30 setembro 2009

Revista Times reconhece importância do Brasil e seu papel diplomático na crise de Honduras – Por Beto Fernandes

Essa é uma informação que lamentavelmente não é divulgada como deveria pela grande mídia. A conceituada revista americana Times reporta que o Brasil se tornou efetivamente “o primeiro contrapeso real a influência dos Estados Unidos” no chamado hemisfério ocidental.

Indiscutivelmente o nosso país está hoje no chamado centro das atenções diplomáticas mostrando seu potencial como maior nação do continente latino-americano. A Revista lembra que no passado o Brasil procurava se afastar desses problemas numa clara alusão a participação no episódio do golpe de estado imposto em Honduras. Segundo a reportagem o Brasil fora levado para o “coração do imbróglio” pelos países vizinhos e mais especificamente ainda pela Venezuela.

Para a Times é natural que o Brasil seja chamado para assumir a responsabilidade de mediador sendo assim considerado na atualidade como primeiro contrapeso real aos Estados Unidos no continente. “Isso significa, pelo menos para outros países nas Américas, assumir um papel maior e mais proativo em ajudar a resolver distúrbios políticos do ‘Novo Mundo’ como Honduras” diz uma parte do texto da reportagem.

Lula da Silva e Barack Obama são considerados “colegas e almas gêmeas de centro esquerda”. Obama em agosto, afirmou a imprensa internacional que os que questionam sua resolução em Honduras ‘são hipócritas”. Segundo o presidente americano estes críticos são os mesmos que questionam os americanos do norte por intervirem na América Latina. A Times considera que com essa afirmação Barak Obama incluiu o Brasil que tem expressado preocupação em relação a centralização de esforços dos Estados Unidos.

Pesquisando a história recente encontraremos e efetiva participação do Governo Brasileiro em conflitos diplomáticos envolvendo Colômbia e Venezuela e até liderando a tropa da “Força de Paz” no Haiti. Para a publicação Lula da Silva “é um dos mais populares chefes de Estado do mundo” e se tornou “talvez” o mais efetivo intermediário entre Washington e a “resurgente esquerda antiamericana latino-americana”.

A Revista critica a determinação brasileira em não querer admitir que o País está enfiado até o pescoço na crise de Honduras. Todos esperam, na visão da Times, “que o hemisfério está esperançoso de que isso signifique melhores prospectos para um acordo negociado entre Zelaya e os líderes golpistas”.

Por Beto Fernandes
Fonte: BBC Brasil via MSN

3 comentários:

  1. Em Honduras os golpistas fecharam uma rádio. Jogam os militares em cima do povo.
    Derrubaram um presidente na calada da madrugada, que estava dormindo.
    Não lhe deram o direito de defesa, já que o acusam de transgredir a lei.
    Mas ele nem foi julgado e não pôde se defender.
    Decretaram Estado de Sítio.

    E o ditador é o Hugo Chavez???
    E também o Evo Morales?

    É muita hipocrisia.

    ResponderExcluir
  2. Quem é mais "terrorista"?

    - Alexandre Garcia?
    - Boris Casoy?
    - Diogo Mainardi?
    - William Waack?
    - Reinaldo sei lá o que?

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.