30 março 2009

"Regionalismo Zarolho" - Por: José Nilton Mariano Saraiva

Dá-se um fenômeno interessante na Região do Cariri: enquanto uma só cidade (Juazeiro do Norte) é generosamente aquinhoada com mimos e favores mil por parte do governo estadual em função da sua representação e força política, e até por isso mesmo é também lembrada e escolhida por integrantes da iniciativa privada para instalação dos seus negócios no sul do Ceará (como Sobral ou é ao norte), algumas outras poucas cidades, por não disporem de representantes políticos que influam de alguma forma no direcionamento, implementação e implantação dos novos investimentos, se contentam e se conformam em recepcionar, como se fossem a “salvação da lavoura” ou o “cumprimento de compromissos assumidos”, migalhas e sobras compensatórias desse mesmo governo (um restaurante popular aqui, uma farmácia popular ali e por ai vai); em conseqüência, peca por inconsistência, a demagógica, polêmica e famosa tese da “interiorização do desenvolvimento” (que seria, verdadeiramente, o espraiamento das benesses na contemplação equânime DE e PARA direcionamentos diversos e em diversos recantos, capaz de as alavancarem).
Evidentemente que tudo isso que hoje lá acontece (nas cidades esquecidas ou momentaneamente desprezadas) faz parte de um complexo processo acumulativo histórico (foram anos e anos de completo descaso), e não necessariamente culpa das atuais administrações municipais, que já pegaram o bonde andando; diz respeito à irresponsabilidade factual dos respectivos habitantes que, na hora de utilizarem a sua mais poderosa e preciosa arma – o voto – o fizeram e o fazem de forma equivocada e, diríamos até, desajuizada, delegando a pessoas sem a devida competência, partidárias do “toma-lá-dá-cá” ou do famoso bloco do “eu sozinho”, comprovadamente despreparadas e desprovidas de senso público, o destino das respectivas cidades.
Agora, difícil de absorção e de compreensão, é embarcar na canoa furada manobrada por alguns e nos argumentos fajutos de políticos profissionais de fácil e demagógica erudição, que, servindo-se de “multiplicadores” bem doutrinados, douram a pílula do conformismo e da acomodação, ao ressuscitarem velhos conceitos, dogmáticos ou não, na tentativa de justificar o injustificável ou convencer os incautos, esquecendo propositadamente de trazer o debate para o centro do palco, analisando com a devida pertinência a profundidade e reflexo da situação vigente.
Pois bem, a expressão da moda, o mais novo hobby, o blefe da vez para tentar justificar o abandono a que o Crato foi relegado durante anos, bem como o extraordinário e geométrico crescimento de Juazeiro no mesmo período (mesmo que à custa da exploração desumana dos romeiros), responde pela charmosa e inusual expressão “conurbação” (na verdade, uma “extensa área urbana formada por cidades e vilarejos que foram surgindo e se desenvolvendo um ao lado do outro, formando um conjunto”).
Só esquecem, os partidários de tal “embromação” semântica, que, queiram ou não, a roda do desenvolvimento passa, antes e necessariamente, pela economia, pelos agentes econômicos, pelo temível mas desejado e poderoso vil metal; assim, não adianta Crato e Juazeiro se unirem num futuro próximo, até se “conurbarem”, formarem um só aglomerado humano, se as indústrias, o comércio, a vida pulsante da economia se instalarem depois da ponte que separa as duas cidades, e SÓ em território juazeirense.
Afirmar que o Crato também se beneficiará com isso é uma meia verdade, é querer enganar quem tem um mínimo de bom senso, é tapar o sol com a peneira, e por razões simples e objetivas: a) os muitos empregos, resultantes do assentamento de tais projetos, preferencialmente beneficiarão os habitantes da cidade-séde (pode até que sobre alguns para o Crato), até mesmo porque o processo seletivo será feito por um órgão lá vinculado, que evidentemente priorizará a população local (o corte de custos, como o vale transporte, por exemplo, terá peso); b) o pagamento de uma infindável gama de impostos (ICMS, ISS, IPI, IPTU, IPVA, IR, etc) será direcionado e receptado pela Prefeitura da cidade-séde; c) com o aumento exponencial na arrecadação fiscal, necessariamente se terá um incremento percentual de peso, por parte da cidade-séde, no recebimento dos fundos constitucionais (Fundo de Participação do Municípios-FPM) por parte da administração local; d) a reaplicação desses tributos gerará novos empregos (lá em Juazeiro) e a roda não parará de girar daí por diante (lá em Juazeiro); e) corre-se o risco de a própria população cratense, atraída pela difusão midiática incessante, deixar de priorizar o comércio local e investir em Juazeiro, provocando a debandada e fechamento dos poucos pontos comerciais de peso de que hoje dispomos (Lojas Americanas, Mercadinhos São Luis, etc), por falta de cliente.
E aqui, lembramos o presidente americano Bill Clinton que, ao ser questionado a respeito do expressivo crescimento americano durante o seu governo, deu uma resposta simples, mas clara, objetiva e definitiva: “É a economia, otário !!!”
Portanto, acabem com essa conversa mole, com esse lenga-lenga, com todo esse papo furado de que as empresas instaladas em Juazeiro beneficiarão toda a Região do Cariri, de que estamos a assistir a uma simplória “conurbação”. O que temos, em verdade, queiram os não os deslumbrados de plantão, é um autêntico “Regionalismo Zarolho”, ou de uma só via, onde um só centro receptor e difusor, monopolista e arbitrário, manipula e orquestra, ao seu bel prazer, os pobres "satélites" que giram e vagam em sua órbita.

**********************************
Dedicamos esta croniqueta (não agressiva, mas respeitosa) ao senhor Pedro Esmeraldo (que não conhecemos pessoalmente, mas aprendemos a admirar via blog), um cratense com “C” maiúsculo - verdadeiro baluarte na defesa da cidade e da sua gente, a quem saudamos respeitosamente; se tivéssemos pelo menos uns dez “Pedros Esmeraldos” da vida certamente a situação seria hoje bem diferente.

Autoria e postagem: José Nilton Mariano Saraiva


13 comentários:

  1. Prezado Zé Nilton

    Você tem completa razão. Mas acho que o maior culpado é o eleitor cratense..Nas últimas eleições os cratenses validaram 51.731 votos para deputados federais, suficientes para garantir a eleição de um deputado federal. Enquanto o único candidato cratense obteve apenas 37% desses votos, 63% deles foram destinados a candidatos de outras cidades, destacando-se o ex-governador Ciro Gomes com 10.669 votos, os cincos candidatos a deputado federal por Juazeiro que obtiveram juntos 6.993 votos. Ao todo foram votados mais de 43 candidatos no Crato, entre os quais muitos desconhecidos pela maioria dos cratenses como André Figueiredo, com 997 votos e Maria Aparecida Albuquerque que obteve no Crato 75 votos. Esses números são reveladores da tamanha ingratidão política do cratense para com os seus próprios filhos. Reclamamos dos nossos prefeitos, que pouco fazem pelo desenvolvimento do Crato, mas esquecemos que eles não conseguem viabilizar seus projetos por falta de representantes políticos.
    Portanto, não podemos reclamar a perda da Universidade Federal, da sede regional do DETRAN, ou de um hospital público de qualidade, afora tantos órgãos federais e estaduais que foram transferidos do Crato para outras cidades. Os maiores culpados por tamanho descaso são os próprios cratenses que votam em candidatos de fora..
    Agradeço pela referência ao meu irmão Pedrinho. Vou ligar para meu filho que mora próximo dele para que ele mostre a ele sua crônica.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Uma só palavra basta para definir José Nilton Mariano Saraiva: GÊNIO.
    Eu já estava desesperançado de que não aparecesse um cratense (com C maiusculo) como este. Apareceu. ele está coberto de razão, como bem disse Eduardo Esmeraldo. José Nilton consegue demolir todo argumento dos inimigos do Crato. Só resta aos desafetos de José Nilton Mariano Saraiva baixar a cabeça.
    Cadê os argumentos, romeiros?
    Como leitor silencioso dos blogs, como um cratense que não se conforma com a ação depredadora dos romeiros fanáticos em cima da terra natal da heroína Barba de Alencar, louvo este intelectual com suas idéias brilhantes.
    Tivessemos 10 José Nilton Mariano Saraiva e o Crato não teria chegado a posição humilhante de hoje.
    José Nilton ganhou todas. Demoliu a santidade da beata (E aí, galera qual é mesmo a causa mortis?), provou que um católico pode ser não praticante, e agora prova que não existe essa besteira de conurbação.
    Fenomenal seus escritos meu querido conterrâneo...

    ResponderExcluir
  3. Parece-me que o Governador é muito partidarista. Não é o governador de todos os Cearenses!

    Se fosse, o Crato estaria na lista dos primeiros beneficiados. Não são poucos os esforços do nosso prefeito em tentar essa aproximação com Cid Gomes e trazer recursos para o Crato. Infelizmente, essa turma só governa para os SEUS...

    Eu creio que para um Governador ser DECENTE, ele deveria governar para todo o estado, trazendo benefícios para todas as cidades igualmente, e independentemente de que é de um partido ou de outro. Ou o nosso querido Governador prefere fazer passar a idéia de que seu modelo de política é aquela velha política SUJA dos compadres que só quem está na panelinha se beneficia ?

    É tempo do CID GOMES deixar essa postura de político mesquinho e tratar do Crato como um grande centro!

    Abraços,

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  4. Prezados Carlos e Dihelson,

    Realmente, como consta do corpo do nosso texto, também entendemos que aos eleitores deve ser creditado o marasmo experimentado pelo Crato, de há muito.
    A própria votação do Ciro Gomes na cidade (mais de 10.000 votos) é indicativo do pouco caso que ele, eleitor, dá ao seu voto.
    Só um detalhe deixou de ser mencionado: ele, Ciro Gomes, sozinho, não conseguiria cinco por cento desses votos; portanto, tem gente e gente de peso, com bala na agulha (money), financiando tudo,
    Quem será e com que interesses ???
    *************
    Carlos, não conhecemos o Pedro, embora tenhamos idéia de quem seja; no entanto, partilhamos, na essência e substantividade, dos seus posicionamentos em favor do Crato. Portanto, seu sofrimento é, também, o nosso.

    ResponderExcluir
  5. Ainda bem que o presidente Lula governa para todo mundo. Independente de partido. Já ajudou várias cidades, inclusive o Crato, o que é obrigação, não é favor. Diferente de um tal príncipe dos sociólogos, ave maior da plumagem tucana.

    ResponderExcluir
  6. BARBA de Alencar, pelo que eu sei, deve ser a Barba grande de algum membro da família Alencar, feita lá na barbearia.

    Agora, A BÁRBARA de Alencar que eu conheço, é a heroína que o nosso grande e querido George Macário, à frente da Fundação J. de Figueiredo Filho está tentando resgatar contra tudo e contra todos, criando o Museu Bárbara de Alencar no Crato, e restaurando a fachada do prédio que hoje está com a Sefaz, para o modelo original que nunca deveria ter sido demolida em Crato.

    Estamos programando uma grande inauguração deste Museu, com festejos a essa heroína fantástica da Insurreição de 1817, que o Crato, por ter sido tão sucateado ao longo de muito tempo, quase havia perdido e que agora, com toda o trabalho de restauração dos Museus do Crato que se está realizando, e o reaparelhamento cultural que o Crato tem recebido e construído, virá para ficar de vez.

    É bom que fique registrado.

    Dihelson Mendonça

    ResponderExcluir
  7. Prezado Zé Nilton

    Pedro leu seu artigo e vibrou. Envia cumprimentos. Pediu cópia do seu artigo,inclusive dos comentários, o que estarei providenciando já. Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Prezado Osman Rodrigues,

    Que é isso, cara, que exagêro é esse ??? Intelectuais de escol e que os blogdocrato tem o privilégio de abrigar são o Zé Flávio e o Zé do Vale (que não conhecemos pessoalmente), dentre outros.
    Somos, apenas e tão-somente, uma figura POLITICAMENTE INCORRETA, com um estilo um tanto quanto "CONTUNDENTE", que tanta agrada uns como desagrada outros (nos cognominam de ateu, anticristo, agnóstico e por ai vai).
    Ainda assim, temos recebido, via telefone e e-mail (como é que o turma descobre, hein ?) manifestações de solidariedade e apreço (mais de vinte) de pessoas que sequer conhecemos e que nos pedem desculpas por não poder, por um ou outro motivo, manifestar-se via blog (são os famosos leitores silenciosos).
    Com relação aos temas enfocados: conurbação: seria uma espécie de masturbação semântico-ortográfica, usada por pessoas politicamente corretas, que vivem a querer agradar aos dois lados (não faz o nosso estilo); católico não praticante: é uma realidade que os próprios órgãos governamentais pesquisam e divulgam;
    "causa mortis" da beata Maria de Araújo: algo que os adeptos do Padre Cícero têm ojeriza em discutir e por uma razão muito simplória: se ela tiver morrido mesmo de tuberculose (como se especulou), o "milagre da hóstia" ficaria irremediavelmente comprometido, não teria passado de uma grande farsa (até porque a própria Igreja descredenciou o Padre Cícero, à época).
    E você, cara, vive no Crato ??? Trabalha por aí ??? É filho de quem ???
    Receba o nosso abraço.

    ResponderExcluir
  9. Carlos,

    Transmita o nosso abraço afetuoso ao Pedro; diga-lhe que estamos com ele e não abrimos nem pro trem.

    Dihelson,

    Certamente que o Osman Rodrigues (que não conhecemos) digitou apressadamente (dai a supressão) e deixou passar sem uma revisão.
    Acontece com todos nós, não ??? (particularmente, vivemos a pedir desculpas ao pessoal do blog, por coisas similares).

    ResponderExcluir
  10. José Nilton Mariano Saraiva e Pedro Pinheiro Esmeraldo a dupla que vai ajudar o Crato a se levantar.
    Estou com vocês e não abro nem para um trem carregado de dinamite.
    José Nilton você é o maior cronista do Blog do Crato.

    ResponderExcluir
  11. eh o cariri soh do juazeiro, essa conversa de beata sangrando, milagres etc, tudo mentira para extorquir dinheiro dos romreiros ignorantes, gente otaria eh para isso mesmo. o crato merece respeito autoridades. contem comigo tambem, sou muito amigo do pedrinho.

    ResponderExcluir
  12. Senhor Orman,

    Só em saber que V.Sa. nos lê já se constitui um privilégio indescritível.
    De onde és mesmo ???
    Do Juazeiro ???

    ResponderExcluir
  13. Senhor Orman,

    Só em saber que V.Sa. nos lê já se constitui um privilégio indescritível.
    De onde és mesmo ???
    Do Juazeiro ???

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.