xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 17/08/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

17 agosto 2009

Câmara empenha R$ 24 mil para compra de oito poltornas de barbeiro



“A receita para acabar com a crise no Congresso é, para muitos, uma reforma geral, ou, como se diz no popular, “barba, cabelo e bigode”. Talvez por isso, a Câmara dos Deputados, que hoje vive dias menos conturbados do que o vizinho Senado, empenhou (reservou em orçamento) R$ 24,7 mil para a compra de oito poltronas de barbeiro. Brincadeiras à parte, resta saber para onde serão destinadas as cadeiras e, principalmente, quem sentará nelas, já que a nota de empenho emitida pelo órgão para a aquisição não traz esse nível de detalhe. A Câmara também comprometeu R$ 3 mil na última semana para a compra de oito mil tijolos de barro. O material poderá ser encaminhado para as obras de reforma dos apartamentos funcionais dos deputados. Ou não. Poderá servir para alguma manutenção na própria sede, na Esplanada dos Ministérios.

No Judiciário, o Supremo Tribunal Federal (STF) empenhou R$ 57,3 mil para o pagamento de aluguel de sala em área restrita do aeroporto internacional de Brasília, destinada ao serviço de apoio a embarque e desembarque de autoridades. Em junho de 2007, período da famosa crise aérea - que prejudicou o funcionamento dos principais aeroportos do país - o Contas Abertas revelou que cinco órgãos públicos (Câmara, Senado, STF, Superior Tribunal de Justiça e Ministério das Relações Exteriores) alugavam salas para uso exclusivo de suas autoridades no aeroporto de Brasília. Pelo visto, com o empenho do STF, o privilégio, mesmo que justificável, prevalece. Ainda no embalo dos aeroportos, eis que surge uma compra da Base Aérea de Fortaleza, também durante a última semana. Em princípio, para um leigo no assunto como o escritor do texto aqui, o material adquirido tem mais relação com alguma modalidade esportiva do que com atividades aeroportuárias. Na verdade, foram reservados pela Base R$ 850 para a aquisição de 100 apitos cromados, “aplicação esporte, tipo profissional, tamanho grande” (conforme informa a nota de empenho).

A Presidência da República (PR), por sua vez, não quer deixar de grifar nada que julgue importante. O órgão comprometeu R$ 518 para a compra de 1.200 canetas marca texto, 1.000 amarelas e 200 laranjas. Outros R$ 273 mil foram reservados pela PR para a aquisição de 615 cartuchos diversos de tinta para impressora, alguns com durabilidade de até 8 mil páginas.”

Fnte: Website Contas Abertas

Críticas a Lombroso - Herbert Gonçalves Espuny


Apesar da Antropologia Criminal estar superada, algumas de suas idéias continuam em estudo por parte de especialistas e nada a impede de – no futuro – vir a ocupar um lugar mais importante que o atual, ou seja, de uma simples referência em ciência criminal. Em relação à tese lombrosiana recorro a um trabalho desenvolvido pelo Prof. Dr. Marcos César Alvarez (Universidade de São Paulo) intitulado “Bacharéis, Criminologistas e Juristas: Saber Jurídico e Nova Escola Penal no Brasil”, publicado pelo IBCCRIM (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais), em São Paulo, no ano de 2003. Entre as páginas 46 e 73, o Prof. Dr. Marcos cita Lombroso várias vezes e discute várias críticas a ele atribuídas. Cita que sua obra mais importante, “L’uomo delinquente” foi publicada pela primeira vez em 1876. Inicialmente as idéias de Lombroso tiveram grande repercussão devido ao seu caráter simplista e reducionista (como bem caracteriza uma teoria científica). Contudo, com o passar doas anos, várias críticas ao trabalho de Lombroso foram sendo desenvolvidas.

A frase acima sintetiza a idéia de Lombroso que o criminoso era fruto de um determinismo genético, ou seja, já nascia com tais características que, se corretamente identificadas, permitiriam afirmar – com certeza – tratar-se de um criminoso nato. As críticas ao trabalho de Lombroso contestavam estas idéias.

Nos diversos congressos de Antropologia Criminal (entre o final do séc. XIX e início do séc. XX), na Europa, surgiram as principais resistências a Lombroso. A escola Sociológica de Lyon, por exemplo, liderada por Lacassagne, desqualifica a Antropologia Criminal, nos termos que Lombroso a desenvolveu, por atribuir ao criminoso motivações de âmbito cultural (“caldo de cultura”). Apesar de Lombroso e Ferri (também um dos teóricos da Antropologia Criminal) tentarem incorporar fatores sociais à etiologia do crime, as divergências eram grandes demais para se conciliarem numa mesma escola.

Outro grande crítico de Lombroso foi o magistrado francês Gabriel Tarde (1843-1904). Em seus textos, reunidos sob o título “ la criminalité comparée e la philosophie pénale”,faz críticas ao trabalho lombrosiano afirmando que as descrições de um criminoso nato, expostas na Antropologia Criminal, não passam de descrições de comportamentos de criminosos profissionais, nada tendo de biológico ou nato, uma vez que se trata de comportamento. Além das principais críticas acima expostas, outras se acumularam. Gaston Richaud, da revista L’Année Sociologique, de 1896-1897, analisou o trabalho de Lombroso à luz da Metodologia Científica e, mesmo para a época, concluiu que a Antropologia Criminal carecia de solidez científica. Afirmou que a teoria lambrosiana era “purement déductive sons une apparence de fidélité à la méthode expérimentale”. Outra crítica, talvez surgida do “corporativismo jurídico” é a resistência de certos setores de atribuírem a razões meramente biológicas as questões tão duramentes discutidas pela Sociologia, pelo Direito e outras ciências em relação ao crime e aos criminosos. Todas as outras teorias e as tantas especificidades próprias destas áreas de estudo estariam um tanto quanto prejudicadas.

Sobre o Autor
Herbert Gonçalves Espuny

Investigador de Polícia,prestando serviços na CGA - Corregedoria Geral da Administração, Casa Civil, Governo do Estado de São Paulo. Mestrando no Programa Interdisciplinar Adolescente em Conflito com a Lei (UNIBAN/SP) e Especialista nas áreas de Segurança Empresarial (ANHEMBI-MORUMBI/SP) e Segurança Pública (FESPSP). Membro da ABRAIC-Associação Brasileira de Inteligência Competitiva.

A Quem Interessa a Saida do Sarney. Por Dr. Valdetário

Engana-se quem imaginar que todo esse movimento da oposição exigindo a saída do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), tem por finalidade promover uma limpeza naquela casa legislativa. Os que vinculam a pendenga às eleições 2010, ainda não estão totalmente corretos. O que verdadeiramente move toda essa briga são interesoses muito menos nobres, embora a oposição tente esconder.

Com a saída do Sarney assumiria a presidência do Senado o não menos imundo senador Marconi Perillo (PSDB-GO). Aquele que está envolvido em uma montanha de processos na Justiça brasileira. Ele passaria 15 dias comandando o Senado Federal, tempo mais que suficiente para promover um grande estrago no projeto brasileiro em curso. Ainda mais quando lembramos que o nosso vice-presidente, José Alencar, encontra-se com a saúde em extremo estado de fragilidade.

O Senado nas mãos da oposição seria uma grande oportunidade para que a CPI da PETROBRÁS marchasse a paços largos e com isso a opinião pública brasileira, com a ajuda da nossa imprensa golpista, fosse levada a não fazer a necessária defesa da nossa maior empresa, num momento que se aproxima. Inegável que estes que agora exigem a saída do Sarney são os mesmos que promoveram o maior sucateamento do nosso pais em um passado recente. São os mesmos que, levados por interesses inconfessáveis, aprovaram a Lei 9478/97 (Lei do Petróleo) criada por FHC em 06.08.1997 e que acabou com o monopólio do petróleo em nosso pais. São os mesmos que defendem as já ultrapassadas idéias neoliberais, aquela história do Estado-mínimo e regulado pelas leis do mercado e que acabou desembocando na atual crise econômica mundial, talvez a maior delas. Aquela velha tese de privatizar os lucros e socializar os prejuízos. São os mesmo senhores que esconderam seus maléficos planos do palanque e, no poder, impuseram o nefasto programa de privatização em nosso pais. São os mesmos que sonham em voltar ao poder para dar fim ao projeto (e ao Brasil) iniciado por eles, privatizando a PETROBRÁS, o Banco do Brasil, a CEF, o BNB, o Basa e tantos outros.

Não é que o governo Lula tenha medo de CPI. Muito longe disso. O que não aceitamos é uma CPI que tem por finalidade esbarrar o patriótico projeto do nosso governo de debater um novo Marco Regulatório para o setor energético em nosso pais, revogando a tal lei tucana de 1997 que entregou ao capital estrangeiro ou nacional as nossas reservas energéticas. Aí sim, reside a motivação dos opositores a exigir a saída do Sarney. É salutar não esquecer que a primeira justificativa alegada pela oposição para instalar a CPI da PETROBRÁS era exatamente o fato da empresa está realizando despesas sem licitações. Quando ficou comprovado que este modo de compra foi criado no governo FHC e que não havia nada de irregular, os ânimos oposicionistas se arrefeceram; mas como o interesse da oposição era colocar a PETROBRÁS na mídia e sangrá-la, a tropa voltou a exigir a tal CPI, que assim nasce fragilizada. Já que sem causa.

O mundo atravessa um momento de grande necessidade de petróleo ao mesmo tempo em que estão diminuindo as reservas e a produção mundiais. A junção desses dois fatores, na análise dos especialistas, num curto espaço de tempo, elevará o preço do barril para US$ 120,00.

A PETRBRÁS já está explorando a camada do pré-sal. Lá estão dormindo algo entre 100 e 300 bilhões de barris de petróleo. Isso é o mesmo que dizer que o Brasil será o maior produtor de petróleo do mundo, superando inclusive a Arábia Saudita.

Com o barril a custar US$ 120,00 é muito fácil concluir que estamos falando em somas astronômicas para qualquer pais do mundo. Estamos falando em algo muito superior a dez trilhões de dólares. Vou repetir: DEZ TRILHÕES DE DÓLARES. Dinheiro mais que suficiente para solucionar todos os problemas sociais do nosso pais.

Agora uma perguntinha: você no lugar do Lula, também não defenderia o Sarney?! O que está em jogo é algo muito maior do que podemos imaginar. O que está em jogo é o FUTURO DO BRASIL.

Dr. Valdetário.

Blog do Crato Apresenta: - Drummond declama Drummond


Um gênio interpreta sua própria obra:


drummond2

Clique no Player abaixo. ( para evitar ouvir 2 sons ao mesmo tempo, pare antes, o player da Rádio Chapada do Araripe, no canto superior direito do Blog ).




Morte do Leiteiro

Há pouco leite no país
é preciso entregá-lo cedo.
Há muita sede no país,
é preciso entregá-lo cedo.
Há no país uma legenda,
que ladrão se mata com tiro.

Então o moço que é leiteiro
de madrugada com sua lata
sai correndo e distribuindo
leite bom para gente ruim.
Sua lata, suas garrafas,
seus sapatos de borracha
vão dizendo aos homens no sono
que alguém acordou cedinho
e veio do último subúrbio
trazer o leite mais frio
e mais alvo da melhor vaca
para todos criarem força
na luta brava da cidade.

Na mão a garrafa branca
não tem tempo de dizer
as coisas que lhe atribuo
nem o moço leiteiro ignaro.
morador na Rua Namur,
empregado no entreposto
Com 21 anos de idade,
sabe lá o que seja impulso
de humana compreensão.
E já que tem pressa, o corpo
vai deixando à beira das casas
uma pequena mercadoria.

E como a porta dos fundos
também escondesse gente
que aspira ao pouco de leite
disponível em nosso tempo,
avancemos por esse beco,
peguemos o corredor,
depositemos o litro...
Sem fazer barulho, é claro,
que barulho nada resolve.

Meu leiteiro tão sutil
de passo maneiro e leve,
antes desliza que marcha.
É certo que algum rumor
sempre se faz: passo errado,
vaso de flor no caminho,
cão latindo por princípio,
ou um gato quizilento.
E há sempre um senhor que acorda,
resmunga e torna a dormir.

Mas este entrou em pânico
(ladrões infestam o bairro),
não quis saber de mais nada.
O revólver da gaveta
saltou para sua mão.
Ladrão? se pega com tiro.
Os tiros na madrugada
liquidaram meu leiteiro.
Se era noivo, se era virgem,
se era alegre, se era bom,
não sei,
é tarde para saber.

Mas o homem perdeu o sono
de todo, e foge pra rua.
Meu Deus, matei um inocente.
Bala que mata gatuno
também serve pra furtar
a vida de nosso irmão.
Quem quiser que chame médico,
polícia não bota a mão
neste filho de meu pai.
Está salva a propriedade.
A noite geral prossegue,
a manhã custa a chegar,
mas o leiteiro
estatelado, ao relento,
perdeu a pressa que tinha.

Da garrafa estilhaçada.
no ladrilho já sereno
escorre uma coisa espessa
que é leite, sangue... não sei
Por entre objetos confusos,
mal redimidos da noite,
duas cores se procuram,
suavemente se tocam,
amorosamente se enlaçam,
formando um terceiro tom
a que chamamos aurora.

Fontes: http://blog.uncovering.com

Hoje não há Poesia, porque morreu Drummond !


Há 22 anos, morria Carlos Drummond de Andrade, um dos mais importantes e respeitados poetas brasileiros de seu tempo. Drummond morreu no Rio de Janeiro, de insuficiência respiratória, aos 84 anos, apenas 12 dias depois que um câncer ósseo levou Maria Julieta, sua filha, eterna musa e grande paixão. “E assim vai-se indo a família Drummond de Andrade” lamentou o poeta na época.

Carlos Drummond de Andrade nasceu em 31 de outubro de 1902, na cidade de Itabira, Minas Gerais. Estudou em Belo Horizonte e com jesuítas no Colégio Anchieta, em Nova Friburgo, no Rio, onde foi expulso por “insubordinação mental”. Por insistência dos pais, formou-se em farmácia em 1925. No mesmo ano, fundou com amigos A Revista, importante veículo de afirmação modernista em Minas. Ingressou no serviço público e, em 1934, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde permaneceu até o final de sua vida. Aqui, foi chefe do gabinete do ministro da educação Gustavo Capanema, trabalhou no Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e colaborou como cronista no Correio da Manhã. Aposentou-se em 1962, mas, em 1969, tormou-se colaborador do JB. Durante 15 anos, todas as terças, quintas e sábados, o poeta de coração gauche – deslocado, acanhado - publicou suas crônicas no Caderno B. De sua estreia, em 2 de outubro de 1969, falando sobre o leilão que liquidava a Panair do Brasil, até o ‘ciao’ de despedida em 29 de setembro de 1984, quando faz um balanço de sua atividade na imprensa, foram 780 semanas da história do país e do poeta refletidas com agudeza e lirismo em mais de 2 mil e 300 crônicas.

A obra de Drummond

Foram 84 anos de palpitações, registradas em 25 livros de poesia e 16 outros de crônicas, contos, memórias e cartas, que repercutiram em milhares de estudos analisando-lhe a obra como um marco da cultura brasileira. A obra de Carlos Drummond de Andrade narra a trajetória de um homem, de uma geração e de um país. Poeta do indivíduo desajustado, do cotidiano, da existência e do fazer poesia, foi um jornalista de seu tempo, tratando tanto de temas tipicamente brasileiros, como também de assuntos metafísicos, que dizem respeito à condição e à alma humana. Com a partida de Drummond, a festa acabou, a luz apagou, a povo chorou e a cultura brasileira esfriou. “E agora, José?”.

Fonte: Jornal do Brasil

Alguns Poemas:
A um ausente

Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu,

enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave
do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso, voz
modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.


Acordar, viver


Como acordar sem sofrimento?
Recomeçar sem horror?
O sono transportou-me
àquele reino onde não existe vida
e eu quedo inerte sem paixão.


Como repetir, dia seguinte após dia seguinte,
a fábula inconclusa,
suportar a semelhança das coisas ásperas
de amanhã com as coisas ásperas de hoje?

Como proteger-me das feridas
que rasga em mim o acontecimento,
qualquer acontecimento
que lembra a Terra e sua púrpura
demente?
E mais aquela ferida que me inflijo
a cada hora, algoz
do inocente que não sou?

Ninguém responde, a vida é pétrea.

Fonte: Jornal do Brasil, Poesia de Todos, Alameda Poética

A Quem Interessa a CPI da PETROBRÁS. Por Emanuel Cancella.

Os inimigos da Petrobrás estão de volta: pretendem instalar uma CPI contra a companhia no momento em que se cogita a criação de uma nova empresa no setor e o Congresso vai discutir o novo marco regulatório.

O objeto da CPI é inconsistente. O que está por traz da iniciativa é somente fragilizar a Petrobrás. Como coincidências não existem, muito menos quando se trata de iniciativas políticas, como a instauração de uma CPI, é legítimo perguntar que interesses esses grupos partidários escondem e a quem servem.

Técnicos da companhia projetam que as reservas do pré-sal podem variar entre 100 e 300 bilhões de barris. Nesse sentido, é necessário que a União encaminhe uma pesquisa, através da Petrobrás, para um cálculo mais exato. De qualquer forma, são reservas que podem colocar o Brasil no patamar da Arábia Saudita, como primeiro no ranking.

Nesse cenário, entregar o pré-sal para uma nova empresa é castigar a Petrobrás que, muito pelo contrário, merece prêmio por desenvolver, durante décadas, tecnologia própria, investindo nisso bilhões de reais e, de forma pioneira, descobrindo petróleo no pré-sal, num momento em que as reservas mundiais estão em declínio.

A Petrobrás é longe a empresa que mais arrecada impostos para a União. Atualmente, financia 40% do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Instalar uma CP, justamente agora, só se for para servir de palanque àqueles que foram contra a criação da Petrobrás e depois tentaram privatizá-la. O Congresso Nacional, se fosse movido pelos interesses da população brasileira, deveria debater o fortalecimento da Petrobrás e uma estratégia para garantir que o petróleo e gás encontrados em nosso território sejam nossos!

*Emanuel Cancella é coordenador geral do Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ)

Fonte: Site Rede Jubileu Sul Brasil.

BlogHumor - A Coletânea do Dia

01 - Pizzaria Brasília avisa: a maior pizza nunca feita na história do país será feita esse mês


BRASILIA. No país dos otários.

Atenção, Atenção!

Os famosos pizzaiolos do mundo anunciam: A maior pizza nunca antes feita na história desse país será preparada ainda este mês! Já está tudo decidido, está apenas em segredo. [...] Eu estou cumprindo um dever cívico sem medo de nada. Estou preparado para tudo. Duque, pizzaiolo chefe do mês. Ontem, o pizzaiolo chefe já tinha afirmado que todos os ingredientes já tinham sido comprados com dinheiro público: 7 toneladas de massa de tomate, 42 mil dúzias de ovos, 69 toneladas de farinha de trigo. Dizem que Lula vem ajudando nos bastidores a conseguir ingredientes e tudo necessário para esta pizza, porém , perguntado sobre isso, o filho da **** do país presidente afirmou, como sempre:

"Eu não ƒei de nada! Num é pobrema meu! Nunca anteƒ na hiƒtória deƒƒe paíƒ um previdente ƒoube tantaƒ coivaƒ ƒobre nada que nem eu."
Lula

A Pizza será feita com um tipo de carne rara: Dinossauro Maranhense. Segundo o regimento interno da pizzaria, ele como presidente tem o direito de fazer toda a pizza que quiser. Mas avisa: por mais que tente fazer a pizza, ainda há chance dela não ser feita (HAHAHA) pois da descisão que ele tomar ainda cabe recurso. Os especialistas porém garantem: a maior pizza do Brasil com certeza será feita. Se você tiver em Brasília porém, não se anime: essa pizza só pode comer quem tiver cargo público. Assim sendo, a pizza não será consumida totalmente , pois apenas a minoria privilegiada consegue um pedaço. Todo o resto será jogado nas ruas, deixando aquele cheirinho de podre tão comum em Brasília.

02 - Desnotícias:Anatel publica regulamento para internet via rede de água

SÃO JOSÉ DO PASSA QUATRO, Brasil - Foi publicada nesta segunda-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a medida que aprova o Regulamento sobre Condições de Uso de Bolhas por Sistemas de Banda Larga por meio de Redes de Água e Esgoto no País. A Resolução 10101, que libera a adoção da nova tecnologia de internet, cuja prestação é feita pela rede sanitária, define critérios técnicos para o oferecimento do serviço através de comunicação de dados utilizando o famoso sistema WaterNet, que usa bolha e não-bolha no lugar do antigo zero e um.

O sistema será oferecido através da instalação de um modem especial, o WaterModem, desenvolvido por empresas de metais sanitários. Por tubos de PVC ligados à rede de água, o aparelho irá disponibilizar o acesso à web com velocidade de cerca de 200 megabits por segundo, por onde o Watermodem irá receber os dados. Este revolucionário aparelho, que está em desenvolvimento desde 2001, usa a rede de água convencional para receber dados e a rede de esgoto para enviá-los de volta ao provedor.

"Ele funcionará como um conversor que você conecta e, a partir disso, terá acesso à internet no seu computador pela captação de dados repassados pela rede de água", explica Diana Tony Mura, especialista em regulação da Anatel. "Esse equipamento poderá ser ligado em qualquer torneira que forneça água para que seja possível navegar no espaço virtual", complementa.

Ainda sem custo definido, o que depende da adesão ao produto e do interesse de fabricantes e prestadoras em oferecer a tecnologia, a internet via rede de água deverá ter, no entanto, um valor semelhante às assinaturas atuais de acesso à web. "A idéia é que este serviço seja competitivo no mercado de internet", diz Mauro Olivetto, gerente operacional de planejamento da Anatel.

Ele destaca também como diferencial do sistema WaterNet o benefício da capilaridade do acesso à rede de água e esgoto no país, em mais de 90% das residências. "Tendo água em casa, será possível ter acesso à internet", argumenta o gerente operacional. "Não será preciso ter linha telefônica para poder ter internet", reforça ainda a especialista Diana.

Os equipamentos que vão ser utilizados no sistema deverão ter certificação de uso específica reconhecida pela Anatel. A Agência Nacional de Energia Hidráulica (Aneh) irá dispor sobre a prestação do serviço. As empresas interessadas em prestar serviços de internet via Watermodem devem apresentar à Anatel, no mínimo 30 dias antes do início de suas operações. Sabesp, Sanerj e Sanepar já demonstraram interesse.

O criador do WaterModem, Sr. Pachinco Famicom, está empolgado com o uso de sua tecnologia, mas faz algumas considerações: "Obviamente não poderão usar a WaterNet as pessoas que utilizam fossas sépticas, e nem aquelas que instalaram aparelhos para remover as bolhas de ar da rede de água." E adianta seu próximo projeto: "Estou pesquisando como usar o sistema fluvial com a WaterNet. Imaginem usar o rio Amazonas para transmitir dados! Isso sim seria banda larga!".

03 - Coisas de Pobre

Aqui descreverei as inúmeras manias de pobre

* Paninho embaixo do telefone
* Cachorro molhado amarrado com fio de telefone ( e ainda o cachorro está quase te atacando e a dona dele lá no fundo:pode entrar, ele é bonzinho)
* Entufar o prato com farinha
* Bom-bril naponta da antena da tv
* Fazer festa do quilo todo fim de semana
* entrar na loja mais chique da cidade e falar: só tô dando uma olhadinha
* Ficar mais de duas horas na fila de um banco e chegar na boca do caixa para sacar R$ 5,00
* Chamar os amigos de fim-de semana para ajudar a construir a casa
* Parar o carro na praia, ligar o som alto e fazer churrasco na praia (com farofa, é claro)
* Esquentar a ponta da bic para ver se volta a pegar
* Tomar cerveja em copo de requeijão
* Garrafa de água em cima da caixa de força para economizar energia
* Fazer as necessidades no banheiro e chamar a família inteira para fazer também, para ver se economiza energia(Aí entope a privada e em vez de chamar o encanador, o pai da família, ou o tio, vai lá desentupir)
* Guardar tudo que encontra na rua
* Lamber a tampa do yogurte
* Ir ao estádio de futebol, entrar pela geral, e pular para as sociais.
* Colocar um tijolo atrás de cada pneu do carro para ele não descer na ladeira
* Colocar plástico em cima do telhado para evitar goteira.
* Ver se o restaurante aceita ticket
* Ficar tentando aparecer atrás da câmera da globo
* Guardar sobras de sabonete para fazer uma bola só depois
* uma bicicleta para a família toda
* Jogar paninho em lâmpada que não presta pra ver se volta
* Esperar passar das 12:30 para ir à feira só pra pegar um "precinho mais em conta".
* Dar presente de 1,99
* Levar as crianças em "ação social" para tomar vacinas, passar maquiagem e para as crianças pintarem a cara e aparecerem da eptv(E ainda fica uns 3 dias sem tomar banho para a maquiagem não sair
* Pechinchar no camelô
* Pegar o papel mais "picolino" para limpar a bunda e depois ficar reclamando
* Embrulhar caixa de fósforo com papel de presente para pendurar em árvore de Natal.
* Conversar alto no ônibus com quem nem conhece
* Ir com os amigo passear no centro e não comprar nada

* Deixar a bacia em cima da cama antes de ir para o trabalho para, se caso chover, a goteira não molhar sua cama

* Decorar vasos com flor desidratada e de plástico
* Decorar o muro do quintal com plantas em lata de óleo, leite em pó e tijolo
* Dar uma festa e pedir mesa e cadeira para os vizinhos(e ainda nem convidá-los)
* Dar presente embrulhado com papel das Casas Bahia
* Mandar cada um em um horário do dia em uma ação social para pegar cesta básica
* Jogar futebol e as luvas do goleiro são duas havaianas
* Correr atrás do guarda-sol na praia gritando "pega, pega!"
* Ir em algum lugar com a bolsa vazia e ficar se agarrando à bolsa
* quando a filha está grávida, fazer um puxadin simpres
* Usar caixa de madeira como mesa de centro
* Correr a casa inteira atrás de uma barata com o chinelo na mão, gritando:Pega, pega
* Colocar copo de água em baixo da cama e da mesa para as formigas não subirem.
* Colocar arranjo de fruta de plástico na mesa da sala.
* Colocar água na garrafa de suco para aproveitar o restinho.
* Calçar o sofá sem perna com tijolo.
* Brigar com meio mundo só porque o caixa não deu o troco de 3 centavos.
* Quando compra um telefone sem fio fica gritando:Mãe, cadê o telefone?(e ainda faz questão que os vizinhos ouçam só pra dizer que tem telefone sem fio ).

* Quando está na casa dos outros, na hora de ir embora diz:"vou subi"(e nem vai embora , fica lá enrolando).

* Vai pro almoço e acaba ficando para o jantar
* Quando tira foto, vai todo mundo atrás da câmer falando:"dexa eu vê"
* Quando você vai ver o vídeo do seu batismo você vê uma mulher pobre que você nem conhece com a bolsa aberta e dois filho pobre colocado salgadinho dentro da bolsa
* Coloca nomes do tipo:Willisney santos e prepúcio silva(e ainda acha bonito sair falando o nome do filho)
* Mascar chicletes 3 horas seguidas até ficar branco e sem gosto.
* Na hora do rango brigar com a mãe por causa da mistura.
* Passar cuspe ao cotovelo ressecado para amaciar.
* Pedir para o açougueiro "miúdos prá comida do cachorro" e fazer uma "comida exótica típica da Indonésia" para a visita.
* Pedir pro cobrador do ônibus passar dois na roleta.
* Pedir pro filho ficar abanando o churrasco com tampa de caixa de sapato.
* Pendurar roupa na janela.
* Pentear bigode e costeleta enquanto anda pela rua.
* Pisar em sujeira de cachorro e limpar no meio fiPolir metade do carro por que faltou cera.
* Quando estiver resfriado, assoar o nariz com o dedo na pia (para economizar papel higiênico).
* Regar as plantas de casa com panela.
* Remendar coador de pano.
* Sair correndo e se matar para pegar ônibus que já está saindo do ponto.
* Sair de casa com bobs na cabeça.
* Secar tênis atrás da geladeira.
* Subir na laje para mexer na antena e ficar gritando lá de cima: "Melhorou?".
* Ter cortininha de plástico no chuveiro.
* Ter enfeites de navio na sala.
* Ter um pingüim em cima da geladeira.
* Tirar cadarço do sapato do pai, cortar ao meio para fazer dois para o tênis do filho.
* Tirar cera do ouvido com chave do carro e tampa de caneta.
* Tomar banho de tanque, mangueira ou caneca.
* Usar fundo de garrafa descartável para colocar plantas.
* Usar gravata colorida e com estampa de bichinhos só pra dizer que é publicitário.
* Usar meia com chinelo.
* Usar o único ticket que o restaurante não aceita.
* Te pedir o refrigerante pra tomar um pouco e você só vê uma ostra descendo pelo canudinho
* Usar pregador de roupa para manter fechado saco de açúcar, arroz, farinha, etc.
* Usar prendedor de roupa para pendurar recado no trinco da porta.
* Usar resto de sabão para tapar vazamento no bujão de gás.

Ahahahahahah
Fontes: Desciclopédia

Nunca se atrase! – por Carlos Eduardo Esmeraldo


Brasileiro é aquele povo que teve início na oca, continua ainda meio selvagem, sem preocupação nenhuma com o tempo e os compromissos. Por aqui nada começa na hora marcada! Reuniões, inicio das aulas, exibições de peças teatrais, shows, horário de vôos, saídas de ônibus, nada mesmo. Casamento, então, parece até superstição! Se começar na hora marcada não dá certo! Já fui a um, em que até o padre se atrasou. Mas atrasar-se a certos compromissos dá prejuízo, sim. E como!

Certa vez, quando eu trabalhava na Coelce, fui representar a diretoria da empresa numa solenidade de inauguração de energia elétrica da Vila dos Popôs, um lugarejo perdido no meio dos grotões da Serra do Horto, alguns quilômetros por trás da estátua do Padre Cícero. O acesso era cheio de estradinhas carroçáveis sinuosas e bifurcadas, subindo e descendo, de modo que o motorista que me acompanhava se perdeu e terminamos por chegar atrasados. A energia já havia sido inaugurada e no palanque discursavam os últimos vereadores. Ao me ver, o prefeito me convidou para subir no estrado de madeira existente sobre quatro tambores de óleo vazios à guisa de palanque, e anunciou o meu discurso. Nessas ocasiões já tínhamos uma peça de oratória previamente preparada. Dizíamos alguns detalhes técnicos sobre a obra, como quantidade de postes, transformadores, o custo e a origem dos recursos. Lembro-me muito bem que disse que o Governo do Estado era o responsável por aquele investimento, Terminada a solenidade, logo após a minha falação, notei que o prefeito ficou de cara amarrada e ao me despedir dele, não me deu nenhuma atenção. Antes de sair, eu cumprimentei a equipe de eletricistas que havia trabalhado na obra e um deles me disse: “O senhor desmentiu o prefeito. Ele falou antes dizendo que a prefeitura havia sido a responsável pelo pagamento da obra.” Por ter chegado atrasado àquela solenidade e, involuntariamente desmentido o prefeito, quase fui demitido do cargo. É que ele, o prefeito, pediu minha cabeça ao governador, que após informar-se sobre minha pessoa aos meus superiores não atendeu ao esse pedido sem cabimento algum.

A propósito desse assunto, recebi outro dia uma dessas mensagens que inundam nosso correio eletrônico. Contava a história de um velho padre que desde sua ordenação fora trabalhar numa pequena cidade do interior. E no dia de sua aposentadoria e conseqüentemente, sua despedida da cidade foi homenageado pela população. Em seu discurso de agradecimento, o velho pastor de almas, provavelmente emocionado pela despedida, cometeu uma indiscrição: revelou um segredo de confessionário na primeira penitência que ele celebrara, justamente naquela cidade. Era a confissão de um jovem rebelde, sem, entretanto dizer o nome do penitente, que entre os inumeráveis pecados, além de viciado em drogas, era também traficante, havia roubado televisores, rádios e outros objetos das lojas da cidade; traíra a namorada com uma irmã dela e muitos outros pecados mais cabeludos, cuja lista não cabe aqui mencioná-la por completo. Terminada a oratória do padre, adentra no salão o prefeito, atrasado como sempre. Então, os presentes solicitaram a ele fazer a entrega de um presente ao velho pastor que deixava a comunidade. Em seu discurso, tacou essa peça reveladora: “jamais esquecerei que eu fui o primeiro fiel a se confessar com este baluarte da igreja!...”

Portanto, se não por educação, mas para evitar prejuízos incalculáveis, nunca se atrase.

Por Carlos Eduardo Esmeraldo

Datafolha - Congresso vive sua pior crise e 74% querem a saída de Sarney


“A crise do Senado, agravada após a série de denúncias contra o seu presidente, José Sarney (PMDB-AP), levou o Congresso a atingir uma de suas piores avaliações já registradas, 44% de ruim ou péssimo, revela pesquisa Datafolha. Segundo o levantamento, 74% dos brasileiros defendem que Sarney deixe a Presidência do Senado, sendo que 36% preferem um afastamento temporário e 38%, a renúncia dele. Para 66% dos brasileiros, o senador está envolvido nas irregularidades que atingem o seu nome. Entre aqueles que dizem estar bem informados sobre esses casos, 86% acreditam no envolvimento dele. Apenas 10% não acreditam que o peemedebista tenha alguma relação com as denúncias.

“A maioria da população tomou conhecimento das denúncias contra Sarney. Por conta disso, a maioria acha que ele deve se afastar. Como a crise do Senado se arrasta há tanto tempo, isso acabou prejudicando a imagem do Congresso”, afirma Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha. A maior parte das pessoas (78%) diz ter tomado conhecimento das denúncias. É justamente a parcela que tem a pior avaliação do Congresso (visto por 51% como ruim ou péssimo). A desaprovação cresce ainda mais entre os que afirmam estar bem informados sobre as denúncias (61%). Já entre aqueles que não se informaram sobre os casos envolvendo Sarney, apenas 23% desaprovam o Congresso. A nova pesquisa Datafolha é a primeira após o agravamento da crise no Senado. Nesse período, foram descobertos os atos secretos utilizados, entre outras coisas, para nomeações e promoções de servidores.A situação piorou com o surgimento de várias denúncias contra Sarney, que vão de nepotismo a desvios de verba na fundação que leva seu nome. Sarney foi alvo, no Conselho de Ética, de 11 pedidos de abertura de processo por quebra de decoro. O presidente do colegiado, Paulo Duque (PMDB-RJ), arquivou todos os pedidos. O auge da crise ocorreu no começo do mês. Dois momentos foram marcantes: os ataques de Fernando Collor (PTB-AL) a Pedro Simon (PMDB-RS) e a troca de insultos entre Renan Calheiros (PMDB-AL) e Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Na semana passada, oposição e base governista negociaram um “acordão”. Por ele, Sarney se livraria das acusações, assim como o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), alvo de ação do PMDB, que o acusa de ter quebrado o decoro por ter, entre outras coisas, mantido funcionário-fantasma no gabinete.

Renan e Mensalão

A desaprovação ao Congresso deu um salto de dez pontos percentuais na comparação com a última pesquisa, realizada em maio, quando 34% achavam o trabalho de senadores e deputados ruim ou péssimo. Hoje, 14% acham o desempenho ótimo ou bom, contra 19% em maio. Para 36%, o desempenho é regular, ante 41% observado na pesquisa anterior. A taxa de reprovação voltou ao patamar de novembro de 2007, quando 45% diziam que o Congresso era ruim ou péssimo. Naquele momento, o Senado acabara de passar por outra crise, que culminou na renúncia de Renan da presidência. O recorde negativo, de 48% de ruim ou péssimo, foi observado em agosto de 2005, no auge do escândalo do mensalão.Para a mais recente pesquisa, o Datafolha ouviu 4.100 pessoas entre os dias 11 e 13 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.”

Fonte: (Folha de São Paulo)

Sei que vou

Prezado administrador do site www.blogdocrato.blogspot.com

Sua mensagem foi detectada como SPAM pelo nosso sistema, por uso de conta antiga, não autorizada e obsoleta. Em razão disto, ela foi apagada do nosso sistema temporariamente. Caso não se trate de postagem não autorizada, favor entrar em contato conosco, para reintegração e renovação de cadastro do membro, autorizando-o a usar novamente o seu blog.

Equipe Administrativa

TCU amplia parceria nos Estados contra corrupção


Órgãos e entidades de controle da administração pública assinam nesta segunda-feira (17), em Palmas (TO), acordo para articular ações contra desvios de dinheiro público e fortalecer o combate à corrupção. A parceria instala a Rede de Controle da Gestão Pública no Tocantins, que visa fortalecer a integração entre as instituições que fiscalizam do uso de recursos públicos. Já implantada em sete estados, a rede foi idealizada pelo presidente Ubiratan Aguiar. Segundo ele, a atuação da rede será pautada por ações coordenadas e preventivas, que, como demonstra a experiência do TCU, são mais eficazes para coibir a prática de corrupção.

O ministro do TCU José Jorge de Vasconcelos e representantes da Controladoria-Geral da União (CGU), do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins, da Caixa Econômica Federal (CEF), do Banco do Brasil (BB), da Delegacia da Receita Federal, da Superintendência da Polícia Federal, da Procuradoria da República no Estado, da Procuradoria-Geral do Ministério Público do Estado e da Advocacia-Geral da União (AGU) assinam o acordo. Há possibilidade de novas adesões.

A participação no fórum é aberta ao público e as inscrições podem ser feitas pelo portal TCU, onde também está disponível a programação.

Fonte: (Site do TCU)

"Supostos" Discos voadores queimam bananais em Mulugu

A população do município de Mulugu, pertencente ao Maciço de Batirité, está vendo constantes discos voadores. Os moradores da comunidade Guritibá afirmam que uma plantação de banana foi quase destruída na noite do dia 13. Afirmam que as plantações dos bananais foram queimadas. Mas alguns dizem que não foi uma ação extraterrestre e sim alguém que colocou folgo nas plantações, ao todo foi queimado mais de 30 metros. Neste momento, estudiosos estão no local fazendo analise mais detalhada para só assim confirmar se foi uma ação humana ou não. A verdade é que a comunidade está com medo de ser abduzida por estes supostos seres extraterrestres. Sobre este assunto o produtor Halder Gomes fecha a primeira parceria com uma produtora de Hollywood e prepara as filmagens de ´Área Q´, um filme de ficção-científica sobre a presença de seres extraterrestres nos municípios do interior do Ceará.

Desde a década de 1960 tem fama de ser a capital nordestina dos discos voadores, e foi isso, segundo Abreu de Menezes Bezerra que o levou a ter a idéia de criar o projeto para a construção de um Centro Ufológico de Quixadá.

Fonte: Adriano Silva
Correspondente da Revista Central

Por que não toda a quadrilha ? (Laerte Braga, jornalista)


É evidente que José Sarney é bem mais que um simples pilantra. Sarney é um desses lixos humanos que volta e meia sempre aparecem na política aqui no Brasil e em quase todos os lugares do mundo. E que, nesse momento, vive apenas o inferno de uma briga de quadrilhas, disputa de ponto. Só que numa dimensão bem mais alta do que se possa imaginar. Quem assume a presidência do Senado? Marconi Perillo, bandido sem pudor algum e com vários processos por corrupção nas formas mais diversas? Por que o conselho de ética não abre um processo contra cada um dos senadores envolvidos em falcatruas – uns cinco no máximo não estão – que vão desde uso de passagens e verbas de gabinetes, passando por atos secretos e posições até então desconhecidas?
Como é que fica Tasso Jereissati, um sujeito sem respeito por coisa alguma, venal, ligado a grupos econômicos paulistas e internacionais? Arthur Virgílio, o tal líder do PSDB, que quer Agaciel na cadeia, mas pegou dez mil dólares numa “emergência” com o mesmo Agaciel? E Marconi Perillo, vice-presidente do Senado, com processos em múltiplas situações de bandidagem explícita, muitas delas documentadas por gravações autorizadas pela Justiça? Compra de votos, recibo e notas fiscais frias? Dinheiro por baixo dos panos? Como é que fica essa turma? Perillo vai para o lugar de Sarney, uma figura repulsiva não tenho dúvidas, mas não menos que esses que citei e fica tudo resolvido? A moralidade restaurada?

A renunciar, que renuncie a Mesa Diretora do Senado. São cúmplices que neste momento procuram salvar suas peles e seus interesses (e dos que lhes pagam). Vamos admitir por um breve instante que a Polícia Federal resolvesse investigar o senador Tasso Jereissati, suas ligações com Daniel Dantas, com as privatizações corruptas de seu chefe FHC e toda a sorte de trapaças que ornam a sua carreira política eivada de modernizador e administrador eficiente (?). Uns cem processos, uns trezentos anos de cadeia, coisa de deixar qualquer Beira-mar em segundo plano. Sarney é diferente? Claro que não, o problema é que são iguais. Iguais, mas em quadrilhas com interesses diversos, diferenciados. Em muitos momentos estiveram juntos, naquela de beijinho no rosto e tapinha nos ombros. Clube de amigos e inimigos cordiais. O senador José Sarney quando percebeu que era o bode expiatório de uma situação em que os adversários estão atirando com espingarda de cano curvo (miram num alvo, mas querem é atingir outro) lamentou a ausência de “meu amigo” Roberto Marinho, que “não deixaria que fizessem isso comigo lá na Globo”. É a segunda, aliás. Houve aquela contra o marido de Roseana. Sarney não percebeu que mesmo sendo sócio dos “homens” e dono da retransmissora da Globo no Maranhão, já perdeu a data de validade. Não sentiu ainda que politicamente está morto e teima em viver montado num bigode pornográfico – que me perdoem os bigodes – e num império típico de elites podres e atrasadas. Nem sentiu que Globo, Veja, Folha de São Paulo, Estado de Minas, essa tal de grande mídia, é parte dessas quadrilhas. E parte muito importante, pois faz a cabeça do cidadão cá embaixo. E Tasso Jereissati? Difere em que? Talvez só no estilo no mundo da corrupção, dos “negócios”. Sarney é dono dos negócios dele, toca tudo a moda antiga. Jereissati obedece ao esquema Fiesp/Daslu e atua no braço tucano/democrata da quadrilha, com ligações com poderosas outras quadrilhas internacionais sediadas em Wall Street, Washington e alguns pontos de países europeus.

Tasso Jereissati, tal como Arthur Virgílio e/ou Marconi Perillo, é pulha lato sensu. Como pulhas são os que estão por trás deles. Serra. Aécio, FHC (a mais sinistra quadrilha da história política do Brasil), o PSDB. Disputam o controle de um “negócio” chamado Brasil, eles, os tucanos. Sarney disputa o direito de manter seu império particular no Maranhão, no Amapá e passear seu bigode com pretensões literárias – ridículas – de imortalidade. Mafioso dos tempos de D. João Charuto. O que há por trás de toda essa pantomima vergonhosa são os “negócios”. As elites paulistas, as mesmas que acham que 1932 foi um movimento “revolucionário”, e não uma reação de antigos barões, não querem esse negócio de Nordeste dando palpites, decidindo alguma coisa. Querem o império e pronto. Até hoje o Estado de São Paulo acredita que um D. Pedro qualquer governe o Brasil e que libertar os escravos foi uma atitude insensata de uma princesa mimada.

Para que exista corrupção é necessário que exista mais que o corrupto. É necessário que exista o corruptor. Quem corrompe senadores, deputados e, por exemplo, Gilmar Mendes, presidente da STF Dantas Incorporation Ltd ? Eu, você, o distinto eleitor? Ou os grandes empresários, banqueiros, latifundiários, hoje globalizados na perversa exploração da classe trabalhadora e na faina de transformar cada ser humano em zumbi consumidor de celular que fala sozinho? O distinto público será que tem percepção do faturamento da Monsanto, ou da Aracruz com a droga tóxica que chamam de progresso e envenenam o dia a dia de todos nós? Sabe o quanto esses bandidos contribuem para as campanhas dos Jereissatis da vida? Será que sabe o tamanho da canalhice que é a história política de um biltre como Gérson Camata? Ou como a do senador (putz, é o fim da picada) Álvaro Dias? Pô !!! A jornalista Sônia Montenegro escreveu um desabafo onde pede que seja poupada de toda essa lambança planejada, bem orquestrada de tucanos e democratas contra o senador Sarney (pústula sim, mas e os outros?). Que tal olhar, por exemplo, quanto a Globo faturou no governo Sarney em verbas que rolavam disfarçadas de contratos legais, etc, etc? O xis da questão é que a data de validade do senador Sarney esgotou. Sarney opera no mercado no estilo década de 10 do século XV e os caras hoje dispõem de tecnologia de banditismo de última geração. Sarney é do tempo da terra quadrada e tucanos e demos não. E tem mais, tem eleições em 2010 e querem a todo custo retomar o controle do País. José Serra, corrupto de plantão no governo de São Paulo, ou Aécio, viajante “pirlimpimpim” em mundos delirantes no governo de Minas, um ou outro quer o governo do País e dessa forma o comando dos “negócios”.

Já pensaram o que esses bandidos farão com o pré-sal? Vão dar de bandeja para as empresas estrangeiras. Só que, na bandeja, chega a propina. É aí que está o fulcro como dizem juristas da campanha contra Sarney. Não tem importância que ele seja corrupto, todos são e sabem disso, importa que é preciso vender um produto para 2010. O bandido Serra. O tresloucado Aécio. Não estou defendendo o governo Lula. Nem de longe. Mas tenho a certeza absoluta que com todos os erros, por pior que possa ser (nem acho que seja assim), Lula é bem diferente no todo de qualquer tucano em qualquer lugar, principalmente de FHC. Que tal comparar o Brasil do tucano bandido e o de Lula? O que está em disputa é isso. Lula paga o preço dos vacilos nas alianças espúrias no sentido político, mas em nada diferentes das feitas pelos tucanos.
Sarney é o “bocó” que se imagina acima do bem e do mal, com a sua história de um político pusilânime, sobrevivente, que está sendo levado a um mausoléu sem glória alguma. Os outros, os que carregam o caixão não são nem um pouco diferentes. Querem apenas o lugar dele. Só isso. É complicado ouvir Tasso Jereissati e Arthur Virgílio falarem em sepultar gerações comprometidas com o coronelismo na política. E eles? Tasso e Virgílio são a décima ou enésima sei lá, figuras impessoais, de aparência asséptica, sem bigodes pintados, mas que chegaram ao Brasil com Cabral. E enquanto o almirante português pensava numa forma de contato com os nativos, os jereissatis já estavam trocando miçangas coloridas por ouro e os virgílios enfiados nos porões dos navios da esquadra índias, de preferência com menos de quinze anos, para regalo da corte. No passar dos tempos, é só buscar, tem jereissatis e virgílios carregando a mala de Carlota Joaquina quando da vinda da corte para o Brasil. E assim até chegarmos a Tasso Jereissati e Arthur Virgílio. E nesse Arthur não tem távola redonda e nem o mágico Merlin. Tem uma das mais organizadas quadrilhas da política brasileira. A dupla PSDB/DEMO, sob a batuta da quadrilha Fiesp/Daslu. São que nem os Andradas. Chegaram em “navio chapa branca” em 22 de abril de 1500. Brasil e brasileiros que se arrebentem. É o lema deles: “são só negócios, não é nada pessoal”.

Autor: Laerte Braga, jornalista
Postagem: José Nilton Mariano Saraiva

URCA abre grande campanha preventiva contra a Influenza A

...e distribui quatro mil kits a partir de hoje, 17 de Agosto.

A Universidade Regional do Cariri (URCA), por meio da Pró-Reitoria de Administração, Pró-Reitoria de Extensão e Centro Universitário de Práticas Integrativas de Saúde (CUPIS) estará lançando hoje, dia 17, a partir das 9 horas, grande campanha de prevenção e orientação da gripe Influenza A (H1N1), com o tema “A URCA na Prevenção da Influenza A H1N1”. Na ocasião serão distribuídos 4 mil kits de prevenção para alunos e servidores, além de afixação de cartazes e folhetos informativos em todos os campi da Universidade. O lançamento da campanha será feito pelo Reitor da URCA, professor Plácido Cidade Nuvens, no Salão da Terra, no campus do Pimenta, com a presença de pró-reitores, assessores da Universidade, técnicos e estagiários do setor de saúde. Além da campanha, será intensificado na Universidade trabalho de higienização de todos os setores, a exemplo de bebedouros e banheiros. Os kits a serem distribuídos serão diferenciados. Os alunos receberão álcool gel e máscara e os funcionários além do álcool gel e máscara, um squezer, que são recipientes individuais para beber água.

Fonte:
Assessoria de Comunicação

Universidade Regional do Cariri - URCA

(88) 3102-1212 ramal 2617

www.urca.br - Elizangela Santos

As Candidatas ...

Quosque tandem abutere, Catilina, patientia nostra!


Nota do Editor: Frei Beto publicou um excelente artigo sobre o Senado Brasileiro na edição de Domingo do jornal Folha de São Paulo, que trazemos para o Blog do crato. Imperdível !

“ATÉ QUANDO , ó Catilina, abusarás da nossa paciência?”, indagou Marco Túlio Cícero ao senador Lúcio Sérgio Catilina, a 8 de novembro de 63 a.C., em Roma. Flagrado em atitudes criminosas, Catilina se recusa a renunciar ao mandato. Cícero, orador emérito, respeitado por sua conduta ética na política e na vida pessoal, pôs em sua boca a indignação popular: “Por quanto tempo ainda há de zombar de nós essa tua loucura? A que extremos se há de precipitar a tua audácia sem freio? Nem a guarda do Palatino, nem a ronda noturna da cidade, nem os temores do povo, nem a afluência de todos os homens de bem, nem este local tão bem protegido para reunião do Senado, nem o olhar e o aspecto destes senadores, nada disso conseguiu perturbar-te? Não sentes que os teus planos estão à vista de todos?”.

“Ó tempos, ó costumes!”, exclamou Cícero, movido por atormentada perplexidade diante da insensibilidade do acusado. “Que há, pois, ó Catilina, que ainda agora possas esperar, se nem a noite, com suas trevas, pode manter ocultos os teus criminosos conluios; nem uma casa particular pode conter, com suas paredes, os segredos da tua conspiração; se tudo vem à luz do dia, se tudo irrompe em público?” Jurista, Cícero se esforçou para que Catilina admitisse os seus graves erros: “É tempo, acredita-me, de mudares essas disposições; desiste das chacinas e dos incêndios. Estás apanhado por todos os lados. Todos os teus planos são para nós mais claros que a luz do dia”. Se Catilina permanecia no Senado, não era apenas a vontade própria que o sustentava, mas sobretudo a cumplicidade dos que teriam a perder, com a renúncia dele, proveitos políticos. Daí a exclamação de Cícero: “Em que país do mundo estamos nós, afinal? Que governo é o nosso?”. Cícero não temia ameaças e expressava o que lhe ditava o decoro: “Já não podes conviver por mais tempo conosco; não o suporto, não o toler o, não o consinto. (…) Que nódoa de escândalos familiares não foi gravada a fogo na tua vida? Que ignomínia de vida particular não anda ligada à tua reputação? (…) Refiro-me a fatos que dizem respeito não à infâmia pessoal dos teus vícios, não à tua penúria doméstica e à tua má fama, mas sim aos superiores interesses do Estado e à vida e segurança de todos nós”.

Os crimes de Catilina escancaravam-se à nação. Seus próprios pares o evitavam, como assinalou Cícero: “E agora, que vida é essa que levas? Desejo neste momento falar-te de modo que se veja que não sou movido pelo rancor, que eu te deveria ter, mas por uma compaixão que tu em nada mereces. Entraste há pouco neste Senado. Quem, dentre esta tão vasta assembleia, dentre todos os teus amigos e parentes, te saudou? Se isso, desde que há memória dos homens, a ninguém aconteceu, ainda esperas que te insultem com palavras quando te encontras esmagado pela pesadíssima condenação d o silêncio?”. Catilina fingia não se dar conta da gravidade da situação. Fazia ouvidos moucos, jurava inocência, agarrava-se doentiamente a seu mandato.

“Se os meus escravos me temessem da maneira que todos os teus concidadãos te receiam”, bradou Cícero, “eu, por Hércules, sentir-me-ia compelido a deixar a minha casa; e tu, a esta cidade, não pensas que é teu dever abandoná-la? E se eu me visse, ainda que injustamente, tão gravemente suspeito e detestado pelos meus concidadãos, preferiria ficar privado da sua vista a ser alvo do olhar hostil de toda a gente; e tu, apesar de reconheceres, pela consciência que tens dos teus crimes, que é justo e de há muito merecido o ódio que todos nutrem por ti, estás a hesitar em fugir da vista e da presença de todos aqueles a quem tu atinges na alma e no coração?”

Cícero não demonstrava esperança de que seu libelo fosse ouvido: “Mas de que servem as minhas palavras? A ti, como pode alguma coisa faz er-te dobrar? Tu, como poderás algum dia corrigir-te?”. E não poupou os políticos que, apesar de tudo, apoiavam Catilina: “Há, todavia, nesta ordem de senadores, alguns que ou não veem aquilo que nos ameaça ou fingem ignorar aquilo que veem”. Acuado, Catilina se refugiou na Etrúria e morreu em 62 a.C. Cícero, afastado do Senado por Júlio César, foi assassinado em 43 a.C. Um século depois, Calígula, desgostoso com o Senado, nomearia senador seu cavalo Incitatus, com direito a 18 assessores, um colar de pedras preciosas, mantas de cor púrpura e uma estátua, em tamanho real, de mármore com pedestal em marfim.

Fonte: Folha de São Paulo

Governo definirá reajuste de aposentado na terça, diz relator do projeto do fator previdenciário


Brasília - Ficou para próxima terça-feira (18) a definição do governo sobre o percentual de reajuste que será concedido aos aposentados a partir de janeiro de 2010. Na última quarta-feira (12), representantes de entidades dos aposentados e pensionistas estiveram reunidos com parlamentares e com os ministros da Previdência, José Pimentel, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Dulci. O deputado Pepe Vargas (PT-RS), relator do projeto que propõem o fim do fator previdenciário, explicou que a proposta do governo é juntar os quatro projetos de interesse dos aposentados, que tramitam no Congresso, e elaborar um “substitutivo global”, que atenda as reivindicações da categoria e seja economicamente viável ao governo.

“O governo aceita discutir reajuste, o fator [previdenciário], mas quer discutir em torno dessas propostas. E o acordo que for produzido, se for produzido, será materializado em um substitutivo global para que essas quatro matérias legislativas sejam superadas. Para que não haja uma negociação agora e, em seguida, se retome todo o debate de novo”, disse Vargas. Entre os projetos em tramitação dentro do tema há o que trata da política de recuperação do salário mínimo até 2023, em que foi incluída uma emenda que estende os mesmos reajustes aos benefícios pagos pela Previdência; outro que propõe a reposição para aqueles aposentados que ganham acima do salário mínimo; um projeto que extingue o fator previdenciário; além do veto à emenda que dava aos benefícios previdenciários o mesmo percentual de reajuste dado ao salário mínimo.

O deputado gaúcho informou que no encontro da semana passada não foi falado em percentuais de reajuste. “Não foi discutido percentual. O governo disse que o presidente [Lula] determinou ao Ministério da Previdência que negociasse com a área econômica qual percentual desse reajuste. A negociação foi feita e tem uma proposta de percentual”, contou. Segundo Vargas, os representantes do governo aceitaram ainda a ideia de se criar uma mesa de negociações permanente para discutir uma política de valorização do aposentado e do idoso em geral, que iria além da questão salarial. O grupo discutirá também questões de saúde e políticas públicas voltas ao idoso.

Fonte: Agência Brasil

Previsão do Tempo e Almanaque - 17 de Agosto de 2009

Bom Dia, nesta Segunda-Feira, dia 17 de Agosto de 2009, para todos os Cratenses e Caririenses espalhados pelo mundo afora! Após um fim de semana de muitas realizações e projetos, cá estamos em plena segunda-feira sem o merecido descanso, mas tudo bem: Boas coisas virão por aí...A previsão do tempo para hoje, segundo o site Climatempo, é de dia com sol, poucas núvens e não chove em Crato. Temperatura máxima de 25 e mínima de 14:


ALMANAQUE

No dia 17 de agosto, a Igreja Católica comemora o dia de São Jacinto

Batizado com o nome de Jacko, ele nasceu em 1183, na antiga Kramien, hoje Cracóvia, na Polônia. Alguns biógrafos dizem que pertencia à piedosa família Odrovaz, da pequena nobreza local. Desde cedo, aprendeu a bondade e a caridade, despertando, assim, sua vocação religiosa. Antes de ingressar na Ordem dos Predicadores de São Domingos, ele era cônego na sua cidade natal. Foi em Roma que conheceu Domingos de Gusmão, fundador de uma nova Ordem, a dos padres predicadores. Pediu seu ingresso e foi aceito na nova congregação. Depois de um breve noviciado, concluído em Bolonha, provavelmente em 1221, vestiu o hábito dominicano e tomou o nome de frei Jacinto. Na ocasião, foi o próprio são Domingos que o enviou de volta à sua pátria com um companheiro, frei Henrique da Morávia. Assim iniciou sua missão de grande pregador. O trabalho que ele teria de desenvolver na Polônia fora claramente fixado pelo fundador. Jacinto fundou, em Cracóvia, um mosteiro da Ordem de São Domingos. Depois de pregar por toda a diocese, mandou alguns dominicanos missionários para a Prússia, Suécia e Dinamarca, pois esses países pagãos careciam de evangelização. O grande afluxo de religiosos à nova Ordem permitiu, em 1225, por ocasião do capítulo provincial, que se decidisse a fundação de cinco novos mosteiros na Polônia e na Boêmia.

Passados três anos, após ter participado do capítulo geral da Ordem em Paris, foi para Kiev, na Rússia, onde desenvolveu mais uma eficiente missão evangelizadora, levando a Ordem dos dominicanos para aquela região. Jacinto foi um incansável pregador da Palavra de Cristo e um dos mais pródigos colaboradores do estabelecimento da nova Ordem naquelas regiões tão distantes de Roma. Foram quarenta anos de intensa vida missionária. No ano dia 15 de agosto 1257, morreu no Mosteiro de Cracóvia, Polônia, consumido pelas fadigas, aos setenta e dois anos de idade. Considerado pelos biógrafos uma das glórias da Ordem Dominicana, foi canonizado em 1524 pelo papa Clemente VII. A festa de são Jacinto, o "apóstolo da Polônia", era tradicionalmente celebrada um dia depois da sua morte, mas, em razão da veneração da Assunção de Maria, foi transferida para o dia 17 de agosto.

HOJE NA HISTÓRIA:

Em 1962 - Peter Fechter morre tentando cruzar o Muro de Berlim

Nesta data, em 1962, os guardas da fronteira da Alemanha Oriental matam a tiros Peter Fechter, de apenas 18 anos, que havia tentado cruzar o Muro de Berlim para o lado ocidental.

O Muro de Berlim

O Muro de Berlim ("Berliner Mauer" em alemão) foi uma barreira física, construída pela República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) durante a Guerra Fria, que circundava toda a Berlim Ocidental, separando-a da Alemanha Oriental, incluindo Berlim Oriental. Este muro, além de dividir a cidade de Berlim ao meio, simbolizava a divisão do mundo em dois blocos ou partes: República Federal da Alemanha (RFA), que era constituído pelos países capitalistas encabeçados pelos Estados Unidos; e República Democrática Alemã (RDA), constituído pelos países socialistas simpatizantes do regime soviético. Construído na madrugada de 13 de Agosto de 1961, dele faziam parte 66,5 km de gradeamento metálico, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas com alarme e 255 pistas de corrida para ferozes cães de guarda. Este muro provocou a morte a 80 pessoas identificadas, 112 ficaram feridas e milhares aprisionadas nas diversas tentativas de o atravessar.

O Muro de Berlim caiu no dia 9 de Novembro de 1989, acto inicial da reunificação das duas Alemanhas, que formaram finalmente a República Federal da Alemanha, acabando também a divisão do mundo em dois blocos. Muitos apontam este momento também como o fim da Guerra Fria.

O governo de Berlim incentiva a visita do muro derrubado, tendo preparado a reconstrução de trechos do muro. Além da reconstrução de alguns trechos está marcado no chão o percurso que o muro fazia quando estava erguido.

O Muro de Berlim caiu na noite de 9 de Novembro de 1989 depois de 28 anos de existência. Antes da sua queda, houve grandes manifestações em que, entre outras coisas, se pedia a liberdade de viajar. Além disto, houve um enorme fluxo de refugiados ao Ocidente, pelas embaixadas da RFA, principalmente em Praga e Varsóvia, e pela fronteira recém-aberta entre a Hungria e a Áustria, perto do lago de Neusiedl.

O impulso decisivo para a queda do muro foi um mal-entendido entre o governo da RDA. Na tarde do dia 9 de Novembro houve uma conferência de imprensa, transmitida ao vivo na televisão alemã-oriental. Günter Schabowski, membro do Politburo do SED, anunciou uma decisão do conselho dos ministros de abolir imediatamente e completamente as restrições de viagens ao Oeste. Esta decisão deveria ser publicada só no dia seguinte, para anteriormente informar todas as agências governamentais. Pouco depois deste anúncio houve notícias sobre a abertura do Muro na rádio e televisão ocidental. Milhares de pessoas marcharam aos postos fronteiriços e pediram a abertura da fronteira. Nesta altura, nem as unidades militares, nem as unidades de controle de passaportes haviam sido instruídas. Por causa da força da multidão, e porque os guardas da fronteira não sabiam o que fazer, a fronteira abriu-se no posto de Bornholmer Strabe, às 23 h, mais tarde em outras partes do centro de Berlim, e na fronteira ocidental. Muitas pessoas viram a abertura da fronteira na televisão e pouco depois marcharam à fronteira. Como muitas pessoas já dormiam quando a fronteira se abriu, na manhã do dia 10 de Novembro havia grandes multidões de pessoas querendo passar pela fronteira.

Os cidadãos da RDA foram recebidos com grande euforia em Berlim Ocidental. Muitas boates perto do Muro espontaneamente serviram cerveja gratuita, houve uma grande celebração na Rua Kurfürstendamm, e pessoas que nunca se tinham visto antes cumprimentavam-se. Cidadãos de Berlim Ocidental subiram o muro e passaram para as Portas de Brandenburgo, que até então não eram acessíveis aos ocidentais. O Bundestag interrompeu as discussões sobre o orçamento, e os deputados espontaneamente cantaram o hino nacional da Alemanha.

Fontes: Climatempo, Edições Paulinas, 10emtudo, Wikipedia

Completude - Dihelson Mendonça

Dedicado à aquele a quem considero meu segundo pai, um irmão, um sábio, cuja pureza de coração de um ser iluminado, lhe possibilita conversar com os pássaros da floresta: Haroldo Ribeiro.


Quero envelhecer da maneira mais pura e isenta de morte, quanto possível. Admitindo que todos podem ter razões, e que a verdade é como um pássaro que habita muitas árvores. Que há um ser supremo que eu não compreendo, porque não tenho inteligência para tal. Que julguei ter amigos que eram apenas fantasmas, e criei na minha imaginação exércitos de inimigos que nunca fizeram-me qualquer mal.

Que posso acrescentar ainda? volto ao pó de que eu um dia fui feito. Mas como foi boa e bela a minha estada! Quem dera meus irmãos da rocha viver apenas um de meus dias! Que poderia eu ainda querer após a minha passagem ? Serei tão arrogante que não sendo nada, tornaram-me gente, e hoje eu desejaria viver pelas portas da eternidade adentro?

Não!! Amei, sorri, vivi, lutei, perdi, venci. Aprendi que quando estamos mais convictos de algo é quase sempre aonde estamos absolutamente equivocados. Por isso talvez não precisássemos falar tanto sobre a vida. Nem questioná-la, talvez, pois ao expressarmos algo, sempre estamos a mentir sobre nós mesmos. Somos eternos mentirosos em relação à vida.

Desejei apenas olhar a folhagem em volta, exuberante. Ouvir, quem sabe, o canto mavioso de um pássaro. Sentir o calor da pele de outro ser humano. Aí sim, está a vida !?

O resto... o resto mesmo, não passa de vaidade debaixo do céu.

Dihelson Mendonça

Vídeo: Repórter Record Especial - O esquema secreto dos ataques contra a Record - parte 1

Em programa de 1 hora de duração na Rede Record, a revelação dos podres da Rede Globo.
Rede Globo - Um Império erguido sob o aval da Ditadura



Fonte: Youtube

Record vincula Globo à ditadura e exibe entrevista exclusiva com Edir Macedo


Em programa de quase uma hora exibido na noite deste domingo, a Rede Record aumentou o tons das críticas contra a Rede Globo, vinculando a emissora da família Marinho à ditadura militar no país. Sem intervalos comerciais, o programa "Repórter Record" exibiu a denúncia de que a Globo estaria tratando como terreno particular uma praça pública em São Paulo, além de acusar a emissora de falsificar documentos. O programa retransmitiu entrevistas com políticos a respeito do "monopólio" da emissora, alegando que essa prática seria "prejudicial à democracia". Ainda nessa linha, utilizou trechos de um documentário britânico, "Muito Além do Cidadão Kane", para acusar a Globo de ter sido conivente com as autoridades da ditadura militar brasileira.

Pedofilia e islamismo

Depois das críticas dirigidas à Globo, o Repórter Record mostrou uma entrevista exclusiva com o bispo Edir Macedo, que está no centro das acusações dirigidas contra a quadrilha. Na entrevista, feita nos Estados Unidos, Macedo afirma que as acusações contra ele não são novas, e que as recebe com "alegria -- por causa da fé". O bispo afirmou que "claro que há bispos ruins na igreja", mas disse que eles são expulsos da organização quando se descobrem irregularidades. Macedo citou como exemplo um suposto caso de pedofilia nos Estados Unidos: "A igreja colaborou com a polícia nesse caso". Quando perguntado pela repórter qual sua ambição, ele disse que pretende "colocar a Record lá no topo". "E com a igreja?", continuou ela. "Pretendo chegar aos países muçulmanos", respondeu Edir Macedo. "Eu sei que é uma guerra danada lá, mas é nossa ambição".

"Fantástico" atira de volta

A edição do programa "Fantástico" da noite deste domingo também deu prosseguimento à troca de acusações. Em reportagem mais curta que o concorrente, mostrou casos de fiéis que teriam sido coagidos a doar mais dinheiro do que poderiam. Uma das entrevistadas dizia que após ter doado cerca de R$ 100 mil à Igreja Universal, não tinha mais dinheiro para comer e almoçava as amostras grátis distribuídas nos supermercados. O "Fantástico" também citou o caso de Edson Luiz de Melo, ex-zelador, de 45 anos de idade, portador de um "diploma de dizimista" (veja imagem ao lado). Dulce Conceição de Melo, de 65 anos, mãe de Edson, entrou com a ação na Justiça contra a Igreja Universal do Reino de Deus por prejuízo de R$ 55 mil. O mesmo programa mostrou uma mansão em Campos do Jordão que seria propriedade de Edir Macedo e que "virou ponto turístico" na cidade.

Guerra das TVs

A troca de acusações entre Globo e Record dominou o telejornal das duas emissoras na última semana, em uma escalada de acusações desencadeada pela abertura do processo no Ministério Público sobre lavagem de dinheiro e formação de quadrilha por parte dos líderes da Igreja Universal. Na terça-feira, o "Jornal Nacional" veiculou reportagem de dez minutos sobre as acusações, ao lado de imagens de 1995 do bispo Edir Macedo ensinando pastores a convencer fiéis a doar dinheiro. A resposta veio na noite seguinte. O "Jornal da Record", durante 14 minutos, fez ataques à Globo e mostrou obras de caridade mantidas pela Universal. Para a Record, a cobertura da concorrente é um "ataque direto e desesperado" de quem tem medo de perder "o monopólio dos meios de comunicação no Brasil". O texto afirmava "não ser novidade que a família Marinho usa a televisão para seu jogo de interesses" e que "o poder da família Marinho teve origem na ditadura militar". Ao mesmo tempo, a reportagem da Globo (9,5 minutos) detalhava as acusações do Ministério Público contra a Universal e destacava que "a Promotoria concluiu que empresas de comunicação estão entre os que receberam ilegalmente" dinheiro de fiéis. Mostrava imagens de um templo para ilustrar a acusação de que "a religião é apenas um pretexto para a arrecadação de dinheiro".

Na quinta-feira, a Record ampliou a cobertura e, em 22 minutos, disse que, com os "ataques" da Globo, "a fé de todos esses fiéis foi ridicularizada". Insistiu ainda no foco no lado empresarial da Globo. "A ligação com o submundo dos golpes financeiros está presente na Globo desde o seu nascimento." O "JN" do mesmo dia diminuiu o tempo destinado ao tema, para 6,5 minutos. Sempre citando o Ministério Público ou jornais, reforçou que "o dinheiro doado pelos fiéis para a caridade" acabou "usado em benefício do grupo de Edir Macedo". A Globo fez nova reportagem na sexta-feira, de seis minutos e 15 segundos. Reproduziu reportagens de jornais e foi atrás do destino de R$ 10 milhões apreendidos com um líder da Universal em 2005. Informou que a igreja já fez seis recursos para reaver o dinheiro, mas não conseguiu convencer a Justiça.

Fonte: UOL - Universo Online

Crato: Fórum da Chapada do Araripe retoma ações - Reportagem: Elizângela Santos


A reunião dos integrantes do fórum reúne representantes do PI, PE e CE, para debater problemas voltados ao desenvolvimento sustentável de regiões desses Estados (Foto: Elizângela Santos). O encontro teve o objetivo de definir quais os projetos que o MIN deve apoiar na mesorregião do Araripe. Crato. Retomadas as ações do Fórum da Mesorregião da Chapada do Araripe, dentro da Política Nacional de Desenvolvimento Regional, do Ministério da Integração Nacional (MIN). Estiveram reunidos no Crato, na última quinta-feira, no Salão de Atos da Universidade Regional do Cariri (Urca), representantes do Fórum na Meso-Araripe dos Estados do Piauí, Ceará e Pernambuco. O encontro teve o objetivo de definir quais os projetos que o MIN deve apoiar na mesorregião do Araripe, que abrange 103 municípios dos três estados. A verba para os projetos aprovados será aplicada parte ainda este ano e o restante em 2010.

Cada estado priorizou neste primeiro momento das discussões três propostas prioritárias para atuar. O novo gerente do Fórum da Mesorregião do Araripe, Raphael Paiva, destacou o trabalho de articulação que é desenvolvido pelo Fórum, mas que esse é o momento de dizer para o Ministério da Integração o tipo de projeto para se trabalhar com maior prioridade. O fórum é formado por várias instâncias representativas da sociedade, com instituições governamentais e não-governamentais, que vêm atuando principalmente em cima de ações voltadas para os arranjos produtivos nos estados em que atua. São 13 instâncias desse gênero em todo o País. Segundo o gerente, essas são regiões em que se reconhecem grandes desigualdades e que precisa de reparação em vários níveis. Também existem as nove sub-regiões prioritárias. Ele destacou os convênios e parcerias para o fortalecimento das ações discutidas pelo fórum. A Fundação Araripe fez a apresentação da proposta de reestruturação do Fórum e foram apresentadas as ações desenvolvidas pelos três estados. O secretário das Cidades do Ceará, Joaquim Cartaxo, apresentou a política de desenvolvimento regional e as ações do Governo no Cariri. O responsável técnico da mesorregião, Raphael Paiva, disse que, nesse momento, há uma importância fundamental de apoiar o Projeto Geopark Araripe, por ter um grande potencial que visa à preservação e conservação do meio ambiente, leva em consideração a cultura, história e o patrimônio contido em sua área.

Ele explica que a participação do Ministério da Integração Nacional é fundamental no desenvolvimento da Chapada. "Essa é uma região que sofre com a seca, que tem o índice de desenvolvimento humano baixo e muito carente da ação do governo. Um lugar aonde o governo não chegou ou chegou com uma perspectiva muito assistencialista. É o que nós estamos trazendo de diferente, um investimento no setor produtivo mesmo, tentando dinamizar a economia, melhorar condições de vida por meio do incentivo no setor produtivo. Isso tem um impacto grande e imediato". O Fórum é formado por representantes de associações, instituições e técnicos que vivem na região e conhecem dos problemas. Assim, as ações apoiadas pelo MIN podem beneficiar pequenos produtores de mel, leite de cabra e derivados.

Mais informações
Secretaria das Cidades
Centro Administrativo Governador Virgílio Távora - Cambeba, Fortaleza
(85) 3101.4483

Comente
regional@diariodonordeste.com.br

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaboradora do Jornal Chapada do Araripe

Ponta da Serra Recepciona Seu Novo Vigário Paroquial: PE. Cícero


Dentro das comemorações do Ano Sacerdotal, a Paróquia de São José Operário de Ponta da Serra, que tem como pároco, há mais de 25 anos, o Mons. João Bosco Cartaxo Esmeraldo, tem realizado vários eventos catequéticos, dentre esses, o I Encontro de Catequese 2009 (nos dias 25 e 26 de julho) e a Formação do mais novo Grupo de Acólitos ( Coroinhas).
Nesses últimos dias, dois fatos marcaram a Comunidade: a ordenação do diácono Cícero Caboclo da Silva, que já vinha atuando na Paróquia há alguns meses, o outro foi a ordenação do Dr. Francisco Dionísio Alves como diácono permanente.
Hoje, 16.08, nas últimas horas do dia, foi a vez da comunidade recepcionar o recém-ordenado PE. Cícero Caboclo da Silva, o mais novo Vigário Paroquial de Ponta da Serra.
Entende-se que foi uma das maiores festas ocorridas na comunidade, onde uma grande multidão compareceu á entrada principal da Sede para recepcionar o PE Cícero Caboclo, que foi recebido ao som do Hino de Ponta da Serra interpretado pela Banda de Música do Crato.
Presentes ao evento, várias autoridades eclesiásticas da Diocese de Crato. Todos seguiram em cortejo até a Matriz, onde o PE. Cícero celebrou a santa missa pela primeira vez na capela de São José, agora como padre.
Após a missa, os convidados se dirigiram para o complexo do Pólo de Atendimento Vereador Edvardo Ribeiro da Silva/ Quadra Poliesportiva Raimundo Ribeiro de Matos, onde foi servido um grande jantar de confraternização, que contou com a participação de boa parte das famílias locais, representantes de muitas outras comunidades que compõem a Paróquia e amigos do PE Cícero.
Registra-se, também, a presente ao evento, o PE. Antonio Luiz do Nascimento, Pároco de Mauriti - CE, PE. José Vicente e os seminaristas Tales, José Leandro, Reginaldo, Amós, Rafael, Damião, Dedé, Roberlânio e Marcos.
A partir de hoje, a Paróquia de São José Operário contará com um Pároco, Mons. João Bosco Cartaxo Esmeraldo, dois Vigários Paroquiais: PE Paulo Moura e PE Cícero, e um diácono permanente, Dr. Francisco Dionísio Alves.


Por Antonio Correia Lima

Alternativa à Lei 9478/97 (Lei do Petróleo) Por AEPET

"A Associação dos Engenheiros da Petrobrás (AEPET) enviou, no dia 26/05/08, a carta `AEPET-CL-12/08`, aos parlamentares, no Congresso Nacional, bem como à diversas entidades da sociedade brasileira. Objetivo: apresentar propostas alternativas à Lei 9478/97 (Lei do Petróleo), criada no governo FHC, em 06/08/1997, que persiste intacta e regendo os absurdos leilões da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Os defensores desta lei, notadamente as empresas privadas nacionais e estrangeiras, não querem nem ouvir em sua mudança do referido marco regulatório, mas cresce na sociedade brasileira o entendimento de que tal lei não pode permanecer mais como antes, sobretudo agora que a Petrobrás descobriu a área do pré-sal. Na sua carta, a AEPET lembrou: `A Lei 2004 de 03/10/1953 estabelecia o monopólio da União nas atividades de pesquisa e lavra das jazidas de petróleo e outros hidrocarbonetos fluídos e gases raros, existentes no território nacional; na refinação do petróleo nacional ou estrangeiro; no transporte marítimo do petróleo bruto de origem nacional ou de derivados de petróleo produzidos no País, bem assim o transporte, por meio de condutos, de petróleo bruto e seus derivados, assim como de gases raros de qualquer origem. Em 06/08/1997 aquela Lei foi alterada pela Lei 9478 a qual permite (art. 5º.) que qualquer empresa constituída sob as leis brasileiras, com sede e administração no País, possa exercer essas atividades. O art. 26 desta Lei determina que o concessionário terá a propriedade do petróleo ou gás produzidos, ou seja, poderá dispor deles como quiser`. A AEPET sustenta que, atualmente, existem no mundo dois fatores conflitantes: (1) o aceleramento do consumo mundial de petróleo e (2) a queda, prevista para curto prazo, da produção de petróleo no mundo. Esses fatores, continua a entidade, estão levando o preço do petróleo a alturas inimagináveis e as grandes potências, que não têm reservas próprias para atender suas necessidades, partem para ações agressivas que garantam os respectivos abastecimentos de petróleo ou gás (vide casos do Iraque e do Irã). `No Brasil, confirmada a expectativa da Província Petrolífera do Pré-Sal, estaremos em situação privilegiada: as dimensões desta Província, descortinada pela Petrobrás, de 800 km x 200 km, indicam a possibilidade de reservas da ordem de 80 bilhões de barris, que a um preço de US$ 120,00/barril, atinge astronômica cifra de aproximadamente US$ 10 trilhões. Esta quantia viria resolver muitos dos problemas que ora afligem o País, inclusive o de reaparelhamento das Forças Armadas no que tange à defesa adequada da Pátria`, sustentou a diretoria da AEPET."

Obs. Estou postando este texto porque ele tem tudo a ver com o fato do Presidente Lula emprestar solidariedade ao Sarney.

Fonte: site da AEPET (Associação dos engenheiros do Petrobrás).

Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30