xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 14/06/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

14 junho 2009

CRATO - São João Festeiro


Enviado pela secretária de Cultura de Crato, Danielle Esmeraldo

Você tem um artigo para publicar no nosso Jornal CHAPADA DO ARARIPE ?


Eu sei que você sempre sonhou em escrever para um Jornal.

Agora você pode !


Olá,

Agora, que o Jornal Chapada do Araripe está se firmando, estou à procura de escritores, de cronistas, de pessoas que gostam de expor o seu livre pensamento, e que gostariam de publicar em um bom Jornal, com a credibilidade e certeza de que seus escritos estarão em uma excelente vitrine. Também procuro REPÓRTERS, ou pelo menos gente que faz a "Profissão Repórter ocasionalmente", que testemunha coisas, gosta de fotografar, gosta de comentar, quer fazer reportagens sobre assuntos interessantes, etc, para que possamos publicar no CHAPADA DO ARARIPE. Olha, estamos com uma excelente visibilidade e contactando novos cronistas. e repórteres da região. Portanto enviem seus textos ( suas matérias ), para o e-mail:

blogdocrato@hotmail.com

Se for aprovado, você poderá se tornar um cronista do nosso Jornal. Se seus textos forem excepcionalmente bons, você poderá até se tornar um Colunista do Jornal. Portanto, você não tem nada a perder. Aguardo seus textos:

blogdocrato@hotmail.com

Dihelson Mendonça
Fonte da foto: http://www.cheezhead.com

www.chapadadoararipe.com

- O Diário do Cariri -

Lá qualquer dia - Por: Emerson Monteiro


A função de escrever resulta, de tempos em tempos, nalgumas providências que independem da pura vontade individual. Quando menos se espera, volta a antiga pulsão de tanger no branco da folha palavras, as quais reunidas produzem sons inteligíveis para nós e para outros. Sons e pensamentos. Algo semelhante, quero crer, à disposição dos pássaros de trinarem no alto das árvores, isto sem que recebam comandos. As flores de se abrirem no vergel. Os sapos de croaxarem nos brejos. As lesmas de deixarem rastros brilhantes nas paredes. Etc. Nisso, retornam os questionamentos do que, em essência, satisfaz o viver de cada um. Tempos atrás, coisa de poucos anos, andei lendo a propósito de uma nova disciplina que se desenvolve no Brasil, sobretudo para as bandas do Rio Grande do Sul. A Filosofia Clínica. Trata-se de jeito nascido nos cafés filosóficos de Paris, quando o conhecimento da Filosofia torna-se veículo suficiente a tratar de situações pessoais de conflito e instrumentar os clientes para, por si, responder às grandes questões pessoais da existência. Diante desse encaminhamento, encontram as soluções necessárias a viver em paz, conciliar-se com o universo em volta.

Na realidade, há que se achar o motivo do ato de conhecer. Afinal, na busca de explicação para o existir, nos deparamos com infinitos recursos através do estudo. Não fosse a tal maneira, para que tanto furor de pensar e aprofundar pesquisas quanto a alma?

Bom, as escolas religiosas atuais, ainda que busquem na oração, no trabalho, ritual, comunidades, multidões, meios de ampliar seu público para a Salvação, dispõe, nos inícios, das justificativas filosóficas necessárias a neutralizar as correntes contrárias e os adversários materialistas. Todas dispõem das bases doutrinárias que lhes dão respaldo, no correr das formações originais. Haja um tempo de aprofundar perguntas e as grandes questões da existência (de onde viemos, o que estamos fazendo aqui e para onde vamos?, base primeira da Filosofia), e nuvens se condensam para chover conceitos fundamentais a estruturar o pensamento como um todo útil e necessário.


Nos mergulhos intensos das indagações, surge matéria prima às atitudes. Desde o modo niilista, do nada em troco de existir, o materialismo puro, ao misticismo extático, que justifica e conduz à perene felicidade, quando se apresenta o gosto religioso de caminhar nas trilhas deste mundo. O importante nisso tudo representa a auto-suficiência que persistir e aceitar o veículo do pensamento qual fórmula clássica do encontro consigo próprio, com os outros e com a realidade viva da existência.

Por: Emerson Monteiro


Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30