xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 01/04/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

01 abril 2009

Os mortos da nossa felicidade - Por: Dr. José Flávio Vieira


Neste 31 de março faz exatos quarenta e cinco anos que se instalou a revolução militar no Brasil, com a deposição do presidente João Gullar. Uma plúmbea nuvem negra cobriu o Brasil por exatos 21 anos. Congresso fechado, cassações, censura prévia, perseguições políticas, tortura e morte de simples adversários do regime. Criaram-se o pânico e a paranóia. O saldo foi terrível : mais de 2000 civis mortos ou desaparecidos , pessoas presas sem qualquer acusação plausível, o aborto de muitas gerações de lideranças estudantis sob o domínio implacável do coturno e do fuzil. Sem falar num número incontável de mutilados física, mental e espiritualmente pela tortura. Como se dizia , na época, a partir de duas pessoas conversando a polícia já considerava concentração e , mais de três, passeata.
O regime de terror fez despertar na alma dos brasileiros sentimentos antagônicos e a população civil dividiu-se, rapidamente, entre subversivos, indiferentes e dedos-duros. Todos passaram a ser suspeitos de todos, mesmo com prova em contrário. Os que viveram aqueles tempos de chumbo percebem, claramente, o valor da liberdade e ,hoje, imersos na paz alcançada, já têm dificuldade de contar aos filhos os difíceis e espinhosos caminhos trilhados desde 1964.Armadilha do destino : os nossos maiores bens espirituais só mostram definitivamente seu valor quando os perdemos.
Com distanciamento , hoje, após tantos anos, é mais fácil se depreenderem algumas lições da ditadura. O culto da verdade única é uma falácia. Alguns dos nossos ilustres presos e perseguidos cratenses mostraram-se, com o tempo, grandes cidadãos brasileiros : Dr. Marcos Cunha, Valdenor Farias, Ernani Silva, Dr. Raimundo Bezerra, Luiz Cláudio (“Bola Sete”), Sílmia Sobreira, Seu Elói Teles, Dr. Welligton (Ton-Ton),Juvêncio Mariano e tantos outros. Para decepção dos nossos alcagüetes famosos, os comunistas cratenses não comiam criancinhas, apenas sonhavam com um idílico mundo onde os meninos pudessem se alimentar melhor. Depois , a censura apenas estimula a criatividade das pessoas e fica patente que é impossível exercê-la de modo efetivo. Nada de bom floresce sob a ditadura, é que partindo , logicamente, de premissas falsas , jamais ninguém se pode acercar da verdade.
Creio que foi Silvio Rodriguez que ,em uma das suas mais famosas canções, dando graças pela liberdade em que vive agradece àqueles que deram sua vida pela felicidade das outras gerações : “Los muertos de mi felicitá”. Após quatro décadas, imagino que seria importante lembrar aqueles nossos irmãos que , arriscando a vida , lutaram por um país melhor e mais justo. Abandonaram os lares, a comodidade da vida familiar, a vidinha previsível que todos nós levamos e partiram para a luta. Recordemos que hoje, quando falamos o que bem entendemos nas esquinas, quando reclamamos do governo na imprensa livremente, quando não temos a defesa cerceada, devemos muito a estes esquecidos e abnegados que sacrificaram anos de estudo, de vida profissional e tantos e tantos, a própria vida para que hoje a gente pudesse gozar de um benfazejo clima de liberdade.
Em Crato é preciso exaltar o nome de dois gigantes que honraram o nome dos nossos conterrâneos revolucionários de 1817. O primeiro, Aécio Gomes de Mattos, líder estudantil em Recife, preso nos anos 70 e que perdeu vários anos da Faculdade de Engenharia . Ainda hoje ele tem seu nome lembrado no Restaurante Universitário daquela Universidade. O outro : João Roberto Pinho, filho do Cel João de Pinho que já fora este prefeito em Crato. João Roberto integrava um dos Partidos proscritos pela pseudo-revolução e que teve pesadas baixas: o PCBR. João passou nove anos na clandestinidade, jogando para o alto toda a vida estudantil. Após a anistia fixou-se no Rio como artesão e vinha periodicamente ‘a terrinha. O destino lhe foi ingrato e já com os louros da liberdade conquistada faleceu, precocemente, ainda nos anos 80. O Crato esquece-o como fez com outros heróis verdadeiros. Em nome de toda minha geração, hoje, passados quarenta e cinco anos, agradeço a eles pelo inconformismo, pelas lições de que é preciso lutar por aquilo que se acredita e , mais, que para fazer nascer um mundo mais respirável e respeitável faz-se mister usar o fórceps.Obrigado, de coração, por terem trocado o sofrimento de vocês por nossa felicidade ! Lutaremos para ser dignos da liberdade que vocês nos ofertaram !

J. Flávio Vieira

Carta do Leitor - Amazônia para os Brasileiros !!!

Juazeiro do Norte-Ce, 01/04/09

Compatriota Dihelson Mendonça,

Honrosamente cumprimentando-o e parabenizando-o por tão magnífico trabalho abrilhantador do nosso Cariri(sou de Juazeiro), solicito, neste prazeiroso e patriótico momento, informações e parceria para realização do Fórum Nacional "Amazônia é dos Brasileiros!" na Câmara Municipal da cidade do Crato ou auditório da URCA, dia 22/04.

Registro que realizei ontem, dia 31/03, aqui, na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, a conferência "A Manipulação da Fraude do Aquecimento Global para Internacionalização da Amazônia Brasileira", com a presença do corpo docente e das turmas de Turismo e Segurança do Colégio Moreira de Sousa, e autoridades locais.

Respeitosamente,

Aguardo contato.

Cícero Dante Moreira
Diretor Geral do Fórum Nacional "Amazônia é dos Brasileiros!"
http://amazoniaedosbrasileiros.com.br/

Modernidade no Crato e a Visita do Rei - por José do Vale Pinheiro Feitosa

E vinha todo mundo numa avenida, acostumados ao estilo musical, baseados nos engenhos, vacarias e fábricas de algodão; algum comerciante fazendo apenas o mesmo, o modo de namorar, as orquestras de baile e os carros com um apito no cano de escapamento só para dizer que era carnaval. Isso sem contar uma amplificadora na sacada do Clube da Rapadura tocando a Ângela Maria com seu “e todos eles,/ estão errados,/ a lua é,/ é dos namorados”. Uma referência indireta ao início das viagens espaciais. Era a senha para o tombo, as rotas saíram da avenida principal e adquiririam ruelas, vilas, ruas alternativas como trilha de escolha.

Daí vem Jorge Ben e um Simonal com aqueles swings inovadores e uma letra de música muito doida: Chove Chuva /Chove sem parar...(2x) / Sacundim, sacundém /Imboró, congá /Dombim, dombém / Agouê, obá / Sacundim, sacundém /Imboró, congá/ O assunto é o Spunik, a Brasília de Juscelino, a indústria de automóveis e a bossa nova. A calça farwest chega para ficar. Para as mulheres também. Nascem os clubes no pé da serra e as Exposições viram um evento de classe média. Então o motor da luz era insuficiente para aquele mundo em progresso. Começa a campanha pela energia de Paulo Afonso e ela chega ampliando ainda mais as rotas de trânsito na média cidade interiorana.

Daí outra revolução. A cidade se enche de estrangeiros. Aviões fazendo levantamento topográfico. Especialistas nunca vistos na região: antropólogos, sociólogos, psicólogos, professores de línguas, engenheiros, arquitetos, economistas e assim uma rede de alunos da Califórnia em demanda de um projeto de industrialização para o Cariri. Os Brazilianist aportaram na região, lembro muito bem dos papos com Ralph della Cava na Siqueira Campos e aquele bigodão com as pontas esticadas. Havia um viajante alemão, um sujeito altíssimo, não sei o que representava, mas tinha um ódio político intenso contra os americanos. Adorávamos aquele papo, afinal éramos nacionalistas. Nem por isso deixávamos de debater como um fla x flu, as vantagens relativas da União Soviética e dos EUA na guerra fria.

A televisão aportara em Fortaleza e suas repercussões já ecoavam na Siqueira Campos. Alguns sucessos já eram comentados, como a série do Dr. Kildare. Tinha uma outra que fazia muito sucesso, na mesma linha com um médico de herói, só que descobriram que o tal ator era um americano com sobre nome Cavalcanti e como o Crato era o centro do universo mesmo, a matriz de todas as coisas, logo encontraram a árvore genealógica com os Cavalcantis da cidade. Sim um dia passou um mágico e fez espetaculares exibições de hipnotismo na quadra bicentenário. O assunto virou moda, pois o mágico permaneceu dando curso de hipnotismo para interessados. Era no Palace. Isso foi tão intenso que um dia durante a profundidade do debate hipnótico, o Cascatinha ficou em transe e tiveram que correr para chamar Antônio (?) o projetista do cine moderno para acordar o nosso amigo.

Pois foi nesta construção cultural que o ápice da era se deu. Um ápice fajuto, vá lá, mas ocorreu. Mobilizou a cidade. Todas as rodas falavam no assunto. Era a superação definitiva do isolamento da civilização. Significava a transformação industrial, tecnológica e científica do Crato. Tudo isso daria novo sentido às famílias tradicionais. Atrairia as mais altas autoridades nacionais para a cidade. Colégios seriam mobilizados para acenar bandeirinhas e marchar. As margens da estrada até o Aeroporto seriam completamente arrumadas, acabando com os buracos na via. A cidade se preparava para receber o Rei Balduíno da Bélgica. Viria com a rainha. E uma pequena corte.

Quem chegaria mais próximo ao rei? Era a primeira vez em carne e osso que todos veriam um rei. Agora imaginem a inveja que causaria em Juazeiro e o destaque que Crato teria no noticiário. Roupas, onde hospedar, e os banquetes? Quem prepararia as guloseimas, os doces e compotas? O banho, toalhas, tudo era pensado na perspectiva da inteira novidade, ninguém nunca hospedara um rei. E os discursos? Os convites para as cerimônias, onde levar o rei? Eram tantos os detalhes que no auge, tudo se frustra.

O rei Balduíno da Bélgica nunca esteve no Crato em carne e osso, mas que já esteve em preparo, lá isso esteve.


Por José do Vale Pinheiro Feitosa

O cão e o lobo - Por: Pedro Esmeraldo

Esta fábula ouvi no programa evangélico, narrado por um Pastor protestante, dizendo ele pertencer a La Fontaine, no inicio do século XXI, e passo a relata-la: Um cão, muito bonito e bem nutrido, certo dia resolve dar um passeio pela mata, a fim de vencer o stress. Apos andar bastante, casualmente encontrou um lobo faminto, rabugento e desnutrido que, em sua toca, ficou admirado diante da imponência do cão e, imediatamente, fez a seguinte pergunta:
- Camarada cão, o que você faz para ser tão bonito e bem nutrido, enquanto eu vivo faminto e, quando tenho sorte, encontro uma caça e sou obrigado a dividi-la com toda a alcatéia?
- Ah, camarada lobo, respondeu-lhe o cão: eu uso da minha inteligência. Faço acordo com o meu amo e ele me da desde o empregado para cuidar de mim até comida à vontade em troca de pouca coisa, ou seja, avisa-lo à noite quando aparece algo de estranho. Mas, se você quiser, falarei com o meu amo e ele passara a dispensar a você o mesmo tratamento que a mim é dado.
- Aceito, disse o lobo. Os dois saíram andando pelos caminhos ínvios da floresta. A certa altura, o lobo teve a iniciativa de olhar para o pescoço do cão e descobriu uma peladura que o deixou intrigado. Refletiu e, parando de andar, perguntou ao cão:
- Camarada cão, o que significa essa peladura no seu pescoço?
- Ah, camarada lobo, não é nada demais, respondeu o cão. É apenas a marca da corrente com que, a mando do meu amo, o meu mordomo, me amarra durante o dia, para impedir-me de entrar em contato com pessoas estranhas e adquirir amizades que venham a atrapalhar o meu serviço durante a noite. Mas, a gente se acostuma com isso e
o que interessa é viver tranqüilo e sem atropelos.
- Ah, camarada cão, retrucou o lobo. Prefiro viver faminto, rabugento e desnutrido do que suportar os grilhões do patrão. Despedindo-se, voltou para a sua toca.
Nessa fabula, vejo uma semelhança bastante interessante entre os políticos e o povo do Crato.
Enquanto os políticos cratenses, preguiçosos e acomodados, n5o reagem aos insultos e provocações e fraquejam diante de qualquer obstáculo, o povo do Crato, inerte, a tudo assiste, aceitando, de bom grado, todas as artimanhas políticas a que é submetido.
Por isso, diante desse comodismo de ambas as partes, deixo aqui o meu protesto, exortando os políticos a deixarem de lado o clientelismo e passarem a cumprir o dever de bem administrar a cidade, oferecendo ao povo ruas transitáveis, praças arborizadas, escolas de bom nível, hospitais e postos de atendimento médicos mais aparelhados e dotados de bons profissionais, além de áreas de lazer que permitam a prática de esportes, não descuidando de cobrar do governo estadual maior segurança para a população.
Por outro lado, exorto também a população cratense no sentido de cobrar dos seus políticos maior empenho no trato da coisa pública e abandonar por completo a prática da subserviência provocada pela dependência de empregos públicos.
A meu ver, somente com a união de todos, o Crato recuperará o lugar de destaque que sempre ocupou no cenário político, educacional e econômico do estado e que vem perdendo, ao longo dos tempos, para cidades circunvizinhas, por inércia dos seus políticos e apatia da sua população que, na sua maioria, vive de saudosismo, e vota em políticos de outras plagas em detrimento daqueles que, por serem cratenses, estão mais compromissados com os interesses da cidade.
Vamos mudar de atitude e conservar o objetivo comum que é o bem do Crato, pois podemos mudar o percurso dos rios, mas nunca o destino das águas.


Crato-Cc, 17.03.2009

POR PEDRO ESMERALDO


O Trem ... - Por Socorro Moreira



Acordava, quando ainda era madrugada.
Literalmente, corria para pegar o trem. Ficava lá na estação, curtindo uma madrugada friorenta, nos panos aflanelados.
Repetíamos muito essa aventura, em quase todos os feriados, quando íamos de trem para Ingazeiras (parada depois de Missão Velha), curtirmos uns dias, na fazenda de meus tios.
Depois, já dentro do trem, o dia começava a amanhecer... O tempo de viagem era lento, e ao mesmo tempo rápido... Não parávamos de cantar, comer, beber, paquerar, imaginar, sonhar...

"Sou feliz... No trem que parte para o interiorFeliz... Porque comigo vai o meu amor
E o trem só chega quando o dia amanhecer... Que noite linda vamos ter...”

Nas paradas intermediárias, ele nos apressava... Eu tinha muito medo de deixar meus pertences , ou não conseguir descer com o resto da família. Era realmente, uma hora de aprendizagem: Salve-se quem puder! Cada um por si, e Deus por todos!
As viagens mais longas eram enjoativas... Comíamos muita porcaria nas paradas, e também no restaurante do trem. Pra transitar entre as classes, o estômago tinha que estar deveras habilitado.
Engraçado é que, viajávamos com uma toalha enrolada no pescoço, uma lata com farofa de frango caipira, umas laranjas, e um saquinho de sequilhos ou um pão-de-ló perfumado de erva doce... Pronto, a festa estava completa!
No mais... Umas saudades chegando, e outras partindo. Alegrias encomendadas... Surpresas e tristezas inusitadas.
Um dia, eu fui embora do Crato... Quando voltei, a Estação de trem estava desativada. Não apitava, nem marcava as horas... Não vendia bilhetes, nem acolhia os trens... Acabara o sonho azul... Transferiram-no para os ônibus noturnos.
Queixam-se, os que abandonaram o trem...
- O trem nunca nos abandonou.. .De tamanha solidão , parou de fazer fumaça , virou sucata , mas nos aperreia de saudades !

Prevenção Faz Bem Para O Coração E A Alma - Por Luiz Cláudio Brito de Lima


Confesso que os meus 38 (trinta e oito) anos de vida – fato considerável se levarmos em conta que a expectativa de vida do brasileiro é em média de 72(setenta e dois) anos, isso quer dizer que falta-me somente menos de 50%, se chegar lá – não foram suficientes para assimilar, digerir , enfim compreender certas minúcias que acontecem em nossa existência. Pois bem, sabemos que a melhor maneira de se evitar um dano, é prevenir, inclusive adágio popular já diz “é melhor prevenir que remediar” , dessa forma, não se mostra razoável a meu ver, que diante de problemas na sua imensa maioria de conhecimento público e notório, continuem acontecendo entre nós e não seja tomada nenhuma providência para amenizar ou, o que seria ideal, evitá-lo. Vejamos de que forma se tentará expor, será feito aqui um esforço anormal para se obter tal êxito, espero alcançar.

Área da segurança pública. Assunto delicado, carecendo que sejam tomadas medidas em conjunto, sociedade e órgãos públicos , tudo com a finalidade de se “prevenir” e garantir a ordem e a moral. Todavia, não se tem mostrado eficiente os métodos utilizados, tanto o é que o nosso Pais continua sendo visto como um dos mais violentos do mundo, a metodologia empregada para coibir essas ações, a que tudo indica estão superadas. E nesse ponto é interessante notar o seguinte, qual a cidade brasileira que não tem conhecimento de um determinado local onde a incidência de algum tipo de delito ocorre com freqüência? Penso que dificilmente se encontrará um cidadão, por mais simples que seja, que não aponte um ou vários locais dessa natureza, inclusive a própria mídia faz esse trabalho, “dedurando” esses pontos. Entretanto, fica a dúvida: porque não agir justamente nesses locais, ou começar? A policia, quando registra uma ocorrência torna-se, indiscutivelmente, conhecedora do (s) local(s) de maior incidência, então, porque continuam acontecendo?

Transporte público. Outro tema instigante. Qual a cidade de grande porte que não padece desse mal? A quantidade de meios de transportes em massa é infinitamente menor que o numero de habitantes. E porque? Como é possível, ao contratar uma determinada empresa, concedendo-a poderes para falar e agir em nome da administração publica, não atentar para esse detalhe? Não seria importante – para não dizer essencial – analisar minuciosamente a empresa candidata com o espeque de verificar se ela conseguirá cumprir a contento as suas obrigações?Alguns dirão aqui que ela se submeteu a um processo de licitação e como tal estava em condições, sei não.... Quando se fala em transporte público, seria interessante investir não somente em veículos, avenidas, etc, porém, um planejamento que possibilitasse ao trabalhador deslocar-se de sua residência até o trabalho, a pé. Ou seja, a construção de pontos de trabalho próximo a residência do trabalhador, estaríamos dessa forma contribuindo para obtenção de três fatores essenciais, quais sejam: menos estresses do trabalhador, um meio ambiente menos poluído e diminuição das despesas publicas.

Saúde. Tema que “dói” , afligindo um percentual assustador da população. Em pesquisa recente, constatou-se que o grande dilema do brasileiro é a saúde. Não sou profissional da área, nem pretendo expender dados técnicos, entretanto acredito não ser necessário para expressar minhas preocupações. A nossa política voltada à saúde é aquela arraigada no velho entendimento de que só devemos procurar ajudar especializada quando estivermos “morrendo”, logicamente não generalizo, alguns profissionais trabalham essa questão de forma diferente, buscam a prevenção como forma de solução, e na maioria das vezes, são felizes. Todavia, entendo que construir hospitais, não significa preocupar-se com a saúde, o verdadeiro cuidado esta na prevenção, no cuidado, na advertência, nas campanhas eficientes. Nesse ponto a população é uma co-parceira desse empreendimento, pois quando insistimos, por exemplo, em exagerar no sal, no açúcar para nossos pequenos filhos, ou quando o ente público compra merenda escolar na mesma toada, isto é inadequada, estamos plantando ai doença, diminuindo a expectativa de vida, aumentando a possibilidade de maiores gastos do governo, sem esquecer aumentando os índices de mortalidade no Pais, daí a necessidade desses setores intensificarem esse tipo de campanha, não de forma superficial e longe de atingir a uma grande parcela da população, com é feito atualmente.

Com essas considerações, que passam longe de cientificas ou até intelectuais, registro a minha modesta opinião, deixando para aqueles que dominam o assunto apresentar a nós outros, alternativas de colocarmos em prática formas de alongar a nossa existência nesse mundo de meu DEUS, permitindo que as idéias floresçam não depois do problema enraizado, não acredito ser eficiente – apesar de ajudar um pouco – medidas tomadas, ou prometidas, depois do caos implantado, da guerra instalada, devemos estar atentos a tudo e a todos, evitando assim que sejam necessárias intervenções bruscas, antipáticas e, muitas vezes, paliativas, a meu ver é melhor “fechar a cacimba do que depois resgatar o desavisado no seu interior”. Sorte e paz a todos.

Por Luiz Cláudio Brito de Lima

A viagem - (a José do Vale) - Por Claude Bloc


A estação de repente ficou vazia
O apito do trem se extinguiu no espaço
O mundo logo pareceu pequeno
Naquela janela de ferro e de aço
Tudo é passagem, tudo é nostalgia
No semblante doce, na feição serena
De quem fica, em terra, à sombra da alegria...

Os dias passam: contagem regressiva
O caminho é longo
O Crato é bem ali...
Nos trilhos antigos,
ficam
as saudades
...as retas
......as curvas
...as voltas
......os canaviais
que não mais veremos, além da memória
nesse percurso rumo ao sonho, rumo ao passado...

A estação agora tem cheiro de café
A vida passou e o trem saiu do trilho
Somos mutantes
...Somos passageiros
......Somos nuvens
.........Somos fumaça
E por não saber decifrar o mapa
Tantas vezes nos perderemos no trajeto.

A estação ficou e nós passamos
Como se passa uma primavera
E detectamos ao chegar mais perto
Que nada se perde ao voltar
à serra
...à terra
aos cheiros
...à estrada
Sempre há de se encontrar
...................... a magia pronta e certa...


Escuta, ouve, é o apito de mais uma partida
Partiremos para novos lugares
sem roteiros
... sem destino
...... sem poente ou nascente
A direção é a saudade
O maquinista será o tempo
Na plataforma da nossa história...

Não se canse
não desista
...se cansar, acene,
O trem não te deixará
Não hesite,
Não erre o percurso
A viagem prossegue
no vagão de primeira classe.

Por Claude Bloc

"Regionalismo Zarolho" (Final) - Por: José Nilton Mariano Saraiva

Aos adeptos e defensores da estéril e romântica tese “conurbatória”, ou seja, que o que estaria a ocorrer na área do triângulo Crato-Juazeiro-Barbalha seria uma simplória e inofensiva conurbação urbana; aos que advogam que os cratenses e demais habitantes da Região do Cariri não devem se preocupar com o privilegiamento da escolha de Juazeiro do Norte para receptor primeiro e único dos investimentos econômicos resultantes de projetos diversos na Região do Cariri por parte do governo e iniciativa privada; aos que acham que independentemente da escolha e consolidação de um só pólo desenvolvimentista regional centrado numa delimitada área, todos ganham com isso, vez que seus benefícios espraiar-se-ão por todo o Vale do Cariri; enfim, àqueles partidários da lunática tese de que o componente econômico deva ser deixado de lado, relegado ao ostracismo, vamos aos números envolvendo Crato-Juazeiro:

01) Produto Interno Bruto-PIB (Ipece, 2005)
a) Juazeiro do Norte – R$ 930.343.000,00
b) Crato – R$ 459.764.000,00
Variação Percentual A/B: 102,35%

02) Transferências do Fundo de Participação dos Municípios-FPM (IBGE, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 48.288.002,92
b) Crato – R$ 20.544.702,27
Variação Percentual A/B: 135,04%

03) Receita Orçamentária do Município-ROM (Ipece, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 142.500.394,84
b) Crato – R$ 82.105.707,05
Variação Percentual A/B: 73,55%.

04) ICMS (Ipece, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 14.721.788,82
b) Crato – R$ 9.137.815,58
Variação Percentual A/B: 61,10%

05) Transferências do FUNDEF (Ministério da Educação, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 33.004.128,13
b) Crato – R$ 13.441.422,28
Variação Percentual A/B: 145,54%

06) Benefícios pagos pela Previdência Social (MPS, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 153.895.403,40
b) Crato – R$ 92.681.789,99
Variação Percentual A/B: 66,04%

07) Despesa Orçamentária do Município-DOM (Ipece, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 146.579.485,85
b) Crato – R$ 78.931.815,81
Variação Percentual A/B: 85,70%

08) Despesas com Pessoal (Ipece, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 63.662.967,95
b) Crato – R$ 31.887.703,69
Variação Percentual A/B: 99,65%

09) Receitas Tributárias (Ipece, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 8.699.008,98
b) Crato – R$ 3.185.012,34
Variação Percentual A/B: 173,12%

10) Despesas de Investimentos (Ipece, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 16.185.609,73
b) Crato – R$ 3.613.342,89
Variação Percetual A/B: 347,94%

11) Transferências do Bolsa Família (MDS, 2007)
a) Juazeiro do Norte – R$ 17.476.524,00
b) Crato – R$ 9.585.436,00
Variação Percentual A/B: 82,32%

***********************************

Esquentaram a cabeça com tantos números ???
Relaxem ouvindo “Verdade Chinesa”, com Emilio Santiago (a última frase lá contida aplica-se a todos nós).
Querem saber qual é ??? Vão lá, deixem de acomodação !!!

Fonte: Órgãos citados – Postagem: José Nilton Mariano Saraiva

Numa fresta da floresta - Por : Socorro Moreira


Somos locomotivas. Varamos o Planeta com ou sem vagões. Desencarquilhados na vida, adentramos matas virgem, seguros por nossas mãos.
Não escuto as “midis”, cuidadosamente escolhidas. Escuto o trinar dos pássaros, e o farfalhar do vento nas folhas secas. Pequenos insetos, já não me ameaçam... Até emocionam-me !

Na clareira, peço à máquina que emperre. Pulemos!
Aqui imagino desvendar nossos mistérios.
Sem falas... Você de safári, olhar juvenil, percorrendo as minhas alças.
Blusa velhinha adquirida numa remarcação, ano passado. Um tanto tímida, ou absurdamente intimidada, passo as mãos nos cabelos, no rosto, nos seios.
Aspiro e sinto o cheiro dos eucaliptos. Cheiro do ar desinfetado, puro, despoluído. O melhor cheiro do mundo vem mesmo de uma fêmea única: a natureza!
Gravetos... Nem preciso catá-los, nem conta-los... Faz parte do cenário. Tão secos...!
Risco e incendeio. Vejo a peleja do fogo no arder e apagar , intermitente.
Senta, e aperta os meus olhos nos teus... Mãos trocam de liberdade com os olhos. Elas no seu exercício pleno, aquietam e incitam.
Escuto o som das águas próximas. Respiro-as, inalo-as, como um ato de renascimento.
Você encara-me de um jeito bobo... É a pureza de todo espanto, quando mira o novo.
Sem palavras, sem papel, sem telas, e sem pincel.
Foi assim... É assim que nos lembrávamos-nos!
E esse rosto de rapaz afogueado?
E essa cara de menina enclausurada?
Aqui estamos... Enfiam, numa fresta da floresta!
Pingo de lua molha a nossa entrega. Teus braços me cercam. Colo-me à alma que meu corpo espera.
E nesse transe amoroso, sinto a música da tua vida, tocando em mim!

Em Primeira Mão - Governador convida Samuel Araripe e Ely Aguiar para assuntos de interesse do Crato


DESTAQUE:

Governador Reune-se com Samuel Araripe e Ely Aguiar. Unidos pelo Crato.

encontro samuel araripe cid gomes e Ely Aguiar

O Governador Cid Gomes esteve reunido na tarde da última terça-feira, dia 31 de março, com o Sr. Prefeito do Crato Samuel Araripe, além do Deputado estadual Ely Aguiar. Na pauta foram tratados assuntos de interesse do Crato, tais como: A construção do Centro de Convenções, habitação popular, segurança pública, ampliação da rede estadual de ensino e outros pontos importantes, dentro do cronograma de governo estadual para a região do Cariri. Todavia, um dos pontos principais, segundo afirma o Dep. Ely Aguiar, foi com relação ao incentivo e desenvolvimento do turismo religioso na região do Cariri. Na oportunidade, o governador Cid Gomes assegurou total apoio ao Projeto de Fátima, que prevê a construção de um monumento à Nossa Senhora de Fátima, na cidade do Crato, o qual, Ely Aguiar considera ponto de vital importância para acelerar ainda mais o crescimento do Crato. O projeto visa assegurar centenas de empregos diretos e indiretos, levando-se em conta que o turismo religioso é também fonte de renda, gerador de empregos e que tem promovido o desenvovimento de muitas cidades do Brasil e do Mundo.

Por: Dihelson Mendonça
www.blogdocrato.com


Programação Olhar Casa das Artes


Segundas-Feiras
Cinema Lumiére
A partir das 21h
Entrada Franca

Maiores informações: olharcasadasartes.blogspot.com

Artistas e estudantes se mobilizam para criação do CUCA no Cariri





No Cariri será criado o Centro (Circuito) Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes – CUCA da UNE, na verdade os CUCA´s tratam-se de coletivo de artistas e estudantes universitários que discutem e promovem ações que tem como intuito viabilizar a troca de experiência das manifestações artísticas e culturais desenvolvidas dentro e fora das universidades. Outro aspecto importante é o intercâmbio e a circulação nacional da produção de cada CUCA. O Instituto Cuca atualmente é Pontão de Cultura do Programa Cultura Viva do Minc. O Instituto também mantém o PIA – Programa de Interferência Ambiental, o qual funciona como rede-coletivo de intervenções urbanas, do qual o Coletivo Camaradas, tendo inclusive participando da 6º Bienal da UNE, no início deste ano em Salvador-BA.Na Região do Cariri, a UNE vem mantendo contatos com artistas e estudantes desde 2008 para criação de um CUCA, tendo inclusive mantido contatos com a Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Regional do Cariri. Na oportunidade, a Pró-reitoria de Extensão, Arlene Pessoa se prontificou para ajudar na instalação do CUCA, tendo inclusive discutido a possibilidade de criação de um cine-clube, no Parque de Exposições aonde funciona o estande da URCA.Nesta próxima sexta-feira, dia 03 de abril, a partir das 9h00, na Sala de Vídeo da Universidade Regional do Cariri será realizada uma reunião para discutir os rumos do CUCA na Região. A Comissão Pró-Criação do CUCA enfatiza que a reunião é aberta para artistas, grupos de reisados, companhias de dança e de teatro, coletivos, poetas, cineastas e estudantes das universidades e faculdades públicas e privadas da região do Cariri.Serviço: Instituto Cuca da UNEBlog: www.cucadaune.blogspot.com

APELO DE UM FILHO PARA KECINHA LEMOS

APELO DE UM FILHO PARA (KECINHA LEMOS)

quem sou eu: MARKIM ROLIM

Venho por meio desta, relatar o drama de minha família e pedir a ajuda deste reconhecido veículo de comunicação. Bem, minha mãe, Luciclécia Lemos Felicio Rolim, conhecida como Kecinha, recentemente foi acometida por uma enfermidade, constatando a presença de um tumor, próximo ao rim direito, cujo acesso é muito difícil, necessitando de cirurgia em caráter urgente e vital. Para podermos fazer tal operação necessitamos de um elevado valor em dinheiro, mais de 45 mil reais...

Diante desta tragédia familiar, colocamos todos nossos bens a venda, porém estes não chegam a cobrir todas as despesas, assim procuramos realizar uma campanha com a intenção de arrecadar fundos para cobrir as despesas deste procedimento médico, que não custa menos de 45 mil reais e o pós-operatório que, com certeza irá incluir um período de UTI, que tem uma diária de valor proibitivo. Tal campanha consiste na venda de camisetas com os dizeres: “Solidariedade, eu visto esta camisa. E você?” pelo valor mínimo de 10 reais, podendo, entretanto, a pessoa paga um valor superior se preferir, para fazer uma doação mais substancial. E também estaremos divulgando a nossa conta bancária para quem quiser fazer algum depósito, qualquer valor é válido e recebido com muita emoção.
As camisas podem ser adquiridas na loja Kecinha, localizada na Rua 21 de junho 984 salas 11 e 12, em frente ao Colégio Pequeno Príncipe ou pedidas pelo email, markimrolim@hotmail.com. E o número de nossa conta no banco:
BRADESCO
Em nome de: Mellyne de Fátima Felicio Rolim
Ag. 771-4 Cc. 4281-1
Desde já agradecemos o apoio de vocês, neste momento de provação pelo qual passa nossa família.

Espetáculo do Palco Giratório nos Sesc's Crato e Juazeiro

Palco Giratório 2009
Apresenta:
"De malas Prontas"

01-04-2009
Reunião, próximo dia 03, irá consolidar regulamento do Aterro Consorciado

No próximo dia 03 de abril acontecerá em Crato mais uma reunião, contando com a presença de autoridades dos municípios inseridos no projeto do Aterro Consorciado. A finalidade do encontro é consolidar o regulamento interno do Consórcio, considerado pelo prefeito Samuel Araripe, presidente eleito por unanimidade pelos prefeitos dos municípios que compõem o projeto, um dos grandes avanços nas políticas públicas voltadas para o meio ambiente. O local da reunião ainda não foi divulgado. Com mais esse passo, no desenvolvimento do projeto, se obtém mais um avanço na consolidação deste importante empreendimento, com investimentos significativos para os 10 municípios que farão parte do aterro consorciado. O município de Missão Velha passou a compor o quadro dos municípios que estão inseridos no projeto. Na reunião anterior, no último dia 18 de março, foi eleito o Conselho Fiscal, composto por integrantes do legislativo dos municípios inseridos no consórcio e definida verba de custeio para cada integrante, no valor de R$ 300, 00 mensais para manutenção de escritórios em suas respectivas cidades, durante os 12 primeiros meses de implantação do aterro consorciado.

Secretária de Ação Social se propõe a melhorar Políticas Públicas para o idoso no Crato

A secretária de Ação Social, Liduína Andrade, juntamente com a equipe técnica dos Centros de Referência da Assistência Social- CRAS estão participando em Fortaleza desde o último dia 30, finalizando hoje, de uma capacitação sobre Políticas Publicas para os Idosos. Segundo a Secretária, o objetivo primordial desse treinamento é implantar de forma coerente e eficaz políticas de melhorias na qualidade de vida do idoso no município do Crato.
Governo do Crato em parceria com URCA promove I Encontro “Informar é Direito!”

O Governo Municipal do Crato e a Secretaria de Ação Social, através do Centro de Referência da Assistência Social – CRAS/Seminário convidam toda a comunidade interessada a participar do I ENCONTRO: Informar é Direito!”Com o tema “Pensão Alimentícia: quem tem direito?” em parceria com o Balcão de Promoção de Direitos Humanos e Defesa da Cidadania (URCA/FUNDETEC). O encontro acontecerá no CRAS – Seminário, situado à Rua Padre Lemos, Nº 106 (em frente à Praça Dona Ceicinha), amanhã, dia 02 de Abril, às 14 horas. Segundo a psicóloga Ana Hirlene Correia, Coordenadora do CRAS Seminário, é imprescindível a participação da comunidade nesse evento, pois as informações repassadas no encontro serão de grande relevância.
Equipe da Cultura debate qualificação para o desempenho das atividades

Funcionários que fazem parte da Secretaria da Cultura, Esporte e Juventude se reuniram no Auditório da RFFSA nos dias 30 e 31 de março, para discutir assuntos voltados ao melhoramento dos trabalhos que são de responsabilidade desta Secretaria. O encontro foi mediado pela Secretária Danielle Esmeraldo e contou com a presença do Presidente da Fundação J. de Figueiredo, George Macário, da Primeira-Dama, Mônica Araripe, e dos funcionários do Museu, Bibliotecas, Teatro Municipal e segmentos ligados à Secretaria da Cultura. O encontro teve como objetivo, tratar de assuntos relacionados à Ètica Profissional, Trabalho em Equipe, Responsabilidade e Compromisso e Harmonia no Trabalho.

Cultura integrada é debatida por secretários do Crajubar

A Secretária da Cultura, Esporte e Juventude, Danielle Esmeraldo, se reuniu ontem, dia 31, com o Secretário de Cultura e Turismo de Barbalha, Dorivan Amaro dos Santos, e com a Secretária de Cultura de Juazeiro do Norte, Professora Glória Tavares, para tratar de assuntos relacionados ao fomento da Cultura em nossa Região. Na reunião foram abordados diversos projetos em comum que podem ser desenvolvidos com as cidades, através de um estreitamento dos laços institucionais. O principal objetivo é propiciar benefícios cada vez maiores em prol da Cultura regional.

Fonte:
Assessoria de Imprensa

Governo Municipal do Crato
Crato (CE) 1º de Abril de 2009
Fone/Fax - (88) 3521.7069
Mais informações:

http://www.prefeituramunicipaldocrato.blogspot.com/


Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31