02 dezembro 2009

Crato, Cidade da Cultura? - Por Océlio Teixeira

Em um post recente chamei a atenção dos leitores deste Blog para a vocação cultural do Crato. A partir do título Cidade da Cultura, discuti, de forma simples e sintética, a trajetória histórica desta denominação. Hoje, ao invés de produzir um texto e postar aqui, quero fazer uma provocação e uma proposta a todos. A provocação: o Crato ainda pode ser considerado a Cidade da Cultura? A proposta: vamos produzir um texto coletivo sobre essa temática, apresentando idéias e sugestões para o desenvolvimento do município nessa área? Quem topar o desafio faça seu comentário. Eu exercerei o papel de relator: a partir dos comentários e textos postados, farei uma proposta de texto e apresentarei aqui no blog. Depois, poderemos abordar outros temas e produzir novos textos e propostas.

Postagem: Océlio Teixeira de Souza
Foto: Dihelson Mendonça

7 comentários:

  1. Eu não só acho, como TENHO CERTEZA que o Crato HOJE pode ser considerada a Capital da Cultura Regional. Embora pareça que eu esteja fazendo publicidade para o prefeito Samuel Araripe, mas vou falar de coração:

    Por 30 anos nossa cidade foi administrada por gente insensível à cultura e às Artes. Nenhum dos prefeitos anteriores tinha A MENOR noção do que seja arte e Cultura, nem dava atenção que ela merece.

    Quando Samuel Araripe assumiu em 2005, o Crato, capital da Cultura não tinha sequer mais Secretaria da Cultura. Foi preciso construir uma. Como é que a cidade da cultura não tinha secretaria de cultura?

    Pelos governos anteriores, tem muita logica, pois eles deveriam ter criado a "Secretaria da Ignorância", já que alguns dos últimos prefeitos do Crato, mal sabiam ler. Outros não tinham capacidade alguma para serem gestores de uma cidade do Crato.

    O Crato, pode-se dizer que está saindo dos escombros. Com todos os espaços culturais, e a Secretária de Cultura atual, Danielle Esmeraldo, temos hoje no Crato uma agenda cultural. A secretária e a cúpula do poder não medem esforços para fazer o possível no sentido de incentivar os eventos culturais em suas inúmeras manifestações.

    A prova são os diversos tipos de eventos, como o recente e excelente Festival da Canção, que trouxe gente aí do mundo das artes que estava parado há décadas.

    Sim, o Crato hoje, com todo o esforço da sua gente, não só do grupo gestor, mas também pela pressão por parte da população pensante, está trazendo dignidade a esta terra. Estamos numa firme e inexorável trajetória de sucesso desde a produção de Arte à eventos patrocinados que a eleva e que a dignifica.

    O CRATO É CADA VEZ MAIS A CAPITAL DA CULTURA.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  2. Interessante, mas bastante complexo debater esse assunto em um blog, embora seja válid a iniciativa. Lanço alguns questionamentos:

    1 - "Crato, cidade da cultura", não seria uma construção histórica?

    2 - O que se entende por cultura? Visto tratar-se de um conceito polissêmico.

    ResponderExcluir
  3. Pra esquentar as discussões, vejam o documentário sobre o Crato feito pela professora da URCA Virgínia Soares. Lá ela coloca exatamente isso em discussão. Qualquer coisa eu tenho esse documentário para vender. Pode me ligar - 88163062

    ResponderExcluir
  4. Prof. Océlio:
    Permita-me um preâmbulo.
    Cultura é tudo o que o homem faz.
    Assim, o conceito de “cultura” passa desde o cultivo da terra até as produções antigas e recentes das ciências sociais (artes, saberes e haveres escritos ou orais dos povos, ritos, mitos, tradições populares, literatura, pintura, música, teatro, cinema, conhecimentos (sociológicos, filosóficos, antropológicos, históricos, geográficos, paleontológicos, dentre tantos e tantos), a erudição, etc. etc.
    Não existem culturas superiores nem inferiores.
    Além do mais a cultura é dinâmica. Conserva coisas antigas e incorpora as novas com imensa facilidade nessa comunidade global que virou o planeta.

    ResponderExcluir
  5. Durante muito tempo o Crato se destacou como a “vitrine” cultural na região do Cariri. Não tinha igual à Princesa do Cariri com suas com escolas de músicas e bons colégios, com seu teatro amador, Instituto Cultural do Cariri, bibliotecas, incentivo ao folclore e manifestações da liturgia católica, sem falar nos nossos “espaços públicos” bem cuidados e dotados monumentos (Cristo Rei, Samaritana, Obelisco do Centenário na Praça São Vicente, busto de Dom Quintino na Praça da Sé, dentre outros) casas residenciais com estilos bonitos, ruas limpas e arborizadas, bons cinemas, etc.
    A partir dos anos 80 a massa colocou no poder alguns administradores sem visão de cultura e com práticas populares nefastas.
    O resultado? Perdemos o Centro Cultural BNB, nossos monumentos públicos estão mal cuidados, a publicação de livros – sob o patrocínio da Prefeitura – foi suspenso, e nos anos 2001/2005 até a Secretaria de Cultura do município foi extinta.

    ResponderExcluir
  6. No entanto, pessoas e instituições particulares resistiram e continuaram a produção cultural, mesmo sem amparo oficial, naqueles “anos de chumbo” para a área cultural em Crato. Depois veio a Secretária de Cultura do Estado, Cláudia Leitão (gestão Lúcio Alcântara) que retomou o patrocínio oficial e teve início do ressurgimento das iniciativas culturais do Crato. A propósito: alguém sabe de alguma iniciativa do atual Secretário Auto Filho em Crato? Com a eleição do prefeito Samuel Araripe teve continuidade esse ressurgimento. Voltamos a ter Secretaria Municipal de Cultura, foram construídos em convênio Governo do Estado/Município: Teatro Salviano Arraes, Centro Cultural do Araripe. Os Museus de Arte e o Histórico passam, no momento, por conservação na sua estrutura física...
    Creio que Crato ainda lidera a produção cultural do Cariri.
    Apesar de outras cidades integrantes Região Metropolitana do Cariri possuírem mais cursos universitários do que Crato, além de disporem de Memorial, Centro Cultural de porte, e terem criado instituições universitárias mais dinâmicas do que a URCA que não divulga o que vem fazendo nos últimos tempos. Fica em Juazeiro, para citar um único exemplo, as faculdades de biblioteconomia, música e jornalismo (todas do Campus UFC que em breve constituirá a Universidade Federal do Cariri).
    Mas o Crato está voltando, aos poucos, aos velhos e bons tempos...é torcer que isso seja mais dinamizado...

    ResponderExcluir
  7. A cultura é milenar ou propriamente falando é nascedora de qualquer espécie, se o Crato foi vitrine ou não pouco importa, pois resistimos e necessariamente não podemos ficar reféns de instituições sejam elas privadas ou publicas, o que na verdade a construção cultural de um povo e a planificação de cultura de uma região necessita primeiro de atitudes, o fazer e o aplicar a feitura da arte de um povo para o povo, nos valorizando como seres pensantes e formadores de conceitos o que nos fará desconstruir os guetos em socializações produtivas. O SESC é um exemplo de manipulador cultural, querendo determinar a maneira correta de se fazer e criar a arte, os seus curadores se autodenominam os senhores deuses das artes, o que na verdade são medíocres ao perseguirem, censurarem e congelar no Freezer que vai contra os seus interesses e os criticam. A mais de vinte anos faço arte e poesia, e os coloco na rua sem precisar das famigeradas instituições, que bom que existem SESC, BNBCULTURAL, mas não somos reféns deles pra coisa alguma, a maior galeria e a maior platéia são as ruas, desde que o mundo é mundo.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.