xmlns:fb='http://www.facebook.com/2008/fbml' xmlns:og="http://opengraphprotocol.org/schema/"> 02/01/2009 | Blog do Crato
.

VÍDEO - Estamos de volta com as transmissões da TV Chapada do Araripe ( E agora, com alguns programas ao vivo ). Serão vários programas abordando temas diversos, como a realidade da nossa região, do Ceará e do mundo; Programas científicos, atualidade, entrevistas, e transmissão de eventos ao vivo. ( Veja o vídeo e compartilhe ). www.tvchapadadoararipe.com



Comunidade Cratense no Facebook - Mais de 25.000 seguidores. Clique em Curtir e adicione a sua Foto !

02 janeiro 2009

É preciso contar a verdade à nação - Postado por NIJAIR PINTO


NOTA
do Blog do Crato : Este texto, com nome sugestivo de "verdade" não representa de forma alguma o pensamento do "corpo" de autores nem do administrador do Blog. As opiniões emitidas aqui, e a responsabilidade sobre elas, tão somente são válidas para aqueles que a escreveram e/ou a postaram. O Blog do Crato exime-se de qualquer participação na opinião por ele veiculada, porém garantindo o livre direito de expressão dos membros/autores que postam aqui.

[ Dihelson Mendonça ]




É impressionante a naturalidade como mentem os inimigos do Regime militar, ao fazerem pronunciamentos públicos, ou quando prestam declarações na mídia, sempre se portando como heróis e, se querendo passar por fiadores da democracia, alegando terem ido à luta, por se haver insurgido contra a ditadura dos Governos militares. Como não são atores, mas, apenas, trastes despidos de ética que, por viverem de mentiras, perderam completamente a vergonha, se sentindo então livres para debochar com os brasileiros, deturpando fatos, inventando estórias e criando heróis.

Dando prosseguimento a mais um ato do festival de mentiras deslavadas, repetidas com ênfase por mentirosos contumazes que se sucedem e se alternam na ânsia incontida de estuprar a História, violentando-a impatrioticamente, coube agora à ex-terrorista Dilma Vana Rousseff Linhares, (Estela - Luíza – Patrícia – Wanda), hoje, ministra-chefe da Casa Civil por força da decadência moral da Nação, afirmar "que o processo de construção da Democracia deve fazer parte da memória dos brasileiros", em solenidade realizada para inaugurar mais um memorial, em homenagem a dois terroristas mortos, quando, a serviço do Movimento Comunista Internacional (MCI), traíam o Brasil, no afã de submetê-lo ao jugo comunista. A solenidade integra o projeto "Direito à Memória e à Verdade", da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, cujo ministro é o ex-terrorista Paulo Vannuchi, também frustrado, por não terem os militares permitido que o comunismo fosse implantado no Brasil.

Em seu discurso, afrontando a verdade, a ministra declarou que diante da ditadura, a sociedade gerou pessoas com coragem para lutar contra ela e que devem ser lembradas. É triste para um militar ter de afirmar que a degradação moral, que se abateu sobre o país, decorre do mau exemplo gerado pela fraqueza de caráter do Presidente da República e de muitos integrantes da cúpula governamental. Por omissão ou cumplicidade, propiciaram eclodir no país um clima de desapreço à verdade e à ética, de desrespeito à justiça, de tentativas de aliciamento de parlamentares despudoradamente anunciadas, de corrupção embutida no âmago das Instituições, de negociatas e bandalheiras, provocando escândalos, mas incapazes de espantar alguém, face estar a sociedade e os eleitores já saturados, por se saberem impotentes de conter tantos descalabros, muitos dos quais, ainda que denunciados pelo Procurador Geral da República, que se embasou em fartos comprovantes de delitos e crimes, teimam em permanecer impunes.

José Dirceu, embora denunciado, conta ainda com a proteção de um Presidente leviano, que de nada sabe, nada vê e nada escuta, razão de afirmar na mídia, acreditar na inocência dos meliantes denunciados por um homem sério, imparcial e íntegro, como o é o Procurador Geral da República, autor da denúncia.

Apenas num país moralmente fragilizado, uma Dilma Russeff poderia ser ministra, com possibilidade de disputar a próxima eleição presidencial. Beneficiada pela anistia concedida pelos militares, não pagou pelos crimes e roubos praticados, quando, na clandestinidade. Julgando-se acima das leis, do bem e do mal, participou pessoal e ativamente das ações de guerrilha, às vezes planejando, às vezes executando crimes, abusos e práticas delituosas. Integrou inclusive a equipe que planejou o assalto, o roubo e o sumiço de dois milhões e quatrocentos mil dólares, encontrados em um cofre na casa de uma ex-amante, do ex-governador paulista Dr. Adhemar de Barros. Como mentir, para a ex-terrorista Dilma é virtude, declarou ainda, "a gente era capaz de abrir mão de parte da própria vida". Interessante e patética declaração! Quanto desprendimento nas palavras, contrastantes com as ações praticadas por ela e pelos seus companheiros de crimes. Valendo-se do parecer de uma Comissão, parcial, facciosa e inexpressiva, obteve o direito de mamar nas tetas generosas dos cofres públicos, ao se habilitar ao direito de receber importância indevida, como prêmio de haver traído a pátria, a serviço do comunismo internacional.

Pergunto, por que a ex-terrorista, ex-guerrilheira incompetente, porém, notoriamente competente como meliante, pois bem soube se apoderar do dinheiro encontrado no cofre do Adhemar, não demonstra agora o desprendimento alegado, abrindo mão da indenização concedida, já que percebe o elevado salário de ministra, acrescido de um valor por mim desconhecido, face presidir o Conselho de Administração da Petrobrás? Os brasileiros, porém, não devem esperar de ex-facínoras qualquer gesto ou atitude de nobreza, pois, acredito que por deformação de personalidade, pessoas assim são incapazes de se sensibilizar com atitudes dignas.

Infeliz Brasil, onde apenas as novelas propositalmente escritas e orientadas para produzir o efeito de escandalizar a sociedade, tais os exemplos de depravação e degradação levadas à tela, no intuito de chocar, anestesiar e acostumar os brasileiros a conviverem com a delinqüência como fato normal, são capazes de competir em termos de falência moral com o Governo do mensalão, presidido por um inconteste líder popular que, para fugir à responsabilidade sobre o delito, se portou como alienado e que tem uma ministra da periculosidade de Dilma como cérebro, artífice e expoente máximo do Governo.

Não foi para gerar um Brasil assim que os militares derrotaram essa gente sem princípio ético algum! A anistia concedida, objetivando o esquecimento e a reunificação da família brasileira, foi um erro, por haver gerado esses monstrengos no Poder, simbiose da incompetência de alguns, com a absoluta falta de ética, dignidade e moral de outros e, com a frustração de todos, por terem sido os militares que asseguraram à Democracia, reinar absoluta em todos os rincões da Pátria.

Que tristeza! É lastimável, mas a verdade tem de ser dita para conhecimento dos jovens e para evitar, pela sua força e pujança, já que ela é eterna, que traidores de ontem e desonestos de hoje, consigam alcançar o sinistro intuito de estuprar a História, com o objetivo de restaurar as suas biografias. Aqueles que estiveram a serviço do MCI, se esquecem de um fundamental detalhe: traidores da Pátria não têm biografias e sim Folhas Corridas.

MÁRCIO MATOS VIANA PEREIRA
Cel Ref do EB

Postado por Nijair Pinto
.

Se Você está querendo encontrar...Eu estou aqui...Eu em você


Há mais de vinte anos uma Consciência sutilmente em mim me falou:

Meu Filho, se você está buscando seu Pai...venha...Eu Estou aqui.
Se você perdeu ou quer encontrar seu meu melhor amigo ...Eu Estou aqui.
Se você quer encontrar o amor de sua vida...lembre-se... Eu Estou aqui.
Se você quer encontrar a maior riqueza do mundo...Eu Estou aqui.
Se você deseja encontrar a cura de seus males...Eu estou aqui.
Se você perdeu a esperança na humanidade e quer encontrá-la...Eu Estou aqui.
Se você não sabe qual é o sentido da vida...venha...Eu Estou aqui.
Se você não sabe qual o Caminho a seguir...Siga-me...Eu Estou aqui.
Se você deseja saciar a sua fome espiritual...venha...Eu Estou aqui.
Se você não sabe a finalidade de sua existência...Eu Estou aqui.
Se você não sabe o propósito da sua vida....Eu Estou aqui.
Se você quer encontrar a Verdade que Liberta...venha...Eu Estou aqui.
Se você não sabe o que o outro representa para ti...venha...Eu Estou aqui.
Se você não sabe qual é a menor distância entre dois pontos...venha...Eu Estou aqui.
Se você não sabe de onde o vento da liberdade sopra...sinta...Eu Estou aqui.
Se você não sabe de onde o poder da fé surge dentro de ti...sinta....Eu Estou aqui.
Se você não sabe quem você é...venha Me conhecer em ti....Eu Estou aqui.
Se você não acredita que Eu Estou aqui...então você não aprendeu a se ver.
Porque Estou aqui na consciência do Verbo que se apresenta na essência da confiança da minha existência em Ti.
Eu Estou aqui no presente, na sua grandeza, na sombra de sua existência, na criação de sua verdade profunda chamada intuição.
Eu Estou aqui na Ética que declara o Amor Incondicional, que declara a Paz fundamental, que declara a transcendência existencial.
Eu Estou aqui do outro lado onde você não Me ve, mas que sente e se comove pela beleza da minha Criação através de ti.
Eu sou....Eu Estou...numa dimensão chamada Cósmica do Amor Infinito. Busque-me dentro de ti...e seja feliz para sempre...a ilusão é a sua pequena percepção que não ve Eu em você.

Prof. Bernardo Melgaço da Silva
bernardomelgaco@hotmail.com

A Ocupação da Amazônia II

Adriano Benayon – 07.11.2008

3. Dívida pública. Penúria de recursos

Por que a dívida pública e seu serviço, i.e., juros e amortizações? Porque esse serviço tem sido o principal fator impeditivo de se realizarem no País investimentos suscetíveis de valorizar os excepcionais recursos naturais do País em proveito da economia nacional, em lugar de serem exportados sob forma primária ou com baixo grau de transformação industrial e incorporação de tecnologia local, com isenções e benefícios fiscais.

De fato, a penúria derivada da política econômica condicionada pela primazia do serviço da dívida tem implicado a indisponibilidade de finança para alimentar iniciativas de interesse nacional em qualquer parte do País. Tem também servido de desculpa para descartar ou inviabilizar projetos de ocupação racional da Amazônia, como o Projeto Calha Norte, apesar de estes não requererem senão recursos extremamente modestos.

A dívida pública - a dívida externa e, a partir dos anos 80, também a interna - tem sido usada como instrumento para determinar as políticas econômicas. Assim, as condicionalidades impostas por meio de acordos com o Fundo Monetário Internacional, das normas aplicadas nos contratos com o Banco Mundial e com o BID, bem como dos acordos com governos estrangeiros, inclusive no âmbito do Clube de Paris, sem falar nos acordos de renegociação de créditos junto a bancos do exterior.

A promulgação, por instância do FMI, da lei dita de Responsabilidade Fiscal, Lei Complementar nº 101, de 04.05.2000, consolidou a prioridade absoluta às despesas financeiras no Orçamento da União e dos demais entes federativos, além de enquadrar Estados e Municípios recalcitrantes na política da miséria administrada.

3.1 Sangria através dos juros

Essa linha de abdicação ao desenvolvimento, cumprindo critérios estabelecidos por banqueiros estrangeiros, havia sido contrabandeada para dentro da Constituição de 1988, através da inserção, por meio de fraude, do dispositivo que excetuou o “serviço da dívida” de restrições a que estão sujeitas outras despesas orçamentárias.

Combinada com a desarrazoada política de juros elevados a pretexto de conter a inflação, essa norma constitucional espúria acarreta efeitos depressivos sobre a economia brasileira, de cujo impacto se pode formar idéia considerando os dispêndios desde então realizados pela União a título do serviço das dívidas interna e externa.

Dados oficiais mostram ter a União Federal despendido, de 1988 a 2007, R$ 4,5 trilhões (valor atualizado a preços de 2007) por juros, encargos e amortizações, não contadas as referentes a rolagem de dívidas.

Comparando-se as cifras de 1986 com a média anual de 1989/1990 constata-se o enorme o salto das despesas com o serviço da dívida após a Constituição. Elas se elevaram, a preços de 2005, de R$ 50,5 bilhões para R$ 564,1 bilhões, ou seja, mais que decuplicaram.

Dados elaborados pelo IPEA referentes à dívida externa registrada, inclusive do setor privado, mostram ter ela ascendido de US$ 43,5 bilhões em 1978 a US$ 195,6 bilhões em 2002, aumentando, pois, US$ 152,1 bilhões. Nesses 24 anos o Brasil pagou US$ 156,4 bilhões a mais por juros e amortizações que a cifra dos desembolsos de créditos. O desgaste soma, assim, só nesse período, US$ 308,5 bilhões, quantia que atualizada em dólares de 2007, corresponde a US$ 2,2 trilhões.

A quase totalidade do endividamento corresponde a juros capitalizados, taxas e comissões nas rolagens e reestruturações de dívidas, sem praticamente novos financiamentos à infra-estrutura ou à produção. Cabe considerar ademais daquela cifra astronômica os ganhos cessantes, i.e., os que deixaram de ocorrer em razão de não ter havido o investimento dos recursos perdidos com o serviço injustificado da dívida.

3.2 Origem da dívida

A dívida externa proveio do financiamento dos déficits de transações correntes com o exterior, os quais, por sua vez, decorre da estrutura industrial e econômica dependente. Esta já condenara o Brasil a pesadíssimo serviço da dívida ao longo do Império e da República Velha (até 1930). A partir de setembro de 1954 criaram-se novamente condições para a deterioração estrutural, ao se subsidiar, de modo cada vez mais intenso os investimentos diretos estrangeiros.
O modelo assim construído sob dependência financeira e tecnológica acarretou sucessivas crises de balanço de pagamentos, em função das transferências de recursos para o exterior. Em 2008, a remessa oficial de lucros, somente a ponta do iceberg, deverá ascender, segundo o Banco Central, a US$ 33 bilhões. Essas remessas somaram US$ 27,5 bilhões de janeiro a setembro, mais que as do ano de 2007 todo (US$ 22,4 bilhões).
O grosso das transferências procede da fixação dos preços de exportações e importações (transfer-pricing) e de despesas por serviços pagos às matrizes das transnacionais. As subsidiárias transferem juros, pagamentos por serviços superfaturados e até fictícios, a diversos títulos, como assistência técnica, uso de marcas, tecnologia, comissões de comercialização e de agentes, fretes, seguros etc.

Os déficits externos foram agravados, nos anos 70, por dois choques nos preços do petróleo, em 1973/74 e 1979, comandados pelo cartel anglo-americano das finanças e do petróleo.

Quando dos pretensos milagres econômicos (1955-1960 e 1968-1977), a dívida pública cresceu, em parte, em função do financiamento de de infra-estrutura e insumos básicos em pacotes fechados, sob desnecessária dependência financeira e tecnológica, gerando importações inadequadas e excessivamente caras de bens de capital e insumos.

Desde 1977/1978 o endividamento externo destinou-se a rolar dívidas anteriores. Do esgotamento da capacidade de endividar-se no exterior surgiu a dívida interna, em elevação exponencial a partir de 1980. Do montante atual desta, R$ 1,3 trilhão, cerca de 90% procedem da capitalização de juros, não obstante terem as despesas de juros e amortizações ultrapassado um trilhão de reais de 2000 ao presente.

A decisão do Federal Reserve dos EUA, de elevar os juros nos EUA para acima de 20% aa., em agosto de 1979, agudizou a crise externa brasileira. Apesar de os investimentos públicos minguarem, a dívida externa registrada mais que dobrou de 1977 a 1982, de US$ 32 bilhões para US$ 70 bilhões. De 1982 a 1987, na “década perdida”, essa dívida cresceu mais 53%, atingindo US$ 107,5 bilhões.

De 1987 a 1991, caiu para US$ 93 bilhões, devido ao quantum brutal das amortizações após a promulgação da Constituição de 1988, ademais de ter a União assumido dívidas privadas por imposição dos bancos estrangeiros. O resultado de tudo isso foi o brutal declínio, depois dos anos 1980, da taxa de investimentos fixos em relação ao PIB no Brasil:


PERÍODOS CRESCIMENTO DO PIB
% INVESTIMENTO FIXO/PIB %
1974 a 1980 7,0 24,0
1981 a 1990 1,7 17,7
1991 a 2000 2,6 15,0
2001 a 2003 1,0 13,5

Os investimentos públicos, e notadamente os do governo federal, tornaram-se insignificantes. Em 2007 estes totalizaram R$ 10 bilhões, o que equivale a 4,2% do gasto no serviço da dívida (R$ 240 bilhões).

3.3 Alavanca para pressões

As lições da História são claras ao mostrar que somente países enfraquecidos econômica e militarmente sofrem intervenções políticas ou armadas. No Brasil o modelo econômico e os conseqüentes vieses políticos inviabilizaram investimentos destinados a ocupar espaços amazônicos.

Os propugnadores da intervenção nos negócios de países sem poder de dissuasão invocam, em apoio a suas metas geopolíticas, causas simpáticas à opinião pública, tais como proteção ao meio-ambiente, direitos dos indígenas, democracia, direitos humanos, autoderminação, igualdade racial, defesa de minorias etc. Omitem, como é claro, os desígnios de controlar imensas terras dotadas de água, insolação, biodiversidade, madeiras, minerais preciosos e estratégicos.

O favorecimento, a partir do golpe de 1954, ao capital externo culminou em ter este controlado a economia do País, cuja política econômica se subordinou ainda mais a interesses estrangeiros após a inadimplência na dívida externa em 1982 e as subseqüentes reestruturações ditadas pelos bancos credores. A conseqüência foi a deterioração socioeconômica, tendo “remédios” do gênero das privatizações agravado ainda mais os males.

Data justamente de 1983 a declaração da então primeira-ministra britânica: "Se os paises subdesenvolvidos não conseguem pagar suas dívidas, que vendam suas riquezas, seus territórios.”.

Esteve subjacente nas “renegociações da dívida” o pressuposto aceito por governantes brasileiros de não admitir ruptura com a “comunidade financeira internacional”, como se essa expressão fosse mais que um eufemismo denotativo da oligarquia do poder mundial. Recusar alguma imposição dessa oligarquia é considerado sacrilégio contra a globalização, ideologia totalitária intensamente fomentada pela mídia e por outros meios formadores de opinião, inclusive acadêmicos.

Os subsídios em favor de transnacionais da indústria, acoplados à restrição ao crédito, elevados juros e encolhimento de mercado - pesando sobre o capital nacional – acentuaram o controle dos oligopólios comandados do exterior sobre o mercado interno e o comércio exterior.

Precisamente isso havia resultado nas crises de balanço de pagamentos que culminaram com o desenlace da dívida externa, e este, por sua vez, facilitou manipular a dívida para retirar dos brasileiros o pouco que lhes restava de poder decisório sobre a economia nacional. A radicalização desse processo foi feita por meio das privatizações.

Fotógrafo Pachelly Jamacaru Homenageia Dihelson Mendonça

DIHELSON MENDONÇA, Genial e bem nosso!


Este é o meu primeiro ensaio do ano 2009, tendo como tema, nada mais nada menos do que o meu amigo Dihelson Mendonça, a quem presto minha singela homenagem! Sem sombra de dúvidas, um gênio que a cidade do Crato tem muito do que se orgulhar. Pianista, Arranjador, Compositor, Poeta, Fotógrafo, Videomaker, Web designer, Radialista, Criador e mantenedor de importantes blogs culturais e sociais! Um dos mais conceituados artistas do nosso meio. Prepara agora o seu primeiro e por demais esperado CD, sob o título de “Em busca da perfeição”. O bom gosto se faz notar em tudo o que Dihelson empreende! Este ensaio é apenas uma pequena parte dos fotogramas do elaborado encarte deste trabalho que acompanha a obra musical, filosófica que chegará ao público com o que há de mais refinado. Dihelson não deixa por menos. Este é Dihelson e, estas são apenas pequenas referências diante do que é essa pessoa multitalentosa! E como pessoa, nem se fala, aí é onde ele transcende e tem a nossa admiração maior! Dihelson é o artista, o gênio e a personificação da “pessoa boa”, “pessoa do bem”, Gente nossa, gente da gente!

Dihelson agradecemos a tua existência e convivência!







O CD A Busca da Perfeição é Patrocinado pelo Banco do Nordeste do Brasil - BNB



Fotos: Pachelly Jamacaru
"Direitos reservados"
.

O Poder e a Popularidade - Por A. Morais



Com o resultado das eleições e a posse dos eleitos, os institutos de pesquisas se apressam em apresentar os altos índices de popularidade de pessoas detentoras de poder. Nem os pesquisadores nem os pesquisados observam as verdadeiras causas e razões de tão elevados índices. Muitos chegam a se valer dessa popularidade, se acham um eterno e esquecem que o poder é passageiro. Para estes, vale como exemplo, uma historinha do Senhor Virgilio Távora, governador do Ceara por mais de uma legislatura, deputado federal, senador da republica e político de grande influencia no cenário estadual e federal.

Há quem diga que o Senhor Virgilio Távora era um barriga branca de cabresto, tamanca, canga e cambão. Em 1981, na escolha do candidato à sua sucessão, sua esposa Luiza, foi quem fez a indicação. Caberia ao então secretario de planejamento do estado Dr. Gonzaga Mota, funcionário de carreira do BNB e menino de recado da primeira Dama do Estado concorrer pela situação. Ninguém ousaria discordar da indicação tamanha era a popularidade do governador e partiram para campanha via interior do estado.

Num determinado dia, a comitiva visitou o município caririense de Potengi. Todas as lideranças das cidades circunvizinhas estavam amontoadas juntas com o povo num campo de futebol na periferia da cidade. Bandeiras, carro de som, banda de musica, cinco caboclos soltando foguetões e eu lá observando o movimento, com os amigos Virgilio Xenofonte e Pedro Saraiva, afinal de contas éramos simpatizantes do candidato a vice-governador. Quando o Helicóptero se aproximou foi aquele corre corre, gente passando por cima de gente, tudo para ver o candidato a governador. Depois do pouso a poeira cobriu, parecia um tufão, o povo voou em cima feito louco nem se preocupava com as hélices que ainda rodavam como um carrossel de cavalinhos. O Gonzaga Mota se jogou nos braços do povo que saiu carregando rumo a um pequeno caminhão que o esperava um pouco adiante para uma passeata nas ruas da cidade. O Governador Virgílio Távora ficou aguardando a poeira baixar e quando desceu da nave, de paletó, sem gravata, assungando a calça, observou a distancia de 400 metros a festa para o futuro governador e saiu sozinho, falei sozinho, andando em direção ao carro que o aguardava para o inicio da carreata. Embora com todas as chances para se eleger o Mota era apenas o candidato e o governador já via seu prestigio em baixa, indo pelo ralo. Para completar o Gonzaga apoiou outro candidato derrotando o nome do seu padrinho político nas eleições de 1986.

Estamos assistindo a posse de uns e a menos de dois anos das próximas eleições e quando o quadro começar a se desenhar veremos a cambada que vem se aproveitando do poder há mais de 60 anos, começar a procurar rumo e os próprios institutos de pesquisas mudarem os dados, veiculos de comunicaçõa com novas ideias. Nunca foi diferente e não será agora que vai ser. A política tem essas proezas que, muitas vezes, não são observadas nem pelos próprios políticos que, vez por outra, quebram a cara graças à habilidade e sabedoria do povo. A euforia do inicio nem sempre coincide com o crepúsculo. È bom dividir a popularidade com a caneta e o Diário Oficial que ficam, enquanto o ocupante do cargo passa, é bom ter um pouco de humildade se não depois pode ter que relaxar e gozar por um bom tempo.


Por: Antonio Morais
.

DE JORNALISTAS E PARAJORNALISTAS

Para reflexão dos freqüentadores do BlogdoCrato:

“Existe uma mídia de opinião, com qualidades e defeitos. E existe um subjornalismo de injúria e difamação que, até algum tempo atrás, era restrito a alguns poucos sites ou colunas menores. Seu papel é atacar adversários, falsear, mentir, injuriar, sem nenhuma responsabilidade maior. Esse material serve para fustigar o adversário ou, mesmo, para ser utilizado em possíveis ações judiciais, apostando na pouca informação do juiz sobre as origens de tal conteúdo, É o blogueiro sem caráter, mercenário, sem pátria.
Nos últimos tempos algumas publicações de porte, no Brasil, passaram a abrigar esse submundo de jornalistas sem histórico de respeitabilidade, ou parajornalistas; são profissionais (?) que apenas cumprem ordens e participam de desdobramentos desses jogos de injúria e difamação.
Seria importante que os leitores, comentaristas e formadores de opinião pudessem fazer essa distinção também, para qualificar melhor o debate.”

Nota Pós-Publicação:

[ AUTOR DESCONHECIDO ]
.

Oficina da Escrita - Por: Socorro Moreira


ATENÇÃO !!!!

Até o dia 08.01.09 , estaremos consolidando as intenções de participação.

Período de 12 a 16.01.09
Local : URCA
Horário : das 15 às 18 :h
carga horária - 15 h
Instrutora : Claude Bloc


P.S As fichas de inscrição poderão ser enviadas por email , para o blog do Crato, bem como o comprovante de depósito da inscrição ( 50,00) , na conta abaixo especificada :
Bradesco
Ag : 0771-4
Cta: 10.558-9
Depósito identificado

Ficha de inscrição :
Nome
End , email e telefone
Data de aniversário
Atividades profissionais :

Limite de Vagas : 20

Programa noturno (pós-oficina ) :

A ser divulgado , na tarde de cada dia.

Por : Socorro Moreira

BLOG DO CRATO
A Maior e Melhor Revista do Crato na Internet!



Visite sempre e fique atualizado sobre os grandes debates e a informação sobre o Crato.
Blog do Crato - O crato na Internet !


Dihelson Mendonça
.

Galeria de Fotos da Posse da nova Administração do Crato


Agora Não tem mais Volta...
O Juramento da Responsabilidade sobre o Povo Cratense !


Aqui está a maior cobertura fotográfica que o Blog do Crato já fez de um evento: A Posse da nova administração, que irá governar a cidade por mais 4 anos. É bom que os cratenses memorizem bem os rostos dessas pessoas, em quem eles mesmos votaram, para podermos cobrar ações mais concretas para os grandes problemas que afligem nossa cidade. Em tempo oportuno, o Blog do Crato espera contar também com a colaboração de cada vereador em prestar esclarecimentos, entrevistas, e tudo o mais que se fizer necessário para a população que os elegeu como seus legítimos representantes, e que precisa acompanhar de muito perto o trabalho que será realizado pela nova câmara de Vereadores. O Blog do Crato cumprimenta todos os eleitos, e deseja Boa Sorte aos novos empossados, e um conselho: Ajam com Honestidade, Hombridade e façam por merecer o cargo a que foram eleitos !

Dihelson Mendonça

Posse dos vereadores:

Clique na Foto para Ampliar:


IMG_7385
Dácio Luiz

IMG_7387
Dr. Ailton Esmeraldo

IMG_7390
Jales Velozo

IMG_7392
Joana Pedrosa

IMG_7393
Fernando Brasil

IMG_7395
Luiz Cory

IMG_7399
Mara Guedes

IMG_7402
Dedé da Granja

IMG_7405

Francisco Elder ( Guer )

IMG_7433

Acima: Foto do Jornalista Huberto Cabral, que presidiu o cerimonial.


Image1

Valdery ( Acessor )

IMG_7484
Povo

IMG_7521
Banda Municipal

IMG_7540
Raimundo Filho, Mônica e Samuel

IMG_7535

Panorâmica da Posse

Posse do Prefeito e Vice-Prefeito:

IMG_7554
Juramento Oficial - Samuel Araripe
IMG_7565
Discurso de Posse - Raimundo Filho

IMG_7571
De frente para o Futuro...

IMG_7592
Discurso de Posse - Samuel Araripe

IMG_7632
Presidente da câmara outorga a posse dos eleitos

IMG_7634

O histórico político do Crato

POSSE DO SECRETARIADO:


IMG_7654
Dr. Cícero

IMG_7666
Dr. Olímpio Peixoto - Finanças

IMG_7663

Dr. Cícero assina a sua nomeação - Chefe de Gabinete

IMG_7670
Liduina - Ação Social

IMG_7675
Danielle Esmeraldo - Secretaria de Cultura

IMG_7677
Dr. Jefferson Felício - Secretária de Infra-Estrutura

IMG_7679

Érico Callou - Assuntos de Governo

IMG_7681

Duda - Desenvolvimento Econômico

IMG_7684
Dr. Nivaldo - Secretária do Meio Ambiente e Urbanismo

IMG_7686

Secretário da Agricultura

IMG_7689
Ernani Brígido - Procurador do Município

IMG_7692
Teresa Portela -

IMG_7697

Procópio - Presidente da Saaec

IMG_7698
Joathan - Diretor do Demutran

IMG_7702

George Macário - Presidente da Fundação J. de Figueiredo Filho

IMG_7714
Dep. Ely Aguiar, que presenciou toda a cerimônia em absoluto silêncio.

IMG_7827

A nova Equipe na foto Oficial

IMG_7736
Panorâmica

IMG_7819

Vice-Prefeito e Família

IMG_7708

Mônica Araripe, Samuel, e Vice Raimundo Filho

O.B.S - Se as fotos não aparecerem completas, clique em cada uma para vê-las completas, ou visite o site da galeria, logo abaixo! Desde já, desejamos muita PAZ, muita felicidade e muita HONRADEZ para os novos administradores que nós colocamos como nossos funcionários para que resolvam os problemas do Crato. Outras fotos que não apareceram aqui por força do espaço exíguo, podem ser encontradas no endereço abaixo:

Fotos: Dihelson Mendonça
Blog do Crato
www.blogdocrato.com

É proibida a reprodução sem autorização expressa e assinada do autor! Os violadores serão responsabilizados criminalmente na forma da lei.

Dihelson Mendonça
02/01/2009


Edições Anteriores:

Setembro ( 2017 ):

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30