23 agosto 2009

Para ler neste Domingo: CENTRO CULTURAL - Estação é sede das artes - Por: Antonio Vicelmo e Elizângela Santos

Numa magnífica reportagem em dobradinha, que envolveu os dois maiores repórteres do Jornal Diário do Nordeste no Cariri, a saber: Antonio Vicelmo e Elizângela Santos ( ambos colaboradores do Blog do Crato e Jornal Chapada do Araripe Online ), trazemos esta matéria sobre o destino artístico e cultural das estações da antiga RFFSA em Crato e Juazeiro do Norte:

NO MUNICÍPIO DO Crato, a estação ferroviária, inaugurada com a presença de Padre Cícero, foi o marco do desenvolvimento na região do Cariri. O prédio tem um valor inestimável para a cidade (Foto: Antônio Vicelmo).

Estação das artes poderá ser o novo destino dado ao terminal ferroviário no município de Juazeiro (Foto: Elizângela Santos).

Prefeitura Municipal comprou o acervo e conseguiu recursos para a construção do Centro Cultural do Araripe.

Crato. O complexo do Crato da Rede Ferroviária Federal Cidade Anônima (RFFSA), que envolve parque de manobras, estação ferroviária, armazéns e a casa residencial do agente, foi um dos poucos patrimônios da RFFSA restaurado no Interior do Estado. E isso serve de modelo para que os antigos prédios que serviam de estação ferroviária sejam revitalizados e passem a contar com uma melhor infra-estrutura. A Prefeitura Municipal comprou o acervo e conseguiu recursos junto aos governos Federal e Estadual para a construção do Centro Cultural do Araripe. Naquele espaço funcionam, atualmente, a Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude, a biblioteca municipal e um telecentro. Instalações que são capazes de proporcionar um movimento intenso de pessoas e, com isso, ocasionar a revitalização do local em um tempo mais hábil. Uma das salas está sendo adaptada para a instalação de Arte Vicente Leite, que foi fechado temporariamente para restauração dos quadros. A secretária de Cultura, Danielle Esmeraldo, informou que será instalado o "Expresso do Mundo", um espaço cultural que funcionará em parceria com o Instituto Lusofônico, uma entidade de Portugal que reúne os países de Língua Portuguesa, entre os quais, Guiné Bissau, Angola, Timor Leste, São Tomé e Príncipe, Portugal, Moçambique e Brasil.

O parque de manobras foi urbanizado e transformado numa grande área de lazer, onde são realizadas apresentações folclóricas, shows, festivais e festas carnavalescas. "Hoje, a antiga estação da RFFSA é um referencial dos acontecimentos culturais do Cariri", diz a secretária, destacando que no mesmo espaço foram construídos outros equipamentos como o restaurante popular que fornece 1.000 refeições por dia e a nova estação do trem urbano que ligará Crato à Juazeiro do Norte.

Histórico

A estação do Crato foi inaugurada em 1926, com a presença do Padre Cícero. A chegada do primeiro trem foi o marco de desenvolvimento para a região do Cariri. Era ali a estação terminal da linha que foi um prolongamento da antiga Estrada de Ferro de Baturité, que começou a operar perto de Fortaleza. O prédio tem um valor histórico inestimável para a cidade, uma vez que foi o marco para o desenvolvimento industrial e para o aumento do fluxo de pessoas que passaram a visitar a cidade. Em 2003 propôs a compra do patrimônio, iniciando as negociações para a compra do conjunto da RFFSA. Este conjunto incorpora os prédios da estação e do armazém e toda área da faixa de domínio da via férrea, inclusive o amplo terreno ao lado da estação, onde hoje são realizadas as festas populares, e o parque de manobras. A RFFSA ficou somente com a linha. Os trens já não passam por ali há muitos anos. Mesmo assim, a memória oral é capaz de voltar ao passado, com a evolução da cidade.

Mais informações
Secretaria de Cultura de Juazeiro
Avenida Castelo Branco, 150
(88) 3571.5933

ANTÔNIO VICELMO
REPÓRTER

FORMAÇÃO DE ARTISTAS
Projeto prevê recuperação de prédio em Juazeiro incentivo

Juazeiro do Norte Um local que hoje serve de passagem de desocupados e amedronta os moradores poderá ser no futuro a Estação das Artes. Parte do prédio da antiga estação ferroviária deste município serve para essa finalidade. A outra parte, abriga associação de artistas locais. Mas o objetivo é maior para a Secretaria de Cultura de Juazeiro. Um projeto prevê a recuperação do prédio, transformando num ambiente dinâmico de geração de artes e formação de artistas, além de importante ponto turístico para a cidade dos romeiros no Cariri. O prédio da estação ferroviária de Juazeiro do Norte foi inaugurado em1925, pelo primeiro prefeito do município, padre Cícero Romão Batista. O equipamento garantia uma dinâmica maior à localidade nos seus primeiros anos de independência política e, ainda, possibilitava a integração entre as principais cidades da região, como Crato, Missão Velha, Barbalha, Iguatu e Fortaleza. A idéia era fomentar o desenvolvimento das localidades, aproveitando a fase de produção do algodão.

Mas, dentro da perspectiva de manter a memória material de um dos prédios mais antigos da cidade, já que em Juazeiro há pouca preservação nesse aspecto, em 2011, ano do centenário, há a pretensão de se inaugurar o projeto, avaliado em R$ 180 mil. Pelo menos, essa é a proposta inicial que inclui a preservação do prédio em sua originalidade. A secretária de Cultura de Juazeiro, Glória Maria Ramos Tavares, afirma que ao assumir a pasta esta foi uma de suas preocupações, principalmente no sentido de preservar, dar espaço aos artistas e proporcionar a população de Juazeiro, Cariri e aos visitantes, uma opção de lazer e, ao mesmo tempo, divulgar a arte local.

Um desses espaços será reconquistado pela gráfica Lira Nordestina, atualmente no prédio da Universidade Regional do Cariri (Urca), na Avenida Castelo Branco, onde hoje também se encontra a Secretaria. Mas a idéia, conforme Glória, é oferecer o espaço para comercialização dos cordéis e as xilogravuras, proporcionando renda para os artistas dessa área. A gráfica seria mantida no prédio onde se encontra, já que há muitos equipamentos para continuar na estação, em sua totalidade. O projeto será apresentado nos próximos dias ao secretário de Cultura do Estado, Francisco Auto Filho.

De acordo com o projeto, será criado um Memorial da Xilogravura e do Cordel do Cariri, uma galeria de arte, a comercialização de artesanato e dos artigos produzidos pela Lira, café cultural, a montagem de um palco no entorno da linha para apresentações artísticas, projeções de vídeo no alpendre da estação. Parte lateral dessa estrutura é metálica, além de produção de material visual que contextualizará a história de edificação do trem.

Segundo a gerente de arte da secretaria de Cultura, Nívia Uchoa, o projeto já foi apresentado a setores da administração municipal, entidades e representatividades comunitárias. É dada continuidade a uma pesquisa histórica sobre a construção do prédio, destacando a época de fundação, com o contexto político e econômico.

De frente à praça dos Ourives, o local hoje abriga a Associação dos Amigos e Artistas da Arte (Amar), reaberta há poucos meses. Ao lado, na parte central da antiga estação, o cineasta Sérgio Barros ocupa o espaço com seus artigos voltados para filmes com temática do cangaço. A idéia é realocá-lo para a casa que serviu de parada para Lampião, na rua Boa Vista, em Juazeiro.

ELIZANGÊLA SANTOS

Reportagem:
Elizângela Santos

Antonio Vicelmo

( Ambos repórteres do Jornal Diário do Nordeste e colaboradores do Jornal Chapada do Araripe )

Um comentário:

  1. Meus caros Vicelmo e Elizangela. Voces só esqueceram de citar que o projeto do Cento Cultural Araripe/ Estação foi uma complexa proposição de recuperação edilícia/ urbana/ ambiental feita por um grupo de arquitetos na direção de valorizar a Área Central do Crato. Cordialmente José Sales/ Arquiteto

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.