xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 05/09/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

05 setembro 2009

" ÉTICA E VIOLÊNCIA" - Por: Nilo Sérgio Monteiro


Quando acompanhamos a história das idéias éticas desde a antiguidade (greco-romana) até nossos dias, podemos perceber que, em seu centro encontra-se o problema da violência e dos meios para evitá-la, diminuí-la e controlá-la. Diferentes formações sociais e culturais instituíram conjuntos de valores éticos como padrões de conduta, de relações intersubjetivas e interpessoais, de comportamentos sociais que pudessem garantir a integridade física e psíquica de seus membros e a conservação do grupo social. Evidentemente, as várias culturas e sociedades não definiram e nem definem a violência da mesma maneira, mas ao contrário, dão-lhes conteúdos diferentes, segundo os tempos e os lugares. No entanto, malgrado as diferenças, certos aspectos da violência são percebidos da mesma maneira, nas várias culturas e sociedades, formando o fundo comum contra o qual os valores éticos são erguidos.

Fundamentalmente a violência é percebida como exercício de força física e de coação psíquica para obrigar alguém a fazer alguma coisa contrária a si, contrária aos seus interesses e desejos, contrária ao seu corpo e à sua consciência, causando-lhe danos profundos e irreparáveis como a morte. Quando uma cultura e uma sociedade definem o que entendem por mal, crime e vício circunscrevem aquilo que julgam violência contra um individuo ou contra o grupo.
Simultaneamente, erguem os -valores positivos- o bem e a virtude- como barreiras éticas contra a violência. Em nossa cultura, a violência é entendida como o uso da força física e do constrangimento psíquico para obrigar alguém a agir de modo contrário à sua natureza e ao seu ser. A violência é violação da integridade física e psíquica da dignidade humana de alguém. Eis porque o assassinato, a tortura, a injustiça, a mentira, o estupro, a calunia, a má-fé, o roubo são considerados violência, imoralidade e crime.

Considerando que a humanidade dos humanos reside no fato de serem racionais, dotados de vontade livre, de capacidade para a comunicação e para a vida em sociedade, de capacidade de interagir com a natureza e com o tempo, nossa sociedade nos definem como sujeitos do conhecimento e da ação, localizando a violência em tudo aquilo que reduz um sujeito à condição de objeto. Do ponto de vista ético somos pessoas e não podemos ser tratados como objetos. Os valores éticos se oferecem, portanto, como expressão e garantia de nossa condição de sujeito proibindo moralmente o que nos transformem em coisa usada e manipulada por outros. A ética é normativa exatamente por isso. Visa impor limites e controles ao risco permanente da violência. Para que haja conduta ética é preciso que exista o agente consciente, isto é, é preciso que exista o agente consciente, Isto é, aquele que conhece a diferença entre o bem e mal, certo e errado, permitido e proibido, virtude e vício. A consciência moral não só conhece tais diferenças, mas também reconhece-se como capaz de julgar o valor dos atos e das condutas e de agir em conformidade com os valores morais, sendo por isso responsável por sãs ações e sentimentos e pelas conseqüências do que faz e sente, consciência e responsabilidade são indispensáveis a vida ética.

A consciência moral manifesta-se, antes de tudo, na capacidade para deliberar diante de alternativas possíveis, decidindo e escolhendo uma delas antes de lançar-se na ação. Tem a capacidade para avaliar e pesar as motivações pessoais, as exigências feitas pela situação, as conseqüências para si e para os outros, a conformidade entre meios e fins (empregar meios imorais para alcançar fins morais é impossível), a obrigação de respeitar o estabelecido ou de transgredi-lo (se o estabelecido for imoral ou injusto). A vontade é esse poder deliberativo e decisório do agente moral. Para que exerça tal poder sobre o sujeito moral, a vontade deve ser LIVRE, isto é, não pode ser submetida à vontade de outro nem pode estar submetida aos instintos e às paixões, mas ao contrário, deve ter poder sobre eles e elas. Além do sujeito ou pessoa moral e dos valores ou fins morais, o campo ético é ainda constituído por um outro elemento: os meios para que o sujeito realize os fins. Costuma-se dizer que os fins justificam os meios, de modo que, para alcançar um fim legítimo, todos os meios disponíveis são válidos. No caso da ética, porem, essa afirmação deixa de ser óbvia. No caso da ética, portanto, nem todos os meios são justificáveis, mas apenas aqueles que estão de acordo com os fins da própria ação. Em outras palavras, fins éticos exigem meios éticos.

Qual finalidade desse artigo? Minha indignação como cidadão cratense frente às diversas situações de violência que se abatem sobre nossa comunidade. A violência contra a mulher, contra a criança, a consolidação do poder do tráfico de drogas com conhecimento das autoridades policiais, tanto que foi alvo de recente reportagem de uma emissora de TV pernambucana e que nós Caririenses assistimos aqui estarrecidos. Se um repórter consegue identificar e chegar perto por que não a Polícia que possui muitos mais meios?

E a violência no trânsito? Uma cidade como a nossa que não viabiliza um planejamento de engenharia urbana viária, que não disciplina o trânsito dessas famigeradas quanto necessárias motos? A absoluta complacência com a absurda falta de consciência dos condutores de todas as idades em não usar o elementar objeto salva vidas que é o CINTO DE SEGURANÇA, Não dirigir embriagado. Mas onde estão os pais para dar o exemplo e exigir o respeito ao código e principalmente o respeito a VIDA? Onde andam os fiscais de trânsito para os ADULTOS? Qual é a quantidade de nossos jovens mortos e quantos adultos serão necessários para o “despertar” da consciência moral dos poderes constituídos? Quando a sociedade vai tomar para si a responsabilidade de acionar o Ministério Público ? Ou cobrar ação do poder Municipal? Estadual responsável? Fica aberta a discussão.

Por: Nilo Sérgio Monteiro

Dez filmes brasileiros se candidatam ao Oscar de melhor filme em língua estrangeira


BRASÍLIA - Dos 108 filmes nacionais lançados no primeiro semestre de 2009, dez se candidataram à uma vaga na disputa pelo Oscar de Melhor Filme de Língua Estrangeira.Segundo o Ministério da Cultura, entre os filmes concorrentes estão os independentes "Besouro", de João Daniel Tikhomiroff; "Síndrome de Pinnochio", de Thiago Moyses.O badalado "Jean Charles", que conta com a atuação de Selton Mello e "Feliz Natal", drigido pelo ator também disputam uma vaga. Outro "ator-diretor", Matheus Nachtergaele, compete com "A Festa da Menina Morta". "O Menino da Porteira", de Jeremias Moreira, com o cantor Daniel também está na lista.Os dramas urbanos "Se Nada Mais Der Certo", "Budapeste" (adptação do livro de Chico Buarque), "Salve Geral" e "O Contador de Histórias" também concorrem à vaga na maior premiação do cinema mundial.A escolha de um possível concorrente brasileiro ao Oscar já está senda feita pela Comissão Especial de Seleção. Composta por críticos, pesquisadores, cineastas e distribuidores, a comissão se reunirá no dia 18 de setembro, às 10h, no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro, para anunciar em coletiva de imprensa a produção nacional escolhida para representar o Brasi


Fonte :Último Segundo

Postado por : Alessandra Bandeira



História da Amazônia ainda guarda segredos e mistérios .Por: Amanda Mota

Manaus - A Rádio Nacional da Amazônia completou 32 anos nesta semana e hoje (5) é o Dia da Amazônia. Para comemorar as datas, a rádio organizou a série especial Viver na Amazônia, que a Agência Brasil está reproduzindo. A última reportagem é sobre arqueologia. Vamos saber o que a Amazônia revela do seu passado.Com uma riqueza natural sem proporção, a Amazônia preserva uma história de milhões de anos. Ainda assim, detalhes sobre quem viveu nessa área, o que comiam e o que faziam os ancestrais do atual povo amazônico até chegarmos aos dias atuais não são fatos totalmente conhecidos.Para tentar entender melhor a história da Amazônia, muitos são os estudos realizados na região. Exemplo disso são as pesquisas sobre os impactos da ocupação e do desenvolvimento na Floresta Amazônica, nos últimos 500 anos.Parte da história da ocupação da Amazônia também passa pela África, como comprova pesquisa realizada pela Universidade Federal de Pernambuco. O estudo descobriu que uma das colônias africanas mais ricas, criada pelos portugueses - a vila de Mazagão, no Marrocos - foi transferida para a Amazônia.Isso aconteceu por ordem do rei de Portugal, no século 18, para pôr fim às constantes invasões e saques que a vila de Mazagão sofria de outros povos interessados na riqueza desses marroquinos.A escolha pela Amazônia foi uma estratégia e aliou a necessidade de impedir os conflitos constantes com o desejo da Coroa portuguesa de garantir a posse e o domínio da Amazônia brasileira. Depois de um tempo de pesquisa, a localização de restos da primitiva igreja e vestígios de outras unidades funcionais comprovaram a existência da Vila de Mazagão Velho exatamente onde hoje está o estado do Amapá.Outra curiosidade histórica está no Amazonas. O maior estado do país em termos territoriais ainda guarda segredos nunca antes estudados. Em Eirunepé, no sul do estado, por exemplo, fósseis de animais gigantes que viveram há milhares de anos na região viraram enfeites exóticos em casas de ribeirinhos e de comunitários. Possivelmente, a falta de pesquisas e de orientações sobre o que essas peças representam, deixaram muitos desses objetos sem a devida importância histórica.Entre os megafósseis encontrados no Amazonas, estão os do Toxodon - um gigante herbívoro, similar ao atual hipopótamo-, e os do crocodilo Purussaurus - que segundo cientistas, podia chegar a 18 metros de comprimento. A responsável pelo laboratório de Paleontologia da Universidade Federal do Amazonas, Rosemery Silveira, explicou que é considerado fóssil todo e qualquer vestígio de ser vivo preservado em rocha, ou seja, petrificado, e com idade superior a 11 mil anos.
“Ainda falta entender melhor como esses grupos de vertebrados evoluíram na América do Sul e por isso as pesquisas no campo da paleontologia são fundamentais”, destacou.Outras pesquisas revelam que a maior riqueza de fósseis no Amazonas está na área do Rio Juruá. Essas águas seguem justamente até o estado vizinho do Acre, onde já foram identificados mais de 200 geoglifos - sítios arqueológicos construídos há pelo menos 2 mil anos.Um geoglifo é uma marca na terra que, por suas dimensões, só é percebida se vista do alto. O desenho impresso no solo mede de 100 a 300 metros de diâmetro. Essas estruturas de terra se apresentam em formato de círculos, retângulos e outros.Os geoglifos já fazem parte de uma lista do Instituto Nacional de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – o Iphan – que recomenda à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) o tombamento dessas estruturas.Assim como as pirâmides do Egito e as ruínas de Machu Picchu, no Peru, os geoglifos do Acre poderão se tornar patrimônio cultural da humanidade.Para a arqueóloga do Museu da Amazônia Helena Lima, as curiosidades aqui citadas são apenas alguns exemplos de que a Amazônia concentra muitas informações que precisam ser melhor divulgadas.“Precisamos descobrir, estudar e pesquisar muitas coisas, mas o mais importante é divulgar esse conhecimento. Tudo isso precisa chegar nas escolas e nas comunidades para que se possa de fato aprender as lições que essa história tem para nos ensinar”, resumiu.Estudar a história da Amazônia poderá contribuir, por exemplo, para entender melhor como se processaram as mudanças climáticas na região, a contar do período pré-histórico até os dias atuais. Além disso, o país pode descobrir se a floresta sempre foi detentora da vasta riqueza biológica tão cobiçada atualmente.

Fonte: Agência Brasil



Brasil já recolheu 19,7 mil toneladas de embalagens de agrotóxicos em 2009.Por : Pedro Peduzzi

Brasília - O Brasil é o país que mais recolhe embalagens de agrotóxicos no mundo. Dados do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), entidade financiada pelas indústrias do setor, apontam que 24,4 mil toneladas de embalagens desse tipo foram recolhidas em 2008. Isso significa que 94% das embalagens vendidas são devolvidas para receber tratamento adequado.“Sozinhos, recolhemos mais da metade do total de embalagens recolhidas em todo o mundo”, informa o gerente de logística da Inpev, Mário Fuji, à Agência Brasil. Segundo ele, até agosto de 2009 o país já recolheu 19,734 mil toneladas desse tipo de embalagem, número 17,6% superior ao registrado no mesmo período de 2008.Fuji explica que nos Estados Unidos apenas 20% das embalagens são recolhidas. No Japão esse índice é de 50%, enquanto na França é de 74%. No Canadá, 73% das embalagens são recolhidas e na Alemanha, 78%.Os especialistas da área creditam a legislação e a conscientização dos agricultores como os principais motivos do destaque brasileiro, comparado a outros países.
“Existe uma lei federal [Lei 7.082] que determina: ao adquirir agrotóxicos, o produtor tem que devolver em até um ano a embalagem do produto nos postos de recolhimento”, explica o gerente de Defesa Sanitária Vegetal da Secretaria de Agricultura do Distrito Federal, Álvaro Caldas.
“Os agricultores brasileiros realmente captaram a mensagem de que essas embalagens representam grande risco para o meio ambiente e para seres vivos”, avalia Mário Fuji. “Mas as campanhas publicitárias foram peças muito importantes para conscientizá-los”, completou.
O gerente de logística da Inpev disse que já foram realizadas três campanhas publicitárias sobre o tema. A última foi entre meados de 2007 e 2008, com mais de 3 mil inserções. “Muitas foram gratuitas graças ao apoio que a causa obteve junto à mídia”, explica Fuji.Ao comprar agrotóxicos nas revendedoras os agricultores são imediatamente informados sobre como fazer a devolução das embalagens vazias. “Essas revendas têm a obrigação de colocar, na nota, os postos e as centrais de recebimento. São cerca de 399 unidades espalhadas por todo o país”, disse Fuji.
“Cabe ao Inpev recolher as embalagens nessas unidades, transportá-las e dar a elas o destino final ambientalmente correto, enquanto às revendas e cooperativas cabe disponibilizar e gerenciar as unidades de recebimento. Aos órgãos estaduais de agricultura cabe fiscalizar o processo”, explica Caldas.
Os agricultores também têm suas responsabilidades. “Além de entregar a embalagem no prazo de até um ano após a compra, os agricultores são responsáveis por lavá-las e inutilizá-las, com um furo, após o uso. Eles precisam ter, também, um lugar específico e seguro para o acondicionamento, longe de alimentos, animais e pessoas”, disse Fuji.Depois de recolhidas e tratadas, as embalagens de agrotóxicos – geralmente feitas de polietileno de alta densidade – seguem para empresas de reciclagem.
“É importante ressaltar que apenas as empresas licenciadas pelos órgãos de meio ambiente estaduais podem receber esses materiais para evitar que eles sejam utilizados para a fabricação de utensílios domésticos, como os que armazenam alimentos”, adverte Caldas.
O gerente da Secretaria de Agricultura do DF explica que a partir do material reciclado é possível fabricar conduítes e dutos para fios elétricos, caixas plásticas, caçambas, embalagens para óleo automotivo, tubos para esgoto, suportes para fios de postes de energia, sacos plásticos para descarte e incineração de lixo hospitalar, além de tampas para outras embalagens de agrotóxicos.Para obter mais informações sobre como são os procedimentos para a devolução de embalagens de agrotóxicos os interessados devem procurar as revendas do produto em seu estado ou os órgãos de fiscalização, em geral secretarias de agricultura ou agências estaduais.

Fonte: Agência Brasil

Por : Pedro Peduzzi

Histórias e Estórias do Crato de Antigamente - Por Ivens Roberto de Araújo Mourão


O RÁDIO INGLÊS

Dr. Gesteira chegou à Sorveteria pela manhã, como era seu costume, e pediu um café. Servia-se sempre em pé, no balcão, e bebia apenas dois goles. Nesse dia pediu ao Luís para acompanhá-lo até o seu apartamento. Chegando lá, mostrou-lhe um rádio inglês, de excelente qualidade. Então, falou:

- “Luís estou precisando ir urgentemente a Fortaleza e queria que você me comprasse esse rádio, por mil e quinhentos cruzeiros. Pode perguntar ao José Cirilo, que ele vale muito mais”.
- “Não, Doutor Gesteira. Eu adianto o dinheiro. Se o senhor faz questão, eu posso até ficar com o rádio, mas quando o senhor me pagar eu o devolverei.”
- “Não, não! O negócio já está encerrado! Me dê os mil e quinhentos e pode levar o rádio”.

E, de fato, durante muitos anos, o Luís pode ouvir, com absoluta nitidez, a programação em português, da Rádio de Moscou. E pensava no desprendimento e generosidade daquele médico, para quem o dinheiro não tinha a menor importância!


O rádio do Dr. Gesteira era semelhante a este, pertencente ao meu tio Hermógenes Martins e guardado como uma relíquia por suas filhas.

A ALMA

O Aloísio era um daqueles que ficava em volta dos grupos de figurões que constituíam as duas Câmaras da Praça: Comuns e Lordes. Era baixinho e muito inteligente. Mais ouvia, do que falava. Correu um dia a estória de que o Aloísio tinha visto uma alma. Pra quê! Foi expulsão sumária, por parte do Júlio Saraiva. Não podia nem mesmo chegar próximo do grupo.

- “Mentiroso safado! Com estória de alma. Onde já se viu isso”, sentenciava o Júlio.
Participava da “Câmara dos Comuns” o Dr.José Nilo, dentista, pessoa de finíssimo trato, muito inteligente. Dono de uma biblioteca invejável e de um senso de humor inigualável. O Dr. “Zé” Nilo, querendo botar fogo na fogueira, falou:

- “Ô Júlio, você é homem inteligente, de opinião formada. Por que não deixa o Aloísio voltar pra perto do nosso grupo! Talvez ele possa até esclarecer essa estória da alma!”
E o Júlio, irredutível. Até que um dia permitiu que o “vidente” voltasse, mas com a condição de não falar nessa estória besta e mentirosa dele! Assim, o Aloísio pôde voltar “aos quadros constituintes vigentes”, como dizia o General Lott. Passados alguns dias, o Dr. Zé Nilo voltou à carga:

- “Aloísio, que estória estranha essa tua de ter visto alma?”
- “Não Doutor, eu vi mesmo! Não sou de mentir, não!”.

E o Júlio já começou a ficar nervoso! Quando isso acontecia, começava a coçar os ombros. Com o braço direito, passando por sobre a cabeça, coçava o ombro esquerdo. E o contrário, com o braço esquerdo. O Zé Nilo, percebendo o mal estar do Júlio, insistiu:

- “Ô Júlio, deixa o homem contar a estória dele!”
- “Vai, conta a tua estória mentirosa!”.

E o Aloísio, humildemente e crente, contou a sua estória:

- “Uma noite saí daqui da praça e fui à Glorinha. De lá fui para casa”.
Morava numa baixada de terreno que existia depois da Igreja de São Francisco. Embora fosse uma região pouco habitada e com muito mato, tinha uns postes que iluminavam o caminho. Prosseguiu o Aloísio:

- “Quando eu ia na vereda, eis que avisto um vulto, vindo na direção contrária! Tinha uma cabeça muito comprida e feia! Não era coisa deste mundo! Comecei a tremer. Quando eu já estava pensando em voltar correndo, eis que alma entra de mato adentro...”

Neste momento, o Júlio interrompe a fala do Aloísio, fica de pé, abre bem os braços e, aos berros diz:
- “JÁ SEI, JÁ SEI! TUA ALMA FOI CAGAR...”


O BATALHÃO

Padre Gomes

Padre Gomes de Araújo, professor de História, foi um dos principais historiadores do Crato. Ele e o Dr. Irineu Pinheiro são os autênticos “Capistrano de Abreu” da cidade. Gostava muito de uma polêmica, principalmente quando o assunto versava sobre o Padre Cícero. Considerava o milagre da hóstia uma grande farsa. Sobre a batina usava uma capa que estava sempre esvoaçante, tendo nas mãos uma inseparável pasta preta. Nela, diziam ter um revolver. Um dia a minha mãe indagou se era verdade. Ele, rindo, abriu a pasta e mostrou para ela, que viu não ter revolver coisa nenhuma! Pela manhã, quando passava pela Praça Siqueira Campos rumo ao colégio, gostava de um dedo de prosa com o Júlio Saraiva. Era um dos poucos padres que falava com o Júlio, famoso por ser um pesquisador da vida privada dos padres e divulgar as suas fraquezas. E o Padre Gomes:

- “Como vai Júlio, já se converteu?”
- “Não, padre, vou esperar pela outra vida, que dizem que existe, para eu me converter! Eu vou lá me converter, padre! Lá vem você, agora, querer me converter!”
E o Padre Gomes achava graça! E o Júlio continuava:
- “Na certa o senhor já celebrou uma missa e invocou, com essas mãos pecaminosas, a presença de Cristo na hóstia. O senhor acredita, padre?”
E o Padre Gomes, sabendo que não ia nunca mudar a opinião do Júlio e nem querendo polemizar:
- “Não, também não”.
O Padre, mudando de assunto:
- “Mas Júlio, eu soube que você é contra a vinda do Batalhão de Engenharia de Crateús para Barbalha. Prefere que ele vá para Picos/PI. Logo você, homem, que é um defensor do Cariri! Já pensou no progresso que vai ter a região?”
- “Mas Padre, tem um problema. Serão, no mínimo, uns 400 homens solteiros aqui! É homem demais! Onde é que esses homens vão trepar?...”

Fonte: "Livro Só no Crato" de
Ivens Roberto de Araújo Mourão - Direitos de publicação concedidos ao Blog do Crato pelo Autor - Todos os Direitos Reservados

Aniversário de Johann Christian Bach - Não confundir com Johann Sebastian Bach


Nota do Editor - A família Bach foi uma família numerosa e bastante musical. O pai, e maior músico da família, e considerado o Deus da Música de todos os tempos, é Johann Sebastian Bach, mas é bom que se saiba que na época de Bach ( o Pai ), este não gozava da estima e do valor que merecia. Na verdade, a obra de Bach só foi redescoberta cerca de um século mais tarde, quase no romantismo. Hoje, a obra de Bach foge a qualquer explicação humana. Bom, eu poderia passar horas aqui falando sobre o valor de cada uma das obras de Johann Sebastian, mas o dia de hoje é especial também, porque é dia de aniversário de um de seus filhos, Christian, que também foi grande músico.

Johann Christian Bach foi o último dos onze filhos de Johann Sebastian Bach com Anna Magdalena Wülken. Começou a estudar música com o pai e, provavelmente, com o primo do mesmo, Johann Elias Bach. Acredita-se também que o Livro II de O Cravo Bem Temperado , famosa composição de Johann Sebastian Bach, tenha sido escrito e utilizado na instrução do filho mais novo. Christian serviu como copista de J.S. Bach e após a morte do pai, em 1750, ele se tornou aluno de seu meio-irmão, Carl Philipp Emanuel Bach, na cidade de Berlim.

Em 1754, foi à Itália, estudar contraponto com o padre Giovanni Battista Martini e de 1760 a 1762, trabalhou como organista na catedral de Milão. Lá, escreveu duas Missas, um Réquiem, um Te Deum, entre outras obras . Foi neta época que J. C. Bach se converteu ao catolicismo.

Foi o único dos filhos de J. S. Bach a escrever óperas em italiano, começando com árias inseridas em óperas de outros autores, prática conhecida como pasticci. Foi contratado pelo Teatro Regio em Turim, para compor uma ópera séria, Artaserse, que estreou em 1760. A apresentação foi um enorme sucesso: teatros de Veneza e de Londres fizeram ofertas para que compusesse outros trabalhos. Johann aceitou a oferta de Londres e partiu para a Inglaterra em 1762, fixando-se em Londres, onde ele passou o resto de sua vida, uma decisão bastante semelhante à que George Frideric Handel havia tomado 50 anos antes. A catedral de Milão manteve seu cargo em aberto na esperança de que ele voltasse para reassumi-lo.

Durante vinte anos, ele foi o músico mais popular da Inglaterra: obras dramáticas, levadas ao palco no King's Theatre foram muito bem recebidas pelo público.

A primeira dessas óperas, Orione, foi uma as primeiras poucas obras da época que utilizou a clarineta. Sua última ópera séria, La Clemenza di Scipione (1778), continuou popular entre seus ouvintes londrinos durante muitos anos e tem paralelos interessantes com a última obra de Mozart neste gênero, La Clemenza di Tito (1791). Johann Christian foi designado Mestre de Música da rainha e seus deveres incluíam ministrar aulas de música a ela e seus filhos e acompanhar o Rei Jorge III ao piano, enquanto o rei tocava flauta. Os concertos de Johann Christian promovidos em Hanover Square, em parceria com Karl Friedrich Abel logo se tornaram os mais populares dos entretenimentos públicos, pagos. Os músicos mais famosos daquele período, como o violoncelista italiano Giovanni Battista Cirri, participaram desses concertos e muitas das obras de Haydn tiveram no mesmo local sua estréia na Inglaterra.

Dados adicionais e a amizade com Mozart

Em Londres, em 1764, J. C. Bach fez amizade com o jovem Wolfgang Amadeus Mozart, que estava visitando a cidade como parte do roteiro de infindáveis apresentações arranjadas por seu pai, Leopold Mozart, realizadas com o objetivo de exibir a criança prodígio. Muitos especialistas consideram que J. C. Bach foi uma das mais importantes influências sobre Mozart, que com ele aprendeu a utilizar em sua música uma brilhante e atraente textura. Esta influência pode ser percebida na abertura da sonata para piano em si bemol, KV 315c de 1783–1784, que está muito próxima de duas sonatas de J. C. Bach que Mozart conhecia e indiretamente, de uma tentativa anterior numa sonata de J. C. Bach (sonata para piano em Dó menor, Op. 5 nº 6) para combinar o estilo galante de seus dias com música fugal. Johann Christian Bach faleceu pobre, no primeiro dia de 1782, e foi enterrado numa sepultura para indigentes, não identificada, na Igreja St Pancras Old com o sobrenome sendo grafado errado no registro do enterro como Back.

Mozart, numa carta a seu pai, disse que "foi uma perda para o mundo da música". Quando Mozart e J. C. Bach se encontraram pela primeira vez, Leopold relatou que os dois eram "inseparáveis". Ambos sentavam-se ao órgão, o garoto Mozart no colo de Johann Christian, ambos tocando durante várias horas. Os especialistas com freqüência apontam que Mozart foi fortemente influenciado por Johann Christian. Isto explica por que, já quando adulto, Mozart abraçaria a música do Bach mais "velho" (Johann Sebastian). Influências de Johann Christian também podem ser encontradas nas sinfonias e concertos para piano do jovem Mozart. O clima e o som das músicas compostas pelo jovem Mozart são bastante similares aos das composições de Johann Christian. Na ocasião em que Johann Christian faleceu, Mozart estava compondo seu "Concerto para Piano nº 12, em Lá maior, K 414, o Andante do segundo movimento tem um tema semelhante ao encontrado na abertura da ópera La calamità del cuore de J. C. Bach.

Avaliação póstuma

Embora a fama de J. C. Bach tivesse declinado nas décadas após sua morte, sua música ainda era apresentada nos concertos de Londres com alguma regularidade, freqüentemente junto com as obras de Haydn . O século XIX viu nascer a pesquisa acadêmica sobre a obra e a vida do pai de Johann Christian, mas freqüentemente isso levou à exaltação da música de J. S. Bach em prejuízo da de seus filhos. Phillip Spitta escreveu, no fim da biografia de sua autoria a respeito de J. S. Bach, que foi especialmente nos filhos de Bach que vemos os sinais da decadência daquele poder que culminou em Sebastian depois de séculos de desenvolvimento. (Spitta, Vol. 3, página 278). E o primeiro biógrafo de J. S. Bach, Johann Nikolaus Forkel, escreveu especificamente sobre Christian que: O espírito original de Bach … não pode ser encontrado em nenhuma de suas obras (New Bach Reader, página 458). Apenas no século XX foi que os eruditos e o mundo musical começaram a entender que os filhos de Bach tinham o direito de compor num estilo diferente do de seu pai sem que, com isso, seus idiomas musicais fossem inferiores ou sem qualidade, e que compositores como Johann Christian passaram a ser vistos com um interesse renovado.

Johann Christian foi um dos primeiros compositores a dar preferência ao recém desenvolvido pianoforte em detrimento dos antigos instrumentos de teclas, como o cravo. As primeiras músicas criadas por Johann Christiam trazem a influência de seu irmão mais velho, Carl Philipp Emanuel Bach, enquanto que seu período intermediário, passado na Itália, foi influenciado por Giuseppe Sammartini.

Os estilos contrastantes de J. S. Bach e J. C. Bach

O pai de Johann Christian faleceu quando ele tinha apenas 15 anos e esta pode ser a razão por que é tão difícil encontrar traços de comparação óbvios entre Johann Sebastian e Johann Christian. As sonatas para piano de Carl Philipp, seu irmão, às vezes invocam certos elementos de seu pai e seu uso do contraponto se equipara ao de Johann Sebastian, o que é tão somente lógico se se considerar que J. S. Bach morreu quando Carl tinha 36 anos, tendo portanto exercido sobre ele uma influência maior do que sobre Johann Christian.

A música de Johann Christian, entretanto se afasta completamente dos estilos dos dois Bach. Sua música é altamente melódica e estruturada de forma brilhante. Ele compôs segundo a estética galante, um estilo que incorpora frases balanceadas, com ênfase na melodia e no acompanhamento, sem muita ênfase na complexidade contrapontística. O movimento galante posicionou-se contra as intrincadas linhas da música do barroco, e em seu lugar focou a importância em melodias fluentes e em frases com períodos. Precedeu o estilo do classicismo, que fundiu a estética galante com o interesse renovado pelo contraponto.

Fonte: Wikipedia
Edição: Dihelson Mendonça

Como eu sei que uma postagem veio de outro site sem passar pelo Bloco de Notas do Windows

É muito fácil para nós administradores de Blogs descobrirmos quando alguém copia um artigo diretamente de outro site sem passar pelo Bloco de Notas do Windows, que retiraria a diagramação original, e se adequaria ao nosso Blog. Todo artigo de outro site DEVE passar necessariamente pelo Bloco de Notas, a fim de que não cause nenhum problema de diagramação.

Aqui está uma pequena amostra de saber facilmente se a pessoa que postou trouxe o texto direto ou se editou. Quando clicamos no lápis de edição da postagem, ao invés de ver as letras em tamanho normal, elas aparecem imensas, como na foto:

Acima: Ao tentar editar a mensagem, as letras aparecem enormes. Prova de que vieram de outro site, sem qualquer edição, e sem passar pelo Bloco de Notas, atitude totalmente errada.

Dihelson Mendonça

Pai é preso por beijar filha na boca, mas bater pode


Comportamento - Na foto ao lado, Cléo Pires e a Mãe, Glória Pires ( selinho ).

Batemos muito nos políticos brasileiros de todas as latitudes, todos os dias, em todos os espaços da velha e da nova mídia, como se eles não fossem nossos representantes nas diferentes esferas de poder, livremente escolhidos por cada um de nós. Por mil razões, este virou o esporte nacional predileto. É como se eles fossem extra-terrestres, e tivessem surgido do nada, apenas para nos infernizar a vida. Não, meus caros amigos do Balaio, não tirei meu dia hoje nesta sexta-feira chuvosa em São Paulo para defender os políticos. Mas acho que está na hora de falarmos um pouco também das nossas próprias responsabilidades como cidadãos e do conjunto da sociedade na crise de caráter vivida pelo país. O que me chamou a atenção desta vez foi o inacreditável episódio registrado em Fortaleza, na quinta-feira, quando um turista italiano, de 40 anos, casado com uma brasileira, foi preso por beijar na boca a própria filha de oito anos num local público. Este caso resume tudo o que nós temos de pior: falta de cultura, hipocrisia, autoritarismo, delações levianas, mania de se meter na vida dos outros sem ser chamado.

Num país que é tristemente conhecido como um dos campeões mundiais de violência infantil, o italiano foi denunciado à polícia por um casal de Brasília, certamente habituado a só ver cenas bonitas e edificantes, porque não gostaram de ver os carinhos que ele fazia na filha na piscina de um bar na praia. Se, ao contrário, ele estivesse batendo na menina, certamente ninguém repararia nem se pensaria em chamar a polícia.

Seria visto como coisa normal: a cada dia, são registrados 92 casos no Brasil de violência infantil, segundo a Subsecretaria de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente do governo federal. No ano passado, foram 32.588 casos. Ao contrário do que costuma acontecer, desta vez a polícia foi rápida e eficiente. Agentes do 2º Distrito Policial de Fortaleza atenderam prontamente ao chamado do casal de Brasília e foram até a praia do Futuro para prender em flagrante o indigitado italiano, perigoso meliante que até o final do dia permanecia preso numa cela isolada. Indiciado por “estupro de vulnerável”, pode pegar até 15 anos de cadeia, segundo as leis brasileiras. Por ter beijado a filha na boca!

O casal de Brasília e os policiais de Fortaleza não tinham obrigação de saber que os italianos têm essa mania de beijar todo mundo, parentes e amigos, sem se importar se é ou não do mesmo sexo, tanto faz para eles. Mas poderiam, antes de denunciar e prender o pai da menina, conversar com a mãe dela, uma brasileira. Para a mãe, segundo o noticiário da “Folha”, o “selinho” foi apenas uma demonstração de carinho, algo comum na sua família, que mora na Itália e planejava passar duas semanas no Brasil. Não, definitivamente não são apenas os políticos brasileiros e suas lambanças que nos fazem passar vergonha lá fora. Cada leitor do Balaio certamente terá outras histórias para contar de fatos que nos envergonham, praticados por cidadãos comuns que passam o tempo todo xingando os políticos. Outro dia, quando eu estava atravessando a rua com a família toda, incluindo a sogra e um carrinho de bebê, um motorista invadiu a faixa de pedestres e, quando gritei com ele, parou o carro para me desafiar:

“Está pensando o que, imbecil? Pensa que está em Londres?”.

Por: Ricardo Kotscho - Autor do "Balaio do Kotscho"

BlogHumor - O Segredo da Longevidade

Olá, Amigos,

Hoje, devido a essa verdadeira "avalanche" de artigos, não tive tempo de preparar o BlogHumor, a Sessão Abobrinha, quando comentamos as notícias mais Super Desinteressantes da Internet. Mas fica acumulado, rs rs... de qualquer forma, a fim de não deixar nossos leitores de mau humor, trago esta "pérola" que acabo de receber via e-mail, enviada pelo Samuel DuCrato:

Um médico estava fazendo sua caminhada matinal quando viu uma velhinha sentada no degrau de sua varanda fumando um cigarro. Curioso, ele foi até ela e perguntou:
“Não pude deixar de notar como a senhora parece feliz! Qual o seu segredo?”
“Eu fumo 10 cigarros por dia” ela respondeu. “Antes de ir pra cama eu fumo um grande baseado. Fora isso, eu bebo uma garrafa de Jack Daniels toda semana e só como besteiras. Nos finais de semana, tomo pílulas, faço sexo e não faço nenhum exercício físico”

O médico espantando: “Isso é extraordinário! Quantos anos a senhora tem?”

“Trinta e quatro” ela respondeu.

!!!

Crise já ficou para trás no Brasil, diz Mantega

Brasília - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a crise financeira ficou para trás no Brasil e que o país está em processo “de franca" recuperação. Segundo ele, a economia brasileira já está crescendo de 4,5% a 5%. As informações são da BBC Brasil. Para Mantega, o sucesso brasileiro contrasta com as dificuldades enfrentadas pelas economias avançadas, que começam a dar sinais de retomada "lenta, difícil e gradual". Ele afirmou que o Brasil vai defender hoje (5) em Londres, na reunião do G20 - grupo de países em desenvolvimento -, que a intervenção do governo na economia seja mantida até que a recuperação global esteja consolidada. O ministro disse que não acredita na tese de possível recaída da economia mundial. Segundo ele, a retomada vai ocorrer em ritmos diferentes e demonstrar que os países avançados "são os mais debilitados" e que precisam dos emergentes puxando o crescimento.

"Quem vai puxar o crescimento somos nós. Pode haver um ou outro país europeu que fique melindrado, aborrecido. Iiso não vai impedir que o G20 se torne a instituição mais importante da economia mundial”, afirmou. Ele destacou que, na reunião de amanhã, o Brasil também vai apresentar uma proposta de regulamentação do sistema financeiro internacional. "Não se consolidou ainda uma nova arquitetura com regras mais claras, com limites para a ação do capital especulativo. O Brasil já tem isso e eu vou apresentar uma proposta de como ter isso em escala internacional.” O ministro disse ainda que o Brasil e outros países considerados emergentes vão cobrar a aceleração no processo de reformas no Fundo Monetário Internacional (FMI). Por pressão do próprio grupo, a data da reforma foi antecipada de 2013 para 2011, mas Mantega quer que já fique claro, na reunião de Pittsburgh, nos Estados Unidos, que o percentual de cotas sairá das mãos dos países desenvolvidos. "Janeiro de 2011 é uma data boa, mas quero antecipar o início da dança. Propomos que 7% das ações que estão com os países ricos passem aos emergentes e que tenhamos igualdade acionária", disse. Ele acrescentou que, com isso, países como Brasil, Índia e China podem pôr mais dinheiro no fundo. “Sabemos que, mesmo antes dessa crise, o Bric [grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China] e emergentes já estavam à frente do crescimento. Depois dessa crise, isso será ainda mais verdadeiro.”

Para o ministro, o fortalecimento do G20 em detrimento do G8 - composto pelos sete países mais industrializados do mundo e a Rússia - está vindo "espontaneamente". "Nunca vi tanta reunião do G20. Já é o fórum mais importante da economia mundial e representa os países mais importantes do globo, mais de 80% do PIB [Produto Interno Bruto, a soma de bens e serviços produzidos por todos os países do planeta] mundial.”

Segundo ele, os países do Bric também vão discutir, na reunião preparatória de ontem (4), a proposta do Brasil de substituição do dólar por moedas locais no comércio entre os quatro membros do bloco. "Temos que amadurecer essa proposta, ou com troca em moeda local ou com swaps, créditos recíprocos em moeda local".

Da Agência Brasil

Aquarelas atribuídas a Hitler são leiloadas por US$60 mil

NUREMBERG, Alemanha (Reuters) - Três aquarelas que acredita-se terem sido pintadas por Adolf Hitler quando jovem foram leiloadas por um total de 42 mil euros (60 mil dólares) na cidade de Nuremberg no sábado. O leiloeiro alemão Herbert Weidler disse que as três pinturas foram vendidas a três ofertantes diferentes por telefone.Apesar de o número exato de pinturas de Hitler ser desconhecido, especialistas acreditam que existam 720, incluindo esboços.
"Vários clientes estão interessados nesses quadros", disse Weidler. "São intelectuais, empresários ou apenas pessoas normais que podem ter economizado e querem um quadro desses".As pinturas datam de 1910 a 1911 e procedentes de Viena, onde Hitler tentou ser artista. Ele quis fazer escola de arte em Viena, mas foi rejeitado.

Fonte: Último Segundo


Postado por Alessandra Bandeira

Ceará tem financiamento que ninguém quer - postado por José Sales

Houve um tempo em que as empresas e os empresários cearenses gostavam de financiamento a fundo perdido. Os tempos mudaram. Hoje, o Fundo de Inovação Tecnológica do Ceará (FIT), criado em 2007, abrigado em uma conta do Bradesco e administrado pela Secretaria de Ciência e Tecnologia, já acumula R$ 15,9 milhões. É dinheiro destinado a financiar projetos de inovação de pequenas, médias e grandes empresas. Até agora, nenhum empresário deu um passo em sua direção. Se vivo fosse, Virgílio Távora perguntaria: “O que houve, doutorzinho?”

Deu no Blog do Egídio Serpa

Triste é descobrir que o governo inteiro mente - Por: Samuel P. Teles

Dureza não é só descobrir que o ministro José Gomes Temporão jogou a saúde dos brasileiros no fogo, quando mentiu sobre os estoques de Tamiflu, a droga da gripe suína. Duro é perceber que presente e futuro do país e de sua população estão entregues a uma catrefa mendaz.

O ministro mente para esconder que foi apanhado de calças curtas no meio de uma epidemia. A ministra mente que não investigou gastos do passado para alforriar estróinas do presente. O ministro mente que não pretendeu ferrar a vida de um pobre caseiro que o flagrou na farra.

O senador mente que não botou a multidão que, de fato, botou a comer no Senado à custa do meu, do seu, do nosso suado dinheirinho. O outro senador mente que nunca pediu ao empreiteiro amigo que bancasse vida e obra da moça com quem botou um filho no mundo. E o presidente mente que nunca ouviu falar em mensalão, mesmo que um governador lhe tenha dito, diante de testemunhas, um mês antes de a sujeirama boiar.

Fonte: Blog do Xico Vargas

Por: Samuel P. Teles

Cid pode não ter maré mansa em política em 2010 - Publicado no O POVO

Eis artigo do professor Antonio Mourão Cavalcante, que está publicado no O POVO. Ele prevê que o pleito 2010 no Ceará não será essa maré mansa pró-Cid Gomes (PSB) como se apregoa. Dois nomes, Ciro Gomes e Tasso Jereissati, devem influenciar para dar boa mexida no balaio consensual que predomina hoje no cenário politico local. Confira o que foi postado no Blog do Eliomar de Lima.

Poderá sofrer um grande susto quem anda pensando que as eleições do próximo ano já estão definidas. Costumou-se dizer que, no Ceará, será uma escolha tranquila, sem qualquer disputa. O susto poderá começar com o posicionamento a ser tomado pelo deputado Ciro Gomes. A candidatura do cearense de Pindamonhangaba, ao governo de São Paulo, parece cada vez menos provável e mais esvaziada. O PT paulista é muito fechado e tem profunda cisma com o nosso político. Ciro terá que concorrer, mais uma vez, ao Palácio do Planalto. É aí que começa a confusão por aqui… A aliança tão consolidada do PT com o PSB, que dá sustentação aos planos do governador Cid Gomes, ficará muito comprometida. Um monta palanque aqui, para Ciro (PSB).
Outro, monta palanque acolá para Dilma (PT), a candidata de Lula.

Outro complicador é a presença de Tasso Jereissati na disputa para o Senado. Como se comportará a força política que obedece a Cid Gomes? Vai com Tasso – amigo do peito da família Ferreira Gomes – ou mantém o compromisso de eleger Eunício?

Dois episódios recentes deixam qualquer observador mais em alerta. São significativos. Primeiro, a declaração de Luizianne, agora Presidente do PT estadual, que jamais aceita aliança com o PSDB, para eleger Tasso. E a outra, de Cid Gomes, afirmando que Tasso foi um dos maiores governadores que o Ceará já teve…

Por outro lado, a queda vertiginosa de popularidade da administração PT, no município de Fortaleza, deixa de ser um acalanto para Cid para se tornar um pesadelo. Fidelidade em política, como no amor, só dura até quando dá prazer e alimenta a promessa de felicidade. Por estas e outras é que o grande cortejo de candidatos a deputado – federal e estadual – oscila de forma tão frenética. Para aonde correr? Qual lado dará melhor sombra? Ainda é cedo. Mas, esse jogo não vai ser fácil. Ele nos reserva muitas surpresas.

Postado por: José Sales

Chico Xavier : Uma vida dedicada à Vida ( 1910-2002 ) - Postado por: José Flávio Vieira


INFÂNCIA

Francisco Cândido Xavier nasceu em Pedro Leopoldo (MG), no dia 2 de abril de 1910.Filho de operário inculto e de humilde lavadeira, ficou órfão de mãe aos cinco anos de idade.Seu pai se viu obrigado a entregar alguns dos seus nove filhos aos cuidados de pessoas amigas e Chico Xavier ficou com sua madrinha, mulher nervosa que o maltratava cruelmente.Nos seus momentos de angústia, um anjo de Deus, que fora sua mãe na Terra, o assistia, quando, desarvorado, orava nos fundos do quintal: "Tenha paciência, meu filho! Você precisa crescer mais forte para o trabalho. E quem não sofre não aprende a lutar". O menino aprendeu a apanhar calado, sem chorar. Diariamente, à tarde, com vergões na pele e o sangue a correr-lhe em delgados filetes pelo ventre, ele, de olhos enxutos e brilhantes, se dirigia para o quintal, a fim de reencontrar a mãezinha querida, vendo-a e ouvindo-a, depois da oração. Algum tempo depois, terminou seu martírio. Seu pai casou-se novamente e sua madrasta, alma boa e caridosa, o recolheu carinhosamente, a ele e a todos os irmãos que estavam espalhados. A situação era difícil. A guerra acabara e graçava a gripe espanhola.O salário do chefe da família dava escassamente para o necessário e os meninos precisavam estudar.Foi então que a boa madrasta teve uma idéia: plantar uma horta e vender os legumes.Em algumas semanas, o menino já estava na rua com o cesto de verduras. Desta forma, conseguiram encher o cofre e voltar a frequentar as aulas.
Em janeiro de 1919 Chico Xavier começou o ABC.Com a saída do chefe da casa para o trabalho e das crianças para a escola, a madrasta era obrigada, algumas vezes, a deixar a casa a sós, pois precisava buscar lenha à distância. Foi então que surgiu um problema: a vizinha, se aproveitando da ausência de todos, passou a colher a verduras e, sem verduras, não haveria dinheiro para as despesas da escola.Preocupada, a madrasta, não querendo ofender a amiga, pediu a Chico Xavier que, pedisse um conselho ao espírito de sua mãe.À tardinha, o menino foi ao quintal e rezou como fazia sempre que queria conversar com sua mãe e lhe contou o problema. Sua mãe lhe disse que realmente não deviam brigar com os vizinhos e lhe deu uma sugestão: toda vez que sua madrasta se ausentasse, que desse a chave de casa à vizinha, para que ela tomasse conta da casa.Dessa forma, a vizinha, responsável pela casa, não tocou mais nas hortaliças.Passados todos esses problemas, o menino não viu sua genitora com tanta frequência. Mas passou a ter sonhos.À noite, levantava-se agitado e conversava com locutores invisíveis. De manhã, contava as peripécias de pessoas mortas, coisas que ninguém podia compreender!O pai resolveu levá-lo ao vigário de Matozinhos, que, após ouvi-lo, recomendou que o garoto não lesse mais jornais, revistas, livros.Disse-lhe que ninguém volta a conversar depois da morte e que era o demônio que lhe estava perturbando.O menino chorava nos braços de sua madrasta, criatura piedosa e compreensiva.Ao conversar com sua mãe, triste por não ser compreendido por ninguém, escutou dela que precisava modificar seus pensamentos, que não deveria ser uma criança indisciplinada, para não ganhar antipatia dos outros. Deveria aprender a se calar e que, quando se lembrasse de alguma lição ou experiência recebidas em sonho, que ficasse em silêncio. Precisava aprender a obediência para que Deus, um dia, lhe concedesse a confiança dos outros.E durante 7 anos consecutivos, de 1920 a 1927, ele não teve mais qualquer contato com sua mãe. Integrado na comunidade católica, obedecia às obrigações que lhe eram indicadas pela Igreja. Confessava-se, comungava, comparecia pontualmente à missa e acompanhava as procissões.

Em 1923 terminou o curso primário, no Grupo. Levantava-se às seis da manhã para começar, às sete, as terefas escolares e entrando para o serviço da fábrica às três da tarde, para sair às onze da noite.Em 1925 deixou a fábrica, empregando-se na venda do Sr. José Felizardo Sobrinho, onde o trabalho ia das seis e meia da manhã às oito da noite.As perturbações noturnas continuaram. Depois de dormir, caía em transe profundo.Em 1927 uma de suas irmãs caiu doente. Um casal de espíritas, reunido com familiares da doente, realizaram a primeira sessão espírita que teve lugar na casa. Na mesa, dois livros: "O Evangelho Segundo o Espiritismo" e o "O Livro dos Espíritos", de Allan Kardec.Pela mediunidade de D. Carmem, sua mãe manifestou-se: "Meu filho, eis que nos achamos juntos novamente. Os livros à nossa frente são dois tesouros de luz. Estude-os, cumpra com seus deveres e, em breve, a bondade divina nos permitirá mostrar a você seus novos caminhos. "A primeira e única professora de Chico que descobriu sua mediunidade psicográfica foi D. Rosália. Fazia passeios campestres com os alunos que deveriam, no dia seguinte, levar-lhe uma composição, descrevendo o passeio. A de Chico tirava sempre o primeiro lugar.Desconfiada, D. Rosália, um dia, fez o passeio mais cedo e, na volta, pediu que os alunos fizessem a composição em sua presença. Chico, novamente, tira o primeiro lugar, escrevendo uma verdadeira página literária sobre o amanhecer e daí tirando conclusões evangélicas.Rosália mostrou aos amigos íntimos a composição e todos foram unânimes em reconhecer que aquilo, se não fora copiado, era então dos espíritos.

ATIVIDADES MEDIÚNICOS EM PEDRO LEOPOLDO

Ao entrar para o funcionalismo público, como datilógrafo, na Fazenda Modelo do Ministério da Agricultura, começa a demonstrar sua admiração pela natureza. Distante 6 quilômetros da cidade, em contato com a natureza, ama até as pedras e os montes pensativos. Vê em tudo poesia e oração, trata as árvores como irmãs e compreende como poucos a alma do grande todo. Vê em tudo poesia e vida, verdade e luz, beleza e amor e, acima de tudo, a presença de Deus! Em maio de 1927 foi realizada a primeira sessão espírita no lar dos Xavier, em Pedro Leopoldo. Em junho do mesmo ano foi cogitada a fundação de um núcleo doutrinário.Em fins de 1927 o Centro Espírita Luiz Gonzaga, sediado na residência de José Cândido Xavier, que se fez presidente da instituição, estava bem frequentado. As reuniões se realizavam às segundas e sextas-feiras.A nova sede do Grupo Espírita Luiz Gonzaga foi construída no local onde se erguia, antigamente, a casa de Maria João de Deus, genitora de Chico Xavier.Em 8 de julho de 1927, Chico Xavier fez a primeira atuação do serviço mediúnico, em público. Seu primeiro livro psicografado foi publicado em 1931.Em 1931, Chico passou a receber as primeiras poesias de "Parnaso de Além -Túmulo", que foi lançado em julho de 1932.Em 1950, Chico Xavier havia recebido, pela sua psicografia, mais de 50 ótimos livros. Vivia no apogeu de triunfos mediúnicos. Estava conhecidíssimo no Brasil e no mundo inteiro. O Parnaso de Além Túmulo, por si só, valia pelo mais legítimo dos documentos, validando-lhe o instrumental mediúnico, o mais completo e seguro que o Espiritismo tem tido para lhe revelar as verdades, inclusive o intercâmbio das idéias entre os dois Mundos.Além disso, recebera romances , livros e mais livros, versando assuntos filosóficos, científicos e, sobretudo, realçando o espírito da letra dos Evangelhos, escrevendo e traduzindo, de forma clara e precisa, as Lições consoladoras e imortais do Livro da Vida.

ATIVIDADES MEDIÚNICAS EM UBERABA

Em 5 de janeiro de 1959 mudou-se para Uberaba, sob a orientação dos Benfeitores Espirituais, iniciando nessa mesma data, as atividades mediúnicas, em reunião pública da Comunhão Espírita Cristã.Deu ele, então, início à famosa perigrinação. Aos sábados, saindo da "Comunhão Espírita-Cristã", o bondoso médium visitava alguns lares carentes, levando-lhes a alegria de sua presença amiga, acompanhado por grande número de pessoas afinizadas. Sob a luz das estrelas e de um lampião que seguia à frente, iluminando as escuras ruas da periferia, ia contando fatos de grande beleza espiritual.A cidade de Uberaba, desde a sua vinda para cá, transformou-se num pólo de atração de inúmeros visitantes das mais variadas regiões do Brasil, e até mesmo do exterior, que aqui aportam com o objetivo de conhecer o médium.Aqueles que conhecem a sua vida e a sua obra não medem distâncias para vê-lo.Seu trabalho sempre consistiu na divulgação doutrinária e em tarefas assistenciais, aliadas ao evangélico serviço do esclarecimento e reconforto pessoais aos que o procuram. Os direitos autorais de seus livros publicados, em torno de 340, são cedidos, gratuitamente, às editoras espíritas ou a quaisquer outras entidades. Quanto à fortuna material, ele continua tão pobre quanto era. Chico é um homem aposentado e recebe somente os proventos de sua aposentadoria. Do ponto de vista espiritual, Chico Xavier é, a cada dia que passa, um homem mais rico: multiplicou os talentos que o Senhor lhe confiou, através de seu trabalho, de sua perseverança e da sua humildade em serviço. Com a saúde debilitada, Chico Xavier vem confirmando, nos últimos tempos, a sua condição de um autêntico missionário do Cristo, pois impossibilitado de comparecer às reuniões do Grupo Espírita da Prece, ele tem reunido as forças que lhe restam para continuar, em casa, a tarefa da psicografia. E, embora debilitado, continua de ânimo firme e a alma com grande capacidade de trabalho.Chico Xavier ama a tarefa que o Senhor lhe concedeu.

*fonte bibliográfica: Mandato de Amor - União Espírita Mineira - Belo Horizonte, 1992.
Chico Xavier - Mediunidade e Paz - Carlos A. Baccelli - 1996 - Casa Editora Espírita "Pierre-Paul Didier" Lindos Casos de Chico Xavier - Ramiro Gama - 1995 - São Paulo, LAKE
Trinta Anos com Chico Xavier - Clovis Tavares - 1987 - IDE

Um dia para recordar. Por : Alessandra Bandeira


Hoje ao andar pelo Crato tive a certeza porque amo essa terra. Como pequenas atitudes tem uma força na vida das pessoas. A praça da Sé hoje se tornou palco de um dos projetos culturais mais belos do Crato , o Rapadura Cultural. Um projeto simples, mas de uma grandeza inimaginável, o de valorização de pessoas comuns que não tem espaços na mídia de mostrar seus talentos. Em uma manhã de sábado numa praça uma reunião de artistas de vários segmentos como Josenir Lacerda, Carlos Henrique,Christyan Marques, Cláudio Reis , Jesus, Aécio Ramos, fora os anônimos, aqueles de quem não sei o nome mas vi o potencial. Obrigado Jorge por me proporcionar esse dia tão mágico , tão perfeito. Pena que não tive como registrar para dividir com todos vocês que fazem parte do Blog a emoção que estou sentindo agora. Parabéns a todos os artistas que fazem parte do Rapadura Cultural , em especial a dançarina que anima a todos com sua vitalidade. Por : Alessandra Bandeira

O que acontece quando o Corpo Humano envelhece


Nota
- Encontrei na internet, esse gráfico comparativo interessante, que repasso para nossos leitores. É bom que se leia a matéria completa sobre Envelhecimento escrito pela fisioterapeuta Monique Coviello, logo abaixo.


envelhecimento 04a


Fonte: palavrademedico.kit.net

Envelhecimento - Por: Monique Coviello



O envelhecimento traz várias alterações anatômicas e fisiológicas como: diminuição da visão, audição, diminuição dos reflexos (mais lentos) e da coordenação (músculos perdem a flexibilidade, articulações, cartilagem com instabilidade, ossos mais frágeis). Além do processo de envelhecimento ocorre o efeito adverso de medicamentos, principalmente os tranqüilizantes, outras patologias como (diabetes, osteoporose, labirintite,...). Tornando o paciente idoso mais frágil.

Definição de envelhecimento pela OPAS

“È um processo seqüencial, individual, acumulativo, irreversível, não patológico, de deterioração de um organismo maduro, próprios a todos os membros de uma espécie, de maneira que o tempo o torne menos capaz de fazer frente ao stress do meio ambiente e, portanto aumente a sua possibilidade de morte”. Tais alterações têm por característica a diminuição progressiva de nossa reserva funcional. Isto é, um organismo envelhecido, em condições normais, poderá sobreviver adequadamente, porém, quando submetido a situações de stress físico, emocional, pode apresentar dificuldades em manter sua homeostase manifestando, assim, sobrecarga funcional, que pode culminar em processos patológicos.

Processo de Envelhecimento / Senescência

O processo se inicia geralmente na segunda década de vida, porém é pouco perceptível. Já no final da terceira década surgem as primeiras alterações funcionais e estruturais. A partir da quarta década há uma perda aproximada de 1% da função / ano nos diferentes sistemas orgânicos
O envelhecimento pode também ser caracterizado pela progressiva incapacidade de manutenção do equilíbrio homeostático em condições de sobrecarga funcional.
Quando o sistema homeostático está comprometido (o que ocorre com o avançar da idade), o organismo pode, frente a um fator de stress, entrar em ruptura completa ou numa situação de funcionamento inteiramente nova, desenvolvimento de morbidades.
Os órgãos de sentido têm sua função alterada em condições basais, os de função cardiovascular tem a função alterada em situações de esforço.

Processo de Senescência

As alterações nos principais sistemas serão relacionadas abaixo:

1. Sistema Músculo Esquelético

 Diminuição da massa corporal total
 Diminuição da força, tônus e velocidade de contração muscular (lentificação dos movimentos).
 Aumento da base de sustentação (alteração na marcha).
 Diminuição dos movimentos de braços ao se movimentar.
 Diminuição dos movimentos de braços ao se movimentar.
 Outros: Diabetes / Hipertensão /osteoporose / obesidade

2. Sistema Respiratório

 Diminuição da capacidade vital (em + ou - 25%).
 Aumento da capacidade residual, diminuição da capacidade respiratória total (em + ou - 50%) e diminuição da eficácia e da capacidade pulmonar.
 Diminuição da elasticidade e permeabilidade dos tecidos que cercam os alvéolos (diminuição da taxa de absorção de O2).
 Diminuição da elasticidade pulmonar (rigidez pulmonar) e diminuição da capacidade inspiratória pela calcificação das cartilagens intercostais, diminuição da contratilidade dos músculos inspiratórios, diminuição da elasticidade do tecido pulmonar e enfraquecimento dos músculos do diafragma e intercostais.
 Diminuição da função pulmonar em geral tornando os pulmões mais vulneráveis
 Diminuição da eficiência da tosse e diminuição dos cílios e seu movimento
 Aumento das glândulas brônquicas de muco, que levam a diminuição das trocas gasosas, acúmulo de secreções e dificuldade de expectoração. Aumentando a possibilidade de infecções.

3. Sistema Cardiovascular

Em condições basais é suficiente, mas em sobrecarga pode apresentar distúrbio levando ao comprometimento da função. No coração vão ocorrer as seguintes alterações:
 Aumento do colágeno no pericárdio e endocárdio
 Degeneração das fibras musculares do miocárdio e hipertrofia das remanescentes
 Espessamento e calcificação das valvas
 Diminuição da força de contração cardíaca
 Diminuição da capacidade máxima do coração
 Diminuição do débito cardíaco (em até 50%)

4. Sistema Cognitivo

 Inteligência não se pode afirmar que haja declínio acentuado com o avançar da idade, ocorre um ligeiro declínio nas aptidões psico-motoras relacionadas à coordenação, a agilidade mental e aos sentidos (visão e audição).
 Memória e aprendizagem – Indicações prováveis de relações com alterações químicas, neurológicas e circulatórias que afetam o SNC, como também a diminuição de neurônios, oxigenação e nutrição bem como, a motivação.

A presença ou instalação de processos patológicos em indivíduos idosos pode ocasionar rápida alteração no quadro funcional dos mesmos. De totalmente independentes, eles podem passar muito rapidamente para uma condição de parcial ou totalmente dependentes em virtude da dificuldade de adaptação homeostática frente à velocidade de perda de reserva funcional.

Acidentes Domésticos

Muita gente acredita que os acidentes são fatalidades que fogem ao nosso controle. Porém, à medida que nos antecipamos para evitar sua ocorrência, seus potenciais danos diminuem sensivelmente, chegando mesmo a ser eliminados. Ao longo da vida, acidentes podem ocorrer em qualquer faixa etária, mas na infância, adolescência e terceira idade eles são mais freqüentes.
É em nossa casa, na nossa cozinha, no nosso banheiro, em nosso quintal ou passeio que as crianças, adolescentes e idosos mais se machucam. Vários fatores são reconhecidamente provocadores de acidentes: de um lado, destacam-se aqueles relacionados com as condições físicas e psicológicas das próprias pessoas; de outro aqueles ligados às condições presentes no meio físico, social e cultural em que elas vivem. Os riscos de acidente aumentam onde há miséria, doenças e ausência de adultos por perto. Os idosos também apresentam certas características que os levam a ser vítimas de acidentes caseiros. Muito freqüentemente, os sintomas da velhice, como o decréscimo da força física, a falta de atenção e da concentração, a visão e a audição mais fracas, os movimentos mais vagarosos e as reações mais lentas, marcam o início de uma vida mais dependente de terceiros e mais propensa a quedas e a outros acidentes. Assim, fatores de ordem biológica entrelaçam-se com fatores de ordem cultural para produzir, no idoso, um quadro de depressão, quase sempre acompanhado de sentimentos de insegurança, perda de auto-estima e da auto confiança.

Para a prevenção, existem dois elementos chave:

• educação, tanto nos aspectos básicos como também na educação específica, sendo ambas absorvidas, em prevenção, pelo uso da expressão promoção em saúde;
• proteção específica, que trata do conjunto de ações necessárias para a devida eliminação dos fatores de risco identificados.

A educação básica é o ponto de partida para a prevenção de acidentes. Um segundo nível de conscientização passa pela educação específica. Além da formação na educação básica, também é importante conhecer todos os fatores de risco de forma mais aprofundada para tornar as medidas de prevenção mais eficientes. A educação específica também atua quando a prevenção primária tiver falhado: conhecendo mais profundamente as causas de um acidente, é possível atenuar sua gravidade com a efetivação de atendimento adequado e imediato, além de ações preventivas para que não ocorram novos acidentes.

Acidentes domésticos com idosos

Segundo o Sistema Único de Saúde (SUS), um terço dos atendimentos por lesões traumáticas nos hospitais do País ocorre com pessoas com mais de 60 anos. E o mais espantoso é que cerca de 75% dessas lesões acontecem dentro de casa, sendo que 34% das quedas provocam algum tipo de fratura. A maior parte desses acidentes (46%) acontece no trajeto entre o banheiro e o quarto, principalmente à noite. Há ainda a agravante de que a recuperação do idoso é mais difícil, e durante a convalescença ele fica sujeito a desenvolver doenças pulmonares e problemas nas articulações e até a morte. Estatisticamente tem se observado que 30% dos idosos apresentam um episódio de queda ao solo com ferimento, a cada ano, o que representa um grande fator de limitação de qualidade de vida e um grande custo assistencial. Cerca de 8% de todas as pessoas com mais de 60 anos procuraram um atendimento de emergência por trauma em cada ano, e 30% destas pessoas atendidas devem ser hospitalizadas em decorrência disto.
Os casos de maior gravidade, cerca de 10% dos idosos que sofreram um trauma, virão a falecer em decorrência do trauma. As mulheres são as que mais se acidentam, segundo Marcos Musafir, presidente da regional da Sbot no Rio de Janeiro. "Isso porque vivem mais que os homens e porque são mais suscetíveis à osteoporose (doença que enfraquece os ossos)”.

Causas mais freqüentes:

QUEDAS E CONTUSÕES – são geralmente ocasionadas por escadas mal fixadas, muito enceradas ou escorregadias, de proporção inadequada ou sem corrimão; ou ainda por tapetes soltos e móveis em grande quantidade, com quinas pontudas e dimensões inadequadas ao seu tamanho no cômodo; andar sobre pisos molhados, úmidos ou encerados; objetos deixados no caminho; fios elétricos ou de telefone deixados no chão; andar só de meias ou usar chinelos e sapatos mal ajustados; pouca iluminação dos ambientes; tontura ao levantar –se , visão alterada; perda de equilíbrio; enfraquecimento dos ossos e dos músculos; soleiras das portas não niveladas com o chão; colocar – se em pé em cima de um banco ou cadeira; banheira ou chuveiro; imperfeições, buracos e desníveis no piso ou calçada.

CORTES E QUEIMADURAS – Uso incorreto de facas de cozinha (principalmente ao utilizar com alimentos congelados); uso incorreto de produtos inflamáveis; diminuição das faculdades sensoriais (perda da sensibilidade ao calor originando por exemplo queimaduras durante o banho, ao cozinhar...),

Prevenção:

O piso precisa ser antiderrapante e os tapetes fixos no chão; degraus devem ser acompanhados de corrimãos se possível substituídos por rampas de inclinação leve e proteção anti- derrapante ; banheiros precisam ser espaçosos e com barras de apoio, para que o idoso possa se equilibrar melhor e circular com apoios e cadeiras de roda; a cama não deve ser muito alta, deve ter uma altura entre 50 e 55 centímetros, para que a pessoa possa firmar bem os pés antes de se levantar; os interruptores precisam ficar ao alcance da pessoa na cama para que ela não tenha que se movimentar no escuro antes de acender a luz ; ilumine bem todos os ambientes da casa; quanto ao trajeto entre o quarto e o banheiro ser feito durante a noite (onde ocorre a maioria dos acidentes), deixar sempre uma luz acesa ou instalar um sistema de iluminação automática; as áreas de circulação também devem ser completamente livres de obstáculos em todos os ambientes da casa. Móveis demais atrapalham a locomoção, e enfeites ou objetos baixos podem passar despercebidos; os móveis devem ser adaptados para serem de fácil alcance e de cantos arredondados; os sofás devem ter braços largos para ajudar os movimentos de se levantar e se sentar; as prateleiras não devem ser nem muito altas ou baixas para evitar que a pessoa tenha que se esticar ou abaixar para pegar algo; adapte as maçanetas, se necessário. Todas devem ser de fácil manuseio, e as portas não devem ficar trancadas. O ideal é que sempre haja alguém em casa, pois caso aconteça algo, ela poderá prestar ajuda.

Fisioterapia no Programa do Idoso

A atuação do fisioterapeuta é de extrema importância, pela sua capacidade técnica é o profissional que vai atuar de maneira preventiva nas perdas dos sistemas que presenciamos no processo de senescência, que podem levar a instalação de patologias ou então evitar as quedas e suas complicações, esta atuação em conjunto com ações que visam uma melhor qualidade de vida do idoso, através sempre de uma equipe multidisciplinar constituem o nível primário de atuação.
O tratamento das afecções do idoso devido a patologias apresentadas é realizado através da utilização de técnicas fisioterapêuticas, que constituem o nível secundário de atenção à saúde do idoso. No nível terciário encontramos a utilização de recursos fisioterapêutico com objetivo de inserir o idoso na sociedade, tratando de suas incapacidades, melhora da funcionalidade, devolvendo a sua funcionalidade e independência dentro das possibilidades. Os trabalhos preventivos poderão ser realizados individualmente ou em grupo, sendo em grupo trabalha também o lado social e psicológico. Trabalhos que poderão ser feitos em questão a prevenção dos acidentes: atividades de alongamento, treinamento de força, treinamento aeróbico, treinamento de marcha, trabalhos proprioceptivos.

Conclusão
O número de acidentes com os idosos crescem mais a cada dia, e é algo que pode ser evitado. O grande desafio da fisioterapia é orientar modificações que podem ser feitas em prol disso e fazer com que eles consigam preservar sua autonomia e criar condições para que possam permanecer junto a sua família e comunidade livre dos acidentes.

Por: Monique Coviello Fisioterapeuta - Rio de Janeiro / RJ

Sacerdote talentoso e dinâmico - por Francisco Adérson Vieira

Subida honra falar sobre o Pe. Clairton Alexandrino de Oliveira, pároco da Catedral Metropolitana de Fortaleza, há quase uma década. Pe. Clairton é um homem de Deus, um autêntico cristão, um missionário da Igreja de Deus, o Ser Absoluto, onisciente, a Verdade Eterna.
Descendente de família profundamente católica, foi educado dentro dos preceitos dos bons costumes. Conheci-o no Seminário Arquidiocesano de Fortaleza, quando ali se encontrava em companhia do Pe. Hemetério Alexandre de Santiago, figura de prol do nosso Clero. Pe. Clairton Alexandrino - é oportuno aqui - além de franco e sincero, modesto e bondoso, é um levita dedicado ao serviço de Deus e da Sua Igreja, dotado de sentimentos elevados, de vida exemplar. Nele se admira ainda a retidão de caráter, a inteligência, a simplicidade e, sobretudo, o prazer muito seu de praticar o Bem. Prendado de virtudes preclaras, seus caminhos são sempre juncados de rosas, não de rosas inodoras, mas sim, odóríferas, como as angélicas, e as azáleas, e as gardênias, que exalam perfume.
É realmente admirável sua capacidade de trabalho. Para ele, trabalhar é o verdadeiro meio de se viver feliz. Não há muito, quando estivemos na Catedral, vimos de perto as obras que ele está realizando ali, entre as quais os altares localizados nas partes laterais do templo: à direita com a imagem de São José, padroeiro do Estado, e à esquerda com a de Nossa Senhora da Assunção, augusta Mãe de Deus, nossa mãe co-redentora. Estamos convencido de que outras obras serão construídas ali, entre elas seu forro acústico.
Foi muito acertada a indicação do Pe. Clairton Alexandrino para nossa Catedral, por Sua Excelência Reverendíssima Dom José Antônio Aparecido Tosi Marques, muito digno Arcebispo Metropolitano de Fortaleza. Ali, na verdade, necessitamos de um sacerdote jovem, talentoso e dinâmico, à semelhança do designado pelo nosso mui querido Arcebispo.
Meus parabéns, Pe. Clairton, pelo que tem realizado em benefício da família e da religião, com inteligência, saber e meditação. Sem sombra de dúvida, Vossa Reverendíssima - não é demais repeti-lo - é um sacerdote talentoso e dinâmico.
Texto: Francisco Adérson Vieira - publicado no jornal O POVO
Postagem: Armando Rafael

Desabafo - Por: Alessandra Bandeira


Enfim a paz está de volta para aqueles que moram na vizinhança da Igreja da Sé. Depois de 09 dias de alvoradas, missas e novenas, o silêncio volta a fazer parte do dia-a-dia. Mas nisso tudo me vem o questionamento porque a SEMAC não resolve a questão da Poluição Sonora emitida pela igreja? Não é só em dias de Nossa Senhora da Penha, mas todos os dias a partir das 15:45 começa a tortura, isso mesmo tortura que a igreja nos obriga a ouvir. Realmente é necessario esse tumulto todo? É assim que se catequisa? Claro que como historiadora, fico imaginado Jesus aos berros tentando evangelizar, no fim do dia ele estaria rouco e sem voz. Será que não há um bom senso da parte da Igreja de que, nem no Vaticano se usa caixas de sons para fora da igreja, e o respeito por aqueles que não comungam de suas crenças em terem o seus direitos respeitados?

Está mais do que na hora de se resolver de realmente a SEMAC fazer jus aos impostos que são revertidos em sálarios desses fiscais e cumprir a lei a risca, como cumpriu com a Alegretto, o Olhar casa das Artes, o Lagarta Pintada, e nessa história toda essas casas e bares pagam imposto, geram empregos diretos e indiretos, e a igreja não. Sem dois pesos sem duas medidas, lei é lei! Vamos começar mostrando que as leis são iguais para todos, sem benefícios a ninguém, a nenhuma religião, afinal e isso que a constiutição prega. Em tempo afirmo aqui : sou católica, mas não concordo com essa prática abusiva. Me perdoem mas esse desabafo se faz necessário, pois é horrivel ter que aumentar o volume de minha tv para que meu filho possa assistir, ou ter que ficar com fones de ouvido para poder trabalhar, será que isso é justo?

Dom Fernando Panico : "Catequizar tem que ser um ato de amor e não um ato de dor!"

Por: Alessandra Bandeira

Alencar: ‘Estou preparado para a morte como nunca’ - Por: Samuel P. Teles



Às voltas com a 11ª tentativa de tratar o câncer que carrega na região abdominal, o vice-presidente José Alencar confessa: “Ando cansado”.

Ele lança mão de uma expressão mineira para resumir sua situação clínica: “O trem está ficando feio para o meu lado”.

Sem meias palavras, Alencar declara: “Estou preparado para a morte como nunca estive nos últimos tempos. A morte para mim hoje seria um prêmio”.

“Isso não significa”, Alencar esclarece, “que tenha desistido de lutar pela vida. A luta é um princípio cristão, inclusive”.

O vice-presidente falou à repórter Adriana Dias Lopes. Em uma hora, chorou duas vezes. A entrevista foi às páginas de Veja. Pode ser lida abaixo:


- Como o senhor está se sentindo?

Está tudo ótimo: pressão, temperatura, coração e memória. Tenho apetite, inclusive – só não como torresmo porque não me servem. O meu problema é o tumor. Tenho consciência de que o quadro é, no mínimo, dificílimo – para não dizer impossível, sob o ponto de vista médico. Mas, como para Deus nada é impossível, estou entregue em Suas mãos.


- Desde quando o senhor sabe que, do ponto de vista médico, sua doença é incurável?
Os médicos chegaram a essa conclusão há uns dois anos e logo me contaram. E não poderia ser diferente, pois sempre pedi para estar plenamente informado. A informação me tranquiliza. Ela me dá armas para lutar. Sinto a obrigação de ser absolutamente transparente quando me refiro à doença em público – ninguém tem nada a ver com o câncer do José Alencar, mas com o câncer do vice-presidente, sim. Um homem público com cargo eletivo não se pertence.


- O senhor costuma usar o futebol como metáfora para explicar a sua luta contra a doença. Certa vez, disse que estava ganhando de 1 a 0. De outra, que estava empatado. E, agora, qual é o placar?
Olha, depois de todas as cirurgias pelas quais passei nos últimos anos, agora me sinto debilitado para viver o momento mais prazeroso de uma partida: vibrar quando faço um gol. Não tenho mais forças para subir no alambrado e festejar.


- Como a doença alterou a sua rotina?
Mineiro costuma avaliar uma determinada situação dizendo que "o trem está bom ou ruim". O trem está ficando feio para o meu lado. Minha vida começou a mudar nos últimos meses. Ando cansado. O tratamento que eu fiz nos Estados Unidos me deu essa canseira. Ando um pouco e já me canso. Outro fato que mudou drasticamente minha rotina foi a colostomia (desvio do intestino para uma saída aberta na lateral da barriga, onde são colocadas bolsas plásticas), herança da última cirurgia, em julho. Faço o máximo de esforço para trabalhar normalmente. O trabalho me dá a sensação de cumprir com meu dever. Mas, às vezes, preciso de ajuda. Tenho a minha mulher, Mariza, e a Jaciara (enfermeira da Presidência da República) para me auxiliarem com a colostomia. Quando, por algum motivo, elas não podem me acompanhar, recorro a outros dois enfermeiros, o Márcio e o Dirceu. Sou atendido por eles no próprio gabinete. Se estou em uma reunião, por exemplo, digo que vou ao banheiro, chamo um deles e o que tem de ser feito é feito e pronto. Sem drama nenhum.


- O senhor não passa por momentos de angústia?
Você deveria me perguntar se eu sei o que é angústia. Eu lhe responderia o seguinte: desconheço esse sentimento. Nunca tive isso. Desde pequeno sou assim, e não é a doença que vai mudar isso.


- O agravamento da doença lhe trouxe algum tipo de reflexão?
A doença me ensinou a ser mais humilde. Especialmente, depois da colostomia. A todo momento, peço a Deus para me conceder a graça da humildade. E Ele tem sido generoso comigo. Eu precisava disso em minha vida. Sempre fui um atrevido. Se não o fosse, não teria construído o que construí e não teria entrado na política.


- É penoso para o senhor praticar a humildade?
Não, porque a humildade se desenvolve naturalmente no sofrimento. Sou obrigado a me adaptar a uma realidade em que dependo de outras pessoas para executar tarefas básicas. Pouco adianta eu ficar nervoso com determinadas limitações. Uma das lições da humildade foi perceber que existem pessoas muito mais elevadas do que eu, como os profissionais de saúde que cuidam de mim. Isso vale tanto para os médicos Paulo Hoff, Roberto Kalil, Raul Cutait e Miguel Srougi quanto para os enfermeiros e auxiliares de enfermagem anônimos que me assistem. Cheguei à conclusão de que o que eu faço profissionalmente tem menos importância do que o que eles fazem. Isso porque meu trabalho quase não tem efeito direto sobre o próximo. Pensando bem, o sofrimento é enriquecedor.


- Essa sua consideração não seria uma forma de se preparar para a morte?
Provavelmente, sim. Quando eu era menino, tinha uma professora que repetia a seguinte oração: "Livrai-nos da morte repentina". O que significa isso? Significa que a morte consciente é melhor do que a repentina. Ela nos dá a oportunidade de refletir.


- O senhor tem medo da morte?
Estou preparado para a morte como nunca estive nos últimos tempos. A morte para mim hoje seria um prêmio. Tornei-me uma pessoa muito melhor. Isso não significa que tenha desistido de lutar pela vida. A luta é um princípio cristão, inclusive. Vivo dia após dia de forma plena. Até porque nem o melhor médico do mundo é capaz de prever o dia da morte de seu paciente. Isso cabe a Deus, exclusivamente.


- O senhor se deu conta da comoção nacional que tem provocado?
Não há fortuna no mundo capaz de retribuir o carinho dos brasileiros. Sou um privilegiado. Você não imagina a quantidade de manifestações afetuosas que tenho recebido. Um dia desses me disseram que, ao morrer, iria encontrar meu pai, falecido há mais de cinquenta anos. Aquilo me emocionou profundamente. Se for para me encontrar com mamãe e papai, quero morrer agora. A esperança de encontrar pessoas queridas é um alento muito grande – e uma grande razão para não ter medo do momento da morte.


- O senhor se tornou mais devoto com a doença?
Sou de família católica, mas nunca fui de ir à missa. Nem agora faço isso. Quando a coisa aperta, rezo o pai-nosso. Ultimamente, tenho rezado umas duas, três vezes ao dia.


- Se recebesse a notícia de que foi curado, o que faria primeiro?
Abraçaria a Mariza e diria: "Muito obrigado por ter cuidado tão bem de mim".


Fonte: Blog do Josias

Por: Samuel P. Teles

Lula reafirmará que pré-sal é nova independência do país em pronunciamento domingo

NE - Da Mamona ao Pré-Sal

Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará, no próximo domingo (6), pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, para falar sobre o Dia da Independência, comemorado no dia seguinte (7). Aproveitando a data, Lula voltará a abordar o marco regulatório para exploração do petróleo da camada pré-sal, que ele considera uma nova independência do país. As regras foram anunciadas pelo governo no último dia 31. No mesmo dia, em seu programa semanal de rádio Café com o Presidente, Lula disse que o marco regulatório significa “um novo Dia da Independência para o Brasil”.

As regras foram encaminhadas ao Congresso Nacional em projetos de lei com regime de urgência constitucional. Uma das propostas prevê a criação de estatal, chamada Petro-Sal, para administrar a exploração no pré-sal. O pronunciamento do presidente terá cerca de dez minutos de duração e será veiculado à noite. O presidente gravou o pronunciamento na manhã de ontem (4) no Palácio da Alvorada.

Fonte: Agência Brasil

"O governo tem que proteger a sociedade dos cursos caça-níqueis", afirmam professores.

SÃO PAULO – Especialistas afirmam que o governo federal não está cumprindo a função de garantir condições mínimas de qualidade nas instituições de ensino superior do País. Prova disso é que 30% das instituições avaliadas pelo Ministério da Educação tiveram nota 1 ou 2 e foram consideradas ruins. Outras 884, que representam 44% do total, obtiveram nota 3 (razoável) no Índice Geral de Cursos (IGC).
“O governo tem que fiscalizar e proteger a sociedade dos cursos caça-níqueis”, afirma Alberto Frank, da Universade Federal de Santa Catarina e coordenador do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior.
Apenas 21 entre as 2 mil instituições de ensino superior avaliadas em 2008 conseguiram nota máxima.
Para Frank, o grande motivo de tantas faculdades serem consideradas de má qualidade é, principalmente, a falta de investimento em educação por parte do governo e dos próprios donos das instituições. “A educação é mercadoria, com o único objetivo de lucro”, diz. Por este motivo também, o presidente do sindicato critica o sistema de avaliação adotado pelo MEC: “a intenção é divulgar um ranking e dizer quais universidades são boas e devem receber primeiro os recursos”.
O presidente da Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo (ADUSP), João Zanetic, critica o sistema de avaliação por não levar em conta as diferenças regionais dos cursos. Além disso, segundo ele, a avaliação, não deve ser feita só por um órgão externo. "É preciso alguma forma de autocrítica, em que professores e alunos reconheçam suas fragilidades”, considera.
Zanetic explica ainda que, apesar de ainda se manterem à frente das faculdades particulares, instituições públicas também sofreram um grande processo de precarização nos últimos anos. “Lembro que quando comecei a dar aula na USP, na década de 70, eram 30 alunos por sala, hoje, é comum ver 100. Isso também é queda na qualidade”, diz.
Segundo Zanetic, nenhuma instituição sobrevive se não estiver apoiada no tripé: ensino, pesquisa e extensã. Porém, em muitas delas é comum ver professor “horista”. “Ele só dá aula e depois você não mais encontar com ele na universidade, nem para tirar uma dúvida”, diz.
Para ele, a expansão de faculdades na década de 90 produziu locais com corpo docente deficiente e instalações precárias. “Brinco que as pessoas devem procurar o Procon porque estão sendo enganadas”, diz.


Fonte: IG

Postado por: Alessandra Bandeira


Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30