xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 11/06/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

11 junho 2009

Que fique registrado na História - INIMIGOS DO CRATO - Personas Non Grata !


Proposta de projeto de Lei para a Câmara de Vereadores

INIMIGOS DO CRATO E DO CARIRI ! - Espertinhos...



Deputado Vasques Landim

Deputada Ana paula Cruz

Manobras, Manobras e mais Manobras...

Que fique registrado na História:

Proponho à câmara dos vereadores do Crato, que os nomes dos Deputados VASQUES LANDIM e ANA PAULA CRUZ sejam considerados "Persona Non Grata" por todos os cratenses, pois tentaram tumultuar até a última hora, a votação do Nome da REGIÃO METROPOLITANA DO CARIRI com 9 municípios, para uma tal "Região Metropolitana do juazeiro, ou do JUABC" coisa nefasta criada por eles mesmos, ferindo as tradições do CRAJUBAR, do CARIRI, e das demais cidades que fazem parte dessa região. Conclamo todos os Cratenses para que se lembrem desse fato, desta tentativa Maquiavélica para a hora da votação e JAMAIS sair um voto do Crato para qualquer desses dois políticos ( para não dizer outro nome ), que na verdade, não defendem os interesses do Cariri, aonde foram votados, e sim, apenas da cidade de juazeiro do Norte.

Sugiro também, que além de Conceder o Título aos dois de persona Non Grata no Crato, eles sejam queimados simbolicamente, em praça Pública, na malhação do Judas do próximo ano, por votar contra o interesse dos cratenses e de todo o Cariri, e visando apenas o seu bairrismo. Sugiro que algum Vereador do Crato proponha esse projeto na câmara, de persona Non Grata aos dois nefastos.

Elogios ao Único Defensor do Crato:

Votos de Louvores ao Deputado Ely Aguiar, que denunciou aqui mesmo, a manobra contra os cratenses e contra o cariri, DIAS ANTES, e que ele, a ÚNICA voz altiva a se manifestar desde antes, e denunciar na imprensa o golpe que se aproximava, conseguiu alertar a opinião pública e a assembléia sobre o que viria. Ely mais uma vez, fez o papel de um bom "Goleiro" e matou a bola nos "peitos". Mas até quando, Oh Cratenses, as maquinações contra a nossa cidade prosseguirão e apenas um deputado do Crato fará essa defêsa, ninguém sabe. Foi assim que os cratenses perderam as universidades e todas as coisas que eram do Crato.

Flagramos o momento da história em que exatamente desta maneira, foi que os Cratenses por 30 anos foram passados para trás.

Eu não consigo entender porque o Crato não elege seus próprios deputados. Deixa de votar em gente da terra, para votar em calhordas de outras cidades, que a história nos mostra que apenas sabem trabalhar para as suas regiões. Taí o Ciro Gomes com 11.000 votos no Crato e nada fez pelo Crato também até hoje.

Fiquem atentos, Cratenses!
Votem apenas em gente DO CRATO nas próximas Eleições.

Dihelson Mendonça

Existe Um Sexta-Feira Entre Nós - Por Luiz Cláudio Brito de Lima


Era uma bela tarde de sexta-feira, véspera de um feriado que prolongar-se-i-a até a terça próxima, os ânimos aflorados, a alegria contagiante, a sensação de liberdade finalmente havia chegado, os papeis outrora jogados na mesa, permaneceriam por mais alguns dias, ou quem sabe meses. A visita ao supermercado era fato certo, bem como improrrogável, a escolha de uma boa peça de carne, acompanhada de algumas “caixas” de bebidas alcoólicas, era inevitável, afinal, “feriado prolongado” sem um aperitivo alcoólico, não teria a mínima lógica....Ligações são realizadas, convites lançados, confirmadas as presenças, tem-se o palco montado para uma apresentação digna de registro, sem olvidar que o equipamento que dará suporte a esse encontro, no mínimo, refletirá a grandeza do evento.

Técnicos especializados em “equipamento sonoro” são convocados (a que tudo indica formados na Universidade de Howard, em condições de fazer a “terra tremer”), instalam todos os utensílios necessários, caixas de som são espalhadas aos quatros cantos do picadeiro – tal qual câmera em instituição bancaria, filma todo mundo - testam-nas: alô som, alô som, testando.... perfeito, até deficiente auditivo irá sacudir o corpo, será arrebatador.

Todavia, esqueceu o anfitrião de um detalhe, digamos de vital importância, o vizinho a esquerda da festa de arromba, encontrava-se enfermo, muito enfermo por sinal, portador de um tumor maligno, passava os dias a contá-los, mais à frente, do lado esquerdo, uma casa que abrigava pessoas decrépitas, àquelas que colaboraram com o desenvolvimento social, humano e cultural do Pais, agora confinadas naquele espaço (sabe-se lá porque), também contavam os dias, entretanto de forma diversa daquele outro, clamavam apenas por mais sossego. Mais a frente, outra cidadã que acabará de trazer ao mundo seu mais novo morador, uma criança com apenas duas semanas, tão pequena, tão frágil, todavia já seria submetida ao seu primeiro teste de “paciência humana”.

Pois bem, a cena acima descrita, o que diga-se de passagem, fora feito sem guardar nenhuma relação com nada nem tampouco com ninguém, ou como se afirmava antes do inicio das novelas globais: “(...) qualquer semelhança com fato ou pessoa é mera coincidência (...)”, permite uma analise pormenorizada acerca da falta de respeito e noção da convivência em sociedade. A historinha acima me faz lembra o célebre romance de Daniel Defoe, escrito em 1719, conhecido entre nós por Robinson Crusoe. Como bem sabemos Defoe inspirou-se em fato real, mais especificamente na vida de um marinheiro Escocês, sendo que esse por vontade propria rogou que lhe deixassem sozinho em uma ilha (dai surgi o mito da solidão) . Dessa forma, após viver mais de duas decadas solitariamente , passa a dividir o espaço com o então denomiado sexta-feira – mudando totalmente a sua concepção à respeito de muitos valores . Sem ter intenção de adentrar no merito do romance citado, por entender sua desnecessidade, a comparação se faz apenas e unicamente com o escopo de aclarar que as relações humanas, dar-se justamente entre seres humanos ( desculpem-me o pleonasmo) , ou seja, não vivemos sozinhos, somos participes de uma vida colegiada, dividimos espaços a todo momento, quer seja em casa, com a esposa, com os filhos, no trabalho, enfim, estamos em constante mutabilidade, não podemos e nem devemos impor ao outro absolutamente nada.

A liberdade que nos fora outorgada, ou como diria alguns “o livre arbítrio”, carece ser acompanhado de responsabilidade e bom senso, imaginemos em uma residência a seguinte cena: o esposo adora assistir os principais noticiários, já a esposa aprecia ouvir musica, que por sinal odeia noticiário, já aquele, na mesma intensidade reprova qualquer estilo musical. Entretanto, cada qual encaminha-se para um cômodo da casa, e em volume exagerado passa a saborear o gosto insípido e indelicado que lhes fazem mal. Pronto. Formou-se o conflito, o litígio estará instalado, a rixa iniciará antes mesmo da ultima letra da musica ou da informação completa do jornalista. Por vezes, parece estranho pregar e/ou requerer que tenhamos atenção e zelo naquilo que fazemos, pois, em um primeiro momento, não se aperceber que determinada conduta avassala e cria moradia no terreno da liberdade individual, é o mesmo que dizer que podemos ofender o outro com palavras injuriosas, todavia, se não o agredirmos fisicamente não se consumará a falta de respeito na convivência social. Não me parece, com todo respeito àqueles que pensam de modo diverso, lógico a afirmação que determinados comportamentos que ferem o direito do outro, foram arquitetados sem o “propósito” de fazê-lo, pois por mais pueril que fosse a conduta, haveria sempre o discernimento capaz de impedir a sua exteriorização, a não ser que esse comportamento partisse de uma pessoa absolutamente incapaz.

Quando nos deparamos com situações que agridem a liberdade individual, faz-se necessário reação enérgica, eficaz e duradoura, pois se assim não fora feito as forças que locupletam-se com esses acontecimentos, tendem agigantar-se em meio a inoperância e a falta de comando daqueles que deveriam agir. As medidas, por sua vez, carecem de respaldo legal e após tomadas, levadas de imediato ao conhecimento de todos, fazendo que sejam devidamente cumpridas e respeitadas, sem nenhuma exceção, não importando qual a justificativa para a sua manutenção. Quando existe previsão legal, a única saída é o cumprimento integral do comando, mais uma vez, sem esmorecer nem ceder a nenhum interesse.

Por fim, o respeito ao próximo, também, começa dentro de casa, é observando nossos pais, a forma com que esses conduzem as coisas do lar, no tratamento amigável, na explicação e advertência quando incidimos em erro, na delicadeza – por vezes com aspereza no olhar – em que nos aconselha. A complementação desse ensinamento dar-se-á na escola, no convívio com o outro ser, que da mesma forma sente, pensa e exterioriza suas emoções. O grande problema, no meu entender, é que muita gente ainda não percebeu que temos um “sexta-feira” permanente ao nosso lado, quando atentarmos para essa presença, com certeza a relação interpessoal se mostrará mais clara, acatada e acima de tudo harmônica, sem ser necessário a imposição legal para uma vida em paz. Parabéns pelo novo jornal “Chapado Araripe”, é o Crato no rumo certo.

Por Luiz Cláudio Brito de Lima

A Metáfora - Por Claude Bloc


Sábado chuvoso. Não saberia dizer adeus de novo. Os traços postos no papel repetiam seus gestos impacientes. Mais uma vez um monólogo com aquele tempo preso pelos recantos da casa. De fato gritava em seu silêncio. A palavra lhe vinha primitiva e limpa percorrendo-lhe a memória, ventando através da garganta. Sua fragilidade no momento desalinhava os traços precisos de sua boca. Precisava conciliar as idéias em sua mente.
Levantou-se se espreguiçando. Afastou-se dali por alguns segundos, reteve o passo e voltou-se mirando o centro dos olhos naquela foto. Contemplou por alguns instantes a emoção ali retida naquela expressão que parecia perscrutá-la. Jamais deixaria de lamentar aqueles falsos adeuses que não passavam de súplica por permanência. Era seu jeito de falar sobre a eternidade do que sentia.
Estava ali a foto. Estranhamente não imaginou deparar-se com ela depois de tanto tempo. Sentou-se à beira da cama. Revirou a gaveta cumprimentando cada foto ali guardada. Queria manter-se à distância da emoção, porém nada parecia ter-se alterado naquele lugar. Os folhetos pardos, tocos de lápis, anotações da avó. Tudo ali perpetuado remexendo com suas lembranças.
Em vão, procurou a mão invisível do tempo nos quatro cantos do quarto. Ela mesma, ainda a menina inadequada de antes. Só então percebeu que usava um vestidinho amarelo. Parecia ter-se vestido para um encontro com ele. Com aquele olhar retratado na foto.
Se permanecesse ali, imóvel e ausente. Se apenas não se movesse nem se fizesse notar... Mas era evidente o quanto estava viva. No fundo de seus pensamentos estava viva embora estranha a tudo ali, sobretudo a si mesma.
Sentou-se na cama. Apalpou a maciez do lençol buscando através do tato tornar o momento mais concreto. Instintivamente tomou ao colo o velho violão abandonado num canto do armário. As cordas estavam quase rotas, mas o som suave das poucas notas que dedilhava, pareciam-lhe um hino. Hino aos seus dias felizes. Hino ao seu sorriso triste do momento. Não sofria. Era delicada a sensação de saudade que sentia de cada pedacinho daquele ambiente.Mas nada tão forte como a veemência das palavras que escrevia.
Sentiu-se de repente um pássaro preso, atônito diante das intempéries por que passara até chegar a esse limiar de paz e sossego. Largou o violão. Tomou de volta um toco de lápis e sua agenda. Escrevia. Suas letras tortuosas passeavam por sobre a folha em branco lembrando as curvas da estada por onde andara até chegar ali. Curvas sem história, sem nada. Escrevia compulsivamente. Dava forma e cor aos olhos graúdos do seu personagem. Tudo tinha essência e brilho ali. Esses olhos deveriam ser enigmáticos, deveriam sugerir um mundo inteiro de mistério sem mergulhar no vazio do tempo. As lembranças, essas sim deveriam ser soberanas e conclusivas.
Suspendeu a escrita. Era difícil estar ali sem relembrar fatos, pessoas e aquele olhar grudado nos seus sentidos. Levantou-se num ímpeto. Mediu seus passos com os olhos enquanto se dirigia para o terraço. Seus passos eram curtos e obtusos como sua mente naquele momento.
Sentou-se no velho tamborete perto do parapeito. A silhueta da serra se delineava entre as copas das árvores, quase tocável, apesar da distância. Seu olhar se perdeu no vale e nas cores pardacentas do dia que declinava. Seu silêncio consumia as encostas da serra e a melancolia da tarde. Estava ali o olhar. A metáfora de sua vida.
Texto e foto por Claude Bloc

ATENÇAO SER TERRA!


Aproveite um pouco do teu tempo e vá ao youtube. Clique: http://www.youtube.com/watch?v=tCVqx2b-c7U e entre. Dedique-se à assistir ao filme simultaneamente divulgado nas salas de cinema do país. Trata-se de HOME - A NOSSA CASA - um filme de paisagens aéreas da terra. Um filme para olhares para a tua própria casa. O teu próprio universo do qual és igual. Um filme realizado pelo Francês Yann Arthus- Bertrand. Existe um versão em português de Portugal. Assista, debata e divulgue.



A FÉ QUE ABANDONAMOS - Prof. Bernardo Melgaço


Inicío esse texto pensando em K. Marx. Ele afirmou: “Não é a religião quem faz o homem, mas o homem quem faz a religião. A religião é a consciênci de si que o homem perdeu ou não adquiriu ainda...A falta da verdadeira religião é o ópio do povo”. Fé e religião estão associados. O que é mais difícil na interpretação de um texto é compreender o contexto que o autor está querendo se referir. O mais fácil é distorcê-lo e divulgar a distorção como se fosse a própria verdade do autor. Existem muitas interpretações e também muitas distorções. Sem dúvida, não existe verdade maior do que aquela que nasce das camadas profundas da fé intuitiva, e por isso mesmo é indizível e intransferível. O original é a própria essência criadora que se manifesta sutilmente na consciência de cada ser humano. Creio que foi o próprio Marx quem afirmou que a tarefa da ciência era distinguir a essência da aparência. E que sem esse trabalho de separação, a ciência perdia a sua função de ser. Mas A . EINSTEIN, que foi considerado o maior cientista do século XX, afirmou: “Estudem a fé”. O problema da verdade da fé era um norte de Descarte na busca da compreensão das verdades das coisas. E foi nesse caminho que Descartes aperfeiçoou o método científico. Ele mesmo afirmou que no início de sua busca ele não tinha a intenção de descobrir método algum, mas apenas revelar para si o mistério da verdade da fé. No final de sua busca nos mostrou o caminho que fez sintetizado no famoso método científico e relatado no também famoso livro Discurso sobre o Método. Nesse sentido, a fé também está presente na ciência e foi a convicção nela, que muitos cientistas fizeram as suas grandes descobertas. A questão básica é essa: “Em qual fé esses homens se apoiaram para nos mostrarem a beleza de uma realidade invisível para os nossos olhos leigos e despreparados”. Isacc Newton não era ateu. Ele era místico também. Certamente aprendeu a ouvir a sua fé-intuitiva. Assim, o que se pode perceber que todos os homens (religiosos, cientistas ou místicos) que ajudaram a humanidade a dar um salto de consciência dos fenômenos físicos e metafísicos, de alguma forma aprenderam a separar e distinguir a fé aparente da fé essencial. A fé aparente é a crença doxológica, ou seja, a crença comum baseada na cultura e nos modelos psicológicos impostos pela sociedade. A fé essencial é uma convicção profunda numa consciência que surge milagrosamente e inesperadamente em cada um. O próprio Cristo nos alertou quando afirmou: “Eu retornarei como um ladrão”. É algo que apanha cada um de surpresa. É o inesperado e portanto iluminado e grande em nós. Raros são os homens que conseguem desenvolver a fé essencial. A maioria se agarra à fé aparente e por isso sofrem as conseqüências do mundo das sugestões e crenças infundadas. A fé essencial é algo nobre que se revela no caráter das pessoas. Segundo ELLWOOD (1999)(1): “A fé [essencial] não permite nenhuma discriminação ou injustiça, entre seus membros ou na sociedade, com base em credo, raça, sexo, orientação sexual, nível de escolariedade, riqueza ou pobreza relativas. Para cumprir esse ideal, todo cristão deveria ter um compromisso contínuo com o importante trabalho voluntário e não-remunerado, e deveria tentar ser um pacíficador sempre que possível” (p.32) . Nenhum homem vive numa ilha pois é parte de um imenso continente humano. E a missão de cada um é revelar a beleza da fé essencial nas relações humanas. Infelizmente o mundo moderno deixou-a de praticar. A mística Alice Bayle afirmou: “O homem é um ponto de luz divina, envolto por numerosos envoltórios, como uma luz escondida numa lanterna. Esta lanterna pode ser fechada e escura, ou aberta e radiante. Tanto pode ser uma luz brilhante diante dos olhos dos homens, como uma coisa oculta, sem utilidade para os demais” (BAILEY, Alice A. Do Intelecto à Intuição. Niterói-RJ: Fundação Cultural Avatar, 1984).
1. ELWOOD, Robert. “A Ética Cristã”. Revista Planeta. Edição 324 – Ano 27 – No 9 – Set.99.

Bernardo Melgaço da Silva

RECOMENDO A LEITURA A QUEM SE INTERESSE POR EDUCAÇÃO

Por vezes ouvimos ou lemos pessoas desesperadas com a atualidade e pondo toda a culpa sobre o governo (ou sobre o sistema econômico ou político). Agora mesmo não é raro ler-se frases falando sobre o Brasil: educação zero, saúde zero, segurança zero, fazendo efeito com o fome zero, programa do governo federal. Acontece, na verdade, é que os problemas da segurança, da saúde pública e da educação, assim como do meio ambiente, da cultura, da demografia e social (o risco do fim das famílias), são problemas mundiais e, portanto, da própria civilização globalizada. Por isso, independente das nossas frases de desespero, precisamos de maior profundidade de análise, maior debate e, claro, maior compreensão.

Por isso tomei “emprestado” ao blog terra magazine esta postagem do professor Nelson Pretto que se encontra no centro do debate da educação na Inglaterra. Aproveito para recomendar aos leitores que se tiverem dificuldade de entender estas tecnologias da internet como Twitter, blogs etc., procure no Google e se inteire para identificar melhor do que se fala. Embora, como veremos, o problema não seja apenas de tecnologia e nem simplesmente didático ou de desempenho.

Fator "uaauu"

Nelson Pretto é professor associado da Faculdade de Educação/UFBA e visitante da Universidade Trent de Nottingham. E-mail: nelson@pretto.info

A crise da educação é tema constante em todos os países. Todos reclamam dos baixos índices de aprovação, da violência nas escolas, dos sistemas de avaliação que não dão conta dos desafios contemporâneos, da universidade que não prepara para o mundo profissional tampouco para a vida. Mas essa é uma crise anunciada, uma vez que pesquisas realizadas há muito já a vislumbravam.

Na Inglaterra, a situação é dramática neste final de ano letivo (o verão começa agora em junho). Os dados apontam uma crise sem precedentes no que diz respeito à empregabilidade dos alunos que agora estão se formando. Recente pesquisa realizada pela "Chartered Institute of Personnel and Development" anunciou que 50% dos empregadores entrevistados não estão pensando em contratar recém-graduados. Em função da gravidade da situação, o professor David Blachflower, até recentemente membro do comitê monetário do Banco da Inglaterra, alertou o governo para o que considera o maior desafio atual do país, o "desemprego da juventude".

No âmbito do ensino básico inglês, o que aqui e acolá se vê são projetos e políticas públicas que buscam - sem sucesso, como os números indicam - transformar a educação e criar algum tipo de motivação (não gosto dessa palavra, mas ela costumeiramente é usada nesse contexto) para que a juventude permaneça na escola. Foi proposta recentemente a redução do número de áreas de aprendizagem de 13 - as áreas mais tradicionais, tais como ciências, biologia, história, etc. - para seis áreas de maior abrangência. O interessante dessa proposta é a introdução, de forma explicita, do uso das tecnologias de comunicação, a exemplo dos blogs, twitter, orkut e todos os demais elementos da chamada mídia contemporânea. A proposta, a ser implementada até 2011, propõe áreas de aprendizagem mais amplas, tais como compreensão do Inglês, comunicação e linguagens, compreensão científica e tecnológica, compreensão do humano, social e ambiental, entre outras. A confusão já está estabelecida, com reclamações de todos os lados, pois, como já estamos lamentavelmente acostumados na educação, tal proposta foi pouco discutida, segundo os sindicatos docentes. A própria mídia, que tem tratado muito da educação, termina polarizando o debate entre, por exemplo, se é importante ensinar Twitter ou Segunda Guerra Mundial e, claro, isso tem um grande efeito sobre os pais e a população. Evidentemente esse não é o ponto central e, como de costume, uma cortina de fumaça cai sobre a importância de discussões mais profundas sobre a educação.

Por outro lado, a proposta inglesa se reporta à necessidade de um "currículo criativo", o que para mim é uma redundância, uma vez que tanto currículo como escola têm na criatividade e na criação seus elementos mais fundamentais. Chegam a cogitar de inserir um "fator uaauu" (wow factor) no currículo, como elemento de impacto nas escolas, para "prender" a atenção das crianças e jovens. Também essa é uma antiga discussão, pois não estamos aqui a falar de espetáculos, onde os estudantes precisam ser "motivados" e o professor tem que ser um ator - de preferência cômico, como em muitos dos nossos cursinhos de vestibular - para que os alunos possam "apreender" os assuntos. Educação é muito mais do que isso. Educação é diálogo permanente e aqui, quando falamos em diálogo, tratamos deste em pelo menos dois níveis. Um no âmbito das escolas e outro no âmbito das famílias. Nestas, essa prática, que deveria ser constante, em muitos casos praticamente deixou de existir, seja pela enfraquecimento da família enquanto espaço de diálogo, seja pela própria inexistência desta.

Um intenso e permanente diálogo é conversa que flui, é um verdadeiro jogo de ir e vir, de ouvir e falar, de ceder e conceder. Mas é também o exercício da autoridade - não do autoritarismo - nos momentos necessários.

Um outro diálogo é aquele entre o conhecimento que cada um traz de sua realidade e experiência de vida com a Ciência e a Cultura, estas com "c" maiúsculo mesmo. Mas não como uma imposição destas sobre as demais ciências, saberes, conhecimentos e culturas, aqui todas em minusculo e no plural. A busca por essa convivência permanente entre diferenças, conhecimentos e saberes constitui-se no movimento central para a preparação dos jovens para o mundo. E quando falamos em mundo estamos a nos referir também ao mundo do trabalho, mas não só a este. Falamos de um mundo que ainda nem sabemos como vai se configurar no futuro.

Aqui, temos que retomar a minha preferida questão: o fortalecimento do fundamental papel dos professores nas escolas, este sim, seguramente, o verdadeiro "fator uaauu".

Por Nelson Pretto - professor da UFBA


O Jornal "Chapada do Araripe" de HOJE, está simplesmente Demais.....!!!



chapada 11-06-2009


Manchetes Principais:

NACIONAIS:

Soldado da guarda presidencial mata cabo na Granja do Torto
Banco Central reduz juros para 9,25% ao ano
Brasil perdeu 750 mil empregos em três meses, aponta Dieese
Renegociação de dívidas de prefeituras com INSS pode chegar a R$ 14 bilhões
Fundos garantidores permitirão crédito de até R$ 48 bilhões para microempresas
Gugu recebe proposta da Record
Wilson Simonal volta à mídia


REGIONAIS:

Museu do crato - Um Alvo de Chantagem
CEARÁ: Selo Verde já tem 128 cidades inscritas e bate o Recorde
Olhar “Casa das Artes agora com Comidas Típicas…
São Rock
Milagres: Campanha de combate a Hipertensão Arterial
Farias Brito homenageia “Patativa” em festa do São João
Juazeiro: Segurança Pública equipada com novas viaturas
Juazeiro - JuaForró vai à Praça do Socorro
Quixeramobim - Aliens em Quixeramobim - Filme
Haroldo Lima debate energia e petróleo no Cariri
Coelce entrega 2 toneladas de alimentos aos desabrigados do Crato
Primeira-Dama se propõe a Ajudar a resolver o problema da Poluição Sonora em Crato.


INTERNACIONAIS:
Homem bomba mata três no Afeganistão
Coalizão pró-ocidente vence eleições no Líbano


ARTIGOS:

TRAGÉDIA DO VOO 447 - Mais compostura, menos hipocrisia
A queda do PIB e a taxa Selic - Por: Luis Nassif
A TEORIZAÇÃO DE CLEILSON P.RIBEIRO ( Análise sobre a Poesia de Wilson Bernardo )
Um Corpo movido pela cabeça do outro

E mais...
Novas galerias de fotos, Vídeos, Reportagens e Entrevistas.

Acesse:

www.chapadadoararipe.com

- O Diário do Cariri -


Briga de militares deixa um morto em uma das residências oficiais de Lula



Soldado matou com tiro um cabo da guarda presidencial. Crime foi na Granja do Torto, usada para lazer pelo presidente e a família. Um cabo da Guarda Presidencial da República foi morto na manhã desta quarta-feira (10) na Granja do Torto, uma das residências oficiais da Presidência, que fica a cerca de 15 km do Palácio da Alvorada, residência oficial ocupada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o General Gonçalves Dias, chefe da segurança da Presidência da República, o cabo e o soldado teriam se desentendido durante o expediente. Durante a briga, na parte interna da Granja do Torto, o soldado atirou contra seu superior. O cabo ferido ainda foi socorrido e levado ao Hospital das Forças Armadas (HFA) em Brasília, mas chegou morto. O soldado que matou o cabo está detido. A Presidência não informou os nomes dos dois militares. O general disse que foi aberto um inquérito para apurar as circunstâncias do crime. O Torto é usado pelo presidente Lula como uma espécie de "casa de campo", para lazer dele e da família.

Fonte: AVOL - Antonio Viana On-Line

Notícias do Crato - Para o dia 11 de Junho de 2009



11-06-2009
Crato concorrerá ao Selo Município Verde


Discutido durante reunião do Conselho Municipal de Meio Ambiente do Crato, o questionário para se concorrer ao Selo Município Verde. O secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano de Crato, Nivaldo Soares, afirma que todos os documentos necessários estão sendo reunidos, no intuito de serem enviados até o final do mês para Fortaleza. Dentro do processo de avaliação, uma equipe do Governo do Estado virá ao Crato fazer uma análise dos projetos desenvolvidos na área. Ainda durante a reunião, foi realizada a avaliação da III Semana do Meio Ambiente. Conforme o secretário, a avaliação do evento é positiva, mas os integrantes do conselho apontam necessidade de melhorias em alguns aspectos.

Saúde do Crato representada em evento internacional

A Secretária de Saúde do Crato, Nizete Tavares, participou, de 1 a 5 de junho, do I Seminário Internacional sobre Recursos Humanos na Atenção Básica. O evento foi realizado em Brasília. A Secretária esteve no evento como representante do Consems e e a Secretaria de Saúde.

Crato se integra a Semana Nacional de Combate ao Trabalho Infantil

O Governo Municipal e Secretaria de Ação Social do Município, em parceria com o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) realizou a Semana Nacional de Combate ao Trabalho Infantil, com o objetivo de sensibilizar toda a sociedade diante da situação de injustiça em que se encontram crianças e adolescentes que trabalham que por longas jornadas, em condições perigosas, insalubres e degradantes. No último dia 8, durante todo o dia, houve realização da Jornada Sócio-Educativa do PETI, lançamento do vídeo Erradicação do Trabalho Infantil: Um sonho pra se sonhar junto... Roda de Conversa e Atividades Artísticas. No dia 9, no Teatro Salviano Arraes, aconteceu a Jornada CAIC, com a participação do Coral do PETI na abertura do Fórum Municipal da Criança e do Adolescente, com sensibilização dos participantes a cerca do trabalho infantil. Também aconteceu concurso de desenhos e apresentações artísticas. Ontem,10/06, ocorreu o Dia D Contra o Trabalho Infantil e Blitze Educativa nas praças: Sé, Cristo Rei e no Posto Fiscal da Batateira.

Plano de Saúde para triênio apresentado em reunião do Conselho

Realizada ontem, em Crato, reunião extraordinária do Conselho Municipal de Saúde. A finalidade foi apresentar a consolidação do Plano Municipal de Saúde do Crato, construído de forma democrática, com a participação de vários segmentos da sociedade. O trabalho fez parte de um planejamento participativo, com a realização de duas oficinas. O resultado consta de um plano de ação na saúde para o triênio 2009/2012.

Festejos de São João começam próximo domingo em Crato

A Prefeitura Municipal do Crato, através da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude realiza de 14 a 18 de junho, o “Crato São João Festeiro”. A festa acontecerá no Centro Cultural do Araripe, no largo da RFFSA. Diversas atrações regionais estarão se apresentando durante os festejos juninos cratenses, que esse ano apresentará uma cidade cenográfica. De acordo com Danielle Esmeraldo, durante uma semana, o Centro Cultural do Araripe irá se transformar num grande arraiá, com forró, barracas de comidas típicas, quadrilhas, feira de artesanato, segurança e muita animação.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Governo Municipal do Crato
Fone/Fax - (88) 3521.7069
Mais informações:

http://www.crato.ce.gov.br
http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com

HOJE no DN - Região Metropolitana do Cariri - Foco para o desenvolvimento

Clique para Ampliar

Ações regionais vista de Juazeiro do Norte, que fará parte da Região Metropolitana do Cariri (Foto: Elizângela Santos)

Clique para Ampliar

Manoel Santana

Clique para Ampliar

José Leite

Clique para Ampliar

Samuel Araripe

A criação da Região Metropolitana do Cariri evidencia desafios a vencer e a necessidade da união de todos

Juazeiro do Norte. Expectativas de desenvolvimento e investimento em setores prioritários como turismo, indústria, segurança, agricultura e saúde. São estes os pontos destacados por representantes de diferentes segmentos sociais com a criação da Região Metropolitana do Cariri (RMC). A aprovação pela Assembléia Legislativa da mensagem do Governo do Estado que cria a região traz ânimo e poderá dar um novo fôlego para o desenvolvimento intermunicipal.

Pelo menos é o que espera o administrador da Basílica de Nossa Senhora das Dores, em Juazeiro do Norte, padre Paulo Lemos. Ele ressalta a necessidade de maior integração dos municípios e a RMC vai possibilitar o fortalecimento desse processo. Esse é um dos aspectos que facilitará a obtenção de recursos, segundo avalia.

Padre Paulo destaca Juazeiro dentro desse processo, por ser a cidade que mais se desenvolve atualmente na região. “Mas devemos ver um desenvolvimento integrado com projetos na área da saúde, turismo, entre outros setores”, diz ele, ao acrescentar que ainda tem pouco conhecimento sobre a RMC. “O que a gente espera mesmo é o melhoramento, por meio de políticas integradas, mas com um olhar voltado para o potencial de cada cidade”, acrescenta o religioso.

“Os desafios são muitos e poucos foram concretizados”, diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Juazeiro do Norte, Antônio Domingos Alves. Ele cita a agroindústria no Cariri, que está praticamente estagnada. Segundo ele, um dos pontos que precisam ser revistos é o setor canavieiro, já que no Cariri existia uma usina de processamento e o setor está parado, sem gerar empregos, antes com postos de trabalhos distribuídos para toda a região. A agricultura local precisa, segundo o presidente do sindicato, de mais investimentos públicos.

Para o presidente do sindicato há uma preocupação, já que o próximo ano é de eleição e há cobrança de impostos, fiscalização, captação por parte do Estado e poucos investimentos. “Tem blitze para tudo quanto é lado cobrando multa e os buracos são crescentes”, critica. Por outro lado, destaca o início de obras como o Hospital Regional, mas alerta para a importância de se acelerar esses projetos.

Força reivindicatória

O Cariri poderá inovar com o novo conceito de integração, conforme a presidente da Câmara de Dirigentes Lojista (CDL) de Juazeiro do Norte, Antônia Anier Salustriano da Silva. Ela destaca a importância da criação da Região Metropolitana do Cariri, fazendo com que o Cariri ganhe força nas reivindicações para melhorias nos diversos setores de desenvolvimento econômico.

Com isso, ela afirma que o Cariri vai ganhar mais em termos de comércio, as romarias de Juazeiro vão ter mais apoio e o crescimento será uma conseqüência desse processo. Anier ressalta os projetos que estão sendo implantados na região, a exemplo do Ronda do Quarteirão, nas três cidades que formam o Crajubar (Crato, Juazeiro e Barbalha). A segurança tem sido uma reivindicação constante da entidade, e, junto com o trânsito, segundo ela, são setores que merecem atenção especial ao pensar em desenvolvimento regional.

A criação de um plano diretor de desenvolvimento da Região Metropolitana do Cariri (RMC) é o primeiro desafio para o Conselho de Desenvolvimento e Integração, aprovado junto com a mensagem do Governo do Estado, na Assembléia Legislativa, que oficializa a Região Metropolitana.

O líder do Governo, deputado Nelson Martins (PT), destaca os investimentos que serão feitos na região, mas acrescenta a importância de haver um planejamento para as prioridades, como forma de ordenar o desenvolvimento. Conforme os prefeitos da região, há desafios a vencer, mas a união de todos é a meta no processo.

DEFINIÇÃO DE PRIORIDADES

Conselho coordenará processo de integração

Juazeiro do Norte. O Conselho de Desenvolvimento e Integração do Cariri, explica o deputado Nelson Martins, irá coordenar o processo na região, observando quais os projetos prioritários para serem implantados. Também irá acompanhar a execução e implantação. Será formado por oito secretários do Estado e pelos nove prefeitos da região. Já o Fundo de Desenvolvimento, também criado para a RMC, será constituído, conforme o deputado, de recursos orçamentários do Estado, dos municípios e do Governo Federal, oriundos de empréstimos e bancos internacionais.

Alguns dos projetos considerados prioritários, o deputado afirma que já se encontram em andamento, como o Hospital Regional, Aterro Consorciado, Ceasa e o Cidades do Ceará. Ele destaca a necessidade de inserção de mais recursos para o desenvolvimento do turismo envolvendo as características regionais, além dos setores já bem trabalhados, como a indústria calçadista. Por conta de atividades na prática já serem desenvolvidas de forma integrada, viu-se a necessidade, conforme o líder do governo, de se criar a RMC.

O governo teve uma certa urgência, por conta de investimentos que estão sendo feitos em vários projetos voltados para o Cariri. As cidades que compõem a região metropolitana, além de Crato, Juazeiro e Barbalha, são as que fazem fronteira com esses municípios, como Santana do Cariri, Nova Olinda, Caririaçu, Farias Brito, Missão Velha e Jardim.

Martins ressalta a necessidade de descentralização de recursos no Estado, conforme vem sendo trabalhada pelo governo. O Cariri foi que apresentou melhores condições para se transformar numa região metropolitana, por ser a mais desenvolvida no Estado. A perspectiva é diminuir a desigualdade para os quase 560 mil habitantes da região.

Prefeitos apontam desafios a vencer

"O primeiro grande desafio da Região Metropolitana do Cariri é conseguir integrar os município numa política de desenvolvimento sustentável. Falta sentar e discutir metas e prioridades, com a apresentação de projetos de desenvolvimento econômico, criação de uma Zona de Processamento e Exportação de Produtos Industrializados (ZPE), o que irá diminuir a carga tributária dos produtos da região."

Manoel Santana
Prefeito de Juazeiro do Norte

"A consolidação da Região Metropolitana do Cariri já acontece com o desenvolvimento de projetos em comum, a exemplo do aterro consorciado, mas há questões prioritárias que devem ser mais trabalhadas como a segurança, o turismo integrado, melhoria de acesso aos municípios e ações em educação e infra-estrutura. Já há um trabalho em conjunto no ensino superior e uma discussão para um processo de integração."

José Leite
Prefeito de Barbalha

"Temos grandes desafios para a região, como o Hospital Regional do Cariri, melhoria da estrutura do Aeroporto, Centro de Feiras e Negócios do Cariri, Ceasa e criação da Universidade Federal do Cariri. Também há necessidade de investimento em saneamento ambiental. Precisamos de um planejamento mais amplo, investimento em educação profissionalizante e infra-estrutura para a criação de um parque industrial."

Samuel Araripe
Prefeito do Crato

Mais informações:

Prefeituras Municipais
Juazeiro do Norte - (88) 3566.1002
Crato - (88) 3521.8969
Barbalha - (88) 3532.3022

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Nota do Blog do Crato:
Parabéns, Elizângela Santos, por tão abrangente reportagem, e que trata de uma realidade que mais cedo do que tarde, o povo do Cariri terá de encarar.

Dihelson Mendonça

Parabéns à Primeira-Dama Mônica Araripe pelo Esforço em tentar resolver o problema da Poluição Sonora no Crato !



Mônica Araripe - Do discurso à Prática, e agora no Controle do SOM

estudio 01


Prezados amigos do Blog do Crato,
E Jornal Chapada do Araripe,

Eu gostaria de cumprimentar nossa querida amiga ( Em todos os sentidos, amiga pessoal, amiga do Blog, colaboradora, Sra. Mônica Araripe ), e parabenizá-la pela iniciativa espontânea, idédita, que partiu da sua parte, na manhã de ontem, dia 10 de Junho de 2009, no sentido de se engajar também na luta pela despoluição SONORA do Crato. Mônica ligou-me e disse: "Eu quero ajudar a solucionar esse problema da Poluição Sonora através de 3 pontos fundamentais."

Trazia assim, já elaborado em sua mente, um completo plano de ação e estratégias para ajudar ( juntamente com outros órgãos ), a tentar solucionar o problema. Um deles, é a confecção de cartilhas para a orientação, a conscientização nas escolas do município da necessidade do respeito às leis do volume sonoro, do respeito, e da dignidade humanas, e de que por via de regra, passa sempre pelo fato de que o direito de um, cessa no momento em que o direito do outro começa. O segundo ponto é a formaçao de palestras, mesas de debates, diálogos, no sentido de convencer os proprietários de casas de shows, proprietários de bandas musicais, de que não é necessário um som tão absurdamente elevado para se fazerem ouvir, nem garantir o sucesso das festas, já que sempre, som elevado não tem nada a ver com o sucesso de um evento, e de que existem leis que regem tudo isso, e que os cidadãos precisam observar as leis. E o terceiro ponto fundamental, é estender essa imensa campanha da "Gentileza e da Solidariedade" para a mídia, Rádio, Jornais, e outros veículos, e que certamente, com o respaldo da primeira-dama do município e a sua reconhecida maneira de lidar com os problemas da cidade, com serenidade e firmeza, contará com o apoio de cem por cento da população do Crato.

Ao nosso ver, isso sim, é uma atitude de uma verdadeira pessoa OTIMISTA, e não sair dizendo por aí, que tudo é difícil... O Otimista não pára diante de uma dificuldade, não se detém diante de um problema. O Pessimista senta e apenas diz ser tarefa difícil, recusando-se a tocar com um só dedo. O Otimista, pelo contrário, reage, esbraveja, mas elabora um plano de ação e vai à luta! E Vence sempre! O Mundo é na verdade, dos Otimistas, daqueles que não se detém nas primeiras dificuldades! E assim, nesse caso, sem querer desprestigiar nenhum dos atores, muito menos o nosso valoroso guerreiro Nivaldo Soares ( Secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano, do Crato, nem outras autoridades ), que têm travado uma luta digna de todos os méritos, a chegada da primeira-dama Mônica Araripe só vem para dar talvez a pitada de força e energia de que o Crato talvez precisasse para se livrar desse eterno problema.

Nunca antes se falou em elaborar um plano de conscientização pública através de uma cartilha de ações concretas distribuídas na rede de ensino aqui no Crato com relação à poluição sonora. E é isso que ela pretende realizar em TODAS AS ESCOLAS DO MUNICÍPIO e particulares. Isso é sinal da grande visão que a mesma possui em termos de população, vivenciada talvez por outras lutas não menos exitosas, para conseguir recursos para uma festa importante do município, que é o Doce Natal, brilhantemente coordenado por ela, e que anualmente, no mês de dezembro, distribui milhares de presentes às crianças carentes do Crato no estádio Mirandão.

Respaldados por uma campanha informativa, que garantidamente nos dará suporte na luta cruel que há de ser travada entre as pessoas de bem dessa cidade, e aqueles que se recusam a cumprir as leis, seja por pura ignorância destas, ou por maldade em descumpri-las, a chegada da primeira Dama Mônica Araripe ao campo de batalha, se faz em hora sobremaneira importante para os destinos da cidade, pois lidar com as pessoas, tratar com solidariedade é aonde melhor brilham os méritos desta grande guerreira, que nunca mediu esforços para ajudar os necessitados.

E como a cidade do Crato precisa de Justiça! Como esta cidade está povoada de tantos "É difícil", meus amigos! Sabedores desta inércia e lentidão em resolver certos aspectos da vida citadina, é que ficamos por demais contentes, e desde já parabenizamos a Mônica Araripe, por mais esta feliz empreitada, e quero aqui disponibilizar TODOS os meios de que dispomos para a divulgação e ajuda que se fizerem necessários para o completo êxito da Campanha da Despoluição Sonora e Visual, agora, eu diria, em sua FASE II.

Os Sites: Blog do Crato, Jornal Chapada do Araripe, Rede Blogs do Cariri, formado por mais de 40 sites da internet, e que contemplam milhares de leitores, encontram-se de microfones abertos para ouvir o que essa grande mulher tem a nos dizer, para nos ajudar nesse sentido, e daremos toda a cobertura necessária. Ao Vivo e a Cores.

Que valha aqui mais este apelo ao bom-senso. Mais esta tentativa de somar forças a uma sociedade que necessita de auxílio, a fim de que nós e nossos filhos, possamos gozar de uma vida plena de respeito, de diversão sadia, de honestidade, de solidariedade, e sobretudo de Paz para todo o povo do Crato. Parabéns a Primeira-Dama Mônica Araripe pela excelente, e espontânea inciativa, e que com certeza, será lograda do mais puro Êxito. Não duvidamos. E assim também desejam todos os Cratenses de Boa Vontade, como reza a mensagem escrita há dezenas de anos na estátua do Cristo redentor na praça Francisco Sá.

Atenciosamente,

Dihelson Mendonça
Administrador dos Sites Blog do Crato e Jornal Chapada do Araripe.

www.chapadadoararipe.com
www.blogdocrato.com


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30