xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 11/07/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

11 julho 2009

Artigo: A Criação da ExpoCrato - Para melhorar a pecuária local - Por: Huberto Cabral



Primeira exposição do Crato foi realizada em junho de 1944 no Sítio Caridade e contou, na época, com cinco mil visitantes (Foto: REPRODUÇÃO). Na década de 60, a exposição se estabelece de vez no calendário regional, por meio de convênio celebrado entre oito secretários de Agricultura do Nordeste.

Crato. Era junho de 1944 quando o jovem advogado Dr. Wilson Gonçalves, então prefeito do Crato, teve a feliz idéia de criar e realizar uma Exposição Agropecuária nesta cidade, com o alto objetivo de propiciar meios racionais para a melhoria do rebanho bovino da região. A raça zebuína, a mais aconselhada para o nosso meio, começou a ser introduzida no Cariri, quando um genro do então presidente do Estado, Justiniano de Serpa, apareceu aqui, por volta de 1922, com um lote de umas 100 rezes procedentes do Estado de Minas Gerais, via Fortaleza, e efetuou vendas aos criadores tradicionais.

O local escolhido para a Exposição foi o Sítio Caridade, onde se erguem hoje os edifícios da Fundação Padre Ibiapina e Faculdade de Filosofia. A Prefeitura preparou o lugar com todo o esmero possível: belo pavilhão, baias, grama, água canalizada e outros melhoramentos. Às 10 horas do dia 4 de dezembro realizou-se, com grande brilhantismo, a solenidade da abertura e inauguração da Exposição, presidida pelo então Interventor Federal neste Estado, professor Francisco de Menezes Pimentel, o qual se achava acompanhado de ilustre comitiva. O período da Exposição foi de 4 a 7 de dezembro e foram expostos 295 animais — cerca de 220 bovinos e o restante, eqüinos, muares, asininos, ovinos, caprinos e suínos, além de animais de menor porte, como coelho, galináceos etc. Os visitantes foram na ordem de cinco mil. O êxito foi completo, desde o aspecto econômico (boa venda de gado) ao social. Isto se deveu ao clima de entusiasmo e boa vontade por parte de todos e, sobretudo, ao seu plano geral de preparação.


Idas e vindas

A Exposição, realizada em plena época da Segunda Guerra Mundial, sem deixar de constituir grande marco para futuros certames dessa natureza, a sua seqüência não se seguiu no ritmo natural que se esperava. Findou a guerra, veio um período de dificuldades econômicas, natural do após-guerra, depois a reorganização do País em sua vida democrática, após a Ditadura Vargas.

Posteriormente, os sucessivos e passageiros prefeitos deparavam-se com dificuldades e foram adiando a realização da segunda Exposição, mesmo porque tinham de cuidar primeiro da reorganização da vida do município, com a criação dos organismos essenciais ao desafio dos tempos modernos.

Segunda exposição

Veio o ano de 1953, quando a cidade do Crato iria comemorar 100 anos de elevação à categoria de cidade, na administração dr. Décio Teles Cartaxo.

O renome de que o Crato já gozava assegurava o êxito e o esplendor de festividades e certames que fossem programados e, assim, os setores de desenvolvimento econômico do município incutiram no espírito esclarecido do prefeito Décio Cartaxo a necessidade da realização da Segunda Exposição.

Assim, ao lado de uma importante Feira de Amostras, que teve lugar na Praça da Sé, com a participação de vários municípios do Ceará, inclusive Sobral, alcançando retumbante sucesso, a qual foi coordenada pelo dr. Jósio de Alencar Araripe, foi levada a efeito, no atual Parque Municipal, à Praça Alexandre Arrais, a Segunda Exposição Regional Agro-pecuária, durante o período de 14 a 17 de outubro daquele ano de 1953. Repetiu-se o êxito total de 1944, demonstrando-se mais uma vez o vigor do Crato em suas iniciativas e promoções. Personalidades que visitaram a Exposição: os então vice-presidente da República, João Café Filho; comandante da 10ª Região Militar, general Humberto de Alencar Castelo Branco; ministro da Viação, José Américo de Almeida; ministro do Trabalho, João Marques Belchior Goulart; governador Raul Barbosa; vários secretários de Estado, dezenas de prefeitos, senadores, deputados federais e estaduais.

Estavam, pois, evidenciadas as possibilidades e as condições que o município do Crato oferecia, no sentido de que o Certame fosse realizado, ininterruptamente, nos anos subseqüentes. Deste modo, em 1954, foi promovida e realizada com sucesso, a terceira Exposição, pela primeira vez no atual Parque de Exposição, na administração do então prefeito dr. Ossian de Alencar Araripe.

Em 1959, a Exposição, por força de um convênio celebrado entre oito secretários de Agricultura do Nordeste, que para isto se reuniram, foi estabelecido um calendário comum de distribuição das Exposições em cada área de atuação. A do Crato, pela sua própria expressão e amplas possibilidades, passou a ter âmbito bem maior, denominando-se “Exposição Centro Nordestina de Animais e Produtos Derivados”, logo a partir do referido ano de 1959. Conjuntamente a ela, a Exposição primitiva “Exposição Regional Agropecuária do Crato”, continua a realizar-se, tanto que no ano de 1976, diz-se: XVII Exposição Centro Nordestina de Animais e Produtos Derivados — XXIII Exposição Regional Agropecuária do Crato.

Estava assim definitivamente implantada, com raízes bem profundas e seguras, a nossa Exposição. Dentre tantos fatores do evento que todos os anos se realiza em nossa cidade, um há de ser destacado, o mais importante entre eles, o positivo de ordem econômica, como gerador de bens e impulsionador de riquezas.

Potencial local

De fato, o evento é uma prova inconteste da viabilidade econômica local e regional. O evento estimula a criação, está se transformando no maior acontecimento no gênero do Nordeste, e faz com que se aprimorem o gosto e o estímulo pelo desenvolvimento da pecuária na região.

Hoje, já se pode dizer, são centenas de fazendas e produtores a criar gado de raça, a melhorar a qualidade dos rebanhos, a introduzir o uso de tecnologias modernas, como inseminação artificial, engorda confinada, estábulos para gado leiteiro, uso de rações balanceadas, plantio de capins selecionados, ensilagem, vacinação e medicamentos curativos e preventivos e seleção de reprodutores e matrizes.

Huberto Esmeraldo Cabral*
Colaborador

*Memorialista

DESENVOLVIMENTO

"De fato, o evento da Expocrato é uma prova inconteste da viabilidade econômica regional"
Huberto Cabral
Memorialista

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

58ª ExpoCrato começa hoje, Domingo, 12 de Julho de 2009



Hoje, Domingo, as 17 horas, o prefeito do Crato, Samuel Araripe, juntamente com o Governador do Estado, Cid Gomes, e lideranças do setor Desenvolvimento Agrário do Ceará abrirão oficialmente a 58ª edição da Exposição Centro-Nordestina de Animais e Produtos Derivados - ExpoCrato 2009. O evento, que prossegue até o domingo, 19, vislumbra atrair mais de 100 mil pessoas diariamente para o Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcanti.

A ExpoCrato é a maior exposição agropecuária do Ceará, e a expectativa dos organizadores é que, nesta edição, sejam movimentados mais de R$ 60 milhões em negócios. Este ano, são esperados 12 mil animais.

Foto: Pachelly Jamacaru

CONCURSO PARA PROFESSORES -Por Maria Otilia

Já se encontra no site da SEDUC, a proposta do Edital para a seleção ( concurso) de professores que farão parte do grupo ocupacional do magistério( quadro efetivo), da rede estadual do Ceará. Lembramos a todos os professores interessados, que leiam atentamente o edital e enviem as sugestões das alterações que achem necessárias. Participe!
Site para acesso: www.seduc.ce.gov.br
Texto e postagem : Maria Otilia Moreira

MATEMATICANDO.COM Dr Valdetário.

As Oito Bolas de Sinuca.

No boteco da esquina havia uma sinuca que se transformou no motivo de encontro de todos do bairro. Certa vez o dono do boteco, ao guardar as oito bolas da sua sinuca, percebeu que uma das bolas tinha um peso diferente das demais. Ou seja, das oito bolas, sete tinham exatamente o mesmo peso e apenas uma delas apresentava um peso diferente, podendo ser mais leve ou mais pesada que as demais. Daí o dono do boteco resolveu lançar um desafio aos seus fregueses oferecendo um prêmio simbólico ao vencedor. O desafio era o seguinte: usando apenas as oito bolas e uma balança de dois braços por no máximo três vezes o desafiado ficava obrigado a identificar a bola de peso diferente e dizer se esta tinha o peso maior ou se era mais leve que as outras. Qual a sua estratégia para vencer este desafio? Um grande abraço a todos.

VI FESTIVAL JUNINO DE PONTA DA SERRA 2009- OS MELHORES MOMENTOS - Por: Antonio Correia Lima














Por: Antonio Correia Lima

A imprensa, Dom Pedro II e o Presidente Lula - por Armando Lopes Rafael




Alguns admiradores mais exaltados do Presidente Lula vivem a demonizar a grande imprensa brasileira, tachando-a com o reles apelido de “PiG” (Partido da Imprensa Golpista).
Para eles a imprensa só deveria existir para tecer loas ao governo do atual Presidente da República. Na mente dessa gente qualquer crítica – mesmo construtiva – não deveria ser feita à “divindade” que ocupa momentaneamente os Palácios do Planalto, da Alvorada e a Granja do Torto.
Estou concluindo a leitura do livro “D.Pedro II”, de José Murilo de Carvalho, uma boa biografia – dentre as muitas já publicadas ao longo do tempo – sobre aquele que ainda hoje é considerado “O maior dos brasileiros”. Nesta obra, o que mais me chamou a atenção foi tomar conhecimento de como o Imperador lidava com a imprensa, à época do Brasil Império.
No Credo Político escrito por Dom Pedro II consta: “Leio constantemente todos os periódicos da Corte e das províncias (hoje, estados) os que, pelos extratos que deles se fazem, me parecem mais interessantes. A tribuna (do Parlamento) e a imprensa são os melhores informantes do monarca”.
Quando de sua primeira viagem ao exterior – quando já tinha 46 anos de idade e 31 como governante do Brasil – o Imperador Pedro II escreveu Conselhos à Regente (no caso, à Princesa Isabel que o substituiria durante a viagem) onde consta no item Imprensa:
“Os ataques ao Imperador (...) não devem ser considerados pessoais, mas apenas manejo ou desabafo partidário”.
Murilo de Carvalho revela que “Durante a guerra contra o Paraguai, o jornal Ba-ta-clan, publicado em francês no Rio de Janeiro por Charles Berry, ridicularizava os chefes militares brasileiros. D.Pedro impediu que fosse fechado e protestava sempre que alguma violência era exercida contra jornais” e acrescenta: “pode-se dizer que a imprensa nunca foi tão livre no Brasil como em seu reinado”.
Vejam esta informação de José Murilo de Carvalho: “Diplomatas europeus e outros observadores estranhavam a liberdade dos jornais brasileiros. Schreiner, ministro da Áustria, afirmou que o Imperador era atacado pessoalmente na imprensa de modo que “causaria ao autor de tais artigos em toda a Europa, e até mesmo na Inglaterra, onde se tolera uma dose bastante forte de liberdade, um processo de alta traição”. O ministro da França, Amelot, também registrou que em 1887 que havia no Brasil uma liberdade ilimitada da imprensa e um “parlamentarismo exagerado”.
E, no entanto, o Imperador Pedro II pagava um alto custo na sua defesa intransigente pela liberdade de imprensa. “Ele, (a Princesa) Isabel e o conde d’Eu eram vítimas constantes de ataques de jornais como A República e da Revista Ilustrada de Ângelo Agostini. Satirizavam (até) o físico do monarca chamando-o Rei Caju, por causa do queixo proeminente”, informa o autor do livro em tela.
Meses atrás, o correspondente do New York Times, Larry Rother, foi ameaçado de expulsão do Brasil por ter elaborado reportagem sugerindo a ingestão excessiva de álcool pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fato de domínio público. E quando os grandes jornais publicaram matérias – devidamente comprovadas – sobre a existência do “mensalão”, dos dólares na cueca, das elevadas despesas dos cartões corporativos, dos sucessivos escândalos no Senado, etc.etc. foram logo tachados de “PiG”. Para os que seguem cegamente o atual governo federal, só deveriam existir – no Brasil – publicações do tipo “Carta Capital” e “Caros Amigos”. E os jornalistas deveriam ser apenas do naipe de Paulo Henrique Amorim ou Luis Nassif...

Texto e postagem de Armando Lopes Rafael

TIPOS POPULARES DO CRATO...GALERIA FOTOGRÁFICA(5) - Por: Wilson Bernardo

O crato é profano e mágico na cria de seus personagens
puros e enigmáticos nos afazeres do que fazem e se propõem...

Irmãos Anicetos, agricultores e Músicos cabaçais

Dedé da Granja,empresário e vereador

Gerim,engraxate e cinefolo do antigo cine Casino
TIZIL - Quem hoje beira os cinquentão com certeza, já comprou picolé ao mesmo e faz parte da nossa infância

Jorge Carvalho, produtor cultural"Rapadura Cultural" e professor de muitas gerações do col. est. Wilson Gonçalves

KAIKA produtor cultural das noites pardas cariri


Jackson Bantim, o BOLA, Funcionário público e cineasta


A FESTA DA COLHEITA.

O boi é solidário com o bode
couro curtido
zabumba cabaçais
dança estridente
couro de curulepo
batuque na roça dos Anicetos.

Wilson Bernardo (poema & fotografias)

Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30