29 abril 2009

O AMOR INCONDICIONAL DO PEDRO, DO JURANDY, DO... Por: José Nilton Mariano Saraiva

Sem que pretendamos ensinar padre nosso a vigário (até porque não temos competência para tal e, também, somos um pecador confesso), não custa lembrar que, segundo o Dicionário Houaiss, o adjetivo “incondicional” embute significação ampla, a saber: o não depender de; o não se está sujeito a qualquer tipo de condição, restrição e limitação; ou, ainda, o contemplar aquele que, em quaisquer circunstâncias e sem discussão toma partido de alguém, de uma corrente, de uma doutrina, de uma causa.
Uma das características basilares do BlogdoCrato e certamente responsável pelo seu indiscutível sucesso (traduzido no número recorde de 24.000 acessos mensalmente), é o exercício pleno do legado democrático, contextualizado e explicitado no confronto aberto de idéias, no debate franco e leal, na disponibilização do igual espaço a todos aqueles que se queiram manifestar, sobre qualquer assunto, desde que responsavelmente, conforme expresso pelo próprio Dihelson Mendonça. Há, pois, que se respeitar, sem necessariamente ter que aceitar, uma certa “incondicionalidade” manifestada por outrem.
Mas quando, exatamente por conta disso, às vezes, no calor da refrega, no decorrer da batalha, na impetuosidade das partes, alguns exageram na dose ou simplesmente usam de forma abrupta palavras ou expressões inadequadas que, tal qual lâminas afiadas, ferem, doem, maltratam e deixam cicatrizes, eis que se faz necessário o pedido de desculpas, o reconhecimento do exagero (afinal, como nos ensina o velho cancioneiro, perdão foi feito prá gente pedir).
A emblematicidade do acima exposto aqui se fez presente quando “pintou no pedaço”, recentemente, a questão regionalista, a envolver as cidades de Crato e Juazeiro do Norte, ou mais precisamente, a acefalia e estagnação na primeira e o exponencial e célere crescimento da segunda.
De um lado, cratenses que não se conformam e botam a boca no mundo com o abandono a que foi relegada a cidade nos últimos 40 anos, já que receptora de sobras, meras migalhas, agrados inconseqüentes por parte do governo, em face da inexistência de representação política de peso (e aqui se situam os inconformados Pedro Esmeraldo, Mariano, Jurandy Temóteo, Salatiel e outros), apressadamente tachados (no nosso entendimento equivocadamente) de bairristas e provincianos.
Na trincheira à frente, cratenses inexplicavelmente conformados com tal situação, alheios, acomodados, partidários do “...é isso mesmo, não tem mais jeito”, de que o importante é uma tal romântica “conurbação”, de que somos “um único povo”, uma tal “nação Cariri” (papo de político), do desprezo pelos incontestáveis números aqui apresentados e que mostram que o vil metal e a economia é que dominam o mundo (e ainda teve uma certa figura que, na tentativa de justificar o injustificável, teve a petulância de nos lembrar que o Atacadão Carrefour foi instalado quase que na fronteira das duas cidades – esquecendo de dizer que os impostos serão recolhidos em Juazeiro).
Isto posto, queremos aqui saudar os “amantes incondicionais do Crato”, na pessoa do senhor Pedro Esmeraldo (e, antes que alguns apressados emitam algum juízo de valor equivocado, lembramos que não o conhecemos pessoalmente, mas certamente teremos um prazer imenso e um orgulho muito grande quando “pintar” a oportunidade).
Por uma razão muito simples: também “amamos” o Crato. INCONDICIONALMENTE.
Autoria e postagem: José Nilton Mariano Saraiva

8 comentários:

  1. conheço bem os dois ,sao cratenses ilustres, amam o crato e se isso for bairrismo eu tambem sou. ora o Ccrato jah perdeu quase tudo para o juazeiro ateh a ufc que era para vir para cah , eles levaram, aih vem um gaiato de lah dizer, que fica quse na divisa o atacadao,nao somos idiotas nao, ateh o padim foi para lah. o Crato peca pelo comodismo de muitos, eh uma pena.

    ResponderExcluir
  2. José Nilton Mariano ia tão bem até a metade do texto, rs rs rs...

    Mariano, deixa de bairrismo, rapaz! Muitas coisas importantes estão acontecendo no Crato de hoje. Não é como aquele crato que você deve ter visto há 30 e tantos anos...Mas sei que não adianta eu lhe dizer isso 10.000 vezes. Quando vc vier ao Crato, quero escoltá-lo, ser seu cicerone para dar um passeio pela cidade e lhe mostrar diversas coisas que estão acontecendo, e conhecer algumas pessoas que acho que seriam interessantes.

    Ao Fernando e aos demais que vem com esse eterno papo de "Crato já perdeu quase tudo pra Juazeiro" é puro bairrismo. Não há que comparar uma cidade de 300.000 habitantes com uma de 120.000. Juazeiro cresce com pernas próprias, a iniciativa privada investe na cidade. O Comércio em torno do Pade Cícero.

    Agora eu pergunto: Juazeiro TEM qualidade de vida ? É esse crescimento que vocês querem para o Crato ? Sim, porque eu moro no Crato, sei o que significa estar em Juazeiro. Estar em Juazeiro hoje, é não ter liberdade de sair com um telefone celular na mão, sob o risco de ficar sem ele, é andar em ruas extremamente estreitas, esburacadas, uma cidade que é um amontoado de ruas desordenadas. É esse o progresso que vocês querem para o Crato ?

    Eu acho que o Crato precisa se igualar às cidades da Europa, não da Etiópia...

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  3. Ilustre Dihelson,

    Respeitosamente, e com a cautela que se faz necessária, queremos lembrar-lhe que não se trata de bairrismo ou de provincianismo.
    Assim, ó cara, não se torna necessário que você se dê ao trabalho de repetir 10.000 vezes uma mesma versão, objetivando nos convencer de possíveis equívocos em nossos posicionamentos.
    Basta, apenas e tão-somente, que você, ou alguém da administração cratense, conteste - PELO MENOS UM - dos números abaixo (oficiais, cruéis, desmistificadores e indesmentíveis):

    01)PRODUTO INTERNO BRUTO -PIB (Ipece, 2005)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 930.343.000,00
    b) Crato – R$ 459.764.000,00
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 102,35%

    02) TRANSFERENCIAS DO FUNDO DE PARTICIPAÇÃO DOS MUNICÍPIOS-FPM (IBGE, 2007)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 48.288.002,92
    b) Crato – R$ 20.544.702,27
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 135,04%

    03) ICMS (Ipece, 2007)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 14.721.788,82
    b) Crato – R$ 9.137.815,58
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 61,10%

    04) TRANSFERENCIAS DO FUNDEF (Ministério da Educação, 2007)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 33.004.128,13
    b) Crato – R$ 13.441.422,28
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 145,54%

    05) BENEFÍCIOS PAGOS PELA PREVIDENCIA SOCIAL (MPS, 2007)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 153.895.403,40
    b) Crato – R$ 92.681.789,99
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 66,04%

    06) RECEITAS TRIBUTÁRIAS (Ipece, 2007)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 8.699.008,98
    b) Crato – R$ 3.185.012,34
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 173,12%

    07) DESPESAS DE INVESTIMENTOS (Ipece, 2007)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 16.185.609,73
    b) Crato – R$ 3.613.342,89
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 347,94%

    08) TRANSFERENCIAS DO BOLSA FAMILIA (MDS, 2007)
    a) Juazeiro do Norte – R$ 17.476.524,00
    b) Crato – R$ 9.585.436,00
    VARIAÇÃO PERCENTUAL A/B: 82,32%

    Portanto, ao invés de nos apegarmos e nos contentarmos com uma certa romântica "conurbação" (improdutiva e que não tem nada a ver com o fator econômico), a pergunta a ser feita seria: como ter ou ofertar “qualidade de vida” (como apregoam os políticos) se a tal equação econômica não é levada em conta, se não existe renda, se não há condição de se desfrutar das benesses ofertadas por um capitalismo cada vez mais cruel???
    Ou, ainda: o que fazer para gerar emprego "do lado de cá da ponte" (que separa as duas cidades), ao invés de ficarmos indo na conversa mole de juazeirenses espertos que, à luz do dia insuflam o nosso ego, tratando de difundir conceitos estapafúrdios sobre um só povo, uma só nação Cariri, enquanto na surdina e na calada da noite, tramam como nos tirar tudo ??? Lembram da UFC, que ia para o Crato e, repentinamente, se instalou em Juazeiro, por decisão de um reitor cooptado ???
    Como se almejar um padrão de vida europeu, se dia-a-dia ficamos mais pobres, se no nosso entorno prolifera a miséria (conseqüência da falta de emprego, da falta de poder aquisitivo da população), enquanto que ao nosso lado todo dia o poder público recebe novos incentivos, novos projetos, diversos empreendimentos ???
    Na verdade, a tal “qualidade de vida”, apregoada pelos políticos, contempla alguns nichos da população cratense.
    É pura enganação.

    ResponderExcluir
  4. Amigo Dielson, sou muito pequeno para entrar nesta briga. Quero apenas pedir licença para me dirigir ao José Nilton Mariano Sariva, a quem não conheço pessoalmente, e agradecê-lo pela honrosa visita ao nosso blog.
    Quanto ao "amor incondicional" ao Crato do Pedro Esmeraldo e do Jurandy, nós que tocamos o movimento emancipatório de Ponta da Serra esperamos por muito chumbo por parte dos dois. Do Pedrinho já recebemos umas alfinetadas, que serão respondidas em breve. Do Jurandy, já recebemos uma alerta. Quero dizer que admiro os dois por este amor incondicional ao Crato, apesar de defender a nossa emancipação à categoria de município, pois, preeenchemos os requisitos exigidos para tal.

    ResponderExcluir
  5. sou contra a emancipaçao de municipios brasileiros de porte pequeno e sem estrutura.cidade que nem sede de legislativo e judiciario tem. jao nao basta a roubalheira e cassaçao de prefeitos por aih afora.dah um basta nisso.

    ResponderExcluir
  6. Amigo Dielson, quero dizer ao Fernando, que não sei quem é,se ele tiver domicílio eleitoral em Crato, no nosso plebiscito, quero contar com o SIM dele,pois, acredito que até lá ele irá mudar de idéia. Quero dizer que o Senado Federal já aprovou os critérios mínimos para emancipações de distritos, critérios esses que a nossa Ponta da Serra preenche sem necessidade de se aglutinar a outras áreas. Estou me antecipando com esta discussão, é pena que o Jurandy e o Pedro Esmeraldo ainda estão, como eu há dois anos atrás, na era da máquina de escrever.
    Quero dizer que também amo o Crato,pois, nasci e me criei em Ponta da Serra, de onde sai para a cidade, na década de 60 para estudar. O amor é algo que se encontra em nosso interior, não precisa se fazer propaganda disso.

    ResponderExcluir
  7. prezado antonio correia nao quis lhe ofender nem a sua bucolica p.da serra, estou apenas lhe mostrando os escandalos pelo brasil afora com prefeitos e vereadores,com raras exceçoes,tudo isso pago com o nosso suado dinheiro. nada tenho contra ponta da serra, a minha opiniao contraria eh no brasil todo.respeito sua opiniao, o mesmo espero de voceh em relaçao a minha.

    ResponderExcluir
  8. eu confio nesse congresso e nesswe senado, tanto como botar uma raposa para tomar conta do galinheiro.rsrsrsrs

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.