17 julho 2009

DESTAQUE: Prefeito do Crato apresenta projeto para ampliação e modernização do parque da ExpoCrato


O CENTRAL PARK
do Crato pode vir aí...
Em audiência pública, Samuel conquista a platéia com um arrojado projeto para o Crato.

samuel 01

Em audiência pública realizada na manhã da última terça-feira, dia 14 de Julho, no SESC Crato, para uma platéia de diferentes segmentos da sociedade, intelectuais, e a presença do representante do governo do estado, secretário do desenvolvimento agrário Camilo Santana, o prefeito de Crato, Samuel Araripe se adiantou à polêmica gerada por alguns sobre se deve ou não mover o parque de exposições para outro local, e já prevendo que a esmagadora maioria dos Cratenses optariam pela permanência do parque no local aonde hoje se encontra, deu uma cartada de mestre, ao tirar literalmente "da manga", e entregar ao governo do estado, todo um projeto de ampliação e modernização do atual parque de exposições, e que o transformaria numa espécie de "Central Park" em pleno coração do Crato, com áreas verdes, pistas de cooper e até um lago, semelhante ao parque do Ibirapuera, em São paulo. A audiência, que foi brilhantemente conduzida pelo Promotor de Justiça - Pedro Luis Lima Camelo, teve o pronunciamento de inúmeras pessoas renomadas da sociedade Cratense, e a cada vez em que os oradores se posicionavam sobre a permanência do parque no local atual, eram aplaudidos veementemente.

Segundo o prefeito Samuel Araripe:

"Precisamos trabalhar hoje projetando como será o Crato daqui a 50 ou 100 anos. Em breve, essa região que hoje é ocupada pelo parque da expocrato será o coração do novo Crato. Por ali, passarão avenidas gigantescas, que unirão bairros como Grangeiro à Vila Lobo, por exemplo. Pelas inúmeras manifestações do povo do Crato em diversas ocasiões, não temos mais dúvidas de que a população já escolheu que o parque deve permanecer aonde se encontra, agora, precisa ser modernizado e ampliado. Essa é uma excelente oportunidade de fazermos o Crato dar um Salto para o futuro, através da construção de uma malha viária que circundará o parque, e permitirá o acesso de quem vem de qualquer parte. O projeto da nossa autoria, e que consta no PRU, plano de requalificação urbana do município, contempla a qualidade de vida dos Cratenses, através de uma visão ecológica e ambientalista. Acreditamos no desenvolvimento sustentável. O Crato que eu quero deixar para as futuras gerações, é um Crato que pensa em desenvolvimento, em modernidade, mas a exemplo das melhores cidades do mundo, tem um sistema de integração voltado ao bem-estar do ser humano, sobretudo.

Esperamos que o nosso governador, para quem enviei o projeto de modernização, olhe com muito carinho para ele, e eu acho que ele vai olhar, pois já se dispôs a investir até 25 milhões de reais no parque de exposições ou no Crato. Creio que esse é um daqueles momentos históricos, em que temos a grande oportunidade de fazer o Crato dar um salto para a modernidade, preservando a qualidade de vida da população. Agora, não falta mais um projeto de modernização do nosso parque."

"A colocação do professor Cacá Araújo foi feliz, quando disse que nesta reunião temos o casamento perfeito, pois aqui veio o representante do governo do estado trazendo a boa vontade do governador em construir, e por outro lado, o prefeito do Crato que já trouxe o projeto para a ampliação e modernização do parque da expocrato. Agora, se quiserem, é só realizar."

Como Será o Parque de Exposições:
( Se a foto não aparecer completa, veja num monitor de 17 pol. ou superior )

parque 04



parque 03



parque 02



parque 01


Arquiteto José Sales explica o projeto de ampliação e modernização do Parque de Exposições, apresentado por Samuel Araripe:

"A proposta é originária do escopo de projetos estruturantes do PRU CRATO/ Plano de Requalificação Urbana do Crato, de sua primeira versão Maio 2005. E gradativamente veio sendo melhorada e adequada as demandas tanto do Crato, que teria um grande parque central multiuso, como do próprio Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante, o modernizando integralmente.

Constam da mesma, além da contemporanização das instalações e equipamentos do próprio Parque de Exposições, melhorias incomensuráveis à area central do Crato. No ambito do Parque de Exposições, teríamos:

*
Implantação de um calçadão central de 1.400 metros de extensão onde estariam posicionados todos os equipamentos principais do parque.
*
Um novo tartesal para leilóes
*
Um conjunto de novos pavilhões de exposição agropecuária com 440 baias moduláveis
*
Um núcleo de restaurantes com funcionamento permanente
*
Um auditório com palco interno e abertura externa semlhante ao novo auditório do Parque do Ibirapuera, em São Paulo
*
Uma arena de vaquejada, com arquibancadas
*
Uma arena de shows e apoio infraestruturado por manifestações diversas durante todo o ano
*
Urbanização do Riacho do Parque de Exposições e preservação integral da arborização existente, notadamente das grandes timbaúbas lá postadas
*
Pista de cooper e equipamentos de ginástica ao ar livre
*
Estacionamento para público
*
Estacionamento para expositores
*
Currais e apoio infraestruturado
*
Alojamento para tratadores
*
Administração do complexo
*
Modernização do Corpo de Bombeiros Militar para suporte ao Parque
*
Modernização das Instalações Cavalaria Militar
*
Dotação de infraestrutura de drenagem e saneamento básico em todo o parque e equipamentos.
*
Arborização intensiva e primoroso agenciamento paisagístico com espécies nativas da Chapada do Araripe

No ambito do entorno teríamos:

*
A extensão da Avenida José Marrocos entre as imediações do Cemitério a interconectando diretamente com as Ruas Carolino Sucupira e Coronel Antonio Luís, acima do posicionamento das instalações do Campus do Pimenta da URCA, com extensões à Rua Anusia Rolim e à futura ligação Granjeiro/ Lameiro, resolvendo de forma definitiva a questão da mobilidade e acessibilidade ao bairro do Pimenta, ao Granjeiro e ao Lameiro. E também ao Alto da Penha, Conjunto Ossian Araripe e Conjunto Pantanal. Esta seria a maior modernização do sistema viário estrutural do Crato. Drneagem e pavimentação da via. Luminotécnica urbana.
*
Reconstrução do Açude do Parque de Exposição a montante, o transformando em uma bacia de acumulação para prevenção dos alagamentos no Parque, no Cemitério, na Rua da Vala e Praça da Sé. Transformação desta situação em um parque acessório ligado ao Baixo Granjeiro
*
Urbanização da Encosta do Alto da Penha e arborização intensiva da mesma. Consolidação de via paisagística. Consolidação de pista de cooper e equipamentos de ginástica ao ar livre.Drenagem, saneamento e luminotécnica urbana.
*
Urbanização da mata do IBAMA que originalmente faz parte da gleba original do Parque de Exposição e sua abertura para usofruto da população para fruição da natureza. Drenagem e saneamento da gleba.nUrbanizazação do encosta do Alto da Penha e sua transfromação em uma P
*
A dimensão da intervenção ultrapassaria a área restrita da gleba do Parque que é de 36 hectares, alcançando 44 hectares de benfeitorias urbanas e ambientais.

Cordialmente
José Sales

PS - Todos os estudos e proposições tem base técnica e podem ser comprovados inclusive do ponto de vista da viabilidade urbanística e ambiental, como economica e financeira. Não existe nenhuma área com esta dimensão, qualificação e posiconamento logístico, notadamente este, no Crato e já de propriedade pública. Só na compra e urbanização de algo similar seriam empregados algo da ordem de R$ 10 a 12 milhões, que já estão ali amortizados. Urbanização e acesso à mata do IBAM. A proposta consiste numa adequação do Parque de Exposições para PARQUE CENTRAL DO CRATO, com a reformulação dos usos e espaços, além de obras viárias, com abertura de via pericentral e via paisagística, implantação de drenagem da Área Central e rede de saneamento. Deverá ser um lugar de referência para as Exposições como para esporte e lazer e ter utilização permanente pela população local.

Reportagem: Dihelson Mendonça

Agradecimento ao Dr. José Sales:

O Blog do Crato gostaria de agradecer ao ilustre arquiteto José Sales, por nos fornecer todo o material da apresentação para a publicação aqui no Blog do Crato, bem como o texto com o detalhamento de cada parte do projeto. Esperamos poder publicar maiores detalhes do mesmo futuramente.

23 comentários:

  1. Graças a Deus, mais de que provado que temos um prefeito que realmente, ama o Crato, e cuida maravilhosamente bem dele. Parabéns, Samuel, pelo pequeno na estatura, mas, gigante homem de visão que o senhor é.
    NACIRENE TAVARES.

    ResponderExcluir
  2. O prefeito Samuel, com a propriedade conferida pelo seu Plano Diretor, demonstra a viabilidade de ampliação e reforma do Parque no mesmo local onde ele sepre funcionou. No entanto, devemos apreciar outras propostas diferenciadas e que se mostrem também viáveis. Creio que o caminho mais salutar para tudo, principalmente, para as decisões que envolvem o interesse coletivo, é o debate. Debate plural e desinteressado, sem espírito de porco e movido pelo legítimo interesse do povo. Parabéns, Samuel, pelo imprescindível planejamento que foi feito sobre o futuro do Crato, contando, inclusive, com a participação popular, nos vários debates instaurados. É assim que se governa, sem bravatas e arrogância.

    ResponderExcluir
  3. O projeto do Dr josé Teles, exposto pelo nosso prefeito, desmonta qualquer argumento de quem deseja a retirada do parque de exposição de onde ele se encontra.
    Wilmar Rocha

    ResponderExcluir
  4. Nacire Tavares, Carlos Rafael, quero aqui agradece em nome de Samuel e dizer que bravatas e arrogâcia não faz parte do seu trabalho e como Carlos Rafael falou, os debates as plenarias com certeza é a melhor maneira de respeitar o povo. Desinteressado e sem espiito de porco e sim movido pelo legítimo interesse do povo.
    Mônica Araripe

    ResponderExcluir
  5. Estamos, todos os cratenses, de parabéns pelo belíssimo projeto apresentado pelo prefeito municipal. Como no dito popular, “juntamos a fome com a vontade de comer”. Creio que agora sepultamos, de uma vez por todas, essa inconcebível estória de mudança do nosso parque.

    Mas acho que precisamos de mais detalhes sobre o projeto, como a quantidade de vagas nos estacionamentos, capacidade dos currais, capacidade das arquibancadas do pólo de vaquejadas, a questão dos banheiros, qual o tratamento será dado ao parque no período imediato do pós-festa, uma que vez incomoda bastante o mal cheiro e a proliferação de moscas, principalmente se considerarmos que teremos um “parque vivo”, com funcionamento permanente de alguns setores, incluindo um restaurante.

    Infelizmente não pude participar dessa produtiva audiência pública (estava de plantão). Estou tirando essas conclusões com base apenas na matéria postado aqui no Blog do Crato. Não sei se durante a audiência foi tratada a questão da sonhada e necessária ampliação da URCA.

    Por fim, proponho que o tempo do verbo usado na explicação do arquiteto José Sales, logo após o termo “No âmbito do Parque de Exposições,” TERÍAMOS: por TEREMOS: “Teríamos” é pretérito imperfeito, ou seja, significa algo que seria construído no futuro e já ficou decidido, no presente, que não será mais realizado. Num projeto de tamanha importância a gente tem que afastar todos os maus agouros.

    ResponderExcluir
  6. Caro Dr. Valdetário. Prometo ter mais cuidado com a redação dos memoriais e explicações. Em geral, por um errado vício de linguagem, os arquitetos tendem a escrever no pretérito imperfeito. Outrossim esclareço que a expressão "parque vivo", uma definição que considero mega substantiva, foi tomada emprestada da proativa fala da Secretaria Daniele Esmeraldo, na audiencia pública de ontem.Em síntese: "xou mau agouro". Parque vivo para o Crato. Cordialmente

    ResponderExcluir
  7. Trago aqui algumas palavras do prefeito Samuel Araripe sobre essa postagem:

    "O meu Agradecimento ao prezado Carlos Rafael e ao ilustre Dr. Valdetário pelas brilhantes observações sobre o nosso projeto, e aos outros comentaristas do Blog do Crato também, e dizer que o projeto não é fechado. Pelo contrário é aberto à opinião e avaliação pública para que seja apreciado e sobretudo, melhorado...

    ...Não queremos fazer nada que seja do desagrado dos que irão se beneficiar no futuro: a própria população do Crato. Por isso é importante que as pessoas se manifestem, e do resultado da apreciação pública é que teremos o projeto final que se o nosso governador quiser, poderá realizar.

    ...da nossa parte, cremos que demos o primeiro passo em direção à ampliação e à modernização do nosso atual parque de exposições da expocrato, e não só isso, o mais importante que traz como uma consequência, a ampliação da malha viária do Crato, com um projeto que trará mais 4 avenidas, que com certeza, serão limites de bairros que ainda existirão entre elas no futuro, não tenho a menor dúvida.

    ...Fica aqui a nossa contribuição ainda que mínima e o grande arquiteto José Sales sabe explicar muito melhor do que eu, se alguém tiver alguma dúvida sobre o projeto.

    ...Aproveito para parabenizar o alto nível da discussão que houve lá na audiência pública..."

    Textos retirados de entrevista por telefone com o prefeito Samuel Araripe - Prefeito do Crato.

    ResponderExcluir
  8. valeu sr. prefeito esta uma beleza, jah tinha conhecimento projeto, so nao tinha visto a maquete.sds.

    ResponderExcluir
  9. Amigo Dielson, no final da tarde do sábado irei reproduzir na RPS o audio das entrevistas sobre o Projeto de ampliação e modernização do parque de Exposição de Crato. O projeto está bonito e interessante.
    Gostaria de extraír a matéria, mas queria usar apenas uma imagem. A primera contempla todo o projeto?

    ResponderExcluir
  10. Sim, Amigo Toinho,

    Contempla sim, mas pode usar quantas quiser. O Áudio está disponível para download, se você quiser.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  11. Parabéns ao Prefeito Samuel pela apresentação do projeto para o parque de exposição. Acho que deveria ser contratada uma empresa idônea para ouvir a opinião da população inclusive e especialmente os visitantes. Lembre-se que a exposição não e somente para os cratenses. Diferentemente do “levantamento” feito por uma entidade de classe que não tem validade estatística ate porque não foi feita uma amostragem correta e pelos erros cometidos na “consulta” que a invalidam do ponto de vista estatístico uma vez que a mesma foi feita tão logo a “estória” havia se espalhado que o parque seria transferido para Juazeiro e não houve naquele momento uma “defesa” do lado contrario. Desta forma os resultados são viesados e não tem validade estatística. Finalmente, na proposta precisa contemplar a ampliação da URCA, ate mesmo a construção de um novo campus. Não podemos desvincular os projetos e devemos aproveitar a boa intenção do governador na ampliação da URCA.

    ResponderExcluir
  12. Caro Wellington Ribeiro Justo e demais leitores deste blog. Sobre as demandas da URCA e necessidades de ampliação, relato que há algum tempo atrás, na Gestão Herzog, participei do PLANO URCA, nomeação reduzida do Plano Diretor de Ampliação da Infraestrutrura Física da URCA, fundamentado no conceito de obrigatória regionalidade desta Universidade e sua nucleação nos principais pólos urbanos do Cariri que objetivavam e no fortalecimento de um conjunto de campi localizados no Crato, no Juazeiro do Norte, em Barbalha, em Santana do Cariri e mais recentemente em situações avançadas em Campos Sales e Iguatu. Este PLANO URCA, hoje precocemente esquecido, dimensionou: melhorias e ampliação para o Campus do Pimenta(1); melhorias e ampliação, com novas novas instalações para o Campus São Miguel(2), onde permaneceria o CESA/ Centro de Estudos Sociais Aplicados - Direito/ Educação/ Outras unidades; melhorias e ampliação do Campus CARJUBAR, em Juazeiro do Norte - Centro de Ciencias Tecnologia(4); melhorias e novas instalações do Campus Pirajá, em Juazeiro do Norte - Centro de Artes e Expressão/ Lira Nordestina que passaria a ser articulado com o Centro Drgaão do Mar de Arte e Cultura/ Fortaleza e com Towsend Center ofr Humanities/ University Of California/ Berkeley(5); melhorias e ampliação do Campus Santana do Cariri - Museu de Paleontologia de Santana do Cariri (6), que passaria a ser articulado com o Geologisch-Paläontologisches Institut
    und Museum/ Universität Hamburg e Campus São Francisco, no Crato a ser ampliado e articulado ao Juizado Especial Cível e Criminal e Tribunal de Justiça do Estado do Ceará. Todos os projetos de arquitetura e complementares de engenharia foram realizados, alguns a nível de projeto executivo e orçamento, como da ampliação da Biblioteca Central da URCA, na Rua Coronel Antonio Luís(1), da ampliação do Crajubar(2) e outros.

    ResponderExcluir
  13. Assim dados estes fatos, debates (E projetos........) estranho o silencio da parte da Administração Superior da URCA.

    ResponderExcluir
  14. O Prefeito Samuel mostrou mais uma vez a sua competência,quando, democraticamente, abriu espaço para os cratenses discutirem sobre o que é melhor para o Crato. Parabéns, prefeito,a apresentação do projeto em audiência pública rompeu com velhas práticas em que os problemas da nossa cidade eram discutidos por alguns poucos nos bancos da Siqueira Campos, mais em nível de boatos, nem de longe com esse caráter técnico e público que vemos hoje. Agora, que tal acabar também com a ditadura do mau gosto na programação da nossa festa maior?
    Fabiana Gomes

    ResponderExcluir
  15. Olá.
    Como leitor deste Blog,fiz um pequeno comentário sobre a mudança do Parque de Esposição.
    Fui de acordo que seria melhor que este ficasse no lugar onde estava, e que fosse ampliado suas instalações para dar uma melhor condição aos seus frequentadores.
    Vejo agora que depois de tanto (VAI Não VAI),resolveram depois de uma bela dissertação que este Parque será implantado em outro local, como se fosse um famoso Parque do Ubirapuera em São Paulo.
    Como todos os Cratences que esperam pela melhoria da cidade e seus empreendimentos, vamos torcer para aque isto não fique somente em Promessas, Promessas, e mais Promesas.
    Tenho Dito...

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Caro Dr. José Sales.

    Não são apenas os nobres arquitetos que têm o hábito de trocar os tempos verbais, esta é uma mania nacional e muito comum também na classe médica e até entre os escritores. Perdoe-me se o Sr. interpretou o meu comentário como uma forma de tentar corrigir algo. Não tenho esta pretensão, até porque todos nós que escrevemos alguma coisa acabamos errando. No meu comentário eu também acabei trocando o tempo verbal. "Teríamos", contrariamente ao que afirmei, não está no pretérito imperfeito; mas no futuro de pretérito. Num linguajar coloquial nem é errada a forma utilizada.

    O que me motivou a fazer tal observação foi, tão somente, o fato do nosso Crato já ter deixado de receber vários outros grandes projetos nas últimas décadas. Quando eu era muito jovem fiquei encantado e muito orgulhoso com a promessa de instalação de uma grande universidade aqui no Crato. Reporto-me ao projeto “Universidade do Canadá”. Aquilo foi uma grande frustração pro nosso povo. Infelizmente passamos por muitas outras experiências do gênero e a gente acaba ficando “escaldado”; mas sempre torcendo para que um dia a coisa dê certo.Só pretendia, realmente, afastar os fantasmas.

    Graças a Deus e ao trabalho de muitos o nosso município, através de parcerias com outras esferas de governo, vem recebendo muitos investimentos nos últimos anos, e sou sabedor do seu trabalho e do seu empenho nesse processo. Aproveito este comentário para, de público, agradecer por seu esforço em muitas dessas conquistas.

    ResponderExcluir
  18. Mario,

    Meu amigo, você está equivocado.
    Volte, e leia a matéria de novo. Você não entendeu nada e como muitos, passam a vista e acham que leram as coisas. O projeto apresentado é para se construir no mesmo local atual, expandindo e modernizando. nada de outro local.

    Você falou aí em se construir um Ibirapuera noutro local. Nada a ver. Volte e leia a matéria inteira, por gentileza, para evitar dizer coisas tão absurdas!

    E Tenho Dito também!

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  19. Olá.
    Amigo Dihelson.
    As minhas desculpas por ter me equivocado em algumas palavras.
    Obrigapo pela correção.
    Como cidadãos cratences,vamos torcer para que seja concretizado tudo o que foi dito,para o bem de todos e felicidade geral.
    Um abraço.
    Tenho dito...

    ResponderExcluir
  20. A mudança de endereço do Parque de Exposições do Crato é realmente polêmico. Alerto que devemos discutir a "proposta" sem romantismos. Assistimos um crescimento anual dessa festa. Portanto, devemos ter em mente uma projeção de crescimento para a área que hoje existe "ociosa" no parque. devemos nos perguntar: quantos anos ele ainda suporta de crescimento? Alguns detalhes questionados pelo Dr. Valdetário são fundamentais para termos em mente essa projeção.
    Quanto ao projeto apresentado, parabenizo ao Dr. Sales pelo projeto e ao Prefeito Samuel Araripe pela altiva e tempestiva resposta ao Governador.

    ResponderExcluir
  21. Gosto do debate. É bom ver também o que o estado tem a dizer. A localização do atual parque é boa mas a mudança de local tbm tem seus benefícios. Gostaria de que fosse apresentado as medidas dos espaços juntamente com a maquete. Pelo que vi não mudará muito em termos de disponibilidade para acomodação de stands, animais, etc. Talvez seja apenas uma impressão motivada justamente pela falta das medidas. Fora isso o projeto é belo. Vou tentar desprender-me do "tradicional", analisar a situação e poderar os benefícios das partes. É prudente fazermos isto.

    ResponderExcluir
  22. Obrigado, Mário,

    É muto bom quando conseguimos clarear algum mal-entendido sobre um determinado assunto.

    Por outro lado, sua postagem me trouxe uma lembrança de algo importante que conversei com o prefeito, logo no início dessa discussão toda, que foi que ele disse que:

    "Se de qualquer forma, o Governador fincar pé e resolver construir outro parque, o Crato não pode perder esse investimento. Agora, haveria de se pensar em um local que trouxesse progresso para a cidade. Poderia ser para qualque lado em que forçasse os visitantes a entrar na cidade e a permanecer, usando nossa estrutura hoteleira, nossos serviços e trazendo divisas para o município. O que não se pode conceber é que se porventura, se fosse o caso de se construir em outro local, JAMAIS poderia ser para o lado de Juazeiro do Norte, não por bairrismo, mas porque a grande população do cariri, vinda daquele lado, não entraria na cidade, e dali msmo voltaria, sendo um caos econômico para o Crato."

    Ao invés, Samuel propôs exatamente o contrário:

    "Que se reformasse, ampliasse o atual parque municipal, e que a URCA pudesse ser transferida para próximo ao local do centro de Convenções, e a futura Universidade Católica do Crato, aonde se construiria ali a maior cidade Universitária do Cariri"

    Samuel Araripe

    Abraços,
    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  23. Oi Dihelson, o projeto apresentado pelo prefeito Samuel resolveria vários problemas, entre eles a estrutura do parque - que é a mesma desde sua fundação - e o congestionamento do trânsito. Mas tenho uma dúvida: o referido projeto foi apresentado em julho no ano corrente. Já estamos entrando em setembro e não vi o cambeba se pronunciar. Afinal, eles acataram o que foi proposto ou se calaram? Aproveito e deixo meus parabéns ao prefeito pela admistração séria e eficiente! Abraços

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.