xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 10/03/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Em breve, estaremos de volta com as novas transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, alguns programas ao vivo ). O modelo será mais ou menos como no vídeo de lançamento abaixo, em que há uma pequena retrospectiva de alguns trabalhos, reportagens já feitas ao longo dos muitos anos em que fazemos reportagens. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

10 março 2009

Pergunta... 3G da Claro - Você ainda não viu nada...!!!


Alguém já teve o DESPRAZER de testar o 3G da Claro aqui no Cariri ?
Centenas de reclamações. 3G de 1 mega só dá 50k em Crato...dezenas ou centenas de processos contra a Claro.

É claro...

Sufoco - Por Carlos Eduardo Esmeraldo

Ah, os médicos! Na ânsia de prolongar nossos dias nesta vidinha mais ou menos, criaram um idioma próprio para nos deixar aflitos. É justo que cada categoria profissional tenha seus termos técnicos. Até os pedreiros os têm. Mas a língua dos homens de jaleco branco é russo puro! Ai do pobre mortal que se meter a besta de ler os diagnósticos dos inúmeros exames que eles pedem. É sofrimento na certa! Outro dia, eu fui fazer um exame rotineiro do coração, pois não desejo ser surpreendido por um enfarte. A minha cardiologista, com muita competência, ressalte-se, achou de pedir dois exames esdrúxulos que, apesar de indolores, deixaram meu pescoço e peitoral todo lambuzado de um gel difícil de ser retirado. Haja papel toalha para limpar o estrago. Ao receber o resultado, fui surpreendido pela Magali, que me mostrou os exames e lá estava para um leigo na tradução da língua médica, um terrível diagnóstico: “doença ateromatosa discreta da carótida, turbulência diastólica no ventrículo esquerdo devido à insuficiência aórtica.” Pronto, com tamanha verborréia, eu que imaginava viver até os cem anos, como a minha tia Rosinha Esmeraldo, achei que não botaria nem até a próxima semana. Por isso, apressei-me a levar o resultado à doutora, a fim de ver se era caso de cirurgia ou se haveria algum medicamento que minorasse os efeitos daquelas anomalias. A atendente me disse que ela somente poderia me receber na semana seguinte. Argumentei que os resultados do exame não eram muito bons e em tom dramático disse que não saberia se na próxima segunda-feira, eu ainda estaria vivo. Com esse papo, ela conseguiu que a médica me visse imediatamente. “Nada demais, tudo normal, o senhor está perfeitamente bem. Essas discretas calcificações são próprias da idade. Seria preocupante se fosse num menino de dez anos.” Tranquilizou-me a doutora.

No ano passado, andei sentindo umas tonturas muito fortes. Como fazia uma semana que usava um colírio por recomendação médica, li a bula e lá estava: “possíveis aparecimento de tonturas e cefaléias.” Pronto, o problema é o colírio, pensei. Só falta agora a dor de cabeça! Antes que ela aparecesse, voltei à oftalmologista e pedi que mudasse de colírio, pois vinha tendo muitas tonturas. Ela me deixou bastante preocupado, ao mandar-me ao neurologista, pois com toda a certeza as minhas tonturas não eram do colírio. Puxa! Só faltava essa: um tumor no cérebro! Vali-me do meu amigo Marcos Cunha, que me indicou um otorrinolaringologista. Meu caso era compatível com labirintite, disse-me ele. Este, após uma glicemia em jejum, precedida de uma deliciosa garrafinha de glicose pura, me encaminhou a um endocrinologista, que constatou uma novidade: eu estou “pré-diabético.” Nada de doces. Adeus rapadurinha da Serra Grande, substituta à altura da rapadura do engenho do Pau-Sêco, a melhor do mundo! Ah, coitadinho do doce de buriti do São José, o mais gostoso dos doces! A receita, minha mãe herdara da minha avó e hoje está com a minha prima Elza, que continua a produzir o excelente doce de buriti do São José, para tristeza de todos nós, pobres "pré-diabéticos". Agora enfrento um regime alimentar totalmente dietético e com muito mato. Até que, recentemente descobri nas prateleiras do supermercado um doce de goiaba dietético. Achei de comprá-lo. Após o almoço, enquanto conversava, experimentei o tal doce. Estava delicioso! Tinha goiaba ao vivo! Sem que me desse conta, comi meio pacote desse doce e, saí para as minhas aulas na UECE. Após as primeiras horas de aula, comecei a sentir uma turbulência no meu ventre baixo. Os gases denunciavam alguma diarréia a caminho. As tripas estavam revoltosas. No intervalo do recreio, fui ao banheiro dos alunos. Mas não tive coragem de encará-los. Estava imundo, mal-cheiroso e sem papel. Acreditei que daria tempo chegar a minha casa, afinal restavam apenas mais cem minutinhos de aula. Que nada! O sufoco ia crescendo a cada instante. Precisava arranjar um meio de me aliviar. Não poderia ser nas calças, ali na frente dos alunos. Então eu me lembrei do novo prédio do Centro de Estudos Sociais Aplicados, onde pela manhã, dou aulas de Cálculo Integral no curso de Administração de Empresas. Era a minha salvação. Ainda houve tempo suficiente para que deixasse um problema de matemática com os alunos, cuja resolução, levaria no mínimo uns vinte minutos. Corri para o novo prédio, cerca de cem metros de onde eu estava. Lá havia banheiros exclusivos para os professores. Estavam muito limpos, mas faltava papel higiênico. Que fazer? Não havia como pedir à secretária, pois esta não se encontrava no seu local de trabalho. Desesperado, fui até a porta do banheiro, quando vi no corredor defronte, o flanelógrafo repleto de avisos. Não tive a menor dúvida: arranquei-os todos, entre eles um cartaz de um curso de mestrado e fui me aliviar. O aviso do mestrado deu o arremate final no polimento do "alívio". Ao retornar à sala de aula, o problema que seria solucionado em vinte minutos, já estava pronto. Os alunos conversavam animadademente e, ao me virem, um deles, muito gaiato, indagou: “Melhorou do sufoco, professor?” Somente depois desse dia, é que fui informado que doce dietético em excesso provoca desarranjo. Agora estou mais contido no meu desejo irrefreável de saboreá-lo, pois se houver uma recaída, quem sabe se a exigência daquele pequeno órgão a ser limpo, não evoluirá para um curso de doutorado?

Por: Carlos Eduardo Esmeraldo

A vida é tão maravilhosa...........

E tão diversa..........
se você parar apenas uns momentinhos
e olhar as pequenas coisas
que nos acontecem cotidianamente,
talvez você se maravilhe............
Existe a magia, existe a beleza.
Por isso,
Aproveite cada dia !!


A Morte da beata Maria - Por: Armando Rafael


Em certa fase da minha vida interessei-me em pesquisar a vida e obra do Padre Cícero. Não me limitei unicamente a longas conversas com pessoas que o conheceram pessoalmente (foi o caso de Amália Xavier de Oliveira – já falecida – e Maria Assunção Gonçalves, ainda viva, caminhando para os seus 94 anos de profícua existência). Também li muito sobre o Padre Cícero. Na minha modesta biblioteca possuo 56 livros – alguns raríssimos – tendo ele como personagem central. A grande maioria seguindo a mesmice: “pró ou contra”. Exceções a essa bi-polarização são poucos. Um deles, “Milagre em Joaseiro”, do norte-americano Ralph Della Cava. Um clássico! Perdi a conta dos livros emprestados que também li, como foi o caso de “Joaseiro do Cariry”, do Padre Alencar Peixoto. Uma raridade! Nos últimos dias li uma enxurrada de reportagens, artigos e crônicas publicadas pela mídia sobre a Beata Maria de Araújo. Estranhamente, não se falou sobre a morte dela. Segundo Amália Xavier de Oliveira, Maria de Araújo faleceu em plena Revolução de 1914. O dia foi 17 de janeiro. E diz a autora de “O Padre Cícero que eu conheci” (à pág.26, 3ª edição, Editora Massangana, Recife – PE, 1981): “Maria de Araújo, beata conhecida por todo o povo de Juazeiro e quiçá do Nordeste brasileiro, vivia pobremente numa pequena casa com umas moças desamparadas, algumas até suas parentas. Adoeceu gravemente; aumentaram as necessidades com a doença agravada pela situação da guerra. (...) Dizem que a Beata ofereceu sua vida pela paz da cidade e a tranqüilidade do seu pai, na ordem espiritual. Se foi aceito por Deus, veremos na outra vida. Nesta, só podemos confirmar que ela morreu sete dias antes da tomada de Crato (...) Deitada numa pequena cama-de-vento, estendida na sala de visitas do lado sul, vi, muitas vezes a Beata, a principal protagonista dos fatos aqui ocorridos em 1889, iniciados, ocultamente desde 1884.
Estatura baixa, pele escura, cabelo cortado à escovinha, usava vestido preto à moda das outras beatas, mas, não usava manto, véu e nem murça. Substituía por chale preto, dobrado de ponta indo quase da cabeça aos pés. Viveu sempre muito pobremente; passou privações sem conta; talvez por estas circunstâncias, foi sempre muito humilde, vivendo ocultamente em sua casa até que o Pe. Cícero mandou-a para a casa de Dona mariinha do Capitão Domingos, onde morreu.
Havia recebido o sacramento dois meses antes e foi assistida pelo seu Diretor Espiritual até a última hora, ouvindo-lhe as recomendações que fazia de “apresentar-se confiadamente a Nossa Senhora, sua protetora e Mãe em todo o decurso de sua vida”. Foi assim o final da vida da Beata Maria de Araújo. Dona Amália Xavier e Assunção Gonçalves também me contaram muitos fatos sobre esta criatura. Ah! Ia esquecendo de dizer a causa mortis da Beata. Ela morreu de câncer no seio, doença – que após ter virado metástase – a fez sofrer terrivelmente.


Por: Armando Rafael

É Justo Questionar Dogmas Católicos

A Igreja Católica é composta por homens e mulheres de carne e osso. Como toda instituição viva, seus dogmas merecem contestação de quem pertence aos seus quadros, de quem já pertenceu e de quem não pertence. Os de fora têm o direito de opinar sobre as decisões de uma instituição poderosa e que influencia o debate público no mundo inteiro.
No Brasil, há separação entre Estado e Igreja. Apesar disso, os religiosos se julgam no direito de criticar decisões legais, como o aborto de uma criança de 9 anos que foi estuprada. Ora, se podem meter o bedelho nas regras do Estado laico e democrático, podem também ouvir críticas aos seus dogmas e às suas regras.
Nesse contexto, é absurda a excomunhão dos médicos e da mãe da menina estuprada pelo padrasto. Pior, o arcebispo de Olinda e Recife, dom José Cardoso Sobrinho, disse que aborto é pior do que estupro. Os “idiotas da subjetividade” vão dizer que é assunto da Igreja Católica e ponto final. No direito canônico, o aborto é mais grave que o estupro. Quem é católico que se acomode, e os incomodados que se retirem. Esse discurso serve a um conservadorismo anacrônico que afasta cada vez mais a Igreja Católica do cotidiano de seus seguidores.
É um erro considerar um “meio católico" ou um “mau católico" quem apóia a decisão de abortar nas circunstâncias em que se encontrava a menina de 9 anos. Ela pesa 30 quilos. Sua gravidez poderia matá-la. A lei brasileira permite aborto em caso de estupro e quando a vida da gestante está em risco.
Há outro agravante: a menina é de uma região pobre do Nordeste, na qual o peso dos valores religiosos é maior do que em outras partes do Brasil. Uma condenação da Igreja Católica soa a uma espécie de sentença de morte religiosa.
É uma pena que a Igreja Católica tenha abandonado a opção preferencial pelos pobres. O homem que deu início à caminhada dessa instituição milenar teria reparos a fazer à turma de Bento 16.
Mais debate:
A briga é meio perdida, mas é preciso discutir a ampliação do direito ao aborto num país em que isso é questão de saúde pública. A mulher deve ter o direito de decisão. Legalizar mais amplamente o aborto, com limite até determinado tempo de gestação, não vai obrigar ninguém a tirar filho da barriga.

Autoria: Kennedy Alencar (FSP) - Postagem: José Nilton Mariano Saraiva
**************************
Complementando:

No mesmo contexto do acima exposto, lembramos que está faltando um "detalhe" para que encerremos o debate aqui do blog, sobre o “milagre da hóstia”: alguém informar (citando a fonte, evidentemente, para que todos a consultemos), qual a doença que vitimou a beata Maria de Araújo. É que, por incrível que pareça, na rede mundial de computadores, WWW (vulgarmente conhecida por Internet e que tem todo tipo de informação que se possa imaginar) não há uma só e mísera linha, em qualquer um dos grandes sites (google, yahoo, cadê, wikipédia e outros), que trate disso; todos informam a data do seu nascimento, a data da sua morte, que muitos antes do tal pretenso milagre ela já houvera expelido sangue pela boca, que era pobre, baixa, mestiça, etc. No entanto, nada sobre qual foi a doença ou moléstia que tão cedo a levou do nosso convívio.
Como estamos a tratar de coisa séria, e aqui o debate é franco, aberto e transparente, abstenham-se de usar lugares-comuns do tipo "ouvi dizer..." ou, simplesmente, a citação de que “foi doença tal", sem nomear a fonte (não sejamos egoístas; dividamos o ato de consulta com os demais integrantes).
Debates se propõem ao esclarecimento de possíveis dúvidas; como temos essa, precisamos de ajuda para elucidá-la. Só isso !!!
Estamos a incorrer em algum pecado ???

Por: José Nilton Mariano Saraiva


UMA LEMBRANÇA AO COTIDIANO DAS MULHERES

Hoje despojada do internacional,
restou esta pia de cozinha,
o ferro de engomar,
as fraldas de cocô,
a parca renda familiar.

Restou esta “menor”,
o nome encoberto com uma tarjeta,
estuprada,
abortada,
móvel da ira episcopal.

Hoje despojada da saúde pública,
restou este HPV,
os cânceres do teu ser no mundo,
omisso,
falho e mercantil como um plano de saúde,
um escárnio do poder municipal.

Hoje, mulheres,
ontem o mundo te adoçou em chocolate
flores vivas em tuas mãos,
como antes o povo Sêneca,
aprisionava-te e mimava,
até o dia do sacrifício ritual.

Restou a gravidez precoce,
a agressividade masculina,
a dupla jornada de trabalho,
a ditadura da eterna beleza,
a vida, deste modo vivida,
como apontamentos dos céus.

Sabemos, todos sabem,
da regra geral da pobreza popular,
das balas que matam os jovens rapazes,
do sofrimento do transporte coletivo,
das falhas da política educacional,
mas não é possível adoçar,
o mundo das mulheres,
sem antes a consciência que reflete,
tudo que um dia promete,
mas que anoitece para outro amanhecer.

Previsão do Tempo para Hoje, 10 de Março de 2009


Fonte: Climatempo

Filme - Patativa do Assaré - Ave Poesia - Rosemberg Cariry


Panfleto enviado por Wilton Dedê

10-03-2009
Conselho Municipal dos Direitos da Mulher Cratense promove Conferência

Está acontecendo no Pavilhão da URCA, no Parque de Exposição do Crato, a I Conferência em Gênero e Feminismo do Crato. O evento , que é realizado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher Cratense, foi aberto com um ato público na praça da Sé, no Dia Internacional da Mulher, no domingo passado e se estende até o dia 14 deste mês.
Ontem pela manhã, foram iniciadas as discussões temáticas e inaugurado o espaço do Conselho, no Pavilhão da URCA, na Expocrato. O evento visa o fortalecimento do Conselho e a realização de uma proposta de trabalho dentro da realidade da mulher caririense e conta com o apoio da Prefeitura Municipal do Crato, através da Secretaria de Cultura. Na abertura, esteve presente, a Banda de Música do Crato, com uma homenagem direcionada à mulher, dentro do seu repertório musical.

Educação do Crato adota projeto de ensino que promove a cultura regional

A Secretaria de Educação do município do Crato irá adotar projeto piloto de professores da Universidade Regional do Cariri (URCA), com uma proposta didática incluindo a cultura regional como aparato de proposta de ensino nas escolas de ensino fundamental. O Secretário Valentim Dantas participou no último sábado do lançamento do Material Didático em Artes Visuais: “O Cariri nas Tramas da Arte, da Imagem e da Cultura”, no contexto das comemorações dos 22 anos da Universidade, realizado no último sábado. Também estiveram presentes professores da rede municipal. O Crato, através da Secretaria de Educação, foi o primeiro a aderir ao projeto, em que professores serão capacitados para desenvolver proposta de trabalho no ensino fundamental, tendo como elemento principal a cultura do Cariri. O projeto faz parte de um trabalho desenvolvido pelos professores da URCA Sandra Nancy Ramos Freire Bezerra e Marcos Aurélio Moreira Franco, especialistas em arte-educação. Inicialmente, o projeto se propõe a capacitar 200 docentes. O material já está disponível em pastas artesanais produzidas na própria região. A Vice-Reitora da URCA, Otonite Cortez, fez a abertura do evento destacando a importância de se trabalhar com o aluno em todos os campos do saber e do senso.

COMDEMA realiza hoje sua 3ª. Reunião ordinária

O Secretário de Meio Ambiente e Controle Urbano do Crato Nivaldo Soares de Almeida convoca para a para a 3a Reunião Ordinária do COMDEMA do ano de 2009, que acontecerá hoje, dia 10 de Março no Conselho Municipal de Educação no Centro Administrativo da Prefeitura Municipal. A reunião discutirá temas como a proposta de requalificação do atual Cenário da Zona Urbana do Município.

Ação Social do Crato realiza cadastro do projeto de Ações Sócio-Educativas a Família

O governo Municipal do Crato, através da Secretaria de Ação Social , comunica a todos os munícipes que está sendo realizado o cadastro familiar do Projeto ASEF- Ações Sócio-Educativas a Família com crianças de 0 a 6 anos, nas creches dos bairros e distritos da cidade. A Secretária de Ação Social Liduína Andrade, ressalta a importância desse projeto, bem como sua prioridade e conta com a colaboração das famílias para se fazerem presentes. O cadastro começou a ser feito desde o último dia 2 e irá até o próximo dia 16. Hoje e amanhã, dias 10 e 11, no Liceu Diocesano, dias 12 e 13, na Creche São Miguel, dia 16, na Creche Clotário Ribeiro , na Vila São Bento, no CEI da Vila Padre Cícero, na Creche São José na Ponta da Serra, na Creche Santo Inácio, em Monte Alverne e na Creche Raimundo de Sousa Sobrinho em Dom Quintino. É importante salientar que o cadastro é sempre feito nos períodos manhã e tarde.

Cultura do Crato participa do I Seminário Internacional – Centenário de Maria Bonita

O Governo Municipal de Crato esteve representado pela Secretária de Cultura do município, Danielle Esmeraldo, no I Seminário Internacional – Centenário de Maria Bonita, a convite da SBEC - Sociedade Brasileira de Estudo do Cangaço, da Prefeitura Municipal de Paulo Afonso e da UNEB – Universidade do Estado da Bahia nos últimos dias 06 a 08. Na ocasião a Secretária de Cultura Danielle Esmeraldo teve a oportunidade de participar de debates e mesa-redonda, sobre o papel da mulher dentro do fenômeno do cangaço nordestino. Estiveram presentes vários escritores e historiadores do tema, como também autoridades municipais da região.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Governo Municipal do Crato
Website oficial da PMC

Considerações acerca da excomunhão da equipe médica em Pernambuco - Por: José Cícero


Igreja condena e polemiza aborto realizado em criança grávida de gêmeos, vítima de estupro em Pernambuco. Seria hilariante se não fosse trágico e lamentável a atitude tomada pela igreja, através do bispo de Olinda-PE em excomungar a equipe médica, assim como a própria mãe da criança de 9 anos grávida de gêmeos, vítima de sucessivos estupros do padrasto. Mesmo com o amparo legal a decisão pela intervenção abortífera foi uma alternativa que contara inclusive, com o apoio da opinião pública nacional visto que a gravidez colocava em risco a própria vida da garota e consequentemente dos futuros bebês. Principalmente por sua tenra idade e um corpo infantil pesando apenas 33 kg, portanto sem a menor estrutura para o papel reprodutivo. Qualquer possibilidade de prosseguimento desta gravidez contrariava frontalmente os prognósticos da medicina. A igreja a que tudo indica não analisou nenhuma destas conseqüências quando tomou a sua decisão que no mínimo soa como algo fora de propósito e esdrúxula. Já não basta todo o sofrimento que esta criança está passando? Já não basta esta violência beirando as raias do crime hediondo? Permitir que esta menininha prosseguisse com sua gravidez seria por assim dizer, mais um ato absurdo. Outra violência sem tamanho. Uma insensatez inominável. Penso que Deus jamais concordaria com uma idéia como esta. Seria dimensionar ainda mais os sofrimentos desta irmãzinha pernambucana. Vítima não apenas dos estupros do padrasto como inclusive, de todo um conjunto de mazelas sociais e econômicas. No entanto, o mais curioso é a notícia de que a igreja(como ela é boazinha) livrou da sua bendita excomunhão o grande pivô desta maldade toda – o padrasto da criança. O criminoso confesso de vários anos de estupro, pedofilia, enfim de uma série de barbaridades cometidas contra este anjo filho de Deus. A ciência, assim como a religião devem estar a serviço da justiça e do bom-senso numa relação direta com a racionalidade sempre em favor da humanidade. A justiça e a harmonia entre os direitos também precisam necessariamente se comportar como uma profissão de fé, porém sem nunca perder de vista aquilo que pode ser bom ou ruim para a sociedade dos filhos de Deus.

Deus não costuma ser tão condescendente com o 'demo' e as coisas que ele(o demônio) realiza de mal contra a humanidade. E evidente que esta tal excomunhão não terá mais nenhum valor/efeito social como alcançava no passado. Entretanto, o que naturalmente se discute é a repercussão da posição da igreja diante de um acontecimento lastimável envolvendo mais um caso de estupro, incesto e gravidez infantil. Uma pecha pela qual todos os agentes e instituições sociais precisam se empenhar no sentido de extingui-la para sempre do nosso convívio social. Neste aspecto é que se lamenta a posição da santa madre igreja. A guisa de informação: segundo a bula dogmática da igreja - Quem é excomungado fica proibido de receber alguns sacramentos como: batismo, comunhão, crisma e casamento. O arcebispo de Olinda e Recife, dom José Cardoso Sobrinho, excomungou a mãe e a equipe médica envolvida no procedimento que culminou com o aborto cirúrgico da vítima de abuso sexual; uma criança de 9 anos. Como afirmou o presidente Lula em relação a este caso “a ciência está muito mais avançada do que a igreja”.

Por: José Cícero
professor, escritor e poeta. Aurora-Ce.
www.jcaurora.blogspot.com

CRATO - Conferência debate papel da mulher - Por: Elizângela Santos e Melquíades Júnior

BUSCA PELA PAZ

I Conferência de Formação em Gênero e Feminismo foi realizado no município do Crato, com participação de mulheres da região do Cariri (Foto: Elizângela Santos) . Protesto contra o assassinato de Cleidenilce Gadelha (Foto: Melquíades Júnior).O evento tem o objetivo de denunciar os casos de violência contra mulheres na região e pedir que haja justiça. Crato. Na perspectiva de debater durante a semana o papel da mulher na busca da paz, foi iniciado, ontem, a I Conferência de Formação em Gênero e Feminismo, no município do Crato, com participação de mulheres da região do Cariri. De acordo com a coordenação do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, a meta é também denunciar os casos de violência cometidos contra mulheres na região e pedir que haja justiça para os casos. A presidente do Conselho, Verônica Neuma Carvalho, afirma que este ano já foram mortas três mulheres. As famílias foram convidadas para participar de ato político, social e de denúncia contra a impunidade para os casos no último domingo, na Praça da Sé, no Crato. Ela ainda considera alto o índice de violência praticado contra as mulheres na região.

Avanços

Ontem pela manhã, a vereadora Mara Guedes, do município do Crato, ex-presidente do Conselho, destacou os avanços e as lutas já efetivadas pelas mulheres na região e das conquistas alcançadas, inclusive denunciando crimes e o escritório da morte, que funcionava em Juazeiro do Norte. Ele destaca a atuação das mulheres. Também foi inaugurado o novo espaço do Conselho da Mulher, em funcionamento no Parque de Exposições do Crato. Verônica destaca também que a programação da semana, que envolve cine-debates, mesa-redonda, palestras, encontros temáticos, rodas de conversa, passeatas e oficinas, foi elaborada de forma coletiva por representantes de movimentos sociais.

Documento

As principais necessidades das mulheres que moram na região do Cariri, nesse momento, serão propostas e incluídas em um documento a ser elaborado após a conferência e, isso, diz Verônica Neuma, irá direcionar os trabalhos do movimento. A visão de trabalho estará voltada para as reais necessidades das mulheres na atualidade, conforme a presidente do Conselho. “Estamos debatendo o problema da violência e também de trabalho, influência da crise econômica na vida da mulher trabalhadora, questão da sexualidade, saúde da mulher. Durante o evento também será desenvolvida uma programação cultural”.

Fortalecimento

Ontem pela manhã foi discutida o papel do Conselho e campanha de busca de fortalecimento do órgão. Hoje, será apresentado o filme Terra Fria, seguido por um debate em torno da temática do filme, além de uma audiência na Câmara Municipal, a partir das 10 horas. À noite será realizado encontro temático a respeito da Mulher, seu papel, espaço e lugar na sociedade moderna, com a conferencista Cláudia Rejane Pinheiro. A crise econômica será outro ponto debatido, tendo à frente a conferencista Raquel Dias. O debate será na quinta-feira pela manhã e, em seguida, acontece a passeata que tem como tema “Não pago por essa crise”, contra as demissões e reduções de salários. O espaço também estará voltado para os jovens, na perspectiva de inseri-los nas discussões. Foram convidados também, para participar dos debates, estudantes de escolas públicas de toda a região. No evento acontece, ainda, o mini-curso “Ser jovem, ser mulher e ser de luta: um resgate de conquistas e desafios”.

Elizângela Santos
Repórter

VÍTIMA DE VIOLÊNCIA

Centro de referência será construído

Limoeiro do Norte. Em meio às comemorações ao Dia Internacional da Mulher, uma reivindicação de muitos anos sairá do papel. Parceria entre a Secretaria Nacional de Políticas Públicas para Mulheres, Governo Federal e Prefeitura de Limoeiro viabilizará a construção do Centro de Referência e Apoio à Mulher Vítima da Violência. No último sábado, foi lançada a Pedra Fundamental de construção do Centro. Nada de sexo frágil, mas gênero fragilizado nas atenções dadas pelos poderes públicos e a sociedade em geral. As mulheres, não raramente, vítimas de violência no Interior do Estado terão em Limoeiro do Norte um centro de apoio e, principalmente, prevenção à violência. “É uma importante conquista de nós mulheres”, afirma a vereadora Nadir Chaves que conseguiu aprovação na Câmara Municipal para que o lugar leve o nome — in memorian — da professora Márcia Moura, de Limoeiro, que por muitos anos atuou em movimentos sociais defendendo a causa feminina.

Recursos garantidos

Conforme o prefeito de Limoeiro do Norte, João Dilmar, os recursos para a construção o centro já estão garantidos, faltando apenas a publicação do edital de licitação para o início da obra, que terá um custo total de R$ 275.034,02. Deste total, a Prefeitura entrará com o valor de R$ 13.096,85 como contrapartida. Já foi liberado, pelo Governo Federal, um valor de R$ 146.367,38 para início das obras. O centro será construído no terreno que integra o Centro Social Urbano e terá uma área de 217,8 m². “Não dá para pensar em construir uma sociedade mais justa e fraterna quando a metade dos seres humanos é oprimida pela outra metade. Ao dizer isso, quero expressar o sentimento de solidariedade com todas as mulheres vítimas de qualquer violência, pois quando uma mulher é agredida, todas nós sentimos a dor”, afirma Nadir. O Centro de Referência e Apoio à Mulher Vítima da Violência oferecerá assistência jurídica, psicológica e social às mulheres em situação de risco. Um trabalho psicológico e social já é realizado pelo Conselho dos Direitos da Mulher, da Secretaria de Ação Social. Assassinatos como o da professora Cleidenilce Gadelha de Sousa, no ano de 2006 em Limoeiro, chocaram a sociedade pela brutalidade — estuprada e morta a pauladas pelo ex-namorado. Centenas de mulheres iniciaram movimentos de protestos pelas ruas pela não-violência à mulher. No último sábado, em alusão ao Dia Internacional da Mulher, a Câmara de Vereadores realizou sessão solene em homenagem às mulheres vítimas de violência no município. Mulheres que foram assassinadas em Limoeiro, algumas delas de forma cruel, foram lembradas e seus parentes receberam da Câmara uma singela lembrança de um buquê de rosas. Ainda nas atividades pelo dia 8, foram montados, oito tendas de prestação de serviços para a mulher com vacinação, verificação de pressão arterial e glicose etc.

MELQUÍADES JÚNIOR
Colaborador

Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Rapadura Cultural - Por: Amilton Silva



No último sábado, dia 07 de março, às 10 horas, tendo como local a G7 contruções, aconteceu mais um programa Rapadura Cultural. Em seu primeiro momento, homenagem de honra ao mérito ao senhor Edson Alves Campos e ao jornal do Cariri (impresso), tributo de gratidão e saudade aos senhores: José Mário Teles, Generoso e Ramiro. Foram comemorados os aniversários de : Zulene Galdino (mestra da cultura popular), Xerife (30 anos como segurança da exposição do Crato) Jornal do Cariri (01 ano de nova direção).

Agradecendo em nome da família , o tributo de gratidão e saudade ao senhor José Mário Teles, seu irmão Antonio Esmeraldo, lembrou que com iniciativa própria, sem apoio do poder executivo, nem lesgilativo, criou a casa de apoio aos pacientes renais da cidade. Em seu segundo momento, acontecido no bar do Gil, houve apresentações artísticas, comemoração de 10 anos do bar do Gil, entrega de medalha de honra ao mérito ao sr. Raimundo Inácio dentro dos aniversários de 50 anos da Rádio Educadora, tributo de gratidão e saudade ao professor Barreto, com a presença de amigos e familiares.

Texto e Fotos: Amilton Silva

O Professorado das Chuvas - Por: Cleirson Ribeiro



As chuvas deixavam um rastro
Sob a pele das palavras,
Em cujo dorso, um presságio
Em prece se desatava,
Igual um rio, ferido
Por lambidas de parábolas
Na carne da terra quente
(que é carne, extraviada:
fuligem de passarinho
de ossadura menstruada).

As chuvas, bordavam as horas
na medula das cigarras,
de noite, longe das rezas
enquanto o vento cantava
desfolhavam-se em metáforas
de cinzas coaguladas
nos olhos magros das reses
pela fome, adulteradas
que dormitavam à sombra
da casa (com seus fantasmas!).

Ouço ainda seus estrondos
na paisagem lacerada
com seus rabiscos agudos,
suas sombras enrugadas
na alma dos candeeiros
já velha, como cansada
carpidas, sob a salmoura
da memória expatriada
com seu rastro de remorso
de cantiga estorricada

As chuvas com seus punhais
de espessura enferrujada
debulhavam cadafalsos
na escuridão das latadas
puídas, como as fuligens
das roçadeiras lanhadas
que acorreram nos ventos
sua sina transformada
lágrima de chuva doída
lira de alma penada.

Não há mais chuvas que dancem
Nesse chão, como arqueadas
Cobras-d’agua, dançarinas
Em cuja pele, as arcadas
Dos trovões, vinham brincar
De cacimba, assoletrada,
Nos beiços duros da terra
Sílaba de dor, semeada,
Com seu canto agricultor
De lembranças, emplumadas.

As chuvas, de tão insones
Tem as carnes caleijadas,
Em seus nomes uma fome
Reza uma culpa rasgada
Fio a fio, se destecem
Descem do céu, invultadas
Passarinas violeiras,
No chão com suas pisadas,
Gritam carminas buranas,
Nas roças encoivaradas.

nas chuvas com seus soluços
Ferve uma raiz ancorada
Como um colostro que ardesse
No gosto da voz cansada
Do rosto de cada homem
Sofrido pelas pancadas,
Das chuvas que já não caem,
Como estivessem afincadas
No coração das esperas,
no ferrão das invernadas.

Por: Cleirson Ribeiro

Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30