xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 29/08/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

29 agosto 2009

O “peixe” tá morrendo “afogado” - Postagem: José Nilton Mariano Saraiva


Justiça penhora mais bens de Romário, diz jornal

"A situação de Romário fora dos campos teria sofrido um novo abalo na última sexta-feira. De acordo com o colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, duas oficiais de Justiça teriam visitado o seu apartamento no Rio de Janeiro para penhorar seus bens, que não serão vendidos, mas servirão de garantia para o pagamento de quase R$ 1 milhão ao ex-técnico Zagallo, por causa da caricatura estampada na porta do banheiro do antigo bar do Baixinho, o Café do Gol. De acordo com o colunista, teriam sido apreendidos oito óculos Prada, cinco ternos Armani e Versace, dois tapetes, um sofá grande, três quadros de artistas desconhecidos, quatro TVs de LCD, 15 aparelhos de ginástica, uma adega e uma churrasqueira".

****************************

Pois é, o "peixe" ainda não entendeu que hoje não passa de um "mortal-comum", de que esse negócio de que "quem foi rei nunca perde a majestade" é pura balela prá quem tem pés-de-barro, e de que os grandes "amigos" simplesmente desaparecem, somem, excafedem-se à medida que o seu dinheiro some, se evapora. Pelo andar da carruagem, vão findar deixando o famoso "baixinho" nú, sem lenço e sem documento, em plena Avenida Vieira Souto, na praia de Ipanema, onde ele é o rei do futevôley (a propósito: e se levarem também suas "sungas", será que ele poderá jogar despido ???). É bom lembrar, ainda, que o ex-jogador Zico também o está processando por igual motivo - eram dois os banheiros - e que seu "apartamento-cobertura", na sofisticada Barra da Tijuca, no Rio, foi leiloado outro dia para pagamento de "uma" das "diversas" pensões alimentícias. Também, quem mandou meter-se com tantas "marias-chuteiras" da vida ???

José Nilton Mariano Saraiva
Fonte: Site da Internet
Postagem: José Nilton Mariano Saraiva

Homenagem ao Agronegócio.

Foto de Sebastião Salgado.

Raro na oposição , PV se alia até a "moto-serra de ouro" para governar



Maurício Savarese

Do UOL Notícias

Em São Paulo


Adotado pela senadora Marina Silva (AC) para disputar as eleições presidenciais de 2010, o Partido Verde (PV) faz parte da base governista na ampla maioria dos Estados brasileiros, de acordo com um levantamento do UOL Notícias. A legenda esteve ao lado até do governador do Mato Grosso, Blairo Maggi (PR), premiado pela ONG ambientalista Greenpeace com o "Motosserra de Ouro" há quatro anos.Somando os 26 Estados e o Distrito Federal, o PV, mesmo com poucos redutos no Brasil inteiro, como Guarulhos (SP) e Natal, só não auxiliou nos últimos anos as coalizões governistas de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Tocantins, Pernambuco e Sergipe. O partido não elegeu nenhum governador em 2006.A sigla também dá suporte ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e indicou Juca Ferreira ao Ministério da Cultura. Em troca, oferece o apoio da maior parte da sua bancada de 14 deputados federais. A exceção mais clara a esse posicionamento em Brasília é a do deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), próximo do governador de São Paulo, José Serra (PSDB).Até em Estados onde não elegeu representantes para a Assembleia Legislativa, casos do Acre, governado pelo petista Binho Marques, e do Distrito Federal, do governador José Roberto Arruda (DEM), o PV faz parte da base aliada e indica membros da administração pública. Na maioria dos Estados, o PV conta com um ou dois parlamentares. Em São Paulo e Minas Gerais ficam as representações verdes mais expressivas: sete entre 94 deputados paulistas e sete entre 77 mineiros. Essa flexibilidade permitiu ao PV indicar integrantes nos governos de todos os principais pré-candidatos para as eleições de 2010. Participa da gestão federal, que deve ter a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) como porta-bandeira e também conta com secretários nas gestões tucanas de São Paulo, de Serra, e Minas Gerais, com Aécio Neves.
Marina Silva tomou a decisão certa ao sair do PT?
Como construir o discurso de Marina Silva na provável candidatura dela à Presidência da República em 2010 se o partido é tão entranhado nos governos dos principais adversários da ex-ministra do Meio Ambiente do presidente Lula?"Não somos muito oposição nem muito governo em lugar nenhum", afirmou o vereador por São Paulo José Luiz Penna, presidente nacional do PV. "Somos um partido aberto a quem quiser construir um programa novo. É como dizíamos: não estamos à esquerda nem à direita. Estamos à frente."Apoio regionalNa região Norte, onde está a maior parte da Floresta Amazônica, o PV está à frente de gestões de diferentes matizes partidárias: é da base de Ivo Cassol (PP-RO), Binho Marques (PT-AC), Ana Júlia Carepa (PT-PA), Waldez Góes (PDT-AP) e José de Anchieta Júnior (PSDB-RR). Faz oposição a dois peemedebistas, Eduardo Braga (AM) e Marcelo Miranda (TO).No Centro-Oeste, além de participar do governo de Maggi, criticado internacionalmente devido o número dos desmatamentos , a sigla apóia o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), e conta com um subsecretário de Meio Ambiente.

A senadora e ex-ministra Marina Silva deixa o PT, partido ao qual era filiada desde 1985
O PV já teve representante no secretariado de Goiás, mas, segundo um assessor do governador Alcides Rodrigues (PP), perdeu o espaço porque estava "sem densidade eleitoral que justificasse". Mas mantém canais de comunicação com o governo, disse o assessor.Nos três Estados do Sul, o PV só tem representante na Assembleia Legislativa do Paraná e integra a base do governador Roberto Requião (PMDB). No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, o partido participou de coligações de oposição aos governadores Yeda Crusius (PSDB) e Luiz Henrique da Silveira (PMDB).No Nordeste, o PV tem apenas um reduto expressivo: o Maranhão, que faz parte da Amazônia Legal. O expoente do partido é o deputado Zequinha Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) e foi oposição ao governador cassado Jackson Lago (PDT). Voltou ao governo estadual com o retorno de Roseana Sarney (PMDB).Na Bahia, o partido costuma orbitar em torno do PT do governador Jaques Wagner e nunca caminhou ao lado do grupo do falecido governador Antonio Carlos Magalhães. Em Alagoas, ocupa cargos na Secretaria do Meio Ambiente do governador Teotônio Vilela Filho (PSDB).No Rio Grande do Norte, Estado onde administra a capital Natal com Micarla de Souza, o PV não tem membros da administração pública e seus únicos dois deputados estaduais tem posição independente, mas muitas vezes compõem com a governadora Wilma de Faria (PSB). É oposição aos governadores do Sergipe, Marcelo Déda (PT), de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e da Paraíba, José Maranhão (PMDB). No caso paraibano, o partido governou ao lado de Cássio Cunha Lima (PSDB), que acabou cassado no fim do ano passado. No Piauí, nem o partido, nem o governo estadual nem a Assembléia Legislativa informaram a posição do PV em relação à administração de Wellington Dias (PT).Falta de críticaEntre agosto de 2008 e junho deste ano, o Pará foi o Estado que mais desmatou, com 47% do total registrado no período, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Em seguida aparece Mato Grosso, com 30%.Os deputados estaduais da sigla não deixam de observar esses números e fazer críticas pontuais, tanto no Pará como em outros Estados. Mas em ampla maioria, dizem interlocutores do partido, não são como o deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ), que faz oposição aberta ao Palácio do Planalto. Preferem manter a interlocução com o poder estadual e, de preferência, ganhar cargos.
O PV é um partido fisiológico, tem muito pouco a ver com o PV alemão ou o PV francês, que são mais coesos. Esses optam por ficar fora do poder se for necessário e são mais próximos da esquerda desencantada com as experiências de comunismo na Europa e na China", disse o cientista político David Fleischer, professor da Universidade de Brasília (UnB). "Não sei se a entrada da Marina Silva vai ajudar a refundar o partido de verdade, mas é fato que há muito a ser mudado se quiserem fazer um partido sério. Hoje é um partido de pequenos líderes regionais com um poder bastante limitado", afirmou.Os dois expoentes mais antigos da sigla, Penna e o vereador carioca Alfredo Sirkis, e já estiveram ao lado de políticos com visões diferentes entre si: o ex-prefeito do Rio de Janeiro César Maia (DEM), a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy (PT). Hoje colaboram com as gestões de Eduardo Paes (PMDB) e Gilberto Kassab (DEM), adversários dos dois antecessores. Em Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do país, o partido também está à frente da coalizão governista de Aécio, que disputa com Serra a indicação tucana para concorrer à Presidência da República. "Temos como pontuar nossas diferenças com eles, em especial na questão ambiental. Não é nosso único tema, há muito para se discutir sobre educação, habitação e por aí vai", diz Penna. "Mas mesmo participando desses governos nós temos espírito crítico para saber onde precisa melhorar. E nosso partido vai melhorar também para ter mais autonomia nessa crítica."

Ruy Fabiano: Candidatura Dilma em quarentena - Postado por José Sales


A candidatura Dilma Roussef está fechada para balanço. O desgaste provocado pelo embate com a ex-secretária da Receita Federal, Lina Vieira, que resultou em crise e demissões em cascata naquela estratégica repartição, superou as estimativas do governo. Constata-se que houve uma sucessão de inabilidades políticas, a que o próprio Lula deu sua contribuição – e que contribuição! -, ao envolver-se diretamente no bate-boca, desafiando a ex-secretária a exibir sua agenda. Em política, primeiro escalão não polemiza com o terceiro: pune ou silencia. Ao profanar essa regra, Lula deu ao caso a dimensão política que está tendo – e que, em circunstâncias normais, não teria. Se a intervenção de Dilma já era excessiva, e desnecessária, imagine-se a do presidente da República. Na sequência, houve o depoimento de Lina no Senado e a desastrada intervenção do Gabinete de Segurança Institucional, sustentando a inexistência no Palácio de registros de visitas havidas há mais de um mês, o que é tecnicamente questionável, para não dizer improvável.

O resultado é o desgaste, político e moral, que tem gerado enormes preocupações dentro do PT. Figuras de alto coturno do partido questionam a candidatura de Dilma, que, antes mesmo da polêmica, já não entusiasmava. Dilma, na verdade, foi (e é) uma invenção pessoal de Lula. Não seria jamais cogitada espontaneamente pelo partido, por não reunir as condições básicas para tal. Antes de mais nada, não se trata de uma petista histórica. Dilma é egressa do PDT, não tem perfil político e é vista tão-somente como uma técnica, sem carisma e sem simpatia pessoal. Com toda a exposição pública que ganhou por meio de Lula, comparecendo há meses a todos os lançamentos do PAC em todo o país, não conseguiu aproximar-se nas pesquisas do governador de São Paulo, José Serra, que ainda não se lançou candidato, nem se expôs em viagens nacionais.
Como se não bastasse, expôs-se, ao longo do tempo, a sucessivos desgastes, como o episódio do dossiê contra o ex-presidente Fernando Henrique e sua mulher, dona Ruth Cardoso, e o caso da incorreção de seu currículo, que a dava indevidamente como mestra e doutora em economia. Para agravar o quadro, a senadora Marina Silva deixou o partido e será candidata pelo PV, o que ameaça o principal ativo eleitoral de Dilma: sua condição feminina. Nesse quesito, Marina Silva apresenta trunfos mais sedutores: uma biografia rica, semelhante à de Lula, acrescida de ingredientes mais glamourosos, como o de ser negra, ter superado já adulta a condição de analfabeta e de não portar mácula em sua trajetória política.

Lula, mesmo assim, ainda aposta na sua ministra. Entende que a fervura política a que se expôs é passageira, circunscreve-se a um público limitado e em breve estará superada. Por isso mesmo, decidiu que a deve manter à distância do burburinho, em quarentena. E é como está. A oposição, porém, não pensa em largar o caso. Quer levá-lo às últimas conseqüências, insistindo em que o Planalto, tendo em vista os termos do contrato com a empresa responsável pelo registro de imagens de visitantes – que prevê guarda de seis meses dos registros e posterior backup -, forneça as informações que nega possuir. Pode não dar em nada (e não dará), mas prorroga a exposição do caso. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o sucessor de Lina na Receita, Otacílio Cartaxo, com declarações desastradas, auxiliam nessa estratégia. Não há dúvida de que o caso chegará aos palanques da campanha do ano que vem, se Dilma for mesmo a candidata. Embora não haja outro nome disponível, nem Lula dê sinais de que recuará, já há dúvidas. O PT vive o paradoxo de possuir um presidente popularíssimo, num governo com alto índice de aprovação, sem um nome capaz de capitalizar esse patrimônio eleitoral. O balanço a que a candidatura Dilma está submetido embute a discussão em torno de nomes alternativos. Pretendentes a substituí-la, não faltam. Falta, sim, um nome consistente, capaz de agradar a Lula, ao alto comando do partido e, sobretudo, ao eleitor. Lula, que precipitou a campanha ao lançar Dilma antes mesmo que a legislação eleitoral o autorizasse, vê-se forçado pelos fatos a perder a pressa.

O processo, porém, não recua. Serra, esta semana, pela primeira vez, admitiu formalmente que é candidato, enquanto Ciro Gomes e Marina Silva já falam nessa condição.

Ruy Fabiano é jornalista
Deu no Blog do Noblat http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

Gripe suína ultrapassa gripe comum em número de novos casos no mundo


O vírus H1N1, causador da gripe suína, que causou cerca de 2.200 mortes em 177 países, tornou-se o vírus da gripe dominante no mundo, superando o da gripe sazonal (comum), anunciou nesta sexta-feira a OMS (Organização Mundial de Saúde). Nos diferentes lugares nos quais se propagou ficou "comprovado que o vírus pandêmico H1N1 se instalou rapidamente e se converteu na cepa de gripe dominante em grande parte do mundo", explicou a OMS em um comunicado. Até agora, a organização considerava "provável" um domínio do H1N1 a partir do próximo inverno no hemisfério Norte. Segundo os dados publicados pela OMS nesta sexta-feira, a primeira pandemia do século 21 causou a morte de "pelo menos 2.185 pessoas" e 209.438 enfermos em mais de 177 países. A OMS destaca a capacidade de propagação do vírus que terá uma segunda onda atingindo o hemisfério Norte, com a chegada de uma estação mais fria. Entre as boas notícias, nota que as redes de laboratórios que acompanham o vírus não constataram mutação para uma "forma mais virulenta ou mortal".

Além disso, assinala que "uma enorme maioria dos doentes vêm sendo contaminada por uma forma mais benigna da doença". A OMS previne que em relação à rapidez de propagação, um "grande número de pessoas em todos os países são suscetíveis de contrair" esta gripe, o que poderá ter consequências mais significativas que as observadas durante a primeira onda da doença, na primavera (Hemisfério Norte). Um dos problemas antecipados pela organização é uma sobrecarga nos serviços de saúde, devido a casos graves. Entre estes últimos, uma proporção importante diz respeito a jovens e a pessoas com boa saúde, o que difere da gripe sazonal. A OMS destacou que em algumas cidades do Hemisfério Sul, 15% das pessoas hospitalizadas tiveram necessidade de receber cuidados intensivos.

Salvar a vida das pessoas gravemente atingidas "dependerá da grande qualidade dos serviços de cuidados intensivos" que serão confrontados a permanências mais longas e caras, explica a organização, lembrando que as pessoas que apresentam mais risco são aquelas com baixa imunidade. As mulheres grávidas estão no topo da lista, o mesmo acontecendo com os que apresentem riscos cardiovasculares, asma, diabete ou que sejam obesas. Atualmente, a pandemia parece diminuir na maioria dos países do hemisfério Sul (Chile, Argentina, Nova Zelândia e Austrália), o que não é o caso em nações situadas em regiões tropicais (Ásia e América Central), onde a propagação permanece em "nível elevado". No hemisfério Norte, a propagação da gripe H1N1 "permanece globalmente fraca" com exceção do Japão.

Segundo o relatório, o oseltamivir, princípio ativo do antiviral Tamiflu, continua sendo eficiente contra o vírus, com exceções apenas em casos esporádicos.

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e nas articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal. Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e deram resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos).

Fonte: Folha Online

Família Blog do Crato - Uma História de 4 anos de Sucesso !

Blog do Crato:

- Mais de 29.000 visitas ao mês;
- Mais de 80 Autores renomados
- 7.000 artigos escritos por intelectuais selecionados.
- Centenas de Fotografias da cidade e da região

- Dezenas de vídeos, entrevistas, reportagens, utilidade pública.
- TV Chapada do Araripe - Inúmeras entrevistas
- Rádio Chapada do Araripe
- O maior conteúdo do Crato na internet.
- 4 Anos de Sucesso!

Galeria de alguns dos Escritores do Blog do Crato:









da esquerda para a direita: Leopoldo Martins, George Macário e Luiz Wellington


galeria



Clique para Ampliar !























Acima à esquerda: Mário. Antonio Morais à direita.

Parabéns a toda a família Blog do Crato. Dia 31 de Agosto é o Dia do Blog !

Blog do Crato - O maior acervo do Crato na Internet

Ministério da Saúde autoriza cinco centros a fazer retirada e transplante de órgãos

Brasília - O Ministério da Saúde autorizou o credenciamento de cinco centros especializados em transplante nos estados de São Paulo, do Paraná, de Santa Catarina e do Acre. A medida foi publicada no Diário Oficial da União de ontem (28). Em São Paulo, o Hospital do Servidor Público Estadual foi autorizado a realizar a retirada e o transplante de pele. Já o Hospital Brigadeiro fará os mesmos procedimentos com a especialização em rins. A Fundação Hospital Estadual do Acre e o Instituto da Visão Assad Rayes, em Florianópolis, foram autorizados a realizar transplante de córneas. O Hospital São José de Palmas, no Paraná, começa a realizar busca ativa e retirada de múltiplos órgãos e tecidos. Com isso, equipes capacitadas identificarão, na unidade de saúde, potenciais doadores e buscarão autorização dos familiares para o procedimento.

De acordo com o ministério, São Paulo é o estado com o maior número de transplantes no Brasil, seguido de Minas Gerais e do Paraná. Em 2008, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 18.989 transplantes de diversas modalidades no país.

Fonte: Agência Brasil

A questão da Corrupção

Últimamente tenho acompanhado muitas críticas aos governantes, relacionadas principalmente a corrupção. Será que estes que tanto criticam têm moral, e um passado limpo para tais críticas ?
Por - Marcos Damasceno
A palavra corrupção deriva do latim corruptus que, numa primeira acepção, significa quebrado em pedaços e numa segunda acepção, apodrecido, pútrido. Por conseguinte, o verbo corromper significa tornar pútrido, podre. No Brasil existem pessoas honestas, mas há também pessoas (um número muito maior) sem ética e sem respeito pelo próximo e pela Pátria. Que só pensam em si mesmas. Neste caso, o egocentrismo (egoísmo) e o individualismo andam lado a lado. Existe um sistema de corrupção tão forte, que a falta de cumprimentos de leis e de valores morais estão exterminando os valores éticos brasileiros. É um problema de colonização, que em algumas regiões se deu pela via da emancipação e em outras pela via da exploração. Toda essa complexidade traz uma herança boa e outra ruim, moralmente falando. Dessa formação social surgiu também a formação moral de cada povo.

Devido às mudanças e circunstâncias comuns à vida coletiva, o surgimento de uma autoridade deveria ser natural. Seria um líder sem qualquer direito superior aos demais, porém não deixava de ser uma autoridade, onde sua opinião definiria o destino do grupo. Eram várias as situações em que se viu a necessidade de um líder. A partir do momento em que se formalizou a organização da sociedade, surgiram as normas, sejam estas codificadas ou não. Com a organização da sociedade, surgiu a relação representante/representado. Isso pra todas as instituições, todas as agremiações. Automaticamente surgiu também o poder. O poder de representar. Podemos observar isso em todas as sociedades humanas, as civilizadas e as selvagens, apresentam-se já organizadas, com um poder representativo permanente, ainda que rudimentar. Desde a antiguidade, o homem já tinha em mente a necessidade da sociedade submeter a um poder. Sob essa ótica, os homens públicos, sábios da época, asseguravam que a sociedade para sua integridade moral e para a ordem social necessitava das normas de um poder advindo de um líder, de um regime. Com isso, veio o verdadeiro sentido do poder: não a submissão de uns homens a outros, mais sim, o de todos os homens às normas de um poder ou de um regime. A formação do poder surgiria de um contrato entre os homens. Porém, a relação representante/representado vai mais longe, também são representados os defeitos e as qualidades de cada parte. As mentalidades, as visões, os anseios, as demandas. Progressistas e não progressistas (reflexo do atraso). O representante tem o perfil do representado, e vice-versa. A regra é esta. Dificilmente foge disso.

Outro fato relevante foi a influência, tradicionalmente, do poder econômico na escolha do representante. O capital intelectual muitas vezes é desprezado, prevalecendo o capital financeiro. Isso caracteriza uma “democracia monetária”. Porém, nos últimos anos vimos muitos de casos em que a formação social do poder se deu de maneira social/intelectual. No entanto, ainda são casos isolados. A representatividade precisa, em regra, ser melhorada, o homem precisa rever seus conceitos, a sociedade necessita de uma nova arrumação social. Não é novidade para ninguém ver o poder econômico influir nas escolhas representativas. É a pura realidade dos fatos. É a definição realística da situação. Segundo Rodrigo Rocha Loures, Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, ‘a questão da corrupção no Brasil é algo que tem suas bases no período colonial, tempo em tudo era das famílias ou da burocracia estatal. Um problema advindo da nossa colonização. É uma decorrência trágica, mas natural, desse traço cultural’. Implica dizer que, a corrupção está no nosso ‘DNA’, às vezes “recessivo”, às vezes “dominante”. O fato é que o nosso sistema sócio-cultural é corruptor. Vale salientar que, a corrupção nos representantes é fruto da corrupção na sociedade (representados). Existe muita hipocrisia nisso. Existem muitas pessoas corruptas exigindo honestidade, ética e decência; muitos representados corruptos exigindo representantes honestos, éticos e decentes. Constantemente pratica-se a corrupção financeira, moral, religiosa etc. Quer um exemplo bem comum? Alguns quando estão numa agência bancária querem cortar a fila. Isso é corrupção. E depois querem condenar a corrupção. Os mesmos que praticam a corrupção, corrompem, são os que exigem (com muito moralismo) a ética, a decência e a honestidade. Aí é onde mora a hipocrisia. Tenho em mente que se existe um corrupto, existe também um corruptor. Luis Fernando Veríssimo, disse ironicamente: “Brasil: esse estranho país de corruptos sem corruptores”. Enfim, a representação é o espelho dos representados. No julgamento de Jesus Cristo por Pilatos, o povo foi consultado: “Jesus ou Barrabás?” E o povo escolheu Barrabás para ser absolvido e Jesus Cristo para ser condenado. E o arrependimento é histórico. É o povo e suas escolhas. No processo de escolha sempre tem representantes éticos, decentes e honestos. E muitas vezes, são escolhidos, pelos representados, representantes corruptos.

Não quero, portanto, dizer que a culpa toda é do representado que escolhe. Mas a maior parcela é da sua responsabilidade. Em regra, a sociedade aceita, e de certa forma até convalida com a situação. Assistir à corrupção faz com que o cidadão passe a descrer da capacidade da Legislação do nosso País de coibir erros. Daí, quem age certo começa a se questionar se vale a pena andar dentro da Lei. Muitos mesmo com as mãos sujas da corrupção, ainda querem negar ou jogar a culpa para os outros. Vejamos um exemplo: aquele bandido de rua (como é conhecido) quando é abordado pela polícia, pego no flagrante, ao cometer um assalto diz: “Rapaz não sei de nada não. Eu tava bem aqui assim. Eu ando com minha mãe, oh doido... Eu nem gosto de sair de casa!”. Isso só ocorre pela brecha da impunidade. Nossa Legislação é subjetiva e frouxa. A corrupção existe no mundo todo. A impunidade que é algo nosso e o grande agravante. A sociedade está corrompida, mas o maior corruptor é a ideologia vigente. Efetivamente isso se deve àquelas imperfeições inerentes aos seres humanos. Ideais de justiça, igualdade e liberdade são sempre esquecidos quando está em jogo privilégios e manutenção (ou detenção) de poder.

Outro inibidor que pode ser adotado, como regra, para redução e/ou combate da má representatividade é a avaliação da procedência daqueles que desejam o pôster de representante pela Justiça. Um “nada consta”. Puxar a ficha de todos seus atos. E adotar-se regras rígidas quanto a isso. Igualmente quando vamos fazer um crediário, em que nossa ficha (procedência comercial) é vistoriada. Ou vamos adquirir um automóvel, em que a sua ficha documental é vistoriada. Dependendo da procedência (se boa ou ruim), o postulante ao cargo de representante deveria ter o direito de representar assegurado ou negado, dependendo da sua ficha (procedência judicial). Isso pelo senso comum dos bons costumes e da integridade físico-moral da sociedade.

Na nossa região (Região Nordeste) a sociedade era representativamente desorganizada, sem poder de força, de mobilização. Tínhamos um sistema representativo machista (não tinha espaço para a mulher), personalista (não tinha espaço para o jovem) e capitalista (cooptação de forças e corrupção do processo de escolha dos representantes através do capital financeiro). E ainda existia uma resistência ao novo, à mudança. Mas esta realidade está mudando. Estão surgindo outros valores culturais, conceitos morais, princípios éticos, outras normas comportamentais, frutos da socialização de informações, das tecnologias, da consolidação de sistemas democráticos, da estrutura midiática moderna que adota uma agenda positiva. Vejamos o exemplo do Portal SRN. Vivemos na atualidade a liberdade e a prosperidade. Temos nossos direitos societários garantidos pelo menos no papel. O problema foi reconhecido. Várias campanhas de conscientização. Uma sociedade mais organizada em classes, mais esclarecida e mais ativa. Enfim, uma série de fatores que contribuíram para a redução da interferência e influência do poder econômico no poder representativo. Houve avanço, no entanto, há muito que melhorar.

Para Tizuka Yamasaki, consultora espiritual, ‘o que diferencia uma pessoa de outra é o seu imaginário, a interpretação que dá aos fatos da vida’. Para tanto, está faltando consciência, e sobrando paciência. E consciência só adquire através de um processo conscientizador contínuo. O debate não foi feito ainda na dimensão ideal. Não temos tempo a perder. É hora de mudar. Mas mudar com responsabilidade. Mudar em cima do que pode dar certo. É possível transformar a nossa sociedade. É possível mudar esta realidade. Está na Bíblia, em Romanos 12.1-2: “Transformai-vos pela renovação da vossa mente”. Conclui-se, porém, que a mudança de perfil da relação representante/representado, para aqueles que condenam a corrupção, só ocorrerá com a mudança de atitude. Agindo de forma honesta e legal. Para exigirmos a parcela de responsabilidade dos outros, temos que, primeiro, cumprir a nossa. Penso assim. Senão, vai continuar a demagogia, o cinismo e o maquiavelismo ainda existentes. A mudança social só será possível com a mudança pessoal de cada pessoa. Lanço o bordão: “Somos o que escolhemos”. E isso tem conseqüências, dependendo da escolha do representante pelo representado. Boas e ruins. Já dizia um pensador: “As escolhas que fazemos ditam a vida que levamos”. É preciso almejar novos caminhos. Sem palavrório falso, sem discursos inconsistentes e sem idealismo vazio. Tenho a certeza de que ainda existe espaço para a esperança e o otimismo em nosso meio social.

Camaradas realizarão intervenções na Paraíba - Por: Alexandre Lucas


O XXIV ENECS pretende se reafirmar como espaço de reflexão de estudantes acerca dos problemas e questões que emergem da pauta política, social e cultural e deverá reunir mais de mil estudantes de todos os estados brasileiros.

Integrantes do Coletivo Camaradas realizarão intervenções artísticas durante o XXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Ciências Sociais - ENECS que será realizado na Universidade Federal da Paraíba – UFPB, em João Pessoa, no período de 29 de agosto a 04 de setembro.
Michael Marques, Cicinha Andrade, Dayze Carla e Amanda Priscila, integrantes do Coletivo e acadêmicos do Curso de Ciências Sociais da URCA são os responsáveis pela ação na capital paraibana e realizarão intervenções que discutem o uso comercial das imagens do Padre Cícero e da Mulher, carimbaço divulgando a suposta realização da bienal da União Nacional dos Estudantes no Ceará em 2011, a qual um dos desafios dos artistas e estudantes que vem batalhando para que esse evento seja realizada pela primeira vez no Estado cearense.
A artista Amanda Priscila será responsável pela realização de uma oficina de stencil, dentro da programação oficial do evento.
O poeta Michael Marques destaca que a participação do Coletivo Camaradas, na fomentação de uma ação engajada e com perspectivas de mudanças sociais vem fortalece a identidade de atuação do grupo. Ele acrescenta que o ENECS é um dos mais importantes eventos acadêmicos do Brasil, por se tratar da construção de novos pensadores sobre a sociedade e futuros Sociólogos.

Para se ter idéia da dimensão do evento a Comissão Organizadora apresenta uma proposta de programação que incluem 112 (cento e doze) atividades do eixo acadêmico (Grupos de Trabalhos, Mesas-Redondas, Palestras, Mini-Cursos), 11 (onze) atividades do eixo político (Grupos de Discussões, Oficinas de Preparação do Ato Público, o Ato Público, Plenária Final) e 40 (quarenta) atividades do eixo artístico-cultural (Oficinas, Shows Musicais, Apresentações de Teatro e Dança, Mostra de Vídeos/Filmes, Artesanatos e entre outros) durante os sete dias de evento.

Postado por Alexandre Lucas

Governo aumenta capital social do BNDES para R$ 20,2 bilhões


Brasília - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) conta, a partir de agora, com capital social de R$ 20,279 bilhões, de acordo com o Decreto Presidencial 6.951, publicado no Diário Oficial da União de ontem (28). O aumento, de R$ 4,4 bilhões, será efetivado por transferências de ações da União nas empresas Vale, Eletrobrás, Petrobras, Tractebel, Embraer, Oi/Telemar e Braskem, tão logo o Conselho de Administração e o Conselho Fiscal do banco se pronunciem a respeito. O decreto autoriza o resgate de cotas do Fundo Garantidor de Parcerias Público Privadas (FGP), mediante a retirada de ações das empresas nas quais a União tem participação minoritária. O valor das ações a serem transferidas será calculado pela média ponderada de suas cotações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) relativamente aos pregões realizados ente os dias 1º e 21 deste mês.

É a segunda vez em apenas dez dias que o governo promove aumento de capital social no BNDES. No último dia 18, o capital do banco havia sido elevado para R$ 15,879 bilhões.

Fonte: Agência Brasil

STF nega a Reabertura de ações contra Sarney


NE - Ninguém mexe no Sarney !


O ministro Eros Grau, do STF (Supremo Tribunal Federal), negou no fim da noite desta sexta-feira, a reabertura dos processos que envolvem o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A decisão do ministro do STF para o mandado de segurança (MS/28213) impetrado por um grupo de sete senadores é em caráter liminar (provisório). O julgamento definitivo do caso ocorrerá em data ainda não definida. O teor da decisão não foi divulgado pelo Supremo. O relator do caso é o ministro Joaquim Barbosa, que não analisou o pedido por estar de licença médica desde o último dia 10. A previsão é que Barbosa retome suas atividades no Supremo na próxima semana.


Fonte: UOL

Cariri - Romaria da Mãe das Dores espera 400 mil fiéis - Reportagem: Elizângela Santos


A procissão de nossa Senhora das Dores reúne, todos os anos, milhares de peregrinos que vão à Juazeiro do Norte em busca de conforto ou para pagar promessas (Foto: Thiago Gaspar). OS DETALHES PARA os serviços que serão operados na Romaria de N. Sera. das Dores foram fechados nesta semana.

A festa de amanhã abre o calendário do semestre das grandes romarias no município de Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte. Será aberta com uma carreata saindo da Matriz pelas principais ruas deste município, amanhã, a Romaria da Mãe das Dores. São mais de 15 dias de festa, atraindo uma multidão romeira de várias partes do Nordeste. A expectativa da Igreja é reunir cerca de 400 mil fiéis durante os 15 dias de festas em Juazeiro. O município e a Igreja se preparam para receber os peregrinos da fé. A festa da padroeira de Juazeiro, Nossa Senhora das Dores, abre o calendário do semestre das grandes romarias no município. A carreata terá início às 8 horas do domingo. No fim da tarde, outro ritual de abertura segue, com a saída da Procissão da Bandeira e da imagem da residência de Geraldo Propício Rodrigues, Francisca Maria de Lima Rodrigues (Dona Moça) e Cícera Lúcia, às 17h30, do Horto, pela estrada velha, chegando no início da noite na Basílica de Nossa Senhora das Dores. As bandeiras de todos os estados nordestinos serão hasteadas às 18h30. Em seguida, será dado início aos noitários. Às 19 horas, uma missa presidida pelo administrador da Matriz, padre Paulo Lemos, abre a festa.

Paralela à programação, várias medidas estão sendo tomadas este ano no sentido de proporcionar maior organização às romarias. Em reuniões setorizadas, toda semana a Secretaria de Turismo e Romaria reúne segmentos para discutir os detalhes da festa. Na própria igreja, vários trabalhos estão sendo feitos, como a construção da capela do Santíssimo Sacramento e a ampliação da capela do Encontro, onde se encontra o túmulo do padre Murilo de Sá Barreto. Segundo o padre Paulo Lemos, a meta é que o trabalho seja concluído até as proximidades do início da festa, quando começa a chegar a maioria dos romeiros. Normalmente nos primeiros dias, até o dia 10 de setembro, não é tão grande a movimentação na cidade. Os visitantes, em grande parte, começam a chegar apenas próximo dia 15, dia da procissão.

Carreata

A tradicional concelebração do dia 20 último, em sufrágio da alma do Padre Cícero, atraiu cerca de 20 mil fiéis, que foram rezar e visitar o túmulo do sacerdote na Capela do Socorro. O presidente da liturgia, padre Paulo, lançou a programação oficial da Romaria de Setembro, chamando a atenção para a carreata em homenagem à Nossa Senhora das Dores. Até o dia 15 de setembro, haverá devocionário mariano, missas, pregações, noitários, procissões e diversas homenagens e shows religiosos. O tema para este ano será: "Mãe das Dores, Caminho de Paz e Justiça para Cristo" e a romaria faz alusões ao centenário de emancipação política da terra de Padre Cícero, Juazeiro do Norte. O padre Paulo lembra o chamamento do Padre Cícero para que "continuem a visitar o Juazeiro, em Romaria à Santíssima Virgem, como sempre fizeram". Também ressalta a importância do louvor à Maria e do lema da Campanha da Fraternidade "A Mãe das Dores é caminho de Paz e Justiça para Cristo".

Encerramento

A procissão de encerramento se realiza no dia 15, às 16 horas, com festas, orações, benditos e show pirotécnico. Ao meio-dia, acontece a despedida do romeiro na Basílica. O templo responsável pela origem de Juazeiro, a Basílica Menor de Nossa Senhora das Dores, está sendo preparada para receber os romeiros que virão participar da festa da Mãe das Dores. São muitas as novidades que aguardam os peregrinos a partir de uma nova capela que se destinará às adorações ao Santíssimo Sacramento. A Capela do Encontro ganha nova roupagem. A imagem de Pietá foi restaurada e transferida da base do marco da passagem do milênio, colocada no início da passarela construída na Praça dos Romeiros, para o centro da cúpula.

PEREGRINAÇÃO

Que vocês continuem a visitar o Juazeiro, em Romaria à Santíssima Virgem"
Padre Paulo Lemos
Administrador da Matriz

FESTA

15 dias de festa, devoção e fé na Romaria de Nossa Senhora das Dores, em Juazeiro do Norte, que reúne uma multidão de várias partes do Nordeste

Mais informações
Secretaria de Paróquia
Rua Padre Cícero, 147
Centro, Juazeiro do Norte
(88) 3511.2202

OPERAÇÃO ROMEIRO

Medidas para atender os peregrinos preocupação

Juazeiro do Norte.
Os serviços destinados ao atendimento e recepção do romeiro neste município foram fechados durante esta semana, com a Operação Romeiro, para a festa da Mãe das Dores, de 30 a 15 de setembro. Uma reunião foi realizada na quarta-feira passada para acertar os últimos detalhes. As principais mudanças neste semestre das grandes romarias que se iniciam é a desobstrução das ruas São Pedro e Avenida Padre Cícero, com a retirada dos vendedores das calçadas da Praça dos Romeiros. Os barraqueiros já estão se instalando após a cúpula da Basílica de Nossa Senhora das Dores.

Este ano, haverá áreas destinadas apenas às barracas que comercializam comida, que serão pintadas de branco. As que vendem bebidas alcoólicas estarão funcionando até a meia-noite. Sete barracas ao lado do posto da Rua Padre Cícero estão autorizadas a vender o produto. Durante as celebrações da padroeira de Juazeiro ficará proibido o uso de carros de som no entorno da Basílica.

Uma melhor estrutura para as barracas também está sendo exigida, além da cobrança de alvarás de funcionamento. Pela primeira vez, o município vai taxar os barraqueiros e a receita será utilizada nos gastos com a higienização do local. Os valores se situam entre R$ 150 e R$ 294, dependendo da localização, e serão pagos em três parcelas: 5 de setembro, 10 de outubro e 10 de novembro.

Segundo presidente da Comissão Permanente, Cláudio Luz, o valor será utilizado na melhoria dos espaços. Nos locais, está sendo proibido o uso de papelão ou plástico. Na manhã desta quinta-feira, cerca de 60 dos pouco mais de 100 barraqueiros que vendem alimentos participaram de uma reunião no Círculo Operário São José. O secretário de Turismo e Romarias, José Carlos dos Santos, presidiu o encontro que orientou sobre higiene, cuidados com a gripe A e quanto a alimentação a ser vendida. Tudo em nome da organização e da saúde dos romeiros, não mais se tratando sobre a questão da localização.

Um dos sérios problemas de saúde dos romeiros está relacionado à alimentação comercializada em Juazeiro. Segundo o secretário de Saúde, Giovani Sampaio, uma média de 400 peregrinos são examinados ou internados com problemas digestivos decorrentes de alimentos consumidos em Juazeiro, nas festas. Há perspectiva, por meio da Secretaria de Ação Social, de fornecimento de mais mil refeições, além das mil servidas no Restaurante Popular, incluindo fins de semana.

Outro aspecto é o fortalecimento da segurança, em que poderão atuar mais de 250 homens, espalhados pelo principais pontos de aglomeração e visitação dos fiéis. Juazeiro deverá receber, principalmente nos últimos quatro dias da festa da Mãe das Dores, cerca de 400 mil pessoas. Este ano, a romaria contará com o Ronda do Quarteirão, instalado em Juazeiro. A Secretaria de Segurança Pública do município irá solicitar do Estado a possibilidade de realizar os boletins de ocorrência na viatura móvel que permanecerá na Praça dos Romeiros.

Barreiras para informar sobre as mudanças dos locais e como os barraqueiros devem se instalar na cidade serão feitas nas entradas de Juazeiro do Norte, vindo de Crato e Barbalha. Também serão feitos trabalhados relacionados à segurança e à saúde, com informações sobre a gripe A.

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaboradora do Jornal Chapada do Araripe

Previsão do Tempo e Almanaque - 29 de Agosto de 2009

Bom Sábado, dia 29 de Agosto de 2009 para todos os nossos amigos e amigas leitores do Blog do Crato. A previsão do tempo segundo os sites de meteorologia para hoje é de dia de sol com algumas núvens e não chove, apesar das grandes chuvas que têm caído no sertão central do Ceará. Confira:


ALMANAQUE


No dia 29 de agosto, a Igreja Católica comemora o Dia de Santa Joana Maria da Cruz

Joana nasceu numa aldeia de Cancale, França, em 25 de outubro de 1792. Seu pai era um pescador e morreu no mar quando ela tinha quatro anos. Logo conheceu a pobreza e começou a trabalhar como empregada num castelo. Sustentava a família enquanto ajudava os idosos abandonados e pobres. Joana era sensível à miséria dos idosos que encontrava nas ruas, dividindo com eles seu salário, o pão e o tempo de que dispunha. Aos dezoito anos de idade, recusou uma proposta matrimonial de um jovem marinheiro, sinalizando: "Deus me quer para ele". Aos vinte e cinco anos, deixou sua cidade para ser enfermeira no hospital Santo Estêvão. Nesse meio tempo, ingressou na Ordem Terceira fundada por são João Eudes.

Deixou o hospital em 1823 e foi residir e acompanhar a senhorita Lecoq, mais como amiga do que enfermeira, com quem ficou por doze anos. Com a morte da senhorita Lecoq, herdou suas poucas economias e a mobília. Assim, sozinha, associou-se à amiga Francisca Aubert e alugaram um apartamento, em 1839. Lá acolheu a primeira idosa, pobre, doente, sozinha, cega e paralítica. Depois dessa, seguiram-se muitas mais. Outras companheiras de Joana uniram-se a ela na missão e surgiu o primeiro grupo, formando uma associação para os pobres, sob a condução do vigário do hospital Santo Estêvão. Em 1841, deixam o apartamento e alugam uma pequena casa que lhes permite acolher doze idosos doentes e abandonados. Sozinha, Joana inicia sua campanha junto à população para recolher auxílios, tarefa que cumprirá até a morte. Mas logo sensibiliza uma rica comerciante e com essa ajuda consegue comprar um antigo convento. Ele se tornou a Casa-mãe da nascente Congregação das Irmãzinhas dos Pobres, sob a assistência da Ordem Hospedeira de São João de Deus, hábito que depois recebeu, tomando o nome de Joana Maria da Cruz. Adotando o voto de hospitalidade, imprimiu seu próprio carisma: "A doação como apostolado de caridade para com quem sofre por causa da idade, da pobreza, da solidão e outras dificuldades". Assim foi o humilde começo da Congregação, que rapidamente se estendeu por vários países da Europa. Quando Joana morreu na França, em 29 de agosto de 1879, na Casa-mãe de Pern, as irmãzinhas eram quase duas mil e quinhentas, com cento e setenta e sete casas em dez países.

Em setembro de 1885, estabeleceram-se na América do Sul, fundando a primeira Casa na cidade de Valparaíso, no Chile, a qual logo foi destruída por um terremoto e reconstruída em Viña del Mar. Atualizando-se às necessidades temporais, hoje são quase duzentas casas em trinta e um países na Europa, América, África, Ásia e Oceania. Uma obra fruto da visão da fundadora, Joana Jugan, madre Joana Maria da Cruz, que "soube intuir as necessidades mais profundas dos anciãos e entregou sua vida a seu serviço", para ser festejada no dia de sua morte, como disse o papa João Paulo II quando a beatificou em 1982.

Nasceram nesta Data:

* 1632 - John Locke, filósofo (m. 1704)
* 1730 - Mestre Aleijadinho, escultor, entalhador, desenhista e arquiteto brasileiro (m. 1814).
* 1831 - Bezerra de Menezes, médico, escritor, político e dirigente espírita brasileiro (m. 1900).
* 1836 - Pereira Passos, prefeito da cidade do Rio de Janeiro. (m. 1913).
* 1844 - Apolinário Porto-Alegre, escritor e poeta brasileiro.
* 1845 - D. Manuel Gaspar de Almeida Noronha Portugal Camões Albuquerque Moniz, 9º Marquês de Angeja.
* 1915 - Ingrid Bergman, atriz sueca (m. 1982).
* 1920 - Charlie Parker, músico norte-americano (m. 1955).
* 1923 - Richard Attenborough, diretor de cinema britânico.
* 1926 - Fada Santoro, atriz brasileira.
* 1935 - Willian Friedkin, cineasta norte-americano.
* 1936 - John McCain, político norte-americano.
* 1943 - Edu Lobo, músico brasileiro.
* 1947 - James Hunt, piloto britânico de F-1, campeão em 1976 (m. 1993).
* 1954 - Wladimir, ex-futebolista brasileiro.
* 1958
o Michael Jackson, cantor e compositor norte-americano (m. 2009).
o Juninho Fonseca, ex-futebolista e treinador de futebol brasileiro.
* 1959
o Rebecca de Mornay, atriz estadunidense.
o Ramón Ángel Díaz, ex-futebolista argentino.
* 1961 - Cássio Gabus Mendes, ator brasileiro.
* 1962 - Jutta Kleinschmidt, piloto alemã de ralis.
* 1970 - Alessandra Negrini, atriz brasileira.
* 1971
o Carla Gugino, atriz norte-americana.
o Marco Sandy, ex-futebolista boliviano.
* 1972 - Radek Bejbl, futebolista tcheco.
* 1973 - Olivier Jacque, piloto francês de motociclismo.
* 1974
o Kenneth Perez, futebolista dinamarquês.
o Marco d'Almeida, ator português.
o Denis Caniza, futebolista paraguaio.
o Nicola Amoruso, futebolista italiano.
* 1976
o Stephen Carr, futebolista irlandês.
o Pablo Mastroeni, futebolista dos Estados Unidos.
o Jon Dahl Tomasson, futebolista dinamarquês.
o Luana Piovani, modelo e atriz brasileira.
* 1977 - Manuel Belleri, futebolista italiano.
* 1978 - Celestine Babayaro, futebolista nigeriano.
* 1980
o David Desrosiers, baixista da banda canadense Simple Plan.
o Axel Temataua, futebolista taitiano.
o Nicolas Marin, futebolista francês.
o Corina Ungureanu, ginasta romena.
* 1982 - Vincent Enyeama, goleiro nigeriano.
* 1984
o Gilles Augustin Binya, futebolista camaronês.
o Christian Lell, futebolista alemão.
* 1992 - Mallu Magalhães, cantora brasileira.

Faleceram nesta Data:

* 1533 - Atahualpa, último soberano Inca de facto do Peru
* 1661 - Louis Couperin, cravista, organista e gambista. Um dos fundadores da escola francesa do cravo (n. 1626(?)).
* 1780 - Jacques-Germain Soufflot, arquitecto, pioneiro do neoclassicismo
* 1878 - Francisco Adolfo de Varnhagen, historiador e diplomata brasileiro (n. 1816).
* 1975 - Éamon de Valera, 1º Taoiseach e 3º presidente da República da Irlanda (n.1882)
* 1982 - Ingrid Bergman, atriz sueca (n. 1915)
* 2008 - Alcir Portella, futebolista brasileiro

Feriados e eventos cíclicos

* Brasil: Dia Nacional de Combate ao Fumo
* Brasil: Dia da Visibilidade Lésbica
* Mitologia egípcia: Dia Hathor, deusa do amor e da música
* Jaguaretama, Ceará: Dia do município
* Leme, São Paulo: Dia do Município
* Martírio de São João Baptista


HOJE NA HISTÓRIA

Em 1920, nascia um homem que revolucionaria a história da Música: O Saxofonista Charlie Parker ( Bird ).

Para nós que amamos a música, o dia de hoje é um dia especial. É o dia do nascimento de um dos maiores gênios da música moderna. Um desses homens que revolucionaram a história da música. Um homem que morreu novo, aos 34 anos, e que como outro gênio Mozart, produziu muito. Seu nome era Charlie Parker e essa é sua Biografia:

Charles Parker, Jr. (29 de agosto de 1920 – 12 de março de 1955) foi um saxofonista americano de jazz e compositor. No início da sua carreira Parker foi apelidado de Yardbird; esse apelido mais tarde foi encurtado para Bird e permaneceu como o apelido de Parker para o resto da sua vida.

Biografia

Parker é comumente considerado um dos melhores músicos de jazz. Em termos de influência e impacto, sua contribuição foi tão significativa que Charles Mingus comentou que se Bird fosse vivo hoje, ele poderia pensar que estava vivendo em uma parede de espelhos. O talento de Bird é comparado, quase sem argumentos, com músicos lendários tais como Louis Armstrong e Duke Ellington. Sua reputação como um dos melhores saxofonistas é tal que alguns críticos dizem que ele é insuperável; o crítico de jazz Scott Yanow fala por muitos fãs do jazz e músicos, quando sugere que "Parker foi indubitavelmente o melhor saxofonista de todos os tempos." Figura fundadora do bebop, a forma inovadora de Parker para melodia, ritmo e harmonia tem exercido uma incalculável influência no jazz. Varias canções de Parker tornaram-se standards do repertório do jazz, e inúmeros músicos têm estudado a música de Parker e absorvido elementos do seu estilo.

Parker tornou-se um ícone para a geração do Beat, e foi uma figura-chave no desenvolvimento conceptivo do jazz como um artista descompromissado e intelectual, ao invés de apenas um entretenedor popular. Por várias vezes, Parker fundiu o jazz com outros estilos musicais, do clássico (buscando estudar com Edgard Varese e Stefan Wolpe) à música latina (gravando com Machito), abrindo um caminho seguido mais tarde por outros. Consumido pelo álcool e pelas drogas, Parker teve uma existência breve e trágica, que inspirou criadores como o escritor argentino Julio Cortázar (que se inspirou nele para delinear o personagem central do conto "O Perseguidor") e o cineasta Clint Eastwood (que recebeu seu primeiro Globo de Ouro com o filme "Bird", de 1988, estrelado por Forest Whitaker, o qual, por sua vez, levou o prêmio de melhor ator no Festival de Cannes graças a este trabalho).

A biografia de Parker contabilizou duas tentativas de suicídio e uma longa internação em um sanatório, antes de chegar ao fim, aos 34 anos -o estrago causado em seu corpo pela vida desregrada era tão grande que o legista atribuiu ao morto a idade de 53 anos.

Estilo

Com absoluto domínio técnico de seu instrumento, Parker era um virtuose consumado, que conseguia combinar a mais complexa organização harmônica, rítmica e melódica com uma clareza muito rara de encontrar em instrumentistas anteriores ou posteriores à sua atuação. Para Parker, improvisar não era simplesmente tomar uma melodia original e construir variações sobre ela. Quando o saxofonista pegava um tema qualquer como base para criar, o que o interessava não era a melodia, e sim a harmonia. Era o esqueleto harmônico do tema original que ele utilizava como ponto de partida e estímulo para suas digressões, nas quais uma mescla cativante de garra e fantasia constituía a regra. Foi assim que, no pós-guerra, ao lado do trompetista Dizzy Gillespie, Parker tornou-se um dos fundadores do bebop, o novo estilo sofisticado com o qual o jazz se tornaria definitivamente música "para ouvir", substituindo a música "para dançar" que havia sido a marca das big bands dos anos 40.

Fontes: Climatempo, Edições Paulinas, Wikipedia, Jazz at All, Enciclopedia da Música.

Pensamentos do Dia



"A gente não faz amigos, reconhece-os."

Vinícius de Moraes

"Quando o interesse diminui, com a memória ocorre o mesmo."

Johann Goethe

"O insucesso é apenas uma oportunidade para recomeçar de novo com mais inteligência."

Henry Ford

Foto: Piton de la Fournaise, Reunion Island.jpg

Antônio Francisco Lisboa - "O Aleijadinho" - Patrimônio da Humanidade !


Hoje, comemora-se a data de nascimento de um dos maiores artistas Brasileiros, Antonio Francisco Lisboa ( O Aleijadinho ). O Blog do Crato faz essa pequena homenagem, para que outros possam conhecer a vida e a obra deste gênio, cujo grande valor ainda está para ser reconhecido devidamente:

Muitas dúvidas cercam a vida de Antônio Francisco Lisboa. Praticamente todos os dados sobre sua vida são derivados de uma biografia escrita em 1858 pelo jurista Rodrigo José Ferreira Bretas, 44 anos após a morte do Aleijadinho, baseando-se em documentos e depoimentos de pessoas que conheceram o artista. O mais importante dos documentos em que se baseou Bretas foi uma Memória escrita em 1790 por um vereador da cidade de Mariana. Neste documento, cujo original se perdeu, é feito um amplo relatório acerca do estado das artes nas Minas Gerais, incluindo alguns dados sobre o Aleijadinho relacionados a sua formação artística e sua participação em algumas obras. A data de nascimento do Aleijadinho é motivo de controvérsia. De acordo com o biógrafo Bretas, Antônio Francisco nasceu no ano de 1730 em Vila Rica (atual Ouro Preto) na frequesia de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias, sendo filho de um afamado mestre-de-obras/arquiteto português, Manuel Francisco Lisboa, e sua escrava africana, Isabel (ou Izabel). O filho, nascido escravo, foi alforriado no batismo. A certidão de batismo encontrada por Bretas dá a data de 29 de agosto de 1730 para o nascimento de Antônio. As dúvidas derivam do fato de que o nome do pai que figura na certidão é Manuel Francisco da Costa, e não Lisboa, o que poderia ser devido a um erro do escrivão. Outra fonte de dúvidas é a certidão de óbito do Aleijadinho, datada de 18 de novembro de 1814, na qual consta que o artista faleceu aos 76 anos de idade. A confiar neste documento, ele deveria haver nascido em 1738.

Antônio Francisco não casou, mas teve um filho aos 47 anos, a quem chamou Manuel Francisco Lisboa, mesmo nome do avô. Teve também vários meio-irmãos, frutos do casamento do seu pai. Um destes meio-irmãos, padre Félix Antônio Lisboa, também foi escultor. Na descrição de Bretas, Antônio Francisco era "pardo escuro, tinha a voz forte, a fala arrebatada e o gênio agastado; a estatura era baixa, o corpo cheio e mal configurado, o rosto e a cabeça redondos, e esta volumosa; o cabelo preto e anelado, o da barba cerrado e basto; a testa larga, o nariz retangular e algum tanto pontiagudo, os beiços grossos, as orelhas grandes e o pescoço curto.".

Formação

Segundo Bretas, Antônio Francisco sabia ler e escrever e poderia haver estudado latim. Sobre sua formação artística, a Memória do vereador de Mariana indica que Antônio Francisco teria recebido lições de seu pai e do desenhista e pintor português João Gomes Batista. Também Antônio Francisco Pombal, irmão do pai do Aleijadinho e portanto seu tio, era um afamado escultor e poderia ter participado da educação do jovem Antônio. Os críticos também apontam os escultores portugueses Francisco Xavier de Brito e José Coelho de Noronha como possíveis influências. Com Coelho de Noronha o Aleijadinho trabalhou efetivamente no início de sua carreira, cerca de 1758, nas obras de talha da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Bom Sucesso, em Caeté.

Alguns acreditam que Antônio Francisco poderia haver viajado ao Rio de Janeiro – então capital da colônia – na década de 1770, cuja fervilhante atividade artística também poderia ter influenciado o artista. Não há, porém, provas documentais de tal viagem. Outras fontes para o seu estilo podem ser a arte gótica e renascentista, pois ele teria tido contato com gravuras florentinas do século XV, identificadas como modelos para as vestes dos profetas de Congonhas. Outros apontam uma possível inspiração para seus riscos arquitetônicos os desenhos de igrejas alemãs, e para suas esculturas modelos do Barroco europeu, especialmente o bávaro, divulgados através de gravuras. Note-se que em todo o Barroco mineiro, se desenvolvendo sob uma estrutura de ensino e produção de arte bastante precária e artesanal, essencialmente corporativa, a prática de aprendizado através do estudo de reproduções de grandes exemplares da arte européia foi um fenômeno de larga difusão entre os artistas, que nelas buscavam inspiração para seus próprios trabalhos.

Doença e morte


A partir de 1777, o artista começou a sofrer os sintomas de uma misteriosa doença que lhe causou deformidades no corpo e que lhe valeram a alcunha de "Aleijadinho". Bretas diz que Antônio sofria dores horríveis e que eventualmente perdeu os dedos dos pés e teve de andar de joelhos. Também terminou por perder os dentes e os dedos das mãos, e suas deformidades teriam feito com que trabalhasse escondido por tendas para que as pessoas não o observassem. Seu escravo Maurício seria o responsável por atar a suas mãos os cinzéis com os quais esculpia. Atualmente se debate que doença poderia ter causado esses problemas ao Aleijadinho, dividindo-se as opiniões entre sífilis, reumatismo, porfíria, hanseníase, lepra e poliomielite. É muito provável que os sintomas devastadores descritos por Bretas sejam um tanto exagerados, uma vez que seria muito difícil que com tamanhas mutilações o Aleijadinho pudesse ter esculpido suas últimas obras em Congonhas do Campo.

Ainda segundo Bretas, o Aleijadinho morreu pobre e esquecido. Nos últimos anos de sua vida viveu na casa de sua nora Joana, que cuidou-o até a morte, ocorrida em 1814. A certidão de óbito encontrada no arquivo da Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias diz o seguinte: "Aos dezoito de Novembro de mil oitocentos e quatorze, falleceo Antonio Francisco Lisboa, pardo solteiro de setenta e seis anos, com todos os Sacramentos encomendado Boa Morte e para clareza fiz passar este assento e que me assigno O Codjor José Como. De Moraes."

Obra

Como ocorre com outros artistas coloniais, a atribuição de obras ao Aleijadinho é dificultada pelo fato dos artistas da época não assinarem suas obras e pela escassez de fontes documentais. Em geral os documentos como contratos e recibos acordados entre as irmandades religiosas e os artistas são as fontes mais seguras para a atribuição de autorias. Também outros documentos, como a Memória do vereador de Mariana transcrito por Bretas e a tradição oral são elementos úteis. Por último, comparações estilísticas entre as obras conhecidas com obras de autoria desconhecida podem ser usadas para atribuir uma determinada obra a um artista. É sabido também que Aleijadinho exerceu influência em vários outros escultores, que assimilaram sua maneira em graus variados, fazendo algumas atribuições mais difíceis.

O Aleijadinho foi essencialmente um escultor, trabalhando tanto no entalhe de imagens, retábulos e outros elementos de madeira (talha) como na escultura em pedra-sabão, com a qual realizou elementos de portadas de igrejas e também lavabos e estátuas de vulto. Ele também atuou como arquiteto, ainda que a natureza e significado de suas obras nesse campo sejam motivo de controvérsia.

O escultor



Sua maior realização são os conjuntos escultóricos do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas do Campo - as 66 estátuas da Via Sacra, distribuídas em seis capelas independentes, e os 12 Profetas no adro da igreja. Todas as cenas da Via Sacra, talhadas entre 1796 e 1799, são intensamente dramáticas, e o vivo colorido das estátuas aumenta esse efeito. Gilberto Freyre via nessas peças um grito pungente e sarcástico, ainda que velado, de protesto contra a opressão da colônia pelo governo português e do negro pelo branco. Ao mesmo tempo, identificava raízes tipicamente folclóricas para a constituição do seu extravagante estilo formal, como a iconografia satírica da cultura popular, se admirando da hábil maneira com que Aleijadinho introduziu elementos da voz do povo para dentro do universo da alta cultura do Barroco internacional, corrente onde sua obra se insere. A outra parte do conjunto de Matosinhos é as 12 esculturas dos profetas, realizadas entre 1800 e 1805, cujo estilo em particular é fonte de controvérsia desde a manifesta incompreensão de Bernardo Guimarães no século XIX, que desconcertado diante dos aparentes erros de talha e desenho, ainda assim reconhecia nas estátuas momentos de notável beleza e solenidade, verdadeiramente dignas dos profetas. As proporções das figuras são extremamente distorcidas, chegando em alguns casos ao grotesco. Uma parte da crítica atribui isso à incompetência de seu grupo de auxiliares ou às dificuldades de manejo do cinzel geradas por sua doença, mas outros se inclinam para ver nelas uma intencionalidade expressiva, e outros ainda entendem as distorções como recurso eminentemente técnico destinado a compensar a deformação advinda do ponto de vista baixo a partir do qual as estátuas são vistas, demonstrando o criador estar ciente dos problemas e exigências da representação figural em escorço. De fato a dramaticidade do conjunto é intensificada por essas formas aberrantes, que se apresentam em uma gesticulação variada e teatral, imbuída de significados simbólicos referentes ao caráter do profeta em questão e ao conteúdo de sua mensagem. Segundo Soraia Silva,

"O que o Aleijadinho efetivamente deixou representado nesta obra foi uma dinâmica postural de oposições e correspondências. Cada estátua representa um personagem específico, com sua própria fala gestual. Mas apesar dessa independência no espaço representativo e até mesmo no espaço físico, elas mantêm um diálogo corporal, formando uma unidade integrada na dança profética da anunciação da vida, morte e renascimento".

Profeta Abdias

Outras teses identificam propósitos ocultos na composição do conjunto. A pesquisadora Isolde Venturelli atribui ao Aleijadinho inclinações políticas libertárias, e vê em cada profeta o símbolo de um inconfidente, opinião que é compartilhada com Martin Dreher, e que encontra outro apoio no fato de que sua ligação com Cláudio Manuel da Costa está documentada. Marilei Vasconcelos distingue nos profetas uma série de símbolos maçônicos. De qualquer forma, a concepção do conjunto é típica do Barroco religioso internacional: dramático, coreográfico e eloquente. Giuseppe Ungaretti, espantado com a intensidade mística das figuras, disse que "os profetas do Aleijadinho não são barrocos, são bíblicos". Para Gabriel Frade o conjunto integrado pela igreja, o amplo adro e os profetas se tornou um dos mais notórios da arquitetura sagrada no Brasil, sendo um primoroso exemplo de como elementos interdependentes de complementam coroando de harmonia a totalidade da obra. Hoje todo o conjunto do Santuário é um Patrimônio da Humanidade, conforme declaração da UNESCO, além de ser tombado pelo IPHAN.

Fortuna crítica

Depois de um período de relativo obscurecimento após sua morte, ainda que tenha sido comentado por vários viajantes e eruditos da primeira metade do século XIX como Auguste de Saint Hilaire e Richard Burton, às vezes de forma pouco lisonjeira, o nome de Aleijadinho voltou à cena com a biografia pioneira de Bretas em 1858, já citada. Dom Pedro II era um apreciador da sua obra. Mas foi mais tarde que o seu nome voltou com força à discussão estética e histórica, com as pesquisas de Affonso Celso e Mário de Andrade no início do século XX, aliadas ao novo prestígio que o Barroco mineiro desfrutava entre o governo, prestígio que levou à criação da Inspetoria de Monumentos Nacionais, o antecessor do IPHAN, em 1933. Para os modernistas do grupo de Mário, que estavam engajados num processo de criação de um novo conceito de identidade nacional, conhecer a obra de Aleijadinho foi como uma revelação inspiradora, onde foram acompanhados por alguns ilustres teóricos francófonos, num período em que o estilo Barroco estava muito desacreditado entre a intelectualidade da Europa. Admirado, Blaise Cendrars pretendeu escrever um livro sobre ele, mas isso acabou não se concretizando. Entretanto, os estudos foram ampliados nos anos seguintes por Roger Bastide, Rodrigo Melo Franco de Andrade, Judith Martins, José Mariano Filho, Gilberto Freyre e Germain Bazin, e desde então têm se expandido ainda mais para abordar uma grande variedade de tópicos sobre a vida e obra do artista, geralmente afirmando a importância superlativa de sua contribuição. Lúcio Costa mantinha uma posição dividida; negava-lhe talento de arquiteto, e repelia sua obra nesse campo como inferior, de nível decorativo apenas, e ironizava sua pessoa também, chamando-o de "recalcado trágico", ainda que em outro momento o elogiasse como "a mais alta expressão individualizada da arte portuguesa de seu tempo".

Seu reconhecimento extrapola as fronteiras do Brasil. Para a critica moderna em geral, Aleijadinho representa um momento singular na evolução da arte brasileira, sendo um ponto de confluência das várias raízes sociais, étnicas, artísticas e culturais que fundaram a nação, e mais do que isso, representa uma expressão plástica de elevadíssima qualidade dessa síntese, sendo o primeiro grande artista genuinamente nacional. Dentre muitas opiniões de teor semelhante, para Carlos Fuentes ele foi o maior "poeta" da América colonial, Regis St. Louis e seus colaboradores lhe dão um lugar de destaque na história da arte internacional, John A. Crow o considera um dos criadores mais dotados deste hemisfério em todos os tempos , e João Hansen afirma que as suas obras já começam a ser identificadas com o Brasil ao lado do samba e do futebol em outros países, tendo-se tornado um dos ícones nacionais para os estrangeiros. Já Guiomar de Grammont adverte para o perigo da perenização de visões mitificantes, romantizadas e fantasiosas sobre o escultor, que tendem a obscurecer a clara compreensão de sua estatura artística e da extensão de sua originalidade, e sua correta contextualização, a partir do copioso folclore que desde a era de Vargas tanto a oficialidade como o povo vêm criando em torno de sua figura mal conhecida e misteriosa, elevando-o ao patamar de herói nacional. Hansen inclusive aponta como evidência lamentável dessa situação a ocorrência de manipulação política da imagem de Aleijadinho no exterior, citando a censura governamental à publicação de estudos mais críticos no catálogo de uma grande exposição que incluía o artista montada na França, patrocinada pelo governo federal.

Obras aqui apresentadas, em sequência:

- Profeta Abdias *
- Anjo com o cálice da Paixão, Santuário de Congonhas **
- Cristo carregando a cruz, Santuário de Congonhas do Campo ***
- Igreja de São Francisco em Ouro Preto ****
- Profetas, Congonhas *****
- Recibo assinado pelo Aleijadinho quando recebeu o pagamento pela obra dos Profetas. Museu da Inconfidência ******

Fonte: Wikipedia

A Concordata da Revista "Seleções"


NE - Tudo que começa, um dia, tem seu término. A famosa revista "Seleções" pediu concordata. Pela minha análise, a revista está enfrentando uma grande concorrência, principalmente, pela internet, onde a informação trafega de modo muito rápido. Há milhares de websites que fazem as vezes de uma revista "seleções", e isso, com certeza, está pesando não só na "reader´s" , mas em diversas outras publicações. Leia o artigo:

A Reader's Digest Association, uma das maiores companhias editoriais do mundo, anunciou na segunda-feira, 24/8, que pediu concordata nos Estados Unidos e que vai tentar uma reestruturação de suas atividades no país sob supervisão judicial. A companhia explicou em comunicado que chegou a um princípio de acordo com 80% de seus credores para reduzir sua dívida e fortalecer sua situação financeira. Esta operação, que a Reader's Digest havia antecipado na semana passada, afeta apenas os negócios da empresa nos Estados Unidos.

"Nossas operações comerciais estão sólidas, com uma queda prevista de receita no ano fiscal de 2009 de menos de 10% apesar da recessão", explicou a presidente e conselheira delegada do grupo, Mary Berner, em comunicado.

"Queremos ressurgir com um balanço contábil reestruturado e uma organização financeira mais forte que nos permita prosseguir com nosso crescimento e as iniciativas de transformação", apontou. O acordo alcançado com seus credores inclui a troca de uma parte substancial dos $1,6 bilhões que tem de dívida garantida, por uma participação em seu capital, o que supõe que a propriedade da empresa passará ao grupo. Após ter conseguido $150 milhões em novos empréstimos para melhorar sua liquidez, a firma prevê sair desse processo com uma dívida de $550 milhões, o que representaria uma redução de 75% em relação aos $2,2 bilhões atuais.

"A companhia apresentou uma série de propostas para garantir que este pedido de proteção judicial não afete negativamente o dia a dia de seus empregados, clientes ou fornecedores", explicou o comunicado, que detalha que tanto vendedores como fornecedores "seguirão sendo pagos com normalidade". Em março de 2007, a Reader's Digest passou a ser propriedade de um grupo de investidores liderado por Ripplewood Holdings, em uma operação que se avaliou então em 2,4 bilhões de dólares. A empresa comercializa livros, revistas, música, vídeos e produtos educativos em 78 países e chega cerca de 130 milhões de consumidores, segundo dados da empresa.

Fonte: Galeno Amorim

A proposta do Português com Inclusão de Gênero - Por: Robson Fernando


O triângulo com a arroba, a ligadura e a barra é o símbolo proposto para o Português com Inclusão de Gênero. (Imagem: http://numpol.com/br/pdf/2II.pdf)

Depois de cerca de mil anos de dominância do gênero masculino na língua portuguesa, os países lusófonos estão vendo ser montada uma ortografia significantemente reformada. Idealizado provavelmente por Thomas M. Simons – e certamente proposto e divulgado por ele –, está nascendo o Português com Inclusão de Gênero (PCIG), uma escrita lusófona reformada que pretende limitar ou eliminar a hegemonia masculina na determinação do plural de substantivos variáveis em sexo e tornar o português mais próximo do igualitário.

Com o PCIG, não será mais escrito, por exemplo, “os professores” ou “uns alunos”, mas sim “@s professoræs” e “uns/umas alun@s”. Quando usada sem distinção de gênero, “o senhor” se tornará “@ senhor/a”. Parece esquisito ou radical demais para a população que, não estando acostumada em utilizar esses caracteres “invasores”, continua escrevendo “os fulanos” para conjuntos de pessoas de todos os sexos, mas é relevante para o estabelecimento de uma linguagem mais igualitária e, consequentemente, uma sociedade idem nas relações de gênero nos países lusófonos.

Até hoje o português se refere a conjuntos de homens e mulheres juntos (sic) que compartilham certo atributo pelo plural masculino – ex.: os donos da casa, os trabalhadores, os integrantes da banda. Mesmo no singular, quando se refere a alguém que pode ser um macho ou uma fêmea, é usado um artigo e substantivo masculinos – ex.: o professor, o artista, o escritor, o gato.

A forma mais extrema, infelizmente muitíssimo comum, desse patriarcalismo linguístico é a utilização de “o homem” como sinônimo de “o ser humano” ou de “o indivíduo” – estes dois termos indistintos de gênero – e, em inúmeras obras literárias de todas as épocas, “os homens” como sendo o mesmo que “as pessoas”.

O singular e o plural femininos – ex.: a trabalhadora, as professoras – só são usados quando se refere realmente à mulher com esse atributo e a conjuntos com 100% de mulheres. Mesmo quando há referência, por exemplo, a mil cantoras e um cantor, fala-se e escreve-se “mil e um cantores”.

Ele pode representar tanto ele como ela. Eles encabeçam tanto eles como elas, por mais numerosas que as fêmeas sejam em comparação aos machos. Ela termina só representando ela mesma. Elas, apenas elas mesmas.

Essa disposição linguística de priorizar o masculino como gênero dominante e central e tornar o feminino meramente recessivo e periférico legitima nos países de língua portuguesa o regime social machista-patriarcalista que já dura milênios na maioria das sociedades humanas, confirma o homem como o ator social dominante e a mulher como atriz social relegada à periferia e sempre submetida à supremacia masculina. O idioma torna-se o espelho da sociedade que o utiliza.

Para pelo menos minimizar a legitimação que o vernáculo lusitano, brasileiro, angolano e de vários outros países tem dado a essa relação histórica de dominação por homens contra mulheres, foi sugerida a adoção do PCIG, que este artigo se preocupa em ajudar a divulgar.

O “mainframe” da igualitariedade desse “novo” português são três caracteres: a arroba minúscula, a ligadura “æ” e a barra. Estas serão utilizadas por questão de economia e rapidez: não será preciso escrever sempre “os alunos e as alunas...”, “os professores e as professoras...”, “os meninos bonitos e as meninas bonitas...”, “uns artistas e umas artistas...” etc., já que os caracteres do PCIG permitirão uma escrita inclusiva e muito mais rápida.

Assim serão utilizados os caracteres da igualdade:

a) Arroba minúscula: tornará inclusivas palavras que, no singular e no plural, costumam utilizar a versão masculina para se referirem a pessoas de qualquer sexo em certas ocasiões. Substitui a letra determinante de gênero “o” em palavras terminadas com -o e -os. Como tem uma forma que parece lembrar um misto de “o” e “a”, a arroba foi o caractere escolhido a ser a nova letra igualitária.

Exemplos de palavras de gênero determinado por “o”:
Singular: quanto, aluno, dono, discípulo, bonito, garoto, adulto, ministro, parceiro, feio, compreensivo, ativo, cachorro, gato, macaco.
Plural: quantos, alunos, donos, discípulos, bonitos, garotos, adultos, ministros, parceiros, feios, compreensivos, ativos, cachorros, gatos, macacos.

Essas palavras, pela proposição do PCIG, irão se tornar, quando se referirem a machos e fêmeas ao mesmo tempo:
Singular: quant@, alun@, don@, discípul@, bonit@, garot@, adult@, ministr@, parceir@, fei@, compreensiv@, ativ@, cachorr@, gat@, macac@.
Plural: quant@s, alun@s, don@s, discípul@s, bonit@s, garot@s, adult@s, ministr@s, parceir@s, fei@s, compreensiv@s, ativ@s, cachorr@s, gat@s, macac@s.

Quando referentes apenas a homens, meninos e animais machos, continuarão terminando em -o e -os.

Substantivos e adjetivos que não variam em gênero mas são precedidos de artigos que mudam passarão a vir acompanhados dos novos artigos com arroba. Exemplos:

o artista - @ artista; os artistas - @s artistas
o especialista - @ especialista; os especialistas - @s especialistas
o budista - @ budista; os budistas - @s budistas
o contente - @ contente; os contentes - @s contentes
o forte - @ forte; os fortes - @s fortes
o intelectual - @ intelectual; os intelectuais - @s intelectuais

Embora seja proposta a arroba minúscula, ela ainda não existe nos teclados dos países lusófonos e hoje é impossível de ser utilizada na digitação de textos sem formatação, como em alguns sites publicadores de artigos, serviços de envio de mensagem e aplicativos muito simples de escrita. Em softwares de escrita que permitem formatação de tamanho de texto, deve ser utilizada com a redução do tamanho de fonte da arroba ao de uma letra minúscula ou com o recurso do macro que permite a arroba minúscula. Já na escrita manual, pode ser utilizada sem dificuldades.

No começo de frases, será utilizada a arroba maiúscula mesmo, como em: “@s alun@s ativ@s formaram-se hoje.”

b) Ligadura “æ”: tomada de “empréstimo” do latim medieval, transformará palavras que, mesmo quando referentes a ambos os gêneros, terminam em -es.

Exemplos: cantores, autores, professores, senhores, possuidores, condutores, tutores.

Convertidas ao PCIG, essas palavras, quando se referindo a pessoas de ambos os sexos, tornam-se: cantoræs, autoræs, professoræs, senhoræs, possuidoræs, condutoræs, tutoræs.

Palavras em plural referentes apenas a pessoas ou bichos do sexo masculino permanecerão terminando em -es.

Outras aplicações da ligadura:
- O pronome pessoal “ele” será convertido para “elæ” quando referido a ambos os gêneros; “eles” se tornará “elæs”
- Os pronomes demonstrativos masculinos serão convertidos na mesma situação: estæ, essæ, estæs, essæs, aquelæ, aquelæs

c) Barra (/): entra onde a arroba e a ligadura não entram. Tem várias utilizações, tais como:

1. Palavras cuja forma masculina é utilizada também para se referir a uma pessoa genérica sem gênero indeterminado, como:
cantor, autor, professor, senhor, tutor
Transformará em:
cantor/a, autor/a, professor/a, senhor/a, tutor/a
Fará “parceria” com a arroba em frases como:
“Quando @ professor/a quer ganhar reconhecimento, deve ser muito dedicad@ nas suas aulas.”

2. Unificará os artigos “um” e “uma” – tornando-se um/a – quando houver a utilização deles numa palavra referente a ambos os sexos:
Ex.: Um/a cantor@ muito famos@ morrerá este ano.

3. Unificará os artigos “uns” e “umas” em situação similar:
Ex.: Uns/umas professoræs entraram em greve ontem.

4. Transformará palavras terminadas com -ão, -ãos e -ães que se refiram a ambos os gêneros (quando as palavras femininas terminam em -ã e –ãs):
Exemplos de palavras masculinas no singular, em utilização para o homem e a mulher: irmão, cristão, cidadão, alemão
Palavras modificadas no singular: irmã/o, cristã/o, cidadã/o, alemã/o
No plural: irmã/o/s, cristã/o/s, cidadã/o/s, alemã/e/s

5. Transformará palavras cujo plural masculino termina em -ão e –ões (feminino -ona e -onas) utilizadas em uso não exclusivamente masculino:
Exemplos no singular: mandão, paspalhão, meninão
Exemplos no plural: mandões, paspalhões, meninões
Palavras modificadas no singular: mandão/ona, paspalhão/ona, meninão/ona
No plural: mandões/onas; paspalhões/onas; meninões/onas

6. Unificará palavras que se distinguem em gênero mais acentuadamente.
Exemplo:
“Os atores de novela costumam ser bonitos.” torna-se “@s atores/atrizes de novela costumam ser bonit@s.”
“O cão é o melhor amigo das pessoas.” torna-se “@ cão/cadela é @ melhor amig@ das pessoas.”

7. Unificará pronomes possessivos em situações como:
“Ele é bissexual e espera que apareça em breve seu/sua futur@ namorad@.”
“Não faço distinção de raça para meu/minha futur@ cão/cadela, desde que seu tamanho seja compatível com meu apartamento.”

***

É necessário esclarecer: por enquanto, há apenas a proposta do PCIG ortográfico, escrito. Não se sabe como será transformada a fala. Não foram propostos ainda novos fonemas ou articulações fonêmicas para acompanhar os caracteres que passarão a ser utilizados com frequência na ortografia. Sendo assim, o PCIG ainda está em construção, embora desde já deva ser divulgado pelos meios feministas como uma proposta de reforma igualitária no idioma.

O PCIG proporcionará uma revolução na escrita e provavelmente terá implicações profundas nas relações entre os gêneros. Mesmo que ele não vá sozinho abolir o machismo e a androcracia (domínio masculino sobre a sociedade, em especial sobre as mulheres), será notável que as sociedades lusófonas não serão mais tão machistas como são hoje quando passarem a utilizar a língua reformada.

Enfrentará, assim como qualquer mudança significativa, bastante estranheza e resistência por parte da população, cuja maioria irá recusar-se por muito tempo a modificar o jeito de escrever e falar. Assim foi até mesmo com a reforma ortográfica que seguiu o acordo de 1990, ela que foi bem mais simples que o PCIG.

Deparar-se com um português bastante modificado como mostrado acima gera certamente uma enorme estranheza de quem nunca sequer ouviu falar no PCIG e, ao conhecê-lo, passa a vislumbrar a possibilidade futura de utilizar um português muito diferente e com novos caracteres em quase todo canto. Mas esse sentimento é normal e será aliviado gradualmente até a sua dissipação definitiva.

Assim como soa hoje muito esquisito, o PCIG pode soar também uma proposta radical demais, até extremista, numa realidade em que até mesmo o abandono da palavra “homem” como sinônimo de indivíduo ou ser humano é julgado como algo “radical” ou “revolucionário”. Sendo assim, deve-se introduzir, quando pronto, o novo português inclusivo aos poucos na sociedade, por mais rejeição que gere inicialmente.

Quando for determinado como será a versão oral do Português com Inclusão de Gênero, passando o novo português a ficar pronto para ser conhecido, proposto e adotado, a revolução linguística que o tempo reservará é praticamente certa, por mais que haja resistência contrária nos primeiros anos. Inevitáveis, embora hoje obscuras, também serão as implicações sociais na relação entre mulheres e homens, havendo um respeito muito maior do que hoje à igualdade entre os dois gêneros.

Mas é de se relevar que a sociedade hoje não está pronta para uma iniciativa massiva de inclusão de gênero desse porte. Ela ainda precisa vivenciar algumas mudanças mais notáveis em sua linguagem, como deixar de utilizar a palavra “homem” para representar o ser humano indistinto de gênero. Depois desses passos intermediários é que o PCIG, uma vez pronto, poderá ser proposto e abraçado.

Por: Robson Fernando - Colaborador. Autor do Blog: Consciência Efervescente

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30