03 abril 2009

CARIRI E SERTÃO CENTRAL - Falta de chuvas preocupa agricultores - Por: Antonio Vicelmo

CARIRI E SERTÃO CENTRAL

Plantios estão perdidos nas regiões dos Inhamuns, Cariri e Sertão Central (Foto: Honório Barbosa). No Sertão Central, a falta de chuvas pode ser fator para reativar Operação Pipa. Crato. Os valores se inverteram. O Cariri, que tradicionalmente, apresenta o maior índice pluviométrico do Ceará, este ano, está abaixo da média. Enquanto nos três primeiros meses de 2008, janeiro, fevereiro e março, foram registrados, de acordo com a Ematerce, 1.090 milímetros, em igual período deste ano foram anotados apenas 362 milímetros. O total é menor do que o mês de março de 2008, que chegou a registrar 531 milímetros. Em conseqüência da irregularidade climática, os agricultores estão no prejuízo. Perderam parte do primeiro e segundo plantios. Agora, estão apostando no terceiro plantio feito em fevereiro. “Mesmo assim, o feijão e o milho verdes da Semana Santa estão garantidos”, diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Crato, José Ildo. Os agropecuaristas reclamam da falta de pasto. As chuvas finas caídas na região não foram suficientes para o crescimento do capim. A observação é do pecuarista Manoel Pedrosa, advertindo que, se não chover, o quadro vai piorar a partir de julho, com o período de estiagem típico do semi-árido. O reflexo da falta de chuvas está nos açudes da região. A maioria está com a mesma água do ano passado, isto é, um pouco mais da metade de sua capacidade. A informação é confirmada pelo gerente regional da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), responsável pelo monitoramento dos açudes da região, Yarlei Brito.

Quadro de crise

Ao invés de chuvas, o clima é de preocupação na região Centro do Estado. A maioria dos reservatórios continuam secos e são poucas as áreas onde há produção de leguminosas. No diagnóstico apresentado pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Quixadá (STTRQ), Eronilton Buriti, caso as precipitações não se acentuem logo as comunidades ficarão até sem água potável. A alternativa será o apoio do Exército com o Operação Pipa. O representante classista ainda destaca a criação de programas diferenciados com criação de frentes de serviço como opção de amparo ao trabalhador rural. O coordenador regional da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece), José Mendes, confirma o quadro desanimador em praticamente todos os 13 municípios assistidos pelo núcleo de apoio do Sertão Central. Quanto mais longe do litoral mais critica é a situação. Mais de 90% da produção de legumes está sendo perdida. Em Madalena, o estado já é desolador. Apenas em Choró e Ocara o quadro é menos ruim. Mendes ainda explicou que a Fetraece aguarda levantamento feito pelos sindicatos e secretarias municipais para recorrer ao Governo do Estado. O relatório deverá ser apresentado até o fim do mês. A má distribuição das chuvas é uma característica das regiões semi-áridas, como a predominante no Nordeste.

ANTÔNIO VICELMO/ALEX PIMENTEL
Repórter/ Colaborador

Mais informações:

Fetraece, Coordenadoria Regional, Sertão Central
(88) 3412.0511
Ematerce do Crato
(88) 3102.1293

Reportagem: Antonio Vicelmo/Alex Pimentel
Fonte: Jornal Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.