11 outubro 2009

Há cinco anos Brasil perdia Fernando Sabino, um de seus maiores escritores


Em 80 anos de vida, o escritor publicou mais de 40 livros, editados no Brasil e no exterior Considerado um dos maiores nomes da literatura brasileira do século 20, Fernando Sabino morria há exatos cinco anos, em 11 de outubro de 2004, vítima de um câncer que surgiu em seu fígado e se propagou para outras áreas do corpo. Autor de títulos de sucesso como "O Encontro Marcado", "O Homem Nu" e "O Grande Mentecapto", o escritor criou o seu próprio epitáfio, que diz: "Aqui jaz Fernando Sabino. Nasceu homem, morreu menino". A morte do menino Sabino, nascido em Belo Horizonte no Dia das Crianças, ocorreu um dia antes do consagrado escritor completar 81 anos. Alfabetizado pela mãe aos sete anos, aos 12 ele já era locutor de um programa infantil de rádio. Aos 17, decidiu que seria gramático e escreveu uma crítica sobre o dicionário de Laudelino Freire, que foi publicada no jornal "Mensagem".

Ao lado de Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende e Paulo Mendes Campos, Sabino integrava o famoso e talentoso quarteto de escritores mineiros que publicava artigos literários em "O Diário". Formado em direito, ele exerceu cargos públicos nas secretarias de Finanças e de Agricultura de Minas Gerais, no Registro de Interdições e Tutelas da Justiça, no Rio de Janeiro, na embaixada do Brasil em Londres e no Escritório Comercial do Brasil e no Consulado Brasileiro, em Nova York. Em julho de 1999, Fernando Sabino ganhou da Academia Brasileira de Letras o prêmio "Machado de Assis" pelo conjunto de sua obra. Em 80 anos de vida, ele escreveu contos e crônicas para diversos jornais e revistas brasileiras, além de ter publicado mais de 40 livros, editados em diversos países.

Fonte: Folha OnLine

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.