xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 25/07/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - ÚLTIMAS NOTÍCIAS - Prefeito do Crato é escolhido um dos melhores prefeitos do Ceará pela PPE Eventos, em Fortaleza. ( 09-11-2017 ).
Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

25 julho 2009

Um Comentário Sóbrio que merece ser lido - A Alocação de recursos para o Crato e o Papel do PT como agente Estadual


Prezados Amigos, Bom Domingo.

Esse comentário foi publicado em resposta ao Dr. Valdetário Siebra. Pelo fato de no artigo haver agora, mais de 40 comentários, o maior recorde do Blog, trago aqui para o destaque de tão lúcida observação feita pelo Senhor Roberto Alencar e Silva.

Dr. Valdetário,

Não poderia deixar de comentar, o fato de que se a estrela solitária – LULA almejasse mudar a legislação no tocante a escolha do Procurador Geral da República, o mesmo utilizaria os meios necessários e com a força bruta utilizada para calar a minoria do Senado da República, quando da instalação da CPI da Petrobrás, mas como é conveniente para os aloprados do PT, nada se faz, jogando para platéia que tudo é culpa dos governos anteriores.
O que é importante informar aos mesmos esclarecidos, é que o discurso do comandante-em-chefe na posse do Procurador Geral da República, foi um recado direto ao seu novo nomeado, que antes de oferecer denúncia penal (dos grandes Sarney, Collor, Calheiros e outros do esquema governistas) deverá ser observada a biografia das pessoas que estarão para serem denunciadas pelo Ministério Público. Isto é muito grave, pois se observa de forma categórica e não velada a intervenção de um poder constituído – Poder Executivo - em um órgão autônomo que tem o dever constitucional de combater a corrupção em nosso País – Ministério Público Federal.
Pergunto ao senhor, quais as matérias que eram de interesse da estrela solitária que não foram aprovadas pelo congresso nacional? Nada! Pois, quando há a vontade do comandante-em-chefe, ele negocia pessoalmente e coloca a velha prática das emendas parlamentares para funcionar, vide o mensalão - e a banda podre congressual que é “pragmática” vota, aprovando, e ainda sofisma com a população que aquele projeto de lei posto engrandecerá a Nação, acabando com a miséria dos miseráveis. Esta também é uma prática herdada dos antepassados, não é? Mas é necessária para tal governabilidade.
Falar em governos passados, por que o “Cara” não diz que boa parte dos programas sociais são heranças de governantes de outrora, só tenta jogar para platéia que aquilo que é ruim é criação dos governos passados, mas em nome da governabilidade o governo da estrela solitária tem que conviver ombreado com Sarney, Collor, Calheiros e outros.
Com relação à Universidade Federal, o governo da estrela solitária, teria compromisso moral de explorar a potencialidade educacional do nosso Crato amado, concentrou em Juazeiro a maioria dos seus cursos, e como troco, deixou um pequeno campus avançado em Crato, somente para jogar para platéia.
O potencial da Região Metropolitana do Cariri encontra-se bem definido, o Juazeiro do Norte com suas indústrias, a Barbalha como centro especializado em Saúde e a nossa querida e amada cidade de Crato sendo um pólo educacional, mas o governo da estrela solitária não observou isso, concentrou a maioria dos cursos da Universidade Federal em Juazeiro do Norte e como um troco trouxe para cá um centro de ciência agrária.
Para ser justos em sua colocação, deveria informar à platéia que o governo do Tucano Samuel Araripe, foi quem doou o terreno e toda sua infra-estrutura para a edificação do troco dada ao nosso município pelo governo da estrela solitária.

O senhor fala que Juazeiro do Norte irá receber 30.000.000, 00 (trinta milhões de reais) do PAC, por que o deputado Guimarães, como bom samaritano que é, e tendo a grande intenção de ajudar o Crato não divide os recursos alocados? Pois, o Juazeiro do Norte é uma cidade rica, prospera e purgante. O senhor deveria como próximo ao deputado, mediar uma conversa entre ele o prefeito, para que, seja alocada emenda parlamentar ou qualquer outro recurso de sua autoria em nosso município. Tenho a certeza que o prefeito tucano não se furtará a conversa com ele, ou com qualquer pessoa que queira ajudar a nossa cidade. Acho que Dihelson Mendonça poderá intermediar uma audiência entre eles, claro com sua participação. Ou este assunto é somente papo para jogar para platéia?
Por falar no deputado Roque, o senhor que participa de reuniões como o mesmo, deverá informar a platéia qual o benefício trazido pelo nobre parlamentar para a nossa queria e amada cidade?
Respeito as suas opiniões e sou um admirador que como o senhor as defendem.

Por: Roberto Alencar e Silva.

Nota:

Sr. Roberto e a comunidade Cratense: Eu me disponho de antemão, a intermediar totalmente e em que for preciso para que haja essa audiência com o prefeito Samuel Araripe, para que a verba do Deputado Guimarães seja dividida entre crato e Juazeiro, e não apenas para o Juazeiro. Agora, não faltarão mais desculpas. Concordo totalmente com o colega Roberto, de que o Crato deveria ter sido beneficiado com o polo educacional. Através de várias entrevistas e textos, eu já expus aqui os bastidores daquela nefasta negociação entre certos políticos, ( e a falta deles no Crato ), que acabou levando as universidades para juazeiro do Norte. Estou pronto para ajudar no que se fizer necessário, e já digo de antemão pelo que conheço de com quem eu trato, que isso será muito bem-vindo ao gabinete do prefeito do Crato.

Dihelson Mendonça


O QUE MATA É A DÚVIDA - Nunca houve Mensalão - É tudo coisa do PIG - Partido da Imprensa Golpista


É tudo coisa do PIG - Partido da Imprensa Golpista!

Nunca existiu Mensalão.
Nunca existiu Delúbio.
Nunca existiu Zé Dirceu.
Nunca Existiu Marcos valério.
Nunca existiram Dólares na Cueca
Lula não existe !
O que vimos da TV era tudo invenção do PIG, da Globo e do Mundo todo.

O Assessor trabalhava para o Deputado Guimarães. Foi Flagrado pela Polícia Federal portando 209 mil reais numa mala e cem mil dólares na cueca. Depois de quatro meses de investigação, os procuradores tiveram acesso ao relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que demonstrou que o dinheiro transportado era propina pelo fechamento de um contrato de 300 milhões de reais entre o Banco do Nordeste (BNB) e o consórcio Sistema de Transmissão do Nordeste.

Mas mesmo esse assessor, a serviço do Deputado, flagrado em pleno aeroporto com a cueca cheia de dólares, NÃO PROVA NADA. O que mata no Brasileiro, é essa DÚVIDA...

Mesmo olhando pelo buraco da fechadura, só dá pra ver a calcinha da mulher pendurada. O que mata é essa dúvida !

É tudo invenção!
Nunca houve mensalão.
Nunca houve dólares na cueca,
Nunca houve nem Guimarães
Não existe Blog do Crato.
Eu também não existo.
Valdetário Não existe.

Você está Sonhando!
O Brasil é um sonho eterno de corrupção.

Acorda, Brasil !!!

zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

Já nas Lojas - CD - "A Busca da Perfeição" de Dihelson Mendonça



O tão aguardado CD intitulado "A Busca da Perfeição", do pianista e compositor Cratense Dihelson Mendonça já se encontra à disposição na loja AMILTON SOM, em Crato. O trabalho, que foi totalmente patrocinado pelo Banco do Nordeste do Brasil ( BNB ), consiste em um livro fotográfico em papel especial para fotografia, de mais de 100 páginas, e de um CD com 34 faixas. Foi elaborado entre 2007 e 2009, e conta com a participação de mais de 30 escritores e poetas da região do Cariri. O Livro é ilustrado com as incríveis fotografias de Pachelly Jamacaru, além de fotos feitas pelo próprio autor. A Arte por computador é de Reginaldo Farias, considerado pela crítica, um dos maiores artistas gráficos do Nordeste na atualidade. O CD consiste em faixas musicais, poemas, sons da natureza e falas, que foram musicalizadas com maestria pelo pianista Dihelson Mendonça, que trata nesta obra, dos grandes questionamentos da existência humana.

Um trabalho para Ler, Ver e Ouvir !

Disponibilidade: Em AMILTON SOM - Crato - CE
Ou diretamente com o Autor, para envio pelos correios para todo o Brasil.
Contatos: Dihelson Mendonça - 088-3523-2272 ( recados ) ou pelo e-mail:

blogdocrato@hotmail.com

Mensagem aos Participantes do CD:

O.B.S - Como forma de meu profundo agradecimento aos participantes deste trabalho, que é compartilhado, gostaria de frisar que todos os que contribuiram com seus textos, poemas e gravações, já têm reservado o seu(s) exemplar(es), bastando informar pelo e-mail acima, o endereço para correspondência, a fim de receberem totalmente grátis e autografado, exemplar do Livro e do CD em embalagem especial. Posteriormente, farei lista de todos os participantes, para que possam me enviar seus endereços, ou vir pegar aqui em casa, se o desejarem.

Dihelson Mendonça

A Verdade de Cada Um. Por Dr. Valdetário

Fiz alguns comentários aqui no Blog do Crato explicando as razões pelas quais sou, politicamente, ligado ao grupo liderado, no Ceará, pelo deputado federal José Nobre Guimarães. Isso causou um fuá danado entre os internautas. O texto abaixo parece ser, até agora, o principal documento que serve de prova para acusar o referido deputado.

Solicito seja o texto abaixo lido de forma isenta, desarmada e livre de conceitos pré-formados.

"O Ministério Público Federal partiu do escândalo, conhecido em todo o Brasil, como o caso dos “ dólares na cueca”. Tudo teve início em julho de 2005, quando o assessor parlamentar na Assembléia Legislativa, José Adalberto Vieira da Silva, foi preso no aeroporto de São Paulo com 209 mil reais numa mala e cem mil dólares na cueca.

Depois de quatro meses de investigação, os procuradores tiveram acesso ao relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que demonstrou que o dinheiro transportado era propina pelo fechamento de um contrato de 300 milhões de reais entre o Banco do Nordeste (BNB) e o consórcio Sistema de Transmissão do Nordeste. Quanto ao deputado federal Guimarães, o MPF coletou uma série de indícios da participação na operação. Além de ser o chefe de Adalberto na época, o parlamentar influenciou na nomeação do presidente do BNB e é considerado muito próximo do ex-chefe de gabinete do BNB, Kennedy Moura, com quem tinha contato durante as viagens do seu assessor parlamentar a São Paulo.

Mirela Coelho
Assessoria de Comunicação Social
Procuradoria da República no Ce"

O que realmente consta nele que sirva de prova contra o deputado?

Vamos analisar:

Primeiro - o texto foi produzido pelos procuradores do Ministério Público Federal (MPF) com base em um relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), dois órgãos que tem o dever de fiscalizar e zelar pelo bem público. Desnecessário dizer que ambos atuam no processo como denunciantes. Portanto o que se ler acima não passa de uma infinitamente pequena parte de todo o processo. Longe de ser uma sentença. Eu pergunto: é justo tirar conclusões com base em um minúsculo fragmento de um relatório confeccionado pela parte acusatória? E onde fica a presunção de inocência? E o direito ao contraditório? Nada disso existe, voltamos à idade média, no auge da “santa inquisição”. Desta forma não precisamos de julgamento, levem-no logo ao crematório.

Segundo - vamos dissecar a parte do texto que cita nominalmente o deputado:

Está escrito: “Quanto ao deputado federal Guimarães, o MPF coletou uma série de indícios da participação na operação. Além de ser o chefe de Adalberto na época, o parlamentar influenciou na nomeação do presidente do BNB e é considerado muito próximo do ex-chefe de gabinete do BNB, Kennedy Moura, com quem tinha contato durante as viagens do seu assessor parlamentar a São Paulo.”

Atentem! O MPF não conseguiu encontrar PROVA alguma contra o deputado Guimarães; mas apenas indícios, e vejam que indícios!

- Que o Guimarães era na época chefe do Adalberto.

- Que o Guimarães influenciou na nomeação do presidente do BNB.

- Que o Guimarães é considerado muito próximo do ex-chefe de gabinete do BNB, Kennedy Moura.

- E que o Kennedy manteve contatos durante a viagem do Adalberto.

Agora eu pergunto: Existe alguma novidade nisso? Alguma vez foi negado que o Adalberto era assessor do deputado? Alguma vez se escondeu que foi o deputado Guimarães quem indicou o presidente do BNB? Há algum crime no foto de um político indicar dirigentes para órgãos públicos? Essa é a prática em quase todo o mundo. Em algum momento se escondeu que o Kennedy tem vínculo de amizade com o deputado Guimarães? Mas o grande indício mesmo foi este último: “E que o Kennedy manteve contatos durante a viagem do Adalberto.” Sabe como foi este tipo de contato? Foi por telefone. Ou seja, pela lógica, qualquer pessoa que naquele dia ligasse para o Kennedy ou para o Adalberto seria imediatamente incluída na lista dos suspeitos. Uma brincadeira!

É muito pouco o que o MPF conseguiu apurar em quatro meses de trabalho. Nada, não se descobriu nada que já não fosse do conhecimento público.

O que diz o relatório bate exatamente com a versão que o deputado me contou quando, no auge do escândalo, fui conversar com ele em Fortaleza e pedir explicações sobre o caso. Inclusive, há poucas semanas no blog do Sanharol, andei relatando esta mesma história. Só que lá usei um nome fictício para o Kennedy. Essa mesma história consta em dois livros que tratam desse assunto.

Atentemos também para o tempo decorrido entre o fato e o relatório do MPF. Este órgão teve muito tempo e meios para procurar PROVA contra o deputado, mas só achou INDÍCIOS. E que indícios!

No Brasil, e em qualquer país democrático do mundo, ninguém pode ser responsabilizado por atos de terceiros. Ou você acha que o Pelé pode ser incriminado pelo fato do filho, Edinho, ter se envolvido com tráfco de drogas e outras facetas do crime organizado?!

Pra terminar, eu que não sou advogado encontrei esse mar de falhas no tal relatório, imagina se fosse uma análise feita por bons advogados!

Agora a última pergunta: Imaginemos que alguém tenha acusado o Guimarães de envolvimento no caso em referência, e que este alguém fosse chamado à Justiça para apresentar PROVA da acusação, esse relatoriozinho livraria a pele desse alguém?!

História do Brasil - Os Saquaremas. Por Darlan de O. Reis Junior

Em seu premiado livro, "O Tempo Saquarema - A formação do Estado Imperial", Ilmar Rohloff de Mattos faz uma análise acurada da construção da ordem imperial brasileira. Conceitos de Estado Imperial e classe senhorial são discutidos e explicados de forma acurada, além da relação entre os mesmos. Importante obra da historiografia brasileira que recomendo a todos os leitores do blog.
Na segunda parte do livro, Rohloff apresenta as diferenças entre os Liberais (Luzias) e os Saquaremas (Conservadores) e demonstra que a explicação de que eram todos "farinha do mesmo saco" pode ser revisada. Recupera as circunstâncias em que as denominações surgiram e como se impuseram. Os conservadores brasileiros também ficaram conhecidos durante um período como "Regressistas", defensores do slogan "Regresso à ordem".

Vamos abordar brevemente o grupo dos Saquaremas.

O termo Saquarema passou a ser utilizado de forma mais frequente a partir de 1845, para designar os chefes conservadores daquela localidade (situada na então província do Rio de Janeiro). Apesar disso, o termo foi estendido a outros conservadores. O espaço é curto e em outro momento, apresentarei alguns líderes conservadores do Império do Brasil, tomando por referência a obra de Ilmar Rohloff. Por ora, vejamos algumas ideias dos conservadores.

- Enquanto os Liberais defendiam a ideia de que os representantes da nação é que deveriam escolher a política a ser seguida, os conservadores se opunham afirmando que isso tornaria o poder executivo apenas uma comissão do poder legislativo. Além disso, o poder Moderador ficaria prejudicado.

- Tinham um conceito qualitativo sobre a "liberdade". Na dimensão privada, afirmavam serem os homens desiguais em seus dotes naturais e habilidades. A desigualdade natural entre os homens se desdobraria em desigualdade na sociedade. Cada indivíduo teria um lugar distinto. Além disso, consideravam que havia outra diferença importante: a entre os homens livres e os escravos. Na dimensão pública, o conceito de liberdade cruzaria com o de responsabilidade. Defendiam a distinção entre os "cidadãos ativos" e os "cidadãos inativos" , aqueles que não possuiriam o direito de atuar politicamente. Mesmo no interior do mundo dos "cidadãos ativos" , havia a defesa da distinção entre votantes e eleitores.

- Acima de todos, o poder Executivo, na figura do Imperador. Defendiam a importância do soberano e da instituição monárquica, vista como elemento de coesão do corpo político e da sociedade. Para os conservadores, a sociedade não era vista como uma associação voluntária ou por um contrato de indivíduos para formar as leis para todos. Construir a nação, preservar as diferenças, promover a restauração (ordem). Entendiam o passado como um espécie de lição para o futuro.

- Divulgavam suas idéias em jornais como "O Brasil" , de 1837, onde defendiam um "guerra" sem tréguas contra os liberais e a defesa dos valores da "boa sociedade". Apresentavam-se como os defensores de um "poder administrativo", desqualificando o exercício da política, ao afirmarem a neutralidade nas questões do Estado na busca da "harmonia" e da "ordem".

- Dessa maneira, tornavam-se dirigentes mas não se diziam "políticos". Se apresentavam como diferentes dos elementos dos demais mundos (livres comuns pobres e dos escravos). O tom hiperbólico, a tendência à oratória, a linguagem grandiloquente e o transboramento emocional eram marcas de sua passagem nos cargos públicos.

Em outro momento, apresentaremos mais características dos conservadores do Império para compormos o nosso quadro. Suas origens e composição social.

Referência
MATTOS, Ilmar Rohloff. O tempo saquarema - a formação do Estado Imperial. São Paulo: Hucitec, 1990.

(Obra vencedora do Prêmio Literário Nacional, 1986, Gênero História, Instituto Nacional do Livro, MinC)

Por Darlan de O. Reis Junior
Prof. do Departamento de História - URCA

A Lógica dos membros do PT em "deixar pra lá os crimes"...


Frase do Toinho ( de Ponta da Serra ):

"Prezados amigos tucanos "não assumidos" esqueçam essa história de dinheiro em cueca. Isso já foi resolvido com a eleição do Guimarães."

Toinho, essa sua frase é estarrecedora para o Brasil. Pelo fato do Deputado Guimarães ter sido eleito, o CRIME não diminuiu. Quer dizer que se Hitler tivesse vencido a Guerra, os crimes contra a humanidade e o Holocausto estariam perdoados ?

Palavra da Procuradoria da República sobre o Deputado:

Depois de quatro meses de investigação, os procuradores tiveram acesso ao relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que demonstrou que o dinheiro transportado era propina pelo fechamento de um contrato de 300 milhões de reais entre o Banco do Nordeste (BNB) e o consórcio Sistema de Transmissão do Nordeste. Quanto ao deputado federal Guimarães, o MPF coletou uma série de indícios da participação na operação. Além de ser o chefe de Adalberto na época, o parlamentar influenciou na nomeação do presidente do BNB e é considerado muito próximo do ex-chefe de gabinete do BNB, Kennedy Moura, com quem tinha contato durante as viagens do seu assessor parlamentar a São Paulo.

Mirela Coelho
Assessoria de Comunicação Social

Procuradoria da República no Ceará

Vou lhe chamar agora de Toinho do PT, rs rs rs

Abraços,

Dihelson Mendonça

Mensagem de Apoio a Dihelson Mendonça e ao Jornal Chapada do Araripe - Por: Luiz Domingos de Luna


Prezado, Dihelson Mendonça, creio ser O Jornal Chapada do Araripe, a vitrine cultural do Crato, nesta sua iniciativa, louvável inclusive, é de uma responsabilidade tamanha, tive a oportunidade de acompanhar alguns jornais e revistas do Crato, que inclusive hoje estão extintas, creio que o fator maior para a extinção tenha sido o excesso emocional dos jornalistas, adicionado à visão de que a sociedade é homogênia, o que não é fato, somado a sede da classe política em engolir a imprensa cratense. Creio que o jornal Chapada do Araripe tenha no seu bojo, um material escrito com a visão futura, uma espécie de Bíblia da história do Crato e por extensão o Cariri, o Ceará, o Brasil e o Mundo.

Creio ser o Chapada do Araripe a Menina dos olhos do Crato, vez que ele já nasce com espaço para crônicas que na verdade é uma tribuna de debates dos cidadãos do cariri, para o ceará e para o mundo ou ao contrário. Creio que o jornal Chapada não deva ser uma passarela de figuras já carimbadas e que se sentem no direito de ser manchete em todos os jornais do Brasil. Creio que o Jornal Chapada do Araripe comece reconstruindo a identidade cultural do Crato e somente após, as demais cidades e em seqüência o Cariri, o Ceará, o Brasil e o Mundo. Creio que, a exemplo de outros órgãos de comunicação escrito do Crato, o Jornal Chapada do Araripe será cobiçado pela classe política para desfilar os seus egos já devidamente inflados e um palco livre para dissolverem a sua ociosidade, num toque de mágica de que estão fazendo tudo, quando na verdade amam manchetes de promessas vazias e desprovidas do cerne da seriedade.

Creio que a equipe que escreve o Chapada do Araripe será tentada de todas as formas a ser um palco dessa classe que tem sede de ser manchete onde, são o centro de atenções de manchetes criadas diariamente por eles mesmos, para manipular a ordeira e pacífica opinião publica.

Creio que o Dihelson Mendonça terá pulso o suficiente para evitar que as fofocas sejam noticias, que as promessas mentirosas, sejam projetos de governo. Que os atores construam ou busque outros palcos, pois o Chapada não é hospício para hospedar pessoas que fazem de tudo para serem noticias, manchete de vazios em busca do nada.

Creio que o Chapada do Araripe deva ser plural, imparcial, comprometido com a cultura, literatura, arte musica do Crato, do cariri, do ceará do Brasil e do mundo.

Creio ser o Chapada do Araripe um jornal globalizado.
Creio que o chapada do Araripe não seja um mural bairrista
Creio que o Jornal Chapada do Araripe não seja alheio ao Crato.
Creio na presença da URCA com artigos científicos, históricos, literários
Creio num espaço dado para as instituições de fomento a cultura arte, literatura (...)

Creio na seriedade de Dihelson Mendonça
Creio na boa fé de Dihelson Mendonça

Creio no bom senso
Creio num filtro
Creio num destilador

Creio no Crato.

Porém, caro Dihelson Mendonça, isto é apenas um ponto de vista, ou um ponto numa folha de papel, onde tem espaço para milhares de pontos, quiçá milhões. Prezado Dihelson Mendonça estou enviando algumas sugestões, que considero de maior valia para a consolidação do Chapada do Araripe na processo do pulsar vivo na história do Crato, do Cariri, do Ceará do Brasil e do mundo.

Se você julgar conveniente publicar ou não, estas minhas considerações, fique a vontade, pois a finalidade única é direcionar a minha visão sobre o jornal de meus sonhos - Chapada do Araripe.

Luiz Domingos de Luna
Aurora, 25 de março,2009

Nota do Editor do Jornal Chapada do Araripe: Meu Prezado e sempre empolgado Luiz Domingos, muito nos dá responsabilidade receber essa sua mensagem. Ao invés de nos causar vaidade, ( que é o luxo dos pobres de espírito ), enche-nos de mais responsabilidade. Concordo em g~enero, número e grau com muita coisa dita. Não poderemos ser Bairristas. No momento em que escolhemos esse nome, adotamos a região maior que o próprio CARIRI. E tenha certeza que com a minha sinceridade e de meus colegas e de pessoas empolgadas que acreditam na força do nosso povo, haveremos de construir um grande Jornal. Tudo se encaminha para isso. Já temos até a gráfica, já temos diagramador, já temos muitos patrocínios, e temos a seriedade e a boa vontade de fazer um Jornal que não visa lucros, mas que se sustenta, e que leva a alma do homem da Chapada do Araripe para o mundo.

Um grande abraço,

Dihelson Mendonça

"Hipocrisia da mídia, arrogância de Lula" - Postado por Darlan de O. Reis Junior


"Que José Saney é um horror de político não se discute. E é evidente que a atual campanha contra ele tem propósitos nada moralizantes. O que se quer é derrubar o senador e transformar o Senado em fator de instabilidade política para 2010. Há nos ataques uma hipocrisia sem tamanho.

1. Sarney só se tornou presidente graças ao empenho do então PMDB (Ulisses, FHC e outros) de incluí-lo na vice-presidência de Tancredo Neves.

2. O seu governo marcou o apogeu da influência de Roberto Marinho. Sarney não dava um passo, não indicava um Ministro sem, antes, pedir a bênção de Marinho. Não se trata de segredo algum, mas de um dado que nenhum historiador poderia ignorar.

3. Foi um amigo fidelíssimo da Folha de São Paulo, através de seu homem-chave Saulo Ramos, a quem a Folha se tornou eternamente grata.

4. A prorrogação do Cruzado, que resultou em um desastre de proporções incalculáveis, foi atribuída a ele. Mas os beneficiários diretos foram governadores e senadores do então PMDB que vencem em todo o país. Se alguém tiver curiosidade e tempo, poderá levantar todos os nomes beneficiados pela prorrogação do Cruzado.

Nesses anos todos, seus abusos foram ignorados por quase toda a mídia, com exceção de alguns colunistas. Ele tirou dois governadores eleitos do cargo, por manobras do tapetão, sem que houvesse uma reação maior. Quando explodiu o escândalo Gautama, a maioria das notícias crucificava seu adversário Jackson Lago, sabendo-se que a empreiteira entrara no Estado pelas mãos do grupo Sarney. Mas era apresentado como o grande comandante na transição para a democracia. Por outro lado, as manifestações de apoio ostensivas de Lula, saindo em fotos com ele, Collor e Renan, é a face oposta da hipocrisia: simboliza arrogância, vício perigoso em quem senta em cima de altos índices de popularidade.

No fundo, trata-se de um jogo complicadíssimo, cheio de nuances. Ao se expor diariamente na defesa pública de Sarney, Lula enfraquece os argumentos de todos os que lutam contra essa campanha por entendê-la desestabilizadora do jogo político, não por considerar Sarney um injustiçado. É evidente que a campanha da mídia é hipócrita, mas a indignação de parte da opinião pública contra Sarney é genuína. Ignorá-la é enveredar pelo perigoso terreno da arrogância."

Texto de Luis Nassif. Acesse na íntegra, inclusive com os comentários em seu blog.

Deu na Folha: Empresas da família Sarney são alvo de devassa da Receita

Numa devassa sem precedentes nas empresas da família Sarney, a Receita Federal indicou a prática de crimes contra a ordem tributária, como remessa ilegal de recursos para o exterior, falsificação de contratos de câmbio e lavagem de dinheiro, entre outras ilegalidades.
São 17 ações fiscais em curso, que atingem 24 pessoas e empresas relacionadas direta e indiretamente aos Sarney, incluindo sete contribuintes do Rio de Janeiro e São Paulo.

O caso se estende até a Usimar Componentes Automotivos, empresa que deu nome ao escândalo da Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia) no final da década de 1990 no Maranhão, no governo da então e atual governadora Roseana Sarney (PMDB).

O trabalho dos auditores está em andamento, não tendo havido ainda autuações. O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não se manifestou, e o advogado da família não ligou de volta à reportagem.

O aperto da fiscalização sobre pessoas físicas e jurídicas da família Sarney somou-se a uma série de outros fatores que levaram o governo federal a demitir a secretária da Receita Lina Maria Vieira, segundo a Folha apurou.

Além da divergência pública com a Petrobras, que promoveu mudança em seu regime tributário, a administração de Lina concentrou a fiscalização sobre grandes contribuintes, aplicando autuações bilionárias em bancos e empresas de diversos setores.

Os atingidos, incluindo o grupo de Sarney, pressionaram pela queda de Lina. A versão oficial para a demissão dela, contudo, foi a consecutiva queda na arrecadação de tributos.

A ação da Receita sobre a família Sarney está diretamente associada à Operação Boi Barrica (batizada posteriormente de Faktor), da Polícia Federal.
O inquérito foi instaurado em fevereiro de 2007, a partir de uma comunicação feita pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), que detectou movimentações atípicas no valor de R$ 3,5 milhões realizadas por Fernando Sarney e empresas da família às vésperas da eleição de 2006. A suspeita da polícia é de caixa dois na campanha de Roseana a governadora, o que ambos os filhos de Sarney negam.

A investigação da PF se desdobrou em cinco inquéritos. Fernando foi indiciado em três, por formação de quadrilha, gestão de instituição financeira irregular, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. A mulher dele, Teresa Murad, e funcionários de empresas da família também foram indiciados.

O material levantado pela PF foi enviado ao Ministério Público e à Justiça Federal, que acompanham a operação.
Com base no trabalho da PF, o juiz Ney Bello Filho (1ª Vara Federal do Maranhão) determinou à Receita, em setembro de 2007, a fiscalização sobre as pessoas físicas de Fernando e Teresa, e em três empresas da família: Gráfica Escolar, TV Mirante e São Luís Factoring.
Na época, o secretário da Receita era Jorge Rachid. Um ano depois, em setembro de 2008, o juiz, insatisfeito com a lentidão e o resultado do trabalho dos fiscais, expediu novo ofício à Receita determinando celeridade do fisco, sob pena de prisão de dirigentes do órgão.

Na gestão de Lina, que assumiu em julho de 2008, a Receita constituiu um grupo de fiscalização, composto por auditores de fora do Maranhão. Dos sete contribuintes inicialmente investigados, a ação se estendeu para 24 pessoas físicas e jurídicas e deve chegar a cerca de 50, segundo a Folha apurou.
Pela investigação da Receita, a Usimar falsificou contratos de câmbio para remeter ilegalmente dinheiro para o exterior.

A fabricante de autopeças levou R$ 44,1 milhões da extinta Sudam, em 1999, em um projeto de uma indústria em São Luís que nunca saiu do papel. A Folha não conseguiu apurar em que momento a investigação chegou à Usimar, que pertence a um grupo paranaense.

Fonte: Folha de S. Paulo

Por: Samuel P. Teles

Precisamos de Redatores Jornalistas - A Diferença de um Texto Jornalístico e um Texto de Blog


Amigos,

Estou seriamente pensando em restringir o acesso de postagens ao nosso JORNAL CHAPADA DO ARARIPE aos postadores do Blog do Crato, porque não sabem diferenciar o que é um texto Jornalístico de um texto para um Blog.

Minha idéia inicial era de democracia, de que todos os escritores pudessem eles mesmos postarem as matérias no Jornal, como fazem aqui no Blog. Infelizmente, isso não vai ser possível, vai ser preciso enviar primeiro para mim, para que eu possa publicar, a não ser que as pessoas tenham um MÍNIMO de consciência do que venha a ser um texto jornalístico. Talvez os jornalistas profissionais tenham razão em exigir diplomas para jornalistas, em face da qualidade do que tenho visto em algumas postagens recentes lá no Chapada do Araripe, ou que iriam para lá.

Hoje teremos Nova Edição.

A grande diferença de uma postagem Jornalística é a total isenção, se possível, a falta de parcialidade do escritor sobre aquilo que escreve. Num Blog a coisa é passional. Num Blog pode-se dizer como dizemos aqui: "Lula é Corrupto, FHC quebrou o Brasil, etc..."

Mas o que seria se esse tipo de manchete saísse num Jornal dessa forma ? Vocês estão entendendo o que eu estou falando ? Estou para começar um Jornal que pretende ser uma coisa de muita responsabilidade, imparcialidade, livre das paixões que normalmente acompanham os Blogs. A coisa será mais Informativa, Cultural, de Exaltação da nossa terra, nossos costumes, nossas tradições. É um jornal que pretendo enviar para todo o Brsil, e que bem representará o Cariri. Então, não fica bem nós colocarmos textos absurdos.

Há alguns dias, confiei a tarefa de postagem a vários membros do Blog do Crato, mas hoje vejo que o papel do Editor-Chefe é fundamental no Jornal, e que esse negócio de deixar por conta de cada um não dá certo.

Abro a edição do Jornal Chapada do Araripe de hoje e vejo a seguinte notícia:

O BRASIL “QUEBROU”, SIM - TRÊS VEZES - QUANDO DO GOVERNO FHC (MATANDO A COBRA E MOSTRANDO O PAU) - Por: xxxxxxxxx

Aonde é que no Brasil e no Mundo se vê uma manchete de Jornal dessas aí ????

Existem formas de criar textos, de criar manchetes. Num Blog é aceitável, a linguagem é quase coloquial, mas NUM JORNAL ?

Mesmo com toda a parcialidade do mundo, que essa matéria aí já diz tudo, o autor poderia colocar na manchete:

O Brasil teria quebrado três vezes na gestão FHC segundo afirmam técnicos do Governo Federal

Essa aí seria uma versão mais jornalística. "Matando a cobra e mostrando o pau" ? que é isso ?? Que jornal é esse ?

Então, ou fazemos um curso de Jornalismo, contratamos jornalistas, ou vamos ter de restrngir o acesso de postagens a jornalistas e pessoas que possam escrever dentro dos parâmetros de um bom jornalismo. uma coisa eu aconselho: Leiam mais Jornais. Verifiquem a formatação de textos, construção de cabeçalhos. Existe toda uma ciência para se redigir um bom texto jornalístico e uma notícia.

Abraços,

Dihelson Mendonça

Bloghumor: Alessandra Bandeira, seus projetos e o Senador...Por: Wilson Bernardo

Por favor!!!...Calma filha, se o PTsarney te expulsar eu te acolho de asas tucanas!

Tucaninha de bico encolhido a esperar...

Vou pensar meu Tucanão!


Wilson Bernardo(Fotos & legendas)

Do puritanismo



"O puritano é aquele que vive desconfiado

de que alguém, em algum lugar, está feliz.

Os imorais são aqueles que estão se divertindo mais do que nós."


Henry Louis Mencken

Porque HOJE .... É Sábado !! - Vinícius de Moraes

O Dia da Criação - Vinícius de Moraes

sabado foto620


Macho e fêmea os criou. ( Gênese, 1, 27 )

I

Hoje é sábado, amanhã é domingo
A vida vem em ondas, como o mar
Os bondes andam em cima dos trilhos
E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz para nos salvar.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Não há nada como o tempo para passar
Foi muita bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo
Mas por via das dúvidas livrai-nos meu Deus de todo mal.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Amanhã não gosta de ver ninguém bem
Hoje é que é o dia do presente
O dia é sábado.

Impossível fugir a essa dura realidade
Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios
Todos os namorados estão de mãos entrelaçadas
Todos os maridos estão funcionando regularmente
Todas as mulheres estão atentas
Porque hoje é sábado.

II

Neste momento há um casamento
Porque hoje é sábado
Hoje há um divórcio e um violamento
Porque hoje é sábado
Há um rico que se mata
Porque hoje é sábado
Há um incesto e uma regata
Porque hoje é sábado
Há um espetáculo de gala
Porque hoje é sábado
Há uma mulher que apanha e cala
Porque hoje é sábado
Há um renovar-se de esperanças
Porque hoje é sábado
Há uma profunda discordância
Porque hoje é sábado
Há um sedutor que tomba morto
Porque hoje é sábado
Há um grande espírito-de-porco
Porque hoje é sábado
Há uma mulher que vira homem
Porque hoje é sábado
Há criançinhas que não comem
Porque hoje é sábado
Há um piquenique de políticos
Porque hoje é sábado
Há um grande acréscimo de sífilis
Porque hoje é sábado
Há um ariano e uma mulata
Porque hoje é sábado
Há uma tensão inusitada
Porque hoje é sábado
Há adolescências seminuas
Porque hoje é sábado
Há um vampiro pelas ruas
Porque hoje é sábado
Há um grande aumento no consumo
Porque hoje é sábado
Há um noivo louco de ciúmes
Porque hoje é sábado
Há um garden-party na cadeia
Porque hoje é sábado
Há uma impassível lua cheia
Porque hoje é sábado
Há damas de todas as classes
Porque hoje é sábado
Umas difíceis, outras fáceis
Porque hoje é sábado
Há um beber e um dar sem conta
Porque hoje é sábado
Há uma infeliz que vai de tonta
Porque hoje é sábado
Há um padre passeando à paisana
Porque hoje é sábado
Há um frenesi de dar banana
Porque hoje é sábado
Há a sensação angustiante
Porque hoje é sábado
De uma mulher dentro de um homem
Porque hoje é sábado
Há uma comemoração fantástica
Porque hoje é sábado
Da primeira cirurgia plástica
Porque hoje é sábado
E dando os trâmites por findos
Porque hoje é sábado
Há a perspectiva do domingo
Porque hoje é sábado

III

Por todas essas razões deverias ter sido riscado do Livro das Origens,
ó Sexto Dia da Criação.
De fato, depois da Ouverture do Fiat e da divisão de luzes e trevas
E depois, da separação das águas, e depois, da fecundação da terra
E depois, da gênese dos peixes e das aves e dos animais da terra
Melhor fora que o Senhor das Esferas tivesse descansado.
Na verdade, o homem não era necessário
Nem tu, mulher, ser vegetal, dona do abismo, que queres como
as plantas, imovelmente e nunca saciada
Tu que carregas no meio de ti o vórtice supremo da paixão.
Mal procedeu o Senhor em não descansar durante os dois últimos dias
Trinta séculos lutou a humanidade pela semana inglesa
Descansasse o Senhor e simplesmente não existiríamos
Seríamos talvez pólos infinitamente pequenos de partículas cósmicas
em queda invisível na
terra.
Não viveríamos da degola dos animais e da asfixia dos peixes
Não seríamos paridos em dor nem suaríamos o pão nosso de cada dia
Não sofreríamos males de amor nem desejaríamos a mulher do próximo
Não teríamos escola, serviço militar, casamento civil, imposto sobre a renda
e missa de
sétimo dia.
Seria a indizível beleza e harmonia do plano verde das terras e das
águas em núpcias
A paz e o poder maior das plantas e dos astros em colóquio
A pureza maior do instinto dos peixes, das aves e dos animais em [cópula.
Ao revés, precisamos ser lógicos, freqüentemente dogmáticos
Precisamos encarar o problema das colocações morais e estéticas
Ser sociais, cultivar hábitos, rir sem vontade e até praticar amor sem vontade
Tudo isso porque o Senhor cismou em não descansar no Sexto Dia e [sim no Sétimo
E para não ficar com as vastas mãos abanando
Resolveu fazer o homem à sua imagem e semelhança
Possivelmente, isto é, muito provavelmente
Porque era sábado.

Vinícius de Moraes
Foto Ilustrativa: "Dourado" - Autor(a) antónio m. j.martins

Toda ação corresponde a uma reação – por Pedro Esmeraldo


Atualmente, estamos numa confusão sem limite, metidos na corda bamba sem saber pra onde ir, já que uns vejam que devem mudar o Parque de Exposição para outro lugar mais aconchegante, de maior espaço para abrigar todos os tipos de animais que vem se localizar neste local durante os festejos expositivos.
Certa vez alguém nos pediu opinião a respeito do assunto. Respondemos que não entendemos do assunto, mas somos de acordo que este Parque permaneça onde está basta adaptá-lo a uma tecnologia avançada e construir outras mais modernas para que venhamos vibrar com entusiasmo e com desempenho das atividades agropastoris, procurando orientar o cidadão rural com novas tecnologias que trarão o progresso satisfatório, acompanhando o desenvolvimento moderno.
Ao nosso ver, devemos ser respeitados e entusiasmado com parâmetros modernos que satisfaçam aos desígnios dos cidadãos ruralistas.
Segundo dizem os entendidos lá há terreno de sobra, basta só ter um pouquinho de vontade para contemplar um equilíbrio ambiental que será um elo a paz de espírito desses homens que teimam em contrariar o povo com medidas antiquadas. Agora usamos um dito popular na Exposição do Crato é considerada a menina dos olhos da população cratense. Temos com expansão e aprimoramento do negócio de gado da agricultura regional.
Nos últimos dias, não fomos compreendidos por alguns políticos do Estado já que vieram nos ferir moralmente com palavras indesejadas, chamando-nos de espírito de porco. Não compreendemos bem esse adjetivo mas dizemos com muita calma e de sã consciência que os cratenses não são culpados pelas algazarras provocadas por terceiros, principalmente aqueles que não desejam bem ao Crato.
Ao mesmo tempo todos nós ficamos temerosos que não tomem medidas apressadas, não venham contrariar o povo com gestos obsceno que puderam enlamear o progresso do Crato. Assim diz o provérbio popular gato escaldado, de água fria tem medo. Por isso pedimos apoio moral as nossas autoridades que venham trazer infra-estrutura para que animem o povo que andam ressabiado com o esquecimento do Crato. Simplesmente, estamos temerosos quando arrebatam do Crato o nosso patrimônio para estabelecer em outra coluna.
Também lembramos aos senhores chefes de nossa política que a rivalidade entre esses dois municípios vem de é de épocas imemoriais, pois foi provocada por um político ardiloso que quis impedir a vinda para o Crato a estrada de ferro, antiga RVC e ainda conforme o seu prestígio político impediu de vir outros melhoramentos para a nossa cidade.
Declaramos com firmeza Crato foi sempre perseguido por estes astuciosos, criando o campo da discórdia e a revolta popular desses municípios. Nesse caso asseveramos, mostrando as pessoas que não nos conhece a verdadeira história do Crato que é deturpada somos provocados e que levam o bom desta cidade.
Dizem que somos provocadores, puro engano? Somos vítimas da discórdia e da calúnia. Levam-nos para o desespero desejando que fiquemos na indiferença do progresso.
Lembramos portanto que somos um povo calmo mas destemido, sabemos nos comportar com dignidade a fim de lutarmos com paciência e amor ao trabalho, evitando as diabruras desse povo hostil ao desenvolvimento do Crato.
Finalmente avisamos, longe de nós essa confusão. Queremos crescer com paz e amor a terra.

Texto de Pedro Esmeraldo

Carta Aberta ao Deputado Ely Aguiar - Por: Alessandra Bandeira

Nobre Deputado,

Infelizmente acredito que o senhor desvirtuou o meu pedido , mas quem acompanha o Blog sabe que o senhor se comprometeu a levar o projeto para a Secult e falar com o secretário Auto Filho. Não lhe pedi dinheiro. Sinceramente não vou permitir que o senhor me use para sair ileso dessa sua falta de compromisso, não use o fato do dinheiro para as passagens para justificar seu total descaso pela cultura e pela arte. Estamos cansados de pessoas como o senhor,que prometem uma coisa, não cumprem e justificam suas atitudes com argumentos inexistentes. Se o senhor não entendeu , vou explicar claramente :

O senhor se colocou publicamente afirmando que levaria o projeto do Flower Guy para entregar nas mãos do Secretário de Cultura do Estado Auto Filho e foi isso que lhe cobrei. Se o senhor dispõem de uma assessoria faça um melhor uso, pois, acredito que o senhor está nessa fogueira por sua falta de compromisso e não por minha causa. Não se justifica um erro com outro. Um conselho que lhe dou e que seria muito mais coerente o senhor vir a publico e pedir desculpas pela sua falta de compromisso e não desvirtuar os fatos. Humildade não faz mal a ninguém. É sinal de sabedoria.

Peço desculpas à população cratense por ter pedido ajuda ao senhor, afinal ficou claro que esse foi o meu maior erro.

Passar bem,
Aproveite este resto de mandato com sabedoria e parcimônia.
Ah! Eu sou historiadora, nunca esqueço dos fatos, assim como a população.

Alessandra Bandeira - Historiadora

Estilhaços - Por: Emerson Monteiro


Lembro como se fosse ontem meu primeiro dia no Banco do Brasil, na agência de Brejo Santo, Ceará. Era 27 de junho de 1967, uma terça-feira. Chegara no dia anterior para a posse. Meu pai fora de tarde me levar, na mesma pick-up Chevrolet em que eu depois aprenderia a dirigir. Morávamos em Crato. Cobríramos a distância em torno de 90km por caminhos de terra, inclusive na BR-116, porquanto naquele tempo havia asfalto só até Barbalha. José Ferreira, cunhado de minha mãe, casado com tia Nailée, me receberia em sua casa, defronte do Brejo Santo União Clube, e me hospedaria durante os quatro anos em que ali permaneceria.
O expediente começava às 13h. Sob uma árvore da longa praça principal da cidade, enquanto aguardava abrirem as portas da agência, conheci João Batista Carvalho, um outro do mesmo concurso e que se apresentaria como eu, para naquele dia também iniciar sua jornada profissional. Ambos trajávamos camisa branca de manga longa e gravata no pescoço. Dois precários (bancários novos, assim denominados pelos colegas veteranos).

Desde então testemunharia aquele período cheio de contradições, no mundo contemporâneo em convulsão, do trecho entre Brejo Santo e Crato; apenas em raros fins de semana aquietava canto no lugar do trabalho. Nas sextas-feiras de tarde, ou começo de noite, arrumava numa pequena bolsa alguns pertences e seguia para a estrada em busca de transporte. Deixara em Crato história rica de sonhos e relacionamentos. Gostava de cinema, bares, festas, passeios ao pé da serra e dos meus familiares, namoradas, etc.

Brejo Santo possuía seus atrativos, porém o peso dos sentimentos telúricos cratenses me arrastava de volta ao meu segundo berço, aonde chegara com quatro anos, em 1953. Sempre nutri pelo Crato uma quase paixão, fascinado por sua moldura de serras, as encostas do Lameiro em longas caminhadas a pé, o barro branco a colar na pele, bananeiras, pássaros, frutas doces, belas morenas; suas praças, sua gente, a água saborosa, a efervescência cultural, a política estudantil, informação vinda de fora pelas livrarias e bancas de revistas; o Jornal A Ação, que produzia com Vicelmo, Pedro Antônio, Armando Rafael, Huberto Cabral e Padre Honor, por mais de ano, com boa repercussão na comunidade; o Jogral Pasárgada, que fundara com outros seis jovens, no Colégio Diocesano, e sua larga demanda de apresentações.

Lembro, no entanto, de entrosamentos valiosos que estabeleci em Brejo Santo, tanto junto aos colegas do Banco, na maioria de outras localidades, quanto junto aos naturais do município, gente de reconhecida hospitalidade, laboriosa e de senso de realização, haja vista o progresso que, nos dias atuais, lhe movimenta e destaca no elenco das comunas interioranas, naquela fase só de modestas proporções.

Nessas pessoas especiais de quem preservo lembranças benfazejas, José Lirismar Macedo ocupa espaço próprio. Dada sua formação de radialista que vivera em centros maiores e trabalhara em importantes emissoras, Lirismar guardou consigo vivências que bem nutriram a nossa aproximação. Por seu intermédio, conheci e passei a admirar autores exponenciais da música brasileira e da literatura universal.

Ele despertou meu gosto por figuras inigualáveis tipo João Gilberto, Carlos Lira, Dorival Caymmi, Tom Jobim e outros, sobretudo da bossa nova, no âmbito musical; na literatura, dada influência sua conheci importantes obras, quais Os velhos marinheiros, de Jorge Amado; e Narciso e Goldmund, de Hermann Hesse, peças chave de minha formação, no meio de outras mais; e autores como o mineiro Fernando Sabino, para citar alguns poucos e trazer à tona poucos dos detalhes de nossas agradáveis conversações. Nos finais explosivos dos anos 60, época demolidora e definidora dos rumos da história recente, ao meu lado, para compartilhar das minhas apreensões de resto de adolescência, havia a personalidade marcante deste amigo, o qual permanece no crivo fiel do meu reconhecimento em preito de notável consideração.

Por: Emerson Monteiro

Em Araripe - CE - Estado de calamidade por falta de água - Reportagem: Antonio Vicelmo


Para o prefeito de Araripe, José Germano Correia, contratar serviço de carro-pipa será a maneira de não deixar a população ainda mais prejudicada (Foto: Antônio Vicelmo). Com o decreto, o prefeito de Araripe, José Germano Correia, quer contratar carro-pipa para abastecer a cidade.

Araripe. O prefeito de Araripe — cidade localizada a 526 quilômetros de Fortaleza —, José Humberto Germano Correia, decretou, ontem, estado de calamidade pública no município com objetivo de contratar, sem licitação, carros-pipa para o abastecimento de água da cidade que, segundo o chefe do executivo, vem sofrendo, a cerca de 90 dias. A falta de abastecimento também está prejudicando escolas e hospitais e, principalmente, a população.


A solução para os moradores da cidade e da zona rural é comprar água aos carroceiros que fazem fila para pegar água no único poço que está em funcionamento. Nas casas, o tambor com 250 litros é vendido por R$ 7,00, despesa alta para a maioria da população de baixa renda. A água está sendo trazida da Serra Branca, em Pernambuco. O problema também está prejudicando as escolas do município. Em uma delas, as aulas foram suspensas porque não havia água para fazer a merenda das crianças.

De acordo com a Prefeitura, outros serviços essenciais prestados à população estão prejudicados. O serviço de abastecimento de água de Araripe é executado pela Companhia de Águas e Esgotos do Ceará (Cagece) que transporta água do açude Lagoinha. A decretação do estado de calamidade pública, segundo o prefeito, atende a uma situação de emergência. “Não vou deixar que o povo morra de sede”, justifica.

O objetivo é restabelecer a situação de normalidade, sem contrariar a ordem jurídica que exige a abertura de edital de licitação para contratação de carros-pipa. “O povo não tem condições de esperar”, adverte o gestor de Araripe.

O chefe do escritório da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), com sede em Araripe, Robson Teixeira de Morais, desconhece a falta d’água na cidade. Ele disse que não recebeu nenhuma reclamação, mas admite que está faltando água na região do Pajeú, zona rural, em conseqüência de um defeito na bomba do poço PP-4, que foi perfurado pela Petrobras, há cerca de 10 anos, para prospecção de petróleo.

Como a estatal não encontrou petróleo, o poço foi aproveitado para o abastecimento d’água de Araripe e Salitre. No entanto, o sistema nunca funcionou satisfatoriamente porque o poço tem 950 metros de profundidade, quase l quilômetro, o que dificulta o funcionamento da bomba.

Robson diz que já trouxeram técnicos até da Petrobras para tentar corrigir o defeito. Como o problema persiste, a cidade de Salitre também foi afetada. A cidade de Salitre está sem água há 72 dias. A maioria da população está bebendo água de péssima qualidade dos barreiros e de um poço profundo, com água salgada, que funciona no Centro da cidade.

A informação é do vereador Antônio Sílvio Pinto Lima, acrescentando que as pessoas de melhor poder aquisitivo compra água do carro-pipa que vem de Pernambuco, a 20km de distância, a R$ 20,00 a lata de 18 litros.

O problema já foi comunicado a Cagece que, até agora, segundo o vereador, não apresentou nenhuma solução definitiva. “A conversa é a mesma. Estamos licitando a obra”, reclama Sílvio Pinto. A população de Salitre e Araripe criticam também o fato do escritório regional da Cagece responsável pelo abastecimento de água das duas cidades funcionarem em Acopiara, quando poderia ser em Juazeiro do Norte que é mais perto.

Antônio Vicelmo

Repórter do Jornal Diário do Nordeste
Colaborador do jornal Chapada do Araripe

Deputado Ely Aguiar rebate críticas de Luiz Jairo Sampaio Junior


Confusão na praça...

U
m senhor, me parece que de nome Jairo, diz que eu emiti cheques sem fundos na reforma da praça. Primeiro: Nunca em minha história emiti cheques sem a devida e imediata cobertura. Minha folha bancária é limpa, limpissima. Segundo; nunca fiz negócio com esse senhor, não o conheço nem sei de onde veio e nem para onde vai. Terceiro, todo dinheiro da praça saiu direto do Estado para a conta da prefeitura que sua vez efetua o pagamento a construtora da obra. Ocorre que os maus políticos preferem falar mau dos outros, inventar mentiras a trabalhar pela sua terra. Posso ver, junto ao Departamento Juridico da Assembléia a possibilidade de abrir um processo contra referido elemento para que o mesmo prove um cheque meu, sem cobertura, em qualquer parte do Brasil. Não Falo mal das pessoas nem dos políticos da minha terra. Não tenho índole e nem tempo para sentir inveja dos outros pois ocupo meu tempo com trabalho, determinação e vontade de chegar onde pretendo. Abraço.

Deputado Ely Aguiar

Os Comentários originais emitidos pelo Sr. Luiz Jairo Sampaio Junior:

Caro deputado Ely Aguiar,

Porque dentre tantas obras, o Sr nao cita a belissima reforma da praça Siqueira Campos ? E os famosos cheques sem fundos emitidos , pelo o Sr. aos trabalhadores da obra ! do mais simples jardeiro ao fornecedor de materiais, para tao famosa "REFORMA ". Ah antes que o nobre deputado venha dizer que nao tem nada haver com os cheques ! Quem trouxe o engenheiro que por sinal o deputado andava com ele em todo o Crato se gabando que quem arranjou o dinheiro para " REFORMA " . Continuando ... Sobre os celular desligado ! isso e normal para o deputado , já que a mesma pratica foi usada a quem o Sr ou empresa devia na ocasiao . E como relembrar é viver ! o nobre deputado lembra de uma certa noite de festa no crato tenis clube em 2006 . na qual eu cheguei e o abordei ." Ely macho veí só nao vou votar em voce para dep . estadual ,porque tenho muito gratidao e devo muito ao Jairo sampaio " . o deputado me responde macho o Jairo e candidato a dep, federal. voce vota primeiro nele e depois vota e mim ! mal sabia que o deputado estava dialogando com o filho do Jairo !


Em Comentário, Dr. Valdetário defende o Dep. Guimarães, cujo Assessor foi flagrado com 100 mil dólares na Cueca em 2005


Acima: Assessor José Adalberto Vieira da Silva, do Dep. José Guimarães, preso com 209 mil reais e 100.000 dólares na cueca em 2005. ( Foto: Revista Veja ).

Em um comentário num dos tópicos abaixo, o Dr. valdetário faz a seguinte consideração:

"Vou repetir: se eu não acreditasse na palavra do deputado Guimarães eu não estaria no mesmo grupo político dele."

Dr. valdetário.

Acontece, Dr. Valdetário, que já é de conhecimento nacional sobre o escândalo dos dólares na cueca, veiculados em inúmeros meios de comunicação. Não estamos aqui a INVENTAR nada que já não tenha sido veiculado exaustivamente nos mais conceituados meios de comunicação do país, e principalmente após o parecer do próprio Ministério Público Federal, que assim se pronuncia sobre o caso:

"O Ministério Público Federal partiu do escândalo, conhecido em todo o Brasil, como o caso dos “ dólares na cueca”. Tudo teve início em julho de 2005, quando o assessor parlamentar na Assembléia Legislativa, José Adalberto Vieira da Silva, foi preso no aeroporto de São Paulo com 209 mil reais numa mala e cem mil dólares na cueca.

Depois de quatro meses de investigação, os procuradores tiveram acesso ao relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que demonstrou que o dinheiro transportado era propina pelo fechamento de um contrato de 300 milhões de reais entre o Banco do Nordeste (BNB) e o consórcio Sistema de Transmissão do Nordeste. Quanto ao deputado federal Guimarães, o MPF coletou uma série de indícios da participação na operação. Além de ser o chefe de Adalberto na época, o parlamentar influenciou na nomeação do presidente do BNB e é considerado muito próximo do ex-chefe de gabinete do BNB, Kennedy Moura, com quem tinha contato durante as viagens do seu assessor parlamentar a São Paulo.

Mirela Coelho
Assessoria de Comunicação Social

Procuradoria da República no Ceará

Portanto, Dr. Valdetário, fica a sua palavra contra a do site da Procuradoria. Se o Sr. resolve apoiar quem quer que seja, já não serei eu quem irá fazer qualquer julgamento. O Sr. tem todo o direito de defender o Guimarães ou qaulquer outro. O Lula não se cercou de Collor, Renan e tenta ainda salvar o Sarney ? Ou o PT não é um só no Brasil na defesa dos seus queridos membros e "amigos" ? Eu posso entender a sua defesa...

Fonte da Pesquisa:

Website do MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
Procuradoria geral da República
Matéria: Dólares na cueca: José Guimarães continua a responder ação de improbidade
24/5/2007 9h28 - Decisão do TRF-5 mantém o nome do deputado federal no pólo passivo do processo. Link na Internet: MPF - http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias-do-site/patrimonio-publico-e-social/mpf-ce-caso-dos-dolares-na-cueca-volta-a-ser-foco-da-justica/

Até Planalto acha que Lula exagera na defesa de Sarney


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi aconselhado por assessores a adotar um tom mais cauteloso na defesa do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A avaliação do Palácio do Planalto é de que Lula já fez o que tinha de fazer pelo aliado na temporada de recesso e não deve mais comentar cada denúncia, para não jogar a crise política em seu colo nas férias parlamentares.
Em conversas reservadas, ministros admitem que a situação de Sarney pode se complicar e o presidente precisa deixar a "blindagem" do senador a cargo do Conselho de Ética. Mas Lula ainda não seguiu a orientação. Depois de dizer que Sarney não pode ser tratado como "pessoa comum" e de pedir ao Ministério Público cuidado com a biografia do investigado, o presidente afirmou na quinta que "é preciso saber o tamanho do crime" para uma investigação correta.
Boi Barrica

Sarney fez chegar a Lula sua insatisfação com o ministro da Justiça, Tarso Genro (PT). Para o presidente do Senado, gravações feitas pela Polícia Federal durante a Operação Boi Barrica não poderiam ter "vazado" para a imprensa. A um grupo de amigos Sarney disse que a Polícia Federal "politizou" a interceptação e suspeita que o PT esteja alimentando a série de denúncias contra ele.
Tarso afirmou que enquanto a investigação esteve sob cuidado exclusivo dos agentes federais, por dois anos e meio, nada foi divulgado. "Quando o processo foi para o Ministério Público e ficou disponível para as partes interessadas, aí começou a divulgação", observou o ministro da Justiça. "Eu estou muito tranquilo: a Polícia Federal é isenta e não participa de debates e ideológicos."
(Fonte: VEJA)

Edições Anteriores:

Novembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30