12 junho 2009

O Brasil não tem epidemia, mas existe uma pandemia da gripe suína. - por José do Vale PInheiro Feitosa

A relação entre produção e grandes campanhas da humanidade é quase linear. Sempre que ocorre uma catástrofe, uma guerra, uma epidemia, uma grande onda de fome, a produção estruturada e em larga escala se acompanha. Quem pegar a história das guerras napoleônicas verá que uma das grandes críticas a elas se referia aos fornecedores de materiais bélicos, roupas e alimentos para suprir os soldados.

Aqueles que dominam a produção estruturada, pronta para atender à repentina demanda, saem poderes e ricos ao final da campanha para superar as dificuldades. Por isso mesmo é que em linha geral esta produção passou a ser uma questão de Estado, pois apenas este pode tornar esta produção em algo estratégico para o país e para o conjunto da nação. Esta introdução para falar sobre a Novartis e o recém desenvolvimento da vacina contra a atual pandemia de gripe suína.

Em primeiro lugar é preciso entender que o conceito de Pandemia é demográfico e territorial. Quando tantos territórios foram atingidos, quando um determinado número de pessoas foi acometido e a transmissão continua a ocorrer e a se ampliar, trata-se efetivamente de Pandemia. Por isso quando a Folha de São Paulo diz que a Pandemia da OMS foi baseada apenas em números, isso é um mero erro de escrita do repórter. É difícil avaliar, mas uma coisa é certa, os jornais estão em tantas dificuldades que é cada vez menor a permanência de setorialistas na imprensa. Um setorialisa é aquela jornalista que entende mais um determinado ramo e escreve com maior propriedade sobre os assuntos dele.

Portanto, para todos os efeitos práticos, o Brasil não tem epidemia da febre suína mas há uma pandemia dela. O fato da existência objetiva é que faz uma multinacional investir na descoberta e produção da vacina. E não ao contrário, pois uma epidemia não é algo subjetivo, as pessoas não irão apenas porque alguém tenta ganhar dinheiro e por mais que tenhamos crítica à imprensa mundial e nacional, ela é fragmentada e contraditória e jamais teriam uma voz única que manipulasse numa escala desta.

A teoria da conspiração tem como principal crítica um fato bem básico: somos animais que dependem continuamente do contato com o mundo. Sempre que algo neste contato romper, por instinto de defesa procuramos o que nos é essencial. Por isso ninguém inventa uma Pandemia, nem as multinacionais que podem manipular e ganhar com esta manipulação. Em outras palavras, a manipulação será fatalmente descoberta e posta à prova pelas pessoas.

Mais um detalhe: a Novartis acaba de anunciar uma grande novidade e isso a Folha não viu. Pela primeira vez se tenta a produção da vacina da influenza em célula e não em ovo. Esta é uma mudança tecnológica e tanto. Inclusive pela maior capacidade de produção de doses e pela possibilidade de combinar várias vacinas.

A sociedade brasileira deve continuar atenta aos fatos e as autoridades sanitárias não arredarem o pé até para reconhecer o momento se focos de reprodução ocorrerem no país.

José do Vale Pinheiro Feitosa

Um comentário:

  1. Eu tenho acompanhado os números a cada dia, e talvez muito provavelmente, teremos uma epidemia em breve no Brasil. A progressão agora é geométrica...

    Abraços,

    DM

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.