xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 07/06/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

07 junho 2009

O "Cara" quer se perpetuar no Poder ?

176 deputados federais assinaram a proposta para o 3º mandato de Lula


Saiba quem são os cearenses que querem a permanência de Lula

Nota do Blog do Crato:

Há alguns meses ( ou anos ), eu vi uma denúncia em um site da internet que o Presidente Lula pretendia se perpetuar no poder indefinidamente, seguindo a trajetória de outros como Fidel Castro em Cuba, General Kadafi, na Líbia, Idi Amin Dada, na Ruanda, etc. Na época, eu não quis acreditar e atribuí isso a teorias da conspiração. Vejo hoje, entretanto, uma notícia que me deixa um tanto preocupado. Postada no Jornal Folha de São Paulo, de que 176 deputados Federais querem que Lula tenha terceiro mandato.

Dihelson Mendonça

PMDB e PT lideram lista favorável a 3º mandato; veja nomes

Apesar da alardeada resistência declarada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dos principais líderes da base aliada à PEC (proposta de emenda constitucional) que permite o terceiro mandato, as bancadas do PMDB e do PT foram as que mais deram fôlego para o texto começar a tramitar na Câmara. Das 176 assinaturas reconhecidas pela Secretaria Geral da Mesa, 52 são de deputados do PMDB e outras 34 do PT. Entre os petistas, os apoios que mais chamam atenção são o do secretário-geral do partido, José Eduardo Cardozo (SP), e do ex-líder do partido na Câmara Luiz Sérgio (RJ). O atual líder do PT na Câmara, Cândido Vacarezza (SP), já afirmou que vai orientar a bancada para votar contra o texto.

Entre os peemedebistas não há nenhuma liderança.Também aderiram à matéria deputados do PSB, PDT, PC do B, PP, PTB, PTC, PR, PV, PSC, além do deputado Edmar Moreira --conhecido pelo escândalo do castelo avaliado em R$ 25 milhões --que está sem partido.
Da oposição, o único a manter a assinatura no texto foi o deputado Betinho Rosado (DEM-RN).
Confira a lista dos deputados cearenses que apoiaram a chamada PEC do terceiro mandato:

ANÍBAL GOMES PMDB-CE

ARIOSTO HOLANDA PSB-CE
ARNON BEZERRA PTB -CE
CHICO LOPES PCdoB-CE
EUNÍCIO OLIVEIRA PMDB-CE
GORETE PEREIRA PR-CE
JOSÉ AIRTON CIRILO PT-CE
JOSÉ NOBRE GUIMARÃES PT-CE
MAURO BENEVIDES PMDB-CE
PAULO HENRIQUE LUSTOSA PMDB-CE
VICENTE ARRUDA PR-CE
ZÉ GERARDO PMDB-CE

(Fonte: Folha de S.Paulo)
( Via Armando Rafael )
Foto: Fonte: Wikimedia.

Nomes das Ruas do Crato Antigo - Por: Armando Rafael

Começou, nos primeiros anos do século XX – por iniciativa dos vereadores desta cidade, ao longo de várias legislaturas – o triste costume de mudança dos nomes das ruas e praças de Crato. Essas alterações sempre atenderam a interesses menores dos vereadores e foram feitas sem ouvir a população, resultando na destruição de denominações tradicionais, preservadas por várias gerações de cratenses. Tenho em mãos um artigo publicado na Revista do Instituto do Ceará, com o título “Descrição da Cidade do Crato em 1882”, de autoria do Dr. Gustavo Horácio. O artigo cita, a certa altura, o fato de, naquele recuado ano, a cidade de Crato possuir 11 ruas principais, conhecidas por Rua de Santo Amaro, da Pedra Lavrada, das Laranjeiras, do Pisa, Formosa, Grande, do Fogo, da Vala, da Boa Vista, Nova e do Matadouro. No mesmo artigo, são nomeados os becos e travessas do Crato antigo, a saber: Travessa do Cafundó, da Caridade, do Candéia, da Matriz, do Sucupira, de São Vicente, do Charuteiro, do Cemitério, da Ribeira Velha, do Barro Vermelho, da Califórnia, do Pequizeiro, da Taboqueira, das Olarias, da Cadeia e do Pimenta. Infelizmente, não restou nenhuma dessas tradicionais, poéticas e curiosas denominações. Não sou contra a denominação de pessoas às ruas das cidades, condicionando-se apenas à exigência de os homenageados – todos falecidos – terem gozado de bom conceito social, terem prestado serviços relevantes, terem se destacado no cenário municipal, ou seja, nomes identificados com a história da cidade ou do Brasil.

Apenas lamento o fato de os vereadores – muitos deles destituídos de cultura regular – haverem substituído nomes antigos, ao invés de denominarem somente as novas ruas. Ao extinguirem antigas e tradicionais denominações das artérias urbanas, apagou-se um pouco da história e da memória coletiva da Princesa do Cariri. Recentemente, a Câmara de Vereadores de Independência – município localizado no Sertão dos Inhamuns do Ceará – recebeu um projeto de lei, dispondo sobre a identificação de ruas, praças, monumentos, obras e edificações públicas daquela cidade. Esse projeto de lei exige – para qualquer mudança na denominação de ruas e praças – um pedido antecipado, contendo lista com assinaturas de pelo menos cinco por cento do eleitorado. Idêntica providência deveria ser adotada pela Câmara de Vereadores de Crato.

Pelo Historiador: Armando Rafael

Definidos Clubes da Primeira Divisão - Por: Amilton Silva


Com uma rodada de antecedência, ficou definido os três clubes que farão parte da primeira divisão do campeonato Cearense de 2010. Após vários anos lutando para voltar à elite do futebol cearense, a equipe do Crato obteve uma vitória heróica diante do Maracanã, no estádio Carlos Jereissati, em Maracanaú. O Maracanã precisava da vitória, e partiu com tudo pra cima do time cratense, no final do primeiro tempo, saiu vencedor por 1 X 0, gol assinalado por Joãozinho. Na segunda etapa com grande atuação do atacante Assizinho, que marcou dois gols , o Crato consolidou sua classificação com mais um gol marcado por David. Final da partida Maracanã 1 X 3 Crato. O Guarani de Juazeiro foi a Fortaleza e venceu o Tiradentes , na Vila Olímpica Elzir Cabral, por 1 X 0 , gol marcado por Bimba aos 25 minutos do primeiro tempo.Com a vitória, o Leão do mercado é a segunda equipe caririense que fará parte da elite do futebol cearense em 2010. A outra equipe que consolidou a classificação antecipadamente foi a do Limoeiro.


Após estar perdendo por duas vezes, o Limoeiro conseguiu um empate aos 49 minutos do segundo tempo, e também retorna para a primeira divisão do Cearense, placar final: Limoeiro 2 X 2 Uniclinic. A ultima rodada do hexagonal cearense, será para definir os dois clubes que decidirão o título da segundona 2009. A equipe esportiva do Blog do Crato, que acompanhou o Crato e o Guarani desde o início da competição, parabeniza os dois clubes pela bela campanha e desde ja, torce pela manutenção no próximo campeonato Cearense.

Fotos e Reportagem: Amilton Silva - Editor de Esportes do Blog do Crato



Uma "Odisséia no Espaço" - Por: José Nilton Mariano Saraiva

Nos confins do universo, navegando a uma velocidade supersônica na imensidão infinita do cosmos, ao abrigo e no interior daquele insignificante artefato construído pela "raça humana" desenrolava-se um drama inimaginável: é que, através do recurso conhecido como leitura labial, HAL houvera descoberto que os até então fiéis companheiros de viagem tencionavam eliminá-lo da missão, silenciá-lo de vez, descartá-lo como um dos responsáveis pelo sucesso da empreitada, seguindo viagem sozinhos. Então, a partir daí, depois de infrutíferas tentativas de persuassão, ciente de que não poderia dissuadi-los a desistir de uma viagem que considerava inviável, HAL arquitetou e pôs em prática, paulatinamente, seu fulminante contra-ataque, que culminou por levar o homem (um único sobrevivente) a romper sua dimensão temporal, transportando-o a uma outra galáxia, uma outra dimensão, onde ele (homem), morre e, paradoxalmente, renasce para a vida, começando tudo de novo, só que longe do seu habitat natural.
Sem maiores pretensões, este é um resumo enxuto de uma das maiores obras de ficção científica já produzidas pelo homem, o filme “2001-Uma Odisséia no Espaço”, narrativa premonitória das dificuldades que, no futuro, o homem (tripulantes de aviões ou uma nave espacial) teriam que enfrentar quando tivessem que “bater de frente” com sua própria criação: a máquina inteligente, o computador HAL. O célebre conflito criador versus criatura.
Produzido numa época em que ainda não existiam os famosos “efeitos especiais”, onde o aparato e instrumental tecnológico era uma brincadeira de criança em comparação ao existente nos dias atuais, onde a limitação orçamentária era uma realidade, e sem contar em seu “cast” com nenhum ator famoso capaz de chamar bilheteria, “2001-Uma Odisséia no Espaço” nos mostrava, lá atrás, no hoje distante 1968, a tenebrosa perspectiva de que um dia a “criatura” enfim se rebelasse contra o “criador”, quer que por mero “ciúme” ou, então, pela não aceitação de manter-se “subjugado” a uma “mente inferior”.
A reflexão acima vem a propósito da recente tragédia aérea com a portentosa máquina voadora Airbus, da Air France, dotada com o que há de mais moderno em termos tecnológicos, e em duplicidade (numa tentativa de prevenir qualquer surpresa desagradável), mas que, desaparecida misteriosamente de uma hora para outra, quando empreendia a corriqueira travessia (considerando-se os padrões atuais), do Oceano Atlântico, na ligação entre o continente sul-americano e a Europa.
Estupefatos com a ocorrência e a real perspectiva só agora confirmada da morte dos seus 228 ocupantes, especialistas do mundo inteiro se debruçaram sobre pranchetas, mapas e a vasta literatura pertinente e se puseram, num primeiro momento, a aventar as mais diversas versões na tentativa de justificar a tragédia: turbulência pesada no interior de uma nuvem “cumulus nimbus", de extensão e resistência invulgares, trazendo por conseqüência descargas elétricas assustadoras, ventos com velocidade inimagináveis e capazes de desestabilizar a máquina, congelamento de sensores vitais da aeronave e por aí vai.
Refeitos do impacto, descobriu-se que a própria máquina, teoricamente preparada para “agüentar o tranco”, sem que houvesse qualquer interferência humana houvera emitido mensagens diversas (24) ao centro de controle, dando conta da ocorrência de uma possível “pane” em um dos seus três principais computadores centrais, gerando conflito de dados e informações e fazendo com que o sistema elétrico entrasse em absoluto processo de falência, comprometendo a navegação automática; como os painéis de orientação simplesmente “pifaram (ou se apagaram), o comando manual tornou-se impraticável, já que sem saberem da velocidade, altura, temperatura externa e outras variáveis absolutamente necessárias, piloto e co-piloto se viram diante da tétrica e assustadora realidade de um vôo absolutamente cego, na escuridão da noite cósmica e tendo abaixo a imensidão do Oceano Atlântico. Algo simplesmente apavorante, horripilante, sob qualquer ótica.
Agora, ante a perspectiva real de a aeronave ter se desintegrado (por “excesso” de velocidade, que comprometeria sua estrutura) ou simplesmente ter despencado lá de cima de encontro ao oceano (por “insuficiência” de velocidade, que a desestabilizaria em termos de sustentação), o fato é que talvez nunca venhamos a saber realmente o que aconteceu naqueles momentos aterrorizantes vivenciados por nossos irmãos de mais de trinta nacionalidades, já que as famosas “caixas pretas” (de aproximadamente 50 centímetros de comprimento) dificilmente serão localizadas no fundo do mar.
As perguntas que se impõem são: se, lá atrás (1968), já se ventilava, embora por mera ficção, a perspectiva de falha ou “rebeldia” do computador e, agora, existe a quase certeza que a ficção tornou-se uma dolorida e cruel realidade (um dos computadores “discordou” dos demais e forneceu dados que “baratinaram” todo o sistema de navegação), será que viajar de avião ainda é mesmo o meio mais seguro ???
Quantos “vôos cegos” são realizados, diuturnamente, sem que saibamos se as empresas proprietárias guardam algum sigilo sobre uma possível iminente catástrofe, em razão do componente econômico, como se está a duvidar que a Air France disponha de tais (informações) e jamais as divulgará por mera conveniência mercadológica ???
Autoria e postagem: José Nilton Mariano Saraiva

Atenção Cratenses - Nome da Região Metropolitana será Votado na Terça-Feira


Cratenses se preparam para o "DIA D"



Em regime de “urgência “ será votado na próxima terça-feira, dia 9, salvo algum imprevisto, na Assembléia Legislativa, o Projeto de Lei do governo do Estado que cria a “ Região Metropolitana do Cariri “. Na última terça feira o referido Projeto passou pela comissão da Assembléia, da qual faz parte o dep. Ely Aguiar, para aprovar o regime de urgência, solicitado pelo governador Cid Ferreira Gomes. Foi quando o Dep. Vasques Landin ) PSDB ), em contado direto ( via telefone ), com as lideranças políticas de Juazeiro do Norte, queria mudar o nome para: Região Metropolitana de Juazeiro do Norte, alegando ser Juazeiro a cidade mais importante. De pronto o dep. Ely Aguiar, único deputado cratense a participar da reunião, protestou e adotou a seguinte postura: “ Se vossa Excelência, Vasques Landin, entrar com esse requerimento, eu também entro com outro denominando de Região Metropolitana do Crajubar ou Crato “. Depois de vários apartes de outros deputados ficou acertado, que o projeto vai para votação na terça feira com o nome de Região Metropolitana do Cariri “.

NOVA INVESTIDA

A Região Metropolitana do Cariri terá um Conselho de Desenvolvimento e Integração que será administrado, conforme projeto, por vários secretários de Estado, tendo à frente o Secretário das Cidades, Dr. Joaquim Cartaxo. O dep. Vasques Landim, por sua vez já fez uma nova investida no sentido de que o Conselho seja instalado em Juazeiro do Norte, ponto esse que não é tratado no Projeto original. Assim, como deseja Vasques Landim, todas as reuniões e decisões do Conselho serão na cidade de Juazeiro do Norte. Ou seja: Juazeiro será o local de onde sairão os pequenos e grandes projetos para as demais cidades incluídas na Região Metropolitana.
PREPARADO

Sabedor dessa articulação, o que não deixa de ser um direito do deputado Vasques e um compromisso que ele tem com o povo de sua cidade, eu, Dep. Ely Aguiar, dei entrada em uma ‘ Emenda “ ao Projeto, onde estabelece que o Conselho da Região Metropolitana do Cariri será “ ITINERANTE “. Ou seja: privilégios iguais para todas as cidades do Cariri. Assim, cidades como Farias Brito, Nova Olinda, Missão Velha, Barbalha, Juazeiro, Crato, Caririaçu. Jardim e Santana do Cariri possam também ser o centro de decisões, o que acho muito justo. Centralizar o poder é inaceitável nos dias de hoje. Alias, o MERCOSUL e a UNIÃO EUROPÉIA funcionam assim.

VOTO NOMINAL

Se por ventura eu sentir que existe um “ direcionamento “ com relação a criação da Região Metropolitana do Cariri, vou exigir, pelo regimento interno da Assembléia, o voto aberto, de forma nominal, dos deputados presentes, para sabermos quem é quem nessa história toda. Acho até que a imprensa local deveria está ligada na sessão da próxima terça feira. A votação deverá acontecer no final do primeiro experiente. Acho que lá para as 11 horas. É bom que se diga que foi na cidade do Crato, quando da Assembléia Itinerante, que foi “ Promulgada a Proposta de Emenda Constitucional que criou a Região Metropolitana do Cariri. Uma Região Metropolitana tem por objetivo promover o desenvolvimento e a integração regional sustentável e o crescimento econômico com distribuição de renda. Nós esperamos que isso realmente aconteça com a elaboração de grandes projetos que possa atender os municípios incluídos e melhorar a qualidade de vida das nossas cidades.

Por: ELY AGUIAR - Exclusivo para o Blog do Crato e Jornal Chapada do Araripe.

O Crato dos meus Sonhos - Dr. Valdetário Siebra

crato - ladeira duque de caxias


O Crato dos meus sonhos é um Crato que soube explorar todas as suas potencialidades respeitando o seu passado e as suas tradições. Uma cidade que dê oportunidades iguais para todos e aonde todos vivam felizes. Mas o que fazer pra se conseguir este lugar dos sonhos? Um bom começo seria valorizar o nosso passado histórico e firmar parcerias com o governo estadual, com o governo federal e também com a iniciativa privada. Então vamos sonhar juntos:

Sonhar com um Crato todo saneado, com o rio Grangeiro correndo livremente e sem receber dejetos. O Crato com uma grande estação de tratamento dos nossos esgotos. Com água de qualidade e em quantidade para todos, a um preço justo. Sonhar com um Crato com boas escolas nas quais todos os grupos gestores são, democraticamente, escolhidos pela comunidade escolar. Uma escola que desperte nos jovens a importância da Educação, fazendo com que estes enxerguem o ensino como fonte geradora de cidadania e de melhoria das condições de vida. Uma cidade onde as crianças vão pra escola porque compreendem a importância da Educação; e não apenas em busca de alimentação ou de manter o bolsa-família. Uma cidade que valorize o magistério e remunere bem o profissional da Educação.

Sonhemos com um Crato em que a Saúde funcione plenamente: com cem por cento de cobertura do PSF. Com ambulâncias do SAMU, com um grande hospital geral municipal. Imaginemos uma saúde humanizada, com as pessoas sendo bem recebidas nos locais de atendimento, com todos os profissionais bem treinados e comprometidos com o bem-estar e a pronta recuperação dos enfermos. Uma emergência que funcione bem, com todas as principais clínicas, inclusive a Traumatologia. Uma emergência em que ninguém fale em dinheiro e onde os principais exames complementares de diagnósticos estejam disponíveis de domingo a domingo de forma gratuita, como, aliás, manda a lei. Uma saúde em que todos os profissionais sejam valorizados e respeitados. Sonhemos, ainda, com um outro hospital público voltado única e exclusivamente para o setor materno-infantil, para que a gente possa tratar com dignidade as nossas mulheres e as nossas crianças.

No setor turístico sonhemos com um teleférico ligando dois pontos da nossa cidade. Imaginemos um grande núcleo turístico construído no bairro Alta da Penha e outro no sopé da Chapada do Araripe, agora coloquemos um “bondinho” ligando estes dois pontos. Que tal atravessarmos toda a cidade a bordo desta nave? O que diriam os turistas?! E se a gente montasse uma estrutura para promover campeonatos de vôo livre tendo por base também o sopé da nossa chapada? Uma grande base para esse esporte inclusive com um restaurante panorâmico. E se aproveitássemos a descida da mesma chapada para promovermos campeonatos de corridas de carrinho de rolimã? Quando falo em “campeonatos” não me refiro apenas aos locais, mas a campeonatos estaduais, regionais e nacionais. Grandes eventos que atraiam turistas e a grande imprensa, gerando divisas para o nosso município e divulgando a nossa cidade para todo o Brasil. Sonhemos também com um elevador unindo o centro da cidade ao bairro do Seminário, tipo o Elevador Lacerda em Salvador. No turismo-religioso imaginemos e reconstrução, na sua forma original, da casa aonde nasceu o Pe. Cícero. Sinto que a reabilitação e a canonização do nosso filho mais ilustre estão próximas, e o Crato precisa se antecipar a estes fatos e construir a casa aonde nasceu e viveu o Pe. Cícero.

Sonhemos com o Crato sendo um grande produtor, beneficiador e exportador de petróleo. Sonhemos com um grande terminal ferroviário em nosso município, interligando o Cariri aos portos do Pecém em Fortaleza e ao de Suape em Pernambuco. No setor cultural sonhemos com um grande espaço para a prática de atividades artísticas. Um espaço aonde todas as formas de arte sejam abrigadas: pintura, música, literatura, fotografia, teatro... Sonhemos com os nossos artistas encenando grandes peças que retratem os acontecimentos históricos ocorridos em nosso município bem como relatando a vida e a luta dos nossos heróis. Sonhemos com grandes festivais de música. Sonhemos com a valorização dos nossos artistas populares, com a preservação do nosso folclore, com o ressurgimento do nosso carnaval e com a revitalização das nossas festas juninas.

Sonhemos com a nossa EXPOCRATO com duração de quinze dias, assim como todas as grandes exposições do nosso país. Uma festa onde a primeira semana é dedicada a uma feira de máquinas e implementos agrícolas, uma grande vaquejada e uma etapa do campeonato de rodeio. Sonhemos com o fortalecimento da nossa agricultura. A implantação de um grande núcleo de fruticultura irrigada às margens do rio Carás, transformando o Crato num grande pólo exportador de frutas para todo o mundo. Temos água em abundância e terras de qualidade para realizarmos este sonho. Sonhemos com aeroporto internacional em nosso município escoando os nossos produtos para os quatro cantos do mundo. Isto é realidade em Petrolina e pode também ser a nossa realidade.

Com todos estes sonhos realizados o Crato criaria asas próprias e voaria definitivamente rumo ao progresso e todos os outros setores (moradia, segurança, emprego, renda...) se desenvolveria a rebote. Tudo isso pode ser real. Só depende da gente querer de verdade.

Dr. Valdetário.
Crato – CE, 07 de junho de 2009.

Foto: Dihelson Mendonça - Av. Duque de Caxias. ( Direitos Reservados ).

Futebol - Por: Amilton Silva - Domingo, 07 de Junho de 2009

Rodada da Segundona Pode Ser Decisiva

A penúltima rodada do hexagonal final do campeonato Cearense 2009, segunda divisão, será realizada neste domingo dia 07, à partir das 15:30 h com três partidas: Maracanã X Crato, Tirdentes X Guarani e Limoeiro X Uniclinic. Limoeiro , Crato e Guarani caso saiam vencedores nesta rodada, estarão classificados antecipadamente para a primeira divisão do próximo campeonato Cearense. A última rodada da segundona será realizada no próximo dia 14, domingo, com as partidas: Guarani X Maracanã, Crato X Limoeiro e Uniclinic X tiradentes.

Eliminatórias da Copa do Mundo

Foi iniciada ontem dia 07, a 13ª rodada das eliminatórias da copa do mundo. O Brasil, que a 33 anos não vencia a Seleção Uruguaya, impõs um futebol de qualidade e goleou o adversário por 4 X 0. Marcaram para a Seleção Canarinha: Daniel Alves aos 11, e Juan, aos 35 minutos do primeiro tempo, Luis Fabiano aos 7 minutos, e Kaká aos 29 minutos do segundo tempo . Outro resultado surpreendente foi a vitória do Chile diante do Paraguay no estádio Defensores Del Chaclo, em Assunção, por 2 X 0. A Bolívia, que na última rodada goleou a Argentina por 6 X 1, foi derrotada pela seleçao da Venezuela por 1 X 0. A Argentina sofreu para vencer por 1 X 0 , a seleção da Colômbia. Peru X Equador finalizam a rodada neste domingo às 17:30h.

Classificação da Competição

( Clique para ampliar ):


Por: Amilton Silva - Editor de Esportes do Blog do Crato.

Saudades Sertanejas (de Hubert Bloc) - Postado por Claude Bloc

Meu pai por muito tempo circulou pelas esferas do Cariri. De espírito jocoso, amante dos trocadilhos, sempre teve muita presença de espírito e gostava de brincar com a língua portuguesa e suas peculiaridades.

A feitura desta crônica já o encontrou em Fortaleza, desalentado pelo desterro e nas vésperas de adoecer fatalmente. O seu relato mostra um homem tentando se adaptar a uma terra distante da sua, onde os costumes eram discrepantes daqueles que aprendera em seu país.

Tenta contar, com sua maneira peculiar, suas experiências em meio aos agricultores - seus professores de vivências e costumes. Conta, entre atônito e com gozação, os costumes, para ele bizarros do povo sertanejo com quem conviveu uma vida inteira.

Meu pai – Hubert Bloc - Era um homem inteligente e infinitamente sensível. Tinha muitos amigos, pessoas que o admiravam e até recebeu cidadania cratense, certa feita. Tinha seus defeitos, como todo mundo, mas foi um homem de garra e brio.

Para mim, foi sempre um pai amoroso e terno e é a este pai, que me faz tanta falta, que eu quero homenagear através de suas próprias palavras.

Sintam-se tocados. A vida é exemplo e vivência...

Saudades Sertanejas

_______________________________________________________

Nasci em Paris há tantos anos que nem me lembro.

Nunca tive 20 anos. A minha mocidade foi estragada pela guerra e sendo assim minha juventude não existiu, pois na puberdade, em vez de namorar eu matava pra não morrer...

Sei que denominaram-me de Hubert, o Huberto brasileiro, raro, mas assim mesmo conhecido, um Hubert que estudou agronomia, sem querer numa velha escola de agricultura bem afastada das cidades a fim de esconder-me dos Alemães que queriam eliminar um inocente do mapa-múndi.

Tudo se acaba, até a guerra!

Como pequeno agrônomo de um metro e oitenta, fui chamado pelo meu tio Bertrand para dirigir um pequeno latifúndio de vinte e dois mil hectares no Nordeste do Brasil e no Sul do Ceará. Que Padre Cícero me perdoe, estava esquecendo o principal: para recuperar o atraso casei-me e me casei muito bem, com uma mulher espetacular que só me deu satisfação, agüentando meu rojão sem desanimar – Janine.

Depois de chegar ao Ceará velho, meu nome mudou de pronúncia conforme o lugar, a pessoa, a intimidade e a instrução: Huberto, Humberto, Ibé, Uber, galego, careca, e até de Ibis me chamaram. Fiquei conformado por diversas razões: em primeiro lugar porque, apesar da boa vontade, nunca consegui pronunciar bem o Português, como manda o figurino; e em segundo lugar, só podia haver um “vice-versa”, visto que os brasileiros que me ajudaram no início do meu trabalho no Ceará, não sabiam “um pingo” de francês e não precisavam mesmo conhecê-lo, como também não o queriam. Pelo menos tenho uma boa desculpa porque, embora tenha passado uma vida no Cariri, isto é, mais de um quarto de século, aprendi a falar com romeiros alagoanos, pernambucanos, paraibanos, parnaibanos, e mesmo cearenses, todos analfabetos o que não facilitou minha tarefa de selecionar um sotaque menos duvidoso.

“Feche a porta mode o vento”, dizia meu jardineiro; a minha cozinheira sempre me perguntava: “posso coisar o almoço?”; prefiro não falar da minha copeira que me confessou um belo dia que não tomava banho fazia dois anos com medo de congestão !!! Por uma vez minha alergia nasal crônica me serviu de alguma coisa!

Dirigir oitocentas famílias de matutos... (aproximadamente de quatro a cinco mil pessoas, pois as romeiras sempre foram prolíferas e mais férteis que os terrenos cultivados por seus maridos) ... não é tão fácil quanto parece, quanto mais para um indivíduo de fala difícil ou atrapalhada. Aliás, conforme o último recenseamento, notei que meus rendeiros trabalhavam muito mais à noite em casa do que de dia nas roças.

Em pouco tempo calculei que eu tinha que lutar sozinho contra trezentas peixeiras, cento e cinqüenta facas de aço forjado em Juazeiro do Norte, mais duzentas foices, cento e quarenta roçadeiras bem amoladas, sem contar uma porção de “lazarinas” e um bocado de velhos Taurus enferrujados. Mas como velho guerreiro e herdeiro de uma família teimosa, nunca tive medo e nunca matei um deles a não ser de vergonha, contando à minha maneira, qualquer história mentirosa de veado de quatro pernas rápidas, para passar o tempo monótono das longas e solitárias noites caipiras com humilde iluminação de candeeiros.

Um estranho precisa de longos meses para se acostumar a viver num ambiente deste cheio de gente rústica, porém mais fidalga do que os burgueses da Aldeota, embora sem noção de leitura e de escritura, longe da civilização, afinal, meio-selvagem.

Aprendi que às pressas que, no mato, Pai tinha algum valor e Filho nenhum, porque um “pai d’égua” no sertão cearense é um homem de bem, muito bom, pra não dizer ótimo, palavra que não existe no dicionário camponês, quanto a “filho de uma égua” é um conjunto de palavras que deveria ser apagado do dicionário porque se transformou em um insulto horribilíssimo.

A virgindade é sagrada em todo o sertão, portanto os homens têm todos os direitos e as mulheres nenhum! Banquei durante meses e meses e meses o advogado, o juiz sem juízo, o médico, enfim, o conselheiro, porém a inteligência nasce do berço e um matuto analfabeto, mas hábil, cada vez que conseguia agradar uma infeliz fraca, defendia sempre seus pecados mortais como também seus interesses com quatro falsas testemunhas que juravam ter cooperado em abrir um caminho errado... Só uma vez encontrei um caso fácil de resolver: um jovem simplório, Antonio Simplício, apaixonado por uma vítima de vários “amadores” , a Maria da Conceição, filha da viúva Maria de Fátima, pediu a mão desta primeira à segunda. A mãe aceitou com prazer, mas como velha sincera e positiva, viu-se obrigada a confessar que sua filha mão era mais “moça”. O rapaz bem comportado, sentado a mais de três metros e meio da jovem (que usava um vestido comprido, sem decote e de mangas também compridas), levantou-se e replicou: “Não vale nada, também não sou mais moço”.

Além de aprender, também apanhei no comecinho de minha vida campestre. Recém chegado nessa imensa propriedade na qual suei tantos anos, quis ajudar uma dona em estado “desinteressante” bem adiantado que carregava na cabeça um pote d’água que pesava, no mínimo, vinte quilos. O resultado foi o seguinte: a dita dona que era morena ficou branca e eu que sou branco fiquei vermelho; ela correu com “carga” e tudo depois de minha proposta amável e natural, fugindo ligeiro pra sua casinha de taipa de onde saiu um indivíduo mal encarado querendo me engolir. Moral da história: Esqueça a educação, a galanteria, a delicadeza; seja bruto para evitar aborrecimentos.

Para animar o pessoal da fazenda, de mês em mês, organizava uma festinha ou melhor um “samba”, denominado forró em certos lugares, porém com a experiência, notei que danças, cachaça e mulheres não se davam juntas. Tive que utilizar uma polícia particular para evitar alvoroços no meio da música, pois a aguardente torna o homem do mato valente e cego a partir de meia-noite e meia... Qualquer mulher brancosa ou morena, sendo solteira ou parecendo ser, não podia recusar uma dança ao dançarino amador cabeludo ou careca, cheiroso ou fedorento que pagasse a cota da “orquestra”. O pior é que cada um se achava com direito absoluto de “cortar uma parte” isto é, de pedir a um colega agarrado com uma menina de terminar esta dita parte com sua companheira de dança. Oh perigo!!!

Gosto muito de dançar seja samba, baião, xote, ou mazurca, mas evidentemente depende com quem. No mato é preciso ter muita sorte, coragem ou nascer sem nariz para suportar mais de meio minuto com as meninas “lindas de morrer”. Essas belezas agradabilíssimas de longe, de perto são insuportáveis porque todas usam (quando usam) desodorante de última classe que não se une com transpiração e a falta de sabonete torna mais ainda eflúvios os seus sovacos; os seus cabelos brilhosos atraem moscas a vinte metros de distância porque usam e abusam de óleo de coco rançoso “do tempo do bumba”. Aliás muitas delas têm um açude bem perto de casa, porém a preguiça e o medo de água fria, o pudor e a falta de maiô impedia as donzelas de tomar banho e assim, acabavam por desgraçar o olfato de um homem civilizado. Que lástima!! Meu Deus, afastemos a catinga da caatinga!

[...] O sítio onde morava era cercado de serras, planaltos e terrenos acidentados, assim sendo a televisão não conseguiu espalhar-se convenientemente nessa região esquecida onde labutei tantos anos, razão pela qual por relaxamento e por falta de divertimento , fabriquei seis filhos que, graças a Deus, com baião-de-dois, beijus, fubá, rapadura, mel e alfinim (as batidas só ficaram pra mim), cresceram e alcançaram todos eles, machos e fêmeas um metro e setenta e cinco. Estava mentindo: havia um divertimento: a caça ! Nunca faltaram marrecos, patarronas, paturis, mergulhões, galinhas d’água e veados para dar expansão ao gênio da minha espingarda predileta, mas o que mais cacei foram aborrecimentos.

Como já disse mais acima, eu dirigia muita gente e muita gente dá muitos eleitores. A minha felicidade foi que, embora falasse ruim, escrevia bem, mas a infelicidade foi que apesar de meus esforços, a política não me botou para frente há anos atrás. Naquela época, bastava saber assinar o nome para poder votar. Assim sendo, inventei escolas; procurei semi-analfabetos para ensinar aos totalmente analfabetos, treinei para escrever com a mão esquerda para mudar meu manuscrito, labutei, suei, gastei o que não tinha, consegui mais de setecentos eleitores nos quatro municípios que rodeavam a fazenda e fiquei bastante “deputado” por não ter conseguido nada para mim a não ser promessas e pouca consideração... É assim mesmo!

O Joaquim Andrade, mulato de olhos esverdeados, imberbe, mas de muitos cabelos ruins e boca de beiços revirados, em pouco tempo aprendeu a assinar seu nome , mas nunca conseguiu ler. Ele cansava de dizer: “No dia que merda der dinheiro, menino de pobre nasce sem c..”. Um dia ele me pediu emprestado trinta mil réis, que aliás ele bebeu em um dia e meio. Ele estava muito orgulhoso de sua bela letra e com muita facilidade assinou um documento cheio de carimbos da fazenda como garantia para saldar sua dívida. Poucos meses depois, cobrei de Joaquim a “fortuna” que ele me devia, mostrando o documento tão bem assinado. Ele, evidentemente, negou a dívida, chorou, afobou-se até que eu rasguei o tal documento, depois de dar uma bela lição de moral.

Não adianta eu me prolongar muito, pois o governo quer acabar com a burocracia, no que faz muito bem.

O capacete de guerra não acabou com meus cabelos, mas o meu crânio ficou pelado nesses numerosos anos passados no sertão – Atualmente, radicado em Fortaleza, estou arrancando o resto.

Hubert Bloc


**Texto de Hubert Bloc - Fotos escaneadas do álbum de família:

Foto dos companheiros do Rotary

Foto do batismo de Ernesto (irmão de Edilma Saraiva) de quem meu pai e eu somos padrinhos

Foto de Janine (esposa) - Huguette (mãe) e Hubert

Foto de Hubert ainda jovem (na Serra Verde), com as filhas Claude e Dominique.



Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31