xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 06/08/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - CONVERSA FRANCA - O DESCASO NO CRATO - Dihelson Mendonça ( 30-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

06 agosto 2009

A verdade e a falta dela - Por: Alessandra Bandeira



Infelizmente caros Blogueiros e Blogueiras, terei que vir a publico novamente e abordar um assunto que para mim, so causa nojo, mas o que tem que fazer para que de uma vez por todas a verdade venha a tona? Meus amigos e amigas , Wilson Bernardo e eu recebemos uma representação de desfiliação do PT de Crato. No meu caso eu estou sendo acusada de agir de maneira hóstil em relação ao PT, mas posso agir assim por não ser filiada , então até ai tudo bem.
Para negar o obvio, que todos que passam pelo PT cratense sabem, o senhor Amadeu de Freitas , mestre em vitimização e em distoração da verdade, não assume o belo papel que fez .

Como paladino incansavel da ética , moral e bons costumes, quase um membro da Liga das Senhoras Católicas, ele insiste em ir por um caminho que cda vez mais afunda ao invés de dizer:
O PT do Crato está desorganizado, desarticulado e desfacelado, erramos ao enviar um requerimento onde não consta o nome de quem esta requerendo tal ação e tambem em pedir a desfiliação de uma pessoa que já esta desfiliada desde Março de 2009. O que me dá direito de trabalhar sem pedir autorização e de dizer que o senhor Amadeu é um ditador, ele que não faz parte do quadro executivo do diretorio,mas manda mais que a própria presidente.

Eu não tenho medo da verdade, nobre paladino, mas o senhor como um bom ser dialetico que és, tem.Tu vives em constante agonia , pois o Ptezinho tão defendido por ti e o mesmo Ptzeinho que tu insistes em desfacelar. Veja o comentario dessa pessoa tão, tão contraditoria quando indagado quem é a pessoa que assina o requerimento:

"Olha, Dihelson,Respondi sim, tudo. Não escrevi o que vocês queriam ler.Bem, como não tenho mesmo rabo preso, posso repetir a informação. No entanto, essa insistência na publicação do nome de quem assinou a Representação contra Alessandra é mera estratégia para exploração do assunto. Não serei eu que vou divulgar. Não vejo importância nisso. Já disse que Alessandra tem cópia da Representação assinada por um filiado do PT.Portanto, vocês sabem quem representou. Dizer que ela não sabe quem assinou a representação é faltar com a verdade. O meu nome também consta na Representação como testemunha. É tudo.
4:04 PM "

E assim escorregadio como só ele sabe ser , que ele responde. Amadeu seja nobre, como o senhor tanto insiste em ser e de uma vez por todas, assuma os erros e não passe mais vergonha, tenha dignidade e carater e assuma publicamente a verdade, o PT errou no meu caso, errou feio, motivado pela ação moralizante de sua pessoa. Quem falta com a verdade é o senhor nobre paladino da Verdade e da Ética, se não tem rabo preso porque não fala logo o autor do requerimento? Não seria mais fácil e prático assumir o erro , pedir desculpa, do que ficar me acusando e gerando assim um problema juridico para sua nobre pessoa?

Por Alessandra Bandeira

o Bigodão de Sarney - Por: Dr. José Flávio Vieira

Recentemente o sai-não-sai de José Sarney tem atapetado todas as páginas do noticiário. É o escândalo político do momento. Até que surja um outro – o que por aqui é facílimo de encontrar -- os “Marimbondos de Fogo” continuarão ferroando o persistente caudilho amapá-maranhense. Outros tantos já estiveram na berlinda e hoje se vêem perfeitamente anistiados ( ao menos pela mídia) : Renan Calheiros, Agaciel Maia, Jáder Barbalho, o deputado mineiro do castelo medieval, Roriz, Garotinho, Yeda Crusius ... A política brasileira é uma fábrica de esterco! Esta parece ser a conclusão mais óbvia para quem abre o jornal ou aperta o botão on-off da TV. Acredito que é importante cada um de nós perceber os detalhes que se encontram escondidos por trás do véu nada diáfano das manchetes.
Política no Brasil, amigos, é esta bandalheira que está aí mesmo e todo mundo sabe. Não há eleição sem caixa 2,3,4; quase ninguém se elege sem comprar votos. E pior, todo mundo neste país vende seu votinho, não é só o descamisado não! Varia o preço: uns por chinela, outros por tijolos, cimento, favores, outros por cargos e licitações. Pouquíssimos políticos nesse país resistiriam a uma investigação simples da evolução do seu patrimônio após ser eleito. Qualquer “drome-sujo” na rua sabe exatamente quanto custa a eleição a qualquer cargo público. Há candidatos, do interior do Ceará, que gastaram mais de dois milhões numa eleição para prefeito! Ponham isso em escala nacional, para todos os cargos, em todos os mais de 5000 municípios! E aí , vem a pergunta inevitável: se o que ganharão como salário é infinitamente menos daquilo que investem na campanha, por que o fazem? São todos santos, bem-intencionados, filantropos? E o nepotismo, isso é lá novidade? O nepotismo é uma herança monárquica neste país, faz parte da nossa cultura como a feijoada. Na carta de Pero Vaz de Caminha , sobre o descobrimento do Brasil, o escrivão já aproveitou para pedir um empreguinho a Del-Rey para um sobrinho!
Sei que nas rodinhas todos se mostram indignados, revoltados com a cara de pau de nossos políticos. Alguns, inclusive, apresentam soluções radicais: fechar a Câmara e o Senado, nunca mais votar para eleger nenhum FDP desses. O que eu falei pode até chocar e parecer um discurso comodista: “É assim mesmo, cambada, deixa prá lá!” Não é isso amigos, apenas acredito que pouquíssimos de nós têm o real direito da indignação. Simplesmente porque o brasileiro comum não é melhor nem pior dos que discursam em Brasília. Somos todos muito parecidos. O Congresso é o mero reflexo no espelho da sociedade que formamos. O brasileiro é assim mesmo: um corrupto incorrigível. Mudam as escalas e as nuances. O sujeito que se revolta diante da TV logo adiante tenta subornar o guarda de trânsito para livrar a multa ; o mais indignado bota gato em casa para livrar a continha da luz e um jacaré para burlar a SAAEC; o sujeitinho que vomita com o discurso do Sarney é o mesmo que compra recibos frios para sonegar o imposto de renda. Os comerciantes que dizem repugnar as coisas de Brasília recolhem o ICMS dos clientes, mas dão um jeitinho contábil de não repassar todo à Receita. Na maior parte das instituições públicas brasileiras, o esporte que mais se joga é aquele : Bola! No mais, dêem um cargo a qualquer brasileiro e vejam se não se repete exatamente aquilo que todos tanto criticam em Brasília : favorecimentos, nepotismo, notas frias, melhoria patrimonial, desvios e por aí vai... ponham uma lupa em qualquer um de nós e a imagem que aparecerá não é muito diferente da de Sarney, ACM, Jáder, Severino Cavalcante. E é sempre bom lembrar que todos eles foram eleitos com uma votação expressiva.E, mais, eles serão reeleitos quantas e quantas vezes assim o desejarem, independentemente de escândalos, denúncias e da falsa e hipócrita indignação do povo brasileiro.
Nenhuma instituição neste país ,pública, privada, religiosa, filantrópica, sindical resiste a uma CPI séria, nenhuma ! O Brasil, amigos, é esta ilha de corrupção cercada de hipocrisia por todos lados. Claro que o leitor pode imediatamente pensar: “Alto lá, meu pai era uma pessoa extremamente honesta e exemplar, não merece a acusação que este doido esta lançando a todos nós!”. Perfeito, amigos, cada um de nós conhece alguns Policarpos Quaresmas. No Congresso existem também, mas em ambos lados são raríssimos e deviam, inclusive , ser cadastrados pelo IBAMA, pois se encontram em franco risco de extinção. Neste país só existe uma coisa realmente organizada : O Tráfico de Drogas e de Influências.
E aí, não tem jeito? Estamos fadados eternamente à lama, ao pântano? Não, amigos, mas o que tem que mudar não são nossos políticos, mas o povo que os elege. Somos uma nação novinha. Passamos 300 anos como colônia, quase cem como monarquia e no último século perdemos quase que a metade em duas ditaduras. A Monarquia e a Escravidão acabaram praticamente ontem, há pouco mais de cem anos e não por mera coincidência evaporaram-se quase que ao mesmo tempo. Como mudamos ? Mudamos com educação política e isso demanda tempo e maturação. Se a gente olhar direitinho até que já andamos, é que o filme da transformação passa em slow-motion. Por enquanto é bom lembrar que quando olharmos nossa imagem no espelho talvez pensemos está contemplando o Dalai Lama, mas se nos detivermos nos detalhes veremos que no nosso retrato envergamos um colarinho branco e um bigodão igualzinho àquele do Sarney.

J. Flávio Vieira

A Crise da Mídia e a Democracia - Por: Amadeu de Freitas

A inquestionável crise da mídia brasileira se choca com um processo de maior democratização da sociedade brasileira o que, por si só, deveria levar a pensar o caráter tanto da imprensa no Brasil, quanto da própria democracia entre nós. O que está em crise é a forma de produzir notícias, a forma de construção da opinião pública. Seria grave se a dimensão da crise que afeta a mídia refletisse, nas mesmas dimensões, a democracia no Brasil. Ao ler alguns órgãos da imprensa, pode-se ter a impressão que a democracia retrocede e não avança entre nós, que estamos à beira de uma ditadura, ao invés de um processo — lento, mas claro — de democratização da sociedade brasileira.

Cada classe social toma sua decadência como a decadência de toda a sociedade, quando não de toda a humanidade. Neste caso, é uma casta que controlou a formação da opinião pública, de forma monopólica e que, com isso, se considerou depositária dos interesses do país. Derrubou a Getúlio, contribuiu decisivamente para o golpe militar de 1964 e para o apoio a este, uma parte dela tentou desconhecer a campanha pelas eleições diretas, tentou impedir a vitória de Brizola nas primeiras eleições diretas para governador do Rio de Janeiro, apoiou a Collor, esteve a favor de FHC, a ponto de desconhecer a evidente corrupção presente nos escândalos processos de privatização, na compra de votos para a reeleição, entre tantos outros casos. Agora, se coloca, em bloco, contra o governo Lula, o de maior popularidade na história do Brasil, chocando-se assim flagrantemente com a opinião do povo brasileiro. A mídia tradicional está em crise, a democracia brasileira, não. Porque se amplia significativamente o circulo de produção de opinião, de difusão de noticias, se democratiza a informação e os que são afetados pelo enfraquecimento do seu monopólio oligárquico — em que umas poucas famílias controlavam a mídia — esbravejam. Tentam impedir a realização da Conferência Nacional de Comunicação, convocada para dezembro, porque detestam que se debata o tema da democracia e a mídia.

A crise do poder legislativo é parte do velho poder oligárquico, que sobreviveu na passagem da ditadura à democracia, que se vale do fisiologismo para vender seu apoio aos governos de turno. Não por acaso os mesmos personagens envolvidos nas acusações atuais no Congresso apoiariam ao governo FHC e, com o beneplácito da mídia, foram poupados das acusações agora dirigidas contra eles, na tentativa de enfraquecer a base de apoio parlamentar do governo. Enquanto o Brasil se torna mais democrático, com a promoção social de dezenas de milhões de famílias, a estrutura parlamentar reflete o velho mundo oligárquico, similar ao da propriedade da mídia privada.

No momento em que o Brasil precisa de uma nova mídia, uma nova forma de difundir notícias, de promover o debate econômico, político, cultural, a velha mídia resiste em morrer, em dar lugar à democratização que o Brasil precisa. Sabem que a continuidade do governo atual e o aprofundamento dos processos de saída do modelo herdado do governo FHC sepultarão toda uma geração de políticos opositores — derrotados pelas urnas e/ou pela senilidade. Daí seu desespero na luta contra o governo — que conta com 6% de rejeição a Lula, contra 80% de apoio.
A crise da mídia é outro reflexo do velho mundo que desmorona, para dar lugar à construção de um Brasil para todos e não para as elites minoritárias que historicamente o dirigiram.

Emir Sader é sociólogo e professor. Este texto foi originalmente publicado em seu blog no site Carta Maior (www.cartamaior.com.br)

Por: Amadeu de Freitas

Usuários relatam "drama" após ataque virtual derrubar Twitter


O serviço de microblogs Twitter, coqueluche entre internautas, ficou fora do ar na manhã desta quinta-feira (6) devido a um ataque virtual. Foi o suficiente para os usuários entrarem em uma pequena crise pessoal: afinal, quando o Twitter sao ar, onde as pessoas vão reclamar da falta de acesso ao microblog? "Estou sofrendo", disse o jornalista e redator publicitário Pedro Beck (www.twitter.com/pedrobeck), que constatou a queda momentânea do serviço quando ligou o computador, às 10h. "Quando conectei, ele [o Twitter] entrou. Mandei um 'tweet' [mensagem cujo texto não ultrapassa 140 caracteres], ficou carregando por um tempo e não foi. Daí, já era", relatou. "Não posso contar ao mundo o que estou fazendo", lamenta. "Fiquei angustiado." "O Twitter é a coisa mais incrível que eu já vi na vida. Me proporcionou novas amizades, contatos profissionais, ficar 'stalkeando' [espiando, seguindo] a vida dos outros".

A webdesigner Mariana Neri (www.twitter.com/nananeri), de Salvador, disse que estava trabalhando muito no momento em que os primeiros indícios do ataque surgiram. "Deu agonia", brinca. "Fiquei tentando abrir várias vezes, porque, às vezes, volta, mas desta vez não rolou", conta ela. E a rotina? "Aumentou a minha produtividade." Já o cartunista André Dahmer (www.twitter.com/malvados), do Rio de Janeiro, disse que a queda no serviço de microblogs o prejudicou, mas não tanto. "Estou indo viajar agora para São Paulo para lançar o meu livro no domingo, e gostaria de ter avisado isso", observou. "Não deu para avisar pelo Twitter". Ainda assim, ele minimizou a queda. "Ele é bom para avisar certas coisas, mas acho que não vai me matar, não."

Fonte: UOL Tecnologia
Por: Samuel P. Teles
---
Seja meu seguidor no Twitter: www.twitter.com/ducrato

Princípio da Tolerância - Mário Covas


“E para que eu me credencie a defender a minha verdade, começo por manifestar a humildade de saber que existem outras verdades e que elas são tão sustentáveis quanto as minhas e que a única razão pela qual um homem, um democrata passa a ter o direito de defender a sua verdade é exatamente o respeito que ele manifesta pela Alheia”.

Mário Covas.

Os Fatos do Dia - Coluna José do Vale feitosa

O discurso de Sarney e o Senado Federal


Sarney discursou como um verdadeiro senador da república. Usou do talento literário que muitos não atribuem possuir. O que disse Sarney: sou igual a qualquer um de vocês, no nepotismo, nos atos secretos, no uso do patrimônio público. Nenhum Senador contestou-o. Se prestarmos atenção ao Arthur Virgílio apenas causos por reparo. Nenhum Senador levantou-se e se diferenciou de Sarney. Ninguém por dignidade negou que se igualasse a ele. Nem os chamados éticos e nem os emporcalhados pelas notícias da mídia. Foi um silêncio absoluto de concordância.

Ao final da sessão o Presidente saiu pelos corredores como numa cena do velho Senado Romano, cercado de seus partidários, desfilando como faz um senador. Enquanto isso os adversário não tiveram nem um Brutus para consumar os fatos prometidos. Afinal o assassinato de César não foi a favor de Roma, apenas resolvia a disputa privada entre os membros do Senado.

Mentiras na instalação de bases dos EUA na Colômbia


O presidente da Colômbia mantém o país atrelado à política externa Americana. Autorizará a presença militar desta nação imperial em seu país. O motivo para tais bases é o combate ao narcotráfico e à guerrilha. Vamos aos fatos?

É mentira. O combate ao narcotráfico é por cooperação civil como forma de sufocar a parte econômica da produção e distribuição. O sistema financeiro transfere a moeda do lucro das drogas e se pode sufocá-lo se abandonar estas benesses de paraísos fiscais. Evidente que existe uma forma violenta de destruir as bases de produção e distribuição, mas esta é uma tática dentro da estratégia global de sufoco à produção e ao tráfico.

O governo Colombiano pode ter montanhas de razão ao combater as guerrilhas, especialmente as FARCs. Essa é uma luta tipicamente interna, feita por colombianos e no intuito da paz. É evidente que a desmobilização da guerrilha passa por negociações em que os segmentos rebelados se integram na vida nacional da Colômbia. Isso já ocorreu em muitos países e não é impossível que se faça naquele país.

Portando em última análise as bases americanas na Colômbia é um fator real de tensão e desgaste na América do Sul. Isso é verdade inclusive pela simples observação de que a presença militar do império sempre funciona em favor de grupos minoritários e contra segmentos majoritários. Neste caso quem teme a presença militar da China nas províncias deflagradas, ou da Rússia, ou de qualquer outro país, sabe que tudo se iguala ao mesmo em realidade.

Por: José do Vale Feitosa

Projeto “Cadeia é lugar de Cidadania” é desenvolvido no Crato


Reconhecer o sistema prisional como espaço para reintegração social é dos objertivos do Projeto “Cadeia é lugar de Cidadania” realizado na Cadeira Pública do Crato. O projeto consiste na realização de cursos e palestras que tem como foco a profissionalização e o fomento aos princípios de cidadania. Já foram realizados cursos de origami, corte e costura, artesanato em E.V.A, bijuterias, artesanato em jornal, pintura em cerâmica, alfabetização de jovens e adultos. No início desta semana, foram iniciados mais três turmas para os cursos de Corte e Costura e Bijuterias com sementes. O projeto realizou em fevereiro deste ano, a exposição Ninho no Fórum Hermes Parayba, no Crato que contou com um imenso painel com grafismos, desenhos e frases produzidas pelos detentos e detentas, além de peças fabricadas pelos encarcerados das cidades do Crato e de Várzea Alegre.

O projeto conta ainda com o apoio de estagiários do Curso de Direito da Universidade Regional do Cariri – URCA que desenvolvem um trabalho que visa agilizar a tramitação de processos e servir de elo entre os detentos e a Defensoria e Ministério Público. O “Cadeia é Lugar de Cidadania é realizado pela Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, subseção Crato em parceria, com a Pró-Reitoria de Extensão da URCA, Projeto Nova Vida, Juiz da Vara de Execuções Penais/ Comarca de Crato, Coletivo Camaradas e 18ª Coordenadoria de Desenvolvimento da Educação – CREDE. Um dos problemas enfrentados é a super lotação da Cadeia do Crato que não comportar a capacidade de presidiárias. Tendo em vista, que a capacidade é para atender 50 pessoas e já tem uma população com 89, sendo 77 homens e 12 mulheres. A Comissão de Direitos Humanos encaminhou documento ao Governo do Estado do Ceará apontando para a necessidade de construção de uma nova cadeia Pública na Cidade.

Nota do editor: "É lugar de cidadania e de bandidos também. Nunca esquecer!"

Texto enviado por: Alexandre Lucas

O Mandato eletivo e o Recall - Por: Aglézio de Brito

Nas democracias antigas, com destaque para aquela que se exercitava na Grécia ao tempo de Sólon e Clístenes, nas Ágoras de Atenas, as decisões político-governamentais, a despeito do controle do Supremo Conselho do Areópago, eram discutidas, votadas e aprovadas diretamente pelo povo. Entenda-se povo, àquela época, somente os nobres, os clérigos e burgueses, já que os seres humanos desprivilegiados de fortuna e de títulos, notadamente os escravos, eram apenas COISAS, ou RES, não passando de uma propriedade, instrumentos animados de livre negociação. Estes não participavam do processo de democracia direta. Com o evoluir das civilizações e o crescimento geométrico da população, aperfeiçoando-se dia a dia o pacto social de que já falava Platão, estudado por Thomas Hobbes e desenvolvido por Jean Jaccques Rousseau, começou a se esboçar as democracias modernas, culminando com o sistema tripartido de Poderes, arquitetado por Montesquieu, em cujo protótipo se insculpe a representação popular nos Poderes Legislativo e Executivo, ou seja, é o povo, através do sufrágio universal, quem nomeia os Vereadores, Deputados, Senadores, Prefeitos, Governadores e, no caso do Brasil, o Presidente da República, para representá-lo e tomar as decisões deste povo, nas Câmaras Municipais, nas Assembléias Legislativas, na Câmara Federal, no Senado, nos governos dos Municípios, dos Estados membros e da União Federal.

Essa representação, essa delegação de poderes, concedida pelo povo, chama-se mandato eletivo. É uma procuração que o povo outorga a essas pessoas para, em nome desse povo, no caso dos Vereadores, Deputados e Senadores, votarem as leis, exercerem o controle externo do Poder Executivo, e, no caso dos Prefeitos, Governadores e Presidente da República, promoverem a segurança pública, a ordem econômica, a ordem social, a seguridade social, a educação, a cultura, enfim, tudo o que for necessário para atender à teleologia do pacto social. Lamentavelmente, no Brasil, as pessoas alçadas aos Poderes Legislativo e Executivo, Vereadores, Deputados, Senadores, Prefeitos, Governadores e o Presidente da República, assimilam que são donos do mandato eletivo e abusam dos poderes que lhes foram concedidos pelo povo através do voto. Passam a usar este poder como se fosse uma procuração em causa própria, para contrair empréstimos faraônicos e impagáveis para suas empresas particulares, para renunciar receitas públicas, ou conceder benesses fiscais a grupos econômicos, para favorecer concessões públicas, referendar licitações e contratos espúrios, para aumentar, ou diminuir alíquotas e tarifas, ao bel prazer de conveniências particulares, para desviar recursos orçamentários, e tantas outras improbidades e infrações político-administrativas cujo elenco de falcatruas não cabe neste nosso espaço.

Numa República como a do Brasil, onde a corrupção é um elemento transgênico no genoma moral dos responsáveis pelo funcionamento do organismo administrativo público, seria de boa política constitucional, a instituição da figura do RECCAL, possibilitando ao povo/eleitor cassar do Poder, a qualquer tempo, aquele Vereador, Deputado, Senador, Prefeito, Governador, Presidente da República, que não honrasse a representação popular, devolvendo à população o respectivo mandato eletivo. Recall é uma palavra da Língua Inglesa que tem significado aproximado de “chamar de volta” e, no linguajar técnico-político do Direito Constitucional, conceitua-se como o direito que o eleitorado tem de revogar o mandato político de um candidato eleito, substituindo-o por outro seu representante, antes do término do mandato, eletivo daquele. Atualmente, diante da insustentável crise de improbidade vivida pelo Senado Federal, como se já não bastasse a corruptocracia que ameaça a República como um todo, o Conselho Federal da OAB retoma a luta pela aprovação urgente no Congresso Nacional do mecanismo do RECALL, que possibilita a cassação direta pelo povo do mandato eletivo dos políticos que traíram a vontade popular e fazem dos seus cargos um instrumento de enriquecimento criminoso em detrimentos dos verdadeiros e urgentes interesses da Nação.

A figura do Recall é instituída através de Emenda Constitucional proposta por um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados, ou do Senado Federal e; ainda, pelo próprio Presidente ad República; ou por mais da metade das Assembléias Legislativas das unidades da Federação.

É chegada a hora de todos os brasileiros não-corruptos se associarem a esta campanha patriótica e timoneira da OAB , no sentido de ser discutida, votada aprovada e promulgada a Emenda Constitucional do RECALL, fazendo valer, efetivamente, a soberania popular, trazendo o País para a senda da seriedade Administrativa pública.

Por: Dr. Aglézio de Brito

Suinos em Alta - Postado por Alexandre Lucas



Bairrismo, barrão, são palavras bem verdades de semias distintas, contudo há algo a que as locupletam?, se não vejamos; bairrista diz respeito segundo (Silveira Bueno 1996)” defensor dos interesses do ‘bairro’ ”, segundo o mesmo autor,barrão quer dizer porco novo,não castrado,varrão que denota ser vigoroso,viril, bem agora espírito de porco!!!,não entendo bem qual a relação ou pelo menos ela não se estabelece, para mim está alcunha cabe aquelas pessoas vis, que sentem prazer em promover a discórdia e torcem pela a derrocada dos planos alheios, enfim, um dos piores predicativos a ser dado a uma pessoa, quanto mais ao povo do “Bairro”.

A EXPOCRATO está para o Crato como o Padre Cícero para juazeiro do Norte. São riquezas , valores que atravessam gerações e por isso já fazem parte da cultura desses povos. Há!, Mais a EXPOCRATO continuará no Crato! Contudo esse não é o contra-argumento, pois, a exemplo de quando retiraram os restos mortais dos índio Tremembé em jaguaribara, retiraram dali não só o material inerte, retiraram os restos mortais de um local que representava as referências históricas, culturais e religiosas de um povo, sua identidade foi burlada.

Naquele picadeiro, por traz das baias dos cavalos e dos bois, temos sinestesicamente as lembranças do primeiro beijo, a primeira namorada e tantas outras lembranças que não só minhas, mais de um povo, da história desse povo. Desde o saudoso Pedro Felício que a área ociosa para o ginásio poli esportivo da URCA serve para a lucrosa atividade de estacionamento, já faz tanto tempo.... A URCA é de fato um outro grande patrimônio desse “bairro” conquistado a lágrimas e com muito suor, inclusive a do magnífico reitor atual. Se é necessário o crescimento da URCA é de fato indiscutível, nosso povo cresce e com eles suas expectativas, suas aspirações, seu conflitos, enfim, a dinâmica da própria sociedade exige a sintonia natural com os processos sociais que se estabelecem.

A URCA é de fato é da região é do Cariri, portanto, ela pode crescer sim, no próprio crato, há tantas áreas ociosas ou abandonadas do estado na região, como por exemplo as áreas próximas ao estádio Mirandão, no próprio Parque a julgar pela grandiosa área ociosa que faz limite com o bairro mutirão até a área nobre do Parque a dos shows, crescer para Barbalha, para juazeiro, para Missão Velha, verticalizar seus prédios, dêem recursos que a URCA crescerá e com ela o Ensino a Pesquisa e a Extensão.

Contudo não nos acoem, pois diferente dos escorpiões, segundo o folclore que suicida-se diante do fogo encurralador, partiremos para o embate na defesa de nossa identidade, de nossa cultura e por fim defenderemos o nosso bairro sim!! Com um espírito AGUERRIDO que nos é peculiar e não há de um PORCO.

Samuel Duarte Siebra
Professor e acadêmico Enfermagem-URCA

Nossos “Inconfiáveis” Tribunais Superiores - Por: José Nilton Mariano Saraiva

A nação foi surpreendida, meses atrás, com a decisão do Presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, de conceder dois habeas-corpus, num mesmo dia, beneficiando o banqueiro-bandido Daniel Dantas, acusado de diversos crimes contra o Estado Brasileiro. Inclusive, numa atitude inédita, juízes de diversos estados e instâncias da federação firmaram documento e se posicionaram contra o todo-poderoso chefe hierárquico, em razão do atropelo aos ritos processuais, do desrespeito à Constituição e da comprovada má fé embutida em tais atos. O certo é que Daniel Dantas foi incurso em outros processos, já foi condenado em pelo menos um deles e certamente o será nos demais. Mas...continua livre, leve e solto e atuando com desembaraço.
A propósito, convém lembrar que lá no longínquo 15.08.2000, através do jornal O POVO, de Fortaleza-CE, ao se reportarem às denúncias por eles formuladas contra Byron Queiroz e demais administradores do BNB junto ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região, sediado em Recife-PE, os Procuradores da República do Estado do Ceará, doutores Alessander Wilckson Cabral Sales e José Adonis Callou subscreveram e fizeram publicar, à página 6, uma longa carta onde registraram toda a sua frustração, descrédito e decepção com o desenrolar do imbróglio, ao afirmarem peremptoriamente que “...na área de jurisdição do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, é quase impossível investigar fatos ilícitos praticados por agentes postos em elevadas esferas políticas e da economia”... já que “...por aqui é muito comum decisões superiores que trancam as próprias investigações” porquanto “...quase sempre as decisões dos Juízes Federais de primeira instância, em atendimento a solicitações do Ministério Público, visando à defesa de interesses coletivos, são imediatamente cassadas pelo Tribunal Regional Federal”.
Como que para corroborar com os Procuradores Federais acima citados, no princípio do ano corrente o Pleno do Tribunal Regional Federal (Recife-PE), sob o estapafúrdio argumento de “falta de provas”, por unanimidade inocentou Byron Queiroz e sua quadrilha, MESMO DEPOIS que a Justiça Federal do Ceará já os houvera condenado a 14 (quatorze) anos de prisão e indisponibilidade dos bens, em razão da verdadeira enxurrada ou do autentico dilúvio de provas coletadas e disponibilizadas à Justiça ( pareceres negativos de auditores independentes e do Tribunal de Contas da União, demonstrações contábeis fraudadas, inobservância das normas do Banco Central, não atendimento às determinações do Conselho Monetário Nacional, financiamento de firma com falência já decretada, distribuição de dividendos sobre lucros fictícios e por aí vai ).
E assim, ao proteger desassombradamente marginais de comprovada alta periculosidade, nossos “inconfiáveis” tribunais superiores navegam na contramão da história e em nada contribuem para a melhoria institucional do país, ao tempo em que nos remetem a uma aterrorizante e cruel dúvida: se, teoricamente, o Poder Judiciário é o guardião e a esperança dos menos favorecidos ante a insensibilidade e truculência dos poderosos, onde iremos parar ???

Autoria e postagem: José Nilton Mariano Saraiva

Previsão do Tempo e Almanaque - 06 de Agosto de 2009

Bom dia a todos os leitores e escritores do Blog do Crato. Hoje, dia 06 de Agosto de 2009 amanheceu chovendo em Crato. Uma fina chuva, mas bastante interessante varreu a vilalta nessa madrugada, embora todos os sites de meteorologia informassem o contrário para esta região baseados em fotos de satélite. A previsão do site climatempo para hoje, é dia com sol e algumas núvens, e segundo eles, não choverá, ou não choveria. No entanto agora mesmo, 06:15 da manhã, tempo bastante fechado. Temperatura local, 25 graus.



ALMANAQUE

No dia 6 de agosto, a Igreja Católica comemora o Dia de Maria Francisca Rubatto

Em Carmanhola, cidade agrícola de intensa atividade pastoral, próxima de Turim, nasceu Ana Maria Rubatto, em 14 de fevereiro de 1844, numa família simples e cristã. Desde a infância, fez voto de virgindade, recusando, mais tarde, um casamento vantajoso. Aos dezenove anos, após algumas tragédias familiares, como a morte de alguns irmãos pequenos e a perda dos pais, deixou a cidade. Foi para Turim, onde residia sua irmã mais velha. Durante cinco anos, dedicou-se às obras de caridade, fazendo parte da equipe de auxiliares do futuro são João Bosco, no seu Oratório. Lá, a rica e nobre senhora Scoffone, também pia e caridosa, fez dela sua filha adotiva. Levou-a para viver em sua casa e tornou-a sua conselheira na administração do seu patrimônio. Ao morrer, doou tudo, em testamento, para as obras dos padres do Cotolengo de Turim. Os anos vividos ao lado da senhora Scoffone foram de intenso empenho espiritual e caritativo. Após o falecimento da protetora, voltou para junto de sua irmã. No verão de 1883, costumava ir para o balneário de Loano, na Riviera da Ligúria, onde ajudava as famílias e cuidava dos pescadores doentes em suas casas, dando, também, assistência às crianças abandonadas. Nesse local, uniu-se a um grupo de senhoras pias que se dedicavam às obras de caridade. Esse pequeno núcleo iniciava-se numa vida comunitária religiosa, inspirando-se no ideal de são Francisco de Assis, sob a direção do capuchinho padre Angélico.

Logo o padre percebeu que Ana Maria tinha uma fantástica capacidade organizadora de obras de caridade e que sua vocação missionária era emocionante, só voltada para a salvação das almas. Por isso o próprio padre Angélico incentivou-a a criar um novo Instituto. Em janeiro de 1885, vestiu o hábito religioso franciscano, junto com algumas das senhoras. Nascia a família religiosa das Irmãs Terciárias Capuchinhas de Loano, depois chamadas Irmãs Capuchinhas de Madre Rubatto, com a finalidade de dar assistência aos enfermos, especialmente em domicílio, e proporcionar a educação cristã da juventude. Ana Maria emitiu os segundos votos em 1886, tomando o nome de Maria Francisca de Jesus. Foi eleita a primeira madre superiora do Instituto, cargo que manteve até a morte. A sua obra difundiu-se rapidamente na Itália e também na América Latina. A partir de 1892, madre Maria Francisca começou a viajar para o Uruguai, a Argentina e o Brasil. Em 1895, fundou a primeira casa do seu Instituto fora do seu país, no Uruguai. Depois, acompanhou um grupo de religiosas à Missão de Alto Alegre, no Maranhão, Brasil, onde, em 1901, sete delas morreram mártires sob um dos ataques dos índios. A Argentina também recebeu a semente da sua Obra. Ao todo, foram vinte casas abertas nos vinte anos do seu governo, todas organizadas e fundadas por madre Maria Francisca. Estava no Uruguai, em Montevidéu, quando adoeceu. Foi um exemplo cristão até no sofrimento. Morreu em 6 de agosto de 1904, nessa cidade, onde foi enterrada na capela da primeira casa fundada em terras estrangeiras.

A congregação, desde 1964, está presente na Etiópia, África. O papa João Paulo II proclamou-a, solenemente, a "primeira bem-aventurada do Uruguai" em 1993. A celebração da bem-aventurada Maria Francisca Rubatto deve acontecer no dia de sua morte.

HOJE NA HISTÓRIA

Em 06 de Agosto de 1945, portanto, há exatos 64 anos, às 07 horas da manhã, explodia a primeira bomba atômica, na cidade de Hiroshima, no Japão, a fim de forçar a rendição japonesa, e o fim da Segunda Guerra Mundial.

No dia 6 de Agosto de 1945, ao final da Segunda Guerra Mundial, a cidade japonesa de Hiroshima foi desnecessariamente bombardeada pela força aérea americana. Três dias mais tarde segui-se o bombardeio de Nagasaki. Sua justificação era forçar o rendição do Japão, porém, o que ficou evidenciado era que ambas faziam parte de uma verdadeira demonstração de força do armamento nuclear dos EUA. As cidades foram escolhida por estarem situadas exatamente entre vales, o que facilitaria a avaliação dos danos causados pela nova tecnologia bélica, a qual nunca até então havia sido usada e nem se sabia quais seriam suas consequências. Soma-se a isso o fato de que essas cidades nunca sofreram ataques durante a Segunda Guerra, ou seja, era pouco vigiadas. A detonação da Little Boy, como era chamada a bomba que causou a morte de mais de 250 mil pessoas em Hiroshima, foi ouvida até o alcance das cidades vizinhas. Ela destruiu tudo o que encontrava num raio de dois quilômetros e meio, devastando vegetação e estrutura da cidade. Porém, o aporte térmico da bomba teve um alcance ainda maior. A detonação da Fat Man sobre Nagasaki causou tanta destruição quanto em Hiroshima. Sobreviventes que sofreram fortes queimaduras devidas á propagação do intenso calor, fora da área de explosão, andavam pelas ruas sem saber o que havia acontecido. A radioatividade se espalhou provocando chuvas ácidas, causando a contaminação da região, incluindo lagos, rios, plantações. Os sobreviventes foram atendidos dias depois, o que ocasionou a morte lenta e agonizante de muitos. Até os dias de hoje os descendentes dos habitantes afetados sofrem os efeitos da radioatividade. Tempos depois a cidade foi sendo reconstruída. Após mais de 60 anos decorridos da tragédia que marcou a história mundial, Hiroshima se transformou numa cidade moderna e desenvolvida, com árvores, prédios, pessoas circulando e carros, como em qualquer outra. Contudo, as lembranças continuam vivas dentro de cada um. Sendo assim foi construído o Memorial da Paz de Hiroshima, uma das atrações mais visitadas no Japão, servindo de apelo à paz e um acervo cultural.

Fontes: Edições Paulinas, Wikipedia, Climatempo, http://pt.shvoong.com, autor: Maycon portilho.

Geodiversidade, Geoconservação e Geoturismo


Tema da palestra a ser proferida pelo geólogo paulista VIRGINIO MANTESSO NETO, autor e editor de vários livros de Geologia, sobre Geodiversidade, geoconservação, geoturismo a ser realizada no próximo dia 19 de agosto de 2009, às 19:30h, no auditório da Reitoria da URCA. Promoção da Diretoria de Pesquisa do Geopark Araripe.

Para Assistir, Amar e Recordar...

Neil Sedaka - Laughter in the Rain

Uma das mais belas músicas populares de todos os tempos é "Laughter in the Rain" do Neil Sedaka. Um grande sucesso, letra linda... Para vocês, nessa manhã nublada de agosto, e que choveu na madrugada, "Laughter in the rain". Atenção: Para evitar ouvir 2 sons ao mesmo tempo, pare antes o player da rádio Chapada do Araripe, no canto superior direito do Blog. Reparem a "evolução dos tempos", no segundo vídeo, a mesma música, com arranjo moderno.








Letra:

Strolling along country roads with my baby
It starts to rain, it begins to pour
Without an umbrella we're soaked to the skin
I feel a shiver run up my spine
I feel the warmth of her hand in mine

Oo, I hear laughter in the rain
Walking hand in hand with the one I love
Oo, how I love the rainy days
And the happy way I feel inside

After a while we run under a tree
I turn to her and she kisses me
There with the beat of the rain on the leaves
Softly she breathes and I close my eyes
Sharing our love under stormy skies

Oo, I hear laughter in the rain
Walking hand in hand with the one I love
Oo, how I love the rainy days
And the happy way I feel inside
I feel the warmth of her hand in mine

Oo, I hear laughter in the rain
Walking hand in hand with the one I love
Oo, how I love the rainy days
And the happy way I feel inside
Oo, I hear laughter in the rain
Walking hand in hand with the one I love
Oo, how I love the rainy days
And the happy way I feel inside

Por: Dihelson Mendonça

Estamos Limpando o Blog para melhor Servi-lo...


Aí está uma foto tirada agora há pouco de uma das nossas 300 faxineiras trabalhando na limpeza do Blog, que ontem deixou muita sujeira sobre Sarney e sobre a política em geral. Política é bom e eu gosto. Mas tudo demais, é veneno!

Abraços,

Dihelson Mendonça

Notícias do Crato para o Dia 06 de Agosto de 2009


06-08-2009
Palestra sensibiliza profissionais de saúde sobre a Gripe A

Médicos, enfermeiros do Programa de Saúde da Família (PSF), do Crato, dentre outro profissionais de saúde e coordenação da Epidemiologia, participaram, na manhã de ontem, de palestra sobre Gripe Influenza A (H1N1), no auditório do Hospital e Maternidade São Vicente de Paulo. Esta foi a primeira palestra de sensibilização promovida para os profissionais de todas as microrregionais de saúde da região sobre a nova gripe. A meta foi possibilitar esclarecimentos, como os profissionais devem proceder diante dos casos e como atuar no sentido de levar informações à população, prevenindo a gripe suína. Mais de 200 profissionais de cerca de 40 municípios estiveram presentes à palestra, promovida pela médica infectologista da Secretaria de Saúde do Estado, Dione Rolim.

Mobilização Social continua com orientação nas escolas

O Núcleo de Mobilização Social da Secretaria de Saúde do Crato continua com o trabalho de orientação e divulgação das escolas do município, com o reinício das aulas, sobre a Gripe Influenza A (H1N1). Segundo a coordenadora da Mobilização Social, Luciana Callou, o trabalho tem sido intensificado no sentido de levar o máximo de informações possível, como forma de possibilitar a prevenção da gripe suína. Panfletos informativos estão sendo distribuídos e cartazes estão sendo afixados nas unidades de ensino.

Um dia de lazer das jornadas da convivência

A Prefeitura Municipal de Crato, através da Secretaria de Ação Social, em parceria com o PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil), informa que nos dias 6 e 7 de agosto de 2009 estará realizando um passeio com as crianças e adolescentes que participam das jornadas de convivência.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Governo Municipal do Crato
Fone/Fax - (88) 3521.7069
Mais informações:

http://www.crato.ce.gov.br
http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com

Escritor Ronaldo Correia de Brito venceu prêmio São Paulo de Literatura


O médico, dramaturgo, roteirista de cinema e escritor radicado em Pernambuco, Ronaldo Correia de Brito (foto1), venceu na segunda-feira (3) o Prêmio São Paulo de Literatura 2009. Considerado o maior prêmio da literatura do país, o evento consagrou ‘Galiléia’, da editora Objetiva, como o melhor livro do ano. A cerimônia aconteceu no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo.

O escritor Altair Martins (foto 2, direita), de Porto Alegre, foi o vencedor da categoria livro do ano de autor estreante, com ‘A parede no escuro’ (Record). O anúncio dos escritores premiados com R$ 200 mil cada foi feito pelo governador de São Paulo, José Serra, e pelo secretário de Cultura do estado, João Sayad.

Altair Martins e Ronaldo Brito foram escolhidos por um júri de peso. Fizeram parte da comissão julgadora o escritor Cristóvão Tezza, o crítico literário Luis Antonio Giron, a professora Walnice Nogueira Galvão, o livreiro Aldo Bocchini e o leitor Claudiney Ferreira. O conselho curador foi formado por Antonio Dimas, Beth Brait, Julio Pimentel, Manuel da Costa Pinto e Marino Lobello.
RONALDO CORREIA DE BRITO

Cearense, nascido na cidade de Saboeiro, no Sertão, o escritor Ronaldo Correia de Brito escolheu o Recife para morar. Autor dos livros de contos ‘As Noites e os Dias’ (1997), ‘Faca’ (2003) e ‘Livro dos Homens’ (2005), e da novela infanto-juvenil ‘O Pavão Misterioso’ (2004), Ronaldo Brito se destaca por ser o autor das peças ‘Baile do Menino Deus’, ‘Bandeira de São João’ e ‘Arlequim’.

Ronaldo Brito é um escritor ativo e durante sete anos assinou a coluna Entremez, da revista Continente Multicultural. Atualmente ele assina uma coluna semanal na revista Terra Magazine, do Portal Terra.

Texto enviado por: Rosane Brito

Alfabetização.com - A Origem do Cosmos - Por: Roberto Jamacaru de Aquino


Supostamente, com base nas pesquisas astrofísicas, o cosmo principiou-se há cerca de 15 bilhões de anos através da teoria do BIG BANG. Supõe-se ainda que, tal fenômeno, proveio da implosão de uma esfera, quente e densa, constituída de hélio e hidrogênio, que vagava à deriva no espaço. Consta também dos estudos, que essa suposta reação liberou energias, gases e poeiras as quais, em expansões, constituíram as matérias formadoras do Universo. Nessa linha de raciocínio, imagina-se até que os decibéis descomunais dessa detonação vieram a ser os primeiros sinais de comunicação (ecoantes até os dias de hoje), lançados a esmo no cosmos. Nosso planeta, mero subproduto dessa fragmentação, alojado numa galáxia espiral denominada de Via Láctea, passou, após sucessivos processos físicos, químicos e biológicos, a gerar diversas manifestações de vidas. Sendo que, desta pluralidade, surgiu, imperiosa, a raça humana com seu elevado grau de inteligência e nível de comunicação. Contudo, essa última ferramenta (comunicação), constituída em princípio de desenhos, ruídos e sinais (inclusive os de fumaça), foi, aos poucos, tornando-se insuficiente às necessidades da evolução da espécie. Em mais um importante passo, dado às necessidades, fez-se surgir o alfabeto e com ele a escrita e os alfabetizados, aonde só então os humanos vieram a comunicar-se mais e melhor.

Na maioria dos casos, e por longo tempo, determinadas civilizações passaram a exercer seus poderes sobre as outras graças, em grande parte, ao completo domínio das letras. Essa arma, não bélica, rendera-lhes não só o direito da posse, mas riquezas e conhecimentos culturais incalculáveis e inimagináveis. Saber ler e escrever, portanto, passou a fazer parte do mando de campo entre os povos, detalhe este que, até hoje, mais do que nunca, persiste na escala evolutiva da humanidade. Mas, no mundo cibernético da atualidade, qual é o outro tipo imperioso de alfabetização do qual tanto precisamos para interagirmos com mais eficácia? Sabermos ler e escrever ou mesmo atingirmos as culminâncias do Mestrado, do Doutorado e da Livre Docência, puro e simplesmente, serão títulos que, sozinhos, irão garantir nossa sobrevivência diante desse novo conceito difusivo que vem dominando o mundo ao qual atribuímos o nome de informática? Entendemos que não, pois seria subestimar demais a irreversibilidade evolutiva dessa ciência, toda ela tutelada pelas configurações dos softs e dos hardwares! Aprender a soletrar o alfabeto, assim como escrever, ler e entender os vocábulos dessa nova ciência (citando: download, formatar, rede de micros, internete, www@.com, kbyte, on-line, up-grade, entre tantos outros), bem como familiarizar-se com os seus componentes físicos e operacionais, significará, para o bicho-homem, a condição de proprietário, empregado, classificado, sustentável, comunicável, alfabetizado e incluso. Lembramos, no entanto, que desdenhar dessas ações, ou fugirmos delas, seremos, à exceção do reino de Deus, deletados da grade sócio-econômica criada pela genialidade (com ou sem aspas?) do ser humano.

Estes novos conceitos de alfabetização e comunicação, que fomentam a economia, a educação, a saúde, entre tantas outras ciências, são imprescindíveis às nossas necessidades, onde, por meio das interfaces e acessos, já existem escolas informatizadas que dispensam os usos dos cadernos e dos livros. Existem também cirurgias e cursos à distância; serviços bancários e compras em shoppings operacionalizadas em domicílio, e na sua versão romântica, amores virtuais, com seus finais felizes ou tristes.

No mundo, a cada três ou quatro minutos, aparecem uma nova invenção e uma nova informação. Necessariamente toda essa gama de conhecimento, recém descoberta, passa a ser armazenada e codificada em Chips, cuja leitura dependerá de um computador. Comprometer-se com esses facilitadores operacionais e mergulhar no ABC da informática, não é um fator opcional, como também não é uma questão de luxo ou status, é, sobretudo, ponto de sobrevivência.
Num plágio insinuante e pobre, e bota pobreza nisso, eu diria que “Navegar nesse sistema, usando de seus periféricos de saída e de entrada, é preciso!”, caso contrário seremos deletados!

Por: Roberto Jamacaru de Aquino

Tubarões me mordam!!! - Por: Alessandra Bandeira


Prezado Wilson "Babao" Bernardo ,
Em sua homenagem!
Por: Alessandra " Heloisa Helena" Bandeira

Por: Alessandra Bandeira

Edições Anteriores:

Dezembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 30