xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 14/04/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

14 abril 2009

Problemas Técnicos com a Rádio Chapada do Araripe

Quem acessou o Blog do Crato ou qualquer dos websites ligados por esses dias, deve ter percebido os problemas técnicos por que temos passado com a Rádio Chapada do Araripe. O motivo é que realizei há 2 semanas o cancelamento do velox e estamos tentando fazer a transmissão da rádio via AraújoSat, que é uma empresa de internet sem fio. Acontece que uma estação de rádio exige uma conexão muito constante e essa ccoisa pelo ar é muito insegura. Mas estamos trabalhando no sentido de sanar esse problema que afeta em alguns horários.

Pedimos a compreensão de todos os nossos fãs!

Obrigado,

Dihelson Mendonça


Chuva - Por: Claude Bloc

........ A chuva de hoje proporcionou-me um curioso diálogo com o tempo. Lembrei-me da Rua Irineu Pinheiro nos muitos invernos que atravessei no Crato. Manhãs caudalosas. A rua inundada de uma ponta a outra, até as calçadas, causando transtorno aos incautos estudantes matutinos. Nem as famigeradas galochas eram suficientes para conter a “fúria” das águas que desciam levando as pedras rua abaixo. Nem os sapatos “colegiais” impediam a alegria dos meninos que saiam em revoada de suas casas para a escola. Risos, risadas, gente encharcada, lama, choro... e muitas vezes o retorno de um ou outro, vítima da “guerra fria” da água barrenta...
........ Difícil esquecer também os dias infindáveis de brincadeiras pelas ruas, onde, depois da chuva, filetes de água, refletindo o céu nublado, acompanhavam o meio-fio, dobrando na esquina, em busca do Rio das Piabas...
........ A chuva apascentava os ânimos. As brincadeiras eram infinitamente alegres e provocavam a criatividade. Diques e açudes assoreavam as ruas e invadiam a passagem dos carros. Eu era mera personagem dessa história de chuvas? Descia pela rua pisoteando a água, remexendo os sonhos de algum príncipe escondido n’algum “castelo”. Menino que simplesmente me assistia passivamente passeando pela chuva, chacoalhando a água com os pés, espargindo sonhos por aí...
........ Foi assim, nesse diálogo com a chuva que comecei a escrever. Tentava nas palavras encontrar o cheiro da terra e os sons das águas lavando e levando as pedras do calçamento. A verdade era para mim como essa chuva. Procurava me encontrar em meio a esse rio de palavras todas que escorriam pela rua desfarelando os sonhos pela enxurrada. A chuva naquele tempo era também a expressão dissimulada do meu pensamento. Eu, mera criança, apreendia o mundo como se eu fora extraterrestre. Tinha dificuldade de escrever. As águas lavavam-me as idéias. Meus textos eram híbridos e insípidos...
........ Hoje, porém, a chuva e eu podemos andar de mãos dadas...

Por Claude Bloc

O Cara foi esnobado

Esnobaram o Cara! Durante o desfile de carnaval no Rio de Janeiro, o Roberto Carlos estava em um camarote e o casal Lula da Silva estava no camarote do Governador Sérgio Cabral. Um emissário do governo procurou o Roberto Carlos com o convite de Lula para que ele desse um pulinho no camarote onde estava. O Roberto Carlos agradeceu e recusou o convite. No ultimo dia 7, Dona Maria Leticia aniversariou. Outro emissário do Lula convidou o Roberto Carlos para participar da festa marcada para o Palácio da Alvorada. Roberto Carlos recusou o convite novamente.
Roberto Carlos, cresceu sozinho, junto com seus verdadeiros amigos e fãs. Em Cachoeiro do Itapemirim, ainda criança, vendia doces, na estação de trens, para ajudar a mãe Dona Laura. Sofreu o acidente, quando brincava na linha férrea. Um trem passou por cima de uma de suas pernas. Por obra do Senhor, ele não morreu. Recuperado jamais perdeu a dignidade, a ética e a nobreza que estão em seu ser. Obstinado, seguiu o seu caminho, tornando-se um dos maiores cantores e melhores compositores do Brasil e do mundo. Jamais perdeu a humildade, nunca traiu um amigo. Mantém sua vida pessoal reservada. Não mistura politica com sua vida profissional. Não é omisso. É corajoso. Guerreiro e prima pela justiça.

video
Por A. Morais

Programação Cultural - O Grande Violonista Zivaldo Maia estará no Crato !!!


No próximo domingo, o Crato receberá a visita ilustre do violonista Zivaldo Maia que se apresentará gratuitamente no Largo da RFFSA (CAFÉ ESTAÇÃO). Violonista com técnica apurada que mistura o erudito e o popular, Zivaldo gravou seu primeiro CD em 1996 "Zivaldo Puro e Simples" , onde registrou suas canções ao violão. Sua composição mais gravada é "Violando", a mesma que ele mostrou ao Rei do Baião. Ela foi registrada por Sebastião Tapajós e João Cortez no CD "Brasilidade" e por Nonato Luiz em dois CDs, "O Choro da Madeira" de 99 e "Ceará" de 2001. Em 1999, Zivaldo decidiu gravar um novo disco, desta vez cantando também. E o resultado é o registro de canções que falam de um tempo que deixou saudade em quem viveu e em quem não viveu também, mas gostaria de ter estado lá. O CD nos remete a uma Fortaleza tranquila, com os seresteiros embaixo das janelas e moças românticas espiando pelas frestas. Para conseguir esse clima, Zivaldo recorreu a parceiros como Jair Amorim, Oímpio Rocha, Alano Freitas, Fausto Nilo, Ana Cléria, Hildeberto Torres e Totonho Laprovítera que colocou letra na famosa "Violando". Há também um pout-pourri de sambas que vão de Ataulfo Alves e Noel Rosa à Luiz Assumpção. Para a apresentação local o violonista está sendo produzido pelo não menos talentoso "Lifanco", que, com o apoio da Prefeitura Municipal do Crato e da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude está viabilizando esse grande evento. Compareça, leve seus amigos e familiares para curtir um domingo marcado pela boa música e por um grande momento para a cultura da nossa cidade.

Por: Kaika Luiz

FORA! LIXO NORDESTINO - por José do Vale Pinheiro Feitosa

Em bem humorado "post" o nosso Dihelson Mendonça faz uma comparação favorável ao governo Fernando Henrique Cardoso em relação ao do Lula. Finalmente alguém encontrou alguma estatística em que FHC foi melhor que Lula e levou ao conhecimento do público em geral. Tudo comprovado pelo Diário Oficial da União. E está lá. As estatíticas desta "gentinha" que conquistou o Palácio do Planalto sem o menor estilo de vida: come tudo calórico - diz alguma sinhazinha de casa de fazenda. Mas tem mais, são brutos mesmo, comem pimenta como um ser primitivo (dois mil vidros). Além de brutos são todos cachaceiros, há uma hipótese que Dona Marisa, isso sim a primeira dama deste país, não faça outra coisa que não amassar limão e colocar açucar para adoçar as caipirinhas com as quais o poder se move. E tome deslumbramento, pois é isso o quê o que o povo esnobe pensa de quem elegeu nordestino e além do mais com este histórico de ser operário. E claro que, num tom desse, o humor de nariz tapado contra a gentalha subdesenvolvida que chegou além do que podia, termina azedando pois nestes itens de consumo não tem comparação com o FHC.

O Lula é um imbecil segundo este humor. O FHC levou de São Paulo para Bsb uma finesse da cozinha, a manteve pelos oito anos, mas as estatísticas bem humoradas apenas servem para comparar cifras em moeda, não serve para comparar itens de compra de consumo numa e noutra situação. Está tudo no diário oficial, lembram daquela briga dos cartões corporativos, quando a oposição tentou mais um escândalo e surgiu uma tal lista dos gastos FHC. Aí o escândalo mudou de lado: divulgar uma lista que era segredo e a imprensa foi atrás de quem a teria elaborado. Neste caso não interessou a comparação. E não interessa pelo simples fato de que se fosse para divulgar no circuito da Avenida Paulista, todos entenderiam o xiste, mas aqui no blog do Crato ou entre o povo que trabalha, cheira mesmo a preconceito social.

Vejam a conceituação de Dona Marisa como vendedora de marmita, do Lula como produtor de CD pirata e tudo identificado como farra. O tom deste texto é: a "farra do boi". Só para lembrar: "farra do boi" era um modo de festa em Santa Catarina em que um boi era solto e torturado até a morte. O teor deste tipo de argumento já recebeu a senha de FHC desde o princípio do governo: sangrar o Lula e os PT até o fim. É um modo de fazer política, acho que o texto não foi escrito pelo Dihelson, um nordestino autêntico e até por que sabemos que isso circula pela internet e que a grande mídia anda falando nisso o tempo todo. Ultimamente foi sobre o inchaço de funcionários federais. Aliás só para usarmos como comporação segue alguns dados do Brasil segundo um estudo do IPEA publicado pela revista Carta Capital:

a) o emprego público segue o princípios de descentralização e municipalização de uma série de atribuições anteriormente federais - enquanto os empregos de federais despencaram entre 92 e 2009, o inverso ocorreu com os municípios.

b) enquanto no país mais liberal do mundo, os EUA o emprego público corresponde a 14,9% da população e no outro extremo na social democracia da Dinamarca a 39,2%, no Brasil não alcança nem 6%.

c) em comparação com países da América Latina se encontra abaixo de Argentina (16,2%), Chile (10,5%) e de uma série de outros países com poder de comparação dado do tamanho do Brasil.

Finalmente nem tão bem humorado assim: a comparação dos gastos da presidência da república ou seja do Palácio da Planalto com pessoal e recursos meios só pode ser encarado no campo da galhofa de má fé ou na ignorância do que seja o Estado brasileiro. Isso é apenas um conceito de arranjo institucional, pois na presidência, ou seja no Palácio do Planalto se agregou muito mais valor estratégico que no governo FHC. Reflete apenas o estilo de dois governos, pois no governo Lula toda a estrutura da casa civil, mais de oito secreatarias com status de ministério, além de conselhos da república estão ali localizado. Isso não é discutível, são opções de organização de estado, mas o humor quer transformar isso em desperdício e preconceito contra um presidente nordestino e operário.

Por José do Vale Pinheiro Feitosa

Show de Zivaldo Maia no Crato.


No próximo domingo, o Crato receberá a visita ilustre do violonista Zivaldo Maia que se apresentará gratuitamente no Largo da RFFSA (CAFÉ ESTAÇÃO).

Violonista com técnica apurada que mistura o erudito e o popular, Zivaldo gravou seu primeiro CD em 1996 "Zivaldo Puro e Simples" , onde registrou suas canções ao violão. Sua composição mais gravada é "Violando", a mesma que ele mostrou ao Rei do Baião. Ela foi registrada por Sebastião Tapajós e João Cortez no CD "Brasilidade" e por Nonato Luiz em dois CDs, "O Choro da Madeira" de 99 e "Ceará" de 2001.
Em 1999, Zivaldo decidiu gravar um novo disco, desta vez cantando também. E o resultado é o registro de canções que falam de um tempo que deixou saudade em quem viveu e em quem não viveu também, mas gostaria de ter estado lá. O CD nos remete a uma Fortaleza tranquila, com os seresteiros embaixo das janelas e moças românticas espiando pelas frestas. Para conseguir esse clima, Zivaldo recorreu a parceiros como Jair Amorim, Oímpio Rocha, Alano Freitas, Fausto Nilo, Ana Cléria, Hildeberto Torres e Totonho Laprovítera que colocou letra na famosa "Violando". Há também um pout-pourri de sambas que vão de Ataulfo Alves e Noel Rosa à Luiz Assumpção. Para a apresentação local o violonista está sendo produzido pelo não menos talentoso "Lifanco", que, com o apoio da Prefeitura Municipal do Crato e da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude está viabilizando esse grande evento. Compareça, leve seus amigos e familiares para curtir um domingo marcado pela boa música e por um grande momento para a cultura da nossa cidade.


Entrevista com Leonardo Boff - O Brasil precisa de duas revoluções: a da educação e a da saúde

O teólogo brasileiro Leonardo Boff foi um dos mais renomados conferencistas do Fórum Mundial da Educação (FME), dividindo a mesa da conferência "Educação, Transgressão e Construção da Cidadania Planetária" com o diretor do Instituto Paulo Freire, Moacir Gadotti e com a senadora Marina Silva (PT), durante a abertura do FME em Belém, no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Leonardo Boff concedeu entrevista ao Portal da Seduc, falando sobre o sistema de ensino brasileiro, defendendo a valorização do professor como um dos pontos de partida para a busca de uma educação de qualidade e políticas que compensem a dívida do Brasil com os afrodescendentes. Traçou ainda um panorama da educação brasileira nos últimos vinte anos. Na opinião do teólogo, iniciativas como o programa estadual "Escola de Portas Abertas" valem como sementes para as escolas seguirem e devem ser apenas o começo de uma rede que pode qualificar o processo educativo.

Confira a entrevista:

Portal Seduc: Como o senhor vê o sistema de ensino no Brasil?

Leonardo Boff: Eu acho que no Brasil falta fazer duas grandes revoluções, a da educação e a da saúde; e também poderíamos incluir a da reforma agrária; que nunca foram feitas. Um público ignorante, que não foi gerado numa revolução; e um povo doente, que não fez a revolução na saúde e que não está sentado para garantir a sua vida, é um povo que não consegue dar um salto para frente, rumo a um desenvolvimento sustentado, a uma autonomia, a uma cidadania plena. Então, ninguém está satisfeito com a educação. Embora haja setores que tenham trabalhado de forma alternativa, com a educação cívica, integradora, ecológica. Mas essa não é a tônica geral do processo educativo brasileiro.

Portal Seduc: Então, o que falta para reverter esse quadro?

Leonardo Boff: Acho que a porta de entrada seria valorizar muito mais o professor. Primeiro, valorizá-lo economicamente, para que ele tenha desafogo e possa trabalhar com alegria e, não, subsistindo. Segundo, que ele seja levado a uma educação permanente, com reciclagem, cursos de aprofundamento, encontro entre professores. Em terceiro lugar, que a escola mantenha sempre uma articulação orgânica com a sociedade, com o processo social, com a troca, de tal maneira que a formação não se faça só com a escola, mas com processo concreto da vida. Se um projeto de educação iniciasse com a valorização do professor e a qualificação dele, fazendo que a escola abra as portas para a sociedade, nós faríamos realmente uma revolução.

Portal Seduc: O Ministério da Educação tem o programa Escola Aberta e o governo estadual, por meio da Seduc, tem o programa Escola de Portas Abertas, que tem como objetivo minimizar a violência nas escolas pela socialização de atividades nos fins de semana, com a comunidade. Como o senhor observa iniciativas como essas?

Leonardo Boff: Eu acho que são experiências seminais. Elas valem como sementes, como emulação e provocação para todas as escolas seguirem por esses caminhos. Cada uma com as suas regiões, porque devemos respeitar também a singularidade de cada região, de cada população. Mas o ideal é isso, entender que educação não é passar informações apenas. É acender uma luz na cabeça das pessoas e, isso, durante todo o processo da vida. A vida que é feita de intercâmbio, de trocas de crises, de superação. É esse processo que vai formando as pessoas, dando consciência no sentido de cidadania, de direito. Essas experiências são extraordinárias e boas. Elas devem ser apenas o começo de uma rede que vai qualificando todo o processo educativo.

Portal Seduc: A violência é um problema social e atinge também as escolas. Como o senhor analisa isso?

Leonardo Boff: Há dois fatores que são determinantes para a violência nas escolas. Primeiro, é a violência da sociedade, que é propagada, legitimada e magnificada pelos meios de comunicação. O que as televisões mostram nos filmes adultos, mesmo nos filmes para crianças, que tomam aqueles mitos japoneses, são de extrema violência. Significa que suscita dentro de nós a dimensão agressiva, porque o ser humano tem um lado agressivo - que é pertinente ao processo da evolução -, assim como tem um lado de “benquerença”, de convivência, de autocontrole. Então, uma sentada sobre a magnificação e a exaltação da violência favorece que as pessoas alimentem essa dimensão de violência entre si. Segundo aspecto que é muito grave é a eclipse da figura do pai. Qual é a importância do pai? Ele é aquele que no processo educativo impõe limites aos filhos. A mãe aconchega, acolhe e dá o sentimento de proteção e de amor. O pai é aquele que permite a passagem do mundo familiar integrado e bom de se viver, para o mundo da sociedade onde há conflitos, há contradições e a pessoa tem que aprender a respeitar os outros e as leis. Como na sociedade moderna há um eclipse da figura do pai, o pai foi banalizado e foi substituído por outros fatores da escola. Essa carência da figura dele e daquilo que ele significa, faz com que as pessoas não tenham mais respeito ao professor e isso é um passo para a violência.

Portal Seduc: Como fica o papel da família na escola

Leonardo Boff: Há uma tendência das famílias delegarem à escola a educação dos filhos, o que é um erro, porque a família é insubstituível. Nós nascemos numa família e as relações pai e mãe são fundamentais nos primeiros anos de vida e, se houver uma falha ali, marcará para toda a vida. A escola prolonga a família, mas de um outro nível, que é o da inserção no mundo social, da apropriação do saber acumulado da sociedade, armar a arquitetônica do saber, aprender a orientar-se no mundo. Hoje, as duas instâncias estão em crise. A família está em crise, já que na sociedade moderna não é mais aquela família unicelular e, simultaneamente, a escola está permanentemente em crise, porque não há um projeto escolar e isso tem como efeito que as pessoas se sentem perdidas. Algumas conseguem fazer porque a família acompanha e há pessoas que também reagem e buscam projeto de vida, mas isso deveria ser preocupação do Estado, de dar as condições para que a pessoa vire cidadão, alguém que participe, que tenha consciência de direitos e tenha a capacidade de plasmar o seu destino e organizar a sua vida.

Portal Seduc: Como o senhor avalia os mecanismos de inclusão do ensino no Brasil?

Leonardo Boff: Acho que toda a sociedade brasileira tem uma dívida enorme com os afrodescendentes, porque nós os tratamos como objetos e essa dívida nós nunca pagamos. Numa sociedade de desiguais, tratar todo mundo igualmente é uma injustiça. O que se deve fazer para diminuir as desigualdades e criar condições para que eles possam também entrar na sociedade, participar. Sou a favor de políticas compensatórias, de cotas, mas que haja acompanhamento. O Estado criou isso e abandonou, quando deveria criar uma estrutura de professores e de analistas que acompanhassem as pessoas e elas se sentissem finalmente integradas à sociedade e, não, como estudantes de segunda categoria.

A ignorância do Brasil é uma ignorância política, isto é, interessa ao estamento político dominante que o povo continue ignorante. Eles não temem um pobre. Temem um pobre que pensa, que tem consciência dos seus direitos e escolhe os seus eleitores. Então, há uma ignorância em algumas regiões do Brasil que é alimentada pelos grupos políticos dominantes que mantêm essas massas na marginalidade, da não participação da cultura da formação, da cultura do não-conhecimento e isso nós temos continuamente que denunciar, como nós temos as grandes empresas de comunicação que utilizam a ideologia dominante para enquadrar as pessoas. Hoje, a família Globo forma mais a cabeça dos brasileiros do que todas as escolas. Forma os valores e estilos de vida. E isso não é democrático. Quem delegou à família Marinho o poder de ter acesso à alma do brasileiro? Isso é falsa democracia, é outra forma de ditadura e que nós, educadores, temos que denunciar por amor à cidadania do povo brasileiro.

Portal Seduc: Fazendo uma retrospectiva da educação brasileira nos últimos vinte anos, o que avançou?

Leonardo Boff: Eu acho que ela evoluiu pontualmente. Por exemplo, há setores universitários de ponta que estão no nível de qualquer universidade estrangeira de primeiro mundo. Há também grupos de educação média que são de extraordinária qualidade, que incorporam as compressionais modernas da pedagogia, da subjetividade da psicologia, das tecnologias de informação e há outras que malmente subsistem dentro do velho esquema escolar que mal passaram pelo método escolar de Paulo Freire. É muito desigual o processo brasileiro, e isso apenas denuncia a falta de um projeto coletivo que englobe a todos. Eu sei que é difícil porque o Brasil são muitos “Brasis” e com várias culturas, mas falta um projeto de uma educação básica no qual todos tivessem direito, que servisse de patamar comum, garantido, sólido, para dar saltos de qualidade a uma educação cada vez mais plena

Por Julie Rocha - Seduc

Última Hora: Hoje o Olhar está fechado ( Por causa das grandes chuvas em Crato )



O Dilúvio, por Paul Gustave Doré “Paul Gustave Doré (Estrasburgo, 6 de janeiro de 1832 — Paris, 23 de janeiro de 1883) foi um pintor, desenhista e o mais produtivo e bem-sucedido ilustrador francês de livros de meados do século XIX. Seu estilo se caracteriza pela inclinação para a fantasia, mas também produziu trabalhos mais sóbrios, como os notáveis estudos sobre as áreas pobres de Londres, realizados entre 1869 e 1871.

Fonte: Wikipédia

O cenário hoje aqui não foi tão dramático mas ainda é o suficiente para decidirmos fechar e adiar a inauguração da exposição Fragmens, de Rogê Venâncio. O jardim ainda está inundado, tetos, paredes e algumas obras de arte molhadas e muita lama... E ainda chove. Contra a Natureza não tem discussão... Visto que o SESC está realizando também noites de cinema às segundas-feiras, a equipe do Olhar decidiu ainda alterar a data semanal das sessões de cinema Lumière de 2ª para 5ª feira e começar mais cedo, pelas 19h.

Agradecemos a vossa compreensão.
Equipe do Olhar

Olhar
Casa das Artes Praça da Sé, 91Crato
T. (88) 3521.1590
E. geral.olhar@gmail.com www.olharcasadasartes.blogspot.com

Sesc Juazeiro expõe trabalhos de Alexandre Lucas


Exposição “Aflordapele” Instigante, interativa e inquietante traz nova série de infogravuras do artista engajado do Ceará.

Os trabalhos de infogravuras do artista visual, Alexandre Lucas serão expostos a partir desta sexta-feira, dia 17, na Unidade do Sesc de Juazeiro do Norte. A nova série de infogravuras do artista (gravuras produzidas a partir do uso de computadores), terão como temática arte e sexualidade. A exposição denominada “Aflordapele” é uma junção de fragmentos de fotografias de partes humanas que ao serem multiplicadas resultam na formação de uma nova imagem que remete a lembrança do erotismo e da sexualidade, numa espécie de formação caleidoscópica humana. Como é comum nos trabalhos do Alexandre Lucas, o público poderá interagir com as obras, além da exposição convencional de obras molduradas, a exposição contará com “jogos de imagens” que serão disponibilizados para que o público monte as suas próprias visualidades.

Para o artista Luis Karimai “Há nas imagens um estado de geometria humana ou orgânica, alguma coisa de desafiante para as convenções”. Já a artista Cristiane Campos do Paraná diz que “a arte de Alexandre, tem um apelo visual bastante forte, que faz com que o espectador pare, observe, pense e analise e acrescenta as figuras que se mesclam transformando uma determinada imagem em uma profusão de novas formas é realmente interessante. A acadêmica de Direito Lais Abreu, da Bahia enfatiza que a primeira impressão ao ver as infogravuras de Lucas é de curiosidade. Fico brincando com as montagens, imaginando como seria o formato original da imagem ali transformada; é como se estivesse montando um quebra-cabeça. A acadêmica do Curso de Ciências Sociais da URCA, Cícera Andrade frisa que o trabalho é um despertar para se pensar o que nos aparece como comum, simples (natural), ou seja, o que aparentemente é familiar, mas que não deixa por isso, de se apresentar dentro de uma enorme complexidade em que caminha a vida humana.

Sobre o artista: Alexandre Lucas

Formado em Pedagogia pela Universidade Estadual Vale do Acarau - UVA/CE e com especialização em Língua Portuguesa e Arte-Educação pela Universidade Regional l do Cariri – URCA/CE, poeta, artesão, artista plástico (autodidata), integrante do Coletivo Camaradas. (http://www.coletivocamaradas.blogspot.com/). Coordenador do Projeto Leituras Negras, assessor técnico cultural do Instituto Ecológico e Cultural Martins Filho – IEC ambos vinculados a URCA e membro do Programa Nacional de Inferência Ambiental PIA/Instituto CUCA da UNE.
Contato: E-mail: alexandrelucas65@hotmail.com

Serviço:
Exposição “Aflordapele”
Abertura: Dia 17 ( sexta-feira)
Horário: 19 horas
Local: Sesc Juazeiro do Norte
(No dia da abertura haverá também Show "Música Cariri" SESC Juazeiro - 20h - Com a participação de Abdoral Jamacaru, Amélia Coelho (Zabumbeiros Cariris),Fatinha Gomes,Dudé Casado (Dr. Raiz), Ermano Morais, Di Freitas, Antônio Queiroz, Paulo Rafael e Ibbertson Nobre. )


Clamor por Santana do Cariri - Por: Francy Magalhães Lobo

Santana do Cariri está alagada! A cada chuva, a população desta cidade, que é o berço da paleontologia do Brasil, fica apavorada. Hoje, por exemplo, as casas do final da rua 11 de janeiro ficaram inundadas. A água vinha na cintura dos adultos. Favor, gostaria de ver uma matéria sobre esta cidade e a situação. O caso é sério e ninguém faz nada.

Francy Magalhães Lobo
Moradora de Santana do cariri

14-04-2009
Samuel Araripe participa de solenidade de outorga do prêmio “Construindo a Nação”

O prefeito do Crato, Samuel Araripe, participa hoje, às 15 horas, no auditório Waldyr Diogo -, na Federação das Indústrias do Estado do Ceará - FIEC - da solenidade de outorga do Prêmio Construindo a Nação, que reconhece escolas envolvidas em projetos de cidadania. Dez escolas cearenses serão agraciadas durante a solenidade. A premiação é realizada pelo Instituto da Cidadania Brasil, Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Serviço Social da Indústria (SESI), tendo a coordenação estadual do SESI/CE. Nesta edição, 40 escolas cearenses concorreram ao prêmio. O objetivo da comenda é destacar, valorizar e mostrar como exemplo, criando referências, as ações que escolas públicas e privadas realizam com a presença ativa de seus alunos no diagnóstico e promoção de ações práticas de solução para problemas das comunidades onde estão situadas. Visa ainda valorizar o papel do educador no processo de formação do aluno como cidadão e preparar os estudantes para a vida do país, a partir da aprendizagem obtida na convivência com as demandas sociais das comunidades.

Comunidade cratense é convidada a participar de reunião sobre a requalificação das praças centrais da cidade
Será realizada no próximo dia 16, quinta-feira, de 9 às 12h, no auditório do Centro Cultural do Araripe, no largo da RFFSA a consulta pública sobre a requalificação das praças centrais da cidade do Crato. Esse evento faz parte do Projeto de Desenvolvimento Econômico e Regional do Ceará, Cidades do Ceará Cariri Central, do Governo do Estado e tem como intuito ouvir os questionamentos da comunidade para a construção de uma cidade melhor. Participe. A opinião da população é de suma importância para o projeto.

COMDEMA realiza hoje sua 4ª reunião ordinária de 2009

O presidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente COMDEMA do Crato, Sr. Nivaldo Soares, convoca para a 4ª Reunião Ordinária do ano de 2009. O Conselho se reúne hoje no Auditório da Secretária Municipal de Saúde, no Centro Administrativo da Prefeitura Municipal do Crato. Na ocasião, será proferida uma palestra sobre a Destinação das Embalagens Vazias de Agrotóxicos. O conferencista será o Engenheiro Agrônomo José de Oliveira Santos – Analista de Risco Agropecuário da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará ADAGRI – Crato.

Seminário de Conclusão do Estudo de Trânsito e Transporte do CRAJUBAR acontece hoje no Crato

Acontece hoje, às 14 horas, no auditório da Universidade Regional do Cariri (URCA) o Seminário de Conclusão do Estudo de Trânsito e Transporte do CRAJUBAR. Esse evento está sendo realizado pelo Governo do Estado e objetiva mostrar a fundamental importância para o conhecimento e consolidação do conjunto de informações e proposições relacionadas ao trânsito e transporte do Crato.

Alunos do ProJovem recebem informações sobre hotelaria e turismo

Hoje à tarde 38 alunos do Programa Nacional de Inclusão de Jovens - ProJovem do Alto da Penha irão até o Pasárgada Hotel, em Crato, acompanhados da orientadora social Júlia Batista, do orientador de cultura Alan Lima e de Paulo Petrole, orientador de esportes. Lá os estudantes serão recepcionados pelo administrador do Hotel o Sr. Geraldo Lemos que se prontificou em recebê-los e disponibilizar informações acerca dos serviços de hotelaria, bem como de assuntos relacionados ao turismo na região. O ProJovem foi criado pelo Governo Federal e é executado em parceria com os governos estaduais. Por meio dele, jovens entre que não concluíram o ensino fundamental têm oportunidade de elevar seu grau de escolaridade. Além disso, o programa oferece qualificação profissional voltada à inclusão social.

Educadora Física faz acompanhamento de Grupo da Terceira Idade

A Prefeitura Municipal do Crato, por meio da Secretaria de Ação Social, proporcionou ao grupo de Terceira Idade do CRAS Vila Alta uma educadora física, que ficará acompanhando o grupo nos seus encontros semanais. No dia 07 deste mês, foi realizada uma caminhada na praça do bairro, com os idosos que ficaram bem animados com a inovação. Hoje, dia 14, terça-feira, terá um novo encontro às 14 horas, no CRAS Vila Alta.

Cartões do Garantia Safra serão entregues hoje, em Crato

Os pequenos produtores rurais do município do Crato, inscritos no Programa Garantia Safra, estarão recebendo os cartões do Programa durante o dia de hoje. A entrega acontecerá por meio da Caixa Econômica Federal (CEF) e da Secretaria de Agricultura do município e Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Crato, que vêm coordenando os trabalhos junto aos agricultores, das 8 horas às 14 horas, na quadre Bicentenário. A Secretaria ainda solicita dos beneficiários que não deixem de comparecer. O pagamento será efetivado no dia 16 deste mês. Serão repassados 755 cartões.


Contatos:
Prefeitura Municipal do Crato
Assessoria de Imprensa
cratoimprensa@gmail.com
Telefone(88): 3521. 9600
Maiores informações:

www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com

Ceará: Uma ilha Jurídica Dentro da Federação?

Entre muitas variáveis consideradas pelos tomadores de decisão no que diz respeito aos investimentos encontra-se o que os economistas chamam de marco regulatório. De forma resumida, é um conjunto de normas, leis e diretrizes que regulam o funcionamento dos setores nos quais agentes privados prestam serviços de utilidade pública. A regulação é sempre feita por um organismo independente com condições de defender os interesses dos cidadãos, do governo e das empresas concessionárias que obtiveram o direito de explorar o setor. O marco regulatório é responsável pela criação de um ambiente que concilie a saúde econômico-financeira das empresas com as exigências e as expectativas do mercado consumidor. Além de estabelecer as regras para o funcionamento do setor, o marco regulatório contempla a fiscalização do cumprimento das normas, com auditorias técnicas, e o estabelecimento de indicadores de qualidade. A criação de um marco regulatório claro e bem concebido é fundamental para estimular a confiança de investidores e consumidores e para o bom andamento do setor orientando, também, juridicamente os investimentos. Este arcabouço jurídico significa para o empresário que desde a tomada de decisão passando pela implantação e até a operacionalização destes investimentos as “regras são conhecidas” e, portanto, se tem segurança neste aspecto.

Para se ter idéia da importância do marco regulatório consistente e transparente que comungue os mais diversos interesses da sociedade desde a questão ambiental como a forma de exploração dos recursos naturais esgotáveis entre as gerações, questões culturais e que preserve o bem-estar da sociedade, atualmente se discute se há ou não a necessidade de mudança no marco regulatório do setor do petróleo ou se este já contempla, por exemplo, a exploração do petróleo na camada do pré-sal. O fato é que ou as regas são claras ou os tão sonhados investimentos não serão realizados. Afinal, como dito no início os investidores consideram o cumprimento de todas as regras estabelecidas no marco regulatório na análise de viabilidade econômico-fianceira dos seus investimentos o que pode se traduz em aumento/diminuição de custos, riscos, etc. No caso especial do Estado do Ceará o que temos observados nos últimos anos é um descompasso entre órgãos e poderes criando uma instabilidade jurídica e de competências entre órgãos estaduais e federais como a SEMACE,o IBAMA e o Instituto Chico Mendes, por exemplo, dificultando, atrasando e até mesmo desestimulando os investimentos no estado. Anterior à crise financeira internacional a imprensa da capital divulgou com certa freqüência a dificuldade que vários empresários enfrentaram para iniciar investimentos no nosso estado. O setor hoteleiro foi bastante prejudicado neste sentido e grandes investimentos não saíram do papel ou tiveram o início das obras atrasadas em alguns anos o que significa, no mínimo aumento nos custos o que pode levar a menores retornos destes investimentos e, culminado com a desistência dos investidores. O interessante é que a imprensa nacional tem noticiado a diferença de tratamento na regularização destes investimentos em comparação a outros estados da federação. A pergunta que fica no ar é: será que o Ceará é uma Ilha Jurídica dentro da federação?

De nada adianta o governo estadual ter uma política de incentivo fiscal competitiva que consiga atrair investimentos para o estado numa “batalha difícil” dada a guerra fiscal estabelecida entre os estados brasileiros se os empresários não acreditarem que de nada adianta os incentivos porque os investimentos barrarão nas instâncias jurídicas. Recentemente o governo estadual modificou a lei dos incentivos fiscais na tentativa de colocar o Ceará novamente em condições de competitividade na atração de investimentos uma vez que os estados da Bahia e Pernambuco estão concedendo maiores incentivos fiscais e conseguindo atrair maiores volumes de investimentos.

Vale lembrar que a celeridade na regularização dos investimentos também é uma variável que faz parte do mix de variáveis levadas a efeito na decisão de localização dos investimentos. Para se ter idéia da falta de um marco regulatório para os investimentos no Ceará sejam eles públicos ou privados, recentemente a imprensa divulgou que a obra da refinaria pode ser postergada por conta de uma ação do ministério público, a recuperação de uma estrada federal no estado está com o cronograma atrasado pelo mesmo motivo. A polêmica gerada na instalação da siderúrgica nem se fala. No visinho estado de Pernambuco o anúncio da instalação de uma siderúrgica nos moldes da que será implantada no Ceará apesar de menor porte, foi motivo de comemorações por parte de toda a sociedade pernambucana e não se tem notícia de embargos jurídicos para tal obra lá. Uma pesquisa nos jornais daquele estado não menciona quaisquer polêmicas nestes investimentos, muito pelo contrário. O mesmo se diz das refinarias, dos investimentos em energia eólica, dos investimentos no setor turístico e assim por diante, também nos demais estados nordestinos. O Governo Lula mudou a ministra do meio ambiente porque não estava satisfeito com a celeridade na emissão de licenças ambientais para o setor energético. A falta do marco regulatório para este setor atrasou diversos investimentos e já ameaçava com um apagão nos próximos anos. Neste caso, o ministro Carlos Minc tem conseguido agilizar a liberação das licenças e tem dito em alto e bom som que nem por isso o meio ambiente será prejudicado, pelo contrário nas palavras do ministro.

Faz-se, portanto, necessário que o Governador Cid Gomes tome a iniciativa de colocar todos os agentes envolvidos na questão regulatória dos investimentos no estado, uma vez que nem sempre é da alçada estadual, já que envolve, também, órgãos e funcionários públicos federais para que estabeleçam um marco regulatório de forma clara e consistente conciliando o interesse do estado na atração de investimentos com respeito às questões ambientais, mas que permitam elevar o bem-estar do povo cearense, dando ao mesmo tempo, a certeza para aqueles que decidirem aportar seus investimentos no estado que, de fato, encontrarão aqui um marco regulatório compatível com o que é praticado pela união e por outros estados.

Wellington Ribeiro Justo
Doutor em Economia e Professor do Curso de Economia da URCA

Movimento de Emancipação de Ponta-da-Serra - Por: Antonio Correia Lima

Aconteceu na manhã desse domingo, 12.04, nas dependências do salão paroquial, mais uma reunião da diretoria da Associação do Movimento Emancipatório de Ponta da Serra - AMEPS, onde foram tratados vários assuntos de interesse do movimento, especialmente, quanto a periodicidade das reuniões ordinárias e extraordinárias e a criação de um pequeno jornal para atender ás necessidades de uma maior divulgação das ações do movimento A próxima reunião ficou marcada para o 4º domingo de abril ( 26.04), e deverá ser aberta a todos os membros da associação, como também, a toda a comunidade. Deve-se salientar que o Congresso Nacional tem, neste mês de abril, o último prazo estipulado pelo Supremo Tribunal Federal para decidir a questão das emancipações de distritos no País. Como se sabe, no final do ano passado foi aprovado o Substitutivo ao Projeto de Lei do Senado Nº 98, de 2002, que regulamenta o procedimento para a criação, a incorporação, a fusão e desmembramento de municípios, restando à Câmara Federal dar o seu parecer, o que ainda não aconteceu. Dentre os critérios exigidos, destacamos o que se julga ser o principal, que é de sete mil habitantes para a região Nordeste. Nesse sentido, deve-se salientar que o Distrito de Ponta da Serra, em 2000, já possuía 8.234 habitantes (IBGE CENSO 2000, SIDRA).

Antonio Correia Lima
RPS - Radiodifusora e Jornal Ponta da Serra

Estatísticas...

Aos que gostam de estatísticas e comparações entre os governos Lula & FHC, chegou-me às mãos estes dados que passo a publicar a fim de que se tome conhecimento. Está tudo no Diário Oficial da União, com número de licitação e tudo.

DESPESAS DO GABINETE PRESIDENCIAL
1995 - FHC - R$ 38,4 milhões.
2003 - Lula - R$ 318,6 milhões.
2004 - Lula - R$ 372,8 milhões (R$ 1,5 milhões por dia útil de trabalho).

Quer saber mais?

NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS NO PALÁCIO DO PLANALTO
Itamar Franco - 1,8 mil
FHC - 1,1 mil
Lula - 3,3 mil
PS: No Palácio da Alvorada, existem 75 empregados. No ano passado Lula assinou um decreto, de número 5.087, aumentando de 27 para 55 seus assessores especiais diretos.

FOME ZERO
No Palácio do Planalto, o programa 'Fome Zero' funciona. Fome e sede zero. Todos querem, literalmente, se entupir de comida e bebida. Vejam estes números:

O processo de licitação de número 00140.000226/2003-67, publicado no Diário Oficial da União, previu a compra de 149 itens para o Palácio.

Dentre eles constam:
- sete toneladas de açúcar;
- duas toneladas e meia de arroz;
- 400 latas de azeitona;
- 600 quilos de bombons;
- 800 latas de castanhas de caju;
- 900 latas de leite condensado....

Tudo altamente calórico... O pior é que pelo prazo da licitação, tudo isso deverá ser consumido em 120 dias Mas tem mais. Constam ainda:

- dois mil vidros de pimenta;
- dois mil e quinhentos rolos de papel alumínio;
- quatrocentos vidros de vinagre;
- quatrocentos e sessenta pacotes de sal grosso e ainda
- seis mil barras de chocolate.

Se você, caro leitor, apanhar uma calculadora, vai concluir que a turminha de Lula está consumindo por dia:
- 58 quilos de açúcar (ou dona Marisa faz muito bolo ou Lula toma muita caipirinha...);
- 22 quilos de arroz;
- 50 barras de chocolate;
- 15 vidros de pimenta....pimenta???

Como a repercussão dessa compra foi negativa, Lula mandou tirar do site oficial do governo o processo de licitação, que já havia sido publicado na edição número 463 do Diário Oficial. Lula é assim: num dia esconde o que faz, no outro camufla o que compra. E a coisa vai mais longe: em outra licitação ( 00140.000217/2003-36) dá para perceber que Lula gosta de festa. O Gabinete da Presidência comprou um pouco de tudo para beber. Entre os itens:

- 129 mil litros de água mineral (consumo: mais de mil litros por dia);
- duas mil latas de cerveja;
- 35 mil latas de refrigerante;
- 1344 garrafas de sucos naturais;
- 610 garrafas de vinho (consumo de cinco por dia);
- 50 garrafas de licor.

A sede dos deslumbrados vai além, mesmo com muita gente morrendo por falta de água no sertão, que Lula diz que conhece bem Em outra licitação, ( 00140.000228/2003-56), o nosso Presidente, que devia ser exemplo, mandou comprar para seu Palácio:

- 495 litros de suco de uva;
- 390 litros de suco de acerola;
- o mesmo tanto de suco de maracujá, laranja, tangerina e manga.

Outra compra diz a respeito a 2.250 quilos de pó de café. Numa conta simples, este valor resulta em 2.145 cafezinhos por dia. Desse jeito Lula vai acabar perdendo o sono.

Mas a farra não termina por aqui. Numa outra compra ( 00140.000126/2003-31) Lula prova que é bom de estômago:

- três toneladas e meia de batata:
- duas mil dúzias de ovos;
- duas toneladas de cebola e
- uma tonelada de alho porró.
Na mesma compra tem mais:
- 2400 abacaxis;
- uma tonelada e meia de banana;
- outro tanto de ameixa e ainda
- uma tonelada de caqui.

Pelo que se entende de outra compra (00140..000227/2003-10), dona Marisa Letícia anda cozinhando pra fora, servindo marmita. Foram comprados para serem consumidos em 120 dias:

- dez botijões de gás de dois quilos;
- 170 botijões de 13 quilos;
- 20 cilindros de 45 quilos e mais
- 45 toneladas de gás a granel.
Continha simples: 24 botijões por dia consumidos.

Quer mais farra? Então aqui vai: O gabinete da presidência mandou comprar:
- dois mil CDs para gravação, com as respectivas caixinhas, e
- 20 mil disquetes.. Estaria Lula montando uma gravadora pirata?
E alguém tem idéia de quanto se paga de roupa lavada no Palácio, em 120 dias?
- 54 toneladas - ou 13 toneladas e meia por mês, ou ainda, 450 quilos de roupa por dia.

Lula torna feliz qualquer tintureiro. Talvez a justificativa para a lavanderia seja uma outra compra, a de número 00140.000143 /2003-78:

- 300 colchas;
- 330 lençóis;
- 300 fronhas;
- 50 travesseiros;
- 66 cobertores (cobertor em Brasília é grave, hein?);
- 15 roupões;
- 20 jogos de toalha;
- 20 toalhas de banho e
- 120 colchões... 120 colchões!!!

Quando Lula pra lá se mudou, também tratou de providenciar todo conforto possível. A presidência comprou:


- dois fogões;
- duas cafeteiras;
- quarto fornos de microondas;
- quatro geladeiras;
- oito ventiladores;
- seis aparelhos de ar condicionado;
- dois bebedouros;
- sete televisores;
- dois aparelhos de CDs;
- três liquidificadores;
- uma sanduicheira;
- um frigobar.

Fonte: Diário Oficial da União

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31