06 abril 2009

Pesquisa avalia ação cicatrizante do óleo do pequi - Por: Elizângela Santos - DN


BIOPROSPECÇÃO MOLECULAR

As propriedades curativas do óleo do pequi foram estudadas na pesquisa do professor da Urca, que observou o poder cicatrizante do produto em ratos (Foto: ELIZÂNGELA SANTOS). Glauberto da Silva Quirino durante a defesa de sua dissertação na Urca. O primeiro estudo acadêmico sobre a ação cicatrizante do óleo do pequi foi apresentado em Mestrado da Urca. Crato. A primeira dissertação de Mestrado do Programa de Bioprospecção Molecular da Universidade Regional do Cariri (Urca) foi defendida no último dia 30, no Salão de Atos da Urca, pelo professor da instituição, do Curso de Enfermagem, Glauberto da Silva Quirino. Com o título “Atividade Cicatrizante e Gastroprotetora de Carvocar Coriaceum Wittm”, a sua tese utilizou como ponto de partida a ação cicatrizante do popular óleo do pequi. O trabalho foi orientado pela professora doutora Adriana Rolim Campos Barros, colaboradora da Urca, por meio do Mestrado de Bioprospecção, e teve como componentes da banca os professores doutores João Batista Teixeira Rocha, da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), e Adriana Rocha Tomé, da Universidade Estadual do Ceará (Uece). O professor Glauberto destaca o bom momento para a Universidade, de desenvolvimento, e a oportunidade de defesa do seu mestrado na própria instituição que leciona. Ele até recebeu incentivo para continuar o seu trabalho de pesquisa por meio da tese de doutorado.

Primeiros testes

Durante a apresentação para a banca composta de três avaliadores, Glauberto Quirino fez demonstrações dos primeiros testes realizados com ratos no laboratório da própria universidade. A idéia é que mais adiante os testes possam ser feitos em seres humanos. Ele também já apresentou sua pesquisa mesmo antes da defesa, no Congresso da Federação Brasileira de Biologia Experimental, e como trabalho precursor, durante congresso em João Pessoa, na Paraíba. Segundo Glauberto, foi feita uma avaliação da propriedade de gastroproteção, com o óleo ou polpa, em modelo de úlcera induzida por etanol e aspirina. Para o pesquisador, os primeiros resultados foram bem positivos. “A gente estendeu esses trabalhos, testando quatro mecanismos de gastroproteção, incluindo prostraglandina, óxido nítrico e canal de potássio dependente”, explica ele. Para desenvolver a pesquisa, Glauberto afirma que o seu trabalho partiu do conhecimento já da própria população e, com esse dado, fez um levantamento bibliográfico. Ele destaca estudos já realizados quanto a composição química do produto. A do óleo é bem definida com a presença de vários ácidos graxos, essenciais ao funcionamento orgânico, vitaminas A, E, C . “São vitaminas que participam do processo anti-oxidação, renovando as células”, explica. No caso de aumento de colesterol, Glauberto destaca que pode ser improvável, já que os ácidos graxos são benéficos ao funcionamento do organismo. Vale salientar que o Mestrado de Bioprospecção Molecular da Urca é o único do Brasil no gênero e vem contribuir de forma determinante para o desenvolvimento de importantes pesquisas na região. Outro trabalho com o pequi está sendo realizado pelo biólogo Rogério de Aquino Saraiva. Ele desenvolve sua pesquisa ressaltando o “Estudo da Atividade Antiinflamatória Tópica do Óleo de Pequi”, denominado cientificamente por Caryoca coriáceun. O pesquisador destaca o ineditismo do trabalho no Ceará, com o pequi. O mestrado na área de Bioprospecção Molecular da Universidade Regional do Cariri (Urca) é o primeiro do gênero no Brasil. Mas os pesquisadores destacam o diferencial apresentado pelo fruto da Chapada do Araripe pelas suas propriedades terapêuticas. Mesmo sem ter idéia desses resultados, famílias fazem a festa nesta época do ano, ao começarem a se preparar para morar em cima da serra, durante praticamente um semestre. O Programa de Bioprospecção Molecular destina-se à formação de pessoal altamente qualificado para as atividades de pesquisa e para o exercício do magistério superior, atuando nas seguintes áreas do conhecimento: Bioquímica, Biologia Celular e Molecular, Farmacologia, Microbiologia, Biofísica, Biotecnologia, Botânica Aplicada, Zoologia Aplicada e Farmacognosia.

O principal foco do Programa é suprir a carência de profissionais especialmente treinados para lidar com a rica biodiversidade regional, que envolve diversos ecossistemas como Caatinga, Cerrado, Carrasco e Mata Úmida. Em torno desse sistema estão 35 outros municípios de uma ampla região que abrange os Estados do Ceará, Piauí, Pernambuco e Paraíba. Um verdadeiro complexo sistema de interação educacional, cultural e econômico com mais de um milhão de habitantes. O Programa foi credenciado em 2007 pela Capes, que segundo seus critérios de avaliação recebeu conceito 4.

ELIZÂNGELA SANTOS
Repórter


SAIBA MAIS

Público-alvo

O Curso de Mestrado Acadêmico em Bioprospecção Molecular destina-se principalmente a profissionais graduados nas diversas áreas das Ciências Biológicas e da Saúde, como também àqueles originados da Engenharia Química, Florestal, de Bioprocessos, Agronomia e Química, além de outros profissionais que tenham as disciplinas de Farmacologia, Química Orgânica, Bioquímica e/ou Biologia Molecular em seu currículo de graduação

Compostos biológicos

A área de concentração é a de Bioprospecção Molecular, que consiste em estudos de compostos de importância biológica, com o objetivo de promover o conhecimento da biodiversidade molecular existentes. Abordagem dos estudos, além da bioprospecção molecular a partir de animais e plantas, é realizada por química de produtos naturais, biologia molecular estrutural, estudo de polímeros e aminoácidos, com utilização de técnicas auxiliares de biologia molecular e bioquímica

Mais informações:
Mestrado de Bioprospecção Molecular, Urca, Rua Coronel Antônio Luiz, 1161, Crato
Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, (88) 3102.1291

Reportagem: Elizângela Santos
Fonte: Jornal Diário do Nordeste


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.