xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 24/03/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - VÍDEO DE LANÇAMENTO - Em breve, as novas transmissões TV Chapada do Araripe. Espero que curtam o vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 24.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

24 março 2009

Cria Minha - Novo CD de Pachelly Jamacaru - Por : Socorro Moreira




Músicas que compõem um CD são telas prontas de sentimentos, querendo preferências, escolhas, encontros... A galeria que o Pachelly apresenta...É arte, em partes!
Adotei de cara, “Nuvens de Algodão” ( Pachelly e Carlos Nóbrega).
Nuvens quentes com sementes...
De pesadas intenções .
Meu sonho acordado...
Tocado por tuas mãos .
Meu amor é de miçanga ,
de fantasia, latão...
Só quer ser na tua vida,
uma nuvem de algodão!
Escolhi “Xotezazeando” ( Pachelly e Edésio Batista) para dançar pelos caminhos, corredores, e salões...
”A Manga” ( Pachelly e Everardo Norões) é a canção do meu gosto. Tem a insulina da vida. Fala nos jardins - pomares, e quase descamba para uma ciranda, na Ilha .
Paralelas” – ( Pachelly e Dandinha Vilar )
Amores que não se encontram, nem se perdem. Como uns dos nossos.
Dandinha Vilar sabe mesmo fazer poesia. Sua obra aflora como rosa, como prosa... Ela é cria do Lameiro. Seriguela madura. Poesia na boca da gente...
“A Verdade e a Mentira” (Pachelly e Patativa do Assaré) ... Filosofia dualística!
A verdade é frutiqueira, perseguidora, prepotente, e às vezes invisível...
Enquanto tudo fica quente, a verdade fica fria.
O sermão” (Pachelly e Zé Flávio ) do Vieira.
Milton também o cantaria
Dom Hélder o rezaria
E a gente, depois de ouvi-lo,
Convertido viveria.
Negociar com a morte...
Precisa provar,
que a vida é valiosa!
Pedras de Rio”... (Pachelly Jamacaru)
Banhar o nu
Deixar o sujo, longe de lá.
Fascinam-me os rios profundos
Mas só encaro rios rasos...
Molho os pés, e salvo a alma!
Outros Maios” (Pachelly e Abidoral Jamacaru)
Outros... Todos os meses
Outras festas de S.José
Outros Natais
Muitos encontros na Aurora
Se agora não é hora ...Amanhã talvez será !
“Sinais Sutis” -(Pachelly Jamacaru)
Melodia deliciosa!
Sinais são alarmes...
Em se tratando de amor,
a gente atravessa no vermelho, e ama no verde!
Pachelly, nesta composição, veste-se de Cupido... Literalmente!
“Sagrado Coração” – (Pachelly Jamacaru)
Cantiga das caatingas.
Mato brejeiro... Seu cheiro é menina!
Lampejos de amor, no terreiro...
O Diário” – (Pachelly Jamacaru)
“Publique Baby, o diário desse amor...”
O mal amado por si, não tem a compreensão amorosa.
Lutemos por uma guerra justa: O ser feliz com amor!
Anjo errante” –( Pachelly e João Nicodemos)
Uau!Um Rap, um Blue...
O moderno tirando do passado,
“O índico blue”.
Anjo errante... Protótipo de toda gente.
É o encontrar-se no futuro!
A Mocidade” – (Pachelly e Abidoral Jamacaru)
Tudo... Pouco tempo tem
O pensar... Muito tempo fica
O amor... Em todo tempo há!
Limite” – (Pachelly e Luiz carlos Salatiel)
Vestiu roupa nova, e ficou deslumbrante!
O Tempo foi deixando Pachelly mais belo!
Viajei, no piano do Dihelson... Vibrei com os arranjos, e o belíssimo desempenho de todos os músicos : Dihelson , João Neto , Demontier , Saul Brito , Di Freitas , Hugo Linard , Jairo Starkei ,Aminadab ... Todos feras !
Vou escutá-lo outras vezes. Vou ouvi-lo sempre:“ Cria Minha " !
Parabéns, grande Pachelly Jamacaru !
Socorro Moreira

O JOGO DE TODOS OS ERROS


(ou Insight tardio de um político numa cidade do interior do Brasil)
Por: Luiz Carlos Salatiel
Parte 1

Dr. Totonho, como agora era chamado Antônio de Manu, pai de família zeloso, católico praticante, político carismático, etc. e tal, já passara dos setenta anos, mas fazia questão de manter a fama de garanhão que cultivou desde os tempos juvenis. O motel Shangri-lá, entocado num pé de serra, era o palco ideal para as suas proezas nessas noites de luxúria como aquela, - mesmo que fosse agora à custa da maravilha azul que eram os comprimidos de muitas marcas, modelos e nacionalidades, conseguidos gratuitamente por seu secretário de assuntos aleatórios, Zé Priquitim - quando esperava ansioso acordar da dormência “o majestoso” ao fitar com desejo animal uma putinha fuleira que nua saracoteava os quadris de frente ao espelho, numa grotesca “dança do ventre” embalada pela voz gasguita da croonner de uma banda de forró eletrônica. Foi no instante em que “a coisa” começou a dar sinal de vida que a musiqueta chata e inconveniente do celular disparou no meio da noite. De um pinote só, Dr. Totonho alcançou o telefone na cabeceira da cama redonda e... - Alô! Alô! – atendeu apreensivo. Do outro lado da linha a voz fanhosa de Zé Priquitim vaticinou: - O governador amarelou! O garanhão emudeceu. Não quis mais ouvir nada e com violência arremessou o aparelhinho contra uma das paredes espelhadas. - Puta que o pariu! Aquele veado foi pro lado de lá! Filho da puta! – esbravejava. De uma só golada esvaziou o copo de Campari que se encontrava na outra mão. Respirou fundo. Quis organizar os pensamentos. Contudo, o mal estar causado pela notícia embaralhava a cabeça de cima e murchava a de baixo. Desesperado, formulou conjecturas em busca de respostas: Onde foi que eu errei? – questionava. Obedecera com pragmatismo a cartilha do marqueteiro importado da capital e contratado a peso de ouro durante toda a campanha que findara na última quinta-feira e não enxergava nenhum furo de sua parte. Onde? – se perguntava. Hoje é sábado e a eleição será amanhã, domingo, porra! Não havia mais tempo para mudar um quadro que ora parecia não favorecê-lo. A última pesquisa divulgada pela imprensa local indicava um empate técnico com Zequinha das Latas na disputa para o cargo de prefeito daquela cidade de porte médio no interior do Nordeste. Ele queria ser reeleito! Tinha a prefeitura na mão e isso já era uma vantagem grande! Agora, o Governador, que podia ficar quieto na sua casa rosada, pendeu pro lado de lá! Fudeu tudo! - resmungava. Sabia que os malotes com o dinheiro da Capital agora iriam para a casa do seu oponente mais direto, o que conferia a Zequinha das Panelas uma real vantagem na compra de votos dos “indecisos”. Impaciente, deu voz de comando pra rapariga: - Se vista rápido, mulher! Perdi o tesão! Rapidamente pagou a conta e saiu do motel, desovando a guenga bem perto da churrascaria onde ela fazia ponto, para que não perdesse totalmente a noite.

Parte 2

Dr. Totonho procurou o rumo de casa e lá chegou silencioso, sorumbático. Apaziguou os cães que guardavam um casarão enorme de muros e cercas elétricas, com muitas suítes, piscina, ampla área verde e outros espaços agradáveis que em tempos idos eram preenchidos com o sorriso dos filhos pequenos, familiares e amigos sinceros – sem os bajuladores - e que agora abrigava somente ele, a esposa beata, uma velha negra herdada da mãe que cuidava de tudo e, mais, um jovem caseiro dedicado aos serviços do jardim, mandados e outros afazeres domésticos. Encafifado, caminhou na direção do escritório/biblioteca e lá se afundou confortável numa cadeira. Em seguida, escarafunchou todas as gavetas da escrivaninha até encontrar a agenda com as anotações que delinearam o projeto político de sua campanha e, com esmero, refez todos os passos daquela que agora lhe parecia fadada a derrota, mesmo repetindo o mesmo cardápio da campanha vitoriosa de quatro anos atrás: associar-se a empresários corruptos para o financiamento da campanha; comprar por trinta dinheiros os vereadores do lado opositor; nos comícios, nos programas de rádio e na TV, pasteurizar seu discurso para um socialismo de “boutique” e chamar de “companheiro” tudo que era aliado; espezinhar as lideranças das associações de bairro e da zona rural que reivindicassem saneamento, saúde e transporte escolar; escamotear as estatísticas que denunciassem o caos na saúde do município; ignorar os apelos para trazer qualquer indústria ou empresa que gerasse emprego e renda para os milhares de desempregados que lotavam as praças de pedra e cimento que impostas aos bairros, com orçamento superfaturado, visando à sobra de recursos para a sua campanha; não tomar conhecimento de verbas do Governo Federal que financiassem a baixo custo a construção de casas populares; enxotar e ameaçar os que nas ruas ousassem denunciar as falcatruas de sua gestão e, ainda, se possível, comprar o silêncio dos repórteres/jornalistas/radialistas que na imprensa falada e escrita influenciavam diretamente a opinião pública; fazer ouvido de mercador para as denúncias da representação de mulheres vítimas de violência; apadrinhar casamentos e batizados; arrematar tudo quanto era de prendas nas quermesses e leilões das festas de padroeiros de todos os bairros da cidade; acompanhar o maior número possível de procissões dos santos católicos e (na surdina)até assistir a cultos evangélicos; montar um blog na internet para popularizar sua imagem e, golpe final, como ponto alto de sua administração, mesmo sob protestos dos ambientalistas de carteirinha, asfaltar toda a cidade, sem se importar com a elevação da temperatura ambiente em 2º graus C. Entretanto, sabia, este era o mesmo catecismo de reza do Zeca das Panelas, o bicheiro, que agora estava a receber as benesses do apoio governamental do Estado e não ele, Totonho de Manu, que não era nenhum abestado porque desde o início da campanha já panfletava seus “ santinhos” com pose risonha ao lado do Presidente da República, mais popular que o óleo de pequi nas feiras do Cariri cearense. Então, concluía: a disputa ainda estava pau a pau ou voto a voto! E, como bem dizia Zé Priquitim: não havia diferença alguma entre ele o Zeca das Panelas! Eram os dois farinha do mesmo saco!
Parte 3
Dr. Totonho pegou o telefone e, mesmo de madrugada, discou o número do secretário que, surpreendentemente, tinha se escafedido. Discou outro número e chamou um táxi. Incógnito, no banco traseiro do carro com vidros fume, percorreu todos os bairros da cidade que pareciam viver uma esplendorosa noite de Natal com todas as pessoas a espera de Papai Noel! Carros e motos transitavam freneticamente, distribuindo aos munícipes pacotes embalados para presente, caixas de fósforos com dinheiro, cestas básicas, medicação tarja preta e outras drogas psicotrópicas, etc. e tal. Esse frisson só amenizava quando um carro da polícia federal ensaiava uma repressão de araque! Viu com os próprios olhos que a terra um dia haverão de comer o que não queria ver: todos os seus “aliados” e adversários estavam ali numa gangue em torno do mesmo projeto de corrupção em busca do poder a todo custo. Com alguma tristeza e uma revolta contida pediu ao motorista que o conduzisse de volta para casa. Melancólico, ao atravessar o salão de visitas foi surpreendido por seu olhar que descobriu muitas fotos que adornavam as paredes da sala e, particularmente, não se reconheceu naquele portrait, pintado a óleo por uma artista local, onde aparecia como um empresário de sucesso, homem íntegro, sagrado maçom, rotariano diplomado, benfeitor do abrigo de idosos, um estranho. Qual o momento crucial que determinou aquela transformação de homem bom para o calhorda em que se transformara? - refletia. Águas passadas não movem moinho e pra frente é que se anda, homem! – o demônio sussurrava ao seu ouvido. Desviou o olhar e encontrou na mesinha do centro da sala a revista que o obrigaram a assinar para não ficar de todo alheio ao que se passava no mundo da política fora da sua paróquia. Arregalou bem os olhos para a reportagem de capa da revista e, arretado, vociferou: Por que diabos aquele marqueteiro filho de uma égua não pensou nisso, também! Afinal, se em Brasília, ninho de todos os políticos de sucesso, é a última moda para o presidente, a primeira ministra, deputados de todos os escândalos (mala, cueca, mensalão), aqui neste Sertão de meu Deus podia ter feito toda a diferença. Aguarde-me, Brasília! Na próxima eleição para Deputado Federal não vou dispensar esse tal de botox!
(Com a euforia, o “mastro” de Dr. Totonho pulsou pujante e despertou de sua latência. Sem vacilar, cheio de tesão e amor pra dar, procurou o quarto da esposa beata que com estranheza notou a presença do marido na cama mas, depois, ficou envaidecida e grata pela preferência.)
(qualquer semelhança com pessoas vivas ou mortas terá sido mera coincidência)

EDUCAÇÃO E CORONELISMO

Amigos leitores, achei interessante postar este texto, porque o mesmo apesar de tratar da realidade da educação e de uma IES do Estado de São Paulo, nos permite fazer um paralelo com o que vêm acontecendo aqui no Ceará, e principalmente no Crato. Se você substituir as localidade pelo Crato, os atores e a IES, você se sentirá realmente no Crato.
Afinal, o que é Educação? Podemos discernir uma breve definição que dará conta do que pretendemos dizer neste pequeno artigo. Educação é um processo que – através da assimilação de conhecimentos sistematizados, a partir da aferição junto aos anseios da comunidade – objetiva a formação de cidadãos conscientes e participativos que se voltam para a mesma comunidade e, num processo dialético constante, explicitam as contradições da realidade, revendo aqueles conhecimentos e contribuindo para a formação de uma sociedade mais justa e um ser humano mais acabado, isto é, pessoas que saibam conviver com a incompletude, eternamente aprendendo, transcendendo e se realizando na tensão indivíduo/coletividade, como Homens Integrais e plenos de consciência e vitalidade. Dissemos quase tudo nesta breve síntese? Seria melhor enfatizar um ingrediente fundamental: a felicidade. Sim, a Educação deve servir para atingirmos um estágio superior que só se revelará como tal na superação das nossas contradições e, pelo menos, das carências básicas. Felicidade é/implica (processo e produto) superação e transcendência.
Deveríamos, de fato, às portas do terceiro milênio, ter superado muita coisa, como fizeram outras nações. No entanto, apesar de sermos a quinta economia mundial, convivemos com a miséria, uma enorme massa de excluídos, deseducados, escandalosas discrepâncias sociais, corrupção institucionalizada etc., etc. Falhamos, não é verdade? Somos uma nação de terceira categoria? Somos gentinha ordinária que merece os governantes corruptos que se sucedem no poder? Ao contrário, prefiro entender a realidade como um processo histórico e ideológico que pode ser superado. Temos, de fato, no nosso passado, a reiteração de elites retrógradas que encontraram em terras brasílicas um clima favorável para vicejar: a índole pacífica e conformada do povo brasileiro, do homem que sorri apesar de irrealizado, como observou Mário de Andrade.
Nossas especificidades nacionais mantiveram vivas as velhas oligarquias, sobreviventes em metamorfoses camaleônicas (apesar da pós-modernidade e da sociedade globalizada): foram mudando de siglas partidárias e robustecendo seu eficiente (mas doentio) coronelismo. O voto de cabresto e os currais eleitorais tomaram configurações mais profundas e mais perversas. Ora, a educação seria o meio de superação desse estágio primitivo. Mas (e aqui atingimos o ponto fulcral da questão) foi justamente agindo no espaço educacional institucionalizado – a escola – que esses senhores mantiveram seu feudo, quebraram a espinha dorsal do sistema educacional, nutriram o subdesenvolvimento e enriqueceram com ele.
Tenho uma historinha e um exemplo deste fenômeno. Aliás, dele fiz parte. Presidente Prudente, no interior de São Paulo (um microcosmo) convive com um exemplar magnifico desta espécie de coronel da modernidade. Não há nenhum modelo tão significativo na literatura (talvez o milionário Wundershaft, da peça de Shaw). Refiro-me ao dono da universidade do oeste paulista, agora prefeito. Figura poderosíssima nos meios políticos, que enriqueceu ajudando a promover o esfacelamento do ensino público e gratuito. (É só um pequeno exemplo: há muitos como ele. Isto é apenas um retrato). Agiu na formação de uma geração, promovendo o que sintetizaremos aqui como deseducação, que se constitui na alienação dos valores que configura o Homem Integral. Neste mundo, de fato, parafraseando o poeta, “não dá pra ser feliz”.
A universidade do oeste paulista possui cursos em todas as áreas. Antigamente era conhecida pela sigla apec e seu núcleo envolvia os cursos voltados para a formação de professores: letras, história, geografia, matemática, etc. Tais cursos eram de baixíssima qualidade e os professores, na sua maioria, despreparados. Bem, a situação se mantém a mesma. O escândalo, no entanto, se evidencia no desmonte que promovem à estrutura curricular estabelecida pelo ministério da educação e cultura aos respectivos cursos. Eu explico. O curso de letras, por exemplo, fica exprimido em três anos (em outras Universidades são de quatro anos) e, para atender ao currículo mínimo do mec, há aulas de segunda a sábado (seis aulas na sexta e seis no sábado) que deveriam ser assistidas por todos os alunos. Está aí a tramóia. Criaram-se (informalmente) duas turmas: uma de segunda à quinta-feira e outra de sexta-feira e sábado. Portanto, por um lado, cada aluno tem a metade do mínimo; por outro, os lucros, ao empreende-dor, chegam em dobro. No final do curso, no histórico escolar do aluno, constarão muito mais aulas que na verdade ele teve. Apesar da tentativa desesperada de alguns professores e alunos de manter algumas prerrogativas éticas (valores pessoais lutando sofregamente para suprir a falha institucional), as aulas são oferecidas em condições extremamente insatisfatórias. É incrível, quase inverossímil, que tal situação se sustente por décadas.
Os prejuízos para a Educação, neste quadro caótico (que pode ser confirmado por alunos e professores da unoeste), são devastadores. Professores despreparados, currículo diminuído e valores distorcidos estão na base da formação de outros professores que, por sua vez, vão ocupar as escolas públicas e garantir a continuidade e o alastramento desta poderosa chaga cancerosa, criando a enorme porcentagem de miseráveis e excluídos, inclusive, do espírito de cidadania como já nos referimos. É isto, por fim: escola… deseducação… infelicidade… carência substituindo transcendência.
Não estamos discutindo aqui a legalidade do procedimento da universidade do oeste paulista, nem a conivência ou respaldo do ministério da educação e cultura. Estamos afirmando que são instituições minúsculas, e, sem dúvida, avalizadoras da nossa situação de subdesenvolvimento. O mais triste é que não se configura nenhuma perspectiva de mudança. Quase nenhuma, tendo em vista a vitória eleitoral (espantosa contradição) deste gênio do poder (negação do fenômeno humano) que resgatou a velha fórmula, evidentemente condenável, dando-lhe feições de modernosidade: plantar ignorância e colher votos.
Por - Dante Gatto Professor da UNEMAT, Campus de Tangará da Serra (MT)

Não Elogie o Blog do Crato - Ajude a Mantê-lo, Isso é o verdadeiro Reconhecimento que se precisa !

QUEM VIVE DE PROMESSA É SANTO !

Muita gente me pára nas ruas para elogiar os trabalhos aqui do Blog do Crato. Site maravilhoso, mostra as belezas da nossa cidade, onde os escritores são gente de alta competência. Onde tem mais de 5.000 artigos escritos. Crônicas com gente do mais alto gabarito. É verdade. É verdade também que eu passo de 4 a 6 horas por dia colhendo informações, diagramando textos, colhendo textos dos escritores que enviam por e-mail para postar, colhendo fotografias, reportagens...é uma coisa elogiável, mas a realidade dura é que precisamos de PATROCÍNIO se quisermos manter o Blog do Crto no ar... e as pessoas e empresas não estão chegando junto...apenas PROMESSAS.

Patrocínio é o que mantém um Jornal, é o que mantém um site deste tamanho. Se você quer valorizar nosso trabalho e nosso produto, ajude a manter. Divulgue a sua empresa, seu negócio no Blog do Crato, uma das maiores vitrines do Cariri. Procure-nos pelo e-mail blogdocrato@hotmail.com ou pelo telefone: ( 088 ) 3523-2272. Ou faça sua doação na nossa conta no banco Brdesco:


Porque elogios são importantes para o reconhecimento, mas o maior reconhecimento que o Blog do Crato pode receber das pessoas dessa cidade, é ser mantido pelo próprio povo e pelas empresas que aqui se instalaram! É um veículo de utilidade pública que eu mantenho pagando preços altos por mês, mas com a ajuda das empresas, tudo isso seria mais fácil. Chega de promessas! É falar menos e fazer mais!

Abraços,

Dihelson Mendonça
088-3523-2272

Qualidade da Educação e Receita Municipal: o que tem sido feito no Cariri? - Por: Wellington Ribeiro Justo

Em 17 de dezembro de 2007 foi aprovada na Assembléia Legislativa do Estado do Cará a lei Nº. 14.023, que modificou o dispositivo da Lei Nº. 12.612 de agosto de 1996, que trata dos critérios para distribuição da parcela do ICMS pertencente aos municípios. Em 05 de junho de 2008 foi aprovado o Decreto Nº 29.306 que regulamenta a apuração dos índices de Qualidade da Educação (IQE), qualidade da Saúde e Qualidade do Meio Ambiente. A idéia deste arcabouço legal é criar mecanismos que possibilitem uma distribuição mais “equitativa” e eficiente da parcela dos 25% do ICMS que é distribuída por critérios definidos em lei estadual uma vez que os outros 75% são rateados por critérios de atividade econômica. Esta legislação é um novo paradigma na legislação do ICMS e permitirá que municípios que apresentem melhores desempenhos nas três áreas de abrangência da lei possam ser contemplados com uma maior participação na distribuição desta importante fonte de receita dos municípios. A ênfase aqui é na possibilidade dos municípios aumentarem receita por meio do aumento na qualidade da educação. O IQE baseia-se em indicadores enfatizando a qualidade inicial da educação básica (5ª série do Ensino Fundamental) e indicadores de alfabetização nos primeiros anos da educação formal (2ª série do Ensino Fundamental). A escolha na priorização destas faixas de escolaridade é justificada por serem as que apresentam maiores problemas.

A composição deste índice se dá na ponderação de 1/3 para a Qualidade do Ensino Fundamental e 2/3 para a qualidade da Alfabetização. O grande diferencial nesta forma de avaliação para repasse de verbas está no fato de valorizar o resultado obtido pelos alunos e não meramente o número de alunos matriculados. Esta avaliação tem como base o desempenho dos alunos em exames padronizados (Prova Brasil ou SPACE) e feitos alguns cálculos relativizando em relação a outros municípios. As seguintes ponderações são feitas: 20% em relação à taxa de aprovação nas séries iniciais do Ensino Fundamental e 80% em relação ao desempenho dos estudantes nos exames padronizados Na variável relativa aos exames padronizados há dois componentes um de nível e um de variação (avanço), na proporção de 40 e 60%, respectivamente. O primeiro tem como objetivo premiar os municípios que já apresentam resultados relativamente melhor que outros municípios enquanto o segundo é para premiar os municípios que estão avançando na melhoria dos indicadores educacionais de forma que o conjunto destes dois indicadores possa garantir uma melhoria contínua da qualidade da educação. Um ponto importante desta forma de avaliação para a distribuição da parcela do ICMS é que a avaliação é feita por agentes externos o que dificulta a interferência dos gestores municipais na “manipulação de resultados”, o que em economia é denominado de “Risco Moral”, como enfatiza Marcos Holanda Diretor Geral do IPECE. Nos mecanismos tradicionais de distribuição de verbas o “Risco Moral” tende a acontecer pelo problema da assimetria da informação. Dito de outra forma, os municípios têm mais informações que o Estado. Desta forma pode ser que algum gestor haja “burlando” as regras para favorecer o seu município, o que não acontece com as novas regras que privilegia a gestão eficiente da educação porque existem mecanismos de controle para evitar estes problemas. A grande pergunta é o que os prefeitos dos municípios do Cariri têm feito para aumentar a eficiência nos gastos com a educação e ainda assim serem premiados com o aumento na receitas municipais obtendo maiores repasses do ICMS em um momento de queda nas receitas municipais (diminuição nos repasses do ICMS e do FPM) e elevação das despesas pelo aumento real do valor do salário mínimo.

Wellington Ribeiro Justo
Doutor em Economia e Professor do Curso de Economia da URCA

Caminhos e descaminhos - Por: J. Teixeira


Nos bastidores, muitas vezes nos surpreendemos com algumas pérolas... Com uma presença que emerge das cinzas do tempo... histórias que se somam e se complementam, como uma colcha em seus retalhos. O antigo torna-se novidade. O texto entra no texto em diálogo aberto. A vida, então, se descostura no prumo das palavras...

J. Teixeira é mais um desses desgarrados do Ceará, (mora no sul) que sente falta, que se lembra e que gostaria de voltar ao ninho através de seus escritos. Pedi permissão ao autor, que é nosso amigo, para postar seu texto. Ei-lo!


Caminhos e descaminhos

A água que passa, toca leve a tua “tenerezza”
Despertando sentimento relegados ao esquecimento, talvez guardados
Na segurança das gavetas estreitas ,do armário interior.
Ou ,quem sabe,na caixa das lembranças mais ternas:
Depósito recôndito “del nostro cuore”!
A colcha de retalhos dessas lembranças, quando revolvidas
Trazem de volta o que as ondas levaram,
Cabe-nos filtrar e deixar passar, apenas, o que realmente importa :
O brilho de ouro e luz refletidos, dos antigos ribeirões
ou as matizes coloridas das pedras polidas pra não te machucar;
Ou as cândidas lembranças dos adolescentes ruborizados,
No primeiro encontro.
Não é preciso te cobrir d’oro e luce
Isto só desfocaria a tua beleza e o teu riso largo, franco e pleno de “lumière” !
É preciso não mais olhar pelas fenestras
Para te ver dançar e sorrir nas poças d’ água das chuvas de verão.
Antes, te pegar pela mão e correr pelos caminhos que serpenteiam
Os rios da minha terra.

Eu te daria a mão para te mostrar a plenitude dos campos,
E a magia que cada gotícula traz...
Ver e ouvir a paz tarde ser quebrada, num gorjeio solitário do sabiá.
Lembrar das antigas preghiere, com seu café quente (bem quente e doce) e sequilhos,
ou da devoção dos penitentes , a luz das velas(que em provocação, as apagávamos...)
Lembrar as festas de kermesse e o cheiro acre do “aluar”
Tudo fortalece o que a alma não esquece.
O vinho inebria o corpo,viva Bacco!
Vênus ilumina il cuore, viva os amantes!
Morpheu torna possível,o que a realidade nega !
Viva os sonhos !...


Por: JAT

Começa em Crato a "Festa Anual das Árvores"


Um momento de reflexão, com uma caminhada ecológica, deu início a Programação da “Festa Anual das Árvores”, no Sítio Fundão, em Crato, na manhã de ontem. A programação está sendo encampada por meio da Secretaria de Meio Ambiente do Crato e Controle Urbano (Semac), Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMDEMA) e instituições parceiras. Várias representações institucionais estiveram participando do momento de abertura do evento, destacando a sua importância. A palestra inicial foi proferida pelo professor Francisco Cunha, da Universidade Regional do Cariri (URCA), que abordou a importância da preservação da reserva do Sítio Fundão para o município. O secretário do Meio Ambiente do Município do Crato, Nivaldo Soares ( Foto ), ressaltou o trabalho desenvolvido, no sentido de levar à sociedade uma mensagem voltada para a conscientização do meio ambiente, com uma programação vasta envolvendo diversos segmentos sociais e enfocando várias temáticas em torno da questão ambiental. O Pró-Reitor Pós-Graduação e Pesquisa da URCA, Professor Doutor Álamo Feitosa, destacou o valor educativo direcionado aos jovens no sentido de mostrar a importância da preservação do meio ambiente. Também esteve presente a Pró-Reitora de Extensão, Professora Arlene Pessoa, representantes da Secretaria de Meio Ambiente do Estado (SEMACE), Cogerh, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Polícia Ambiental. O evento tem a finalidade de levar uma mensagem de conscientização quanto ao processo de preservação das florestas e estimular a prática dos ensinamentos nesse sentido, além de divulgar a importância das arvores no progresso da pátria e no bem estar dos cidadãos. Abertura também foi marcada com o plantio da Braúna, Árvore Símbolo do Ceará no ano de 2009. A “Festa Anual das Arvores” segue até o dia 27 de março. Hoje, a partir das 19 horas, será realizado no Teatro Salviano Arraes, Encontro com Representações de Segmentos Religiosos para Discutir Ações Compartilhadas na Área Ambiental. Também será realizada apresentação de peça teatral “Os quatro elementos: Terra, Água, Fogo e Ar”; Construção Compartilhada de Ações Sustentáveis na Relação Homem-Natureza. Acontecerá distribuição de material informativo. O evento tem segmento até o dia 27.

PROGRAMAÇÃO
Dia - 23/03 (segunda feira)
- 09h00min - Local: Sitio Fundão

Abertura Oficial:
• Fala das Autoridades

- 09h30min

Caminhada Ecológica:
• Conhecendo o Patrimônio Natural do Sítio Fundão;
• Momento de reflexão sobre nossas atitudes a partir do conhecimento dos aspectos histórico, paleontológico e preservacionista;
• Plantio da Braúna Árvore Símbolo do Ceará no ano de 2009.

Dia - 24/03 (terça feira)
- 19h00min – Local: Cine Teatro Salviano Arraes

Encontro com Representações de Segmentos Religiosos para Discutir Ações Compartilhadas na Área Ambiental:
• Apresentação de peça teatral “Os quatro elementos: Terra, Água, Fogo e Ar”;
• Construção Compartilhada de Ações Sustentáveis na Relação Homem-Natureza;
• Distribuição de material informativo.

Dia- 25/03 (quarta feira)
- 08h30min - Local: Sítio Baixio das Palmeiras-Crato
Palestra: “A Água e a Importância da Mata Ciliar”
Plantio de Mudas Nativas

Dia- 26/03 (quinta feira)
- 08h30min – Local: Lixão do Crato

Arborização de Parte da Área do Lixão do Crato em Parceria com a Indústria Ceramista

Dia - 27/03 (sexta feira)
- 19h00min – Local: Centro Cultural do Araripe (REFFESA)

Teatro de Rua
• Uma Abordagem Holística Sobre o Meio Ambiente

Amigos - Por: Carmenlucia Andrade Coelho

Amigos,

Pítias, condenado à morte pelo tirano Dionísio, passava na prisão os seus últimos dias. Dizia não temer a morte, mas como explicar que seus olhos se enchessem de lágrimas ao ver o caminho que se abria diante das grades da prisão? Sim, era a dura lembrança dos velhos pais! Era ele o arrimo e o consolo deles. Não mais suportando, um dia Pítias disse ao tirano:

- Permita-me ir à casa abraçar meus pais e resolver meus negócios. Estarei de volta em quatro dias, sem acrescentar nem uma hora a mais.
- Como posso acreditar na sua promessa? Os caminhos são desertos. O que você quer mesmo é fugir - respondeu Dionísio, irônica e zombeteiramente.
- Senhor, é preciso que eu vá. Meus pais estão velhinhos e só contam comigo para se defenderem - insistiu Pítias com o olhar nublado de lágrimas.

Vendo que o tirano se mantinha irredutível, Damon, jovem amigo de Pítias, interveio propondo:

- Conceda a licença que meu amigo pede; conheço seus pais e sei que carecem da ajuda do filho. Deixe-o partir e garanto sua volta dentro dos dias previstos, sem faltar uma hora, para lhe entregar a cabeça.

A resposta foi um "não" categórico. Compreendendo o sofrimento do amigo, Damon propôs ficar na prisão em lugar de Pítias e morreria no lugar dele se necessário fosse. O tirano, surpreendido, aceitou a proposta. Depois de um prolongado abraço no amigo, Pítias partiu. O dia marcado para sua execução amanheceu ensolarado. As horas passavam céleres e a guarda já se mostrava inquieta. Entretanto, Damon procurava restabelecer a calma, garantindo que o amigo chegaria em tempo. Finalmente chegara a hora da execução. Os guardas tiraram os grilhões dos pés de Damon e o conduziram à praça, onde a multidão acompanhava em silêncio a cada um dos seus passos. Subiu, então, ao cadafalso. Uma estranha agitação levou a multidão a prorromper em gritos. Era Pítias que chegava exausto e quase sem fôlego. Porém, rompendo a multidão, galgou os degraus do cadafalso, onde, abraçando o amigo, entregou-se ao carrasco sem o menor pavor. Os soluços da multidão comovida chegaram aos ouvidos do tirano. Este, pondo-se de pé em sua tribuna, para melhor se convencer da cena que acabava de acontecer na praça, levantou as mãos e bradou com firmeza:

- Parem imediatamente com a execução! Esses dois jovens são dignos do amor dos homens de bem, porque sabem o quanto custa a palavra. Eles provaram saber o quanto vale a honra e o bom nome! Descendo imediatamente daquela tribuna, dirigiu-se a Pítias e a Damon. Dionísio estava perplexo e, abraçando-os com comoção, disse-lhes:

- Eu daria tudo para ter amigos como vocês.

Texto enviado por: CARMENLUCIA ANDRADE ALENCAR COELHO
Ilustração: Dionísio - Óleo sobre tela de Tintoretto

23 a 28/03 :: Semana SESC das Artes Cênicas :: Crato e Juazeiro

Programação: ( clique na imagem para ampliar )


24-03-2009
Saúde do Crato realiza ações no Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose


Hoje, Dia Mundial de Luta Contra a Tuberculose, a Secretaria de Saúde do Crato, por meio do setor de Epidemiologia, irá realizar trabalho de Divulgação dos Sinais e Sintomas em todas as rádios da cidade, Treinamento sobre tuberculose para os agentes comunitários de saúde, Reunião na Associação de Moradores do Conjunto Novo Crato – na Escola 8 de Março, além de Palestra na Escola de Ensino Fundamental Dr. Antenor Gomes de Matos. O Dia Mundial de Luta contra a Tuberculose é comemorado anualmente em 24 de março, para chamar a atenção da sociedade sobre um dos maiores problemas de saúde pública do mundo. A Tuberculose permanece afetando a saúde e o desenvolvimento da humanidade, com um terço da população mundial infectada, 8 milhões de doentes e quase 2 milhões de mortes anualmente. No Brasil, a tuberculose mata em média cinco mil pessoas por ano. A Secretaria de Saúde de Crato lembra a importância de se fazer um diagnóstico precoce da Tuberculose através do reconhecimento dos sinais e sintomas da doença. Um deles é a tosse, que se perdurar por mais de três semanas pode ser tuberculose. Além da tosse, outros sintomas como Perda de Peso, Dor no Peito, Febre e Falta de Apetite. A Tuberculose tem cura quando tratada corretamente. Importante não abandonar o tratamento, que dura 6 meses e garante cura. A medicação é grátis. Procure o posto de saúde mais próximo de sua casa ou o agente comunitário de saúde.

Final da Copa São José com homenagem a secretário

Um dos maiores eventos do esporte cratense, a Copa São José, foi encerrada ontem, com uma solenidade, em que esteve presente a Secretária de Ouvidoria do Município, Teresa Portela, representando o prefeito do Crato, Samuel Araripe. Durante a solenidade, a secretária entregou o troféu à equipe campeã, fazendo uma homenagem ao Dr. Jefferson Felício Júnior, Secretário de Infra-Estrutura do Crato, falecido prematuramente, no último sábado, em sua residência, em Crato, de infarto fulminante. O seu corpo foi sepulto em Fortaleza, no último domingo.

Ação Social realiza palestra sobre o perigo das drogas no ProJovem do Alto da Penha

Ontem a tarde no ProJovem do Alto da Penha, “União da Força Jovem”, localizado no Centro de Referência em Assistência Social CRAS do bairro, foi realizada palestra com o soldado Aurélio, do Programa Educacional de Resistência às Drogas – PROERJ. Segundo a orientadora Social do ProJovem, Júlia Batista, todos esses eventos são para promover a inclusão do jovem, bem como melhorar sua qualidade de vida. O Programa Nacional de Inclusão de Jovens - ProJovem foi criado para enfrentar as altas taxas de abandono escolar e desemprego juvenil registradas no Brasil. Ele é o resultado da integração de diversos programas para a juventude do Governo Federal e tem como objetivo promover a reintegração desses jovens ao processo educacional oferecendo oportunidade de qualificação profissional e de desenvolvimento humano. O Governo Municipal do Crato prima pela eficiência de projetos como esse que oferecem mais qualidade de vida.

Prefeitura do Crato apóia a XXVII Corrida Padre Cícero

Com o apoio da Prefeitura Municipal do Crato, através da Secretaria de Cultura Esporte e Juventude, será realizada hoje, a partir das 8 horas, a XXVII edição da Corrida Padre Cícero, segundo a organização do evento o número de inscritos chega a 1.740 pessoas. A competição terá duas categorias: elite local e não local que vão largar da Avenida Duque de Caxias, nas imediações da Praça da Sé, no Crato. O percurso é de 16,2 km e a chegada será no Memorial Padre Cícero, em Juazeiro do Norte. A premiação em dinheiro será distribuída entre os três primeiros colocados de cada categoria. Segundo o coordenador do Núcleo de Fomento ao Esporte - NUFESP de Crato, Adriano Modesto, a corrida faz parte dos eventos esportivos que o Governo do Crato faz questão de apoiar, confirmando o seu papel de incentivar o esporte no Caririense.

Abertura da Festa Anual das Árvores conta com momento de reflexão

Um momento de reflexão, com uma caminhada ecológica, deu início a Programação da “Festa Anual das Árvores”, no Sítio Fundão, em Crato, na manhã de ontem. A programação está sendo encampada por meio da Secretaria de Meio Ambiente do Crato e Controle Urbano (Semac), Conselho Municipal de Meio Ambiente (COMDEMA) e instituições parceiras.Várias representações institucionais estiveram participando do momento de abertura do evento, destacando a sua importância. A palestra inicial foi proferida pelo professor Francisco Cunha, da Universidade Regional do Cariri (URCA), que abordou a importância da preservação da reserva do Sítio Fundão para o município. O secretário do Meio Ambiente do Município do Crato, Nivaldo Soares, ressaltou o trabalho desenvolvido, no sentido de levar à sociedade uma mensagem voltada para a conscientização do meio ambiente, com uma programação vasta envolvendo diversos segmentos sociais e enfocando várias temáticas em torno da questão ambiental. O Pró-Reitor Pós-Graduação e Pesquisa da URCA, Professor Doutor Álamo Feitosa, destacou o valor educativo direcionado aos jovens no sentido de mostrar a importância da preservação do meio ambiente. Também esteve presente a Pró-Reitora de Extensão, Professora Arlene Pessoa, representantes da Secretaria de Meio Ambiente do Estado (SEMACE), Cogerh, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Polícia Ambiental. O evento tem a finalidade de levar uma mensagem de conscientização quanto ao processo de preservação das florestas e estimular a prática dos ensinamentos nesse sentido, além de divulgar a importância das arvores no progresso da pátria e no bem estar dos cidadãos. Abertura também foi marcada com o plantio da Braúna, Árvore Símbolo do Ceará no ano de 2009. A “Festa Anual das Arvores” segue até o dia 27 de março. Hoje, a partir das 19 horas, será realizado no Teatro Salviano Arraes, Encontro com Representações de Segmentos Religiosos para Discutir Ações Compartilhadas na Área Ambiental. Também será realizada apresentação de peça teatral “Os quatro elementos: Terra, Água, Fogo e Ar”; Construção Compartilhada de Ações Sustentáveis na Relação Homem-Natureza. Acontecerá distribuição de material informativo. O evento tem segmento até o dia 27.

Caminhada Educativa contra a dengue na Vilalta

A Prefeitura Municipal do Crato, por meio da Secretaria de Saúde, segue realizando trabalho efetivo de combate à dengue, com trabalho nas comunidades e residências, atuando com o combate e a prevenção da doença. Amanhã, o setor de Mobilização Social informa que haverá uma caminhada de educativa, que conta com estudantes, técnicos de saúde e integrantes da Mobilização, no bairro Vilalta. O evento começa às 8 horas, no posto de Saúde Dr. Raimundo Bezerra de Farias. Também estarão participando os agentes do Programa de Saúde da Família - PSF, agentes comunitários e alunos da Escola Aldegundes Gomes de Matos. A Secretaria de Saúde do Crato ressalta que é de extrema importância a colaboração de toda a comunidade para que possa ser realizado um trabalho efetivo contra o Aedes aegypti.

Adiado lançamento do Programa de Aquisição de Alimentos

O Programa de Aquisição de Alimentos será lançado em Crato em data ainda a ser determinada pela Secretaria de Agricultura do Município. O lançamento estava previsto para acontecer na última segunda-feira, no Teatro Municipal Salviano Arraes Saraiva, voltado para os agricultores familiares e foi adiado. O Programa do Governo Federal é uma parceria com administração municipal, no sentido de facilitar a vida do pequeno agricultor. Com isso, também facilitará o escoamento da produção agrícola, possibilitando a negociação do pequeno produtor diretamente com a Conab para comercializar os seus produtos. Os alimentos serão repassados às escolas, para fazer parte do cardápio da merenda escolar. Cada agricultor poderá negociar até R$ 350,00, chegando a mais de R$ 3 mil por ano. O objetivo do Programa, conforme a assessora da Secretaria de Agricultura, a engenheira agrônoma Ana Lúcia Monteiro de Sousa, é efetivar a compra de toda a produção da agricultura familiar.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Governo Municipal do Crato
Crato (CE), 24 de março de 2009
Fone- (88) 3521.9600

Ética, pelo menos para as Criancinhas - Por: Luiz Domingos de Luna

Já é chegada a hora de se implantar nos currículos escolares a disciplina de Ética, principalmente para as crianças, pois a realidade apresentada é muito dura, quando o lamaçal da impunidade, da corrupção e da inépcia do Estado, vão se configurando na mente da criança ( de que tudo isto é normal ).

É a lei do mais forte, É a lei do Gérson; Isto, com certeza são agentes desmotivadores para que as crianças busquem o aprendizado cotidiano, a responsabilidade social e partam para a conquista de um mundo fácil, amorfo, é neste clone da realidade que nos é apresentada, que nasce a naturalização das idéias, ou seja, achar que tudo é normal; por exemplo, pensar que a política é uma alcatéia de lobos humanos, que buscam somente {o seu bem-estar e o de sua família}. Achar que os políticos podem tudo, inclusive lesar o patrimônio público em beneficio próprio. Achar que neste país quem não rouba ou deixa roubar é um otário. Achar que as garotas devem ser presas no meio de marginais para serem estupradas. Achar que os políticos corruptos nunca serão punidos. Para evitar esta visão naturalizada das idéias, nada melhor do que a implantação de Ética para as crianças, pois quem sabe? A realidade pode mudar, e quando mudar? Salvaremos deste quadro amedrontador pelo menos as criancinhas.

Por: Luiz Domingos de Luna

Edições Anteriores:

Maio ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31