10 março 2009

UMA LEMBRANÇA AO COTIDIANO DAS MULHERES

Hoje despojada do internacional,
restou esta pia de cozinha,
o ferro de engomar,
as fraldas de cocô,
a parca renda familiar.

Restou esta “menor”,
o nome encoberto com uma tarjeta,
estuprada,
abortada,
móvel da ira episcopal.

Hoje despojada da saúde pública,
restou este HPV,
os cânceres do teu ser no mundo,
omisso,
falho e mercantil como um plano de saúde,
um escárnio do poder municipal.

Hoje, mulheres,
ontem o mundo te adoçou em chocolate
flores vivas em tuas mãos,
como antes o povo Sêneca,
aprisionava-te e mimava,
até o dia do sacrifício ritual.

Restou a gravidez precoce,
a agressividade masculina,
a dupla jornada de trabalho,
a ditadura da eterna beleza,
a vida, deste modo vivida,
como apontamentos dos céus.

Sabemos, todos sabem,
da regra geral da pobreza popular,
das balas que matam os jovens rapazes,
do sofrimento do transporte coletivo,
das falhas da política educacional,
mas não é possível adoçar,
o mundo das mulheres,
sem antes a consciência que reflete,
tudo que um dia promete,
mas que anoitece para outro amanhecer.

Um comentário:

  1. O cotidiano da mulher é feito com tantas mãos , e tantos passos...
    É feito também com o pensamento ...Ora atenado , ora nas fofuras das nuvens.
    Conciliando diferentes papéis , ela vai se consumindo...Fica menor, mais calminha, mais sábia, mais tinhozinha.
    A interrelação entre homens e mulheres , faz o planeta mais complexo , mais amoroso, e mais denso ... Com tantas cabeças dormindo, em nuvens claras e escuras.
    Quando chove bastante , metade das águas são lágrimas das deusas.
    Depois da chuva , elas ficam com cheiro de céu , e terra molhada. Descem das nuvens , e reencaram seus papéis terráqueos... Amar, nutrir, amar !

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.