06 abril 2009

ENTREVISTA - Prefeito do Crato fala sobre Desenvolvimento Regional, Economia e da criação de Cidade Universitária no Crato.

Conversando com o Prefeito

Alguns pontos Altos da entrevista:

"Eu vejo a economia do Crato aquecidíssima: Mais de 300 micro e pequenas empresas se instalaram no Crato nos últimos 4 anos."

"O "Atacadão ( Carrefour )" não viria para o Crato só porque seria amigo do prefeito ou porque o prefeito iria pedir não...Esse é o mercado mesmo quem regulamenta tudo isso. Agora nós queremos é dar qualidade de vida aos moradores do Crato. E essa geração de empregos com mais de 300 micro e pequenas empresas que se instalaram no Crato."

"Professor Dihelson Mendonça, nós precisamos compreender que desenvolvimento não significa crescimento desordenado. Muito pelo contrário! O desenvolvimento de uma cidade se dá com a qualidade de vida dos munícipes. Não adianta uma cidade com 2 milhões de habitantes com trânsito caótico, com o comércio desordenado, educação deficiente, saúde idem, então essas coisas de ficar falando de Juazeiro e de Barbalha...eu sou o maior defensor da união e da integração do cariri, e não é somente Crato, Juazeiro e Barbalha não!"

"A maior fonte de riqueza da Espanha é o Turismo. E eu dizia antigamente que o turismo do Cariri só avançaria muito a partir da infra-estrutura."

O Blog do Crato em sua seção "conversando com o Prefeito", no sentido de atualizar os cidadãos Cratenses sobre as últimas notícias, os projetos e o acompanhamento da realização destes, procurou o prefeito Samuel Araripe para uma entrevista sobre o tema "Desenvolvimento Regional", quando se pretendeu discutir as interações entre as diversas cidades do Cariri, as verdadeiras vocações da nossa cidade, o turismo, a educação e a qualidade de vida. E sobretudo, os projetos em andamento nesse sentido e a visão do administrador sobre esses assuntos.

D.M - Dr. Samuel Araripe, é verdade que estamos pleiteando a construção de uma pequena cidade universitária no local aonde será construído o Centro de onvenções, até porque se aglutinariam as universidades: A Universidade Católica, o Campus avançado da UFC - Universidade Federal do Ceará, com ciências agrárias, e também poderiam ser remanejados alguns setores da Urca - Universidade Regional do Cariri, formando um complexo educacional para a cidade do Crato e ( claro ), dentro de terras Cratenses ?

S.A - Aquele terreno ali soma aproximadamente 28 hectares e nós idealizamos um projeto educacional forte para aquela região. A parte da frente foi destinada ao Centro de Convenções, e de Feiras de Negócios. Empreendimento em parceria com o Governo do Estado. Já foram doados através de escrituras definitivas, uma parte para funcionar a Universidade Católica, que a fundação Padre Ibiapina tem feito gestões junto ao MEC para ver se viabiliza essa universidade, uma outra parte correspondente a 16 Hectares foi doada à Universidade Federal do Ceará, para construir o Campus Avançado da universidade, mais precisamente os cursos ligados às ciências agrárias, e ainda tem lá um remanescente que eu pretendo no futuro conversar com a URCA, pra saber se é do interesse do magnífico reitor Plácido Cidade Núvens, levar o campus que funciona ali no ( bairro ) São Miguel de uma maneira não muito confortável. Aí sim, ficaria Centro de Convenções, Faculdade Católica, Universidade Federal do Ceará e Universidade Regional do Cariri.

D.M - Uma verdadeira mini-cidade universitária aqui no Crato...

S.A - Uma verdadeira mini-cidade. O Crescimento do Crato naquele rumo vai ser uma coisa extraordinária, porque nesse exato momento estamos discutindo a revisão do plano diretor da nossa cidade, onde se define as áreas de residências, de indústrias, de ampliação da nossa cidade, e todo o plano tem sido discutido e elaborado no sentido de induzir o crescimento do Crato no rumo de Barbalha e de Juazeiro. O pé-de-serra aqui, vamos limitar o sopé da serra do Araripe, preservar o meio ambiente, que já foi deveras agredido no decorrer de anos por desmatamentos e construções inadequadas. Então eu quero firmar o plano diretor, nós vamos transformar em lei e o crescimento do Crato vai ser para aquela região ( Juazeiro e Barbalha ), até mesmo porque a infra-estrutura ali é muito boa. Já tem passando ali no Muriti o Metrô de Superfície, que liga o Crato a Juazeiro, existe um projeto em discussão de uma grande avenida nascendo ao lado Centro de Convenções e indo até a via que dá acesso de Juazeiro à Barbalha. O Governo do estado me disse que vai incrementar a infra-estrutura do parque industrial que fica na divisa dos 3 municípios. Ali fica localizado o maior aquífero da nossa cidade, então a perspectiva de crescimento do Crato para aquela região é muito grande e as universidades irão captar e fomentar todo esse crescimento.

D.M - Se. Prefeito Samuel Araripe, como o Sr. considera a vocação desenvolvimentista do Crato, porque desenvolvimento não significa necessariamente só tamanho de indústrias que se instalam num município. Há o desenvolvimento sustentável também...

S.A - Professor Dihelson Mendonça, nós precisamos compreender que desenvolvimento não significa crescimento desordenado. Muito pelo contrário! O desenvolvimento de uma cidade se dá com a qualidade de vida dos munícipes. Não adianta uma cidade com 2 milhões de habitantes com trânsito caótico, com o comércio desordenado, educação deficiente, saúde idem, então essas coisas de ficar falando de Juazeiro e de Barbalha...eu sou o maior defensor da união e da interação entre o cariri, não é somente Crato, Juazeiro e Barbalha não! Eu defendo um consórcio para o aterro sanitário para o Cariri, Hospital regional para o Cariri, Instituto médico legal para o cariri, CEASA para o Cariri, Centro de Convenções para o Cariri, Frigorífico ( abatedouro ) para o Cariri, porque ? Porque isso vai trazer economia para os municípios; Você imagine, Crato construindo um aterro sanitário, Juazeiro outro, Barbalha outro, Missão Velha outro...por quanto não sairia um negócio desses ? Você já pensou o Crato construindo o seu abatedouro, Juazeiro, Barbalha...Depois da zona metropolitana de Fortaleza, o maior aglomerado urbano que existe é o do Cariri, e nós pecisamos saber organizar esse crescimento. Então, quando o Hospital ( Regional do Cariri ), fica a 6 kilômetros da divisa do Crato, qual é o problema que existe de estar se questionando, quer dizer é impossível ao Governo do Estado construir um hospital ( Regional ) no Crato, outro em Juazeiro e outro em barbalha. E a manutenção depois, como é que fica ? Nós precisamos ser Racionais, o momento é de dificuldade em todo canto, essa crise é latente, ela é permanente, já chegou ao Brasil, já chegou ao ceará e já chegou ao Crajubar também. Então nós precisamos olhar essa região como um todo. Não podemos dividir. Precisamos é ver a vocação de crescimento do Crato, Juazeiro e Barbalha, e do cariri como um todo. Então é assim que a gente tem que ver, e vamos nos estruturar. Passamos por um excelente momento ( da história ), problemas estruturantes que muita gente não acreditava, quem poderia imaginar hoje o cariri sendo ligado através do aeroporto com Rio, Sao Paulo, Brasília, Fortaleza, Recife. temos vôs diários hoje, duas companhias aéreas grandes operando no cariri. Então, a perspectiva de crescimento é imensa, e por conta disso é que nós não podemos mais enxergar uma cidade isolada da outra. Tem gente que mora no Crato que trabalha no Juazeiro, tem gente que mora no Juazeiro e trabalha no Crato e em Barbalha. Então, vamos pensar grande que o momento é para crescimento mesmo, com qualidade.

D.M - Algumas pessoas salientam por conta disso que pensando dessa forma, a cidade de juazeiro, ( enquanto a grande cidade de Crajubar não é formada pela conurbação ), sairia levando todas as vantagens, em razão de ser um ponto equidistante de todas as cidades, se as empresas ( empreendimentos ) fossem criadas nesse sentido, praticamente todas deveriam ficar em Juazeiro, já que a distância é a mesma para todas as cidades, então como o Sr. vê tudo isso ?

S.A - O Crescimento de Juazeiro eu vejo com a maior naturalidade, e não depende mais nem de governo municipal. Juazeiro cresce com as próprias pernas, por conta das pesquisas de mercado. Isso é uma coisa natural, não tem como evitar. É uma cidade âncora. Quantas cidades começaram sendo a capital e depois se transformam a uma segunda, a exemplo de Olinda, que passou pra Recife, Aquiraz que passou pra Fortaleza, Juazeiro, que era distrito do Crato, por conta do crescimento natural mesmo, isso é uma coisa natural, agora nós precisamos é saber conviver com isso. Aquilo que for do Crato, a qualidade de morada do Crato, por exemplo, não se compara. Quantas pessoas moram no Crato e trabalham lá no Juazeiro, né ? então a gente precisa ir organizando nossa cidade, agora, estou muito feliz porque nós vamos sanear a nossa cidade. 3 cidades, das 184 conseguiram o plano de saneamento ambiental bancado 100 por cento pela fundação nacional de Saúde. Isso é qualidade de vida! Você chega nos países desenvolvidos, as cidades, a população gravita em torno de 100 ou 110 mil habitantes. Vai ter metrô do Crato para Juazeiro, e olha, eu vejo a economia do Crato aquecidíssima: Mais de 300 micro e pequenas empresas se instalaram no Crato nesses últimos 4 anos. Agora o "Atacadão" porque tem muita gente falando "O Atacadão" para Juazeiro, Juazeiro... Aquilo ali é pesquisa de mercado, e tem que ir para a maior cidade. O "Atacadão" não viria para o Crato só porque seria amigo do prefeito ou porque o prefeito ia pedir não...Esse é o Mercado mesmo quem regulamenta tudo isso. Agora nós queremos é dar qualidade de vida aos moradores do Crato. E essa geração de empregos com mais de 300 micro e pequenas empresas se instalaram no Crato. A vocação do Crato: Agricultura familiar , porque ? porque o Crato é um município eminentemente rural, tem 9 distritos, então vamos atrás da agricultura familiar. Juazeiro já não pode ir atrás, porque o Juazeiro vive da sede. Só tem 1 distrito.

D.M - Nossa vocação também é turística...

S.A - Exatamente. E o turismo ecológico aqui no Crato é muito forte e é uma indústria. A maior fonte de riqueza da Espanha é o Turismo. E eu dizia antigamente que o turismo do Cariri só avançaria muito a partir da infra-estrutura. E a Infra-estrutura começa pelo Aeroporto. Há 5 anos atrás, nós tínhamos aqui um vôo da "TAF" com 12 lugares, passagens de 400 reais um trecho. Como é que o turista viria pra cá ? Normalmente o turista é o casal e 1 ou 2 filhos. Como é que viria fazer turismo no Cariri se a passagem era mais cara do que pra Brasíia, Rio de Janeiro, e etc. Agora já resolvemos esse problema. Outra vocação nossa aqui é educação. E é por isso que eu sonho com aquele complexo educacional ali, que vai ser uma coisa que vai dar um impulso imenso à nossa cidade, em terras cratenses. Então é isso aí, Doutor, vamos nos preocupar com o "Cratinho de Açúcar", que vai bem, outro sinal de economia aquecida: Recentemente, Banco Itaú. Tenha a certeza que banco nenhum vai para cidade nenhuma se a economia não estiver aquecida. Agora alguns pessimistas ficam aí conversando...ê o Crato, não sei o que...Atacadão para Juazeiro...Isso não adianta perder tempo conversando porque o Mercado é que define. Como Juazeiro tem 250 mil habitantes e o Crato tem 110 mil, é claro que...e ainda tem mais, ficou ali no limite, na divisa, beneficiaria as 2 cidades, e é assim que nós queremos mesmo. A CEASA que vai ficar em Barbalha. Aqui, porque que nós já estamos projetando essa avenida partindo ali do Centro de Convenções, porque a CEASA vai ficar a 5 Km daqui do Crato. Então eu diria que a coisa mais forte que existe no momento é exatamente a união do Cariri. Hoje aqui no nosso Gabinete, 10 prefeitos ( do Cariri ) discutindo o Aterro Sanitário, então é a união buscando empreendimentos para o conjunto.



Reportagem: Dihelson Mendonça
Foto: Wilson Bernardo


12 comentários:

  1. Mesmo sabendo que o Dihelson nos irá contestar de pronto (democracia e dabate são prá isso mesmo), com todo o respeito e sem agressividade entendemos que a passividade, a acomodação e o conformismo de determinadas "cabeças-pensantes" do Crato foi e é recorrente: ao invés de se reconhecer o óbvio ululante, a verdade verdadeira, a responsável pela "involução" do Crato nos últimos 40 anos (a falta de poder politico capaz de lutar e atrair investimentos), se fica com essa história de que os projetos implantados em Juazeiro beneficiarão toda a Região do Cariri, que as cidades circunvizinhas crescerão equitativamente, que todas se desenvolverão, o que não é verdade - os números, irrecorríveis e por isso mesmo não contestados, que disponibilizamos na nossa postagem Regionalismo Zarolho (Final) estão aí para provar isso, já que Juazeiro ganha, disparado, em todos os itens.
    Dizer que em breve as três cidades serão um só conglomerado populacional, que suas respectivas populações viverão felizes para sempre, é ilusório.
    Por isso, não custa repetir aos que se fazem de desentendidos: é a ecomomia que move o mundo e ela só se instala onde lhe oferecem condições.
    O remédio para o Crato ? Atrair investimentos, através da oferta de condições infra-estruturais para isso.
    Como ? Via eleição de uma representação política que se disponha a lutar pela cidade, viabilizando o exposto no item anterior.
    O que é necessário para isso ? Conscientizar o povo da importância do voto.
    Algum mistério nisso ???

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela entrevista. Acho que nesse ponto o prefeito está correto. Crescimento desordenado não é desenvolvimento.
    E quanto mais cursos superiores e professores qualificados virem ou surgirem na própria cidade, melhor para todos.

    ResponderExcluir
  3. Meu Caro Mariano,

    Eu não irei concordar e nem discordar de você. Os seus argumentos são muito importantes para a discussão. Não se pode querer a unanimidade, porque segundo alguns, isso seria um erro.

    Então, me reservo o direito de apenas observar o andamento da carruagem. Fiz minha parte que foi trazer o pensamento dos administradores da cidade para a discussão. Aí está, quem quiser participar e dar sua contribuição, o caminho está livre. Se me fiz entender, vivemos numa democracia, e eu não sou advogado de ninguém.

    Meu negócio é a veiculação das informações corretas sem distorções. As consequências delas, mesmo corretas, quem dará são os leitores. Por isso critico a desinformação, e os desinformados, por isso faço questão de mantê-los sabedores da realidade.

    O resto é com todos, afinal, o futro do Crato só a nós cabe decidir, enquanto cidadãos livres.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  4. Dihelson

    Mesmo de longe, pelas notícias e pelo que tenho observado das vezes que ando pelo nosso querido Crato, a gente pode sentir um pouco de esperança com a administração atual. Mas não resta dúvida que sofremos uma concorrência até certo ponto desleal. Vejamos: o Crato é um municipio essencialmente agrícola e possuia instalado na nossa cidade, em volta do Parque de Exposição todos os órgãos ligados à Secretaria da Agricultura. De repente esses órgãos foram todos transferidos para Juazeiro,não obstante as sedes que para eles que no Crato foram construidas, e ser o outro municipio, sem nenhuma tradição agrícola e uma área agricutável que não dá nem 10% da área do Crato. O que foi isso? Falta de liderança politica. Culpo os próprios eleitores cratenses que não escolheram nenhum representante da terra para a Assembléia Legislativa e Câmara Federal. É precso mudar esse quadro já!

    ResponderExcluir
  5. Prezado Carlos Esmeraldo,

    Você esqueceu Ely Aguiar, o "home" da Siqueira Campos ???
    Pois bem, conseguiu chegar lá mas já está tendo que explicar certas
    atitudes.

    ResponderExcluir
  6. O Samuel só esqueceu o tema do aeroporto do Juazeiro ou com tanto progresso podemos dizer do CRAJUBA, mas cadê algum sinal de melhoria neste aeroporto Meus Deus???
    Teresa Abath
    Brasília-DF

    ResponderExcluir
  7. Amigos, eu nem era pra fazer este comentário, porque o administrador não deve estar se intrometendo nas postagens, mas só para dizer que concordo com vocês que o Crato em um determinado ponto da história SE PERDEU. Isso aí foi o resultado da má escolha de políticos para o Crato. O Samuel Araripe tem certa razão quando admite que hoje, o Juazeiro já caminha com as próprias pernas e que o "Atacadão" assim como todas as lojas, fazem pesquisas de mercado.

    Mas eu entendo que isso que ele falou vale para o HOJE, que o terremoto já passou aqui no Crato. Antigamente não era assim. Eu conheci o Crato sendo ainda líder do Cariri, e naquela época se tivéssemos tido homens fortes, que segurassem os investimentos aqui, não teríamos essa debandada de empresas para Juazeiro. Mas a atuaçõ tinha de ter sido feita NAQUELA época. Agora, nem Crato nem Barbalha podem fazer mais nada para consertar a situação, a nao ser "aprender a conviver" com isso, e procurar atrair o desenvolvimento para cá, trazendo coisas diferenciadas, qualidade de vida, que os Juazeirenses nunca terão uma Chapada do Araripe como cabeceira, turismo ecológico e de toda espécie, mas ter muito cuidado com negócio de indústria. Taí Barbalha com um problema sério com uma indústria que polui o ar da cidade 24 horas por dia...pra quem não sabe...

    Então é isso, e tem certos "desenvolvimentos" que devem ser evitados. O desenvolvimento lógico passa pela qualidade de vida, mas deve-se ter uma cidade LIMPA, Pavimentação Perfeita, Saneamento, toda a infra-estrutura adequada para que as empresas possam aparecer.

    Campos do Jordão é uma cidade que movimenta milhões de reais e não tem indútrias. O Crato pode investir em inúmeras atividades.
    O Deputado Ely Aguiar não desiste e quer trazer o turismo religioso para cá. Já firmou com o governo do Estado agora, 1 milhão e 147.000 reais para o monumento. O negócio é tão sério que Ely me disse que se nao fosse fazer em terras Cratenses, procuraria outra cidade que quisesse. O governador apoia totalmente essa idéia, entrando com 500.000 reais. Ely liberou seus 500.000 reais a que tem direito como deputado totalmente para esse monumento, e mais os 147.000 que já havia conseguido.
    Ely diz que o turismo religioso naquele local aonde será construído à N. Sra de Fátima será tão grande, que o Crato dará um salto.

    Eu não sei bem se o turismo especialmente o religioso se é nossa vocação, em todo caso, quero ver primeiro isso aí.

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  8. Eu só queria entender uma coisa nesse setor do turismo religioso.
    A construção de uma estátua não vai fazer a fé do povo. É o povo que decide, creio eu, quando e onde vai exercer a sua religiosidade. Haja visto na entrada de Missão Velha um espaço que me parece, vive vazio, e que foi construído como local para acesso de fiéis. Ou na saída do Crato, na subida para o Exu, se não me engano, há um local lá para peregrinação, mas não sei se atraiu o turismo religioso.

    E havendo essa demanda, como será a infra-estrutura para receber esse público?

    ResponderExcluir
  9. Ilustre Darlan,

    No nosso comentário acima abordamos exatamente isso: a economia só se estabelece onde lhe ofereçam infra-estrutura para tal.
    Acomodação, conformismo e passividade não deveriam constar do dicionário de quem recebeu delegação para comandar a máquina pública.
    Tem que ousar, ser criativo, buscar alternativas, encarar a fera de frente, nunca se conformar com o pouco que se conseguiu e, acima de tudo, acreditar que é possível mais,sempre mais.

    ResponderExcluir
  10. Colegas, o caos que se vive hoje nos grandes centro urbanos do Brasil, é resultado de um processo denominado de MACROCEFALISMO URBANO, ou seja o inchaço das cidades, inchaço este resultado de políticas fantasiosas e politiqueiras, como a que vivenciamos na época de Tasso, quando o mesmo usou a mídia e espalhou para os sete cantos do mundo que o cariri iria passar por uma forte industrialização. O que aconteceu ? todos nós sabemos, veio uma, uma indústria para o Crato (grendene) e outra para o Juazeiro (singer). Mas se fizermos um estudo como cresceu a periféria do Crato, aumentou a violência urvana, desorganizou o transporte, aumentou os problemas ambientais, tudo pela grande quantidade de trabalhadores desempregados das cidades circunvizinhas que vieram para o Crato, achando que aqui seria o novo eldorado. Dai entendo quando o Prefeito enfatiza a importância do crescimento sustentável.

    Acredito que priorizar os nossos comerciantes e empresários com vantagens que são oferecidas para os megaempresários de fora, já seria um bom começo.

    Quanto ao turismo religioso, temos que ter cuidado, o turismo do Juazeiro, enrica meia dúzia de empresários, enquanto a população sofre com a superlotação da cidade. Queremos a Miguel lima verde, transformada numa rua São Pedro em época de romaria no Juazeiro? Sabemos que daquela multidão grande parte são oportunistas, ladrões, prostitutas, moradores de rua expulsos de suas cidades de origem, e os romeiros que por ali passeiam não compram das lojas que pagam impostos, e sim dos informais.
    É muito sério e difícil pensar a cidade perfeita, mas temos que concorda que uma boa cidade é aquela que oferece aos seus munícipes qualida de vida, e nisso o Prefeito Samuel tem razão, quando pririzou em sua fala a preocupação em crescer, mas crescer ordenadamente, sem deixar cair e procurar melhorar a saúde, educação, segurança, conservação e preservação do patrimônio material e imaterial, e principalmente do nosso bem maior que são as nossa belezas naturais disponibilizadas pela nossa Chapada do Araripe.

    Saudações Geográficas!
    João Ludgero

    ResponderExcluir
  11. Turismo ecológico.Esse é o segredo.Vejo que em termo de indústria não dá mais para o Crato e também grandes centros comerciais.O Juazeiro foi esperto.Conseguiu o HOSPITAL REGIONAL, ATACADÃO, SINGER, CAJUINA SÃO GERALDO, DISTRIBUIDORAS COMO A RAMOS E DONIZETE, FÁBRICA DE TÊNIS, FÁBRICA DE JEANS A RAGAZZO JEANS, ao que tudo indica em outubro teremos no Juazeiro o início da construção do EXTRA e pra finalizar chegará no mês de julho um grande investimento no Juazeiro que é uma fábrica de antibióticos avaliada em R$100,000.000 --> O Crato tem que agora procurar um meio de "tentar" se desenvolver no meio ecológico.Temos vários balneários, trilhas e uma paisagem verde exuberante.Não vejo outro meio para o Crato.Dormiram, agora vão ter que correr atrás do prejuízo.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.