31 março 2009

Utilidade Pública - Secretária de Saúde de Crato esclarece críticas à Saúde no Município

O.B.S - Para não ouvir 2 sons ao mesmo tempo, favor pausar o player da Rádio Chapada do Araripe na entrada do Blog primeiro.

Em entrevista concedida ao Blog do Crato nesta tarde de Quarta-Feira, a Secretária de Saúde Nizete Tavares faz um esclarecimento à população acerca de vários pontos em que tem sido criticada nos últimos dias por alguns setores da imprensa e sindicalistas.

Alguns pontos altos da entrevista:

N.T
"Nós não estamos vivendo uma crise de saúde no Crato. A secretaria de saúde do Crato tem buscado no seu dia-a-dia desempenhar da melhor maneira possível todos os serviços prestados à população. Infelizmente, nós temos um problema que não é do município do Crato. É um problema que podemos dizer que é do Ceará e do Brasil, da falta do profissional médico. Então essas estórias que estão surgindo de que o Crato não tem médico por conta do salário, isso não é verdade. Os salários dos municípios que são nossos vizinhos, o salário de um médico é o mesmo pago nos municípios vizinhos. Os municípios que pagam um valor maior são os municípios de pequeno porte que recebem também do ministério da saúde um repasse maior. Mas o Crato tem o mesmo salário equivalente a Juazeiro, Barbalha, então, isso não é verdade! E a falta de médicos não é só no Crato. Inclusive, a imprensa poderia estender a visita aos outros municípios da região para constatar o que eu estou dizendo, e nós enquanto secretários temos tido várias reuniões e isso é uma preocupação dos secretários da dificuldade que temos tido na questão do profissional, do médico."

N.T
"A Saúde no Crato está funcionando bem, nossos indicadores de saúde mostram isso, nós temos aí um trabalho bastante efetivo que estamos realizando nesse ano de combate á dengue, temos uma taxa de mortalidade materna que reduziu significativamente na nossa gestão, os indicadores de imunização..."

N.T
"Isso não é ( só ) um problema do município do Crato, isso é um problema do País"

B.C - E a que você atribui toda essa celeuma em torno da chamada crise da saúde no Crato ? Porque essa exploração em alguns setores da imprensa exatamente em cima dessas coisas todas justamente agora ?

N.T
"Infelizmente eu não sei te dizer, eu não conheço as pessoas, inclusive saiu em alguns jornais dizendo que as pessoas me procuraram e teria me negado a dar entrevista... ISSO NÃO É VERDADE ! - tá certo ? todos os canais de televisão, a imprensa falada, escrita que me procura, eu estou aberta para atender, para receber, para prestar informação que se fizer necessária. Eu só não concordo é em eu falar uma coisa e a imprensa colocar outra. Isso eu não concordo !"

Para ouvir a entrevista na íntegra, clique no player abaixo:



Reportagem: Dihelson Mendonça

6 comentários:

  1. Se a saúde está em crise eu não sei, mas a falta de remédios é uma constante.
    Várias pessoas vão a Secretaria de Saúde á procura de medicamentos e muitos estão sempre em falta.
    O motivo, alegam, seria da licitação, desculpa usada há muito tempo e que não cola mais. Eu quero é que venham dizer que isso é mentira minha, pois eu mesmo mostrarei aqui no blog provas concretas. É esperar pra ver!

    ResponderExcluir
  2. Grande professor JOão Paulo, lembra de mim?

    Concordo com o professor quando fala isso.Aqui no meu bairro vilalta está precária a situação.O povo do bairro independência vem se consultar aqui causando uma enorme confusão pois aqui no meu bairro tem o dai para ficar doente.Os remédios não existem, tá difil de encontrar até diclofenaco de sódio e potassico.A situação da saúde aqui no Crato está caótica.Um forte abraço do seu amigo e ex-aluno Moisés Rolim.

    ResponderExcluir
  3. A prefeitura do Crato quer fechar os olhos para os problemas... Não temos médico, dentistas apenas 16 e número insuficiente de enfermeiros.OS medicamentos e materiais odontológicos, como luvas, estão em falta. quer mais o que para ser caos?

    ResponderExcluir
  4. Grande Moisés! Desculpa a demora em responder e aparecer por aqui, é que estava com problema na minha conexão. Como está? Por onde anda rapaz?
    Pois é Moisés, a falta de medicamentos na secretaria de saúde é uma constante. A demora é tanta que quando chega algum remédio o paciente é obrigado a iniciar um novo processo de solicitação, que leva pelo menos três meses.
    Com a boa notícia que o amigo Dihelson faz parte da assessoria de Imprensa, ele bem que poderia verificar esse problema de perto junto a Secretaria da Saúde do município.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. A Posição oficial do prefeito Samuel Araripe que eu tenho sobre o assunto, já que sou assessor de imprensa e já o entrevistei sobre isso das reclamações da falta de medicamentos nos postos, segundo o próprio Samuel Araripe, é que:

    "Na grande maioria das vezes, não há falta de medicamentos, e sim um descontrole e má vontade até entre as pessoas que estariam nos postos a controlar os estoques. Samuel afirma que várias vezes foi constatado que o pessoal dos postos vendo o estoque diminuindo, não informa com ANTECEDÊNCIA para o depósito central, e deixam faltar o medicamento, só informando ao depósito quando não há mais uma só caixa do remédio, podendo ter informado quando tivesse baixado para uns 20 por cento, por exemplo, a fim de repor o estoque estando o depósito central, muitas vezes abarrotado com aquele medicamento precisando apenas de uma comunicação eficiente entre os funcionários.

    Samuel desabafa quando diz que:

    "É incrível como certas pessoas de dentro da própria administração trabalham no sentido de prejudicar a nossa imagem perante a opinião pública com essas atitudes, pois deixam a população sem medicamentos, enquanto os depósitos centrais muitas vezes estão cheios deles! E quando falta o primeiro medicamento no posto, o Prefeito é quem leva logo a culpa, pois a população não entende que prefeito não está a par de cada caixa de remédio de um posto não. Isso é tarefa para os funcionários que precisam ter competencia e autonomia para resolver também essas questões da população!"

    Sobre a falta de médicos, Samuel é enfático:

    "A falta de médicos é um caso grave, e não é só no município do Crato que enfrenta esse problema não. Estamos oferecendo vagas para médicos em Crato, podem aparecer quantos necessários, estamos pagando caro e e corretamente para qualquer profissional médico que queira trabalhar para a saúde do município. Há uma escassez de médicos muito grande para trabalhar para a população. Que os médicos se apresentem, e serão contratados!"

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  6. Obrigado pelas informações Dihelson.
    Acredito que em ultima instância realmente o prefeito é culpado, pois cabe a ele cobrar a quem outorgou deveres.
    Sei que o prefeito não tem como dar conta de tudo, mas os secretários foram escolhidos por quem? Porque ele não cobra então da secretária de saúde?
    Será se ele estaria falando o mesmo a respeito se por acaso não depositassem o dinheiro dos vereadores e do próprio prefeito? Seria também encarado como um erro de comunicação?
    Tem pessoas que dependem desses remedios para sobreviver e não pode esperar para amanhã, já basta o próprio sofrimento que carregam!

    * De antemão parabéns a todos envolvidos no projeto da limpeza visual na cidade. Nunca imaginei que isso se tornaria uma realidade na nossa cidade.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.