xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 05/04/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

05 abril 2009

O Crato hoje...Por: Pachelly Jamacaru

É pau, é pedra... são as águas de Abril fechando o verão!

A primeira cena que vi foi esta, tentaram atravessar a rua e aí como diz nosso grande Ely Aguiar: "Dava, num dava, dava num dava, mas não deu não macho réi!!!

Canal, termina sendo uma atração!

Pasmem!!! A Cascata já não é mais no Lameiro, fica nas escadas do Seminário!

Me fez lembrar meus tempos de piralho... Este menino, acreditem, pescava no canal... E pescava, com esta garrafa improvisada!

A união faz a força...

Wilson Berbado, todo reporter tem que ir a onde a notícia está, e foi assim, assim será...

Foi um rio que passou em minha vida...

To nem aí, tô nem aí...


Fotos: Pachelly Jamacaru
Direiros reservados


Dihelson leia isso. Por: José do Vale Pinheiro Feitosa

Dihelson, seguindo a regra temática dos blogs, postei dois textos no Cariricult sobre cinema com a "pretensão" de abrir o debate. Mas ninguém se habilitou. Por isso resolvi me dirigir a você, já de antemão sabendo dos seus inúmeros compromissos. Aí vem a minha questão. Não seria interessante e até necessário que os blogs da região fossem veículos de debate desta CONSULTA PÚBLICA sobre as mudanças na lei de incentivo à cultura? Esta é uma questão central para o futuro próximo. Especialmente ao se considerar que os participantes dos dois blogs terão impacto direto sobre suas atividades em razão desta lei.

Você com a liderança que exerce pode mobilizar o Coletivo Camaradas, pode estimular outros artistas e, assim, a região teria um canal organizado de debate e sugestões à lei.

abraços

José do Vale


Um almoço na taboca - por José do Vale Pinheiro Feitosa

Foi na Taboca. Sabe onde fica? Na encruzilhada das rotas da chapada. Um braço para Nova Exu, outro para Araripina e o pau grande que desce para o Crato. Não vá se confundir e entrar numa vereda adentro até os plantios de mandioca e abacaxi. Pois lá tem pé de visgueiro, tem araticum, tem maracujá peroba, um barreiro do feitio de tigela de barro. Mas não é este o assunto. Pois bem: foi na taboca....

Apenas uma pequena tora da viagem tinha acontecido, mas paramos para almoçar na Taboca. A viagem era longa, com uma dormida em Ouricuri e só no dia seguinte chegaria em Petrolina e ultrapassaria a ponte para Joaseiro da Bahia. Paramos numa pensão cheia de viajantes como nós. Mesas ocupadas por aves de arribação. Conversa animada, assuntos variados e plenos de novidades, mas era feito a bailarina do circo, logo ia embora e deixava este sujeito arriado de paixão.

Duas coisas têm o sabor dos deuses. A primeira delas é comida de marmita, ou daqueles pratos amarrados um em cima do outro com um pano morno a caminho da roça. Um cheiro de feijão de corda com toucinho, pão de milho fumegante, arroz a vontade, um taco de rapadura e um pedaço de alguma coisa que lembra carne ou frango guisado. A segunda delas é comida de pensão à beira da estrada entre o Crato e Joaseiro da Bahia. Em qualquer rota, tanto pelo Salgueiro, como por Ouricuri, qual seja a rota por Santa Cruz ou Parnamirim.

Então estamos naquele clima ameno da serra, quase na franja dela, nem um estirão de beiço e já começa a descida até Nova Exu e depois Bodocó. É preciso que a ciência explique melhor, mas não se sabe bem o motivo pelo qual os viajantes, mesmo nos seus automóveis macios, descem dele como cavaleiro após desmontar. Talvez com as pernas menos abertas, mas com a curvatura do peso do mundo nas costas. E assim sentamos nos bancos daquele mesa de casa de fazenda. Um burburinho de agito entre a cozinha e o salão, pratos de bodes cozido, de bode assado, pirão de pão de milho, arroz, feijão, buchada e uma quartinha de água dormida, mas da cor de maracujá diluído.

Foi então que a rainha do pedaço se apresentou. Uma senhora ali na casa dos sessenta, mulata na plenitude de uma mãe de santo, do vestido rodado, na estampa de flores opacas, a cabeça amarrada com um xale a moda baiana e um falatório de sentir-se desde o terreiro da pensão. Uma rainha de fato, dona da cena, ocupando cada minuto da estadia. E além desta exuberância toda era uma estrela em pleno brilho.

Entre as mesas, oferecendo a cada um de nós migalhas de sua fama. E mais ainda que os sabores superlativos entre a fome e os temperos, era a fama posta nos peitos feito comendas o que movia o almoço. De uma mesa a outra, gritava para a cozinha em demanda de algo mais. Um guaraná ali, um crush acolá, uma cachaça no copo, um pedaço de queijo de manteiga para este cidadão e tudo se movia por ela e com ela.

Já descendo a serra, um dos viajantes comentou: eu nunca pensei de ser servido por uma tia de Luiz Gonzaga. Foi contar para o pessoal lá de casa.

Por José do Vale Pinheiro Feitosa


A Solução do Problema das Enchentes no Crato

Recursos, Recursos e mais Recursos...

Canal do Crato

Ao longo da história, nossa cidade tem sido castigada com as "famosas" inundações do canal do Rio Grangeiro ( foto ). Nesse tempo todo, inúmeras ações foram feitas de modo errado, que só contribuiram para piorar o quadro na época "invernosa". Não quero nem aqui falar da reforma do canal ocorrida em 2004, em que empregaram tijolo furado ( conforme provas já apresentadas aqui no Blog do Crato em 2008 ), nem quero também denunciar novamente o maior crime ambiental ocorrido no Crato, que foi o despejo direto dos dejetos da cidade no canal do Rio Grangeiro, o que, com as enchentes, só deus sabe aonde isso vai parar...

A solução definitiva para o problema das enchentes no Crato já foi estudada por equipes de engenheiros e chegou-se à conclusão que a melhor delas é conter a água ANTES que essa chegue à cidade. A Construção de reservatórios de água com diques.

Consta no PRU - Plano de Requalificação Urbana um projeto arrojado feito por engenheiros e técnicos, a solução definitiva para o problema das enchentes, que seria a construção de até 7 reservatórios com comportas. Assim, quando houver uma chuva forte, fecham-se as comportas de todos os reservatórios, ou mantêm-se num nível aceitável que não permita inundação. Se o primeiro reservatório encher totalmente, passa-se para o segundo, e assim sucessivamente. É praticamente impossível alguma chuva que fosse encher todos os 7 reservatórios, porque o volume de água de cada um deles foi calculado pelos engenheiros e as medições do volume de água das maiores enchentes que já tivemos na cidade.

A questão agora é: Enquanto não se realizar esse projeto, o Crato sofrerá com enchentes.

Consultado sobre o assunto, o Prefeito Samuel Araripe diz que esse projeto é uma das prioridades da sua administração, mas o município precisaria de mais recursos para realizá-lo, uma vez que os do próprio município, e os conseguidos recentemente com o Banco Mundial, Governo Federal e Governo Estadual, já estão destinados a obras em andamento de igual importância, como o projeto de urbanismo da Encosta do Seminário com uma grande avenida que irá integrar o lado sul da cidade passando pelo bairro seminário e chegando até a "Asa" solucionando o problema das voçorocas e do chamado "vulcão" que põe em perigo moradores do bairro seminário ( quando serão construídas mais de 100 novas casas a fim de remanejar as famílias em situação de risco ou por onde a avenida irá passar ); Saneamento Ambiental; Aterro Sanitário Consorciado e com Usina de reciclagem do Lixo; Reformulações nas praças principais do Crato; Patrulha mecanizada; Restauração de todos os Museus - locais físicos - ( bem como com a restauração já em andamento do próprio acervo dos museus do Crato, e a construção do Museu de Arte Moderna no Centro Cultural do Araripe ); Restauração do Sítio Caldeirão ( odem de serviço em 30 dias ), de modo a torná-lo um polo de turismo, cultura e história; Centro de Convenções ( já em serviço de terraplanagem ), Asfaltamento das outras ruas esburacadas do Crato, que ainda são muitas; Construção do Shopping Popular do Crato ( Que irá resolver o problema do atual camelódromo, que considera aquilo um barril de pólvora ); Programa Moradia Legal ( com a construção de casas de alvenaria para os moradores que ainda hoje moram casas de taipa com o repasse das escrituras aos moradores. ), além de outros projetos que estão em andamento.

Em minha minha modesta opinião de morador desta cidade, mas sabedor dos esforços que têm sido feitos no sentido de resolver os outros problemas, creio que a administração deveria colocar o projeto da construção dos reservatórios como prioridade e já em pauta. Evidentemente que esse é um dos mais custosos projetos, e a sua realização demanda milhões de reais, o que poderia consumir os recursos destinados aos outros projetos. Como solucionar esse impasse ? É preciso então que o Sr prefeito e os "nossos" queridos deputados batalhem ainda mais para GARANTIR esses novos recursos para a obra, uma vez que as outras não podem parar, mas também o Crato precisa resolver definitivamente o problema das enchentes, que desde os nossos mais remotos antepassados, atrapalha a vida do povo desta cidade.

Por: Dihelson Mendonça


Chuva causa enchentes nas ruas do Crato!

CANAL DO RIO GRANGEIRO, AINDA BEM QUE NÃO TRANSBORDOU
O CANAL DO RIO GRANGEIRO

POSTO QUE FICA NA RUA DA VALA

RUA PARALELA A PRAÇA DA SÉ

ESQUINA QUE DA ACESSO A DUQUE DA CAXIAS

INÍCIO DA RUA DA VALA

RUA DA VALA INUNDADA

O Cobrador – Por Carlos Eduardo Esmeraldo


Esta é mais uma das muitas histórias que me foi contada pelo meu amigo Leofredo Pereira, um famoso contador de “causos” juazeirense e que foi meu colega de Coelce. Segundo Leofredo, aí pelos anos de 1940 até 1960, existia em Juazeiro um advogado muito solicitado. Tratava-se do Dr. Erílio Luz, um perito na arte de fazer cobranças para as empresas do comércio da cidade. Competente no seu ofício, o Dr. Erílio tinha consciência da fama de bom cobrador que desfrutava na região. Por isso não cultivava a virtude da modéstia. Certa vez alguém quis saber se ele havia estudado no Seminário do Crato. “Estudei seis anos lá, mais seis em Fortaleza. Desisti na hora de ser ordenado. Se tivesse continuado, hoje eu seria cardeal, na boquinha para ser papa.” Respondia o imodesto causídico.
Havia em Juazeiro um comerciante que se especializou em revender caminhões. Vendeu um deles a um cliente do Iguatu com pagamento em duas parcelas. Uma entrada de cinqüenta por cento e o restante para ser pago seis meses depois. Decorridos mais de um ano, sem conseguir receber o dinheiro, o comerciante procurou o Dr. Erílio. Fechado o contrato, marcaram viagem para o Iguatu. “Considere-se com dinheiro no bolso.” Disse o gabola advogado de cobranças.
Advogado e cliente saíram do Juazeiro às três horas da tarde, na velha “Maria Fumaça” da RVC e lá pelas oito horas da noite já estavam confortavelmente hospedados no Hotel Ferroviário do Iguatu, bem defronta da estação. Após o jantar, cadeiras na calçada, os dois aguardavam a suave e refrescante brisa do “Aracati”. Quando de repente, ouviu-se um tiroteio sem fim e aproximação de um estranho rapaz, nu sobre um cavalo, com duas mulheres também nuas na sua companhia. E haja tiros para o alto e correrias das pessoas para todos os lados. Os dois juazeirenses assistiram atônitos aquela bizarra brincadeira. Tão logo o jovem e esbelto cavaleiro passou por eles, o Dr. Erílio exclamou para o seu cliente: “Que rapazinho insolente!” A esta exclamação, o vendedor de caminhões completou: “Este é o valentão com quem o senhor irá acertar as contas amanhã de manhã.” Imediatamente o Dr. Erílio encerrou a conversa e o contrato. “Considere a causa perdida. Nós vamos mesmo é voltar para o Juazeiro no trem da madrugada.”

Por: Carlos Eduardo Esmeraldo


Ontem o Crato deu um grande passo para o futuro !

Prossegue a Despoluição Visual do Crato

Crato. Sábado de chuva. 08:30 da manhã. Os transeuntes que passaram à frente da loja PIMACOM, localizada à Rua Senador Pompeu, próximo à Almirante Alexandrino, puderam assistir a um evento que certamente entrará para a história da nossa cidade: A retirada da primeira placa das inúmeras que poluem visualmente o centro da cidade. Como é sabido de muitos, o Secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano Nivaldo Soares, seguindo um projeto do prefeito Samuel Araripe, está coordenando através de uma grande campanha a despoluição sonora e visual do Crato. Inicialmente, várias palestras foram apresentadas à população, inclusive pelo próprio prefeito, e depois seguindo-se com o secretário Nivaldo, que já apresentou o projeto na CDL, Câmara de Dirigentes Lojistas do Crato, quando movidos pela conscientização ( e não por meio de multas nem ameaças ), concordaram em retirar as enormes placas que hoje "enfeiam" a nossa cidade. Até agora, segundo o secretário, 18 empresas já concordaram em retirarem suas placas espontaneamente. A prefeitura Municipal do Crato está oferecendo um caminhão especial ( Muck ) disponível a qualquer empresa que resolver aderir à campanha. Nosso enviado especial, Wilson Bernardo registrou todo o evento, e as fotos estarão disponíveis ainda hoje aqui no Blog do Crato.

Certamente que a retirada da primeira placa é um ato simbólico, mas considerando que no Crato nunca existiu qualquer esforço em despoluir o visual e o sonoro da cidade, que também é outro grande problema, já é um bom comêço, e a adesão destas 18 empresas fará com que as outras tomem consciência de que aquela que não retirar a sua própria placa e consequentemente fazer a sua parte em despoluir a cidade, certamente que "queimará o próprio filme", pois ficará mal vista pela população, que deseja ver a cidade se despoluindo. Aliás, diga-se de passagem, é tempo de cada cidadão desta cidade fazer a sua parte, ajudando a despolui-la e DENUNCIANDO quem a polui. As denúncias podem ser feitas aos telefones da SEMACE.

Se todos concordarem, haveremos de fazer o Crato voltar aos trilhos de uma cidade que pode se desenvolver ordenadamente, educacionalmente, culturalmente e ocupar lugar de destaque como cidade modelo para o Ceará e até para o Brasil. Só depende daqueles que desejam o bem da cidade acima dos partidarismos e dos interesses pessoais. Diga-se de passagem que o Crato só parou por 30 anos no tempo, justamente por causa dos interesses pessoais de homens compromissados apenas com seus próprios interesses. É tempo das pessoas de bem dessa cidade se irmanarem nas lutas que estão em ação, e que trarão o progresso e a felicidade aos cidadãos do Crato.

Por: Dihelson Mendonça

Concerto de Páscoa - Coral Schonberg - Teatro do SESC - Juazeiro do Norte


Dia 07 de Abril. Terça-feira, 20h
Teatro SESC Patativa do Assaré
Entrada: R$ 3,00 ( meia para todos )

45 Anos depois do Golpe Militar, Miguel Arraes é Homenageado

Nada como um dia atrás do outro...

No dia em que o golpe militar de 1964 completa 45 anos, o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes foi homenageado pelo Ministério da Justiça, em Recife. Durante abertura da 20ª Caravana da Anistia, nesta quarta-feira (1°), o ministro Tarso Genro assinou a portaria que concede anistia política a Arraes, falecido em 2005. O ato foi realizado no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, mesmo local onde, em 1º de abril de 1964, Arraes foi preso e deposto do cargo que havia conquistado democraticamente. Ao lado da viúva do ex-governador, Magdalena Arraes, o ministro disse: "Quarenta e cinco anos depois, a senhora está neste palácio recebendo o pedido de perdão por todos os erros cometidos contra Miguel Arraes e contra todos os brasileiros". Para Tarso, o governo tem hoje uma concepção diferente da anistia. “De acordo com o direito tradicional, a anistia é um perdão que o Estado concede a alguém. Nós trabalhamos com a concepção de que é o Estado que perde o perdão.





Por: CARMENLUCIA ANDRADE ALENCAR COELHO



AeroTASSO em Destaque - Carta aberta a Tasso Jereissati - Por: Hildeberto Aquino

SENADOR TASSO – Se “isso” (mandato legitimado pelo povo) a que se referiu não dá dinheiro e acarreta prejuízos (?), por que tanto altruísmo se as suas empresas lhe rendem mais e sem percalços? Por que se desgastar tanto já que afirma “dolorido” se pronunciar tentando esclarecer e amainar a delação de um jornal? Volte para a “terrinha” Senador, aqui você fez história. O Ceará, mesmo agora com o Cid e até a Luizianne, que fazem bons governos, lhe deve muito e ainda tem o que ganhar com a sua permanência. Aqui a sua honorabilidade inconteste (espero que ainda não abalada pelos maus costumes do Senado) ainda é preservada. Para alguns de nós, fidedignos eleitores como fui, o Tasso, mesmo com os olhos azuis, ainda inspira confiança. Os seus méritos nos períodos em que esteve à frente do governo e que mudaram, para melhor, a história do Ceará, ainda permanecem imutáveis, críticas à parte. Repare e volte a usar o seu “Aero-Tasso”, sem necessidade de fretamentos que complicam e nos doem nos bolsos. Agora, por favor, Senador, não peça para que não nos insurjamos ante os desmandos que assolam e denigrem o Senado, e que não são simples e debochadamente “ondas de denúncias”, pois assim calaremos o pouquinho de dignidade que nos resta.

Texto enviado por Hildeberto de Aquino
J. Hildeberto J. de AQUINO
Licenciado em Letras e Corretor de Imóveis




Edições Anteriores:

Abril ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30