25 setembro 2009

Adoraria que alguém me respondesse?? - Por: Alessandra Bandeira


Por quê no Cariri, se perde tanto tempo endeusando um bandido, ( lampião ), e ainda usam a justificação de que ele foi vítima do sistema, e um ex-padre que sinceramente nada tinha de santo , quando há fatos que mereciam ser tratados com respeito como a insurreição de 1817 e a Confederação do Equador 1824 que estam totalmente esquecidas e renegadas? Por que um momento como esse em que o Cariri foi palco não merece o mesmo holofote? Sinceramente não entendo esse menosprezo.

Por: Alessandra Bandeira

11 comentários:

  1. Você mais do que a maioria sabe que há uma intensa e perversa manipulação da história em si, de forma geral, e da forma como essa história é propagada, ou seja, é dada importância para fatos simplórios e populistas, que atendem os interesses de A, B ou C.

    Agora me responda, há muitas pesquisas e publicações a respeito? como os historiadores tratam e publicam essas histórias?

    ResponderExcluir
  2. Valdir

    Eu fiz uma pesquisa extensa sobre Barbara, descobri ate novos fatos , mas o problema e falta de apoio para publicar.

    Aqui so se tem apoio para falr do caldeirão, de padre cicero e de lampião.

    MAs em breve eu vou publicar sim, do meu bolso, pois quero que as gerações furturas dêem valor a pessoas de bem

    ResponderExcluir
  3. Alessandra,

    Além das publicações científicas (não sei como ta isso na urca, se professores e alunos andam escrevendo muito sobre isso) existe a possibilidade de publicação literária mesmo, creio que um livro que compile essas histórias do Ceará tenha valor e, se bem articulado, possa receber apoio. Vocês da esquerda poderiam se unir, a URCA poderia apoiar, até financiar parte da publicação, enfim, é complicado, eu sei, mas fazendo um bom projeto dá pra cair em campo e conseguir apoio.

    Talvez uma série de micro-relatos históricos desse tempo, pequenos fatos, coisa de poucas linhas, e escrita de forma mais didática, possa ser postado aqui mesmo no blog, ou então voce pode fazer um site específico sobre isso, criar PDFs e vender online... existem alternativas.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Valdir

    Meu maior sonho e fazer um box com livretos ilustrados por artistas plasticos daqui onde cada livreto contaria uma histoira sobre a fundação do crato e do cariri.

    e estou atrás de fazer isso por conta do meu bolso

    algho simples mais bonito de ler e de se ter, além de uma leitura agradavel.

    ResponderExcluir
  5. Pela grande riqueza cultural que é o Cariri, concordo plenamente que muito mais rico seria esta arena montada para discutir Lampeão se estivesse sendo discutido fatos históricos da região como personagens: CEGO ADERALDO, BÁRBARA DE ALENCAR, PATATIVA DO ASSARÉ, PADRE CÍCERO, ALEXANDRE ARRAES DE ALENCAR, EXPLORAÇÃO DA SERRA DO ARRARIPE POR CASA DE FARINHA, PUBLICAÇÕES JORNALÍSTICAS HÁ 150, 100 E 50 ANOS ATRÁS.

    Isto sim, multiplicaria ainda mais a cultura do Cratense.

    João MENDES Filho

    ResponderExcluir
  6. Alessandra,
    Enquanto você não consegue recursos para publicar seu livro, sugiro as revistas científicas. Existem ótimas publicações. Na URCA existe o caderno de Cultura e Ciências que é uma publicação nível Qualis B.

    ResponderExcluir
  7. É preciso ter cuidado para não fazer parte da turma que segue o ditado:

    "Se da primeira vez que você tentar, não conseguir, desista!"

    Acho que as boas idéias devem sempre buscar a realização. O problema é bater em porta errada. No crato, infelizmente existem muitas portas erradas, a maioria.

    Alexandre Arraes colocou bem a famosa frase:

    "Sede bem-vindos. No Crato há sempre lugar para as pessoas de boa vontade" .

    Porque parece que naquela época já existia uma escassez de gente de Boa Vontade no Crato, ou ele tava pressentindo que o maior problema do Crato era esse. E com essa frase, ele estaria dizendo:

    Você tem boa Vontade ? Homem, Pelo amor de Deus, fique no Crato, pois aqui não tem quase ninguém assim...rs rs

    Aqui as coisas andam como uma lesma caminhando no lombo de uma Tartaruga. Devagar...muito D-E-V-A-G-A-R.

    Não me admira que o Juazeiro do Norte se impacientou, e resolveu não esperar por essa lerdeza das idéias boas do Crato.

    "TODA IDÉIA BOA NO CRATO, É 4 a 8 VEZES MAIS DIFÍCIL DE SE REALIZAR, DO QUE EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO.POR MAIS SIMPLES QUE SEJA!"

    Mas é por isso mesmo, que é preciso bater nas portas certas e procurar gente de BOA VONTADE.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  8. É Dihelson, compartilho em 100% a sua visão realista (longe de ser pessimista) sobre o Crato. E na verdade, "Crato" pode ser sinonimo de qualquer cidade pequena do interior do nordeste onde o comodismo toma de conta.

    Para a Alessandra, em hipotese alguma ela deve se limitar ao Crato. Como ela deve saber, as publicações científicas correm soltas no mundo todo, e existem muitas instituições, universidades, pelo Brasil, que podem publicar. O Sistema S tem várias editoras que recebem esse tipo de material, inumeras universidades também possuem editora, como a UFSC, e assim por diante. Em ultimo caso, com algum financiamento, pode-se usar editoras-rápidas em SP que montam uma certa quantidade de livros em poucos minutos.

    Alternativas existem, apenas ignore os "Não" que vierem do Crato.

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Valdir

    Nem dona Bárbar a se limitou...

    Não atualmente nem eu quero me limitar!!
    rsrsrs

    Eu vou publicar, e olha que não tive apoio nenhuma dessa "grande" URCA.

    Enfim nada mudara meu desejo de fazer isso

    ResponderExcluir
  10. Minha cara Alessandra:

    A sua indagação reflete uma preocupação e um grande problema: O povo gosta muito de ir por caminhos que outros já traçaram. Tem preguiça de fazer o seu. Falta ousadia.

    O comodismo é o pior instrumento de progresso. Pesquisar sobre vultos históricos que realmente fizeram época, dá uma trabalheira danada e ninguém quer perder tempo com isso. Que pena.

    Quando a gente seleciona uma área literária que não dá dinheiro, tudo se torna mais difícil por que teremos que pesquisar bastante em todo o acervo do passado em vários locais: Universidades, Museus, Bibliotecas, Secretarias de Governo, Jornais, outras publicações e às vezes conversando com membros da família do personagem que queremos estudar e divulgar.

    Como vê, é uma tarefa hercúlea e a maioria pára na primeira dificuldade. Grande erro. Os comentaristas acima delinearam caminhos alternativos. Não esmoreça, seja firme em sua decisão.
    Alguém disse um dia com muita sabedoria: “O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste”.

    Vicente Almeida

    ResponderExcluir
  11. ha mto tempo que ja vi que o caminho é outro .

    aqui no crato um dia as pessoas vão se dar conta que lampião , padre cicero e caldeirão não são as unicas coisas que engradecem a cidade!

    o triste e que um bandido ganha ate um senminario para discutir sua trajetoria!

    um padre nem tão santo ganha direito de ser reabilitado

    o caldeirão ganha cuidados

    e dona barbara , so leva pancadas

    O primeiro passo dei , idealizei o porcesso de titulo de cidadania d ebarbara e foi aprovado, o segundo passo e terminar o livro e publicar

    quem sabe a secretaria de educação e de cultura se empolguem e se movimente para isso?

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.