Norte com 182.431, seguido de Itapipoca com 115 mil habitantes.

Pacujá, Senador Sá e Moraújo, tem as menores populações. É Importante destacar que o Tribunal de Contas da União utiliza as estimativas populacionais do IBGE como parâmetro para distribuir o Fundo de Participação dos Estados e Municípios. Por isso a estimativa foi divulgada no dia 31 de agosto no Diário Oficial da União. Após esta publicação os municípios podem apresentar reclamações fundamentadas ao IBGE, que decidirá conclusivamente e só depois, no dia 31 de Outubro será enviada para o TCU.

Fora da Região Metropolitana, Juazeiro do Norte tem a maior população do interior com quase 250 mil habitantes e a cidade de Guaramiranga tem a menor com apenas 4.070.

Veja outros números de municípios da Zona Norte e parte da Serra da Ibiapaba:
Alcântaras 10.816 - Acaraú 54.753 - Barroquinha 15.558 - Camocim 61.278 - Cariré 19.132 - Carnaubal 16.755 - Catunda 11.198 - Chaval 12.644 - Coreaú 22.215 - Croatá 18.246 - Cruz 23.540 - Forquilha 21.599 - Frecheirinha 13.537 - Granja 53.952 - Graça 15.949 - Groaíras 9.971 - Guaraciaba do Norte 38.406 - Hidrolândia 19.252 - Ibiapina 24.125 - Irauçuba 23.309 - Ipú 41.052 - Itapagé 47.354 - Itapipoca 114.441 - Itarema 36.536 - Jijoca de Jeriquaquara 16.880 - Marco 24.622 - Massapé 35.388 - Martinópole 11.118 - Meruoca 12.780 - Miraíma 12.737 - Moraújo 8.538 - Mucambo 14.537 - Pacujá 6.233 - Reriutaba 19.444 - Santana do Acaraú 30.410 - Santa Quitéria 45.080 - São Benedito 45.407 - Senador Sá 6.669 - Sobral 182.431- São Gonçalo do Amarante 42.962 - Tianguá 68.588 - Ubajara 31.247, Uruoca 13.820 - Varjota 17.802 - Viçosa do Ceará 56.673. (Fonte: IBGE).

Por: Wilson Gomes

Discurso teatral - Por A.Morais


Há sete anos, num programa eleitoral da TV, o então candidato Lula fez um pronunciamento chorão e piedoso. Falando pausadamente, com um intervalo quase teatral entre uma frase e outra, o Ator narrava a historia do internamente de uma de suas esposas que fora a óbito por falta de um bom atendimento segundo ele. A cena deixou os brasileiros sensibilizados porque afirmava no seu termino que no seu governo tudo aquilo ia mudar. Sete anos depois, o governo do Cara fracassa exatamente na área da saúde, setor vital para população mais carente e, esses absurdos se repetem com maior frequencia do que antes.

Esta semana, um cidadão residente no sitio Zabelê, localidade situada na divisa dos municípios de Nova Olinda e Crato, deu entrada com sua esposa em adiantado trabalho de parto no Hospital de Nova Olinda. Como não havia medico de plantão foi aconselhado a voltar para casa. Retornando ao Hospital, um dia depois, a paciente foi transferida para o Hospital São Francisco em Crato onde faleceu junto com o filho por falta de um pronto atendimento. Como podemos observar a historia se repete igualzinha e o discurso que era apenas chorão e piedoso passou a ser também mentiroso e falso. Hoje é meta do presidente Lula ser chique para o mundo, emprestar dinheiro ao FMI, nem que seja o que falta para saúde. Um unico jeito democratico que dispomos é não votar em nenhum politico com mandato. Mude, dificilmente voce fará escolha pior do que já existe.

Por A.Morais.

Privacidade escancarada


A frase "criança precisa de limites" escorre pela boca de muita gente. Tenha você filhos ou não, conviva com crianças ou viva bem longe delas, certamente já ouviu alguém pronunciá-la com ar de sabedoria ou teve vontade de dizê-la. Espero que tenha se contido porque ela não significa boa coisa. Dita assim, parece que consideramos os limites algo importante para os mais novos, mas que, infelizmente, não tivemos como lhes oferecer.Pois essa pode ser uma parte da nossa realidade. Consideremos, por exemplo, a fronteira -o limite!- entre o público e o privado, entre o que é da ordem da intimidade e o que pode ser partilhado no convívio social. No mundo adulto, essa fronteira parece ter quase se dissipado e o modo como usamos o telefone celular evidencia isso.Todo assunto é conversado na presença de qualquer pessoa e o tom de nossa voz não demonstra que queremos deixar nossos assuntos protegidos de estranhos. Brigas com cônjuges, comentários sobre um amigo, nossos percalços financeiros, tudo é tratado no trabalho, no restaurante, no bar. Além disso, não há distinção entre vida profissional e pessoal, já que ambas estão sempre se atravessando: fala-se com os filhos no trabalho, trata-se de trabalho no convívio familiar.Pois bem: as crianças têm reproduzido muito bem essa falta de limites.

Na escola, que é onde começam a aprender a viver a vida pública, consideram amigos os colegas com quem mais têm afinidade -sempre temporária, é bom lembrar. E toda sorte do que consideram segredo de suas vidas compartilham com os mesmos. Fatos que acontecem com os pais, o que pensam e sentem, atos que cometeram, eles contam tudo.Na primeira oportunidade, arrependem-se fortemente do que fizeram porque os segredos passam a ser usados como moedas de troca para pequenas chantagens, são divulgados em atos de represália, servem de motivo para chacotas etc. Mesmo assim, sozinhas, as crianças não conseguem aprender a distinguir colega de amigo, assunto íntimo de assunto social.Outra evidência de que não sabem nem conseguem proteger sua intimidade de estranhos é quando usam a internet.

Confiam rapidamente nas pessoas com quem conversam, publicam experiências muito pessoais na ingênua crença de que apenas quem eles conhecem e querem bem terão acesso, distribuem comentários que deveriam ser feitos a poucos, escrevem seu diário, expõem-se.Em geral, quando a criança usa a internet, sente-se segura e protegida porque está em sua casa, e isso ajuda a perder a noção de que um pequeno artefato tecnológico a conecta ao mundo todo. Assim, ela constrói a ilusão de que nada do que escreve ou nenhuma imagem que publica será acessada por quem não gosta ou mesmo para ser usada contra ela.

Muitas já sofreram experiências dolorosas e pouco aprenderam. É principalmente por isso que as crianças precisam de tutela adulta quando usam a rede.Se queremos que os mais novos tenham uma vida melhor do que a nossa, precisamos lhes ensinar que é possível e desejável construir uma intimidade e que amigos temos poucos, enquanto os colegas são muitos.

Fonte Rosely Sayão

“The United States of Sobral” - Por: Leonardo Coutinho, de Sobral


NE
- As eleições estão longe, mas começaram os ataques. A Revista VEJA publicou matéria que fala sobre a cidade de Ciro Gomes, Sobral...

“The United States of Sobral”

É assim que os cearenses chamam a cidade de Cid Gomes, o ex-escoteiro socialista que implantou no sertão uma amostra do american way of life

Leonardo Coutinho, de Sobral

Fotos Manoel Marques
Paris e Nova York
Sob inspiração francesa, Sobral ergueu seu arco do triunfo. Agora, usa ônibus escolares americanos e incentiva a prática do baisebol

Encravada no sertão cearense, a cidade de Sobral cultiva estrangeirices com tal entusiasmo que passou a ser conhecida no resto do estado pelo título desta reportagem: “The United States of Sobral”. Lá, circulam ônibus escolares americanos (originais), que, além de serem amarelos como os que se veem nos filmes, ainda trazem a inscrição em inglês: School Bus. Lá, pratica-se beisebol – ou uma versão rudimentar do jogo, segundo a confederação brasileira desse esporte. Lá, o Kentucky Derby, uma das mais tradicionais competições do circuito do turfe dos Estados Unidos, inspirou a criação do Derby Club Sobralense. A diferença é que, sob o sol do agreste, os jóqueis treinam com calção de futebol. Lá, a população apelidou o parque da cidade de “Central Park”, parodiando seu congênere nova-iorquino. A veia, digamos, cosmopolita de Sobral não é nova, mas ganhou força entre 1997 e 2004, quando a cidade foi administrada por Cid Gomes, do PSB, o atual governador do Ceará. Desde então, já há quem veja semelhanças entre o Rio Acaraú, que corta a cidade, e o Hudson, que banha Nova York.

Antes de Gomes, a cidade mimetizava europeísmos, por obra e graça (muita graça) de um bispo que mandou e desmandou naquelas bandas durante a primeira metade do século XX: dom José Tupynambá da Frota. Ele queria conferir a Sobral um ar francês e, entre outros lampejos geniais, teve a ideia de homenagear Nossa Senhora de Fátima com um monumento inspirado no Arco do Triunfo, erguido em Paris por Napoleão Bonaparte, para comemorar suas vitórias militares. O monumento está localizado na Avenida Boulevard do Arco. Como tem bares e restaurantes, os sobralenses fazem uma associação imediata. “Ela lembra a Champs-Elysées de Paris”, diz o colunista social Arnaud Cavalcante. Sob o domínio do socialista Cid Gomes, Sobral passou a se espelhar nos Estados Unidos. Ele começou a imaginar a aparência globalizada de Sobral em 1996, ainda na condição de deputado estadual. Escalado pela assembleia cearense para a árdua tarefa de fazer um périplo pelas câmaras legislativas americanas, Cid voltou dos Estados Unidos cheio de projetos. No ano seguinte, ao assumir a prefeitura, passou a pô-los em prática.

Seu irmão mais velho, Ciro Gomes, ajudou-o a dar os primeiros passos na americanização de Sobral. Em 1998, Ciro, que frequentou um curso de inglês básico na Universidade Harvard, convenceu uma fundação a doar 36 school buses usados para a prefeitura do irmão. O município precisou arcar somente com o frete dos veículos. Pena que houve um inconveniente: no Ceará, não existem peças nem mecânicos especializados para esse tipo de ônibus. Por isso, eles foram sendo encostados à medida que precisavam de manutenção. Dos 36 ônibus, só três ainda estão em circulação. Numa boa iniciativa, inspirada pelo empenho acadêmico do irmão mais velho, o então prefeito Cid resolveu que daria proficiência em inglês aos alunos das escolas públicas. Para tanto, instalou o Palácio de Ciências e Línguas Estrangeiras em um casarão neoclássico onde funcionou aquele que foi o clube mais elegante da cidade, o Palace. Construiu também um museu em memória da missão de cientistas ingleses que foi a Sobral em 1919, para tentar comprovar a teoria da relatividade por meio da observação de um eclipse. Hoje, o prédio abriga um relativamente bom observatório astronômico.

Sob a influência de Cid, a cidade foi adotando costumes de climas temperados. A 27 quilômetros do centro, a Serra da Meruoca, um maciço rochoso de 920 metros de altura, sofisticou-se. Em casas com lareira, os ricos aproveitam temperaturas que dizem ser 15 graus mais baixas do que a média de Sobral (30 graus), para usar seus casacos elegantes – um deles, como não poderia deixar de ser, é Cid. Nos restaurantes da Meruoca, saboreiam-se fondues, sopas e chocolate quente. E um festival de inverno oferece atividades culturais aos turistas. É a Aspen do Ceará.

Fotos Manoel Marques
Paisagem globalizada
Um dos carrões “Miami Vice” da polícia local, o museu que celebra Einstein e a versão do turfe americano

No fim de sua gestão como prefeito, Cid patrocinou três equipes de beisebol e prometeu construir um campo exclusivo para a prática do esporte nas margens do Acaraú – que jamais saiu do papel. “Mas, quando ele era prefeito, nós tinhamos prioridade para usar o campo de futebol”, pondera Reinaldo Marques Filho, treinador de todos os times de beisebol locais. Marques Filho é amigo de Cid desde a infância, quando eles viviam sempre alertas como escoteiros.

Esses rasgos modernizadores garantiram a Cid uma enorme popularidade. Muitos sobralenses o chamam de “El Cid” e o identificam como o redentor de uma profecia feita pelo bispo Tupynambá da Frota, o do arco do triunfo. Ao morrer, em 1959, ele previu três décadas de estagnação para Sobral – estancada pelo socialista yankee. Hoje, boa parte do maior reduto eleitoral do ex-prefeito e atual governador ainda é abastecida por carros-pipa, não fornece água tratada a toda a população nem dispõe de saneamento. Em Sobral, as principais causas de morte são as doenças infecciosas e parasitárias. Mas as ruas são iluminadas e a polícia se desloca, no confortável estilo “Miami Vice”, em carrões equipados com ar-condicionado e câmbio automático. Graças à Votorantim e à Grendene, que empregam 12% da população, o comércio local é vigoroso. Cid agora quer mais um retoque à sua Nova York: metrô. No início do mês, lançou uma licitação para começar as obras. Em Fortaleza, a capital, cuja população é catorze vezes a de Sobral, o metrô local ainda não transportou ninguém. Está sendo construído desde 1999. Very good, Cid.

Fonte: VEJA

A Imprensa Golpista no Brasil e na América Latina - por José do Vale Pinheiro Feitosa


Pelo menos duas organizações de mídia brasileira se associaram ao instituto do Golpe de Estado: a Globo e a Veja. As outras duas, Folha e Estado, foram um pouco mais comedidas, mas não deixaram de dar uma mãozinha à tese. Alexandre Garcia e Miriam Leitão no Bom Dia Brasil da última segunda feira se tornaram porta vozes dos golpistas de Honduras.

Alguém tem dúvidas que em Honduras houve um Golpe de Estado? Igual aquele que tentou derrubar Hugo Chávez? Alguém desconhece que os militares brasileiros, sob a batuta de lideranças civis, deram um Golpe de Estado em João Goulart e implantaram uma Ditadura de mais de vinte anos? Quem não percebe que conservadores e autoritários vestidos em roupas de democratas apregoam e defende um golpe de Estado? Eles começam deste modo e tentam a hegemonia até que qualquer desculpa é desculpa para um golpe.

Os “democratas” de Veja e Globo que tanta histeria tiveram com um suposto terceiro mandato para Lula, debateram igualmente o terceiro mandato para Uribe na Colômbia? Quando é Hugo Chávez as “raposas em pele de cordeiro” se tornam democratas da meia noite. É a velha prática do Stalinismo e não é incomum tais “democratas” denunciando o regime ditatorial que trucidou vidas. E aí pensamos nesta contradição: se usam as práticas stalinistas qual a razão de denunciar seu regime. É que ao fazê-lo não pretendem negar a ditadura, mas subjetivamente nos ameaçar com ela.

A questão de Honduras é clara. Deram um Golpe de Estado e querem dar sucesso ao golpe com eleições em novembro. Assim fica fácil para os “democratas” defenderem este tipo de democracia: toda vez que alguém nos contrariar vamos lá, damos um golpe de estado e depois prometemos eleições. No Brasil foi deste modo, até que em 1965 acabaram por cassar inclusive os civis que lideraram o golpe (Lacerda e Juscelino) e ficamos sem eleições por muitos anos. Sim tivemos eleições, lembram do “duplipensar” do livro 1984 de George Orwell, eram “eleições” indiretas. O “duplipensar” ou a “duplimensagem” do livro 1984 era a denúncia da prática Stalinista.

Em Honduras estão todos os elementos de um golpe de Estado conforme o consagrado conceito do Dicionário Político de Noberto Bobbio. Como o pensador italiano bem caracterizou o golpe de Estado evoluiu historicamente, mas manteve a sua natureza principal. O traço de união das várias modalidades ao longo de tempo é: “o Golpe de Estado é um ato realizado por órgãos do próprio Estado.” Portanto quando os militares brasileiros tentaram justificar o Golpe como um revolução, estavam aplicando a técnica do “duplipensar” e as famosas passeatas com Deus Pela Liberdade era a encenação para isso (aliás um ex-bispo do Crato ainda padre num tom de brincadeira usava o verbo pelar no lugar de “pela”). As mesmas manifestações a favor dos golpistas em Honduras.

Bobbio responde a duas questões do conceito para caracterizar o que é um Golpe de Estado. Quem o faz? “O soberano, em segundo lugar titulares do poder do Estado e em terceiro funcionários do Estado” (militares). Em Honduras estão o segundo e o terceiro atores. Como se faz? Se faz pela mobilização dos recursos do Estado pois ele é feito por dentro do aparelho de Estado. Prenderam o presidente e sua família enquanto dormiam e os seqüestraram para o exterior.Tomaram os principais recursos modernos: aparelho de comunicações, aeroportos, centrais de telefonia etc. Aí o clássico “infiltração dentro de um setor limitado, mas crítico, do aparelho estatal e na utilização dela para privar o Governo dos demais setores.”

As organizações de comunicação brasileira, sob controle de seis famílias, finalmente mostraram a verdadeira face golpista. Apóiam um golpe clássico e atacam quem denuncia o golpe. Aliás, é um desafio impossível para quem queira demonstrar que estas organizações não estiveram a serviço do Golpe de 1964 e em apoio à Ditadura Militar. Enfim, talvez pela natureza oligárquica, a única instituição brasileira que não evoluiu democraticamente foi a grande mídia nacional.

Só para referência de todos nós: vocês viram alguma note de quem quer que seja ABERT ou outra farsa igual em defesa de alguns órgãos de Imprensa de Honduras que estão sob ataque dos golpistas. Pois tem, dão descargas elétricas nos equipamentos das emissoras que não apóiam os golpistas, provocam ruído nas transmissões entre outras ameaças, inclusive a jornalista.
Enfim: usar Hugo Chávez para defender os golpista é uma bela técnica no “duplipensar”.

Por: José do Vale Feitosa

A Relação Sono/Obesidade - Por: Dr. Fábio T. M. Lorenzetti

Dormir pouco engorda ou emagrece ?

A obesidade é uma patologia que se caracteriza pelo excesso de tecido adiposo no indivíduo, acomete aproximadamente 1/3 da população adulta e apresenta uma tendência crescente mundial. A associação entre a obesidade e os distúrbios do sono tem sido frequentemente estudada: sabe-se , por exemplo, que a Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS) é bem mais freqüente entre os obesos. Um dos motivos é o estreitamento mais acentuado da via aérea na região da faringe que ocorre nos indivíduos obesos.

Existem vários estudos que associaram tempo reduzido de sono (menos de 5 horas de sono por noite) com ganho de peso e obesidade. Por outro lado, outros estudos mostraram associação de tempo excessivo de sono (mais de 9 horas de sono por noite) com obesidade e aumento da mortalidade. Desta forma, acreditamos que o tempo de sono ideal é variável de um indivíduo para outro, mas, se a pessoa dormir entre 6 e 9 horas de sono por noite, teoricamente estaria com um metabolismo menos propenso para a obesidade. Entretanto, não importa apenas o número de horas dormidas, mas também a qualidade deste sono.

Se o indivíduo acima do peso tiver algum distúrbio do sono, como a apnéia obstrutiva do sono, além de ter um sono fragmentado e de qualidade ruim, ele pode ter sonolência excessiva durante o dia. Deste modo, seu metabolismo prejudicado dificulta a perda de peso e a sua indisposição e sonolência dificultam a prática de atividade física regular, diminuindo o gasto energético. Por vários motivos, em pacientes obesos e apneicos, é muito importante tratar simultaneamente as duas patologias: o tratamento da SAOS facilita a perda ponderal, assim como a perda de peso melhora a permeabilidade da faringe e a respiração noturna, diminuindo a gravidade da SAOS.
Os pacientes obesos que suspeitam que possuem algum distúrbio do sono devem procuram um médico especialista para uma avaliação e tratamento específico.

Sobre o Autor: Dr. Fábio T. M. Lorenzetti

Graduado em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, com Residência Médica e Complementação Especializada em Otorrinolaringologia (ORL) pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC-FMUSP). Título de Especialista pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial e Título de Medicina do Sono pela Associação Brasileira de Sono. Pós-Graduando (Nível Doutorado) em ORL pelo HC-FMUSP desenvolvendo pesquisa na área de tratamento do Ronco (Injeção Roncoplástica).

Fotos: Dias ao Sol - Portugal

Ideologia - Cazuza


Cuba






Kennedy


Ideologia
Composição: Cazuza / Frejat

Meu partido
É um coração partido
E as ilusões
Estão todas perdidas
Os meus sonhos
Foram todos vendidos
Tão barato
Que eu nem acredito
Ah! eu nem acredito...

Que aquele garoto
Que ia mudar o mundo
Mudar o mundo
Frequenta agora
As festas do "Grand Monde"...

Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma pra viver
Ideologia!
Eu quero uma pra viver...

O meu prazer
Agora é risco de vida
Meu sex and drugs
Não tem nenhum rock 'n' roll
Eu vou pagar
A conta do analista
Pra nunca mais
Ter que saber
Quem eu sou
Ah! saber quem eu sou..

Pois aquele garoto
Que ia mudar o mundo
Mudar o mundo
Agora assiste a tudo
Em cima do muro
Em cima do muro...

Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma prá viver
Ideologia!
Prá viver...

Pois aquele garoto
Que ia mudar o mundo
Mudar o mundo
Agora assiste a tudo
Em cima do muro
Em cima do muro...

Meus heróis
Morreram de overdose
Meus inimigos
Estão no poder
Ideologia!
Eu quero uma pra viver
Ideologia!
Eu quero uma pra viver..
Ideologia!
Prá viver
Ideologia!
Eu quero uma pra viver...

Paleontólogo brasileiro afirma que pterossauro tinha penugens


Os livros infantis sobre dinossauros terão que ser reescritos --ou, no mínimo, redesenhados-- a partir de agora. Os répteis voadores que dominaram o céu durante a idade dos dinossauros tinham penugens. Há alguns anos, paleontólogos chineses reescreveram a pré-história quando descobriram que muitos dinossauros tinham penas. Agora, um pterossauro da Mongólia, região central da China, foi indicado como um animal coberto de fibras semelhantes a cabelos."Não parece com pelo de mamíferos, mas era mais aproximado ao de um pintinho", disse o paleontólogo brasileiro Alexander Kellner, do Museu Nacional do Rio de Janeiro, Brasil, que anunciou a descoberta em um congresso da Sociedade de Paleontologia de Vertebrados, em Bristol, Inglaterra, nesta sexta-feira (25). O pterossauro peludo foi descoberto em um dos depósitos de Daohugou, que são famosos por preservar fósseis requintadamente --muitas vezes, com a pele e outros tecidos intactos.

A conservação permitiu que Kellner e colegas do Instituto de Paleontologia de Vertebrados e Paleantropologia em Pequim, na China, observassem mais detalhadamente os tecidos da asa do pterossauro. A equipe ainda não sabe exatamente se as fibras são mais próximas com o pelo de mamíferos ou se as "protoplumagens" eram encontradas em algumas espécies de dinossauros, tampouco do que elas eram feitas, mas Kellner as descreveu como "grossas e densas". As fibras pareceram mais espessas e peludas perto do corpo do pterossauro --cujo apelido é Jeholopterus ningchengensis -- e mais ralas nas extremidades da asa. Fibras similares foram vistas em espécies de pterossauro ainda não identificadas do Brasil, disse Kellner. E, em 1971, o paleontologista soviético Aleksandr Sharov disse à "New Scientist" que imaginava a maioria dos répteis com penugens.

Fonte Folha Online

Quixadá é cenário de filme sobre extraterrestres




Cinema

Clique para Ampliar

Efeitos visuais são utilizados pelo professor de Física, Alexandre Pinheiro, para dar mais vida à temática dos extraterrestres. Na cena, técnicas de última geração transformam o imaginário em real

Clique para Ampliar

Protagonista Jonatan Rodrigues tem seu corpo invadido por vermes de outros planetas depois do contato com ETs

Abduções em Quixadá é o filme produzido pelo professor de Física, Alexandre Pinheiro, com atuação dos alunos

Quixadá. Enquanto os produtores de "Área Q" iniciam as filmagens do longa-metragem de ficção científica sobre a presença de OVNI´s (Objetos Voadores Não-Identificados) e seres extraterrestres numa região peculiar do Sertão do Ceará, nos municípios de Quixadá e Quixeramobim, o professor de Física da Faculdade de Educação Ciências e Letras do Sertão Central (Feclesc), Alexandre Gonçalves Pinheiro, ou simplesmente Agopin, realiza as últimas tomadas de sua primeira obra cinematográfica, coincidentemente abordando a Ufologia. O roteiro é similar, mas conta com a criatividade do diretor. Os relatos dos moradores são praticamente idênticos. Mas os equipamentos utilizados e os custos da produção são muito diferentes. Em sua obra alternativa, como o próprio professor define, não há nenhum investimento milionário e nem equipamentos sofisticados, apenas uma câmera digital de alta resolução, alguns minutos nas tomadas das cenas e horas diante do computador. Os atores são seus alunos e alguns convidados da comunidade local. Mesmo assim, Pinheiro promete surpreender os espectadores com sua técnica, simples, mas rica em efeitos visuais. Estes são produzidos com a utilização de sofisticados programas de Informática. A técnica é a mesma utilizada na edição das grandes produtoras. O filtro especial, por exemplo, é o mesmo utilizado em "Planeta Terror", de Quentin Tarantino, o que garante a qualidade de seu filme, ainda sem data marcada para estréia, provavelmente no campus da Feclesc. Também pretende inscrever seu trabalho cinematográfico no Cine Ceará.

"Abduções em Quixadá" foi o título escolhido para o média-metragem de 40 minutos. O roteiro, elaborado no ano passado, explora exatamente as experiências narradas por quem diz ter sido capturado por alienígenas e no seu corpo teve implantado um chip. Para atrair a atenção do público, o professor produtor resolveu associar uma exagerada dose de terror a um trágico e misterioso desfecho para suas abduções. "Até mesmo os atores ficarão surpresos", completou o produtor. O estudante Jonatan James Pinheiro Rodrigues é um deles. Recebeu o papel principal. Ele está no 5° semestre de Física da Feclesc. Aposta na idéia do professor e na possibilidade de ser revelado para o "mundo do estrelato". Ele garante não haver segundas intenções ao aceitar o convite. O ator amador mora em Uruquê, distrito do município de Quixeramobim.

Coube a Ivanice de Oliveira, aluna do curso de Biologia, contracenar com Jonatan Rodrigues. Ela é a namorada do jovem "Pedro", contaminado pelos seres invasores do planeta Terra. Será uma espécie de heroína. Assim como o colega, também é da zona rural, de Nova Vida, no município de Ibaretama, vizinho a Quixadá. Cursou apenas uma disciplina com Pinheiro: Física Básica. Mesmo assim, foi o suficiente para acreditar no projeto do mestre. Ela também é professora, do Ensino Médio. Sonha em brilhar no mundo artístico. Sobre os seres de outros planetas, o trio protagonista da película tem basicamente a mesma opinião. Avaliam a hipótese da existência como aceitável. A aluna-professora confessa até já ter corrido com medo de alguns na adolescência. Mas o professor fecha a questão, baseando-se na Teoria da Evolução, em que o homem acredita que é o único ser racional criado por Deus. Para não polemizar, por enquanto preferem explorar a imaginação, por meio da sétima arte.

Coincidências

Embora as duas produções sejam bem diferentes, tanto em termos técnicos como econômicos, e seus produtores não se conheçam, a reportagem constatou algumas peculiaridades. Além da mesma abordagem, Halder Gomes, do "Área Q", viveu sua infância em Senador Pompeu, no Sertão Central do Ceará, onde Alexandre Pinheiro nasceu. O primeiro desponta como um gênio do cinema e mestre em taekwondo. O segundo é PhD em Física, pela Universidade Federal do Ceará. Ambos falam inglês fluentemente. Até nas filmagens existem algumas aposições. O casal romântico de "Área Q" contracenará esta semana na passarela do Açude do Cedro. No mês passado, os namorados de "Abduções em Quixadá" participaram de cena parecida no mesmo local. Ali, diante de uma das mais belas paisagens do Ceará, tendo o enorme monólito da Galinha Choca ao fundo, a primeira dupla será incomodada por um grupo de adolescentes enquanto se beija. A segunda dupla será importunada por vermes de outro planeta. As duas produções serão concluídas nos Estados Unidos. O restante das cenas de "Área Q" será no Arizona e as últimas tomadas de "Abduções em Quixadá" no centro espacial da Nasa, no Cabo Canaveral, na Flórida (EUA). Pinheiro está viajando para lá, onde complementará estudos de especialização em Física. Parte do doutorado dele foi realizado em Houston, no Texas, onde nasceu o ator principal de Área Q, Isaiah Washington.

IDEIAL

Com persistência e tecnologia podemos transformar nossos sonhos em realidade"
Alexandre Gonçalves Pinheiro
Doutor em Física

Mais informações
"Abduções em Quixadá"
(85) 8701. 4036, Alexandre Pinheiro
agopin@agopin.com

ALEX PIMENTEL
Colaborador do Jornal Diário do Nordeste - Fonte: DN

Textos brasileiros ganham espaço nos palcos estrangeiros


Max Overseas anda cortejando os rabos de saia da Lapa em japonês. Já Flor vai usar o italiano para tentar esconder de Teodoro as escapadelas com o fantasma de Vadinho. E as quatro irmãs de "A Partilha" logo voltarão a discutir a herança da mãe em espanhol --18 anos depois de recorrerem ao castelhano pela primeira vez para tentar resolver o imbróglio. Simpatizantes ajudam a emplacar peças brasileiras no exterior As cenas com sotaque estrangeiro de "Ópera do Malandro", de Chico Buarque, e de "Dona Flor e Seus Dois Maridos", de Jorge Amado, sugerem que, na hora de escolher textos brasileiros para montar no exterior, produtores teatrais geralmente se guiam pelos estereótipos associados ao país, notadamente o tripé samba-sensualidade-paraíso tropical.Mas a notícia da remontagem de "A Partilha", de Miguel Falabella, na Argentina e uma lista comprida de encenações recentes (ou prestes a estrear) lá fora mostram que, quando se trata de autores contemporâneos, o olhar "gringo" para a dramaturgia brasileira é menos simplista, reducionista.

É difícil precisar dados sobre a "exportação" de obras nacionais. A Sociedade Brasileira de Autores Teatrais (Sbat) não tem levantamentos ano a ano da negociação de direitos autorais para o exterior --a pedido da reportagem, informou os textos vendidos em 2008 e 2009. A Associação Brasileira de Música e Artes (Abramus) forneceu uma lista mais extensa, mas com informações incompletas. Fora da órbita dessas instituições, muitos autores negociam diretamente com estrangeiros os direitos de adaptação de seus trabalhos. O que o cruzamento dessas informações aponta é que Jorge Amado, Nelson Rodrigues, Clarice Lispector e Maria Clara Machado são os mais visados para produções estrangeiras.

O comediógrafo João Bethencourt (1924-2006) e seu "O Dia em que Raptaram o Papa" também já rodaram o mundo, do Canadá a Israel. Dentre os contemporâneos, o destaque é Leilah Assumpção (de "Fala Baixo Senão Eu Grito" e "Intimidade Indecente"), dona de uma escrita cênica de forte cunho feminista. Os palcos portugueses e argentinos parecem ser os mais abertos a autores brasileiros, e há interesse crescente na França, na Alemanha e no Uruguai. Segundo o supervisor do setor de teatro e dança da Abramus, Guilherme Amaral, as peças são vendidas por valores que variam de US$ 500 (R$ 895) a US$ 5.000 (R$ 9.000) -mas já houve acordo de 32 mil (R$ 84,7 mil). A negociação também prevê a remessa ao Brasil de um percentual da bilheteria (cerca de 10%). Amaral explica que o grau de notoriedade do autor e de sucesso da(s) montagem(s) do texto aqui influem no valor da venda para o estrangeiro.

Fonte Folha Online

Governo compra avião de R$ 87 milhões para substituir ‘sucatinha’

NE - O Brasil está "podendo"...literalmente!

O governo apresentou na última sexta-feira (25) o jato Embraer 190 que vai substituir um dos aviões reservas da Presidência da República, que estava em uso desde 1976. A aeronave custou R$ 87 milhões e já foi paga.

O avião tem espaço para 54 passageiros e uma área exclusiva para descanso e para reuniões do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na área reservada para o presidente, os espaços entre as poltronas, que são revestidas em couro, são maiores do que no restante da aeronave. Em todas as poltronas há monitores de LCD. O novo avião foi batizado com o nome do padre e inventor brasileiro Bartolomeu de Gusmão, que há 300 anos apresentou à corte portuguesa sua mais conhecida invenção, um balão de ar quente. O jato está equipado com equipamentos de segurança e informação que permitem ao presidente falar ao telefone e acessar a web. O Embraer 190 é utilizado principalmente na aviação comercial e sofreu várias adaptações em sua configuração usual para atender às especificações da Força Aérea Brasileira (FAB). O modelo tradicional do jato atende até 114 passageiros.

Até o final do ano, o governo pretende substituir o outro avião reserva da Presidência por mais um jato da Embraer. Ao todo, o governo vai pagar R$ 211 milhões para a empresa pelos dois aviões, considerando os adicionais de logística e manutenção previstos no contrato. O novo avião tem autonomia para voar para todos os países da América do Sul, partindo de Brasília, sem paradas para abastecimento. Na semana que vem ele já fará sua estreia. A aeronave vai até Lisboa, em Portugal, e depois para Copenhage, na Dinamarca, e a partir de lá levará o presidente a outros países da Europa.

'Sucatinha'

A antiga aeronave usada pela Presidência, apelidada de “sucatinha” por conta do ano em que foi fabricado e dos vários problemas técnicos que apresentou, será licitada, segundo o governo. Segundo a FAB, apesar de o "sucatinha" cumprir suas missões, sua manutenção começou a ficar muito cara, já que o modelo comercial saiu de linha. Um dos problemas apontados pela Aeronáutica é o fato de os ruidosos turbojatos dos Boeing 737-200 sofrerem restrições de horários para operações e até mesmo proibição de pouso e decolagem em alguns aeroportos da América do Norte e da Europa.

Fonte: G1

Caso Curioso: Suspeito de Estupro rouba jornais para a Notícia não se espalhar...

NE - Ora essa...

Rolland Hill, da cidade americana de Taunton, em Massachusetts, foi acusado de estupro e abuso de crianças. A notícia foi publicada na capa da edição de terça-feira [22/9] do jornal Taunton Daily Gazette, e Hill, aparentemente em um esforço para que ninguém na cidade soubesse de seu pesadelo, teve uma grande idéia: recolher todos os exemplares que conseguisse.

O plano deu errado por conta de uma vizinha, que ligou para a polícia alertando para um homem em uma van roubando os jornais de todas as casas da rua. Hill também rodou pela cidade, de manhã cedo, pegando todos os jornais que via pela frente. Os policiais o encontraram em frente aos escritórios do Daily Gazette. Na van, havia cerca de 400 exemplares do diário. Comerciantes locais, enquanto isso, ligavam para o jornal para reclamar que os pacotes com as cópias do dia, normalmente deixados na porta dos estabelecimentos, não haviam chegado.

A polícia considerou o caso tão estapafúrdio que acabou não abrindo (mais) queixas contra Hill. O Daily Gazette, por sua vez, noticiou a trapalhada do homem no dia seguinte, frustrando ainda mais seus esforços. Com informações de Joe Strupp [Editor & Publisher, 24/9/09] e do Taunton Daily Gazette [23/9/09].

Fonte: Observatório da Imprensa

Dom Walmor, Pe. Cícero e a Congregação para a Doutrina da Fé – por Renato Casimiro



Fizemos comentário anterior indicando que um brasileiro, no caso, o Arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, membro da Congregação para a Doutrina da Fé, foi nomeado pelo Papa Bento XVI e comunicado ao mundo pelo cardeal Tarciso Bertone, secretário de Estado do Vaticano.

Das suas primeiras declarações pudemos colher estas: "As questões doutrinais dizem respeito ao ensino teológico e à proclamação zelosa da fé. Terei que estudar muito, pesquisar mais ainda para auxiliar o Papa, dar pareceres e examinar as matérias que tratam de moral, fé e das relações com um mundo plural", explicou dom Walmor, que ficará cinco anos no cargo.

A significação que se procura dar, neste instante é que D. Walmor é um dos poucos brasileiros que já tiveram oportunidade de estar neste dicastério romano, de tanta importância para o processo de reabilitação do padre Cícero Romão Batista.

Outro fato relevante é que na petição que encaminhou os resultados dos trabalhos da Comissão Diocesana instituída por D. Fernando Panico e que foram protocolados na Sagrada Congregação da Doutrina da Fé, em maio de 2006, constava um denso volume com cerca de 150 mil assinaturas de nordestinos que imploravam a atenção da Santa Sé para a causa da reabilitação. Como anteriormente D. Fernando havia participado de uma reunião do episcopado brasileiro em Itaicí, SP, ele teve a oportunidade de submeter aos seus pares da CNBB a iniciativa e cerca de 200 bispos também subscreveram a referida petição. Segundo informação por nós recebida há pouco, da Diocese de Crato, D. Walmor Oliveira de Azevedo é um destes que subscreveram o documento.

Texto: Renato Casimiro, Químico Industrial, Engenheiro Químico, Doutor em Microbiologia de Alimentos, escritor ( 7 livros publicados), jornalista, historiador e memorialista.

Surras diminuem o Q.I. de crianças, afirma estudo


Uma boa surra pode deixar uma marca na criança que é pior do que o desenho vermelho das mãos. Palmadas e outras punições corporais atrasam a inteligência infantil, segundo demonstra um novo estudo. O Q.I. (quociente de inteligência) de crianças entre 2 e 4 anos que receberam palmadas regulares de seus pais caiu mais de cinco pontos no decorrer de quatro anos, comparado com o de crianças que não levaram palmadas. Quoeficiente de Inteligência apresenta queda de 5.5 pontos com palmadas, mas estímulo intelectual é mais importante, diz estudo "O lado prático disso é que os pediatras e psicólogos precisam começar a fazer o que nenhum deles faz agora, e dizer, 'não batam, sob qualquer circunstância'", diz Murray Straus, sociólogo da Universidade de New Hampshire, em Durham, que capitaneou o estudo juntamente a Mallie Paschall, do Centro de Pesquisa e Prevenção em Berkeley, na Califórnia. Essas não são as primeiras evidências de que bater em crianças traz um custo: muitos estudos prévios já sugeriam a associação, e um estudo recente a partir de tomografias do cérebro descobriu que crianças severamente castigadas com surra tiveram baixo desempenho cerebral na faixa "verde" --que inclui neurônios-- comparadas com outras crianças.

Estresse, ansiedade e medo talvez expliquem por que surras tornam lento o desenvolvimento cognitivo. No entanto, os novos pesquisadores fazem uma ligação mais forte no relacionamento de causa e efeito entre surras e inteligência do que outros estudos, afirma Elizabeth Gershoff, pesquisadora de desenvolvimento infantil da Universidade do Texas, que não está envolvida no novo trabalho. Isso porque ele examina crianças no decorrer de quatro anos, além de calcular muitas variáveis passíveis de confusão, como a etnia dos pais, educação e se eles faziam leituras para as crianças ou não. Straus e Paschall analisaram dados coletados nos anos 1980 como parte de uma pesquisa nacional de saúde infantil.

Em 1986, um estudo anterior mensurou o Q.I. de 1.510 crianças com idade entre 2 e 9 anos, e também observou a frequência suas mães as submetiam a punições corporais. Os pesquisadores repetiram os testes quatro anos depois. Os pesquisadores separaram as crianças em dois grupos de idade --2 a 4 anos e 5 a 9-- porque alguns psicólogos infantis afirmam que surras ocasionais são aceitáveis em crianças mais novas, mas não em crianças mais velhas. As projeções revelaram que 93% das mães que bateram em crianças de 2 a 4 anos ao menos uma vez por semana, e que 58% recorreram à disciplina física com crianças mais velhas.

Quase metade das mães das crianças mais novas bateram em seus filhos três ou mais vezes por semana, apontaram Straus e Paschall. Quatro anos depois, as crianças mais novas que jamais apanharam de suas mães tiveram um ganho de 5.5 pontos de Q.I., se comparadas com crianças que sofreram punições corporais, enquanto os mais velhos que não apanharam ganharam 2 pontos de Q.I. em relação aos que apanharam. Estes resultados põem em dúvida a prática de surra apenas nas crianças mais novas, diz Straus. "Uma das ironias mais cruéis é que as crianças novas são mais propensas a risco porque seus cérebros têm partes de desenvolvimento ainda em formação". Apesar da conclusão dos cientistas, a palmada não é uma garantia de mediocridade intelectual. Nas crianças mais novas, o atributo que fez mais diferença para a pontuação do Q.I. era se as mães estimulavam ou não a capacidade cognitiva. Isto era mais importante do que qualquer outra coisa, incluindo o castigo corporal. "Digamos que você tem uma criança que tem pais educados, que apoiam e dão estimulação cognitiva, mas que batem: estas crianças vão ficar bem de qualquer modo, talvez não tão bem se não apanhassem", afirma Strauss. Entretanto, ele tem pouca paciência com o argumento de que a surra complementa aquilo que a disciplina não cobre. "A pesquisa simplesmente não mostra isso", diz ele. "Bater não funciona melhor com crianças pequenas". "Eu bati nos meus filhos quando eles eram pequenos: desejo que não isso não aconteça, agora que sei a respeito".

Fonte Folha online

Diabetes – se cuide! - Por: Antonio Morais


Quando se tem diabetes, é muito importante cuidar dos pés. Um alto nível de açúcar no sangue pode afetar os nervos dos pés e causar problemas de circulação do Sangue. Quando os nervos dos pés e das pernas ficam afetados, a pessoa pode começar a ter sensação de formigamento e agulhadas. Alem do mais, pode perder a sensibilidade dos pés e não sentir dor, pressão ou alteração de temperatura. Se tiver uma lesão qualquer, pode não se dar conta dela imediatamente, ficando sujeita mais facilmente a infecções.

Infecções ou falta de circulação do sangue podem causar até mesmo a necessidade de uma amputação. Sinais de falta de circulação do sangue incluem:

01 - Dor nas pernas ou nos pés, especialmente quando se faz exercício físico.

02 - Dor ou sensação de cansaço nas pernas durante a noite.

03 - Também pode ser o caso de feridas que não se curam, pés inchados, de coloração azul, ou planta dos pés ressecados e rachados.

Se você tem diabetes, é muito importante que seu medico examine seus pés frequentemente. Procure tirar as meias e os calçados para que seu médico possa avaliar seus pés em cada consulta. Verifique seus pés todos os dias para ver se há bolhas, rachaduras, cortes ou pele seca entre os dedos ou na planta do pé. Use um espelho ou peça ajuda de outra pessoa se você tiver dificuldade em ver seus pés. Comunique-se com o seu medico caso encontre qualquer lesão. Lave os pés todos os dias com sabão neutro e água morna. Sempre controle a temperatura da água para garantir se não está demasiadamente quente. Enxugue bem os pés, inclusive entre os dedos. Use uma loção ou creme no dorso e planta dos pés ( exceto entre os dedos), especialmente nas áreas mais ressecadas. É melhor aparar as unhas dos pés com uma lixa, ao invés de cortá-las. Sempre use a lixa cuidadosamente em linha reta de um lado para o outro.

Antes de calçar meias e sapatos, verifique se não há nada dentro deles que possa eventualmente pressionar e machucar seus pés. Use sapatos confortáveis, que calcem bem e consequentemente não causem bolhas. Durante todas as estações do ano, você deve usar sapatos fechados, que oferecem maior proteção aos seus pés. Não ande descalço mesmo dentro de casa. As meias de algodão ajudam a manter seus pés secos. Se sentir frio nos pés, use meias mais quentes. Não use almofadas elétricas nem bolsas de água quente para esquentar os pés. Se você tiver calos ou verrugas, procure um especialista para tratá-los, mas jamais tente remove-los sem orientação medica. Os produtos indicados para este fim, podem lesar a pele e causar infecções.

O cuidado com os pés é um item importante no controle do diabetes. Seu medico ajudará você a desenvolver o melhor tratamento para cuidar de seus pés.

Aventes – Diabetes nós cuidamos.

Foto: Blog do Professor Robson Costa ( Via Beto Fernandes )

O que importa é ser coerente. A Globo é assim. Postado por Darlan Reis Jr.

Que as Organizações Globo são coerentes com sua história, com suas origens, ninguém pode negar. Sob controle da família Marinho, sempre tomou partido nos momentos decisivos da história do Brasil e também do mundo. Segundo Luiz Carlos Azenha:
"O bicho pode mudar de pele, mas não perde vícios de origem. É importante relembrar qual é o DNA das Organizações Globo para entender as posições que ela assume de forma escancarada, através de seus porta-vozes, no caso de Honduras. Defender a elite hondurenha que está por trás do golpe de estado naquele país é o equivalente a defender o regime dos afrikâners na África do Sul. Basta substituir os "negros" sul africanos pelos indígenas hondurenhos, cuja mão-de-obra barata é oferecida de graça como forma de atrair "maquiladoras" estrangeiras, que se dão bem explorando trabalho semi-escravo.Que a elite brasileira, do Leblon à barra da Tijuca, se junte aos afrikâners centro-americanos diz muito mais sobre nós do que sobre a crise em Honduras. Mas, se a gente relembrar a História, entende:

Editorial de "O Globo", em 02/04/1964

"Vive a Nação dias gloriosos. Porque souberam unir-se todos os patriotas, independentemente de vinculações políticas, simpatias ou opinião sobre problemas isolados, para salvar o que é essencial: a democracia, a lei e a ordem. Graças à decisão e ao heroísmo das Forças Armadas, que obedientes a seus chefes demonstraram a falta de visão dos que tentavam destruir a hierarquia e a disciplina, o Brasil livrou-se do Governo irresponsável, que insistia em arrastá-lo para rumos contrários à sua vocação e tradições.
Como dizíamos, no editorial de anteontem, a legalidade não poderia ser a garantia da subversão, a escora dos agitadores, o anteparo da desordem. Em nome da legalidade, não seria legítimo admitir o assassínio das instituições, como se vinha fazendo, diante da Nação horrorizada.
Agora, o Congresso dará o remédio constitucional à situação existente, para que o País continue sua marcha em direção a seu grande destino, sem que os direitos individuais sejam afetados, sem que as liberdades públicas desapareçam, sem que o poder do Estado volte a ser usado em favor da desordem, da indisciplina e de tudo aquilo que nos estava a levar à anarquia e ao comunismo.
Poderemos, desde hoje, encarar o futuro confiantemente, certos, enfim, de que todos os nossos problemas terão soluções, pois os negócios públicos não mais serão geridos com má-fé, demagogia e insensatez.
Salvos da comunização que celeremente se preparava, os brasileiros devem agradecer aos bravos militares, que os protegeram de seus inimigos. Devemos felicitar-nos porque as Forças Armadas, fiéis ao dispositivo constitucional que as obriga a defender a Pátria e a garantir os poderes constitucionais, a lei e a ordem, não confundiram a sua relevante missão com a servil obediência ao Chefe de apenas um daqueles poderes, o Executivo."

Dilma terá marqueteiro de Obama

O homem que liderou a estratégia revolucionária de internet de Barack Obama durante a campanha presidencial do ano passado acredita que métodos semelhantes podem transformar a política no Brasil e ajudar a eleger a primeira presidente mulher no país. A empresa de Ben Self, Blue State Digital, foi contratada como consultora para uma estratégia online da campanha da ministra Dilma Rousseff, que provavelmente será a candidata do PT na eleição presidencial de 2010. Como chefe da campanha digital de Obama, Self foi essencial na criação de uma enorme base de apoio que ajudou a levar Obama à Casa Branca e levantar US$ 500 milhões para a campanha online do democrata, número recorde de doações. "Engajamento político desse nível nos Estados Unidos também é algo novo", disse à Reuters em entrevista por telefone, de Washington. "Não há porque esse tipo de engajamento político não ser aplicado em outros países". Self, que visitou Brasília este mês para encontro com Dilma, afirmou que sua companhia está trabalhando com uma parceira local para ajudar o PT a planejar a campanha, e que deve ter um papel maior quando a campanha começar de fato.

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, parece precisar da mágica de Obama. Dilma, que não tem o carisma do popular presidente Luiz Inácio Lula da Silva, está bem atrás do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), nas pesquisas de opinião, e parece faltar uma mensagem estimulante, como os gritos por mudança da campanha "change" de Obama que inspiraram seus eleitores. Self não quis comentar as qualidades de Dilma como candidata, mas disse acreditar que a internet, atualmente, é pouco usada como ferramenta de campanha no Brasil, e que ela poderia ser usada de forma eficiente para ajudar a campanha da ministra.

Seu envolvimento segue o debate nacional travado no Congresso sobre o uso da Internet em campanhas, com deputados estudando mudanças nas lei eleitorais para restringi-lo. Lula, que tem que chancelar qualquer proposta de lei aprovada pelo Congresso, tem apoiado publicamente o uso irrestrito da Internet em campanhas eleitorais.

INTERNET

Embora milhões de brasileiros ainda não possuam acesso direto à internet, este acesso vem crescendo bastante nos últimos anos, com o bom crescimento econômico do governo Lula ajudando milhões a saírem da pobreza para a nova classe média. "Claramente, há uma grande parcela da população no Brasil que têm acesso à Internet --de 60 a 70 milhões, dependendo da pesquisa", disse Self. "É um grande grupo de pessoas do qual tirar adeptos". Entre os obstáculos enfrentados por esse plano de arrecadação pela internet no Brasil está o parco uso de cartões de crédito e a corrupção, que continua forte na política e pode impedir doações.

Assim como nos EUA, a estratégia no Brasil provavelmente buscará voluntários com entusiasmo e acesso à Internet, que serão encorajados a estimular o boca-a-boca em seus bairros e convencer eleitores a votarem em Dilma. "Os detalhes ainda devem mudar em relação à arrecadação, à organização. Mas a base do plano é criar um relacionamento bem sucedido a longo prazo entre a população e os candidatos do partido", disse Self.

Durante a campanha norte-americana, por exemplo, eleitores de Obama podiam baixar listas de pessoas em seus bairros que seriam alvos potenciais para votos e doações. "Talvez isso funcione no Brasil e talvez não funcione, mas é o tipo de ideia, como pegar um apoiador da Internet e transformá-lo em ação política", disse.

Fonte: Blog da Folha

"A Literatura é o Contrário da Guerra"

David Grossman conhece a guerra há muito tempo. Quando nasceu, em 1954, o Estado de Israel existia havia apenas seis anos. Sua cidade natal, Jerusalém, ainda não era totalmente integrada do novo país isso ocorreria apenas em 1967, na Guerra dos Seis Dias, quando o então adolescente Grossman viu a cidade sagrada de três religiões ser integrada à força ao resto de Israel. Mais tarde, na Guerra do Yom Kippur, em 1973, ele serviu na inteligência do Exército. Em 1982, participou da invasão israelense do Líbano. E viu de perto, numa aldeia libanesa, a face dos palestinos que a ocupação israelense transformara em refugiados. Em 2006, sentiu a violência de perto: seu filho, Uri, então comandante de um tanque no Exército israelense, morreu na ofensiva contra o mesmo Líbano. "Na noite entre sábado e domingo, às vinte para as três da madrugada, nossa campainha tocou", disse Grossman no discurso que fez no enterro do filho. "A voz no interfone disse que era o oficial municipal, e eu fui abrir pensando: 'É isso. A vida acabou'."
Felizmente, não acabou. Autor de livros como Ver: Amor (1986) e Alguém para Correr Comigo (2000), Grossman seguiu com a literatura e a militância em favor da paz. Seu mais recente livro, A Mulher Foge, conta a história de uma mulher que tenta evitar a morte do filho, tripulante de um tanque na ofensiva de Israel contra os territórios ocupados. Algo muito semelhante ao que ocorreu com ele. Ex-ator, autor de novelas, âncora de rádio e ensaísta, Grossman chega neste mês ao Brasil para o lançamento de A Mulher Foge na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Nesta entrevista, ele se recusou a tocar no tema da morte do filho, mas falou de sua crença na utilidade da literatura para refletir sobre os conflitos.No seu novo livro, a personagem central, Orah, mãe do soldado convocado para a guerra, se diz cansada da discussão sem fim sobre o conflito entre árabes e israelenses porque não há novas ideias há anos. O senhor vê novas ideias surgindo?
David Grossman: Eu não tenho certeza de que precisemos de novas ideias. A maioria dos israelenses e dos palestinos sabe exatamente o que tem que ser feito para chegarmos à paz. Estamos falando de um Estado israelense e um Estado palestino. Estamos falando de desmantelar a maioria dos assentamentos — exceto alguns grandes blocos cuja remoção é inviável, mas estes terão de ser compensados com outras terras para os palestinos. E também da divisão de Jerusalém e do fato de que os palestinos terão de parar de usar o terror contra israelenses.Então o senhor não acredita na possibilidade de um único Estado para palestinos e judeus?Acredito em dois países: um para os palestinos e um para os israelenses. Eu não acredito que esses dois povos, depois de tantos anos de guerra e ódio, possam viver, num futuro próximo, numa única entidade política. Talvez daqui a cem anos, se tudo for pacífico e adorável na nossa região, possamos rever essa opção. Agora, ela seria contraproducente.Uma perda tão pessoal como foi a morte de seu filho em combate afetou sua visão sobre o conflito?Eu não costumo falar sobre minha vida pessoal. O que posso dizer é que, depois do que aconteceu, penso de uma maneira muito mais aguda as coisas que já pensava antes.Que papel o senhor vê para um escritor de ficção em Israel nesse cenário tão conflituoso?O escritor pode permitir que os israelenses vejam a realidade de diferentes pontos de vista. Também do ponto de vista do outro, do palestino. Ver até a nós mesmos pelo olho de nosso inimigo. Venho escrevendo nos últimos 30 anos sobre a realidade que todo mundo conhece, mas com um novo vocabulário, pessoal e íntimo, capaz de desarmar as pessoas. Estamos tão programados a pensar sobre esse conflito usando clichês impostos pelo desespero que não temos uma linguagem para descrever a situação. Todas as vezes em que escrevi sobre o conflito com minhas palavras pessoais, eu consegui me desvencilhar do que havia me paralisado. Isso me libertou da condição de vítima. Espero que aconteça isso com algumas das pessoas que leem o que escrevo.O historiador israelense Tom Segev diz acreditar que Israel deveria se libertar de seu passado heroico e se tornar um país normal. Sinto que, em certo sentido, nosso passado também pode ser um ônus para nós e que nossa experiência trágica impossibilita a normalidade. Nós nos tornamos viciados em um tipo de existência de proporções épicas. Uma vida de metáfora aos olhos dos outros e aos nossos olhos. Acho que a normalidade vai permitir que exploremos muito mais nosso potencial. Fazer a paz com nossos vizinhos vai possibilitar, pela primeira vez em quase 2 mil anos, que nos tornemos normais, gozando a solidez da existência que até agora não gozamos.O significa para o senhor escrever em hebraico, a língua em que foram escritos os livros sagrados do judaísmo? Como é ser parte de uma tradição tão antiga e venerável?É um privilégio estar na longa corrente de eruditos e estudiosos que escreveram em hebraico. Por 1,8 mil anos o hebraico foi uma língua adormecida. Ela só era usada nas orações. Era uma língua lida, mas não falada, e nós sentimos esse hiato. Para a modernidade, ser um escritor em hebraico significa ser capaz de brincar muito com a linguagem e construir pontes sobre esse hiato.Qual pode ser a contribuição dos intelectuais para a paz?Lembrar as vantagens da paz. Porque as pessoas pararam de acreditar até na palavra "paz". A palavra "paz" soa, aqui em Israel, quase como um termo obsceno, fantasioso, uma coisa em que é perigoso até mesmo acreditar. Temos de dar credibilidade a essa palavra e lembrar às pessoas do que ela é feita. No sentido mais imediato e comezinho: o que significa viver assim? O que significa não ter medo de mandar seus filhos para a escola de manhã? O que significa poder mostrar curiosidade pelo seu vizinho? Por que nos privamos de aproveitar o potencial uns dos outros?Em seu novo livro, o personagem do motorista de táxi árabe Sammy é muito interessante nesse sentido.Eu tentei retratar a impossibilidade da vida para a minoria palestina em Israel. Sammy é um árabe israelense. Ele faz parte desse um quinto da população de Israel, cerca de 1 milhão de pessoas, que é palestino e israelense. Eu quis mostrar como é complicada e delicada essa relação entre Orah, a judia, e Sammy, o palestino. Amigos próximos, Sammy e Orah dão o melhor de si para continuar sendo humanos dentro dessa realidade que é bastante cruel e dura. Mas, em dado momento, isso fica impossível. Ambos se tornam representantes da pior parte de seus povos e, a partir daí, estão fadados ao fracasso. Eu acho que Orah e Sammy serão capazes de recuperar seu relacionamento depois que o livro acaba. Mas será uma reconciliação muito sóbria porque eles passaram por algo que expôs a ambos o lado mais escuro de suas almas.Há uma longa tradição de relacionamento entre literatura e guerra, a maior parte dessa tradição numa veia heroica. Como a guerra entra em sua literatura?
A literatura é o contrário da guerra. Para travar uma guerra você tem de, metafórica e literalmente, obliterar a face do seu inimigo. Se você quer matar alguém, você tem de esquecer que ele é humano. Isso é a coisa básica. Há muitas coisas que você tem de pôr de lado em relação a seu inimigo para mantê-lo como seu inimigo e lutar contra. A literatura é o exato oposto. Na literatura nós selecionamos indivíduos, mesmo entre os nossos inimigos, e tentamos entendê-los em sua profundidade, em seu caráter multifacetado. Isso me faz lembrar de Stalin, que disse uma vez: "Uma morte é uma tragédia, milhões de mortes é estatística". O que estamos tentando fazer na literatura é redimir a tragédia do indivíduo das estatísticas e fazer dele um ser humano novamente.
Fonte Bravo

O Plano B de Lula

Ciro Gomes: o número 2 de Lula
Preocupado com a queda de Dilma Rousseff, o governo revê
sua estratégia para 2010 e decide incentivar uma segunda
candidatura chapa-branca – a do deputado Ciro Gomes

DIVISÃO DE TAREFAS
Dilma seguirá o roteiro de herdeira de Lula, enquanto Ciro se encarregará de atacar os tucanos:
o compromisso fechado com o presidente é que não haja fogo amigo entre seus aliados

Para o presidente Lula, eleger o sucessor em 2010 é uma obsessão. Ele é dono de índices espetaculares de aprovação, coleciona comendas mundo afora e está convicto de que a história do Brasil será dividida entre os períodos a.L. e d.L. – antes de Lula e depois de Lula. A derrota nas urnas de um herdeiro político não cabe nesse currículo. Há mais de seis meses o presidente está em campanha apresentando nos palanques sua candidata, a ministra Dilma Rousseff. Até agora, porém, a fama de eficiente dela e a popularidade dele não têm se transformado em intenções de voto no volume esperado. O que parecia ser a receita correta para o continuísmo está se mostrando um fracasso na prática. Diante do quadro até agora desfavorável, Lula pôs em andamento um plano alternativo. O governo decidiu dividir as bênçãos da aprovação plebiscitária de Lula entre Dilma e um segundo nome identificado com a atual administração – o deputado Ciro Gomes, do PSB.
Disputar a eleição presidencial com dois candidatos ungidos pelo Planalto parece, à primeira vista, mais uma daquelas obras de arquitetura política muito atraentes no papel, mas que não se sustentam no mundo do concreto. A estratégia faz mais sentido quando examinada em dois tempos. Dar publicidade a esse caminho agora aumenta, pelo menos teoricamente, a perspectiva de continuidade no poder do atual grupo governante. Isso soa como música aos ouvidos dos potenciais aliados que abominam a ideia de sentir saudade das emas do Palácio da Alvorada a partir de janeiro de 2011. Quanto maior a perspectiva de vitória, maior o poder de atração de apoios. Quem se beneficiou disso foi Ciro Gomes. O deputado apareceu na última pesquisa de intenção de voto empatado na segunda colocação com Dilma Rousseff – ambos muito atrás do governador de São Paulo, José Serra. A diferença é que Ciro está em ascensão, enquanto Dilma vem perdendo fôlego, principalmente depois do anúncio da candidatura da senadora Marina Silva, do PV.
Lula relutou em abraçar a candidatura Ciro Gomes. Nos últimos três meses, o presidente se empenhou em tentar convencer o deputado a transferir o domicílio eleitoral para São Paulo e disputar o governo estadual. Assim, com uma única tacada, ele se livraria de um adversário incômodo no plano federal e ganharia um aliado em São Paulo. As últimas pesquisas, porém, mostraram que Ciro e Dilma podem, pelo menos no primeiro turno, constituir uma aliança informal pelo parentesco ideológico e, principalmente, pelo adversário comum. Ciro é um orador inflamado, exímio construtor de frases que, a despeito da falta de lógica e amparo na realidade, têm poderoso efeito comunicador. Os julgamentos sobre o que é certo ou errado, bom ou ruim, velho ou novo, saem da boca de Ciro com a certeza de um pregador protestante. Ele faz o mundo parecer simples. Isso agrada aos ouvidos de certo tipo de eleitor incapaz ou indisposto diante do desafio de destrinchar discursos mais complexos. Nesse particular, Ciro é o oposto de Dilma. A ministra é quase sempre cerebral ao ponto de enregelar as audiências com o fogo frio de seu olhar e a cordilheira de números que deita sobre seus ouvidos.
(Fonte:VEJA)

CRATO - Hoje, Sábado dia 26 de Setembro - Campanha de Vacinação Anti-Rábica na cidade


Não esqueça de levar seu animal de estimação para vacinar!
Campanha de Vacinação Anti-Rábica Animal
HOJE, Sábado, 26 de Setembro

Lista de postos de vacinação por bairro:

Alto da Penha
• Sociedade do Bairro Alto da Penha
• Loteamento Dr. Raimundo Bezerra (Mercearia do Deda)

Belmonte
• Posto de Saúde de Belmonte
• Sítio Belmonte (Zé Pajé)

Caixa d’Água
• Sociedade do Bairro Caixa d'Água

Centro
• Centro de Saúde da Grota
• Praça da Prefeitura

Conjunto Dr. Antenor
• Posto de Saúde Dr. Raimundo Bezerra

Conjunto Novo Crato
• Posto de Saúde da Cohab
• Av. Contorno Norte (Frente ao Manuel do Gás)

Granjeiro
• Conjunto Novo Horizonte (Praça)
• Sítio Coqueiro (Esc. Joaquim Fidelis)

Independência
• Sociedade do Bairro Independência

Lameiro
• Escola do Rotary

Mirandão
• Ponto X

Mutirão
• Centro de Nutrição do Mutirão

Pantanal
• Creche Ailsa Gonçalves Filho

Parque Granjeiro
• Vila Novo Horizonte
• Posto de Saúde Alcides Peixoto
• Vila Pedrosa

Pimenta
• Ceja
• Praça Antonio Esmeraldo

Pinto Madeira
• Escola Estada da Bahia

São Miguel
• Centro de Saúde Teodorico Teles
• Centro de Zoonoses do Cariri
• Centro Social Urbano
• Posto de Saúde da Creche São Miguel

Seminário
• Centro Comunitário César Calls
• Escola Polivalente
• Escola José de Brito
• Posto De Saúde Fábio Pin. Esmeraldo
• Praça Dona Ceicinha

Sertãozinho
• Escola Álvaro Madeira

Vila Alta
• Escola Aldegundes Gomes de Mattos
• Apae
• Escola 1º Grau José Alves Figueiredo

Zacarias Gonçalves
• Posto de Saúde Edite Mariano

Texto enviado por: Tiago Figueiredo

CRATO - Cariri Cangaço - Roteiro de Lampião é feito por pesquisadores - Reportagem: Antonio Vicelmo

NA FAZENDA PIÇARRA, os participantes conheceram o local onde o cangaceiro Sabino Gomes foi baleado pela Polícia. Após ser arrastado pelos colegas, ele pediu para ser morto (Foto: ANTÔNIO VICELMO). Wilson Santana sobe na cerca de vara e mostra como morreu o cangaceiro Sabino GomesEstudiosos do cangaço fazem o mesmo roteiro seguido por Lampião e seus comandados na região do Cariri.

Crato. O Seminário "Cariri Cangaço" será encerrado amanhã, com uma palestra no salão paróquia de Missão Velha, seguida por um almoço de confraternização entre os escritores, pesquisadores, professores e ensaístas que participaram do evento. Foi uma semana de estudos, debates e polêmicas sobre Lampião e seus cangaceiros. Os pesquisadores definiram o evento como o maior acontecimento do gênero realizado no Nordeste. "A história do cangaço foi dissecada em todos os seus aspectos pelos mais renomados estudiosos do assunto no Brasil", disse o coordenador do encontro, Manoel Severo. Uma das vertentes importantes do seminário foi a inclusão do Cariri no "roteiro turístico" do cangaço. Participantes do evento percorreram os caminhos trilhados por Lampião e seu bando na região. Os pesquisadores seguiram as pegadas de Lampião apontadas pelo escritor Napoleão Tavares Neves, que lançou o livro "Cariri, Cangaço, Coiteiros e Adjacências", revelando fatos que foram apagados pela poeira do tempo e rastejando as pegadas de Lampião, quando da sua visita à Juazeiro do Norte à procura das bênçãos do Padre Cícero. Um dos locais que mais chamou a atenção dos pesquisadores foi a Fazenda Piçarra, no município de Porteiras, pertencente a Antônio Teixeira Leite, mais conhecido como "Antonio da Piçarra", que foi amigo de Lampião.


Ali, na noite do dia 13 de março de 1928, foi baleado Sabino Gomes, um dos mais valentes cangaceiros do bando. Socorrido pelos companheiros, Sabino foi arrastado dentro da mata. Não suportou os ferimentos e pediu para que um dos cangaceiros o matasse com um tiro da própria pistola no ouvido. Os detalhes deste episódio foram contados pelo neto de Antônio da Piçarra, Wilson Santana, que ainda hoje mora no local. Na época, o grupo de Lampião foi cercado pela volante do tenente Arlindo Rocha, conhecido pelos cangaceiros como "Arlindo Queixo Quebrado". Chovia muito. O relâmpago cortava a amplidão iluminando a caatinga. O cangaceiro Sabino Gomes subiu uma cerca com o objetivo de se aproximar de Lampião, que estava no pé de um serrote, a 50 metros de distância. Na subida da cerca, em meio à chuva, trovoada e relâmpago, Sabino foi alvejada no estômago. Daí em frente, foram balas para todas as direções. Os cangaceiros conseguiram furar o cerco, levando Sabino que, ao longo do percurso, implorava para os companheiros: "Não me deixe vivo para ficar nas mãos dos macacos!". A princípio ninguém atendeu ao pedido de Sabino. Foi aí, segundo o relato de Wilson, com base em informações do cangaceiro Oliveira, que o integrante do bando, conhecido como "Mergulhão", tomou a decisão, dizendo: "Se é para o bem do senhor, para acabar com este sofrimento, eu faço o serviço". Pediu para Sabino botar um lenço nos olhos e o matou com a própria pistola da vítima.

A Fazenda Piçarra, de acordo com o historiador Napoleão Neves, era o entreposto dos cangaceiros no caminho para Juazeiro do Norte. Em seu livro, Napoleão traçou o roteiro do "Rei do Cangaço", em 1926, para Juazeiro, onde ele recebeu a patente de capitão. No caminho para Juazeiro, depois de se hospedarem na Piçarra, os cangaceiros seguiram para Porteiras, onde foram recebidos como heróis. Visitaram a Delegacia de Polícia, jantaram e dormiram. No outro dia, subiram a serra e foram recepcionados com um banquete na casa do coronel Santana, no alto da Serra do Araripe. No percurso, trocaram os animais de montaria cansados por uma tropa de burros do coronel Né Rozendo. No paradisíaco sítio do coronel Santana, descansaram e tomaram banho na fonte da Pendência. O mecânico Antônio Lenard foi chamado para consertar uma pistola de Lampião. O trabalho foi pago com uma cota feita entre os presentes, que resultou numa quantia com a qual o mecânico comprou o primeiro torno da atual indústria Lenard. Em Barbalha, Lampião recebeu ramalhete de flores, foi recebido pelas autoridades, fez compra no comércio, onde também foi contrariado. Napoleão conta que dois cangaceiros entraram na loja de Zuca Sampaio e pediram para levar tecidos de graça. Caso o dono não concordasse, levariam mesmo assim.

HERÓIS

No município de Porteiras, Lampião e seus cangaceiros foram recebidos como heróis"
Napoleão Tavares Neves
Pesquisador e escritor

RESGATE DA MEMÓRIA

Cena da morte de cangaceiro é revivida


Crato. Wilson Santana, neto de Antônio Teixeira Leite, proprietário da Fazenda Piçarra, onde o cangaceiro Sabino Gomes foi morto, ainda traz viva na memória a história contada pelo avô, que na época do cangaço foi "coiteiro" (protetor) de Lampião. Durante a visita dos pesquisadores à fazenda, como parte da programação do Cariri Cangaço, Wilson fez questão de subir na cerca de vara, para demonstrar como foi a cena da morte do cangaceiro Sabino Gomes. Este e outros fatos foram revividos pelos participantes do seminário. Conforme rememoraram, Virgulino Ferreira chegou à Juazeiro do Norte no dia 4 de março de 1926, atendendo ao chamado de Floro Bartolomeu, que não se encontrava mais por lá. Doente, o deputado federal viajara para o Rio de Janeiro, onde acabaria morrendo. Padre Cícero se viu então com um problema nas mãos: recepcionar o famoso bandido e seus companheiros na cidade e, mais ainda, cumprir o que havia sido combinado entre Lampião e o deputado, com a devida aprovação do Governo Federal: o cangaceiro deveria receber dinheiro, armas e a patente de capitão do então Batalhão Patriótico.

Lampião e outros 49 cangaceiros ocuparam uma casa próxima à fazenda de Floro, nas imediações da cidade, e, em seguida, alojaram-se em Juazeiro do Norte, no sobrado onde residia João Mendes de Oliveira, conhecido poeta popular da região. Foi lá que, da janela, Virgulino atirou moedas ao povo e onde, durante a madrugada, Padre Cícero encontrou o bando. Os cangaceiros, ajoelhados em deferência ao sacerdote, teriam ouvido o padre tentar convencer seu líder a largar o cangaço logo após voltasse da campanha contra a Coluna Prestes. Mandou-se então chamar o único funcionário federal disponível na cidade, o agrônomo Pedro de Albuquerque Uchoa, para redigir um documento que, supostamente, garantiria salvo-conduto ao bando pelos sertões e, principalmente, concedia a prometida patente. O papel, como Lampião viria a descobrir tão logo saiu da cidade, não tinha qualquer valor legal, o que não o impediu de assinar, daí por diante, "Capitão Virgulino".

Ciente da desfeita, o cangaceiro não se preocupou mais em dar combate à Coluna Prestes. Já obtivera dinheiro e armas em número suficiente para seguir seu caminho, agora ostentando, orgulhoso, a falsa patente militar. Mais tarde, o agrônomo Uchoa justificou seu papel no episódio: "diante de Lampião, assinaria qualquer coisa. Até a destituição do presidente da República", teria afirmado.

No rastro dos cangaceiros, apontado por Napoleão Tavares, os participantes conheceram, além dos caminhos e localidades visitadas por cangaceiros, outros pontos que fazem partem do corredor turístico do Cariri, como a cachoeira de Missão Velha, as fontes do Caldas, a estátua do Horto em Juazeiro, a Floresta Nacional do Araripe, a Casa Grande de Nova Olinda e o Memorial Patativa do Assaré. A secretária de Cultura do Crato, Danielle Esmeraldo, anunciou a realização de outros eventos de resgate da historia regional.

EXEMPLO

Este foi o maior encontro sobre o cangaço realizado no Brasil. Espero que sirva de exemplo"
Antônio Amaury Correia
Historiador

Já estou com saudade do Congresso. Estarei presente no próximo, com certeza"
José Peixoto Júnior
Pesquisador

ANTÔNIO VICELMO
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaborador do Jornal Chapada do Araripe

CRATO - Previsão do Tempo e Almanaque - 26 de Setembro de 2009


Bom Dia, Sábado, 26 de Setembro de 2009. Cá estamos novamente no fim-de-semana. Hoje recebemos inúmeros textos de diversos autores, que por medida de diagramação, não podem nem devem ser lançados todos de uma só vez. Quero enviar um grande abraço para o Casal Carlos Eduardo Esmeraldo e Magali, e para o nosso mais fiel leitor, talvez ( já conheci inúmeros leitores que não saem de casa de manhã sem antes, ler o Blog do Crato. Mas quero enviar um caloroso abraço para o José Milton Arraes e para o seu filho, nosso fiel conselheiro jurídico, Ernani Brígido, um fabuloso advogado que essa cidade possui.

Previsão do Tempo


Crato - Calor de Rachar!

A previsão do tempo para hoje no Crato, é de Dia de Sol com algumas núvens e não chove. ( embora tenha amanhecido nublado, como nos últimos dias. Depois é que o sol aparece ). Ou seja, a mesma de ontem, de anteontem, de... enfim... nada de novo debaixo do sol escaldante. Aliás, escaldante mesmo foi a temperatura do dia de ontem. Venceu por unanimidade. Para o leitor ter uma idéia, à tarde, 16:00, na Vilalta, dentro de casa, com Ar-Condicionado, o termômetro aqui do Blog do Crato marcava 29 graus, e umidade relativa de 37 por cento, é mole ?

ALMANAQUE

26 de setembro. Dia de São Cosme e São Damião.

Cosme e Damião eram irmãos e cristãos. Na verdade, não se sabe exatamente se eles eram gêmeos. Mas nasceram na Arábia e viveram na Ásia Menor, Oriente. Desde muito jovens, ambos manifestaram um enorme talento para a medicina. Estudaram e diplomaram-se na Síria, exercendo a profissão de médico com muita competência e dignidade. Inspirados pelo Espírito Santo, usavam a fé aliada aos conhecimentos científicos. Com isso, seus tratamentos e curas a doentes, muitas vezes à beira da morte, eram vistos como verdadeiros milagres. Deixavam pasmos os mais céticos dos pagãos, pois não cobravam absolutamente nada por isso. A riqueza que mais os atraía era fazer de sua arte médica também o seu apostolado para a conversão dos pagãos, o que, a cada dia, conseguiam mais e mais.

Isso despertou a ira do imperador Diocleciano, implacável perseguidor do povo cristão. Na Ásia Menor, o governador deu ordens imediatas para que os dois médicos cristãos fossem presos, acusados de feitiçaria e de usarem meios diabólicos em suas curas. Mandou que fossem barbaramente torturados por negarem-se a aceitar os deuses pagãos. Em seguida, foram decapitados. O ano não pode ser confirmado, mas com certeza foi no século IV. Os fatos ocorreram em Ciro, cidade vizinha a Antioquia, Síria, onde foram sepultados. Mais tarde, seus corpos foram trasladados para uma igreja dedicada a eles. Quando o imperador Justiniano, por volta do ano 530, ficou gravemente enfermo, deu ordens para que se construísse, em Constantinopla, uma grandiosa igreja em honra dos seus protetores. Mas a fama dos dois correu rápida no Ocidente também, a partir de Roma, com a basílica dedicada a eles, construída, a pedido do papa Félix IV, entre 526 e 530. Tal solenidade ocorreu num dia 26 de setembro; assim, passaram a ser festejados nesta data.

Os nomes de são Cosme e são Damião, entretanto, são pronunciados infinitas vezes, todos os dias, no mundo inteiro, porque, a partir do século VI, eles foram incluídos no cânone da missa, fechando o elenco dos mártires citados. Os santos Cosme e Damião são venerados como padroeiros dos médicos, dos farmacêuticos e das faculdades de medicina.

Eventos históricos:

* 1777 - Britânicos capturam a cidade de Filadélfia, nos EUA.
* 1907 - Independência da Nova Zelândia.
* 1909 - Fundação do cinema mais antigo do mundo, o Kino Pionier (Cine Pioneiro), por Albert Pitzke, na cidade alemã de Stettin (atualmente Szczecin, na Polónia).
* 1935 - Klaus Barbie recruta-se na Sicherheitsdienst.
* 1945
o Fundação do PRP (Partido de Representação Popular).
o Ishikawa recebe o estatuto de cidade.
* 1969 - Os Beatles lançam o álbum Abbey Road.
* 1982 - Acontece a Assembléia fundadora do Bloco Nacionalista Galego.
* 1983 - Stanislav Petrov evita início de conflito nuclear com os Estados Unidos.
* 1985 - Trafaria é elevada a vila.
* 1986 - Konami Corporation lança o primeiro jogo da franquia Castlevania.
* 1989 - Fundação da Sociedade Esportiva e Recreativa Santo Ângelo.
* 1993 - Entra em órbita o PoSAT-1, primeiro satélite português.
* 1994 - Início do julgamento do ex-atleta norte-americano O. J. Simpson.
* 1997 - Assis é atingida por um terremoto.
* 2001 - Lançamento da série Star Trek: Enterprise.
* 2002 - O físico sírio-canadense Maher Arar, em trânsito pelos Estados Unidos, foi barrado pelo serviço de imigração.
* 2005 - Grandes lideranças petistas abandonam o partido, dentre eles Plínio de Arruda Sampaio, Hélio Bicudo e Chico Alencar.
* 2005 - É realizado o primeiro grande prêmio da A1 Grand Prix, com vitória do time brasileiro.
* 2007 - O mímico francês Marcel Marceau é enterrado no cemitério Pere Lachaise, em Paris.

Nascimentos:

* 1181 - Francisco de Assis, santo.
* 1795 - Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo, político português. (m. 1876)
* 1886 - Archibald Vivian Hill, fisiologista britânico (m. 1977).
* 1888 - T. S. Eliot, poeta modernista, dramaturgo e crítico literário britânico-estado-unidense (m. 1965).
* 1889 - Martin Heidegger, filósofo alemão (m. 1976).
* 1897 - Papa Paulo VI, 263º papa (m. 1978).
* 1898 - George Gershwin, compositor norte-americano (m. 1937).
* 1909 - Geraldo de Proença Sigaud, bispo católico. (m. 1999).
* 1936 - Luis Fernando Verissimo, escritor brasileiro.
* 1939 - Marcos Plonka, ator e empresário brasileiro.
* 1940 - Cláudio Marzo, ator brasileiro.
* 1945 - Gal Costa, cantora brasileira.
* 1948 - Olivia Newton-John, atriz e cantora inglesa.
* 1949 - Clodoaldo, ex-futebolista brasileiro, tricampeõ mundial em 1970.
* 1951 - Eduardo Tornaghi, ator brasileiro.
* 1956 - Linda Hamilton, atriz norte-americana.
* 1957
o Dido Havenaar, ex-futebolista nipo-holandês.
o Klaus Augenthaler, treinador alemão de futebol.
* 1962 - Melissa Sue Anderson, atriz norte-americana.
* 1965 - Alexandra Lencastre, atriz portuguesa.
* 1968 - James Caviezel, ator norte-americano.
* 1969 - Dan Stulbach, ator brasileiro.
* 1970
o Alexandra Marzo, atriz brasileira.
o Marco Etcheverry, ex-futebolista boliviano.
* 1972 - Mohamed Benouza, árbitro argelino.
* 1976
o Michael Ballack, futebolista alemão.
o Sami Vänskä, ex-baixista da banda finlandesa Nightwish.
* 1978
o Mārtiņš Rubenis, piloto de luge letão.
o Robert Cheruiyot, maratonista queniano.
* 1980 - Patrick Friesacher, piloto austríaco de corridas.
* 1981
o Collien Fernandes, atriz alemã.
o Serena Williams, tenista norte-americana.
o Christina Milian, atriz e cantora norte-americana.
* 1983 - Ricardo Quaresma, futebolista português.
* 1985 - M. Pokora, cantor e produtor francês
* 1988
o Kiira Korpi, patinadora finlandesa.
o Nelson Panciatici, piloto francês da GP2.

Falecimentos:

* 1868 - August Ferdinand Möbius, matemático alemão
* 1895 - Lahiri Mahasaya, yogue indiano (n. 1828)
* 1904 - Lafcádio Hearn, escritor japonês de origem grega (n. 1850)
* 1936 - Crescencia Valls Espí, Beata e mártir da Igreja Católica (n. 1863)
* 1952 - George Santayana, filósofo espanhol (n. 1863)
* 1976 - Leopold Ruzicka, químico suíço (n. 1887)
* 1978 - Karl Manne Georg Siegbahn, físico sueco (n. 1886)
* 1979 - John Cromwell, ator e cineasta estadunidense (n. 1887).
* 1990 - Lothar Collatz, matemático alemão (n. 1910)
* 1996 - Geoffrey Wilkinson, químico britânico (n. 1921)
* 2000 - Baden Powell, violonista brasileiro (n. 1937)
* 2001 - Walter Avancini, escritor e diretor de telenovelas brasileiro (n. 1935)
* 2003 - Shawn Lane, guitarrista, multi-instrumentista e jazzista norte-americano (n. 1963)
* 2007 - Joaquim Magalhães Mota fundador do Partido Popular Democrata tornado Partido Social Democrata
* 2007 - Roberto Dias, futebolista brasileiro do São Paulo (n. 1943)
* 2008 - Paul Newman, ator estado-unidense (n. 1925).

Feriados e eventos cíclicos:

* Dia Mundial da Contracepção
* Dia Interamericano das Relações Públicas
* Dia Mundial do Mar
* Dia Nacional dos Surdos
* Portugal - Dia Nacional dos Farmacêuticos
* Dia Europeu das Línguas
* Santos do dia
o Santos Cosme e Damião, mártires.
o Beata Crescencia Valls Espí, mártir.

HOJE NA HISTÓRIA

George Gershwin - O maior Compositor Norte-Americano! - ESPECIAL !

Em 1898, nascia o maior compositor norte-americano, autor de centenas de composições eternas: George Gershwin.

Nota do Blog do Crato: Na verdade, pode-se dizer na prática que sem Gershwin, não existiria música americana, ou pode-se dizer que a história da música nos Estados Unidos se divide em Antes de Gershwin e depois de Gershwin. Autor de centenas de músicas conhecidas, gravadas e regravadas em todo o mundo como: Summertime, I Got Rhythm, Someone to Watch over me, Fascinating Rhythm, Love is here to stay, They can´t take that away from me, e dezenas de outras...

George Gershwin (nascido Jacob Gershowitz) - (Brooklyn, Nova Iorque, 26 de Setembro de 1898 — Hollywood, Califórnia, 11 de Julho de 1937) foi um compositor estadunidense. Ele escreveu a maioria de seus trabalhos vocais e teatrais em colaboração com seu irmão mais velho, o letrista Ira Gershwin. George Gershwin compôs tanto para a Broadway quanto para concertos clássicos. Ele também escreveu músicas populares de grande sucesso.

Muitas de suas composições tem sido usadas na televisão e em inúmeros filmes, além de tornar-se standards de jazz. A cantora Ella Fitzgerald gravou muitas das músicas de Gershwin em seu álbum de 1959, Ella Fitzgerald Sings the George and Ira Gershwin Songbook (com arranjos de Nelson Riddle). Incontáveis músicos e cantores gravaram músicas de autoria de Gershwin, incluindo Fred Astaire, Louis Armstrong, Al Jolson, Percy Grainger, Bobby Darin, Art Tatum, Bing Crosby, Yehudi Menuhin, Janis Joplin, John Coltrane, Frank Sinatra, Billie Holiday, Sam Cooke, Miles Davis, Herbie Hancock, Madonna, Judy Garland, Julie Andrews, Barbra Streisand, Marni Nixon, Natalie Cole, Nina Simone, Maureen McGovern, John Fahey, The Residents, Sublime (banda), e Sting.

Biografia

Gershwin foi nascido como Jacob Gershowitz no Brooklyn, Nova Iorque de pais Russo-Judeus. Seu pai Morris (Moishe) Gershowitz, trocou o nome da família para Gershwin logo depois de imigrar para São Petersburgo, Rússia. A mãe de Gershwin, Rosa Bruskin, também veio da Rússia; ela se casou com Gershowitz quatro anos depois. George Gershwin foi o segundo de quatro filhos. A primeira vez que ele apresentou interesse pela música foi com 10 anos, quando ele escutou seu amigo de infância, Max Rosen, em um recital de violino. O som e a forma como seu amigo tocava o instrumento o capturou. Seus pais tinham comprado um piano para seu irmão mais velho Ira Gershwin, mas para surpresa deles e alívio de Ira, foi George quem começou a tocá-lo. Embora sua irmã mais nova Frances Gershwin ter sido a primeira da família a ganhar dinheiro com seu talento musical, ela se casou nova e veio a se tornar dona de casa além de mãe, desistindo de sua carreira de canto e dança - fixando-se na pintura, um hobby de George Gershwin.

Gershwin tentou vários professores de piano por dois anos, e então foi apresentado a Charles Hambitzer por Jack Miller, um pianista da Orquestra Sinfônica de Beethoven. Hambitzer atuou como um mentor de George até sua morte, em 1918. Hambitzer ensinou a Gershwin a técnica convencional de piano, introduzindo a ele a tradição da música clássica européia, encorajando-o a assitir concertos de orquestras. Em casa, George tentava reproduzir no piano a música que ouvia nos concertos. Ele mais tarde estudou com o compositor clássico Rubin Goldmark e o compositor e teorista Henry Cowell.

Tin Pan Alley

Com 15 anos de idade George saiu da escola e encontrou seu primeiro emprego como músico na Tin Pan Alley em Nova Iorque ganhando $15 por semana. Sua inovadora rag "Rialto Ripples", em 1917, foi um sucesso comercial, e em 1919 ele alcançou seu primeiro grande sucesso com a música "Swanee". Em 1916, ele começou a trabalhar para a Aeolian Company and Standard Music Rolls em Nova Iorque, gravando e arranjando rolos de piano. Ele produziu dúzias se não centenas de rolos sob seu nome. Usando pseudônimos atribuídos a ele como Fred Murtha e Bert Wynn. Ele gravou rolos de composições próprias para pianolas Duo-Art e Welte-Mignon. Assim como rolos de pianos, Gershwin fez uma breve incursão dentro do vaudeville, acompanhando Nora Bayes e Louise Dresser no piano.

Em 1924, George e Ira colaboraram no musical de comédia, Lady Be Good que incluiu futuro standards do jazz como "Fascinating Rhythm" e "Lady Be Good".

Seguido por "Oh, Kay!" (1926), "Funny Face" em 1927, "Strike Up the Band" (1927 e 1930), "Show Girl" (1929), "Girl Crazy" (1930), que introduziu o standard "I Got Rhythm", e "Of Thee I Sing" (1931), o primeiro musical de comédia a ganhar um Prêmio Pulitzer.

Música clássica, ópera e influências européias

Em 1924, Gershwin compôs sua primeira grande obra, Rhapsody in Blue para orquestra e piano, que foi orquestrada po Ferde Grofé e estreada pela banda de Paul Whiteman em Nova Iorque. Provou ser sua obra mais popular. Gershwin ficou em Paris por um período curto de tempo, onde ele estudou composição com Nadia Boulanger. Boulanger, junto com vários outros professores como Maurice Ravel, o rejeitaram, entretanto, receoso de seguir estudos rigorosos influenciaria em seu estilo influenciado de jazz. Enquanto isso, ele escreveu An American in Paris. Este trabalho recebeu diversas críticas em sua primeira performance no Carnegie Hall em 13 de Dezembro de 1928, mas tornaria-se rapidamente parte do repertório de standards na Europa e nos Estados Unidos. Conseqüentemente ele achou a cena musical em Paris arrogante, e voltou para a América.

Sua mais ambiciosa composição foi Porgy and Bess (1935). Chamada por Gershwin como uma "ópera folk", a peça estreada no teatro da Broadway é considerada como a mais importante ópera americana do século XX. Baseada no romance de Porgy de DuBose Heyward, se passando em um bairro negro em Charleston, Carolina do Sul, e com exceção de pequenas falas de alguns personagens, todos são negros. A música combina elementos da música popular, que foi fortemente influenciada pela música negra, técnicas achadas na ópera, assim como recitais e leitmotifs. Incluía também fugas e técnicas "avançadas" como politonalidade e tone row.


Hollywood e morte prematura

Gershwin recebu somente uma indicação ao Oscar, por "They Can't Take That Away From Me" escrita por seu irmão Ira para o filme de 1937 Shall We Dance. No começo de 1937, Gershwin começa a queixar-se de dores de cabeças cegantes e a recorrente impressão que ele estava cheirando a borracha queimada. Ele tinha desenvolvido um tipo de tumor no cérebro conhecido como Glioblastoma multiforme. Em Junho, ele se apresentou em um concerto especial com a Orquestra Sinfônica de São Francisco sob a direção do maestro francês Pierre Monteux. Foi em Hollywood, enquanto trabalhava na partitura de The Goldwyn Follies, que ele teve um colapso em 11 de Julho de 1937, morrendo aos 38 anos de idade no Cedars of Lebanon Hospital de uma cirurgia para retirada do tumor. Coincidentemente, poucos meses depois, em 1937, seu ídolo Ravel também morreria de uma cirurgia no cérebro. Gershwin teve um caso de 10 anos de duração com a compositora Kay Swift e freqüentemente consultava ela sobre suas músicas. Oh, Kay foi nomeada a ela. Após a morte de Gershwin. Swift organizou algumas de suas músicas, transcreveu suas gravações, e colaborou com Ira em vários projetos. Gershwin teve um caso também com a atriz Paulette Goddard.

Gershwin morreu sem deixar testamento, e todas suas propriedades foram passadas para sua mãe. Ele está enterrado no Westchester Hills Cemetery em Hastings-on-Hudson, Nova Iorque. Os trabalhos de Gershwin ainda trazem significantes quantias de royalties das licenças de copyrights. As licenças para tais obras expiraram no final de 2007 na União Européia e irão expirar entre 2019 e 2027 nos Estados Unidos. De acordo com uma carta de Fred Astaire para Adele Astaire, Gershwin sussurrou seu nome antes de morrer. Em 2005, o jornal The Guardian determinou "estimando os lucros acumulados na vida de um compositor" que Gershwin foi o compositor mais rico de todos os tempos. Gershwin foi nomeado para a calçada da fama de Long Island em 2006. O Teatro George Gershwin foi batizado e homenagem a ele.

Em 2007, a Biblioteca do Congresso batizou o Prêmio de Melhor Canção Popular de Gershwin Prize. Reconhecendo o profundo e positivo efeito da música popular na cultura, o prêmio é dado anualmente para o compositor e performista para quem as contribuições ao longo de sua vida exemplificam a excelência alcançada pelos Gershwins. Em 1 de Março de 2007, o prêmio Gershwin foi dado ao compositor Paul Simon.

Fontes: Climatempo, 10emTudo, Wikipedia, Edições Paulinas

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31