19 fevereiro 2009

"Águas passadas , movem os meus moinhos" - Por : Socorro Moreira




Eu tinha um amigo que adorava mulheres das pernas tortas. E dizia isso com toda razão.
- Imagine o enrosco dessas pernas no meu corpo. Encaixe perfeito!
- E as minhas panturrilhas humildemente, se encolhiam.
Estávamos no Amazonas. Os meninos tomavam cerveja em latinhas, salpicadas de sal e limão. Claro que eu ia de "Baré", e o tira gosto era Tucunaré. Tempo infernal e celestial. Chuvas diárias nas tardes. Banhos nas calçadas, no meio do mundo... Um mambembe coletivo, atiçado e resfriado.
Terra aonde a lepra se espalhava.
- Cuidado menino, com beijo de língua; com mordiscadas na orelha... (Cuidado para não engolir coisas alheias).
E o tempo quebrava o relógio. A estrada era selva, e o rio navegável. Exuberância, nos passeios de lancha (50 HP). De uma margem para outra, nem se tivesse olhar de lince, ou pescoço de girafa... Só se via água e céu... Um mar nublado, sem ondas, sem turmalina... Mas tinha a beleza das garças.
Nas noites, imperava o carimbó. Um violão mineiro...
Num grupo de dez, eu era apenas só!
Cansados das caças, fretamos um avião para gastar dinheiro no "Selton" de Porto - Velho. Os meninos esticaram o vôo até Letícia, na Colômbia, atrás de Old Parr e "Saco Roxo".
Eu fiquei num salão de beleza, pintando os cabelos de vermelho.
Naquela noite, nos banqueteamos, depois de três meses, com filés ao molho madeira.
Digestiva foi a Discoteca. Sons de Tina Turner - Dancing Days. Uns remelexos soltos, e ao mesmo tempo presos, nas meias de lamê.
Benditas diárias, que nos davam chuva, rio, peixe, castanhas e algumas mordomias.
Ontem assisti ao filme "Ensaio sobre a Cegueira”, baseado no livro de Saramago.
Evoquei todas as águas,
Nas quais já me molhei.
Bendisse a vida.
Umedeci a pele,
Folha seca da cegueira.
Agora posso fechar os olhos...
Viver o que deixei passar.
Posso na vida,
Também adiantar o olhar.
Buscar-me, buscar-te...
Entregar alma em mãos...
Confiar!


Socorro Moreira

5 comentários:

  1. Evoquei todas as águas,
    nas quais já me molhei.
    Bendisse a vida.
    Umedeci a pele,
    -chamusquei o olhar
    folha seca da cegueira.
    Agora posso fechar os olhos ...
    -imaginar meu futuro
    Viver o que deixei passar.
    -Passo na vida
    Posso na vida ,
    também adiantar o olhar.
    Buscar-me, buscar-te...
    -Vislumbra-te no espaço
    Entregar alma em mãos ...
    -entregar-me por inteiro
    Confiar !

    ResponderExcluir
  2. Amiga querida ,

    Obrigada pelos acertos complementares .

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Socorro,

    Não fiz acertos... Estava tudo certinho... Apenas meus versos teimam em se entremear aos teus...(risos).

    São as simbioses...

    Abraços,

    Claude

    ResponderExcluir
  4. Socoro e claude
    Que maravilha!!
    "Entregar alma em mãos ...
    Entregar-me por inteiro...
    Confiar..."
    Eis o encontro verdadeiro de amar e ser amadao.
    Vocês "declamam" de forma bela o que há de mais sublime na vida: o AMOR! Beijos, Camila Arraes.

    ResponderExcluir

Visite a página oficial do Blog do Crato - www.blogdocrato.com - Há 10 Anos, o Crato na Internet.