xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 02/05/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

02 maio 2009

A Faculdade "Fajuta" do Ministro Gilmar Mendes

"A escola de Gilmar leva 2
Criada pelo ministro Gilmar Mendes em 2001, a Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Diamantino, hoje administrada pela família do presidente do Supremo Tribunal Federal, vai ficar sob a fiscalização do Ministério da Educação e pode, em caso extremo, vir a ser fechada. O risco advém daquilo que pode manchar definitivamente a imagem de qualquer instituição de educação: a péssima qualidade do ensino. Gerida pela União de Ensino Superior de Diamantino (Uned), a faculdade obteve conceito muito baixo - nota 2 em uma escala de zero a 5 - no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e será submetida à fiscalização federal. Fica, assim, na alça de mira da Superintendência do Ensino Superior. A Uned tem uma história complicada. Afinal, nasceu em pecado. Em agosto de 2000, levou “bomba” da Comissão de Ensino Jurídico (CEJ) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A decisão foi por unanimidade. O relatório assinado pelo advogado Adilson Gurgel de Castro, presidente da CEJ, concluiu pela não recomendação do “curso pleiteado”. Gilmar Mendes aparece assim no relatório: “O projeto menciona que um dos docentes da Faculdade é o professor-doutor Gilmar Ferreira Mendes, que, inclusive, assina como um dos sócios cotistas”. A decisão da OAB tinha peso nas decisões do Ministério da Educação antes do governo de Fernando Henrique. “A opinião da Ordem era considerada. Mas o ministro da Educação, Paulo Renato, passou como um trator em cima dos pareceres que tínhamos dado”, diz o advogado Reginaldo de Castro, que presidia naquele ano o Conselho Federal da OAB. Muitos dos quesitos exigidos pela OAB deixaram de ser atendidos na faculdade. Até mesmo o projeto da biblioteca não satisfazia. Uma delas era, e ainda é, a exigência de uma população mínima de 100 mil habitantes no município onde a instituição será criada. Diamantino tinha na ocasião, segundo o relatório, apenas 15.159 habitantes. Isso, para a OAB, evidenciava “a ausência da necessidade social”. Vários outros obstáculos barravam a faculdade de Gilmar Mendes, que pontificava como Advogado-geral da União no governo FHC. Não se sabe se a decisão do ministro Paulo Renato atendeu aos interesses empresariais do parceiro de governo, mas, em agosto de 2001, o MEC expediu portaria autorizando o curso.”
********************************************
DIGA-ME COMO ENSINAS E EU TE DIREI O QUE SABES.

Fonte: Revista CartaCapital - Postagem: José Nilton Mariano Saraiva

Abençoada Chuva


Na nossa região os primeiros sinais do quadro invernoso são dados a partir dos meses de novembro e dezembro. Sabiamente a natureza manda esse aviso através de muitos seres que habitam a terra. Em suas moradias, os insetos são os primeiros a entrarem em regime de urgência. Eles armazenam alimentos, se preparam para o acasalamento e cantam anunciando a boa nova que em breve virá. Com relação ao bicho homem, a coisa é mais complicada: os profetas do inverno tiram suas conclusões baseando-se nos comportamentos da natureza. Já os cientistas, munidos de uma vasta parafernália eletrônica, mapeiam o céu dizendo o dia e a hora que poderá chover em determinado lugar. Quando essas previsões humanas dão erradas, entra em cena o apelo a São José, ou a “Santo” Equinócio (Ponto da órbita da Terra em que se registra igual duração do dia e da noite, o que sucede nos dias 21 de março e 23 de setembro)! E haja promessas, cantorias e rezas dos homens para que esses bombeiros do céu nos socorram abrindo as torneiras das nuvens.

Ao desprender-se, a chuva faz as alegrias das criações de Deus. E coaxa o sapo, e canta o grilo, e cresce a planta e esfria o tempo e umedece o ar. Já o bicho homem fica dividido: uma parte agradece pelas benesses que a partir daí hão de vir. Já a outra, que chama a hora da chuva de “Mau tempo”, se incomoda até com o desfiguramento que os respingos poderão causar em seus penteados ou vestuários.

Nesse período, parte da imprensa, ignorando o lado bom das precipitações invernosas, tem sempre a mesma notícia e visão erradas e unilaterais em relação aos efeitos causados pelas chuvas. Na busca de audiência, disparam, com sensacionalismo, as seguintes manchetes em seus jornais:

- “As chuvas dos últimos dias desabrigaram e causaram mortes nas populações do centro, ribeiras e dos morros da cidade!”;
- “As chuvas castigaram alagando as plantações e destruindo a malha viária!”;
- “As chuvas tornaram um caos o trânsito no centro da cidade!”;
- “As chuvas causaram danos na rede elétrica da cidade!” etc.

Até onde conseguimos entender, as chuvas, mesmo as torrenciais, não são destruidoras, muito menos assassinas. Elas são, desde a criação do mundo, um fenômeno natural abençoado por Deus que se precipita sobre a terra para que todos tenham vida! Basta entendermos que, assim como nosso corpo, que precisa desse prodígio para se reidratar e não morrer, a natureza também se vale desse argumento líquido para se recompor.

Se por problema sócio-econômico, se por incompetência dos nossos administradores, se por questões de burrice invadimos os leitos dos rios, as encostas e os altos dos morros, para fazermos nossas edificações, e com isso acabamos morrendo ou tendo prejuízos materiais incalculáveis, isso não é, em absoluto, culpa das águas das chuvas! Elas, a exemplo das lavas dos vulcões, só querem de volta seus leitos naturais para fluírem harmoniosamente em seus cursos.

Miremo-nos, portanto, na inteligência e sociabilidade dos demais seres vivos que habitam o planeta terra. Todos estes, sabendo da força de uma enxurrada, constroem suas moradias bem distantes dos leitos das águas. Eles também não produzem lixo, não destroem seus ecos-sistema, não fazem politicagem, não desafiam a natureza e não têm, em suas constituições, a geneticidade da ganância.

Eu, particularmente, aproveito a chuvarada para ouvi-la caindo no telhado, para tomar banho nas biqueiras da casa, para ouvir os roncos dos trovões e para apreciar beleza fugaz dos raios. Aproveito mais: para apreciar os borbotões dos rios, para tomar um cafezinho bem quente, para aconchegar-me com a minha amada e, por fim, para, em nome da vida, para agradecer a Deus por essa dádiva suprema que é a água!

Roberto Jamacaru de Aquino

Futebol - Atualização - Amilton Silva

Dois Jogos Realizados Ontem pela Segundona Cearense

Na cidade Praiana de Trairí, o Trairiense empatou com o Crato em 1 X 1 e fica de fora do hexagonal final do campeonato Cearense da segunda divisão. O trairiense ficou com 15 pontos ganhos e encerrou sua participação na competição. Já o Azulão do Cariri com um empate somou 25 pontos ganhos mantendo-se na terceira posição , com o mesmo numero de pontos do Guarani de Juazeiro , ficando atrás na classificação pelo critério de desempate. Os gols da partidas foram marcados pelos irmãos Ednardo aos 22 minutos do segundo tempo para o Trairiense, e Elanardo aos 13 tambem do segundo tempo para o Crato. Na outra partida, o Uniclinic líder da competição com 35 pontos ganhos, empatou com o Guarani de Juazeiro. Com o resultado o Uniclinic além de garantir antecipadamente a primeira colocação, entra no hexagonal final com 3 pontos de bonificação de acordo com o regulamento da competição. No Final domingo dia 03 de maio, será realizada a última rodada do returno com os seguintes jogos decisivos:

UNICLINIC X MARACANÃ
LIMOEIRO X CRATO
SÃO BENEDITO X ARACATI
TIRADENTES X GUARANI


Todos os jogos serão iniciados às 16:30.

Por: Amilton Silva - Editor de Esportes do Blog do Crato


Olhar CASA DAS ARTES - Esclarecimento à População.


"Não Podemos coibir as Manifestações Culturais sob a alegação de Poluição Sonora!"

"Caro Dihelson

Agradecemos a publicação deste comunicado de esclarecimento, em resposta ao seu artigo editorial “Não podemos também coibir as Manifestações Culturais sob a alegação de Poluição Sonora!”. Relativamente a toda esta questão gostaríamos apenas de esclarecer o seguinte, na esperança de por uma pedra sobre este assunto: Desde que abriu em agosto do ano passado e até a noite de sexta-feira 13 de março, o Olhar Casa das Artes só havia recebido duas reclamações devido ao volume de som. Os dois casos aconteceram ao longo das duas semanas que antecederam a noite de sexta-feira 13 de março. No primeiro caso, o segurança do Olhar ouviu a chamada sendo feita por um indivíduo a quem tinha sido recusada entrada minutos antes. No segundo caso, dois membros da Polícia Militar visitaram a casa após receberem uma chamada e constataram que o volume de som se encontrava num nível perfeitamente aceitável. Por estes motivos, realmente não tomamos providências especiais relativamente aos níveis de som. Na noite de sexta-feira 13 de março, no decorrer da apresentação da banda Katingueira (que se apresentou recentemente no evento cultural Abriu p'rá Juventude), recebemos uma terceira visita pela Polícia Militar, que havia recebido nova reclamação e interrompeu a apresentação da banda após inspecionar o nosso alvará e alegar que este não contemplava a realização desse tipo de eventos, mas apenas o uso de som mecânico. No dia seguinte, cancelamos todos os espetáculos de música ao vivo, conforme anunciamos no nosso blog e por email na terça-feira 17 de março, e até resolvermos a questão do alvará.

Desde a noite de 13 de março até a noite de 18 de abril, um período de mais de 30 dias, o Olhar Casa das Artes realizou apenas um evento musical com som mecânico mais alto. Após recebermos um abaixo-assinado na quarta-feira 18 de março, fizemos um pedido público de desculpas e iniciamos o diálogo com a autora do abaixo-assinado, uma vizinha próxima da casa. Em visita ao Olhar, a autora explicou sobre os transtornos causados pela regularidade de eventos musicais, em particular com bandas e durante a semana, mas se mostrou aberta à nossa proposta de realizarmos apenas um ou dois eventos por mês, com som mais alto e em noites de sábado, porque – segundo a mesma - “no domingo ninguém trabalhava e todo o mundo podia descansar”. Pedimos a sua colaboração e deixamos os nossos contatos telefônicos, para que nos ligasse caso se sentisse incomodada com o volume de som. Desde a noite de 13 de março até a noite de 18 de abril, o único evento musical que realizamos com um nível de som (mecânico) mais alto que o normal, que estava já agendado fazia várias semanas e que - até certo ponto - lamentamos hoje não ter cancelado, aconteceu na noite de sábado 4 de Abril, com um apoio da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude e a participação do Corpo Militar de Bombeiros e com o objetivo de conscientizar sobre o uso de drogas. Para além do acordo com a autora do abaixo-assinado, das parcerias estabelecidas e do objetivo social do evento, outro motivo para não o cancelarmos foi ainda uma tentativa de defender a honra e idoneidade da casa, devido aos falsos boatos e denúncias anônimas e difamatórias que circulavam na cidade, sobre o Olhar ser um lugar onde o uso de drogas era liberado.

Decidimos realizar este evento porque acreditamos que o problema maior era a ‘regularidade’ de eventos musicais, porque o acordo feito verbalmente com a autora do abaixo-assinado permitia a realização de um ou dois eventos por mês com som mais alto, porque a mesma havia se disponibilizado para colaborar e ligar no caso de se sentir incomodada e porque sentimos que os objetivos do evento eram importantes, tanto para nós como para toda uma cidade com um terrível problema de consumo de drogas. Na tarde anterior ao evento, um vizinho manifestou-se contra a sua realização, mas aí sentimos que era tarde demais para cancelar o mesmo, devido a todos os compromissos, e comunicamos que faríamos todos os possíveis para evitar maiores transtornos. Nessa noite, e apesar dos nossos pedidos de colaboração, não recebemos quaisquer chamadas telefônicas pela autora do abaixo-assinado, que preferiu antes ligar para a proprietária do imóvel que alugamos para expor as suas queixas (como descobrimos vários dias depois), nem reclamações de outros vizinhos ou visitas pela Polícia Militar ou pela SEMACE. Desde essa noite e até a noite de 18 de abril, o Olhar teve apenas música ambiente, não realizando quaisquer outros eventos musicais com som mais alto.

Na manhã de quinta-feira 16 de abril, funcionários da SEMACE visitaram o Olhar, fizeram uma inspeção técnica e – segundo o Auto N.° 1278/2009 – constataram que o estabelecimento “está emitindo poluição sonora”, quando no momento da inspeção nem nos encontrávamos em funcionamento. Na noite de sexta-feira 17 de abril, uma funcionária da SEMACE visitou a casa e realizou uma medição, constatando que o nível de som se encontrava dentro dos limites permitidos. Na noite de sábado 18 de abril, por volta das 22h30, o Olhar recebeu uma visita por cerca de 30 policiais armados e funcionários da SEMACE, quando um artista cantava músicas românticas de sua autoria, acompanhado de som mecânico, com o volume um pouco acima do que se diria ser música ambiente, mas que não sentimos tão alto para uma noite de sábado. Ao contrário do que disse no seu artigo, não houve pânico na casa, apenas alguma indignação pelo que se considerou ser um excesso de uso de força policial. Após interromperem a apresentação sem realizarem qualquer medição dos níveis de som e passarem revista às cerca de 30-40 pessoas que se encontravam na casa (um número ligeiramente acima do número de policiais usados nesta intervenção) sem encontrarem as drogas ou armas que procuravam, funcionários da SEMACE comunicaram que o Olhar estava proibido de usar qualquer tipo de equipamento sonoro. “Nem radinho de pilha”, conforme viemos a confirmar no termo de audiência firmado no dia 20 de abril. Não querendo alegar que nunca ultrapassamos os níveis permitidos, fato é que - até a data de hoje - a SEMACE não realizou uma única medida na casa que ultrapassasse os níveis permitidos, mas foram várias as ocasiões em que fomos visitados ou pela Policia Militar ou pela SEMACE e o volume de som foi considerado dentro de limites aceitáveis.

Assim, desejamos apenas deixar mais claro que o Olhar não quer (nem quis) manter o volume sonoro. Pouco tempo depois de recebermos as primeiras reclamações, tomamos diversas medidas para reduzir drasticamente o número de eventos musicais e o volume de som emitido pela casa. Desde o momento que recebemos o abaixo-assinado, fizemos esforços para dialogar com os nossos vizinhos, evitar transtornos e para colaborar com as autoridades. Se todos estes esforços foram ou não suficientes, naturalmente e infelizmente nos parece que não, ou não estaríamos hoje sofrendo as duras penalizações impostas por um processo administrativo. Impossibilitados de oferecer sequer música ambiente, ficamos sem outra alternativa senão fechar o bar-restaurante por período indeterminado e dispensar cinco funcionários. Ainda assim, agindo com boa-fé, tentamos. Por tudo isto, e apesar de estarmos cientes que eram nossas as responsabilidades, lamentamos o fato de os nossos esforços não terem sido minimamente reconhecidos pelas autoridades e de não ter havido qualquer esforço de colaboração.

Quanto ao futuro, só Deus sabe, mas - neste momento - não estamos certos nem quanto à viabilidade econômica ou legal nem quanto à nossa vontade de reabrirmos ou realizarmos novos eventos que envolvam equipamentos sonoros, como os eventos em que se apresentaram Correinha, João do Crato com Manel D’Jardim, Auci Ventura, João Nicodemos, a Academia de Cordelistas do Crato e, talvez mais importante que estes nomes reconhecidos, todos os desconhecidos que tiveram aqui a oportunidade de se apresentarem, mostrarem os seus dons e crescerem como artistas e seres humanos. Queremos paz e estamos olhando para outros projetos artísticos. O Olhar sempre foi e continua sendo mais do que um bar.

Com os nossos melhores cumprimentos

Equipe do Olhar

FILME: As Sete Almas Santas Vaqueiras - Dia 17 de Maio no Cine-Teatro Municipal

.

Exibição no Domingo, dia 17 de maio de 2009, às 19h no Cine Teatro Municipal Salviano Saraiva - Crato-CE

Por: jackson Bantim ( Bola )

Prosseguem os trabalhos de reforma dos Museus do Crato - Por: Dihelson Mendonça para o Jornal "O Estado".


"As gerações posteriores saberão o que fizemos ou deixamos de fazer quando o patrimônio histórico do município mais precisou de nós"


George Macário - Pres. da Fundação J. de Figueiredo Filho


Apesar das fortes chuvas ocorridas nos últimos dias em toda a região do Cariri, prosseguem em Crato os trabalhos de reforma do prédio e restauração das obras do Museu de Arte Vicente Leite. O museu, que faz parte de um complexo arquitetônico que abriga ainda o Museu Histórico do Crato, estava passando por um processo de retelhamento, quando os construtores foram surpreendidos no último dia 20 de Abril pelas chuvas, que provocaram um buraco no forro de gesso de aproximadamente 3 metros quadrados. Em entrevista concedida ao website Blog do Crato, www.blogdocrato.com, o Sr. George Macário, Presidente da Fundação J. de Figueiredo Filho, entidade que administra o complexo de museus do Crato, a obra que se pretende realizar será a primeira grande reforma desde a conclusão do mesmo, ocorrida em 1877. De lá para cá foram feitas algumas reformas básicas, mas sem mexer na estrutura do prédio. Todo ano é realizado antes da quadra invernosa, o trabalho de retelhamento, podação, e a de desobstrução das calhas, por conta da proximidade das árvores da praça da sé com o prédio do museu, e o consequente lançamento de folhas e frutos dos oitizeiros no telhado do edifício antigo.



Segundo Macário, "Esse não é o tempo de procurarmos culpados, pois a reforma que hoje está em andamento, com toda a seriedade com que enfrentamos, já poderia ter sido realizada há cerca de 40 ou 50 anos atrás", afirma o presidente da fundação, que ressalta ainda que o Museu Vicente Leite já estava desde Fevereiro último passando por um processo de restauração do seu acervo, que é um dos mais importantes do Ceará, em que são abrigadas obras de mais de 30 artistas famosos, dentre os quais, trabalhos de Sinhá D’amora, Celita Vaccani, Sansao Pereira, Bruno Donatello, Malisa, José dos Reis Carvalho, com obras do século XVIII, Vicente Leite, Alcides gomes Cruz e Bruno Pedrosa, dentre inúmeros outros.

Além da idade avançada do prédio, durante os trabalhos da nova reforma, foram detectados graves erros ocorridos desde a sua construção, como por exemplo, a descoberta do uso de até 6 tipos de telhas de diferentes tamanhos, que colaboravam para aumentar a quantidade de goteiras e a umidade no interior do prédio. Algumas dessas telhas datam ainda do século XIX, e devido a seu estado de conservação e importância histórica, passarão a fazer parte do próprio acervo do museu histórico. O assoalho do pavimento superior também era de madeira, e esta já se encontrava bastante deteriorada, sendo também necessário a sua troca.

Enquanto prosseguem os trabalhos de reforma do prédio sem data determinada para o seu término, os procedimentos de restauração das próprias obras do museu Vicente Leite são realizadas em local seguro, conduzidos pela artista plástica Edilma Rocha. O prefeito do Crato, Samuel Araripe já garantiu todo o apoio necessário, pois segundo afirma: "O Crato é uma cidade que abriga um patrimônio histórico e artístico incalculável, e nós enquanto administradores desta cidade que é a Capital da Cultura do Cariri, devemos apoiar todas as iniciativas no sentido de preservar a identidade cultural do nosso município. Já disponibilizamos todo o aparato necessário para que se possa realizar a reforma dentro dos padrões necessários à preservação de todo o acervo dos museus".

O presidente da fundação, George Macário, salienta ainda a contribuição profissional para o empreendimento, de um dos mais renomados arquitetos da atualidade, Waldemar Farias, que se dispôs voluntariamente para ajudar no que se fizer necessário. Ainda segundo George Macário, "Para o pleno êxito deste empreendimento, é necessário contar também com o apoio de todos aqueles que são amigos do Crato, inclusive dos políticos, eleitos com os votos dos Cratenses, que deveriam se unir em torno desta causa nobre".

Dep. Ely Aguiar atende ao chamado

Em resposta a este chamado, o Deputado estadual Ely Aguiar, já se pronunciou favorável ao projeto, e garantiu total apoio à reforma, convidando o presidente da fundação a visitar o secretário de cultura do estado, Auto Filho, no sentido de garantir também o seu apoio. Macário afirma ainda que: "Este é um novo desafio para a cidade, e o momento é histórico, pois as gerações posteriores saberão o que fizemos ou deixamos de fazer quando o patrimônio histórico do município mais precisou de nós. Mas acredito que o Crato é merecedor de mais esta vitória; E somos apenas um dos instrumentos para esta realização. Vamos vencer. Somos Otimistas!"

Leia mais:

Histórico dos Museus do Crato

O prédio que hoje abriga a Fundação J. de Figueiredo Filho, entidade que administra os museus, já foi a antiga Casa da Câmara e a Cadeia do Crato. Sendo considerado um dos mais importantes prédios do estado, por seu valor histórico e arquitetônico, foi edificado no século XIX, concluído no ano de 1877 e foi tombado pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural do Ceará, em 14 de abril de 2004. No início do Século XX, já abrigava a Prefeitura Municipal, a Câmara de Vereadores, o Fórum , a Junta Militar ( no andar superior ) e a Delegacia de Polícia e Cadeia Pública ( pavimento inferior). A funcionabilidade destas instituições era precária e difícil, pois o município cratense já necessitava de estruturas maiores e melhores para o bom andamento das administrações. Entre 1967 e 1970, o então Prefeito Humberto Macário de Brito desmembrou todo o complexo e adquiriu um prédio para a atual Câmara de Vereadores, construiu o prédio da SAAEC e ao lado, reservou um pequeno espaço para a Junta Militar. Construiu o prédio da cadeia pública, e deslocou a prefeitura para um prédio alugado, enquanto era construída a sede atual, o Palácio Alexandre Arraes.

Após retiradas todas as atividades administrativas e prisionais, foi criado o espaço definitivo do Museu Histórico do Crato, que antes já havia recebido os nomes de Museu de Crato, Museu Itaytera e Museu Histórico J. de Figueiredo Filho. Em 1970, foi definitivamente encampado pelo poder público, com o nome de Museu Histórico do Crato. Em 1972, foi criado o Museu de Arte Vicente Leite, durante a administração de Miguel Soares, que recepcionou o acervo provisoriamente por 37 anos.

Por: Dihelson Mendonça - Para o Jornal "O Estado".
www.blogdocrato.com


CARIRI - Manifestações marcam Dia Mundial do Trabalho - Por: Antonio Vicelmo


Moradores do Crato e Juazeiro do Norte estiveram reunidos como forma de protesto pelo Dia do Trabalhador, durante a 19ª Caminhada da Fraternidade (Foto: Antônio Vicelmo). Crato e Juazeiro do Norte foram palco das manifestações em prol de um trabalho digno e com salários justos. Crato. Reflexões sobre a Campanha da Fraternidade, manifestações dos sindicatos contra a crise econômica, confraternização entre os moradores de Crato e Juazeiro do Norte marcaram a 19ª Caminhada da Fraternidade, entre as duas cidades do Cariri, nas comemorações do 1º de Maio, Dia Mundial do Trabalho. Mesmo debaixo de chuva, cerca de 10 mil pessoas, segundo a coordenação, participaram do evento, promovido pela Forania-1, da Diocese do Crato, com o apoio das paróquias de São Francisco, em Crato e Franciscanos, em Juazeiro do Norte. O objetivo, segundo o padre Marcondes Torquato, vigário da Paróquia de São Francisco, é criar fraternidade e espírito de união entre os participantes, propiciar um maior entrosamento entre os municípios envolvidos — Crato e Juazeiro —, refletir sobre a Campanha da Fraternidade e a sua importância social, unir as reivindicações das mais diversas categorias de trabalhadores, à luz da fé e a partir das preocupações da Igreja, numa perspectiva libertadora.


“Todas as pessoas aspiram à segurança e estão preocupadas com a violência que se manifesta concretamente no trânsito, nos cárceres, no tráfico de drogas, de armas e de pessoas, nas desigualdades sociais, na fome, na miséria, na corrupção e em muitas outras situações”. Este foi o tema abordado durante a caminhada que saiu do Crato às 4 horas da madrugada de ontem e chegou à Juazeiro, às 7 horas da manhã. O evento se constituiu na principal manifestação do Dia do Trabalho no Cariri. No percurso de 12 quilômetros, os líderes sindicais distribuíram panfletos contra a crise econômica, dizendo que o trabalhador brasileiro, principalmente os agricultores, não devem pagar a conta. “A crise é americana”, advertiu o boletim. O panfleto conclama os trabalhadores a se unirem na luta pela garantia da estabilidade nos postos de trabalho e denunciam que os governantes estão utilizando o dinheiro dos impostos para os ricos que causaram a crise. O 1º de Maio, segundo os trabalhadores rurais, é mais do que uma caminhada, é o momento de defender trabalho e salários dignos, educação e saúde de qualidade, diminuição da jornada de trabalho, segurança pública, ampliação dos direitos já conquistados, políticas agrícolas e tecnologias que respeitem a natureza. Os agricultores lembraram que o Dia do Trabalho é uma oportunidade para reivindicar reforma agrária, emprego e distribuição de rendas mais justa e igualitárias. “Só nós, trabalhadores unidos e conscientes, podemos transformar esta realidade de exploração, miséria, fome, violência e desigualdades sociais em uma sociedade onde todos sejam iguais em direitos e responsabilidades”. A proposta é de uma sociedade que tenha no centro das ações políticas a valorização da relação do trabalho e da pessoa humana, contra acumulação de riquezas. O manifesto foi assinado pelo Sindicato dos Trabalhadores Orgânicos do Cariri, Sindicato dos Servidores Municipais, Sindicato dos Comerciários, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil, Sindicato dos Bancários do Cariri, Associação dos Profissionais do Programa Saúde da Família, Partido dos Trabalhadores (PT) e Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). A Federação dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Norte e Nordeste também divulgou nota, advertindo que o trabalhador já foi submetido a sacrifícios demais em nome das reformas, dos consertos, das arrumações e de tudo mais que é feito, ou apresentado, em nome de uma ordem econômica nova. A entidade critica os “lucros exorbitantes” dos bancos e financeiras.

O ponto alto da confraternização dos trabalhadores foi o café comunitário oferecido aos participantes pelo Conselho Paroquial do Santuário dos Franciscanos de Juazeiro, no pátio do Santuário dos Franciscanos, em Juazeiro do Norte.

ENQUETE

Por que você participa da caminhada?

Cláudia Gonçalves
32 ANOS
Dona de Casa


A caminhada é um programa diferente no dia do feriado. A gente aproveita para rever Juazeiro do Norte

Maria Auxiliadora de Souza
31 ANOS
Dona de Casa

Na caminhada a gente se encontra com as amigas. É um momento de confraternização com todos os trabalhadores

Paulo João de Souza
67 ANOS
Aposentado


Além de ser o Dia do Trabalho, é uma oportunidade para a gente fazer exercício, caminhando de Crato para Juazeiro

Antônio Vicelmo
Repórter

Mais informações:

Santuário São Francisco das Chagas
Rua D Pedro II, 1246
Bairro Franciscano - Juazeiro
(88) 3511.1332

Reportagem: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Sangra Açude Thomas Ostherne - Chuva Interdita rodovia no Crato


Chuva forte: à tarde, curiosos foram assistir ao espetáculo da sangria do Thomas Osterne (Foto: Antônio Vicelmo). Chuvas fazem o Açude Thomas Osterne sangrar e provocaram interdição por uma manhã da Rodovia do Algodão. Crato. A CE-386, que liga Crato a Farias Brito, foi interrompida ontem a altura do sítio Lagoinha, em frente à entrada da cerâmica Gomes de Matos. O asfalto cedeu em conseqüência das chuvas. A residência regional do Departamento de Edificações e Rodovia is (DER) utilizou máquinas do construtor Coral para recuperar o trecho que ficou interditado pela manhã. No fim da tarde, voltou a chover forte em Crato. Os trabalhos foram acompanhados pelo engenheiro Luiz Salviano, do DER, que na próxima semana estará em Fortaleza, participando de uma reunião, durante a qual será anunciada a liberação de recursos emergenciais para recuperação das rodovias do interior. O trecho danificado faz parte da Rodovia do Algodão, uma das ligações do Cariri com a capital cearense. A estrada apresenta buracos ao longo do percurso, principalmente entre Crato, Farias Brito, Várzea Alegre e Iguatu. Outras rodovias estaduais do Cariri estão em péssimo estado de conservação, a maiorias destas estradas com mais de 25 anos de uso. O Açude Thomas Osterne, com capacidade para 28,78 milhões de metros cúbicos, está sangrando, com uma lâmina de 30 centímetros. É o oitavo açude dos 13 reservatórios da bacia do Salgado há sangrar este ano. Mesmo debaixo de chuva e com a estrada de acesso ruim, muita gente está se deslocando para a parede do reservatório, a fim de acompanhar a renovação da água. A sangria de um açude é sempre motivo de festa no interior. O açude cheio é garantia de água por mais um ano, para o rebanho e para as plantações irrigadas. É também e renovação da água velha do açude. Este processo de renovação da água facilita a pesca na boca do sangradouro. O açude é responsável pela irrigação e perenização do Vale do Carás, onde estão os solos mais férteis do Cariri, que vai do Crato a Missão Velha, numa extensão de cerca de cinquenta quilômetros. O administrador do Thomas Osterne Eugênio Tavares garante que a lâmina de sangria vai aumentar.


Reportagem: Antonio Vicelmo
Fonte: Jornal Diário do Nordeste

02-05-2009
Samuel Araripe saúda os trabalhadores cratenses

Na opinião do prefeito Samuel Araripe O trabalho é o equilíbrio da vida e que todo dia o trabalhador merece ser parabenizado. “Saúdo a todos os trabalhadores cratenses, não tenho dúvidas que o nosso município caminha rumo ao progresso constante e crescente. Trabalho diariamente para que a comunidade possa ter melhores condições de vida em todos os aspectos. Sei também que nessa caminhada preciso das atitudes responsáveis dos trabalhadores cratenses para que juntos possamos estar sempre promovendo melhorias como um todo” ressalta.

Parabéns trabalhadores cratenses! O Dia do Trabalho, comemorado no Brasil com o feriado de primeiro de maio, teve origem em um movimento ocorrido em 1886, em Chicago. Nesta data do ano de 1886 nada menos que 200 mil trabalhadores, organizados pela Federação dos Trabalhadores dos Estados Unidos e do Canadá, fizeram uma greve geral em Chicago, reivindicando a limitação da jornada de trabalho a oito horas diárias.

Prefeito do Crato participa de conferência sobre os desafios dos municípios no enfrentamento da crise econômica

Próximo dia 6 de maio, o prefeito Samuel Araripe participará de uma movimentação municipalista organizada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM). O evento acontecerá no Auditório Petrônio Portela em Brasília. O encontro, que terá como tema “Os desafios dos municípios no enfrentamento da crise econômica”, contará com a presença de prefeitos e lideranças municipalistas de todo o pais. Entre os principais assuntos a serem tratados na mobilização, destaque para temas como a aprovação da Proposta de Emenda á Constituição (PEC) dos Precatórios, judicialização da saúde, habitação, novo piso salarial do magistério e Fundeb. Além destas discussões, serão abordadas iniciativas para o enfrentamento da crise econômica que atinge os municípios.

Ação Social do Crato convoca as famílias cadastradas no ASEF a partir da próxima semana

O Governo Municipal do Crato, através da Secretaria de Ação Social, comunica a todas as famílias cadastradas no Projeto de Ações Socioeducativas a Família – ASEF que as atividades terão início a partir do dia 4 de maio com a presença da equipe técnica e das mães nas creches participantes. O ASEF atua junto as famílias com crianças de 0 a 6 anos. De acordo com Liduina Andrade, Secretária de Ação Social do município, essas ações irão trazer mais qualidade de vida a todas as famílias participantes. O inicio das atividades será dia 4 de maio, próxima segunda-feira nas seguintes localidades:

Belmonte- Creche Jose Pinheiro Gonçalves, das 8:30 as 10:30h; Lameiro- Creche Rotary das 8:30 as 10:30h; Grangeiro- Creche Parque Grangeiro das 13:30 as 15:30; Pantanal- Creche Ailza Gonçalves das 13:30 as 15:30;
No dia 5 será a vez das cominidades:

Mutirão- Creche Nossa Senhora de Fátima das 8:30 as 10:30h; Vila Lobo- Creche Eloi Teles de Morais- das 8:30 as 10:30h; Bairro Gisélia Pinheiro (Batateira) CAIC- das 13:30 as 15:30;


Fonte:
Assessoria de Imprensa

Governo Municipal do Crato

Fone/Fax - (88) 3521.7069
Mais informações:
http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com


Reformulação do Conceito de Família - Por Luiz Domingos de Luna


Precisamos urgentemente definir um conceito de família que atenda as necessidades sociais.

A banalização das idéias, a naturalização das ações e o olhar social de que tudo que está "aí" é uma amostra da realidade em que se vive; é um raciocínio oportunista e de uma fatalidade que em nada colabora para com a melhoria do tecido Social Brasileiro. O Modelo de família atualmente aceita pelo estado Brasileiro é no mínimo obsoleto, quando os agentes de transformação social e crescimento econômico do país deveriam ser balizados no conceito de uma estruturação que beneficiasse o bem comum da coletividade. Ora, quando o estado cria masmorras para o beneficiamento de famílias nucleares, projeta um grande prejuízo futuro para a sociedade, vez que, nós não podemos estar atrelados a leis e normas ultrapassadas e que somente agridem o espaço social num ambiente propício para o caos, a violência, o desânimo, razão esta, de considerar a reformulação urgente do Código Civil Brasileiro, onde as novas permutações do conceito de familia estejam sintonizadas com o real social. Impingir para sociedade um modelo familiar que está ultrapassado, que não mais atende as necessidades da sociedade é o ponto iniciático, a meu ver, do nascimento da opressão fabricada pelo próprio estado e que será um peso muito grande para a sociedade brasileira. “A Célula mãe da sociedade.

- A Família - deve ser fecundada em arranjos possíveis de uma vida digna e que venha levar dignidade os incluídos” numa projeção de luz para o espaço social.

Entendo que o machismo, o feminismo ou todo o tabu, instalado desde o tempo da Escravatura, quando a argola do escravo estava presente na mente do seu senhor, é uma posição "sagrada”, intocável; assim, enquanto está doutrina de pensamento for uma norma constante no estado brasileiro, sem abrir espaços para novas composições familiares que pensem em longo prazo no bem estar de nossas crianças e numa sociedade de oportunidades para todos, sofreremos diariamente, com esta "algema" do estado principalmente as novas gerações.

Por: Por Luiz Domingos de Luna


O LIXO deixado na Chapada do Araripe


Nota do Blog do Crato: Estão Matando a Floresta do Araripe !


Quem ainda não têve a oportunidade de curtir o clima aprazível da Chapada do Araripe, de sentir o perfume gostoso da floresta e andar por suas estradas, veredas e trilhas, nunca avaliará a importância de sua existência para os caririenses. Costumamos dizer que a Amazônia está para o Mundo, assim como, a Floresta Nacional do Araripe está para o Cariri. Apesar disso, as duas não são tratadas com o devido respeito, por nós que necessitamos de suas existências.

Do problema com o desmatamento ao acumulo de lixos plásticos (foto), irresponsavelmente lançados nas estradas, a Chapada do Araripe sofre as consequências pela falta de consciência de pessoas, sem compromisso algum com o meio ambiente, que por onde passam deixam a sua "assinatura", ou melhor, seu rastro de sujeira, poluindo tudo com o que sobra de seus finais de semana. Encontramos dos mais variados objetos jogados nas estradas: sacolas plásticas completas de lixo, garrafas plasticas e de vidro, pneus, latas de alumínio, entre outros. Nos últimos meses, a exemplo do que ocorre na cidade, temos observado que a poluição não se resume ao lixo atirado na Chapada. Lamentavelmente, a poluição sonora, provocada pelos carros equipados com sistemas de som potentes, ganham cada vez mais as estradas da Serra, com destino às chacarás e pequenos bares ali existentes. O que era, para alguns, uma área de tranquilidade, de paz com a natureza, tornou-se uma tortura, visto que, lá em cima, a propagação do som é bem mais forte. Além do mais, o som, que não precisa ter volume alto, estressa e afugenta todos os animais e pássaros, que são, verdadeiramente, as principais vítimas desta trágica agressão humana.


É necessário que os órgãos competentes, inclusive a polícia ambiental (CPMA), tenha mais presença, atue mais no sentido de coibir todas estas práticas deploráveis e merecedoras de severas punições, principalmente, MULTAS PESADAS. No que diz respeito ao LIXO NAS ESTRADAS, apelamos para todos, inclusive para os proprietários de chácaras, moradores da Chapada, visitantes e aos órgãos de limpeza pública que, pelo menos uma vez a cada mês, envie os caminhões cuca, para realizarem a coleta do lixo, na medida do possível. Pior é não fazer nada e deixar o lixo crescer cada vez mais.

Por: George Macário - Editor do Site "O Democrato"

A Responsabilidade é de cada um de nós que polui o meio ambiente

Deputado Sineval Roque pede Cancelamento da Carteira de Habilitação dos Falecidos



Projeto de Lei de Autoria do Deputado Sineval Roque
PROJETO DE LEI Nº. /2009
DETERMINA O CANCELAMENTO IMEDIATO DA CARTEIRA NACIONAL DE HABILITAÇÃO – CNH NO DETRAN, DOS FALECIDOS, NO ESTADO DO CEARÁ.

Art. 1º - Fica estabelecido que o Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais no Estado avisará o Departamento de Trânsito – Detran do falecimento de portador de Carteira Nacional de Habilitação – CNH no Estado do Ceará, para que seja dada baixa no número desse documento.
Art. 2° - O prazo para essa baixa será de 30 dias a contar do falecimento do motorista.
Art. 3° - Caberá ao Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais de cada cidade a comunicação com o Departamento de Trânsito - Detran.
Art. 4° - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

Sala das Sessões da Assembléia Legislativo do Estado do Ceará, em 15 de Abril de 2009.

Sineval Roque - Deputado Estadual
Assessoria de Imprensa - Dep.Roque
Karol Martins

Texto enviado ao Blog do Crato por: Sangiorgy Ribeiro

Nota:
Esta lei pode parecer brincadeira, mas possui um grau de seriedade, haja visto que deve ser muito necessária para se evitar que as pessoas de má fé possam se aproveitar de uma habilitação ilegal. Além do mais, também proíbe de antemão que algum "morto" saia dirigindo por aí...

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30